Arquivos da Categoria: PNEUMA HAGIOS ou ESPÍRITO SANTO

Atos 2:4 “cheios de espírito santo” ou “cheios do Espírito Santo”

Este artigo apresenta uma explicação sintática puramente gramatical. O conteúdo não favorece nenhuma religião e é uma análise linguística com uma abordagem que defende a mais exata tradução de um texto. Por lecionar Grego Coiné e Grego Clássico apresento aquela que é a mais correta versão da passagem citada  para uma língua alvo, no caso o Português.  

 καὶ   ἐπλήσθησαν      πάντες 

e          eles foram enchidos        todos

 

 Πνεύματος    Ἁγίου

de espírito             santo

 

 

* aoristo indicativo passivo na 3ª pessoa do plural de πίμπλημι

 “eu encho”, “preencho” “eu completo”. 

 

 

” de o Espírito Santo”- A Bíblia Literal do Texto Tradicional de 2015

” de o Espírito Santo”- Bíblia de Estudo LTT 2018

“da ruahh HaKodesh”- Novo Testamento Judaico

“de espírito santo”- Tradução do Novo Mundo

“do Espírto Santo” Almeida Atualizada

 

O que revela uma análise gramatical de Atos 2:4 a respeito da melhor opção de tradução desta porção das Escrituras? 

O substantivo pneumatós é anartro, ou seja, não possui artigo definido. O fato de termos um substantivo anartro sugere sem sombra de dúvidas, uma semântica com indicação de algo impessoal. Em grego coiné quando falamos de alguém, não raro usamos antes o artigo definido. ( Mateus 3:13 Τότε παραγίνεται ὁ Ἰησοῦς… Luc. 1:7  ἦν ἡ Ἐλισάβετ στεῖρα) Assim como se dá na língua portuguesa, por exemplo, o José, o Pedro, a Maria. Em Atos 2:4 não se emprega o artigo genitivo que concordaria com o substantivo também no genitivo. Caso tivéssemos o artigo antes de pneumatós, isso indicaria uma pessoa e uma forma articulada. Portanto, se não temos artigo a tradução que melhor se ajustaria seria “de espírito santo” e não “do Espírito Santo”. 

A Gramática grega não fornece apoio algum para uma tradução com letras maiúsculas “Espírito Santo”.

Observem o que diz o respeitado Erudito Daniel B. Wallace :

Em suma, tenho procurado demonstrar neste trabalho que falta a base gramatical para a personalidade do Espírito Santo no NT, mas esta é freqüentemente, se não, geralmente, a primeira linha de defesa de muitos escritores evangélicos. Mas, se a gramática não pode legitimamente ser utilizados para apoiar a personalidade do Espírito, então, talvez, precisamos reexaminar o resto da nossa base para este compromisso teológico. Não estou negando a doutrina da Trindade, é claro, mas eu estou argumentando que precisamos fundamentar nossa opinião sobre uma base mais sólida.”

Bulletin for Biblical Research 13,1 (2003) de Daniel B. Wallace
DALLAS Seminário Teológico

 



 

Evidência bíblica da natureza impessoal do espírito santo