Category Archives: genēs

Monogenés » Seu uso e significado original

Qual era o significado costumeiro ou principal da palavra grega monogenés no κοινὴ διάλεκτος? Este artigo não deixará dúvida alguma sobre qual era o sentido original desta palavra e o que tinham em mente os escritores da Bíblia Sagrada ao empregarem μονογενης.

 

Platão ao descrever uma primitiva população em uma ilha mitológica chamada Atlantis, escreveu:

τούτῳ δ᾽ ἦν ἔνοικος τῶν ἐκεῖ κατὰ ἀρχὰς ἐκ γῆς ἀνδρῶν γεγονότων Εὐήνωρ μὲν ὄνομα,
 γυναικὶ δὲ συνοικῶν Λευκίππῃ: Κλειτὼ δὲ μονογενῆ θυγατέρα ἐγεννησάσθην.

“Nela morava um dos nativos que originalmente surgiu a partir da terra, Evenor era de fato seu nome, com sua esposa Leucippe; e eles tinham como descendência uma filha unigênita, Cleitó.” Platão (Critias 113d; LCL)

Uma pesquisa no Thesaurus Linguae Graecae um enorme e abrangente banco de dados do Grego Coiné e medieval, revela que a palavra  monogenēs é usada em sua maioria basicamente e frequentemente em contextos que tem que ver com descendência biologica. O significado fundamental é “único gerado” ou “filho único”no sentido de não ter irmãos.

Mesmo quando não se está falando de Cristo, ou seja, em contextos não Cristológicos no Novo Testamento, verifica-se claramente um uso “biológico” nas ocorrências de monogenēs .

Em Lucas 7:12 monogenés se refere ao “filho único” ou “unigênito” da viúva de Naim. ( Dizer que era o filho “único da espécie” não tem sentido)

Em Lucas 8:42 a filha de Jairo foi chamada de “unigênita” ou “filha única”. (Dizer que ela era a “única da espécie” não faz o menor sentido.)

Em Lucas 9:38 

Certo pai implora para que Jesus ajude seu “filho único”. (Ninguém argumentaria que monogenés aqui se refere ao filho “único de uma espécie”.)

Não há dúvida de que há ocasiões em que a tradução de monogenés por ‘único”, “único de uma espécie” é necessária de acordo com o contexto. Por exemplo, Clemente chamava a Fenix, uma criatura que ele imaginava que realmente existia, de “única”. (1 Clemente 25:1). Certo tratado antigo fala de árvores que existiam como “de tipo único”.  Mas este uso de monogenés são extensões metafóricas do significado básico, “único gerado” ou “único filho”.  Precisamos observar o contexto para determinar em que sentido se aplica. 

Encontramos 5 ocorrências nos escritos do Apóstolo João, 1 vez em Hebreus pelo Apóstolo Paulo e as outras 3 vezes por Lucas citadas acima. João empregou todas as 5 vezes no contexto de filiação. 

Um exame cuidadoso do banco de dados do Thesaurus Linguae Graecae revela no mínimo 145 outras palavras com o sufixo –genēs . Apenas 3 exemplos são suficientes para esclarecer o ponto: theogenēs (“nascido de Deus”), neogenēs (“recém nascido, recém produzido”), e konchogenēs (“nascido de uma concha”). Das 145 vezes este sufixo apresente menos de 12 ocorrências com o sentido de “espécie”, “gênero/tipo”

 

Uma silênciosa revisão ocorreu em um léxico grego conhecido – Liddell e Scott – no subtópico sob a palavra grega monogenes (μονογενής). Em 1883 o Liddell e Scott Greek Lexicon, publicado pela Harper & irmãos, explicou numa nota monogenes desta forma:

Μονογενής, ές, (S, PE. e Ion. (μουνογ-: παῖς unigênito, único, Hes. Op. 374, th. 426,
HDT. 7. 221, etc.; Μ. αἷμα um e o mesmo sangue, EUR. Hel. 1685. adv. – γῶς, crescendo sozinho…”

No entanto, o recém revisado Liddell and Scott Greek Lexicon, agora
disponível on-line, apresenta a seguinte nota sobre monogenes:

Μονο-γενής, ές, EP. e Ion. μουνο-γενής, (γένος) o único membro de uma família ou tipo: portanto, Geralmente, só, único, παῖς cf. Hes.Op.376, Hdt.7.221, Ev.Jo.1.14, Ant.Lib.32.1; de Hecate, É. Th.426. 2. exclusivo do τὸ ὄν, Parm. 8.4; Εἷς ὅδε μ. γεγονώς οὐρανὸς Pl.Ti.31b, cf. Procl.Inst.22; Θεὸς ὁ μ. Sammelb.4324.15. 3. μ. αἷμα um e o mesmo sangue, dub. l. em E.
Hel.1685. 4. Gramm., tendo uma forma para todos os gêneros, A.D.Adv. 145.18. 5. nome do pé Heph.3.3. II. Adv. μονογε-νῶς, φέρεται μ. ἐν ἑνὶ τόπῳ cresce apenas em um só lugar,
Peripl.M.Rubr.56, cf. 11. 2. em uma maneira original, Aët. 15.13, 14. “2

Como você pode ver, o significado de monogenés apresentado pelo mesmo léxico mudou, não deixando nenhum vestígio do significado original de “unigênito.” Um leitor moderno não
observaria indício algum de que originalmente  Liddell e Scott entendia a palavra como significando unigênito. E o que é irónico é que as mesmas referências que foram utilizados para mostrar que a palavra significava unigênito são agora utilizadas para apoiar a nova explicação de que esta  se refere apenas a um membro de uma família ou tipo. Por exemplo, Hes. Op. 376 (374) é usado para apoiar ambos os significados. No entanto, Quando realmente olhamos de perto para o texto, descobriremos que este não apoia o novo  significado que os revisores atribuem a monogenés.

 O texto Grego citado é o seguinte:
“…μουνογενὴς δὲ πάις εἴη πατρώιον οἶκον φερβέμεν ὣς γὰρ πλοῦτος ἀέξεται
 ἐν μεγάροισιν. γηραιὸς δὲ θάνοις ἕτερον παῖδ᾽ ἐγκαταλείπων." 

Perseus

 

“E que haja  um filho unigênito para alimentar a casa de seu pai, para, como tal, posses
serão múltiplas em sua moradia. Contudo, por permitir outra criança, você pode morrer [maduro] de velho .” 4

R. W. Mair, Professor de grego na Universidade de Edimburgo, traduz este texto desta forma:
“Pode haver um filho único nascido para alimentar a casa de seu pai: pois então haverá riqueza maior nos salões. Mas tarde será tua morte se tu deixar um segundo filho. (Hesiod, the Poems and Fragments, Done into English Prose with Introductions and Appendices (Clarendon Press, Oxford, 1908) pg. 14
E, Willem Jacob Verdenius, Professor da língua grega na Universidade de Utrecht, faz este comentário para saber se a tradução de monogenes deve ser “unigênito” ou “membro único da família” nesta
passagem:
“376: μουνογενής. Não ‘o único membro da sua família’ (LSJ) mas ‘unigênito’: cf. r. Ag. 898
Μουνογενἑς τέκνον πατρἰ, pl. wanderlycy. d 113 2 μονογενῆ θυγατρέρα ἐγεννηςἁσθην. Embora o Conselho tem um sentido geral, Hes. pode estar pensando sobre o fato de que suas dificuldades pessoais não teria surgido se ele tivesse sido um filho único.” Willem Jacob Verdenius, A Commentary on Hesiod: Works and Days, Vv. 1-382 (E. J.Brill, Leiden, 1985) pg. 180
A única maneira desta passagem em Hesíodo fazer sentido é se alguém compreender que monogenés tem o sentido de “único gerado” ou “unigênito”, exatamente como Liddell e Scott havia escrito originalmente em sua glossa. Contudo, para o leitor desavisado da nova revisão, o significado original foi substituído pelo da revisão. E não somente isso, os revisores sugerem que a nova definição é apoiada pelas antigas referências citadas para apoiar o antigo significado, sendo que na realidade o texto desaprova o novo significado!

Este artigo será ampliado, se Deus permitir. Parece que não foi somente o The Vine sob o tópico Cruz que um grupelho de evangélicos  trinitários adulteraram não!



 

Anúncios