Elohim (deuses) indica que Deus é uma Trindade ?


Por que ELOHIM é plural ?

 

Indica isso uma trindade ?

Já vi muitos trinitários defenderem a tese de que “não adoram três deuses” mas “três pessoas”. Com a mesma convicção que outros irmãos de fé trinitária defendem que o plural Elohim se refere a uma divindade pluralizada.
Os que acreditam e defendem a ideia de que a palavra hebraica Elohim indica que Deus é uma trindade cometem vários erros. O primeiro deles é que se Elohim significa “deuses”  e que portanto, segundo eles isto “indica uma trindade”, então os adoradores deste deus trinitário acabam assumindo que são politeístas. Ou seja adoram não um único Deus mas três deuses, ao passo que a teologia deles afirma que são “três pessoas em um só deus”. Elohim aparece 35 vezes no relato da criação, e cada vez que ocorre o verbo que descreve o que Deus disse e fez, o encontramos no singular. Gênesis 1:1;-2:4 . Quase todos os defensores da trindade rejeitam a visão de que a Trindade é composta de três deuses separados. (Veja também O uso e significado da palavra Deus (em hebraico do V.T “Elohim”)

Sobre  isto, o perito de Oxford, R. B. Girdlestone, escreve em sua obra Synonims of the Old Testament:

“Muitos críticos, contudo, de indiscutível ortodoxia [trinitária], julgam ser mais sábio ater-se à posição adotada por tais divinos como Cajetan [teólogo] da Igreja de Roma, e Calvino, entre os protestantes, e considerar a forma plural como plural de majestade.” Tais teólogos trinitaristas sem dúvida compreendiam que, se considerassem ’Elohím como plural numérico (deuses), tornar-se-iam politeístas!

Fontes seculares de pesquisa e até mesmo obras eruditas em teologia não apoiam tal conclusão. 
“Elohim” é um plural majestático. O verbo acompanhante sempre está no SINGULAR. Aaron Ember escreveu : “Que a linguagem do [velho Testamento] não apoia a ideia de uma pluralidade de deuses . . . [´Elo·him’] (como aplicada ao Deus de Israel) é especialmente demonstrado pelo fato de que esta é invariavelmente construída com um predicado verbal singular, e possui um atributo adjetival singular. . . . [´Elo·him’] deve ser antes explicado como sendo um plural intensivo, denotando grandeza e Majestade,sendo igual a do Grande Deus.”-The American Journal of Semitic Languages and Literatures, Vol. XXI, 1905, p. 208.
 
“.. a língua rejeitou totalmente a ideia de pluralidade numérica no caso de Elohim por ter aplicação adjetival singular.”Gesenius Hebrew Grammar, 398-399
Em 1 Samuel 5:7 a palavra elohim é aplicada a Dagom que como sabemos não era uma trindade.O mesmo ocorre com referencia a Astorete em 1 Reis 11:5.
Esta palavra foi aplicada a Moisés por ter poder por um período de tempo.
Será que Moisés era uma triade ?

“Então disse Jeová a Moisés:

“Eis que te tenho posto por Deus [Elohim] sobre Faraó, e Aharon, teu irmão, será o teu profeta”. Êxodo 7:1

Os Judeus eram estritamente Monoteístas e a ideia de uma pluralidade de deuses era repugnante ao antigo Israel. Deut. 6:4.

Plural numérico em hebraico referente a Elohim

Em Gênesis 35:2,4 ; Êxodo 12:12 vemos a ocorrência do plural numérico de Elohim, a saber, Elohê , que significa deuses. Esta é a palavra hebraica específica para indicar uma pluralidade numérica a ser distinguida de Elohim. Gramática Hebraica de Gesenius pag. 399.

Fontes seculares esclarecem 

The New Encyclopædia Britannica diz:
“Nem a palavra Trindade, nem a doutrina explícita, como tal, aparecem no Novo Testamento, e nem Jesus ou seus seguidores tencionaram contradizer o Shema do Velho Testamento: ‘Ouve, ó Israel: O Senhor, nosso Deus, é um só Senhor’ (Deut. 6:4). . . . A doutrina desenvolveu-se gradualmente com o decorrer dos séculos, enfrentando muitas controvérsias. . . . Por volta do fim do 4.° século . . . a doutrina da Trindade tomou substancialmente a forma que desde então tem conservado.” — (1976), Micropædia, Vol. X, p. 126.

A New Catholic Encyclopedia diz: “A formulação de ‘um só Deus em três Pessoas’ não foi solidamente estabelecida, de certo não plenamente assimilada na vida cristã e na sua profissão de fé, antes do fim do 4.° século. Mas, é precisamente esta formulação que tem a primeira reivindicação ao título o dogma da Trindade. Entre os Pais Apostólicos, não havia nada, nem mesmo remotamente, que se aproximasse de tal mentalidade ou perspectiva.” — (1967), Vol. XIV, p. 299.

Em The Encyclopedia Americana lemos: “O cristianismo derivou-se do judaísmo, e o judaísmo era estritamente unitário [cria que Deus é uma só pessoa]. O caminho que levou de Jerusalém a Niceia dificilmente foi em linha reta. O trinitarismo do quarto século de forma alguma refletiu com exatidão o primitivo ensino cristão sobre a natureza de Deus; foi, ao contrário, um desvio deste ensinamento.” — (1956), Vol. XXVII, p. 294L.

Segundo o Nouveau Dictionnaire Universel: “A trindade platônica, que em si é meramente um rearranjo de trindades mais antigas, que remontam aos povos anteriores, parece ser a trindade filosófica racional de atributos que deram origem às três hipóstases ou pessoas divinas ensinadas pelas igrejas cristãs. . . . O conceito deste filósofo grego [Platão, do 4.° século AEC] sobre a trindade divina . . . pode ser encontrado em todas as religiões [pagãs] antigas.” — (Paris, 1865-1870), editado por M. Lachâtre, Vol. 2, p. 1467.

O jesuíta John L. McKenzie, no seu Dictionary of the Bible, diz: “A trindade de pessoas dentro da unidade de natureza é definida em termos de ‘pessoa’ e de ‘natureza’, que são termos filosóficos gr[egos]; na realidade, esses termos não aparecem na Bíblia. As definições trinitárias surgiram em resultado de longas controvérsias, em que estes termos e outros, tais como ‘essência’ e ‘substância’, foram erroneamente aplicados a Deus por alguns teólogos.” — (Nova Iorque, 1965), p. 899.

 
Elohim (do hebraico אֱלוֹהִים , אלהים ) é o termo hebraico para designar divindades e poderes celestiais, em especial Deus, ou Deus como transcrevem os judeus.

Na Torá é o primeiro termo utilizado em relação a divindade como consta no livro Beresh*t/Gênesis: “No princípio criou Elohim os céus e a terra”.

Então, Elohim consiste na palavra אלוה (Eloah), com o sufixo plural, que em relação à YHWH, o Deus Único teria o sentido de plural majestático, ou seja, uma reafirmação do poder da divindade (algo como “Poderosíssimo”).

Em Gênesis 1:1 o título “Deus” é traduzido de ’Elo•hím, que é plural em hebraico. Os trinitários interpretam que isto indica a Trindade.

Explicam também que Deuteronômio 6:4 (ALA) dá a entender a unidade dos membros da Trindade, dizendo: “O SENHOR nosso Deus [traduzido de ’Elo•hím] é o único SENHOR.”

Que o plural aqui do nome em hebraico é o plural majestático ou de excelência é partilhado por outras fontes conceituadas. (Veja o Dicionário Bíblico da NAB, Edição de St. Joseph, p. 330, em inglês; também a New Catholic Encyclopedia, de 1967, Vol. V, p. 287.)

Não dá a ideia de pluralidade de pessoas numa deidade. Nesse mesmo estilo, quando em Juízes 16:23 se faz referência ao falso deus Dagom, emprega-se uma forma do título ’elo•hím; o verbo acompanhante está no singular, o que indica que se refere a apenas um deus. Em Gênesis 42:30, fala-se de José como “senhor” (’adho•néh, o plural majestático) do Egito.

Devido a isso muitos Eruditos Evangélicos já abandonaram a ideia de que Elohim é um “prova” de trindade e não mais recorrem a tal argumento falho e fruto de teologia forçada na tentativa de promover o que a Bíblia não promove.

O idioma grego não possui ‘plural majestático ou de excelência’. Portanto, em Gênesis 1:1, os tradutores da LXX empregaram ho The•ós (Deus, no singular) como equivalente a ’Elo•hím.

Em Marcos 12:29, onde se reproduz uma resposta de Jesus em que ele citou Deuteronômio 6:4, emprega-se similarmente o singular ho The•ós, em grego.
Em Deuteronômio 6:4, o texto hebraico contém duas vezes o Tetragrama, e, portanto, deve rezar mais adequadamente:

“Jeová, nosso Deus, é um só Jeová.” (NM)

A nação de Israel, a quem isto foi dito, não acreditava na Trindade.

Os babilônios e os egípcios adoravam tríades de deuses, mas esclareceu-se a Israel que Jeová é diferente.

Elohim em hebraico é diferente de “Todo Poderoso”. (do hebraico El Shadai)
Elohim (do hebraico אֱלוֹהִים , אלהים ) é o termo hebraico para designar divindades, algo ou alguem que tem poder .É usado costumeiramente com referencia ao Ser Supremo, Jeová Deus.
Moisés é chamado de Elohim em Ex. 7:1 (Devido ao poder que passou a receber junto com sua designação)
Anjos são assim chamados no salmo 8.
Satanás é assim chamado em 2 cor 4:4
Juízes (que tem poderes de julgar ) são chamados (Elohim) no Salmo 82:6
Filipenses 3:19 se refere ao “ventre” como sendo (Elohim= Teós) de alguns que só pensam em sexo e comida , ou prazeres.
Sim, o Deus/deus(elohim) destes é que comanda a tais. O Deus destes é o “ventre” destes.
Em contraste com as Nações circunvizinhas Israel adorava UM SÓ Deus.
Deut. 6:4 reza “Escuta Oh Israel , Jeová nosso Deus é UM só , Jeová.”
O Egito adorava tríades de deuses, como por exemplo Osíris , Ísis e Hórus.
Mas os Israelitas eram diferentes. Deut. 6 continua dizendo:
“…guarda-te para que não te esqueças de Jeová que te fez sair da terra do Egito, da casa dos escravos. 
13 É a Jeová, teu Deus, que deves temer e a ele deves servir, e pelo seu nome deves jurar. 14 Não deveis andar seguindo outros deuses, quaisquer deuses dos povos que há ao redor de vós, 15 (pois Jeová, teu Deus, no teu meio, é um Deus que exige devoção exclusiva,) para que não se acenda contra ti a ira de Jeová, teu Deus, e ele te tenha de aniquilar da superfície do solo”.
O TEXTO ABAIXO É UMA IMAGEM …CLIQUE PARA AUMENTAR A LETRA.
PLURALElohim
PLURALElohimmajestic
Portanto não há nada que apoie uma idéia de pluralidade de deuses dentro de uma trindade no Judaísmo. Os Judeus sempre foram estritamente MONOTEISTAS ou seja adoravam a um só Deus.
Gênesis quando fala “Façamos o homem…” Não deve ser entendido como sugerindo uma tríade.
Se alguém fala com outro (ou seja duas pessoas ou três ou quatro ou até mais) poderiam usar esta fraseologia. Inferir uma trindade é ir “além das coisas que estão escritas “ (1 Cor 4:6)
Gálatas 3:20 diz : “Deus é apenas um
Efésios 4 diz : “…um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por intermédio de todos, e em todos.”
Representação enganosa de Cristo usando
se um pronome na 2º pessoa do plural 
Portanto o substantivo Elohim que está no plural deve ser entendido da maneira correta, a saber…que é um plural majestático assim como existem em hebraico plurais honoríficos diferente do nosso idioma Português, é enganoso deduzir pluralidade de deuses dentro da Divindade Suprema, Nosso Criador.
Observe como a palavra Elohim é aplicada nas Escrituras a deuses pagãos individuais :
“E os homens de Asdode chegaram a ver que era assim e disseram: “Não more conosco a arca do Deus de Israel, porque a sua mão tem sido dura contra nós e contra Dagom, nosso deus [ELOHIM].” 1 Sam. 5:7 Observou ELOHIM é usado neste verso com referência a um deus singular adorado pelos Filisteus. Este deus não era uma tríade. Fica claro que a Bíblia usa o substantivo ELOHIM de forma a transmitir a ideia de um substantivo com conotação de “plural abstrato” ou “plural honorífico” especificamente um do tipo “majestático. (Veja este artigo SOBRE O PLURAL MAJESTÁTICO) 
 

O comentário de  Gesenius  reconhece que a palavra  Elohim deve ser distinguida de  Elohim  ou deuses no plural e observa :

“A suposição de que Elohim deve ser considerado como um resquício de um primitivo politeísmo (isto é, inicialmente, apenas um plural numérico) é, no mínimo, altamente improvável, e, além disso, não explicaria os plurais análogos (abaixo). Para a  mesmo classe (e provavelmente se formou sobre a analogia de elohim) pertencem os plurais kadoshim “Santíssimo” (somente do Senhor, Oséias 12:1, Provérbios 9:10, 30:3 (cf. El kadoshim hiym em Josué 24:19 e o singular aramaico “o Altíssimo”, Daniel 7:18, 22, 25), e provavelmente ídolos (geralmente tomadas no sentido de penates) a imagem de um deus, usado especialmente para a obtenção de oráculos. Certamente em 1 Samuel 19:13 , 16 uma única imagem é o que se pretende, na maioria dos outros lugares uma única imagem é o que se pretendia, em Zacarias 10:2  é mais naturalmente tido como um plural numérico.”

Em Gênesis 42:30, lemos que José é  “senhor” (’adho·néh, o plural majestático). O uso de um plural majestático aqui demonstra de modo adicional que plurais em hebraico nem sempre é usado para indicar quantidade ou pluralidade como ocorre na nossa língua portuguesa. Temos, portanto, evidências claras de que a afirmação de que “Elohim é plural e indica uma pluralidade de pessoas” é uma declaração sem apoio bíblico. Não existe em parte alguma das escrituras Sagradas a ideia de que Deus é constituído de “pessoas”.

Tal raciocínio é filosofia grega  emprestada de fontes platônicas e enxertado no cristianismo apostatado.

Veja a confirmação desta afirmação em fontes adicionais lemos no site “O Desenvolvimento do modelo Neo Platonista”:

“O conceito de Deus como sendo três hipóstases da entidade superior é desenvolvido a partir de pensamento grego. Não tem nada haver com a Bíblia”.

Veja também as seguintes páginas:

Elohim: Plural or Singular?
(Part 1)
by Nehemia Gordon

Anúncios
Both comments and trackbacks are currently closed.

Comentários

  • Ademar de Morais Barbosa  On 3 maio 2011 at 17:28

    Como Jeová providencia mais luzes na escuridão! É um prazer enorme acessar sites de membros das Testemunhas de Jeová. Estes sites trabalham com a verdade, trabalham realmente para Jeová. Assim, felicito voce, queruvim, e aos demais que se empenham na condinuação do Mestre em divulgar as “boas novas do reino”. Não devemos medir os meios, devemos sim fazer de todos os meios nosso veículo de apoio ao “povo de Jeová” nesta obra que salva vidas, e mais importante ainda, que enaltece nosso Soberano Deus, Jeová.

    Curtir

  • ANTONIO MUNIZ  On 24 out 2013 at 23:10

    ÓTIMA MATERIA! PARABENS QUERUVIM! HOJE NA PREGAÇAO UM “EVANGELICO”, TEIMOU COMIGO, DIZENDO QUE LÚCIFER ÉO NOME DE SATANÁS. IRMÃO QUAIS SAO AS EVIDENCIAS QUE A PALAVRA “LÚCIFER” ESTA ERRADA? E SIM QUE O TERMO CORRETO É ‘O BRILHANTE’? AGRADEÇO DESDE JÁ

    Curtir

  • Queruvim  On 25 out 2013 at 0:03

    Esta pergunta foi respondida na página OFICIAL DA ORGANIZAÇÃO DE JEOVÁ EM
    Perguntas dos Leitores

    • É Lúcifer um nome que a Bíblia usa para Satanás?

    O nome Lúcifer ocorre uma vez nas Escrituras e apenas em algumas versões da Bíblia. Por exemplo, a tradução de Antônio Pereira de Figueiredo verte Isaías 14:12: “Como caíste do céu, ó Lúcifer, tu que ao ponto do dia parecias tão brilhante?”
    A palavra hebraica traduzida “Lúcifer” significa “brilhante”. A Septuaginta usa a palavra grega que significa “aquele que traz a alva”. Por isso, algumas traduções vertem o hebraico original por “estrela da manhã” ou “estrela d’alva”. Mas a Vulgata latina de Jerônimo usa “Lúcifer” (portador de luz), e isso explica a ocorrência desse termo em diversas versões da Bíblia.
    Quem é esse Lúcifer? O termo “brilhante”, ou “Lúcifer”, é encontrado na “expressão proverbial contra o rei de Babilônia” que Isaías mandou profeticamente que os israelitas proferissem. De modo que faz parte duma expressão dirigida à dinastia babilônica. Que o termo “brilhante” é usado para descrever um homem e não uma criatura espiritual é notado adicionalmente na declaração: “No Seol serás precipitado.” Seol é a sepultura comum da humanidade — não um lugar ocupado por Satanás, o Diabo. Além disso, os que vêem Lúcifer levado a essa condição perguntam: “É este o homem que agitava a terra?” É evidente que “Lúcifer” se refere a um humano, não a uma criatura espiritual. — Isaías 14:4, 15, 16.
    Por que se dá tal ilustre descrição à dinastia babilônica? Temos de dar-nos conta de que o rei de Babilônia seria chamado de brilhante apenas depois da sua queda e de forma escarnecedora. (Isaías 14:3) O orgulho egoísta induziu os reis de Babilônia a se elevarem acima dos em sua volta. A arrogância da dinastia era tão grande, que ela é retratada fazendo a seguinte declaração jactanciosa: “Subirei aos céus. Enaltecerei o meu trono acima das estrelas de Deus e assentar-me-ei no monte de reunião, nas partes mais remotas do norte. . . . Assemelhar-me-ei ao Altíssimo.” — Isaías 14:13, 14.
    As “estrelas de Deus” são os reis da linhagem real de Davi. (Números 24:17) A partir de Davi, essas “estrelas” governavam desde o monte Sião. Depois de Salomão construir o templo em Jerusalém, o nome Sião passou a ser aplicado a toda a cidade. Sob o pacto da Lei, todos os varões israelitas tinham a obrigação de viajar três vezes por ano a Sião. De modo que se tornou o “monte de reunião”. Por decidir subjugar os reis judeus e depois removê-los daquele monte, Nabucodonosor declara sua intenção de se colocar acima dessas “estrelas”. Em vez de atribuir a Jeová o mérito dessa vitória sobre eles, coloca-se arrogantemente no lugar de Jeová. Portanto, é depois da sua queda que a dinastia babilônica é chamada zombeteiramente de “brilhante”.
    A arrogância dos governantes babilônicos realmente refletia a atitude do “deus deste sistema de coisas” — Satanás, o Diabo. (2 Coríntios 4:4) Ele também anseia ter poder e deseja colocar-se acima de Jeová Deus. Mas a Bíblia não atribui o nome Lúcifer a Satanás.

    FONTE: http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/2002687?q=L%C3%BAcifer&p=par

    Curtir

  • Queruvim  On 25 out 2013 at 0:14

    LÚCIFER é em LATIM (oBS. A vulgata, 4ºséc.foi uma tradução da bíblia pra o Latim)
    HELEL em hebraico ( A BHK Bíblia Hebraica traz a palavra Helel)
    BRILHANTE em português

    http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/2002687#h=1:0-7:261

    http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1102000034#h=30:0-30:516

    Curtir

  • gerson  On 18 mar 2014 at 11:46

    bem:oque eu entendo do assunto como leigo que sou;e somente especulaçoes a respeito do assunto,porque os religiosos fazem o maior malabarismo tologico para tentar explicar oque realmente nao entendem a raspeito da biblia,jeova e um deus tribal da penisula do sinay adotado por moises quando esteve nesta regiao apos sair do egito,o pai de yashua(jesus)nao tem nada à ver com esse deus tribal,visto que a atitude de um nao e mesma do outro,um mata o outro da vida,um separa o outro uni,um semeia a descordia e a destruiçao, o outro prega o amor e a fraternidade e a uniao entre os povos,quanto ao genisis:1:1,nao tem essa de plural magestetidco nenhum,e plural numerico mesmo.catolicos,protestantes e outos sao polinteista mesmo,nao tem como mudar isso para trindade para maquiar a verdade dos textos. um abraço a todos.

    Curtir

  • Queruvim  On 18 mar 2014 at 12:47

    Entendemos seu ponto de vista, contudo sequer se dá ao luxo de tentar evidenciar que aquilo que crê é a verdade. Pelo menos aqui nesta página o método científico não é ignorado antes de se dar opinião. As promessas de julgamento contra os desafiadores da Lei conforme registradas na Bíblia em 2 Tess 1:6-8 e Luc 21:34-36 para se mencionar apenas alguns, discordam fortemente de sua interpretação a respeito do “Deus do Novo Testamento”. Tal argumento é uma visão superficial e estereotipada; repetida todo tempo pelos que fazem uma leitura apressada do texto da Bíblia. Ademais sua afirmação de que “não tem essa de plural majestático” é o oposto do que dizem as mais respeitadas obras e léxicos. Isso não tem nada haver com religião, é conhecimento no campo de letras. O plural majestático é reconhecido nos melhores léxicos e também pelos eruditos. Poderá ver várias fontes no artigo que escrevi.A imagem no artigo acima cita várias autoridades diferentes afirmando claramente a respeito do plural majestático. Agora estou CONVENCIDO DE QUE AO MENOS LEU O ARTIGO ACIMA! O Sr acredita mesmo que está “informando”? Não seria apropriado dizer que estais desinformando? Veja o artigo O PLURAL MAJESTÁTICO HEBRAICO. Temos que estudar e não ficar repetindo o que outros dizem. Você como leigo admite humildemente não entender certos assuntos. Então faça perguntas e não afirmações que contradizem sua declaração inicial com aparência de humildade fingida. Estamos dispostos a ajudar os sinceros.

    “Até mesmo o tolo quando fica calado é tido por sábio, aquele que fecha os seus próprios lábios por entendido” Provérbios 17:28

    Curtir