O Plural Majestático em Hebraico


Por Queruvim

Tenho estudado o “plural majestático” e notado como este é documentado nas cartas de  Tell el Amarna endereçada aos  príncipes cananeus, que abordam Faraó como “meus deuses”. Há  algumas inscrições fenícias usando o “plural Majestático” também.

Muitos eruditos bíblicos concluíram que o “plural majestático”  é uma forma antiga bem estabelecida  datando  dos tempos da Idade  do Bronze (tardia). Antes de falar em detalhes sobre este plural, vamos nos deter em algumas informações básicas a respeito do plural na Bíblia Hebraica.

A terminação plural regular para o gênero masculino em hebraico יִם (im) ocorre em muitas palavras de forma compreensível a nós do ocidente. Exemplo הר (har) “monte”, no plural se torna הרים (harim) ‘montes”,  בית (bait) “casa” no plural se torna בתים (batim) “casas”. Entendemos que a terminação יִם (im) é o equivalente a nossa letra S que, comumente encontrada no final de substantivos, indica o plural ;

A  terminação יִם (im) era muito comum nos idiomas fenício, assírio e aramaico. Em árabe vulgar também observa-se uma  terminação semelhante (in) que ocorre no aramaico e até mesmo no hebraico encontrado exclusivamente nos livros posteriores do V.T ou em Provérbios e no livro dos antigos Reis de Israel (1 Reis 11:33;  2 Reis 11:13)                                              

            

                  יַעַן אֲשֶׁר עֲזָבוּנִי, וַיִּשְׁתַּחֲווּ לְעַשְׁתֹּרֶת אֱלֹהֵי  צִדֹנִ ין   

Há também no texto massorético da Bíblia Hebraica o plural feminino dos substantivos que normalmente terminam com ות (ot/oth) muito embora  nem sempre, como é o caso das palavras hebraicas “ano”  e “mulheres” que são  femininas e quando no plural também terminam com im e não oth.  O hebraico bíblico possui também uma forma morfológica dual para os substantivos que ocorrem naturalmente em pares. É o chamado plural dual. (יום ‘dia’ יומים ‘dois dias’ ימים ‘dias’)

Ocorre porém que a medida que o idioma hebraico foi sendo estudado durante o século XVIII e XIX percebeu-se características peculiares presentes no idioma no que se refere a várias formas plurais usadas para coletivos e honoríficos. Vamos considerar porém um destes plurais em hebraico bíblico em vista das implicações que este apresenta quanto ao entendimento da natureza de Deus.

Que evidência há de que existe de fato um plural majestático nas Escrituras ?

1011201_univ_pnr_lg

O plural em hebraico não é usado de forma a expressar unicamente um número de indivíduos ou objetos separados, mas é usado para representar um plural abstrato. Em harmonia com isso a obra Gesenius’ Hebrew Grammar  (1909) produzida por Wilhelm Gesenius faz a seguinte afirmação:

“A suposição de que אֱלֹהִים (elohim) deve ser considerado apenas como um remanescente de pontos de vista politeístas anteriores (ou seja, como sendo  originalmente apenas um plural numérico ) é, no mínimo, altamente improvável, e, além disso, não explicaria os plurais análogos. Que a linguagem rejeitou totalmente a ideia de pluralidade numérica em אֱלֹהִים (sempre que se refere a um Deus), é provado, especialmente por apresentar quase que invariavelmente uma aplicação adjetival singular …” O Plural de Excelência ou Majestático Gramática Hebraica de Gesenius , pg. 398,399. 

A frase plural majestático ou plural de excelência é entendida  pelos eruditos como se aplicando aqueles que ocupam posições de poder sobre humanos ou domínio e poder, tais como Deus, deuses, reis e juízes, etc. É usado normalmente para denotar o poder , excelência ou dignidade de uma pessoa. Até mesmo documentos de autoridades religiosas como Papas costumam usar o pronome “Nós” na primeira pessoa do plural ao invés da palavra “eu” se  referindo ao Papa. Este pronome é conhecido como o “Nós da realeza”.  Há muitos versos no Alcorão onde Alah fala usando o pronome “Nós” (nahnu).   (Quran 6:11210:8715:232620:7725:5032:212447:3156:5778:40), Quem ousaria afirmar que o Islã tem um Deus trinitário?  De maneira similar os judeus entendem  a palavra “Deus” que ocorre em Gênesis em sua forma plural, como sendo um “plural de majestade” e não um plural numérico na divindade. (Judeus par o Judaísmo.org)

A maioria dos eruditos e pesquisadores tanto evangélicos como católicos também entendem que existe na Bíblia o plural Majestático. Alguns poucos críticos discordam deste fato, muitos deles obviamente para promover a doutrina da trindade usando de um recurso que nem mesmo os mais respeitados eruditos evangélicos usam.

Opinião de eruditos católicos e evangélicos

Começamos por ver a opinião de Bruce Metzger, considerado pelos evangélicos e teólogos do mundo inteiro como um dos mais influentes eruditos do Novo Testamento do século XX:

“A palavra hebraica usual para Deus é Elohim , outro plural de majestade com um significado singular quando utilizado a respeito de  Javé”. (The Oxford companion to the Bible, Escrito por Bruce Manning Metzger, Michael David Coogan, Oxford University Press, pg. 548, 1993)

O perito de Oxford, R. B. Girdlestone, escreve em sua obra Synonims of the Old Testament:

 Muitos críticos, contudo, de indiscutível ortodoxia [trinitária], julgam ser mais sábio ater-se à posição adotada por tais divinos como Cajetan [teólogo] da Igreja de Roma, e Calvino, entre os protestantes, e considerar a forma plural como plural de majestade.” (Sublinhado é meu)

Tais teólogos trinitaristas sem dúvida compreendiam que, se considerassem ’Elohím como plural numérico (deuses), tornar-se-iam politeístas!

Veja a opinião de um professor de interpretação de um seminário teológico da Igreja Batista nos Estados Unidos:

Deus (hebraico Elohim) é um substantivo plural … é um exemplo do costume judaico de pluralizar um nome para denotar excelência e transcendência ” (Introdução ao Antigo Testamento, escrito por Clyde T. Francisco, John R. Sampey, Publicações Casa Batista , pg. 40)

“Elohim, com uma forma gramatical plural, destaca a eminente majestade de Deus, sua transcendência e universalidade. O hebraico e outras línguas semíticas fornecem muitos exemplos desse uso do plural “(Introdução ao Antigo Testamento, escrito pelo professor católico Miguel Angel Tabet, pg. 96, 2004)

Observe o que uma professora evangélica com baixarel e mestrado em doutrina cristã, escrituras hebraicas e história da igreja escreveu:

Elohim, que é o plural da palavra el. Este plural não quer dizer que Ele é mais do que um ser, em nenhum sentido, mas o plural é usado para pronunciar Sua majestade e grandeza “(Seu Nome Para Sempre: A história por trás do Nome de Deus, Escrito por Iris A Foreman, pg. 35, 2011)

Observe a opinião de um dos mais aclamados pregadores evangélicos americanos:

“”Elohim, é gramaticalmente plural, mas não indica um plural numérico (i.e,” deuses “). O hebraico usa a forma plural para indicar a honra ou a intensidade, algumas vezes chamado de “plural de majestade”. A aparência consistente de um adjetivo singular (Salmo 7:9) ou verbo (Gen 20:6) usado com Elohim mostra que se referia a um Deus Único. “ (Apologetics Study Bible-HCSB, Escrito por Chuck Colson, Norm Geisler, Hank Hanegraaff, pg. 3, 2007)

“Eruditos consideram a forma como sendo um plural, indicando a natureza superior do Deus de Israel sobre os deuses de outros povos.” (An introductory dictionary of theology and religious studies, Escrito por Orlando O. Espín, James B. Nickoloff, pg. 396, 2007 Espín é Doutorado e Professor Católico de Teologia sistemática)

Uma vez que esta palavra é sempre usada com um verbo no singular, é, provavelmente, um plural de majestade, em vez de um verdadeiro plural.” (Literatura da Sabedoria de Israel: escrito pela Professora Dianne Bergante da União Católica Teológica com Mestrado e Doutorado pela St. Louis University)

O plural não sugere politeísmo quando se refere ao Deus de Israel, mas é um plural majestático, a revelação da natureza infinita de Deus ...“(Holman Concise Bible Dictionary, Escrito por Holman Bible Editorial Staff, pg. 443, 2011)

“Elohim é plural na forma, mas geralmente é singular na construção (usado com um verbo ou adjetivo no singular. ). Quando aplicado ao Único Deus Verdadeiro, o plural é evidentemente devido ao idioma hebraico possuir um plural de grandeza ou majestade .. . usado para deuses pagãos, anjos ou juízes, como representantes de Deus, Elohim é plural, tanto no sentido como em sua forma”. (Zondervan Illustrated Bible Dictionary, Escrito por J. D. Douglas, Merrill C. Tenney, sobre  elohim)

Em A Dictionary of the Bible (Dicionário da Bíblia), William Smith diz: “A fantasiosa idéia de que [’elohím] se refere à trindade de pessoas na Divindade dificilmente encontra agora entre os peritos alguém que a apóie. Trata-se daquilo que os gramáticos chamam de plural de majestade, ou denota a plenitude da força divina, a soma dos poderes exibidos por Deus.”

Obviamente que encontrará alguns eruditos defendendo a tese de que não existe “plural majestático”. Este artigo foi escrito para ir além disso e expor a questão de forma clara.

Seria interessante que lesse com atenção um artigo paralelo escrito nesta página a fim de entender melhor este tema. Elohim (por ser plural)  indica que Deus é uma trindade?

Muita mentira e confusão tem sido feita ao se explicar a palavra Elohim. Observe relacionado com este tema, a saber,  o plural majestático, a definição dada no Dicionário de Strong:

Strong’s H430 – אֱלֹהִים

 

[1] (plural)

  • a) Governantes, juízes
  • b) seres divinos
  • c) anjos
  • d) deuses

[2] (plural intensivo – de significado singular)

  • a) deus, deusa
  • b) semelhantes a deus
  • c) trabalhos ou posses especiais de Deus
  • d) O [Verdadeiro] Deus
  • e) Deus

Existe ou não o plural majestático na bíblia hebraica?

Seria errado afirmar que em Gênesis 1:26 a frase “façamos” é uma forma de plural majestático. É obvio que o Criador estava falando a alguém. Deus não usou ali um plural literário, como que falando consigo mesmo. Se nos atermos a Bíblia para obtermos o entendimento correto desta declaração observaremos que esta se refere-se a Jeová e seu “mestre-de-obras” juntos, quando diz “façamos”. (para uma pesquisa cabal deste assunto clique aqui)

O plural majestático hebraico é também conhecido como “singular de intensidade” visto que destaca não a quantidade mas a grandeza do indivíduo ou objeto a que se refere. Os que negam a existência do plural majestático nem se dão ao luxo de tentarem negar também as abundantes evidências do plural intensivo em suas diversas formas. Podemos ver isso no caso da palavra  שמים (shamayim, céu ). Alguns a citam afirmando que existem vários níveis de céus dando uma conotação quantitativa a este substantivo. Na verdade, é um plural intensivo indicando a grandiosidade ou somatória de atributos presentes no substantivo a que se refere. A própria existência de formas de plural intensivo em idiomas aparentados com o hebraico, tais como o árabe, fornece peso contra o argumento dos que negam a existência do plural majestático. Uma forma plural sendo adicionada a uma palavra já no plural é muito comum em árabe. Por exemplo بيت (bayt “casa” ) cujo plural é بيوت (buyuut, “casas”), pode ser acrescida de uma forma plural ـات (aat) e se tornar بيوتات (buyuutaat “casarão ou explendida casa”) sendo esta ultima nem sempre uma referência a várias casas. Os antigos povos cananeus se comunicavam com os Faraós usando plurais majestáticos. Encontramos o plural majestático em antigos escritos em acadiano encontrados no século XVII em quase 400 tabuas de argila com escritas cuneiformes acadianas nas cartas de Amarna. (Figura abaixo)

 Amenhotep III   viveu na 8º dinastia Egípcia. (Entre 1386 to 1349 BC)

Amarna letter

Observe na escrita cuneiforme acima. Numa carta deYabitiri enviada para Amenhotep III  onde encontramos a seguinte expressão :

“Ao meu Senhor, meu Rei, meus deuses, meu sol. Isso é dito: Yabitiri teu servo, os pós dos teus pés, nos pés do meu Senhor, meu Rei, meus deuses, meu Sol, 7 vezes e 7 vezes mais.” 

Quando não é dirigido a pessoas de posição elevada, costuma se chamar plural de intensidade.

O plural de intensidade ocorre frequentemente  na Bíblia hebraica. Observe um exemplo no relato de Jó.

Em Jó 40:15 lemos:

“Eis aqui o beemote que eu fiz tanto quanto a ti. Come erva verde assim como o touro.”

                                   A Bíblia usa uma palavra hebraica no plural para se referir a  este animal

Deve-se notar que behemóth é o plural de Behemáh.  Embora a palavra esteja no plural, se refere a uma criatura individual extremamente forte, o hipopótamo. Todo o contexto que se refere a este animal está no singular. O verbo que precede se referindo a este animal onde diz que “ele come” (heb> yokhal ) está no singular. (Jó 40:15,16,17) Interessante que no versículo seguinte (16) este animal é mencionado como muito “poderoso”. O que explica porque se usa um plural peculiar em idiomas semíticos. É um plural intensivo e logicamente o escritor de Jó não está propondo uma multiplicidade de  animais, mas antes, enfatiza o poder do referido animal ao usar um recurso linguístico claramente compreensível e comum nos idiomas semíticos. Emprega-se então um plural abstrato de caráter intensivo.  

céus TNM

Por que será que a palavra “céu” está no plural em hebraico? 

                                                                                                   

                                                

    Ou ainda a palavra “face”?

 
( Portrait by Steve McCurry) 

A expressão “Jeová Elohim” (Jeová Deus) aparece 20 vezes em menos de 50 versículos dos capítulos 2 e 3 de Gênesis. O substantivo elohim é sintaticamente um plural, sendo que no singular se diz אלוה (eloah).

Na gramática hebraica quando elohim está gramaticalmente associado a palavra seguinte, o “m” de elohim desaparece (chamado de relação constructa em hebraico).  Portanto elohim se torna “elohey”   אֱלֹהֵי ou “deuses de”.

Em Juízes 16:23 se faz referência ao falso deus Dagom, emprega-se esta  forma constructa de  ’elo·hím; o verbo acompanhante está no singular, o que indica que se refere a apenas um deus.  (Figura a esquerda do Museu de Louvre. Obs.: Dag em hebraico, דג  significa  “peixe” )

Em Gênesis 42:30, fala-se de José como “senhor”  e usa-se a palavra ’adho·néh, que é  plural. Significa que José eram várias pessoas? Não! Mas era um plural majestático usado no idioma hebraico com referência a ele como o Rei do Egito. Os que negam a existência do plural majestático ficam engasgados aqui neste verso. De fato o plural majestático é uma forma de plural intensivo aplicado a pessoas em cargos de autoridade divinamente concedidos ou cargos que lhes atribuem certa autoridade ou poder.

O idioma grego não possui ‘plural majestático ou de excelência’. Portanto, em Gênesis 1:1, os tradutores da LXX empregaram ho The·ós (Deus, no singular) como equivalente a ’Elo·hím. Em Marcos 12:29, onde se reproduz uma resposta de Jesus em que ele citou Deuteronômio 6:4, emprega-se similarmente o singular ho The·ós, em grego. Isto é evidência de que não existe pluralidade quantitativa na palavra ELOHIM(equivalente de THEÓS). Desbancando-se então o conceito de um plural indicativo de trindade na divindade.

Em Deuteronômio 6:4, o texto hebraico contém duas vezes o Tetragrama, e, portanto, deve rezar mais adequadamente: “Jeová, nosso Deus, é um só Jeová.” (NM) A nação de Israel, a quem isto foi dito, não acreditava na Trindade. Os babilônios e os egípcios adoravam tríades de deuses, mas esclareceu-se a Israel que Jeová é diferente.

Quando aplicado a Jeová, `Elo·hím é usado como plural de majestade, dignidade ou excelência. (Gên 1:1) Sobre isso escreveu Aaron Ember:

“Que a linguagem do A[ntigo] T[estamento] renunciou inteiramente à idéia de pluralidade em . . . [Elo·hím</i>] (conforme aplicado ao Deus de Israel) evidencia-se especialmente no fato de que é quase invariavelmente construído com um predicado verbal no singular e tem atributo adjetival singular. . . . [<i>Elo·hím] deve ser antes explicado como plural intensivo, denotando grandiosidade e majestade, igual a O Grande Deus.” — The American Journal of Semitic Languages and Literatures (A Revista Americana de Línguas e Literaturas Semíticas), Vol. XXI, 1905, p. 208.

No Salmo 82:1, 6ʼelo·hím é usado referente a homens, juízes humanos, em Israel. Jesus citou este Salmo em João 10:34, 35. Eram deuses na sua qualidade de representantes e porta-vozes de Jeová. De modo similar, disse-se a Moisés que ele devia servir de “Deus” para Arão e para Faraó. — Êx 4:16 n.; Êx 7:1.

Muitas versões da Bíblia vertem tanto a palavra hebraica Adon como ’Adho·naí por “Senhor”, sendo que ’Adho·naí é um exemplo de plural de excelência.

 “’Adho·naí” etimologicamente é o plural de Adoní, a saber adoním combinando com o sufixo do pronome possessivo, primeira pessoa do singular resultando na forma Adonai. É um plural respeitoso e não um plural sintático. (Fig. Abaixo)

Transmite a idéia de “Senhor dos Senhores”ou mais apropriadamente vertido “Soberano Senhor” e é evidentemente um dos plurais que indicam a grandeza ou majestade exclusiva de Jeová. (mais sobre a palavra Adonaí)

É muito comum nos depararmos com a expressão “Soberano Senhor Jeová” na Tradução do Novo Mundo , algo raro e não compreendido por outras versões, falhas neste quesito exatidão. Há muitas  versões que vertem o tetragrama como “Jeová” ou “Javé”  mas que usam a expressão “Senhor Jeová” ou “Senhor Javé”. Por que acrescenta a Tradução do Novo Mundo a palavra “Soberano”? Porque, conforme mostra a nota sobre Gênesis 15:2 (na edição inglesa, revista), o termo Adonai, usualmente traduzido “Senhor”, em tais casos, está no plural da excelência, literalmente “Senhores Jeová”. Visto que o plural é o de excelência, em vez de ser de número, a Tradução do Novo Mundo  acrescenta “Soberano”, para mostrar que este Senhor não é nenhum Senhor comum. Jeová não é comum, mas é um Senhor muito especial, o Soberano Senhor.

A expressão ’Adho·naí Yehwíh, “Soberano Senhor Jeová”, encontra-se 285 vezes na BHK e na BHS,usada como base para se traduzir a TNM,  a saber, em Gên 15:2, 8; De 3:24; De 9:26; Jos 7:7; Jz 6:22; Jz 16:28; 2Sa 7:18, 19, 20, 22, 28, 29; 1Rs 2:26; 1Rs 8:53; Sal 71:5, 16; Sal 73:28; Is 7:7; Is 25:8; Is 28:16; Is 30:15; Is 40:10; Is 48:16; Is 49:22; Is 50:4, 5, 7, 9; Is 52:4; Is 56:8; Is 61:1, 11; Is 65:13, 15; Je 1:6; Je 2:22; Je 4:10; Je 7:20; Je 14:13; Je 32:17, 25; Je 44:26; Ez 2:4; Ez 3:11, 27; Ez 4:14; Ez 5:5, 7, 8, 11; Ez 6:3, 11; Ez 7:2, 5; Ez 8:1; Ez 9:8; Ez 11:7, 8, 13, 16, 17, 21; Ez 12:10, 19, 23, 25, 28; Ez 13:3, 8, 9, 13, 16, 18, 20; Ez 14:4, 6, 11, 14, 16, 18, 20, 21, 23; Ez 15:6, 8; Ez 16:3, 8, 14, 19, 23, 30, 36, 43, 48, 59, 63; Ez 17:3, 9, 16, 19, 22; Ez 18:3, 9, 23, 30, 32; Ez 20:3, 5, 27, 30, 31, 33, 36, 39, 40, 44, 47, 49; Ez 21:7, 13, 24, 26, 28; Ez 22:3, 12, 19, 28, 31; Ez 23:22, 28, 32, 34, 35, 46, 49; Ez 24:3, 6, 9, 14, 21, 24; Ez 25:3, 3, 6, 8, 12, 13, 14, 15, 16; Ez 26:3, 5, 7, 14, 15, 19, 21; Ez 27:3; Ez 28:2, 6, 10, 12, 22, 24, 25; Ez 29:3, 8, 13, 16, 19, 20; Ez 30:2, 6, 10, 13, 22; Ez 31:10, 15, 18; Ez 32:3, 8, 11, 14, 16, 31, 32; Ez 33:11, 25, 27; Ez 34:2, 8, 10, 11, 15, 17, 20, 30, 31; Ez 35:3, 6, 11, 14; Ez 36:2, 3, 4, 5, 6, 7, 13, 14, 15, 22, 23, 32, 33, 37; Ez 37:3, 5, 9, 12, 19, 21; Ez 38:3, 10, 14, 17, 18, 21; Ez 39:1, 5, 8, 10, 13, 17, 20, 25, 29; Ez 43:18, 19, 27; Ez 44:6, 9, 12, 15, 27; Ez 45:9, 15, 18; Ez 46:1, 16; Ez 47:13, 23; Ez 48:29; Am 1:8; Am 3:7, 8, 11, 13; Am 4:2, 5; Am 5:3; Am 6:8; Am 7:1, 2, 4, 5, 6; Am 8:1, 3, 9, 11; Am 9:8; Ob 1; Miq 1:2; Sof 1:7; Za 9:14.

Observe um outro exemplo do plural majestático em  Eclesiastes 12:1, para a expressão “Grandioso Criador”. Neste versículo “o particípio hebraico do verbo ‘criar’ está aqui no plural para denotar grandiosidade ou excelência.

Eclesiastes 12:1

12 Lembra-te, pois, do teu Grandioso Criador* nos dias da tua idade viril, antes que passem a vir os dias calamitosos, ou cheguem os anos em que dirás: “Não tenho agrado neles”.  “Teu Grandioso Criador.” Hebr.: Boh·re’eí·kha. No hebr., é o particípio do verbo “criar” no plural para denotar grandiosidade ou excelência.

O título “Criador” no singular não faria justiça ao original, e assim, bem apropriadamente, usa-se a expressão “Grandioso Criador”. Novamente, é difícil achar outras traduções que reconheçam este fato, uma exceção sendo a versão inglesa de Young, a qual, porém, reza: “Lembra-te também dos teus Criadores nos dias da tua juventude.” Significa isso que há mais de um Criador? A nota de rodapé da Bíblia de Soncino, neste texto, explica:

“Quando o substantivo é construído com o plural, trata-se do ‘plural de majestade’. ‘Escolheu-se esta designação de Deus para dar ênfase Nele como derradeira causa e projetista de nossa estrutura física.’” 

Leitura adicional sobre diversos plurais na Bíblia Hebraica

Plurais em Hebraico Bíblico na Tradução do Novo Mundo

Este artigo será atualizado e novos acréscimos serão feitos. 

1 Timóteo 3:16 – “Ele foi manifestado em carne” ou “Deus foi manifestado em carne” ?

Anúncios
Both comments and trackbacks are currently closed.

Comentários

  • Saga  On 7 maio 2013 at 2:47

    Nesse site achei uma exemplo interessante da superioridade da TNM das Escrituras Hebraicas no Salmo 22:16 http://www.jewsforjudaism.org/index.php?option=com_content&view=article&id=76:what-is-the-translation-of-kaari-like-a-lion&catid=44:crucifixion&Itemid=489 a forma como ele descreve a tradução do hebraico é justamente a forma como a TNM verteu Ka’ari aqui (sendo que o judeu em questão está criticando as traduções cristãs desse verso , as acusando de simplificarem o hebraico em causa própria, mas essa crítica não atinge a NM), inclusive a forma como ele traz com … assim “Like a lion . . . my hands and my feet!” concorda com o uso correto dos colchetes “Iguais a um leão [atacam] as minhas mãos e os meus pés”!

    Sem dúvidas, a TNM não parafraseou o verso, (embora te-lo feito clarificaria o link da passagem com a morte de Jesus) mas se preocupou em manter o hebraísmo nele ….

    Curtir

  • Saga  On 7 maio 2013 at 3:11

    Segundo o site judeu em questão, evangelistas da cristandade chegam até a forjar falas em fontes judaicas para dar apoio a Trindade:
    http://jewsforjudaism.org/index.php?option=com_content&view=article&id=147:is-it-true-that-the-zohars-commentary-on-the-shema-confirms-the-christian-doctrine-of-trinity&catid=49:trinity&Itemid=501 Invenção na cara dura!

    Aquela história do ECHAD em hebraico ser unidade composta seria outra dessas lorotas que tentam pegar na base da repetição uma mentira repetidas 1000 vezes …

    Curtir

  • José Roberto de Araujo  On 7 maio 2013 at 10:59

    Ótima explicação!Muito boa mesmo! Demonstra a realidade, do conceito errado da cristandade em geral!

    Curtir

  • Saga  On 8 maio 2013 at 12:01

    Queruvim, sobre o dual e plural.

    É verdade que em palavras como e o “Elohim”, e o “Nossa” de Gên 1:26, por estarem no plural, indicariam pelo menos três pessoas, já que se fossem duas teria de se usar o dual?

    Curtir

  • queruvim  On 8 maio 2013 at 19:47

    Se alguém afirmou que “se fossem duas pessoas teria que ser usado o dual” no texto de Gênesis 1:26, este comete um erro gramatical infantil. O dual “é quase que exclusivamente usado ao se referir aqueles objetos que ocorrem naturalmente em pares” diz a gramática hebraica de Gesenius. A terminação dual nunca é encontrada em adjetivos, verbos e pronomes. Portanto, caro Saga essa afirmação só pode ter vindo de um leigo. Não há nada nas escrituras que apoiem a doutrina católica da trindade que foi adotada pelas igrejas evangélicas

    Curtir

  • Saga  On 20 maio 2013 at 3:57

    Elohim é Dual? Vi alguém argumentando contra a Trindade (E a favor de apenas Jesus e o Pai serem Deus) usando isso, que Elohim é plural, então se refere a uma unidade de dois deuses e não de três ou quatro ou mil….

    Curtir

  • queruvim  On 20 maio 2013 at 14:30

    Em hebraico quando se fala das mãos e dos pés ou das orelhas ou ainda sandálias e qualquer outra coisa que ocorra naturalmente em pares usa-se a forma dual. Elohim não é dual mas é entendido como sendo um plural de intensidade dentro da categoria de um dos plurais majestáticos comumente usados nas escrituras. Elohim não concorda com a natureza do dual semítico encontrado na Bíblia.Ademais, o uso do substantivo Elohim com referência a seres únicos descarta esta hipótese.(Ex. 7:1)

    Curtir

  • Queruvim  On 17 abr 2014 at 22:08

    Agora no início de 2014 no mês de Abril decidi não mais postar comentários como anteriormente. Pelo menos por um tempo, se não definitivamente. Há aqui suficiente material para referência e pesquisa de modo que se torna desnecessário postar mais comentários. Ademais, percebi que opositores (não me refiro a pessoas que discordam) os “apostatas” estão fazendo esforço além do normal para postar “comentários” com ar de “leitores” ou “buscadores da verdade” quando não são nada disso. Alguns trocam o nick até 5 vezes na tentativa de ser “ouvido” ou respondido por um de nós aqui. Além de perceber que este espaço está tomando muito tempo desnecessário de alguns servos de JEOVÁ. Portanto, descontinuo os comentários. Cada dias irei trancar a possibilidade de comentar em toda página que eu logar. Não encontrei um recurso que da para fazer isso automaticamente em todas, infelizmente. Mas irei fazê-lo gradualmente.Aceito sugestões regulares de comments que devem ser deletados e artigos que devem ser apagados ou aprimorados.

    Agradeço muito a contribuição que todos deram para o esclarecimento de tantos assuntos!

    oraculodejeova@hotmail.com

    Curtir