“Debate”: TESTEMUNHAS DE JEOVÁ versus BATISTAS

Este vídeo apresenta uma conversa respeitosa entre Testemunhas de Jeová e Batistas, que terminou de forma pacífica. Os argumentos e contra-argumentos apresentados de ambos os lados ajudam os sinceros a ver de que lado está a verdade.

O uso e significado da palavra “Deus” (Elohim) nas Escrituras Sagradas

Há um assunto que achei necessário postar em vista da desinformação causada por muitos chamados apologistas e teólogos que tem mais confundido do que ajudado na pesquisa da palavra de Deus.

O uso e significado da palavra “Deus” conforme usada nas Escrituras Sagradas. Gostaria de repetir o que postei na página sobre o MONOTEÍSMO JUDAICO a fim de exclarecer alguns pontos importantes.

Esta matéria explica de modo claro e sem rodeios que ELOHIM não é como dizem muitos , um dos “nomes de Deus”. Nada disso! Na verdade como verá abaixo ELOHIM (em Hebraico) é equivalente a palavra Deus ou deus, em português. E não se refere apenas ao Ser Supremo. Ou seja, não é especifica mas assume um caráter de um substantivo comum na Bíblia.

(Obs.: Elohim em hebraico é o equivalente de THEÓS em grego. Tenha em mente que o V.T foi escrito em hebraico e o N.T foi escrito em grego.)

Os Judeus acreditavam que existiam vários deuses legítimos

Os Judeus ou Israelitas  foram o povo pactuado de Jeová (IHVH) e como tal reconheciam que o termo “Deus/ deus” não era uma palavra específica para designar o Deus Todo Poderoso. Por exemplo, Moises foi chamado de “Deus/deus” em Exodo 7:1. (Clique para ler em outra janela)

moisés_arão

Quem chamou Moisés de “Elohim” (Deus) ???

Como podemos ver no texto, foi o próprio Jeová Deus que considerou Moisés um deus. Não foi do ponto de vista de  Faraó ou outros, mas o próprio Deus todo Poderoso o tornou “poderoso” em ações e palavras, o que fez dele “um deus”.

Devido a posição e poderes a ele delegados pelo Deus Todo Poderoso, Moisés foi considerado um “Deus/deus”. É bom relembrar que este detalhe de mencionarmos a palavra “Deus” com letras maiúsculas ou minúsculas é irrelevante para a nossa avaliação do ponto de vista filológico visto que em hebraico antigo e grego koine não se fazia diferenciação entre letras maiúsculas ou minúsculas. Portanto, se Moisés foi chamado de “Deus” em hebraico em Êxodo 7:1 isso implicava que ele possuía poderes ao seu dispor que o colocava em posição elevada em relação a seus contemporâneos.

Deus disse a Moisés neste verso: “Vê, eu te fiz Deus (Elohim: אֱלֹהִים) para Faraó, ao passo que Arão teu irmão te servirá de profeta

A Tradução New American Standard Bible verteu essa passagem da seguinte maneira:

Vede, eu te faço Deus para Faraó, e teu irmão Arão será teu profeta

Por receber poder Divino e autoridade de Jeová (IHVH), Moisés foi chamado de “Deus” (hebraico: Elohim).”

Muitos teólogos e apologistas modernos negam a existência de outros chamados “deuses”. Observe outro erro grave dos pastores e teólogos neste artigo!

deuses

Ou dizem que tais “deuses” só podem ser “deuses falsos” uma vez que a Bíblia diz que existe apenas um “único Deus Verdadeiro”. Contudo, os primitivos judeus usavam a palavra “Deus” (Hebraico: Elohim ; Grego : THEÓS) para se referirem a  tudo o que possui poder ou exerce poder sobre outros ou alguma criatura com poderes concedidos por Jeová, o Ser Supremo, identificado nas Escrituras pelo tetragrama (IHVH). Os Judeus não viam nisso uma contradição. As passagens que cito aqui neste artigo possuem declarações explícitas, onde certos deuses são considerados deuses legítimos devido ao poder concedido pelo Deus Todo Poderoso.

Jesus ao chamar seu pai de “o Único Deus verdadeiro” não estava  excluindo totalmente outros de serem considerados “deuses” legítimos. Temos que tomar cuidado e evitar formar teologia a partir de uma declaração que não seja globalmente bíblica. Ou seja que não seja baseada em “Toda a Escritura”. Por exemplo, os Fariseus disseram, numa discussão com Cristo, que “temos um só pai, Deus” (João 8:41). Pouco antes haviam falado que  “Nosso pai é Abraão.”( João 8:39). Significa que declarações exclusivas nem sempre são literalmente assim. Se considerarmos as palavras ao pé da letra chegaremos a conclusão de que Abraão era Deus e que Deus era Abraão, visto que os Fariseus chamaram a ambos de “pai”. E pior ainda, disseram que não tinham nenhum outro pai a não ser Deus. De modo similar, Jesus ao dizer que seu pai é o ” Único Deus Verdadeiro” não estava dizendo que todos os outros eram deuses falsos e sim enfatizando que seu pai é o Deus Supremo em relação a outros que podem ser assim chamados. De fato observe que 1 Coríntions 8:5,6 afirma que “há muitos deuses”, daí o texto diz: “quer no ceús quer na terra”… Em harmonia com isso o Salmo 8:5 chama os anjos poderosos de “Deuses” ao usar a palavra hebraica ELOHIM. (Obs.: muitas versões usam a palavra “Deus” ou “deuses”, no hebraico ocorre a palavra ELOHIM , se alguma versão optou por verter “anjos” ela está parafraseando igual fez a LXX citada por Paulo)

Elohim (deus, deuses) é definido como sendo :

I. Deus, deus, deuses
II. governantes, juizes, anjos
III. Pl. intensivodeus, deusa

http://www.biblicalheritage.org/Linguistic/HL/1-A/-elohiym.htm

Palavra: ELOHIM Segundo a definição do respeitado Brown Driver Briggs Léxico Hebraico -Inglês :

  • a. governantes, juizes, quer como representantes divinos em lugares sagrados ou como refletindo majestade divina e poder.
  • b. divinos, seres humanos  poderosos, incluindo Deus e anjos.
  • c. anjos;

O Salmo 82:1 se refere a Juízes humanos e os chama de “deuses”. Lemos que o Deus Todo Poderoso

“preside na grande assembléia e julga entre os deuses…”

Salmo 82:6 prossegue na mesma linha…

“Vós sois deuses e todos vós sois filhos do Altíssimo”

Estes e outros inúmeros textos evidenciam que a palavra hebraica “Elohim” “Deus” ou “deuses” é aplicada pelos Judeus primitivos tanto em escritos da Bíblia Sagrada como também em escritos extra bíblicos como se referindo a deidades secundárias sem que isso comprometesse o monoteísmo judaico.

A Concordância Analítica de Young da Bíblia, Eerdmans , 1978 Reprint , ” Dicas e ajuda a Interpretação da Bíblia”  explica sobre a palavra Deus:

“65 Deus – . É  usado referente a  qualquer um ( professadamente ) PODEROSO , sendo verdadeiro ou não , e é aplicada não somente ao verdadeiro Deus , mas aos falsos deuses , magistrados , juízes , anjos , profetas, etc , por exemplo – Ex. . 7:1 , 15:11 , 21:6 , 22:08 , 9; … Sal 8:5 ; . 45:6 , 82:1 , 6; 97:7 , 9 … João 1:1 , 10:33 , 34, 35 ; 20:28 …. “

A Bíblia trinitária de Estudo NIV Study Bible , Zondervan , 1985 diz-nos :

” Na linguagem do AT … governantes e juízes, como agentes do Rei celestial ,podem receber o título honorífico de” Deus ” … ou ser chamado de ‘ filho de Deus ‘ . “ – Nota de Sal. 82:1 E , na nota de Salmo. 45:6 , o mesmo estudo da Bíblia nos diz : “Neste salmo, que elogia o Rei[ israelita ] … , não é impensável que ele seja chamado de ” deus ” como um título de honra (cf. Is 9. : 6) “.

O Novo Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento , Zondervan , 1986 , diz-nos :

” A razão pela qual os juízes são chamados de ” deuses “no  Salmo 82 . É que eles têm o cargo de administração do juízo de Deus como ” filhos do Altíssimo . ” No contexto do Salmo. Os homens em questão não conseguiram fazer isso .. .. por outro lado , Jesus cumpriu o papel de um verdadeiro juiz como um “deus” e ” filho do Altíssimo . “ - Vol . 3 , p . 187.

O uso da palavra Theós em grego sendo o equivalente de Elohim por parte dos escritores do chamado Novo Testamento reflete o mesmo conceito judaico.

Em João 1:1; 20:28 e hebreus 1:8

Ao lermos o Salmo 8:5 na LXX (Septuaginta, uma versão do V.T traduzida para o Grego) veremos que esta verteu a palavra hebraica ELOHIM (Deus,deuses) por ANGELOS ou anjos.

ἠλάττωσας αὐτὸν βραχύ τι παρ’ ἀγγέλους δόξῃ καὶ τιμῇ ἐστεφάνωσας αὐτόν (siga o link se desejar!)

Poderá consultar a Concordânica Exaustiva de Strong e ver por sí mesmo que a palavra ELOHIM que aparece neste versículo é aplicada a magistrados, anjos, e outros além do Deus Todo Poderoso Jeová. De fato, o nome Jeová identifica o ser Supremo e Aquele que é chamado de “O Único Deus Verdadeiro” em João 17:3.

É evidente que visto que Jesus usou a expressão “Único Deus Verdadeiro” não exclue outros de serem chamados de Elohim ou deus. Temos que tomar cuidado com isolar textos bíblicos a fim de formar opinião teológica. Ademais há na bíblia declarações que indicam que exclusões nem sempre devem ser tomadas ao pé da letra.

Como vimos acima na discussão com os  Fariseus registrada em João 8: 39 Jesus ouviu os líderes religiosos dizerem:

Nosso pai é Abraão.”

Poucos versículos depois ( v.41)  os mesmos Fariseus disseram:

“Não nascemos de fornicação; temos um só Pai, Deus.”

Portanto eles disseram que tinham somente um pai. Isso excluía Abraão de ser chamado de “Pai” por estes ? Não! De modo similar, Jesus chama seu Pai de “O Único Deus Verdadeiro”, contudo isso não exclui outros de serem chamados de “deuses” sem que estes sejam deuses falsos.

Elohim contrastado com o plural numérico em hebraico

Em Gênesis 35:2,4 ; Êxodo 12:12 vemos a ocorrência do plural numérico de Elohim, a saber, Elohê , que significa deuses. Esta é a palavra hebraica específica para indicar uma pluralidade numérica a ser distinguida de Elohim. Gramática Hebraica de Gesenius pag. 399.

Conceito equivocado perpetuado por “doutores” e “pastores” modernos

Hoje em dia homens como Robert Bowman que só sabe publicar livros contra as Testemunhas de Jeová e dedica sua vida a persegui-las em suas palestras, afirma que “só existe um Deus” e que todos os outros são “deuses falsos”. Isso não é de forma alguma o que as Escrituras Sagradas revelam e nem mesmo léxicos respeitados como os que citei acima aqui neste artigo. Ocorre que estes religiosos modernos sutilmente e de maneira enganosa enxertam suas idéias e tradições religiosas em seus cultos religiosos. Muitos destes quando eram garotos ouviram pais católicos repetirem a frase “Deus é um só”. Embora saibamos que tal frase quer dizer que o Verdadeiro Deus é apenas um e que o Ser Supremo é apenas um, na verdade acaba passando outra idéia. A de que não existem outros deuses legítimos e que são assim chamados sem que estes sejam “falsos deuses”.

Observe o que afirmou Lord Saga um versátil apologista das Testemunhas de Jeová:

 “Seria Jesus um “Deus” falso? Visto que na Bíblia só há um Verdadeiro (Isaías 43:10)?

Que pensamento bobo.
Isaías 43:11 diz que apenas Deus é salvador.
Então o os Juízes bíblicos que salvaram o povo de Israel das mãos dos filisteus eram “FALSOS salvadores” ? (Juízes 2:16 ; 3:9,15; 1 Samuel 10:19)

A Bíblia diz que Jesus é o Filho Único de Deus. (Jo 3:16)
Os anjos são “FALSOS filhos” de Deus? (Jó 1:6 ; 38:7)

A Bíblia diz que apenas Deus é Pai. (Mateus 23:9)
Então o pai do Luiz é um “FALSO pai”?

Mateus 23:9 – > Além disso, não chameis a ninguém na terra de vosso pai, pois UM SÓ É VOSSO PAI, o Celestial

— Questão dos Superlativos Divinos do Senhor Jeová Deus Pai—

Quando a Bíblia diz que o Pai é o único Deus. (Jo 17:3, 1 Cor 8:5,6)
Não impede que outros sejam chamados de “Deus”, mas significa que ele é Deus em certo sentido ou num patamar superlativo em que Só Ele É.

Também é assim com termos como Pai, Salvador, Bom, Santo, Sábio. Outros também são pais, salvadores, bons, santos ou sábios, mas em sentido diferente do que (somente) Deus é.

Como vimos a pergunta cima revela um equivoco teológico enraizado na mente dos que se deixaram moldar pela tradição religiosa e não por exatidão na adoração de Deus. De fato, a palavra Deus/deus é usada nas escrituras como um substantivo comum.

Observe o que diz a Obra Estudo Perspicaz das Escrituras citando Dicionários respeitados:

O título “Deus” não é nem pessoal, nem distintivo (alguém pode até mesmo fazer de seu ventre um deus; Fil 3:19). Nas Escrituras Hebraicas, a mesma palavra (’Elo·hím) é aplicada a Jeová, o verdadeiro Deus, e também a deuses falsos, tais como Dagom, o deus filisteu (Jz 16:23, 24; 1Sa 5:7) e Nisroque, deus assírio. (2Rs 19:37) Caso um hebreu dissesse a um filisteu ou a um assírio que ele adorava a “Deus [’Elo·hím]” isso obviamente não bastaria para identificar a Pessoa à qual se dirigia sua adoração.”

Até mesmo o inimigo da vida eterna é chamado de “Deus” (grego THEÓS) em 2 Coríntios 4:4 (clique aqui para ler)

Nos artigos sobre Jeová, The Imperial Bible-Dictionary (O Dicionário Bíblico Imperial) ilustra belamente a diferença entre ’Elo·hím (Deus) e Jeová. A respeito do nome Jeová, diz:

É, em toda a parte, um nome próprio, indicando o Deus pessoal, e somente ele; ao passo que Elohim assume mais o caráter de um substantivo comum, indicando, em geral, deveras, o Supremo, mas não necessária ou uniformemente. . . . O hebreu talvez diga o Elohim, o verdadeiro Deus, contrapondo-o a todos os deuses falsos; mas ele jamais diz o Jeová, pois Jeová é unicamente o nome do verdadeiro Deus. Ele diz, vez após vez, meu Deus . . .; mas jamais meu Jeová, pois quando ele diz meu Deus, quer dizer Jeová. Ele fala do Deus de Israel, mas jamais do Jeová de Israel, pois não existe nenhum outro Jeová. Ele fala do Deus vivo, mais jamais do Jeová vivo, pois só pode conceber Jeová como estando vivo.” Editado por P. Fairbairn, Londres, 1874, Vol. I, p. 856.” (O GRIFO É MEU)


Fica claro então após tal analise cuidadosa, que a palavra “Deus” em hebraico ELOHIM e em Grego THEÓS não é o que dizem muitos dos chamados Cristãos ou teólogos em sua maioria. Eles estão distanciando as pessoas do “conhecimento exato” (epignosis) que Paulo tanto alertou que é necessário para todos nós alcançarmos a salvação de Deus por intermédio de Jesus Cristo. 1 Timóteo 2:4 Col. 1:9 Fil 1:9. As muitas desculpas para se evitar usar o Nome de Deus por removê-lo de suas traduções da palavra de Deus não convence. (clique aqui para ver um dos motivos apresentados por Teólogos e eruditos de renome para não usar o Nome de Deus, muito embora este apareça milhares de vezes nos mais antigos manuscritos da Bíblia.) Espero que ao ler este artigo tenha entendido que o Ser Supremo tem um Nome que o identifica dentre todos os outros deuses. Daví e outros servos de Deus usavam o Nome dele todo tempo não somente na conversa diária, como também ao escreverem a Bíblia sob inspiração divina.

Leiam o artigo :

“Elohim” por ser plural, indica que Deus é uma trindade de pessoas?

Duas regras – uma falsa e uma verdadeira

NOVA KING JAMES RESTAURA O NOME DIVINO NOVO!

Visite a página principal TRADUÇÃO DO NOVO MUNDO DEFENDIDA!

Possui Deus vários nomes ou apenas um só nome? (Observará que alguns repetem o conceito errado de que “Deus tem vários nomes” e chegam a dizer que ELOHIM é um dos nomes, sendo que como vimos claramente acima a partir de léxicos respeitados, ELOHIM é como se diz “Deus/deus” em hebraico e não é nome coisa nenhuma, mas um substantivo de uso comum)

Negam as TJ a divindade de Jesus?

QUEM VAI PAR O CÉU E PORQUE?

Acesse a BIBLIOTECA DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ ON LINE

QUERO RECEBER UMA VISITA GRATUITA EM MINHA RESIDENCIA A FIM DE ESTUDAR A BÍBLIA UMA VEZ POR SEMANA

DESCUBRA ONDE FICA O LOCAL DE REUNIÃO DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ PERTO DE SUA RESIDÊNCIA!

RETORNE A PÁGINA PRINCIPAL DO AUTOR DESTE WEBBLOG


contador de visitas
contador de visitas


Lecionamos Inglês também!

Apóstata na Comissão Judicativa

Os Anciãos das Testemunhas de Jeová alcançam este cargo de supervisão da “Igreja” ou Congregação, graças às qualidades espirituais que desenvolvem. Cada Congregação do povo de Jeová possui alguns destes Anciãos. São eleitos não por voto democrático, curso de teologia ou por falar bonito, mas por boa conduta, exemplo de boa moral e honestidade. Quando são apenas uma Testemunha de Jeová de longa data e alcançam as qualidades exigidas por Deus conforme registradas em Tito 1:5-9 são então considerados elegíveis para tal cargo. 1 Tim 3:1-7 também apresenta as qualidades exigidas por Deus para ser elegível. Visto que as qualidades exigidas aparecem na Bíblia, diz-se se que são designados por espírito santo. Pois a Bíblia foi inspirada pelo espírito santo de Deus. (2 Tim 3:16)

Vez por outra os Anciãos precisam agir para impedir  que algum irmão ou membro da Congregação prejudique outros por espalhar ensinos diferentes. Romanos 16:17.  Como podem lidar com um irmão que assim como o Diabo, se desviou da verdade e se torna excessivamente crítico e cheio de espírito de oposição?

Antes de respondermos a tal pergunta, observe o que diz a Obra Estudo Perspicaz das Escrituras a respeito destes opositores:

“Os apóstatas, embora ainda professem ter fé na Palavra de Deus, talvez abandonem o serviço dele por tratar com descaso a obra de pregação e de ensino que ele designou aos seguidores de Jesus Cristo. (Lu 6:46; Mt 24:14; 28:19, 20) Talvez afirmem também servir a Deus, mas rejeitam os representantes dele, Sua organização visível, e depois passam a “espancar” seus anteriores companheiros, para impedir a obra destes. (Ju 8, 11; Núm 16:19-21; Mt 24:45-51) Os apóstatas freqüentemente procuram fazer de outros seus seguidores. (At 20:30; 2Pe 2:1, 3)”

Tudo isso que se diz aqui não é novidade e os Anciãos já sabem e estão preparados para lidar com este tipo de atitude. Fazem de tudo para ajudar o errante a mudar de proceder. Mas irei mais longe, apresentando aqui o caso de uma ovelha convocada para uma comissão judicativa, onde terá que responder por acusações de que está propagando ou divulgando apostasia. Na verdade, quando esta suposta ovelha começa a abrir sua boca, começam a surgir argumentos aparentemente plausíveis que pode confundir até mesmo um servo de Jeová designado pelo espírito.

O que talvez uma “ovelha negra” diga

“Faz muito tempo que fomos orientados a dizer que o fim está próximo, mas nada realmente aconteceu.” Esta costuma ser uma acusação de alguns convocados numa comissão. Poderá argumentar o seguinte com este queixoso:  Jesus orientou seus seguidores na pregação a dizerem: “Ao irem, preguem dizendo: ´O Reino de Deus está próximo”. (Mat. 10:7 ) Uns 40 anos depois de Jesus falar tais palavras Jerusalém foi destruída e mais de 1 milhão de judeus foram mortos pelos Romanos. Tornava isso a pregação de Cristo e seus seguidores uma “seita”? Os Apóstolos foram executados, tanto Tiago quanto Pedro, Paulo e outros apóstolos tiveram uma execução às mãos de tiranos, e o Apóstolo João ficou o resto de sua vida exilado na ilha penal de Patmos, sendo depois levado a Éfeso (Atual Turquia) onde morreu. Significava isso que Jesus falhou em suas promessas do Reino vindouro? Sim, do ponto de vista de qualquer um que zomba dos alertas dados pelos cristãos atuais. O que eles não percebem é que o tempo passa muito rápido e do ponto de vista de Jeová e até mesmo de um humano de mais idade, o tempo é curto. O tempo de 50, 60 ou mais anos de vida não é tanto tempo assim como pensam os precipitados.

“Vocês previram o fim para várias datas e nada aconteceu!” 

“Jamais consideramos e reverenciamos nossos escritos como infalíveis ou na mesma altura que o das Escrituras Sagradas. O que afirmamos é que são o que cremos ser interpretações harmoniosas da palavra divina…E ainda instamos como no passado para que cada leitor estude os assuntos que apresentamos a luz das escrituras, provando todas as coisas com as escrituras…Zion’s Watch Tower(A Sentinela ) and Herald of Christ’s Presence, 15 December 1896,reprint, 2080.

As palavras acima são de Russel reconhecendo a possibilidade de  falibilidade ou erros em algumas de suas interpretações de profecias  ou assuntos.

Charles T. Russell, no seu número de 15 de outubro de 1913 de  A Sentinela (em inglês) declarou:

“Segundo o MELHOR cálculo cronológico de que SOMOS capazes, é aproximadamente nessa época — em outubro de 1914, ou então mais tarde. SEM DOGMATIZAR, estamos aguardando certos eventos: (1) O fim dos Tempos dos Gentios — a supremacia gentia no mundo — e (2) o início do Reino do Messias no mundo.”

 

Soa-lhe isso como uma profecia ou como uma interpretação de profecias da Bíblia?

Tiveram erros de expectativas baseados em INTERPRETAÇÕES de profecias. O que é bem diferente!

Enfim, de posse de tais argumentos, ficará evidente que o apóstata na comissão judicativa, está superestimando homens e criando uma decepção em vista da frustração que ele mesmo criou em torno de uma idolatria de humanos. Comete um erro e acusa a organização daquilo que ele mesmo pratica. Ele exige perfeição de humanos os quais considerava super-irmãos e infalíveis. Podem listar uma série de erros de entendimento tanto de Russell como de outros, se focando em tudo o que lhe parece ridicularizá-los, ao passo que não observam nada de bom em tudo o que fizeram para a promoção da pregação das boas novas do Reino. Neste sentido, imitam a Satanás que fazia exatamente isso no domínio espiritual, nos céus, onde “acusava dia e noite” os anjos da família de criaturas espirituais de Jeová. (Apocalipse 12:10).

Segundo o prof. Kliever (em seu livro The Reliability of Apostate Testimony About New Religious Movements [A confiabilidade do testemunho dos apóstatas sobre os novos movimentos religiosos], 1995):

“A critica do apóstata não deve ser aceita pelos meios de comunicação, a comunidade de investigadores, o sistema legal, nem as agências governamentais como fonte confiável de informação sobre novos movimentos religiosos; se deve considerar sempre como um indivíduo predisposto a expor uma visão parcial, tendenciosa”.

O professor Kliever compara a  separação do apóstata de um grupo religioso ao que antes amava, com um divórcio cheio de amargura. Tanto o matrimônio como a religião requerem um alto grau de compromisso e implicações; quanto maior seja a implicação, mais traumática a ruptura; quanto mais tenha durado o compromisso, mais urgente é a necessidade de culpar o outro do fracasso da relação. Os que têm sido membros de novos movimentos religiosos durante muito tempo e tem estado muito envolvidos, mas com o tempo se sentem desencantados com sua religião, em geral, costumam jogar toda culpa em seus anteriores co-membros da organização religiosa. Como explica o investigador de assuntos religiosos Gordon Melton (em seu livro Brainwashing and the Cults: The Rise and Fall of a Theory [A lavagem cerebral e as seitas: a ascensão e queda da teoria], 1999), “magnificam pequenas faltas para convertê-las em grandes maldades, transformam decepções pessoais em maliciosas traições e inclusive contam falsidades incríveis com o objetivo de prejudicar a sua anterior religião”.

É exatamente isso que o apóstata fará todo tempo. Tentará até mesmo “converter” a Comissão judicativa ou convencê-los de que ele é quem está certo! Para entender a dinâmica psicológica na mente de um opositor deste veja o que diz certo artigo e opinião de pesquisadores.

Que todos nós estejamos bem preparados para responder aos sinceros que replicam tais ideias furadas! Este artigo está aberto e provavelmente postarei algo mais nesta matéria visando orientar a todos os que porventura se deparem com este tipo de situação. Tenhamos sempre em mente que devemos “evitar” os opositores cheios de ódio cujo objetivo é o de ridicularizar o Povo de Jeová. (Romanos 16:17)

 

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 320 outros seguidores