Category Archives: Superioridade da TNM

Provas de que a TNM é realmente exata.

Jesus ( A Palavra) “se fez carne” ALMEIDA ou “se tornou carne” TNM?

Embora pareça uma diferença insignificante, os que distorcem as Escrituras Sagradas de seu sentido original, ou seja, eu me refiro aos teólogos, pastores, padres, Bispos e outros tradutores dos idiomas originais da Bíblia, costumam alterar o sentido para fazer as pessoas acreditarem que Jesus é o próprio Criador e Ser Supremo em forma humana. É isto que estes pregam em sua vasta maioria. São, muitos deles, impostores e adulteradores profissionais de documento. (Isto é da Bíblia Sagrada).

São muitos exemplos desta adulteração descarada. Alguns textos são sutilmente distorcidos quando vertidos para o português. É o caso do texto de João 1:14.

A frase grega encontrada em João 1:14 και ο λογος σαρξ εγενετο (Kai ho Logos sarx egeneto) literalmente “e a palavra  virou/tornou carne” é diferente de “se fez carne” comumente encontrada na maioria das traduções da Bíblia Sagrada. “Se fez carne” se diz em grego  σαρξ ἐποίησεν εαυτον  e não é assim que está no grego do Novo Testamento. Não existe “se fez” nesta passagem. Não temos um pronome reflexivo “se”, “a si mesmo”, “a si próprio”.

A frase “se fez carne” transmite a ideia enganosa de que Jesus, por ele mesmo, independente de Jeová Deus, o Pai, e pelo seu próprio poder, fez de si mesmo homem. É uma opção que não é exata. Não podemos condenar, mas também não podemos afirmar que é a melhor forma de se traduzir. E devido ao conceito trinitário e as repetidas falsificações dos trinitários, decidi chamar atenção deste detalhe.

Jesus vivia no céu como criatura espiritual antes de nascer em Belém, Israel. Jesus foi a primeira criação de Deus e o único criado diretamente por ele. É por isso que é chamado de Filho unigênito de Deus. Quando estava no céu, Jesus muitas vezes falou como representante de Deus. Assim, ele é chamado de a Palavra.

O próprio Jesus disse em João 6:38:

pois desci do céu não para fazer a minha própria vontade, mas a vontade daquele que me enviou. ”