“Exercer Fé” / “crer ” e a Tradução do Novo Mundo

πιστεύω

 Observe como a Versão João Ferreira de Almeida traduz João 3:16:

16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”

A maioria das versões da Bíblia empregam a palavra “crer” aqui . Porém, a Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada  verteu assim:

“Porque Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele exercer fé não seja destruído, mas tenha vida eterna.

 

Alguns condenaram a Tradução do Novo Mundo ao empregar a tradução”exercer a fé” em vez de “crer”. No entanto, a palavra normalmente traduzida “crer” em muitas Bíblias (grego: pisteuo) pode honesta e corretamente ser vertida  “exercer fé”, o que implica certa ação da parte do fiel.  Por exemplo, o altamente respeitado (e bastante “ortodoxo”) Kittel’s Theological Dictionary of the New Testament, (Resumido em Um Volume) nos diz:

I. O Legado do V.T:

A fé do V.T corresponde ao Grego. pisteuein o qual inclui tanto a confiança nas pessoas e crença nas palavras  (inclusive Deus e sua palavra). O V.T , contudo, carrega um forte elemento de reconhecimento e obediência. – p. 852.

II. Uso Cristão Geral.

1. Continuação do V.T e da Tradição Judaica.
….
[8] b. pisteuo  “obedecer.” Heb. 11 enfatiza que  crer é obedecer, como no V.T. Paulo em Rom. 1:18; 1 Tess. 1:8 (cf. Rom. 15:18; 16:19) mostra, também, que  acreditar significa obedecer. Ele fala a respeito da obediência pela fé em Rom. 1:5, e cf. 10:3; 2 Cor. 9:13. – páginas. 853, 854, Eerdmans Publ., 1985.

Thayer’s Greek-English Lexicon of the New Testament, p. 511, também nos informa:

[pisteuo] …. g. usado especialmente referindo-se a fé pelo qual um homem aceita Jesus, i.e uma convicção, cheio de confiança jubilosa, de que Jesus é o Messias…juntamente com a obediência ao Cristo Baker Book House, 1977.

Portanto, até mesmo alguns dos mais respeitados eruditos do Novo Testamento admitem que pisteuo contém a ideia de obediência com a crença. Esta exige crer e aceitar o sacrifício de Cristo em nosso favor e a ação da parte do crente. Há muitas coisas que o crente deve e não deve fazer. Fazer (ou não fazer as coisas proibidas) certamente não o faz ganhar a salvação.  Mas não agir em obediência à palavra de Deus pode muito bem impedi-lo de receber a dádiva gratuita da salvação.

A fé não é credulidade; não é um simples sentimento; é mais do que crer em algo. A credulidade é perigosa. Um simples sentimento pode aparecer e desaparecer; e até  mesmo crer que Deus existe não é suficiente, pois “os demônios creem e estremecem”. — Tia. 2:19.

Assim como algo vivo, precisa ser alimentada para sobreviver. Precisa ser expressa em ações, senão morrerá. — Tia. 2:26.

 

Por que a Tradução do Novo Mundo às vezes traduz a palavra grega pi‧steú‧o por ‘acreditar’ ou ‘crer’ (como faz a maioria das traduções) e outras vezes por “exercer [ou depositar] fé em”?

 

 

Faz-se isto para refletir as diferentes variações de sentido expressas pela palavra grega pi‧steú‧o.
Por exemplo, A Grammar of New Testament Greek (Gramática do Grego do Novo Testamento), de James Moulton, diz que os cristãos primitivos reconheciam com clareza “a importância da diferença entre mera crença . . . e confiança pessoal”. Ambas as idéias podem ser expressas usando a palavra grega pi‧steú‧o.
Não raro, as diferentes variações de sentido de pi‧steú‧o têm de ser discernidas pelo contexto. Às vezes, porém, diferentes construções gramaticais ajudam-nos a ver o que o escritor tinha em mente. Por exemplo, se pi‧steú‧o é seguido meramente por um substantivo no caso dativo, a Tradução do Novo Mundo em geral o traduz simplesmente por ‘acreditar’ — a menos que o contexto indique algo diferente. (Mateus 21:25, 32; mas veja Romanos 4:3.) Se pi‧steú‧o é seguido da palavra e‧pí, “em”, é, em geral, traduzido por ‘acreditar [ou crer] em’. (Mateus 27:42; Atos 16:31) Se é seguido de eis, (“para, a“), é em geral traduzido por ‘exercer fé em’. — João 12:36; 14:1.
Esta última maneira de traduzir (que nos faz lembrar que pi‧steú‧o relaciona-se com a palavra grega pí‧stis, “fé”) harmoniza-se com um comentário em An Introductory Grammar of New Testament Greek (Gramática Introdutória do Grego do Novo Testamento), de Paul Kaufman. Esta obra diz:
“Outra construção comum no Novo Testamento (especialmente no Evangelho de João) é πιστεύω [pi‧steú‧o] com εἰς [eis] e o caso acusativo. . . Tem que se traduzir a inteira construção de εἰς mais o acusativo, em vez de tentar traduzir a preposição εἰς como palavra isolada. Entende-se que fé seja uma ação, algo que os homens fazem, i.e., depositar fé em alguém.” W 01/12/90