Supostas CONTRADIÇÕES na Bíblia não resistem ao escrutínio PARTE II


Algumas pessoas fazem leituras apressadas da Bíblia Sagrada, a fim de encontrarem o que consideram erros, contradições, incoerências etc. Será que estão certos e desbancam a afirmação de que a Bíblia é “inspirada por Deus”? (2 Timóteo 3:16) As respostas desta página estão em negrito. (este artigo é uma continuação da parte l )

errosnabiblia

Muitas das  respostas são uma contribuição do USUÁRIO  Jeosadá. Há também citações provenientes de publicações da Organização de Jeová. 

Jesus é acusado de roubo

  • Lucas 19:29-34 “[Jesus] enviou dois de seus discípulos, dizendo-lhes: Ide à aldeia fronteira e ali, ao entrar, achareis preso um jumentinho que jamais homem algum montou; soltai-o e trazei-o. Se alguém vos perguntar: Por que o soltais? respondereis assim: Porque o Senhor precisa dele. E indo os que foram mandados, acharam segundo lhes dissera Jesus. Quando eles estavam soltando o jumentinho, seus donos lhes disseram: Por que o soltais? Responderam: Porque o SENHOR precisa dele.”
    Sempre aprendi desde criança que pegar algo sem pedir é roubo.
    Resposta:  Basta apenas você ler Marcos 11:1-6:  onde lemos :  “Ora, quando chegaram perto de Jerusalém, a Betfagé e Betânia, no Monte das Oliveiras, mandou dois de seus discípulos  e disse-lhes: “Ide à aldeia que está ao alcance de vossa vista, e assim que entrardes nela, achareis amarrado um jumentinho em que NINGUÉM DA HUMANIDADE AINDA MONTOU; soltai-o e trazei-o. 3 E, se alguém vos disser: ‘Por que fazeis isso?’ dizei: ‘O Senhor precisa dele, E O MANDARÁ LOGO DE VOLTA PARA CÁ.’” 4 Foram assim embora e acharam o jumentinho amarrado à porta, do lado de fora, numa rua lateral, e soltaram-no. 5 Mas, alguns dos parados ali começaram a dizer-lhes: “Que estais fazendo, soltando o jumentinho?” 6 Disseram a estes exatamente o que Jesus dissera; E DEIXARAM-NOS IR”. Veja que interessante Mateus 21:3:
    “E, se alguém vos disser alguma coisa, tendes de dizer: ‘O Senhor precisa deles. ’ COM ISSO ELE OS ENVIARÁ IMEDIATAMENTE.’’
    Então o que podemos concluir é:

1- Eles pediram educadamente.
2- O jumento ainda não tinha sido montado.
3- Os donos viram e estavam presentes.
4- Eles iriam devolver.
5- Ouve consentimento por parte dos donos, ou seja, eles permitiram que o Jumento fosse levado sem mostrar resistência.
6- Não foi um roubo.

Outro texto de críticos da Bíblia diz: 

Devemos Guardar o Sábado ou não?

  • Êxodo 20:8 “Lembra do dia de sábado, para o santificar.”
  • Êxodo 31:14 “Portanto guardareis o sábado porque é santo para vós outros: aquele que o profanar, morrerá; pois qualquer que nele fizer alguma obra será eliminado do meio do seu povo.”
  • Êxodo 31:15 “Qualquer que no dia do sábado fizer algum trabalho, certamente será morto.”
  • Números 15:32,36 “Estando pois os filhos de Israel no deserto, acharam um homem apanhando lenha no dia de sábado… o trouxeram a Moisés e a Arão…o SENHOR disse a Moisés: Tal homem será morto…e o apedrejaram; e ele morreu, como o SENHOR ordenara a Moisés.”
    vs.
  • Isaias 1:13 “O incenso é para mim abominação, e também as luas novas, os sábados, e a convocação das congregações; não posso suportar iniqüidade associada ao ajuntamento solene.”
  • João 5:16 “E os judeus perseguiam a Jesus porque fazia estas cousas no sábado.”1
  • Colossenses 2:16 “Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados.”

Resposta: Pois bem, observamos os críticos da Bíblia citarem textos que ordenam a guarda do sétimo dia ao mesmo tempo que citam textos que demonstram que o sábado não era mais um requisito a ser seguido. Seria isso uma contradição da Bíblia? O que os críticos deixam de mencionar, talvez por falta de entendimento, é que estes escritos não foram escritos em um único dia. Os textos que falam de modo a não promover a guarda do sétimo dia foram escritos no primeiro século, quase 1500 anos depois dos textos que orientavam o antigo Israel a guardar o sétimo dia. Ou seja, o chamado “Novo testamento” não promove a guarda do sétimo dia por ter sido uma lei que deixou de vigorar. De fato, Romanos 10:4 diz que “Cristo é o fim da Lei” o que incluia a guarda do sábado. A “Lei” mencionada aqui em Romanos, está se referindo aos 640 mandamentos escritos no “Velho Testamento”, e não a lei como princípio. Romanos se refere a Lei dada a Moisés. É por isso que a palavra lei aparece com letras MAIÚSCULAS na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, o que não ocorre na maioria das versões da Bíblia. Paulo em Romanos se refere ao fim daquela Lei. (O texto grego articula o substantivo NÓMOS” o que indica que era uma lei específica e não a lei no sentido geral) . Fica claro, então, que a Bíblia não foi escrita “toda no mesmo dia” e por apenas uma pessoa, como parece entender os críticos da Bíblia! Neste caso parecem péssimos alunos de interpretação de textos. Suas críticas servem somente para os que não pesquisam e não averiguam com atenção. Os que estão ansiosos para criticar a Bíblia certamente irão aplaudir estas supostas “contradições” como sendo fatos. Contudo, são avaliações superficiais e precipitadas. A Bíblia contém história viva escrita num período de 1600 anos. Para entender melhor sobre o sábadoentre na página mais dedicada a pesquisa investigativa da Bíblia e boas pesquisas!

Devemos Fazer Imagens Sagradas ou não?

  • Êxodo 20:4 “Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima dos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.”
  • Levítico 26:1 “Não fareis para vós outros ídolos, nem vos levantareis imagens de escultura nem coluna, nem poreis pedra com figuras na vossa terra, para vos inclinardes a ela.”
  • Deuteronômio 27:15 “Maldito o homem que fizer imagem de escultura, ou de fundição.”
    vs.
  • Êxodo 25:1,2,18 “Disse o SENHOR a Moisés: Fala aos filhos de Israel que me tragam oferta…Farás dois querubins de ouro; de ouro batido farás, nas duas extremidades do propiciatório.”
  • I Reis 7:15,16,23,25 “[O Rei Salomão] Formou duas colunas de bronze; A altura de dezoito côvados, e um fio de doze côvados era a medida de sua circunferência. Também fez dois capitéis de fundição de bronze…Fez também o mar de fundição, redondo, de dez côvados duma borda até à outra borda, e de cinco de alto; e um fio de trinta côvados era a medida de sua circunferência. [e assim por diante].”2
    RespostaNem Todas as Imagens São Ídolos. A lei de Deus para não fazer imagens (Êx 20:4, 5) não proibia a fabricação de toda e qualquer representação e estátua. Isto é indicado pela ordem posterior de Jeová para fazer dois querubins de ouro sobre a tampa da Arca e para bordar representações de querubins na cobertura interna da tenda, constituída de dez panos de tenda para o tabernáculo, e na cortina que separava o Santo do Santíssimo. (Êx 25:18; 26:1, 31, 33) Similarmente, o interior do templo de Salomão, cujos planos arquitetônicos foram dados por inspiração divina a Davi (1Cr 28:11, 12), era belamente ornamentado com figuras esculpidas de querubins, palmeiras e flores. Dois querubins de madeira de árvore oleaginosa, recobertos de ouro, estavam postados no Santíssimo daquele templo. (1Rs 6:23, 28, 29) O mar de fundição repousava sobre 12 touros de cobre, e os lados dos carrocins de cobre para uso no templo eram decorados com figuras de leões, touros e querubins. (1Rs 7:25, 28, 29) Doze leões perfilavam-se nas escadas que conduziam ao trono de Salomão. — 2Cr 9:17-19.
    Tais representações, contudo, não eram ídolos para adoração. Apenas os sacerdotes oficiantes viam as representações no interior do tabernáculo e, mais tarde, no interior do templo. Ninguém, a não ser o sumo sacerdote, entrava no Santíssimo, e isso, apenas no Dia da Expiação. (He 9:7) Assim, não havia perigo de os israelitas ficarem enlaçados a ponto de idolatrar os querubins de ouro do santuário. Essas representações serviam primariamente como símbolo dos querubins celestes. (Veja He 9:24, 25.) Que não deviam ser venerados é evidente do fato de que os próprios anjos não deviam ser adorados. — Col 2:18; Re 19:10; 22:8, 9.
    Não existe um único caso nas Escrituras em que FIÉIS SERVOS de Deus tenham recorrido à utilização de ajudas visuais para orar a Deus ou tenham se empenhado numa forma de adoração relativa.

E VEJA QUE O TEXTO QUE CONDENA AS IMAGENS (Levítico 26:1) FAZ REFERENCIA A ADORAÇÃO DELAS AO DIZER: “para vos inclinardes a ela.” Quanto a imagem de escultura ou fundição veja Êxodo 34:17: “Não deves fazer para ti deuses-ídolos fundidos.” Alem do mais, quando as nações faziam estatuas e imagens, inclusive alguns israelitas infiéis, eles o faziam com o objetivo de adoração, e não de ornamento. A questão em torno disso tudo e a adoração de ídolos…

Somos Salvos Por Obras?

  • Efésios 2:8,9 “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.”
  • Romanos 3:20,28 “Visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei…Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independente das obras da lei.”
  • Gálatas 2:16 “Sabendo contudo que, o homem não é justificado por obras da lei, e sim, mediante a fé em Cristo Jesus, também nós temos crido em Cristo Jesus, para que fossemos justificados pela fé e, Cristo e não por obras da lei, pois por obras da lei ninguém será justificado.”
    vs.
  • Tiago 2:24 “Verificais que uma pessoa é justificada por obras, e não por fé somente.”
  • Mateus 19 16-21 “E eis que alguém, aproximando-se lhe perguntou: Mestre, que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus…guarda os mandamentos…Replicou-lhe o jovem: Tudo isso tenho observado; que me faltas ainda? Disse lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres, e terás um tesouro no céu; depois vem, e segue-me.
    A defesa usual aqui é que “nós somos salvos pela fé e pelas obras”. Mas Paulo disse “não vem das obras”.

Resposta:

Os que colocam esta questão e a apresentam como aparente contradição da Bíblia não percebem que a frase “obras de Lei” se refere especificamente a Lei dada ao antigo Israel (perto de 640 mandamentos) . Paulo estava criticando aqueles que se apegavam aos 640 mandamentos ou “Leis” para alcançar a salvação, sendo que Cristo é o fim da Lei (Rom 10:4) Paulo não estava falando sobre a lei como princípio. Isso nem mesmo nossos colegas adventistas entendem, muito menos os ateus que criticam a Bíblia e a lêem de modo superficial e apressado! 

Boas Obras Devem Ser Vistas?

  • Mateus 5:16 “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que estás no céus.
  • I Pedro 2:12 “Mantendo exemplar o vosso procedimento para com os gentios, para que…observando-vos em vossas obras, glorifiquem a Deus no dia da visitação.”
    vs.
  • Mateus 6:1-4 “Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles; doutra sorte não tereis galardão junto de vosso Pai Celeste…para que tua esmola fique em secreto: e teu Pai que vê em secreto te recompensará.”
  • Mateus 23:3,5 “Fazei e guardai, pois, tudo quanto eles [Fariseus] vos disserem, porém não os imiteis nas suas obras…Praticam, porém, todas as suas obras com o fim de serem vistos dos homens.”

Resposta: Não há contradição alguma, uma vez que alguns são reconhecidos pelas suas obras ao passo que outros fazem questão de fazer barulho e se gabarem de suas obras. Por exemplo, o que acha de alguém que usa uma saia quase arrastando no chão para dar uma impressão de santidade em contraste com aquelas que a usam de modo discreto e que tem a fama de bom comportamento? A diferença pode ser no seguinte…a primeira pessoa pode estar querendo mostrar que é ‘pura” e “santa”, ao passo que a segunda não quer demonstrar isso de modo ostensivo, mas com humildade e por meio de sua conduta casta. Ela acaba sendo reconhecida como pessoa de boa moral sem fazer teatro e sem alargar as orlas de suas roupas. Jesus nos textos acima elogia a pessoa pelas  obras ao passo que condena os que querem fazer barulho a fim de mostrarem que são o que acham ser “santos”. 

Devemos Ter Escravos?

  • Levíticos 25:45-46 “Também os comprareis dos filhos dos forasteiros que peregrinam entre vós,… e vos serão de possessão…perpetuamente os fareis servir.”
  • Gênesis 9:25 “E [Noé] disse: Maldito seja Canaã; seja servo dos servos a seus irmãos.”
  • Êxodo 21:2,7 “Se comprares um escravo hebreu, seis anos servirá; mas ao sétimo sairá fôrro de graça…Se um vender sua filha para ser escrava, esta não lhe sairá como saem os escravos.”
  • Joel 3:8 “Venderei vossos filhos e vossas filhas aos filhos de Judá, e estes aos sabeus, a uma nação remota, porque o SENHOR o disse.”
  • Lucas 12:47,48 [Jesus falando] “Aquele servo porém que conheceu a vontade de seu senhor e não se aprontou, nem fez segundo a sua vontade; será punido com muitos açoites. Aquele, porém que não soube a vontade do seu senhor e fez cousas dignas de reprovação, levará poucos açoites.”
  • Colossenses 3:22 “Servos obedecei em tudo a vossos senhores.”
    vs.
  • Isaias 58:6 “Desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaces todo jugo.”
  • Mateus 23:8-10 “Vós, porém não sereis chamados mestres, porque um só é vosso Mestre…porque um só é vosso Guia, o Cristo.”
    Versos da bíblia a favor da escravidão foram citados por muitas igrejas no Sul (dos EUA) durante a Guerra Civil, e foram usados por alguns teólogos na Igreja Reformada Holandesa para justificar o apartheid na África do Sul. Há muito mais versos pró-escravidão do que os citados aqui.

Resposta: Quando o antigo Israel saiu do Egito eram cerca de 600 mil homens a pé, fora mulheres e crianças. Jeová Deus os livrara da mão dos egípcios e juntamente com eles e de modo voluntário muitos dos egípcios se juntaram a Israel, bem como pessoas de outras nações. Estes passaram a trabalhar como escravos para os israelitas. Até porque Israel não era opressivo e decidiu não entrega-los a morte.  Raptar um homem e depois vendê-lo era punido com a morte. (Êxodo 21:16) Escravos mencionados na Bíblia nada tem que ver com “escravos” no sentido moderno. Eram “servos” ou “ajudantes domésticos”. Não se tratava do tipo opressivo de escravidão que tem sido comum em muitos países ao longo dos séculos. Levítico 25:39, 40 diz: “Caso teu irmão fique pobre ao teu lado e tenha de vender-se a ti, não o deves usar como trabalhador em serviço de escravo. Deve vir a estar contigo como trabalhador contratado, como colono.” Assim, essa era uma provisão amorosa para cuidar das pessoas mais pobres de Israel. Luc 12:47 é uma parábola contada por Jesus e que tem uma aplicação espiritual e não literal em nossos dias. Portanto, um texto irrelevante para esta discussão. Isto os críticos não sabem. E quanto a Joel 3:8 seria uma punição que viria sobre o antigo Israel em vista de terem cometidos atrocidades, tais como assassinato e violação da Lei que juraram seguir. Que “Lei”? Imagine? Os 640 mandamentos meu caro! As mesmas que tenho falado aqui vez após vez. Por matarem os profetas (tais como Isaías e Zacarías) Jeová Deus previa o futuro tenebroso daquela nação, a saber, o antigo Israel. Não estava sancionando lei sobre “escravidão” como dão a entender os que leem o relato de modo apressado, sem conhecimento do contexto histórico dos acontecimentos. 

Deus Muda de Opinião?

  • Malaquias 3:6 “Porque eu, o SENHOR, não mudo.”
  • Números 23:19 “Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele prometido, não o fará? ou tendo falado, não o cumprirá?”
  • Ezequiel 24:14 “Eu, o SENHOR, o disse: Será assim, e assim e eu o farei; não tornarei atrás, não pouparei nem me arrependerei.”
  • Tiago 1:17 “…descendo do Pai das Luzes, em que não pode existir variação, ou sombra de mudança.”
    vs.
  • Êxodo 32:14 “Então se arrependeu o SENHOR do mal que dissera havia de fazer ao povo.”
  • Gênesis 6:6,7 “Então se arrependeu o SENHOR de ter feito o homem na terra…Disse o SENHOR: Farei desaparecer da face da terra o homem que criei…porque me arrependo de os haver feito.”
  • Jonas 3:10 “E Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria, e não o fez.”
    Veja também II Reis 20:1-7, Números 16:20-35, Números 16:44-50.
    Em Gênesis 18:23-33, tenta barganhar com o SENHOR sobre o numero mínimo de justos requeridos em Sodoma para que a mesma não fosse destruída, o numero de 50 baixou para 10. (Um Deus onisciente deveria ter sabido que estava jogando com as esperanças de misericórdia de Abraão – ele destruiu a cidade assim mesmo.)
    Resposta:

Em primeiro lugar os textos onde algumas versões da Bíblia dizem que Deus “se arrependeu” são uma tradução inexata da palavra hebraica Nahham conforme abordei extensivamente neste artigo

Sobre esta crítica acima podemos acrescentar os comentários do Jeosadá, um de nossos apologistas: 

“Abraão estava discutindo com Deus? De forma alguma! Isso seria o cúmulo da arrogância. O tom de voz de Abraão refletia a devida reverência e humildade que ele tinha por Jeová. Ele referiu-se a si mesmo como mero “pó e cinzas”. Quatro vezes ele disse respeitosamente: “Por favor.” (Versículos 27, 30-32) Além disso, as palavras de Abraão revelaram sua confiança na retidão de Jeová. A idéia de que Deus destruiria o justo junto com o ímpio era “inconcebível”, disse Abraão — não uma, mas duas vezes. O fiel patriarca expressou sua convicção de que “o Juiz de toda a terra” faria “o que é direito”. — Versículo 25.
Abraão estava certo nas coisas que disse? Sim e não. Ele estava errado em achar que havia pelo menos dez justos em Sodoma e Gomorra. Mas com certeza ele estava certo em dizer que Deus nunca ‘arrasaria o justo junto com o iníquo’. Quando mais tarde Deus destruiu aquelas cidades perversas, o justo Ló e suas duas filhas escaparam com ajuda angélica. — 2 Pedro 2:7-9.
O que esse relato nos ensina a respeito de Jeová? Por informar Abraão sobre Sua intenção de inspecionar as cidades, Jeová, na verdade, convidou-o para conversar. Então ele ouviu pacientemente enquanto seu amigo Abraão expressava as preocupações de seu coração. (Isaías 41:8) Isso nos ensina, de forma maravilhosa, que Jeová é um Deus humilde, que dignifica e honra seus servos terrestres. Fica claro que temos todas as razões para confiar plenamente em Jeová, o Juiz que sempre faz o que é certo”.

————————————————-x———————————————-

Jeosadá prossegue : 

COMO humanos imperfeitos, às vezes nos arrependemos de coisas que fazemos. Por exemplo, podemos lamentar um erro que cometemos. É interessante que a Bíblia diz que Jeová deplora, ou lamenta. ‘Mas Deus é perfeito’, você talvez diga. ‘Ele não comete erros!’ Então, em que sentido Deus lamenta alguma coisa? A resposta pode nos ajudar a entender algo maravilhoso: Jeová tem sentimentos, e nossas ações podem afetar os sentimentos dele. Veja as palavras registradas em Juízes 2:11-18.
O livro bíblico de Juízes fala sobre um período turbulento na história de Israel. A nação estava estabelecida em Canaã, a terra que Deus havia prometido a Abraão. Durante os vários séculos seguintes, a conduta de Israel pode ser resumida num ciclo repetitivo de quatro fases: rebelião, opressão, súplica e livramento.
Rebelião. Influenciados pelos cananeus, os israelitas “abandonaram a Jeová” e começaram a seguir outros deuses. Eles “passaram a servir a Baal e às imagens de Astorete”. Essa rebelião nada mais era do que apostasia. Não é de admirar que os israelitas tenham ‘ofendido a Jeová’, o Deus que os tinha libertado do Egito. — Versículos 11-13; Juízes 2:1.
Opressão. Levado a sentir ira justa, Jeová tirava a proteção do povo, que havia voltado as costas para ele. Então, os israelitas caíam “à mão dos seus inimigos”, que invadiam e saqueavam a terra. — Versículo 14.
Súplica. No meio de tanta aflição, os israelitas lamentavam seu proceder e imploravam a ajuda de Deus. Essa súplica talvez fique evidente na expressão “gemido por causa dos seus opressores”. (Versículo 18) Suplicar a Deus fazia parte do ciclo repetitivo. (Juízes 3:9, 15; 4:3; 6:6, 7; 10:10) Como Deus reagia?
Livramento. Jeová ouvia e “deplorava” os gemidos de Israel. A palavra hebraica traduzida por “deplorava” pode significar “alguém mudar de ideia ou intenção”. Uma obra de referência diz: “Jeová, movido por seus gemidos, mudava sua intenção de punir para uma intenção de livrar.” Misericordiosamente, Jeová ‘suscitava juízes’ para livrar o povo de seus inimigos. — Versículo 18.
Notou o que levou Deus a deplorar, ou seja, a mudar de ideia? Foi a mudança de atitude do seu povo. É como um pai amoroso que disciplina seu filho por ter feito algo errado, talvez proibindo-o de fazer uma coisa que ele gosta. Ao ver que o filho está realmente arrependido, o pai decide pôr fim ao castigo.
O que esse relato nos ensina sobre Jeová? Ao passo que o pecado deliberado provoca sua ira, corações arrependidos o movem a mostrar misericórdia.

—————————————————x—————————————————-

Deus declarou por meio do profeta Malaquias: “Eu sou Jeová; não mudei.” (Malaquias 3:6) Comentando esse versículo, o erudito bíblico francês L. Fillion observou que essa declaração está associada de perto com o cumprimento das promessas divinas. “Jeová poderia ter aniquilado seu povo rebelde”, escreveu Fillion, “mas, por ser imutável nos seus propósitos, ele cumprirá as promessas que fez no passado a despeito de qualquer coisa”. As promessas de Deus, quer feitas a uma pessoa, a uma nação, quer a toda humanidade, não serão esquecidas, mas serão cumpridas no Seu tempo devido.
É interessante notar que, Deus não se muda ou mudou, conforme a TNM, no sentido dos propósitos dele para com a terra.
Para entender melhor, e preciso saber a diferença entre PROPÓSITO e DESTINO.
O destino é algo que se cumpre nos mínimos detalhes.
O Propósito e algo que pode variar durante a sua seqüência, mas definitivamente vai atingir o seu objetivo.
Entretanto, ao declarar uma promessa ou fazer um pacto, Deus pode estabelecer requisitos, condições a serem satisfeitas por aqueles a quem se faz a promessa ou com quem se faz o pacto. Prometeu a Israel que a nação se tornaria a sua “propriedade especial” e “um reino de sacerdotes e uma nação santa”, desde que obedecesse estritamente à Sua voz e guardasse o Seu pacto. (Êx 19:5, 6) Deus cumpriu fielmente a sua parte no pacto, mas Israel falhou; violou vez após vez este pacto. (Mal 3:6, 7; compare isso com Ne 9:16-19, 26-31.) Portanto, quando Deus finalmente anulou esse pacto, fez isso com plena justiça, cabendo a responsabilidade pelo não-cumprimento da promessa dele inteiramente aos israelitas violadores. — Mt 21:43; He 8:7-9.
Da mesma maneira, Deus pode “deplorar” a execução de alguma punição ou ‘retornar [recuar]’ dela, quando seu aviso sobre tal ação produz uma mudança de atitude e conduta por parte dos violadores. (De 13:17; Sal 90:13) Retornaram a ele e ele ‘retorna’ a eles. (Za 8:3; Mal 3:7) Em vez de ‘penar’, ele se alegra então, porque não tem prazer em causar a morte de pecadores. (Lu 15:10; Ez 18:32) Ao passo que Deus nunca se desvia das suas normas justas, oferece ajuda para que as pessoas possam retornar a ele; elas são incentivadas a fazê-lo. Convida-as bondosamente a retornar, ‘estendendo as suas mãos’ e dizendo, por meio de seus representantes: “Por favor, recuai . . . para que eu não vos cause calamidade”, “por favor, não façais esta espécie de coisa detestável que tenho odiado”. (Is 65:1, 2; Je 25:5, 6; 44:4, 5) Ele concede amplo tempo para uma mudança (Ne 9:30; compare isso com Re 2:20-23), e mostra grande paciência e indulgência, visto que “não deseja que alguém seja destruído, mas deseja que todos alcancem o arrependimento”. (2Pe 3:8, 9; Ro 2:4, 5) Ocasionalmente, ele cuidou bondosamente que sua mensagem fosse acompanhada por obras poderosas, ou milagres, que corroboraram a comissão divina dos seus mensageiros e ajudaram a fortalecer a fé dos ouvintes. (At 9:32-35) Quando sua mensagem não é acatada, ele emprega a disciplina; retira seu favor e sua proteção, permitindo assim que os impenitentes passem privações, fome, opressão por parte de seus inimigos. Isto pode fazê-los cair em si, pode restabelecer seu temor correto de Deus, ou pode induzi-los a dar-se conta de que o proceder deles foi estúpido e que o conceito deles era errado.

Somos Punidos Pelo Pecado de Nossos Pais?

  • Êxodo 20:5 “Porque eu sou o SENHOR teu Deus, Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem.” (repetido em Deuteronômio 5:9)
  • Êxodo 34:6-7 “…SENHOR Deus compassivo, clemente…ainda que não inocenta o culpado, e visita a iniqüidade dos pais nos filhos, e nos filhos dos filhos até a terceira e quarta geração.”
  • I Coríntios 15:22 “Porque assim como em Adão todos morrem…”
    vs.
  • Ezequiel 18:20 “…O filho não levará a iniqüidade do pai…”
  • Deuteronômio 24:16 “Os pais não serão mortos em lugar dos filhos, nem os filhos em lugar dos pais: cada qual será morto pelo seu pecado.”
    Resposta:

O texto diz que Deus traz punição dos pais sobre os filhos “no caso dos que me odeiam” (traduzido me aborrecem na Almeida).  Parece que o crítico não percebeu este detalhe! 

Jeozadá comenta adicionalmente: 

Não há contradição. Uma das declarações focaliza a RESPONSABILIDADE INDIVIDUAL (Ezequiel 18:20), e a outra reconhece o fato de que o erro de uma pessoa pode ter CONSEQUENCIAS sobre seus descendentes (Êxodo 20:5).
Ao passo que as conseqüências funestas da transgressão são sentidas por gerações futuras, cada indivíduo precisa pessoalmente prestar contas a Deus. (Jer. 31:29, 30)
É inegável, porém, que os filhos sofram as conseqüências decorrentes das ações dos pais. Pais que são esbanjadores ou imprudentes podem levar a família toda à pobreza. Ou, imagine o efeito que teria sobre os filhos se o pai for sentenciado à prisão devido a atividade criminosa. Até mesmo calamidades que Deus, com justiça, causou a Israel devido à sua iniquidade afetaram os filhos daquele tempo.

Deus é Bom ou é Mal?

  • Salmos 145:9 “Deus é bom para todos…”
  • Deuteronômio 32:4 “…Deus é fidelidade, e não há nele injustiça; é Justo e reto.”
    vs.
  • Isaias 45:7 “Eu formo a luz, e crio as trevas; faço a paz, e crio o mal; eu o SENHOR, faço todas estas cousas.” See “Out of Context” for more on Isaiah 45:7.
  • Lamentações 3:38 “Acaso não procede do altíssimo assim o mal como o bem?”
  • Jeremias 18:11 “…Assim diz o SENHOR: Eis que estou forjando mal e formo um plano contra vós outros…”
  • Ezequiel 20:25,26 “Pelo que também lhes dei estatutos que não eram bons, e juízos pelos quais não haviam de viver; e permiti que eles se contaminassem com seus dons sacrificiais, como quando queimavam a fogo tudo o que abre a madre, para horrorizá-los a fim de que soubessem que eu sou o SENHOR.”
    Deus Prova as Pessoas?
  • Tiago 1:13 “Ninguém, ao ser tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e ele mesmo a ninguém tenta.”
    vs.
  • Gênesis 22:1 “Depois dessas cousas pôs Deus Abraão à prova…”
    Resposta:

“Por que Jeová permite que seus adoradores fiquem expostos a tais provações? O apóstolo Pedro apresentou um motivo disso ao escrever: “Atualmente, por um pouco, se preciso, [sois] contristados por várias provações, a fim de que a qualidade provada da vossa fé, de muito mais valor do que o ouro perecível, apesar de ter sido provado por fogo, seja achada causa para louvor, e glória, e honra, na revelação de Jesus Cristo.” (1 Pedro 1:6, 7) As provações permitem que demonstremos a qualidade da nossa fé e o nosso amor a Jeová. E elas nos ajudam a fornecer uma resposta às zombarias e acusações de Satanás, o Diabo. — Provérbios 27:11; Revelação (Apocalipse) 12:10”. W 01/09 de 2002
É possível que o próprio Jeová nos prove com adversidades?
Não; não devemos dizer: “Estou sendo provado por Deus.” Jeová não procura induzir-nos a cometer pecado, mas com certeza nos ajuda e nos dá a força necessária para perseverar em provações, se permanecermos firmes na fé. (Filipenses 4:13)
Embora Jeová possa permitir uma provação para disciplinar-nos para o nosso bem, ele não nos prova com intenção má. (Hebreus 12:7-11)
É interessante que o texto fala de “ser tentado pelo mal (ou: “por coisas más” TNM). Deus nunca fez os servos deles sofrerem intensamente ou acometeu de doenças ou morte de pessoas próximas, na tentativa de provar alguém.
Existe um relato em Juízes que ilustra isso, quando Deus permitiu os cananeus viverem próximos dos israelitas para que eles, os deuses deles, servissem de prova para eles.

Deus é Pacifico?

  • Romanos 15:33 “E o Deus da paz seja com todos vós.”
  • Isaías 2:4 “Estes converterão as suas espadas em relhas de arados, e suas lanças em podadeiras: uma nação não levantará a espada contra outra nação, nem aprenderão mais guerra.”
    vs.
  • Êxodo 15:3 “O SENHOR é homem de guerra.”
  • Joel 3:9-10 “…Apregoai guerra santa; suscitai os valentes; cheguem-se, subam todos os homens de guerra. Forjarei espadas de vossas relhas de arado, e lanças de vossas podadeiras; diga o fraco: Eu sou forte.”

Resposta : Quem fez esta pergunta não entende que Deus é pacífico e não “pacifista” ou aquele que nunca age em vista de provocações e que é oposto a guerra. Há inúmeras provas nas Escrituras Sagradas de que Deus age com justiça. Isso significa que ele arranca cabeças quando acha que isso é necessário. E quem somos nós para achar que Jeová Deus está errado? Veja 2 Tess. 2:6-8 e procure ficar alerta, visto que este conceito de que Deus é só amor é coisa de quem nada sabe sobre Deus. Esta idéia de que a misericórdia de Deus é infinita é coisa de Pastores e clérigos evangélicos ou outros. A misericórdia de Deus e sua paciência não são infinitas e sempre há um bom motivo quando ele age. Deut 32:4; Hebreus 10:26. A Obra Estudo Perspicaz das Escrituras debaixo do tópico JEOVÁ e no subtópico “Por que o Deus de paz luta? diz:

O proceder rebelde escolhido por homens e por anjos iníquos constituía um desafio à legítima soberania de Jeová e à boa ordem de todo o universo. Aceitar tal desafio exigiu que Jeová se tornasse “pessoa varonil de guerra” (Êx 15:3-7), defendendo seu próprio bom nome e suas normas justas, lutando em favor daqueles que o amam e servem e executando o julgamento naqueles que merecem a destruição. (1Sa 17:45; 2Cr 14:11; Is 30:27-31; 42:13) Ele não hesita em usar sua onipotência, às vezes de forma devastadora, como no Dilúvio, na destruição de Sodoma e Gomorra, e na libertação de Israel do Egito. (De 7:9, 10) E ele não receia tornar conhecidos quaisquer pormenores da sua guerra justa; não oferece desculpas, pois não tem nada de que se envergonhar. (Jó 34:10-15; 36:22-24; 37:23, 24; 40:1-8; Ro 3:4) O respeito que tem por seu próprio nome, e pela justiça que este representa, bem como seu amor por aqueles que o amam, compelem-no a agir. — Is 48:11; 57:21; 59:15-19; Re 16:5-7.

As Escrituras Gregas Cristãs apresentam o mesmo quadro. O apóstolo Paulo incentivou os concristãos, dizendo: “O Deus que dá paz . . . esmagará em breve a Satanás debaixo dos vossos pés.” (Ro 16:20; compare isso com Gên 3:15.) Ele também mostrou a justeza de Deus retribuir com tribulação aos que causam tribulação aos seus servos, trazendo a destruição eterna de tais opositores. (2Te 1:6-9) Isto estava em harmonia com os ensinos do Filho de Deus, que não deixou nenhuma margem de dúvida quanto à determinação intransigente de seu Pai de forçosamente acabar com toda a iniqüidade e com os que a praticam. (Mt 13:30, 38-42; 21:42-44; 23:33; Lu 17:26-30; 19:27) O livro de Revelação está repleto de descrições de divinamente autorizadas ações de guerra. Tudo isto, porém, pela sabedoria de Jeová, em última análise, produz o estabelecimento de uma paz duradoura e universal, solidamente alicerçada na retidão e na justiça. — Is 9:6, 7; 2Pe 3:13. (FONTE  tópico JEOVÁ)

Jesus Era Pacifico?

  • João 14:27 “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou.”
  • Atos 10:36 “Esta é a palavra que Deus enviou aos filhos de Israel, anunciando-lhes o evangelho da paz, por meio de Jesus cristo.”
  • Lucas 2:14 “…E paz na terra entres os homens…”
    vs.
  • Mateus 10:34-36 “Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada. Pois vim causar divisão entre o homem e seu pai; entre a filha e sua mãe e entre a nora e sua sogra. assim os inimigos do homem serão os da sua própria casa.”
  • Lucas 22:36 “Então lhes disse…o que não tem espada, venda sua capa e compre uma.”
    Resposta:
    * Lucas 22:36:
    Jesus não pediu a seus discípulos que levassem uma arma para proteção ou autodefesa. Em vez disso, o fato de terem espadas na noite em que Jesus foi traído possibilitou que ele lhes ensinasse uma importante lição: “Todos os que tomarem a espada perecerão pela espada.” — Mat. 26:52
    * Mateus 10:34-36:
    O ministério de Jesus trouxe divisões, até mesmo no seio das famílias (Lu 12:51-53), mas isto se dava por causa da sua aderência aos justos padrões e à verdade de Deus, bem como sua proclamação deles. As divisões resultaram porque muitos endureceram o coração contra essas verdades, ao passo que outros as aceitaram. (Jo 8:40, 44-47; 15:22-25; 17:14) Isto era inevitável, se os princípios divinos haviam de ser sustentados; mas a culpa recaía sobre os que rejeitavam o que era correto.

Jesus Era Confiável?

  • João 8:14 “Posto que eu testifico de mim mesmo, o meu testemunho é verdadeiro…”
    vs.
  • João 5:31 “Se eu testifico a respeito de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro.”
    Para a versão em inglês da bíblia, as palavras “Record” e “witness” dos versos acima provém da mesma palavra grega (martyria), que significa “testemunha”.
    Resposta:
    Veja João 5:31 Na Tradução do Novo Mundo (NM): ” Se eu sozinho der testemunho de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro.”
    Esse texto faz referencia a Deuteronômio 19:15: “Uma só testemunha não se deve levantar contra um homem com respeito a qualquer erro ou qualquer pecado, no caso de qualquer pecado que ele cometa. O assunto deve ficar de pé pela boca de DUAS TESTEMUNHAS OU PELA BOCA DE TRÊS TESTEMUNHAS”
    Vemos aqui que a lei mosaica só permitia uma acusação perante duas ou três testemunhas. Jesus reconhecia esse fato quando disse que não podia dar testemunho SOZINHO.
    Mas porque ainda assim ele o fazia, conforme mencionado em João 8:14?
    Para entender esse ponto basta apenas você continuar a leitura de João 5:31
    * 32: ”Há outro que dá testemunho de mim, e eu sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro “
    * 37: “Também, o próprio Pai que me enviou tem dado testemunho de mim. Vós nem ouvistes jamais a sua voz, nem vistes a sua figura”
    Então, eram dois que davam testemunho de Jesus: Deus e Ele mesmo (Jesus).
    Assim ele podia dar testemunho dele mesmo porque não o fazia sozinho.

Devemos Insultar as Pessoas?

  • Mateus 5:22 “…E quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo.” [Jesus falando]
    vs.
  • Mateus 23:17 “Insensatos e cegos…” [Jesus falando]
  • Salmos 14:1 “Diz o insensato no seu coração: não há Deus.”

Resposta: Em Mat. 5:22 a palavra aramaica usada não se refere a um insulto, mas a uma palavra de “total desprezo” indicando um sentimento de arrogância e superioridade de alguns humanos. É por isso que ao invéz de usar a palavra “insulto” a TNM a verteu por “uma palavra imprópria de desprezo”. Quando uma pessoa é realmente cega, no sentido de não entender e não querer entender, não é insulto dizer que ela “não vê”. Seria insulto falar isso contra alguém de modo injusto ou equivocado. Por exemplo, seria  correto eu chamar uma moça casta e que nem sabe nada sobre sexo de prostituta? Claro que isso seria um insulto grave. Mas e se eu me referisse a uma mulher conhecida notadamente por fazer programas de “prostituta”, estaria eu cometendo um insulto? Claro que não! Imagine Cristo, que sabe o que há no coração da pessoa! Acha que é insulto chamar Bashar Al Assad de genocida? Seria insulto chamar Adolf Hitler de genocida? Tenhamos em mente que Jesus é o juíz designado por Jeová Deus para julgar.

Alguém Já Viu Deus?

  • João 1:18 “Ninguém jamais viu a Deus.” repetido em I João 4:12
  • Êxodo 33:20 “Não me poderás ver a face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá.”
  • João 6:46 “Não que alguém tenha visto ao pai, salvo aquele que vem de Deus [Jesus]; este o tem visto.”
  • I John 4:12 “Ninguém jamais viu a Deus.”
    vs.
  • Gênesis 32:30 “Vi a Deus face a face.”
  • Êxodo 33:11 “Falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala a seu amigo.”
  • Isaías 6:1 “No ano da morte do rei Uzias, eu vi o SENHOR assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo.”
  • Jó 42:5 “Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem.”

Quantos Deuses Existem?

  • Deuteronômio 6:4 “O SENHOR vosso Deus é o único.”
    vs.
  • Gênesis 1:26 “Também disse Deus: Façamos o homem a nossa imagem, conforme a nossa semelhança.”
  • Gênesis 3:22 “Então disse o SENHOR Deus: Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal.”5
  • I João 5:7 “E há três que dão testemunho no céu, o Pai, a Palavra e o Espírito Santo: e esses três são um.”6
    Não ajuda muito dizer que a terceira pessoa utilizada se refere ao “nós” proveniente da autoridade. Tal uso implica a inclusão de todas as autoridades sob a liderança do rei. Invocar a Trindade não resolve nada, pois tal idéia é mais contraditória que o problema que tenta resolver.
    Resposta:

Existem vários deuses. Os anjos fiéis são chamados de “deuses” (Salmo 8:5) Satanás é chamado assim (2 Cor. 4:4) juízes são assim chamados (Salmo 82:6) o Ser Supremo é chamado de Deus e até mesmo seu filho, o primeiro de toda a criação que Deus criou, a saber, Jesus Cristo é chamado de “Deus” em João 1:1. Todos estes são deuses. Somente Jeová é o Deus dos deuses, o Ser Supremo. Para entender melhor este assunto do ponto de vista da Bíblia leia o artigo: O USO E SIGNIFICADO DA PALAVRA DEUS (em Hebraico ELOHIM) NAS ESCRITURAS SAGRADAS;
Deve-se primeiro notar que as palavras “no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um” (Al), encontradas em traduções mais antigas em 1 João 5:7, na realidade são acréscimos espúrios ao texto original. Uma nota de rodapé em A Bíblia de Jerusalém, uma tradução católica, diz que este acréscimo está “ausente dos antigos mss [manuscritos] gregos, das antigas versões e dos melhores mss da Vulg. [Vulgata]”. A Textual Commentary on the Greek New Testament (Comentário Textual Sobre o Novo Testamento Grego), de Bruce Metzger (1975, pp. 716-718), delineia em pormenores a história dessa passagem espúria. Declara que a passagem é primeiro encontrada num tratado intitulado Liber Apologeticus, do quarto século, e que ela aparece em manuscritos do latim antigo e na Vulgata das Escrituras, a partir do sexto século. As traduções modernas, como um todo, tanto católicas como protestantes, não incluem essas palavras no corpo principal do texto, por reconhecerem sua natureza espúria. — IBB, MC, PIB.

Quanto as passagens onde pessoas afirmaram “ver Deus” são visões e não contatos diretos. Muitas dessas visões eram enquanto a pessoa estava sob a influência do espírito santo de Deus ou em sonhos. Não eram contatos diretos com o Criador dos milhões de sóis. Por exemplo, diria que uma pessoa que vê coisas por estar hipnotizada ou com alucinações vira coisas tangíveis? Claro que não. De modo similar e falando no bom sentido, Deus fez pessoas terem visões NO PASSADO a respeito de seus propósitos. Portanto, não há contradições. Observe Ezequiel 1:1 onde o profeta admite que foram “visões de Deus” e não realidades tangíveis do domínio físico.

Todos Somos Pecadores?

  • Romanos 3:23 “Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus.”
  • Romanos 3:10 “Como está escrito: Não há justo, nem sequer um.”
  • Salmos 14:3 “…Não há quem faça o bem, não há nenhum sequer.”
    vs.
  • Jó 1:1 “Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; homem integro e reto, temente a Deus.”
  • Gênesis 7:1 “Disse o SENHOR a Noé: Entra na arca, tu e toda a tua casa, porque reconheço que tens sido justo diante de mim no meio desta geração.”
  • Lucas 1:6 “Ambos eram justos diante de Deus, vivendo irrepreensivelmente em todos os preceitos e mandamentos do SENHOR.”

Resposta: Justo é o mesmo que direito ou reto e é bem diferente de “perfeito” ou “sem pecado”. (Veja o que é pecado na Obra Estudo Perspicaz das Escrituras) 

Qual a Idade de Acazias?

  • II Reis 8:26 “Acazias tinha vinte e dois anos quando começou a reinar.”
    vs.
  • II Crônicas 22:2 “Tinha quarenta e dois anos quando começou a reinar [Acazias].”

RespostaUm erro de copista segundo alguns eruditos. Este pode ser sanado ao observarmos o relato, de forma que concluímos que o certo é dizer “vinte e dois anos”. 

Devemos Fazer Juramento?

  • Números 30:2 “Quando um homem fizer voto ao SENHOR, ou juramento… não violará a sua palavra; segundo tudo que prometeu fará.”
  • Gênesis 21:22-24,31 “Agora, pois, jura-me aqui por Deus que não me mentiras…Respondeu Abraão: Juro…Por isso se chamou aquele lugar Berseba, porque ali juraram eles ambos.”
  • Hebreus 6:13-17 “Pois quando Deus fez a promessa a Abraão, visto que não tinha ninguém superior por quem jurar, jurou por si mesmo…Pois os homens juram pelo que lhes é superior, e o juramento, servindo de garantia, para eles, é o fim toda contenda. Por isso quando Deus quis mostrar mais firmemente aos herdeiros da promessa a imutabilidade do seu propósito, se interpôs com juramento.”
    Veja também Gênesis 22:15-19, Gênesis 31:53, e Juizes 11:30-39.
    vs.
  • Mateus 5:34-37 “Eu porém vos digo: De modo algum jureis: Nem pelo céu, por ser o trono de Deus…nem pela terra…nem jures pela tua cabeça…Seja porém a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que disto passar vem do maligno.”
  • Tiago 5:12 “…não jureis nem pelo céu, nem pela terra, nem por qualquer outro voto; antes seja o vosso sim, sim, e o vosso não, não, para não cairdes em juízo.”

Resposta: Após a vinda de Cristo, ele passou a dar novas instruções e leis. Abraão viveu 2000 anos antes de Cristo e é razoável concluir que as leis que este seguia não era a lei de Cristo, que sequer havia se manifestado ao mundo. A Obra estudo Perspicaz das Escrituras falando sobre juramento, diz:

“Jesus Cristo, no seu Sermão do Monte, corrigiu os judeus na prática deles de fazer juramentos levianos, vagos e indiscriminados. Passara a ser costume entre eles jurar pelo céu, pela terra, por Jerusalém e até mesmo pela sua própria cabeça. Mas, visto que o céu é o “trono de Deus”, a terra é seu “escabelo”, Jerusalém era sua cidade régia e a cabeça (ou vida) da pessoa dependia de Deus, fazer tal juramento era o mesmo que jurar em nome de Deus. Não era algo a ser tratado levianamente. De modo que Jesus disse: “Deixai simplesmente que a vossa palavra Sim signifique Sim, e o vosso Não, Não; pois tudo o que for além disso é do iníquo.” — Mt 5:33-37.

Jesus Cristo não proibia com isso todos os juramentos, porque ele mesmo estava sob a Lei de Moisés,[cerca de 640 mandamentos] que exigia juramentos sob certas circunstâncias. Na realidade, quando o próprio Jesus foi julgado, ele foi posto sob juramento pelo sumo sacerdote, todavia não objetou a isso, mas deu uma resposta. (Mt 26:63, 64) Antes, Jesus estava mostrando que a pessoa não deve ter duas normas. Cumprir a palavra empenhada deve ser encarado como dever sagrado e ela deve ser cumprida, assim como se fosse um juramento; a pessoa deve ser sincera naquilo que diz. Ele lançou mais luz sobre o sentido das suas palavras quando expôs a hipocrisia dos escribas e dos fariseus, por dizer-lhes: “Ai de vós, guias cegos, que dizeis: ‘Se alguém jurar pelo templo, isto não é nada; mas, se alguém jurar pelo ouro do templo, ele está sob obrigação.’ Tolos e cegos! O que, de fato, é maior, o ouro ou o templo que santifica o ouro?” Prosseguiu, dizendo: “Quem jurar pelo céu, está jurando pelo trono de Deus e por aquele que está sentado nele.” — Mt 23:16-22.
Estes escribas e fariseus, pelo seu raciocínio falso e seu casuísmo minucioso, conforme ali salientado por Jesus, justificavam não cumprirem eles certos juramentos, mas Jesus mostrou que tais juramentos da parte deles eram desonestos para com Deus e realmente vituperavam o nome dele (porque os judeus eram um povo dedicado a Jeová). Jeová declara explicitamente que ele odeia o juramento falso. — Za 8:17″.

Quando Jesus Foi Crucificado?

  • Marcos 15:25 “Era a hora terceira quando o crucificaram.”
    vs.
  • João 19:14-15 “E era a[sexta feira] pascal, cerca da sexta hora; e disse aos judeus: Eis aqui vosso rei. Eles porém clamaram…crucificai-o.”
    Uma defesa ad hoc para esta contradição é que havia dois métodos de contar o tempo. Nunca se mostrou que este seria o caso aqui.

Resposta: Marcos usou a contagem de tempo do ponto de vista  judaico ao passo que João o ponto de vista Romano de contagem do tempo. Os Romanos contavam o tempo da meia noite até o meio dia. Os judeus contavam a partir do nascer do sol as 6 horas da manhâ. Portanto é claro que pode ser verificado a diferença de contagem de tempo entre estes dois povos.

 
Devemos Obedecer a Lei?

  • I Pedro 2:13 “Sujeitai-vos a toda autoridade humana . . . quer ao rei, como soberano, quer aos governadores.”
  • Mateus 22:21 “Dai, pois, a César o que é de César.”
    Veja também Romanos 13:1,7 e Tito 3:1.
    vs.
  • Atos 5:29 “Importa antes obedecer a Deus que aos homens.”
    Resposta:
    Nós devemos sim, obedecer a autoridades humanas. A questão é que às vezes essas autoridades criam leis e ditam ordens que entram em conflito com as de Deus. Nesse caso a lei que prevalece é a de Deus, conforme diz: “antes… que aos homens”
    Por exemplo, pagar imposto não e errado aos olhos de Deus, conforme o próprio Jesus mencionou em Mateus 22:21.
    Mas adorar a bandeira e uma lei que não deve ser seguida, pois entra em conflito com as leis de Deus sobre a idolatria. (1 João 5:21)

Quantos Animais Haviam na Arca?

  • Gênesis 6:19 “De tudo o que vive, de toda carne, dois e cada espécie, macho e fêmea, farás entrar na arca.”
  • Gênesis 7:8-9 “Dos animais limpos, e dos animais imundos, e das aves, e de todo réptil sobre a terra, entraram para Noé, na arca, de dois em dois, macho e fêmea, como Deus lhe ordenara.”
  • Gênesis 7:15 “De toda a carne, em que havia fôlego de vida, entraram de dois em dois para Noé na arca.”
    vs.
  • Gênesis 7:2 “De todo animal limpo levarás contigo sete pares: o macho e sua fêmea; mas dos animais imundos, um par: o macho e sua fêmea.”

RESPOSTA:
As “espécies” de animais selecionados se referiam às fronteiras ou aos limites inalteráveis e nítidos fixados pelo Criador, dentro dos quais as criaturas são capazes de se reproduzir “segundo as suas espécies”. Alguns calcularam que as centenas de milhares de espécies de animais atuais poderiam ser reduzidas a comparativamente poucas “espécies” de famílias — a espécie eqüina e a espécie bovina, para se mencionar apenas duas. Os limites de reprodução segundo a “espécie”, estabelecidos por Jeová, não foram e não podiam ser ultrapassados. Tendo isto presente, alguns pesquisadores têm dito que, se tivesse havido apenas 43 “espécies” de mamíferos, 74 “espécies” de aves e 10 “espécies” de répteis na arca, elas poderiam ter produzido a variedade de espécies conhecidas atualmente. Outros foram mais liberais em calcular que 72 “espécies” de quadrúpedes e menos de 200 “espécies” de aves eram tudo o que se requeria. Que a grande variedade de vida animal hoje conhecida poderia ter resultado de cruzamentos dentro de tão poucas “espécies” após o Dilúvio é provado pela infinita variedade da espécie humana — pessoas baixas, altas, gordas, magras, com incontáveis variações da cor dos cabelos, dos olhos e da pele — todas as quais surgiram da única família de Noé.

Esses cálculos talvez pareçam a alguns muito restritivos, especialmente visto que fontes tais como The Encyclopedia Americana (A Enciclopédia Americana) indicam que há mais de 1.300.000 espécies de animais. (1977, Vol. 1, pp. 859-873) Todavia, mais de 60 por cento delas são insetos. Reduzindo estes algarismos ainda mais, dos 24.000 anfíbios, répteis, aves e mamíferos, 10.000 são aves, 9.000 são répteis e anfíbios, muitos dos quais podem ter sobrevivido fora da arca, e apenas 5.000 são mamíferos, inclusive baleias e toninhas, que também teriam permanecido fora da arca. Outros pesquisadores calculam que há apenas cerca de 290 espécies de mamíferos terrestres maiores do que ovelhas e cerca de 1.360 menores do que ratos. (The Deluge Story in Stone [A História do Dilúvio Gravada em Pedra], de B. C. Nelson, 1949, p. 156; The Flood in the Light of the Bible, Geology, and Archaeology [O Dilúvio à Luz da Bíblia, da Geologia e da Arqueologia], de A. M. Rehwinkel, 1957, p. 69) Assim, mesmo se as estimativas se basearem nesses algarismos ampliados, ainda assim a arca poderia facilmente ter alojado um casal de todos esses animais.

O Homem e a Mulher Foram Criados Iguais?

* Gênesis 1:27 “Criou Deus pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.”
vs.
* Gênesis 2:18,23 “Disse mais o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só: farlhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea…E disse o homem: Esta, afinal é osso dos meus ossos e carne da minha carne; chamar-se-á varoa, porquanto do varão foi tomada.”

Resposta: Veja uma explanação nesta obra bastante respeitada e citada até mesmo por eruditos seculares. TÓPICO MULHER

As Árvores Foram Criadas Antes dos Humanos?

* Gênesis 1:12-31 “A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente segundo a sua espécie, e árvores que davam fruto cuja semente estava nele, conforme a sua espécie…Houve tarde e manhã, o terceiro dia…Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem…Houve tarde e manhã, o sexto dia.”
Vs
* Gênesis 2:5-9 “Não havia nenhuma planta do campo na terra, pois nenhuma planta do campo havia brotado; porque o SENHOR Deus não fizera chover sobre a terra, e também não havia homem para lavrar o solo. Então formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra…E plantou o SENHOR Deus um jardim no Éden, da banda do Oriente, e pôs nele o homem que havia formado. Do solo fez o SENHOR Deus brotar toda sorte de árvores agradável à vista e boa para alimento.”
Resposta:
Em Gênesis 1:24-26, a Bíblia indica que os animais foram criados antes do homem. Mas, Gênesis 2:7, 19, 20, parece dizer que o homem foi criado antes dos animais. Por que esta discrepância? Porque os dois relatos da criação consideram-na de dois pontos de vista diferentes. O primeiro descreve a criação dos céus e da terra, e de tudo o que há neles. (Gênesis 1:1-2:4) O segundo concentra-se na criação da raça humana e na sua queda no pecado. — Gênesis 2:5-4:26.
O primeiro relato é composto cronologicamente, dividido em seis “dias” consecutivos. O segundo se acha escrito em ordem da importância dos assuntos. Depois de um curto prólogo, passa diretamente, de forma lógica, para a criação de Adão, visto que ele e sua família são o assunto daquilo que segue. (Gênesis 2:7) Outras informações são então acrescentadas conforme necessárias. Ficamos sabendo que Adão, depois da sua criação, devia viver num jardim no Éden. De modo que se menciona então o estabelecimento do jardim do Éden. (Gênesis 2:8, 9, 15) Jeová mandou que Adão desse nome a “todo animal selvático do campo e toda criatura voadora dos céus”. Era então tempo de mencionar que “Jeová Deus estava formando do solo” todas essas criaturas, embora a criação delas começasse muito antes de Adão aparecer no cenário. — Gênesis 2:19; 1:20, 24, 26.

Mical Teve Filhos?

  • II Samuel 6:23 “E Mical, filha de Saul não teve filhos, até o dia de sua morte.”
    vs.
  • II Samuel 21:8 “Mas o rei tomou os dois filhos de Rizpa . . . e os cinco filhos de Mical filha de Saul.”10
    Resposta:
    O aparente conflito entre 2 Samuel 21:8 e 2 Samuel 6:23, que mostra que Mical morreu sem filhos, pode ser resolvido pelo conceito adotado por alguns comentadores, a saber, de que estes filhos eram os cinco filhos de Merabe, irmã de Mical, e que Mical os criou depois da morte prematura da mãe deles.
    A irmã de Mical, Merabe, era esposa de Adriel e lhe deu os cinco filhos em questão. Mas, Merabe faleceu cedo, e sua irmã, Mical, rejeitada por Davi e sem filhos, passou a criar, ou a educar, os cinco meninos. De modo que são mencionados como filhos de Mical, em vez de filhos de Merabe. Em harmonia com este conceito sobre 2 Samuel 21:8, a tradução bíblica de Isaac Leeser fala dos “cinco filhos de Mical, a filha de Saul, os quais ela criou para Adriel”, e uma nota de rodapé sobre isso diz: “Uma vez que Mical era esposa de Davi; mas os filhos eram de Merabe, a filha mais velha de Saul, os quais foram provavelmente educados pela irmã dela.” Os targuns rezam: “Os cinco filhos de Merabe (que Mical, filha de Saul, criou), que ela dera à luz.” Outros fatores, não revelados nas Escrituras, talvez influenciassem o modo em que o texto foi redigido.

Quantos Cavalos Tinha Salomão?

  • I Reis 4:26 “Tinha Salomão quarenta mil cavalos em estrebarias para os seus carros.”
    vs.
  • II Crônicas 9:25 “Tinha Salomão quatro mil cavalos em estrebarias para os seus carros.”

Resposta:

Um erro de escriba devido a similaridade entre as letras hebraicas 4 e 40. 

Os Homens de Saulo Ouviram Uma Voz?

  • Atos 9:7 “Os seus companheiros de viagem pararam emudecidos, ouvindo a voz, não vendo contudo, ninguém.”
    vs.
  • Atos 22:9 “Os que estavam comigo viram a luz, sem contudo perceber o sentido da voz de quem falava comigo.”11
    (Para mais detalhes sobre esta contradição, com uma análise de lingüística das palavras gregas, veja “Did Paul’s Men Hear A Voice?”? por Dan Barker, publicado no The Skeptical Review 1994#1, o texto é em inglês.)
    Resposta:
    Depois da ressurreição e ascensão de Cristo, ele apareceu a Saulo de Tarso (mais tarde o apóstolo Paulo), falando-lhe numa voz que Saulo entendeu, mas que os homens que o acompanhavam não entenderam. (At 9:1-9; 22:6-11; 26:12-18) Em Atos 9:7, o relato declara que os homens junto de Saulo ouviram uma “voz [“som”, Da n; Ro n]”. Aqui se emprega a palavra grega fo•nés, o genitivo de fo•né, com o sentido de ‘ouvir da voz’. Isto permite o significado de que os homens ouviram apenas o som da voz, mas não a compreenderam. Quando Paulo, mais tarde, relatou tal experiência, ele disse que os homens “não ouviram a voz daquele que falava”. (At 22:9) Neste relato, emprega-se o acusativo (objetivo) fo•nén. Isto pode dar o sentido de que, ao passo que o som era registrado nos ouvidos deles, eles não ouviram a voz em forma de palavras distintas que eles compreendessem, como entendeu Saulo, a quem Cristo estava falando.

Deus é Onipotente?

  • Jeremias 32:27 “Eis que eu sou o SENHOR, o Deus de todos os viventes; acaso haveria cousa demasiadamente maravilhosa para mim?”
  • Mateus 19:26 “Jesus, fitando neles o olhar, disse-lhes: Isto é impossível aos homens, mas para Deus tudo é possível.”
    vs.
  • Juizes 1:19 “Esteve o SENHOR com Judá, e este despovoou as montanhas; porém não expulsou os moradores do vale, porquanto tinham carros de ferro.”
    Resposta:
    Esse incapacidade de tomar a região sul de Canaã, protegida por carros de guerra, não era da parte de Deus, mas sim da Tribo de Judá.
    Deus já havia dito a eles em Deuteronomio 20:1 :“Caso fores à batalha contra os teus inimigos e realmente vires cavalos e carros de guerra, um povo mais numeroso do que tu, não deves ter medo deles, pois contigo está Jeová, teu Deus, que te fez sair da terra do Egito.”
    Pelo visto, esses carros com foices amedrontaram a tribo de Judá. Depois, as tribos de Benjamim, Manassés, Efraim, Zebulão, Aser, Naftali e Dã também deixaram de expulsar os habitantes cananeus de numerosas cidades e aldeias dependentes. Em vez disso, consentiram em morar entre os cananeus, sujeitando alguns deles a “trabalho forçado”. — Juí. 1:21-36.

Prova de que era incapacidade da parte da tribo de Judá se encontra num relato em Josué, onde eles se encontravam em uma situação bem pior, mas não se deixaram amedrontar diante do numeroso exército e dos muitos carros de guerra:
Josué 11:1-9: E sucedeu que, assim que Jabim, rei de Hazor, ouviu isso, foi enviar [mensageiros] a Jobabe, rei de Madom, e ao rei de Sinrom, e ao rei de Acsafe, 2 e aos reis que estavam ao norte, na região montanhosa e nas planícies desérticas ao sul de Quinerete, e na Sefelá, e nos serros de Dor, ao oeste, 3 os cananeus ao leste e ao oeste, e os amorreus e os hititas, e os perizeus, e os jebuseus na região montanhosa, e os heveus ao sopé do Hermom, na terra de Mispá. 4 Portanto, eles saíram, e com eles todos os seus acampamentos, um povo tão numeroso em multidão como os grãos de areia que há à beira do mar, e muitíssimos cavalos e carros de guerra. 5 Todos estes reis se encontraram então por combinação, e vieram e se acamparam juntos perto das águas de Merom para lutar contra Israel.
6 Por isso Jeová disse a Josué: “Não tenhas medo por causa deles, pois amanhã, por esta hora, entregarei a todos eles como mortos a Israel. Jarretarás os seus cavalos e queimarás no fogo os seus carros.” 7 E Josué e toda a gente de guerra com ele passou a vir de surpresa contra eles junto às águas de Merom e a lançar-se sobre eles. 8 Jeová os entregou então na mão de Israel, e foram golpeá-los e persegui-los até à populosa Sídon e Misrefote-Maim, e o vale plano de Mispé ao leste; e continuaram a golpeá-los até que não lhes deixaram restar sobrevivente. 9 Depois lhes fez Josué assim como Jeová lhe dissera: jarretou seus cavalos e queimou seus carros no fogo.
Assim, o problema estava na falta de confiança e na falta de fé dos Judeus (Tribo de Judá), gerando assim o medo desses carros de guerra.

Deus Vive na Luz?

  • I Timóteo 6:15-16 “…O Rei dos reis e o Senhor dos senhores; o único que possui imortalidade, que habita em luz inacessível, a quem homem nenhum jamais viu.”
  • Tiago 1:17 “Toda boa dádiva e todo dom perfeito é lá do alto, descende do pai das luzes…”
  • João 12:35 “Disse-lhes então Jesus: . . . pois quem anda nas trevas não sabe para onde vai.”
  • Jó 18:18 “Da luz o lançarão nas trevas [os ímpios], e o afugentarão do mundo.”
  • Daniel 2:22 “Ele [Deus] revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz.” Veja também Salmos 143:3, II Corintios 6:14, e Hebreus 12:18-22.
    vs.
  • I Reis 8:12 “Então disse Salomão: O SENHOR declarou que habita em trevas espessas.” (Repetido em II Crônicas 6:1)
  • II Samuel 22:12 “Por pavilhão pôs, ao redor de si, trevas, ajuntamento de águas, nuvens dos céus.”
  • Salmos 18:11 “Das trevas fez um manto em que se ocultou; escuridade de águas e espessas nuvens dos céus eram o seu pavilhão.”
  • Salmos 97:1-2 “Reina o SENHOR, Regozije-se a terra…nuvens e escuridão o rodeiam.”
    Resposta:
    * I Reis 8:12:
    O Rei Salomão fez esta declaração depois de os sacerdotes terem depositado a Arca sagrada no Santíssimo do templo e quando, em seguida, a nuvem encheu o santuário. (1 Reis 8:6-11) Esta nuvem relembrou a Salomão a maneira em que Jeová Deus havia anteriormente revelado a sua presença. Por exemplo, foi dito a Moisés: “Eis que chego a ti numa nuvem escura.” (Êxo. 19:9) Ao se referir a isto numa outra ocasião, Moisés disse: “Havia escuridão, nuvem e densas trevas.” (Deu. 4:11) Pelo fato de que o próprio Altíssimo associou sua presença com uma nuvem, Salomão podia corretamente dizer que ‘Jeová ia residir em densas trevas’.

Deus Aceita Sacrifício Humano?

  • Deuteronômio 12:31 “Não farás assim ao SENHOR teu Deus, porque tudo o que é abominável ao SENHOR, e que ele odeia, fizeram eles a seus deuses: pois até a seus filhos e suas filhas queimaram com fogo aos seus deuses.”
    vs.
  • Gênesis 22:2 “Acrescentou Deus: Toma teu filho, teu único filho, Isaque a quem amas, e vai-te à terra de Moriá; oferece-o ali em holocausto, sobre um dos montes, que eu te mostrarei.”
  • Êxodo 22:29 “Não tardarás em trazer ofertas do melhor das tuas ceifas e das tuas vinhas; o primogênito de teus filhos me darás.”
  • Juizes 11:30-39 “Fez Jefté um voto ao SENHOR, e disse: Se, com efeito, me entregares os filhos de Amom nas minhas mãos, quem primeiro na porta de minha casa me sair ao encontro, voltando eu vitorioso dos filhos de Amom, esse será do SENHOR, e eu o oferecerei em holocausto. Assim Jefté foi de encontro aos filhos de Amon…e o SENHOR os entregou nas mãos de Jefté…vindo, pois, Jefté a Mispa, a sua casa, saiu-lhe a filha ao seu encontro, com adufes e com danças…ao fim de dois meses, tornou ela para seu pai, o qual lhe fez segundo o voto por ele proferido; assim ela jamais foi possuída por varão.”
  • II Samuel 21:8-14 “Porém tomou o rei [Davi] os dois filhos de Rispa…também os cinco filhos de Merabe12…e os entregou nas mãos dos gibeonitas, os quais os enforcaram no monte perante o SENHOR; caíram os sete juntamente. Foram mortos nos dias da ceifa…depois disto Deus se tornou favorável para com a terra.”
  • Hebreus 10:10-12 “…temos sido santificados, mediante a oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez por todas… Jesus, porém, tendo oferecido para sempre, um único sacrifico pelos pecados, assentou-se à destra de Deus.”13
  • I Corinthians 5:7 ” . . . Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado.”
    Resposta:
    Pensava Jefté num sacrifício humano, quando votou apresentar como oferta queimada o primeiro que saísse da sua casa?
    Alguns críticos e peritos condenam Jefté por seu voto, nutrindo o conceito de que Jefté seguiu o costume das outras nações, oferecendo sua filha no fogo, como um holocausto humano. Mas não se tratava disso. Teria sido um insulto para Jeová, uma coisa repugnante, em violação da Sua lei, oferecer um literal sacrifício humano. Ele ordenara estritamente a Israel: “Não deves aprender a fazer conforme as coisas detestáveis dessas nações. Não se deve achar em ti alguém que faça seu filho ou sua filha passar pelo fogo . . . Pois, todo aquele que faz tais coisas é algo detestável para Jeová, e é por causa destas coisas detestáveis que Jeová, teu Deus, as expulsa de diante de ti.” (De 18:9-12) Jeová amaldiçoaria, e não abençoaria, uma pessoa assim. Os próprios que Jefté combatia, os amonitas, ofereciam sacrifícios humanos a seu deus, Moloque. — Veja 2Rs 17:17; 21:6; 23:10; Je 7:31, 32; 19:5, 6.
    Quando Jefté disse: “Terá de dar-se que aquele que sair, quem sair da porta da minha casa ao meu encontro . . . terá de tornar-se então de Jeová”, ele se referia a uma pessoa, e não a um animal, visto que não era provável que os animais apropriados para sacrifício fossem mantidos dentro das casas dos israelitas, para ali ficar à vontade. Ademais, a oferta de um animal não mostraria devoção extraordinária a Deus. Jefté bem sabia que poderia ser sua filha quem sairia ao seu encontro. Deve-se ter presente que o espírito de Jeová estava sobre Jefté naquela ocasião; isto impediria qualquer voto precipitado da parte de Jefté. Como, então, ‘tornar-se-ia de Jeová’ a pessoa que saísse ao encontro de Jefté para congratulá-lo por sua vitória, e seria oferecida como “oferta queimada”? — Jz 11:31.
    Era possível devotar pessoas ao serviço exclusivo de Jeová relacionado com o santuário. Era um direito que os pais podiam exercer. Samuel foi uma de tais pessoas, prometido ao serviço no tabernáculo por um voto de Ana, sua mãe, antes de ele nascer. Este voto foi aprovado pelo marido dela, Elcana. Logo que Samuel foi desmamado, Ana o ofereceu no santuário. Junto com ele, Ana trouxe um sacrifício animal. (1Sa 1:11, 22-28; 2:11) Sansão foi outro filho especialmente devotado ao serviço de Deus como nazireu. — Jz 13:2-5, 11-14; compare isso com a autoridade do pai sobre a filha, conforme esboçada em Núm 30:3-5, 16.
    Assim, quando Jefté levou sua filha ao santuário, que naquela época se achava em Silo, sem dúvida, acompanhou esta apresentação dela com a oferta queimada dum animal. Segundo a Lei, uma oferta queimada era morta, esfolada e cortada em pedaços; os intestinos e as pernas eram lavados; e o corpo, com cabeça e tudo, era queimado sobre o altar. (Le 1:3-9) A inteireza de tal oferta representava a dedicação plena, sem reservas, de todo coração, a Jeová, e, quando acompanhada por outra oferta (como, por exemplo, quando a oferta pelo pecado, no Dia da Expiação, era seguida pela oferta queimada), isto constituía um apelo a Jeová para que aceitasse aquela primeira oferta. — Le 16:3, 5, 6, 11, 15, 24.
    Era um verdadeiro sacrifício da parte tanto de Jefté como da sua filha, pois ele não possuía outros filhos. (Jz 11:34) Assim, não haveria descendente para perpetuar seu nome e sua herança em Israel. A filha de Jefté era sua única esperança neste sentido. Ela chorou, não porque tivesse de morrer, mas pela sua “virgindade”, pois todo homem e toda mulher israelita desejava ter filhos e manter vivos o nome e a herança da família. (Jz 11:37, 38) A esterilidade era uma calamidade. Mas a filha de Jefté “nunca teve relações sexuais com qualquer homem”. Se estas palavras se aplicassem apenas à época anterior ao cumprimento do voto, teriam sido supérfluas, pois se diz especificamente que ela era virgem. Que a declaração se refere ao cumprimento do voto é indicado por vir depois da expressão: “Ele cumpriu seu voto que fizera referente a ela.” Na realidade, o registro indica que também depois de o voto ser cumprido, ela manteve sua virgindade. — Jz 11:39; veja as traduções de Al; ALA; BV; NM.
    Ademais, a filha de Jefté recebia visitas “de ano em ano” de suas companheiras, para ‘elogiá-la’. (Jz 11:40) A palavra hebraica, ta•náh, usada aqui, ocorre também em Juízes 5:11, e naquele texto ela é traduzida, de forma variável, “narrar” (NM), “contar” (BV; Fi; So), “celebrar” (BJ; CBC; PIB), “repetir” (RS). O Hebrew and Chaldee Lexicon (Léxico Hebraico e Caldeu; editado por B. Davies, 1957, p. 693) define essa palavra como “repetir, recitar”. Em Juízes 11:40, a King James Version (Versão Rei Jaime) verte o termo como “lamentar”, mas a leitura marginal reza “falar com”. Ao passo que a filha de Jefté servia no santuário, sem dúvida como outros netineus (“os dados”, devotados ao serviço do santuário), havia muita coisa que ela podia fazer. Tais pessoas serviam em ajuntar lenha, em tirar água, em consertos, e, sem dúvida, em muitas outras tarefas, como ajudantes dos sacerdotes e dos levitas ali. — Jos 9:21, 23, 27; Esd 7:24; 8:20; Ne 3:26.

Quem Foi o Pai de José?

  • Mateus 1:16 “E Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu Jesus.”
    vs.
  • Lucas 3:23 “Ora tinha Jesus cerca de trinta anos ao começar o seu ministério. Era, como se cuidava, filho de José, filho de Heli.”14
    Resposta:
    Por que diferem as genealogias de Jesus Cristo conforme apresentadas por Mateus e por Lucas?
    A diferença entre quase todos os nomes na genealogia de Jesus registrada por Lucas em comparação com a apresentada por Mateus é prontamente resolvida pelo fato de que Lucas traçou a linhagem de Jesus através de Natã, filho de Davi, em vez de através de Salomão, conforme fez Mateus. (Lu 3:31; Mt 1:6, 7) Lucas, evidentemente, segue os antepassados de Maria, mostrando assim ter sido Jesus descendente natural de Davi, ao passo que Mateus mostra o direito legal de Jesus ao trono de Davi, por ele descender de Salomão através de José, que era legalmente o pai de Jesus. Tanto Mateus como Lucas indicam que José não era o pai verdadeiro de Jesus, mas apenas seu pai adotivo, que lhe concedeu o direito legal. Mateus se afasta do estilo usado em toda a sua genealogia quando chega a Jesus, dizendo: “Jacó tornou-se pai de José, marido de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado Cristo.” (Mt 1:16) Note que ele não diz que ‘José tornou-se pai de Jesus’, mas que ele era “marido de Maria, da qual nasceu Jesus”. Lucas é ainda mais incisivo quando, depois de primeiro mostrar que Jesus na realidade era o Filho de Deus por intermédio de Maria (Lu 1:32-35), ele diz: “Jesus . . . sendo, como era a opinião, filho de José, filho de Eli.” — Lu 3:23.
    Visto que Jesus não era filho do próprio José, mas era o Filho de Deus, a genealogia de Jesus, por Lucas, provaria que ele era, por nascimento humano, filho de Davi, por meio da sua mãe, Maria. Sobre as genealogias de Jesus, apresentadas por Mateus e por Lucas, Frederic Louis Godet escreveu: “Este estudo detalhado do texto nos leva assim a admitir — 1. Que o registro genealógico de Lucas é o de Eli, avô de Jesus; 2. Que, visto esta filiação de Jesus com Eli ser expressamente oposta à Sua filiação com José, o documento que ele preservou para nós, no conceito dele, não pode ser nada mais do que a genealogia de Jesus através de Maria. Mas, por que não menciona Lucas a Maria, e por que passa logo de Jesus para o Seu avô? Sentimentos antigos não condiziam com a menção da mãe como elo genealógico. Entre os gregos, o homem era filho do seu pai, não da sua mãe; e entre os judeus, o adágio era: ‘Genus matris non vocatur genus [“O descendente da mãe não é chamado descendente (dela)”]’ (‘Baba bathra’, 110, a).” — Commentary on Luke (Comentário Sobre Lucas), 1981, p. 129.
    Na realidade, cada genealogia (a tabela de Mateus e a de Lucas) mostra sua descendência de Davi, através de Salomão e através de Natã. (Mt 1:6; Lu 3:31) Ao examinarmos as listas de Mateus e de Lucas, verificamos que, depois de divergirem em Salomão e Natã, elas incidem outra vez em duas pessoas, Sealtiel e Zorobabel. Isto pode ser explicado da seguinte forma: Sealtiel era filho de Jeconias; talvez por casamento com a filha de Néri, ele se tornou genro de Néri, sendo assim chamado “filho de Néri”. É também possível que Néri não tivesse filhos, de modo que Sealtiel foi contado como seu “filho” também por este motivo. Zorobabel, que provavelmente era mesmo filho de Pedaías, foi legalmente considerado como filho de Sealtiel, conforme já antes explicado. — Veja Mt 1:12; Lu 3:27; 1Cr 3:17-19.
    Daí, os relatos indicam que Zorobabel teve dois filhos, Resa e Abiúde, as linhagens separando-se de novo neste ponto. (Estes talvez não fossem realmente filhos, mas sim descendentes, ou, pelo menos um, talvez genro. Veja 1Cr 3:19.) (Lu 3:27; Mt 1:13) As genealogias de Jesus, tanto por Mateus como por Lucas, divergem aqui daquela encontrada em 1 Crônicas, capítulo 3. Isto talvez se deva a que diversos nomes foram propositalmente omitidos por Mateus e possivelmente também por Lucas. Mas, deve-se ter em mente o fato de que essas diferenças nas listas genealógicas de Mateus e de Lucas bem provavelmente são as já presentes nos registros genealógicos então em uso e plenamente aceitos pelos judeus, e não eram mudanças feitas por Mateus e por Lucas.
    Portanto, podemos concluir que as duas listas, de Mateus e de Lucas, conjugam as duas verdades, a saber: (1) que Jesus era realmente o Filho de Deus e o herdeiro natural do Reino pelo nascimento milagroso por meio da virgem Maria, da linhagem de Davi, e (2) que Jesus era também o herdeiro legal na linhagem masculina descendente de Davi e de Salomão, por meio do seu pai adotivo, José. (Lu 1:32, 35; Ro 1:1-4) Se houvesse alguma acusação por parte de judeus hostis, de que o nascimento de Jesus era ilegítimo, o fato de que José, apercebido das circunstâncias, casou-se com Maria e deu-lhe a proteção do seu bom nome e da sua linhagem real, refutaria tal calúnia.

Existem contradições na Bíblia? 

 

Será que a Bíblia está de acordo com a ciência?

Perguntas relacionadas

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • PH  On 24 de dezembro de 2013 at 21:14

    muito bom,não tem algo melhor do que estudar a Bíblia,aconselho a todos,estudem com humildade mental e aceitem verdades claras e apliquem na vida o que aprendem da palavra de Jeová Deus.

    Curtir

  • Jeosadá  On 25 de dezembro de 2013 at 10:16

    Esse post foi tão bem elaborado que não merece só PALMAS, mas o estado de TOCANTINS inteiro!!! (kkkk)

    Gostei Queruvim!

    Recentemente eu parei para dar uma lida na Superinteressante de Junho de 2012 e num artigo que falava da Bíblia eu me deparei com a seguinte declaração:

    LINK -> (http://super.abril.com.br/religiao/biblia-como-voce-nunca-leu-690375.shtml)

    “HOMOSSEXUALIDADE

    (…)

    Em outra passagem, Jonatã tira todas as roupas, entrega a Davi e se deita com ele. “E inclinou-se 3 vezes, e beijaram-se um ao outro” (Samuel I). “Esse relato incomoda os intérpretes tradicionais da Bíblia, que tentam explicar a relação como uma forte amizade, e o beijo como um costume comum entre homens”, diz o historiador finlandês Martii Nissinen, da Universidade de Helsinki e autor de Homoeroticism in the Biblical World (Homoerotismo no Mundo Bíblico). “Mas é difícil negar a referência à homossexualidade nesse caso, mesmo que a lei judaica a proíba expressamente.””

    Eles são muito desonestos.

    Misturam um monte de frases e forçam uma interpretação.
    Eu já notei que os editores da Super NUNCA procuram entender a Bíblia por si mesmos, mas ‘comem do prato’ de críticos.

    Misturaram:

    * 1 Samuel 18:4
    Além disso, Jonatã despiu-se da sua túnica sem mangas que usava e a deu a Davi, e também suas vestes, e até mesmo sua espada, e seu arco, e seu cinto.

    Com:

    * 1 Samuel 20:41

    “O ajudante foi. Quanto a Davi, levantou-se dum lugar próximo, ao sul. Lançou-se então com o seu rosto por terra e curvou-se três vezes; e começaram a beijar-se um ao outro e a chorar um pelo outro, até que Davi o tinha feito muito mais.”

    Eles também não levam em consideração o seguinte:
    Há o termo grego fi·lí·a, que denota afeição (sem conotação sexual) entre amigos, como entre dois homens ou duas mulheres. Bom exemplo disso é o amor entre Davi e Jonatã. Quando Jonatã foi morto em batalha, Davi pranteou-o, dizendo: “Estou aflito por ti, meu irmão Jonatã, tu me eras muito agradável. Teu amor a mim era mais maravilhoso do que o amor das mulheres.” (2 Samuel 1:26) Sabe-se também que Cristo tinha afeto especial pelo apóstolo João, conhecido como o discípulo “por quem Jesus tinha afeição”. — João 20:2.

    No fim das contas podemos perceber que isso é apenas o reflexo do espirito critico daqueles que não confiam na bíblia.

    Cada versículo é examinado a fim de encontrar algo errado, contraditório, infame, e por ai vai.

    Mas quando se estuda com diligencia, o que fazemos é encontras ‘tesouros escondidos’.

    OS CRÍTICOS VÊEM HOMOSSEXUALISMO.
    AQUELE QUE EXAMINA CUIDADOSAMENTE PERCEBE UM EXEMPLO DE VERDADEIRA AMIZADE. (Provérbios 17:17; 18:24)

    Provérbios 2:1-5:
    “Filho meu, se aceitares as minhas declarações e entesourares contigo os meus próprios mandamentos, de modo a prestares atenção à sabedoria, com o teu ouvido, para inclinares teu coração ao discernimento; se, além disso, clamares pela própria compreensão e emitires a tua voz pelo próprio discernimento, se persistires em procurar isso como a prata e continuares a buscar isso como a tesouros escondidos, neste caso entenderás o temor a Jeová e acharás o próprio conhecimento de Deus.”

    Att.: Jeosadá

    Curtir

  • Marcelo  On 26 de dezembro de 2013 at 6:43

    Ganhei esta revista, e quando li “O amor entre homens era punido com a morte – a não ser que você fosse o rei Davi” e os textos que “provam” sua homosexualidade parei de ler super interessante. Provaram que não são sérios. Que distorcem a verdade para vender revistas.

    É a mesmíssima tática usada por apóstatas. Colocar dúvida na mente das pessoas por disseminar mentiras deslavadas citando fatos fora de contexto.

    Curtir

  • Vinicius Monteiro  On 26 de dezembro de 2013 at 7:39

    Na verdade, acredito que tal ideia de que Davi e Jonatã eram mais do que amigos, serve não só para colocar a harmonia da Bíblia em xeque, mas, também para dizer que Deus não acha tão ruim assim o homossexualismo. Fazem isso somente com o intuito de desmoralizar a Bíblia.
    Mas, é como você disse, se a pessoa quiser saber a verdade e estudar, ela vê que tudo isso foi inventado.

    Curtir

  • Jeosadá  On 27 de dezembro de 2013 at 12:52

    Uma revista geralmente vai vender aquilo que o publico quer ler.
    A maneira como a SUPER lida com a Bíblia é a seguinte:

    CHOCAR. Para que todos falem da Super e ela ganhe atenção.

    INOVAR, INOVAR e INOVAR. Muitos sabem de alguma coisa que a bíblia diz, mas tem que estar sempre inovando pra chamar a atenção e ter ares de revista moderna.

    E talvez, daqui a uns 20 anos, é capaz de que ela diga: “Sempre se soube que Jonatã e Davi eram Gays. Mas segundo novas interpretações de historiadores eles apenas tinham uma forte amizade…”

    Esse tendencialismo jornalistico da Super é DECEPCIONANTE!!!

    Cadê que eles falam do Designe Inteligente de Michael Behe, que já é aceito por muitos cientistas?
    Cadê que eles falam de Alternativas as Transfusões de Sangue, já que isto é algo tão moderno?
    Cadê que eles falam da farsa do aquecimento global?

    TENDENCIALISMO JORNALISTICO.

    Lamentável…

    Curtir

  • Marcelo  On 28 de dezembro de 2013 at 15:09

    Hehehe
    Tava procurando um trocadilho pra super interessante mas não consegui achar algum bom. “Super decepcionante” foi ótimo.

    Jeosada, tem algum material que fala “sobre a farsa” do aquecimento global? Pra mim isto era verdade. Gostaria de analisar o o lado oposto.

    Na real que temos que ter cuidado com qualquer “verdade” que documentários nos ensinem. Alguém já viu o “documentário vencedor de prêmios” Zeighest, que fala de religião, 11 de setembro e iluminates?

    Pareceu muito verdadeiro pra mim, até tocar no assunto religião, onde não sou tão leigo assim.

    Também tem o religulous, que no que se refere ao ataque ao cristianismo usam os mesmos argumentos.

    Curtir

  • Marcelo  On 30 de dezembro de 2013 at 10:51

    Gosto de contrastar a união de nossas opiniões em assuntos bíblicos e nossa desunião em assuntos controversos não doutrinais (ou até não bíblicos*). Deixa evidente alguns pontos:

    1. Levamos em conta a opinião de cientistas

    2. Entendemos que não podemos confiar em tudo o que os cientistas dizem, e que eles mesmos se contradizem

    3. Usamos nossa faculdade de raciocínio

    4. Formamos nossa opinião com base em comparações/observações/lógica

    5. Confiamos na Bíblia como fonte “não errante” de informações porque 1, 2, 3 e 4.

    6. Somos unidos na mesma mentalidade em nossas conclusões sobre doutrinas bíblicas, porque 1, 2, 3, 4 e 5.

    E daí tem gente que fala que somos um bando de robozinhos ensinados pela doutrina do Corpo Governante.

    * podemos relacionar sim com textos bíblicos, como Rev. 4:18 mas não ser taxativos

    Curtir

  • Queruvim  On 30 de dezembro de 2013 at 14:28

    Vamos falar sobre o tema da página se possível, visto que vou deletar comments que não sejam relacionados com o tópico. Estou somente esperando alguns lerem o que outro postou.

    Curtir

  • PH  On 1 de janeiro de 2014 at 9:43

    jw.org apresenta 7 princípios para se aplicar ao ler textos que talvez parecam contraditórios,entre esses : considere o ponto de vista do escritor bíblico , e leve em consideração fatos históricos e costumes da época.
    Muito bom,para os que levam o estudo da Palavra de Deus a sério!

    Curtir

  • TNM(R)  On 22 de janeiro de 2014 at 20:46

    A ciência conforme a Bíblia.

    » Bíblia: A Terra é uma esfera (Isaías 40:22).
    » Ciência antiga: A Terra é plana.
    » Ciência moderna: A Terra é uma esfera.

    » Bíblia: O ar tem peso (Jó 28:25).
    » Ciência antiga: O ar não tem peso.
    » Ciência moderna: O ar tem peso.

    » Bíblia: Cada estrela é diferente (1 Coríntios 15:41)
    » Ciência antiga: Todas as estrelas são iguais
    » Ciência moderna: Cada estrela é diferente

    » Bíblia: A luz se move (Jó 38:19, 20)
    » Ciência antiga: A luz é fixa em um só lugar
    » Ciência moderna: A luz se move

    » Bíblia: Terra suspensa no espaço (Jó 26:7)
    » Ciência antiga: Terra é apoiada por animais de grande porte
    » Ciência moderna: Terra suspensa no espaço

    » Bíblia: O movimento circular dos ventos (Eclesiastes 1:6)
    » Ciência antiga: Os ventos sopram direitos (tradução meia boca do google)
    » Ciência moderna: O movimento circular dos ventos.

    » Bíblia: Oceano tem vales profundos e montanhas (2 Samuel 22:16 Jonas 2:6)
    » Ciência antiga: O fundo do oceano é plano.
    » Ciência moderna: O oceano contém vales profundos e montanhas.

    » Bíblia: O sangue é a fonte da vida e da saúde (Levítico 17:11)
    » Ciência antiga: Os pacientes deveiam ser sangrados.
    » Ciência moderna: O sangue é a fonte da vida e da saúde

    » Bíblia: A criação contém elementos invisíveis (Hebreus 11:3)
    » Ciência antiga: A ciência não sabia sobre esse assunto.
    » Ciência moderna: A criação contém elementos invisíveis

    » Bíblia: O oceano contém fontes (Jó 38:16)
    » Ciência antiga: Oceano alimentado por rios e chuvas.
    » Ciência moderna: O oceano contém fontes.

    Curtir

  • foxhound  On 22 de janeiro de 2014 at 22:03

    gostei de observar a superioridade da ciência infalivel bíblica com relação a ciência dos tempos.

    Curtir

  • Anônimo  On 1 de fevereiro de 2014 at 16:35

    Olá, Queruvim. Gostei do seu post, muito bem respondido. Só gostaria de ver se vc consegue me explicar mais essa aparente contradição:

    “Foi para a tribo dos filhos de Dã, segundo as suas famílias, que saiu a sétima sorte. E a fronteira da sua herança veio a ser Zorá, e Estaol, e Ir-Semes, e Saalabim, e Aijalom, e Itla, e Elom, e Timná, e Ecrom (…)” – Josué 19:40-43

    vs.

    “Naqueles dias não havia rei em Israel. E naqueles dias, a tribo dos danitas procurava para si uma herança para nela morar; pois, até aquele dia não lhes havia caído nenhuma herança no meio das tribos de Israel.” – Juízes 18:1

    Quer dizer, o livro de Josué nos diz que a tribo de Dã recebeu uma herança, enquanto que o livro de Juízes nos diz que não (sendo que os acontecimentos no livro de Josué aconteceram bem antes dos do livro de Juízes, haja bem visto que Josué já havia morrido). Sei que deve haver uma explicação lógica pra isso, mas ainda não consegui encontrar. Talvez você consiga.

    Curtir

  • Queruvim  On 1 de fevereiro de 2014 at 17:53

    Prezado leitor, A tribo de Dã recebeu uma terra muito desejável e que até mesmo praia possuía! Havia montanhas e vales e a terra não era nada parecida com que vemos hoje em Israel. Era de fato, “uma terra que manava leite e mel”. Os danitas não expulsaram todos os moradores daquela região. Isso foi uma violação da orientação de Jeová e o resultado foi que, mesmo tendo sido dada a eles, foram expulsos e a espada tiniu nestas terras com a pressão dos amorreus que habitavam nas cercanias e principalmente perto do mar morto. Estes inimigos de Israel não permitiam que eles fossem livremente em direção ao mar morto e os hostilizavam até mesmo em seu território de herança.(Núm 26:43; 34:22; Jos 19:40-46; Jz 1:34)
    Em resultado disso, eles tiveram que deixar parte daquela terra que já era menor que outras terras dadas as tribos adicionais, isto é as outros tribos de Israel.Por este motivo, parte da tribo de Dã se mudou para a extremidade setentrional da Palestina e tomou a cidade de Lesem, ou Laís, e chamou-a de “Dã”. (Jos 19:47, 48; Jz 18:11-31)Tenha em mente que o que lemos em Josué foi escrito quando tudo estava aparentemente bem, todavia, com o tempo conflitos armados se seguiram e tempos depois a situação das heranças não era como havia sido no princípio.

    Curtir

  • TJ forever  On 1 de fevereiro de 2014 at 20:18

    Sensacional..

    Curtir

  • Saga  On 1 de fevereiro de 2014 at 23:02

    “Quer dizer, o livro de Josué nos diz que a tribo de Dã recebeu uma herança, enquanto que o livro de Juízes nos diz que não […] Sei que deve haver uma explicação lógica pra isso”

    O sorteio das heranças deu um território para Dã, mas o que aconteceu é que eles não conseguiram tomar posse da herança contra os pagãos que ali viviam.

    Essas cidades de …. “Zorá, e Estaol, e Ir-Semes, e Saalabim, e Aijalom, e Itla, e Elom, e Timná, e Ecrom” … que deveriam estar nas mãos da israelita tribo de Dã…..no tempo dos Juízes estavam em poder de estrangeiros, estes pagãos expuisaram os danitas de suas terras herdadas ….

    Curtir

  • Anônimo  On 2 de fevereiro de 2014 at 0:11

    Sim, de fato, eu também já tinha pensado nesses pontos, mas o que não podemos nos esquecer é que a parte b do versículo 1 do cap. 18 de Juízes diz claramente: “até aquele dia não lhes havia caído nenhuma herança no meio das tribos de Israel.” Repare: não diz que eles não haviam “tomado” herança, ou que haviam “sido expulsos” de sua herança, diz que AINDA não havia CAÍDO herança para eles. (Ora, o termo “caído” remete ao ato de se lançar sortes, suponho eu.) Mas não é o que lemos em Josué. Assim sendo, pela lógica dos eventos, no tempo narrado no livro de Juízes, quando não havia ainda rei em Israel, os danitas já teriam não só recebido sua herança por sortes, como também tomado posse dela e conquistado Lesem, ou Laís. É isso que eu acho difícil de entender.

    Curtir

  • Queruvim  On 2 de fevereiro de 2014 at 0:59

    Em Josué usa-se a frase yatsa ha goral ha shevi´i , “saiu a sorte a sétima”, para os danitas. Não se diz “caiu a herança” (Naphelah… benahelah) ,(como vemos em Juízes) mas sim “saiu a sorte” quando se fala da distribuição feita às tribos. Em números 34:2 usa-se a mesma expressão “a terra que cairá por herança” (Tipol[de naphal] lakhem benahelah) usada em Juízees referindo-se não ao ato de lançar sortes mas a demarcação dos limites territóriais previamente definidos. Ou seja, é evidente que eles não foram devidamente assentados até os dias dos Juízes, pelos motivos já apresentados inclusive em Juízes 1:34.

    Curtir

  • Saga  On 2 de fevereiro de 2014 at 11:33

    “Anônimo Em 2 de fevereiro de 2014 às 0:11 Sim, de fato, eu também já tinha pensado nesses pontos, mas o que não podemos nos esquecer é que a parte b do versículo 1 do cap. 18 de Juízes diz claramente: “até aquele dia não lhes havia caído nenhuma herança no meio das tribos de Israel.” Repare: não diz que eles não haviam “tomado” herança, ou que haviam “sido expulsos” de sua herança”

    Não estar escrito da forma exata como gostaríamos é uma coisa, outra coisa diferente é o que os relatos nos demonstram. O “não caiu herança” justamente se refere a não estarem com aqueles territórios de fato em seu poder.

    “no tempo narrado no livro de Juízes, quando não havia ainda rei em Israel, os danitas já teriam não só recebido sua herança por sortes, como também tomado posse dela e conquistado Lesem, ou Laís”

    O fundo histórico do livro de Juízes, conforme descrito no próprio livro é bem diferente da situação encontrada nos dias descritos em Josué, a geopolítica da Terra prometida virou, e assim os Hebreus -que tinham chegado lá como conquistadores obtendo seguidas vitórias e tomando territórios dos povos cananeus- perderam controle sobre o país e passaram a ser oprimidos, com muitas cidades saindo de sua tutela. No meio deste cenário, os danitas chegaram ao ponto de não conseguirem nem manter assentamento nas terras que oficialmente seriam suas.

    Diz Juízes 1:34: “E os amorreus apertavam os filhos de Dã na região montanhosa, pois não lhes permitiam descer à baixada“

    Ou seja, os pagãos pressionaram os danitas num canto e não lhes permitiam sair dali.

    A cidade de Laís que foi conquistada e passou a se chamar “Dã” era muito distante e nada tinha a ver com a herança que lhes tinha sido legada, ou seja, em vez de estarem onde seria seu território, foram residir láaaaaaaaa longeeee

    Os fatos mostram que a Tribo de Dã não conseguiu se impor nas cidades que deveria. O livro de Josué não tem por objetivo detalhar as desventuras que as tribos israelitas tiveram para manter o domínio sobre seus territórios, faz um relato mais geral de suas vitórias iniciais contra os amorreus. Mas conforme vemos no resto dos livros bíblicos, não foi até o reinado de Davi que a Terra Prometida conseguiu ser bem domesticada, ALIAS, este é um dos motivos de sempre se dizer “Naquele tempo não havia REI em Israel”, é para frisar que antes da monarquia os israelitas não estavam realmente seguros na terra da promessa, foi apenas no tempo dos reis conseguiram um domínio relevante, antes disso era conflito constante com cananeus e filisteus.

    Curtir

  • August Dickmann  On 22 de fevereiro de 2014 at 21:38

    Para os que negam a destruição de Jerusalém no ano 607 AEC, não seria uma contradição Jerusalém ser “supostamente” destruída no ano 587 AEC e o povo judeu voltando apenas 50 anos depois para sua terra em 537 AEC??????? Pois existem várias referências apontando 70 e não 50 anos de desolação (2 Crô 36:21, Jer 25:11, 29:10, Dan 9:2, Zac 1:12, 7:5).

    Curtir

  • Marcos  On 23 de fevereiro de 2014 at 8:14

    Respostas fracas, quando a contradição é realmente notável tudo o que vc faz é dizer q foi erro de cópia, e como pode ter erro tbm em número de pessoas no caso de neemias 7: 7? o que parece é que tu tem a intenção de fazer rodeios e nunca dar o braço a torcer que realmente esse livro esta repleto de contradições.

    Curtir

  • Queruvim  On 23 de fevereiro de 2014 at 12:32

    Acho que não leu com atenção e cometes um erro de composição onde toma uma parte (apenas alguns poucos casos) como sendo UM TODO. São dezenas de criticas e tu falas, prezado, como se todos os casos fossem ao meu ver, “erro de copista”. Não é bem assim. Então sugiro que refaça sua avaliação. Aliás, o Salmo 15:2 diz que um dos requisitos para os aprovados por Jeová Deus é “falar a verdade no seu coração”. Infelizmente nós muitas vezes, devido a imperfeição, podemos estar mentindo a nós mesmos. Precisamos fazer uma reavaliação de nossas motivações e conclusões , para ver se não estamos sendo seduzidos pelo nosso próprio coração, que é, como lemos em Jeremias 17:9, “enganoso”.Agradeço por expor o que pensa. Felicidades!

    Curtir

  • Queruvim  On 23 de fevereiro de 2014 at 12:36

    Sugiro que por favor poste este assunto também lá na página sobre 607.No link abaixo, meu caro. Agradeço.

    https://traducaodonovomundodefendida.wordpress.com/2011/09/24/jerusalem-destruida-em-607-a-e-c-por-que-a-data-de-587-e-errada-de-acordo-com-a-biblia/

    Queruvim

    Curtir

  • Saga  On 23 de fevereiro de 2014 at 19:42

    “Marcos Em 23 de fevereiro de 2014 às 8:14

    Respostas fracas, quando a contradição é realmente notável tudo o que vc faz é dizer q foi erro de cópia […] realmente esse livro esta repleto de contradições”


    Esses casos considerados como “erro do copista” são raros, então como que o livro estará “REPLETO de contradições” se são poucos exemplos, em textos de pouca importância? Os ateus e opositores chegam a citar centenas de exemplos do que chamam de “contradições”, dentre essas acusações, uma minoria insignificante encaixam em situações que se encaixam com erros de copista, de forma que a Bíblia não está “repleta” de erros de cópia como o senhor Marcos tenda passar.

    Ele relaciona “contradição…realmente notável” com “erro de cópia”, o que é realmente notável é que diferenças de grafia ou de numeração são detalhes menores que não afetam a mensagem religiosa da Bíblia, seja moral ou doutrinalmente, nada muda, então cadê a “contradição realmente notável” ? E como a intenção do ateu é atacar a Bíblia como não tendo sido livros escritos por homens inspirados por Deus na antiguidade, então o “erro de copista” NÂO O AJUDA neste sentido, já que não consegue provar que homens como Isaías, Moisés ou Paulo tenham cometido um erro, assim sendo confirmado que não tiveram contato com Deus. Casos de erro de copista já coloca em questão a qualidade das cópias das Escrituras a que temos acesso e não a questão da autenticidade e inspiração bíblica.

    Curtir

  • Saga  On 23 de fevereiro de 2014 at 20:42

    Prestem atenção leitores,

    Queruvim disse: [1] “Qual a Idade de Acazias? * II Reis 8:26 […] * II Crônicas 22:2 Resposta: Um erro de copista segundo alguns eruditos. Este pode ser sanado ao observarmos o relato, de forma que concluímos que o certo é dizer “vinte e dois anos”” e [2] “Quantos Cavalos Tinha Salomão? * I Reis 4:26 […] quarenta mil […] vs. * II Crônicas 9:25 […] quatro mil […] Resposta: Um erro de escriba devido a similaridade entre as letras hebraicas 4 e 40”

    Então o Queruvim apenas DUAS VEZES citou a possibilidade do erro de um copista. Isso em trinta respostas.

    Os casos citados: saber a idade de Acazias ou quantos cavalos Salomão teve em nada interferem na nossa salvação, não mexem na mensagem da Bíblia e não mudam nosso conceito sobre Deus (teologia), nem interfere em qualquer doutrina. De forma que os ensinos dos patriarcas, profetas e apóstolos bíblicos sobre Jeová e seus propósitos não se alteram em uma vírgula, se Salomão tivesse 4000, 40000 ou 400000 cavalos, nada muda na Doutrina do Cristianismo.

    Curtir

  • Celow-TJ  On 22 de março de 2014 at 12:58

    Mais alguns textos para serem refutados, são muito usados por Ateístas irmãos, é bom acrescenta-las ai na lista também! 😀

    Olha os absurdos que encontrei no Yahoo: “A FILOSOFIA DE CRISTO

    Milhões asseguram que a filosofia de Cristo é perfeita — que ele foi o mais sábio que já pregou.

    Vejamos:

    Não resistas ao mal. Se atingido numa face, oferece a outra.

    Há alguma sabedoria, alguma filosofia nisto? Cristo tira da bondade, da virtude, da verdade, o direito à autodefesa. Vício se torna dono do mundo, e o bom se torna vítima do infame.

    Nenhum homem tem direito à autodefesa, defender sua propriedade, sua esposa e crianças. governar se torna impossível e o mundo está à mercê dos criminosos. Há algo mais absurdo que isto? vocês seguiriam essa Filosofia?

    Ama teus inimigos.

    É possível isto? Será que qualquer ser humano já amou seu inimigo?

    Em Mateus 12:32 Jesus diz: “Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.” E não só em Mateus e pela boca de Jesus é dita “raça de víboras”, mas também em Mateus 23:33; Lucas 3:7 e Mateus 3:7.

    Será que Cristo amou os seus quando ele os denunciou como hipócritas e víboras?

    Não podemos amar aqueles que nos odeiam. Ódio no coração dos outros não semeia amor nos nossos. Não resistir à maldade é absurdo; amar nossos inimigos é impossível.

    Não jurais; nem pelos céus, porque este é o trono de Deus; nem pela terra, porque esta é o seu apoio; nem por Jerusalém, porque esta é a sua cidade sagrada.

    Aqui achamos a astronomia e a geologia de Cristo. O céu é o trono de Deus, o monarca; a terra é o seu apoio. um apoio que gira na velocidade de milhares de milhas por hora, e viaja pelo espaço a uma velocidade de mais de mil milhas por minuto!

    Onde os Cristãos pensavam que o céu ficava? Por que seria Jerusalém uma cidade santa? Seria pelo fato de que seus habitantes eram ignorantes, rudes e supersticiosos?

    Se algum homem te atingir com a lei e tomar tua roupa, dá-lhe teu manto também.

    Há qualquer ensinamento, qualquer filosofia, qualquer bom senso nesta ordem? Não seria tão sensível quanto dizer: “Se um homem obtém um processo contra ti de cem Reais, dá a ele duzentos.”?

    Só um louco seguiria este conselho.

    Não penses que vim trazer a paz para a terra. Não vim para trazer a paz, mas uma espada. Porque eu vim para colocar um homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe.

    Se isto é verdade, como o mundo seria melhor se ele ficasse fora.

    É possível que aquele que disse “Não resistas a ofensas”, veio trazendo uma espada? aquele que disse “Ama teus inimigos” veio para destruir a paz no mundo?

    Colocar pai contra filho, e filha contra mãe Lucas 12:53 — que gloriosa missão!

    Ele trouxe uma espada e ela foi molhada por milhares de anos com sangue de inocentes. Em milhares de corações ele semeou a semente do ódio e vingança. Ele dividiu nações e famílias, apagou a luz da razão, petrificou os corações dos homens.

    E cada um que tenha abandonado sua casa, seus amigos, suas irmãs, ou pai, ou mãe, ou esposa, ou filhos, ou países, em meu nome, receberá cem vezes, e herdará a vida eterna.

    De acordo com os escritos de Mateus, Cristo, o compadecido, o piedoso, exclamou estas terríveis palavras. Seria possível que Cristo tivesse subornado com a vida eterna de alegrias aqueles que abandonassem seus pais, mães, esposas e filhos? Estaríamos nós para receber a felicidade eterna desertando aqueles que nos amam? Deveríamos arruinar um lar aqui para construir uma mansão lá?

    E no entanto, é dito que Cristo é um exemplo para o mundo. Teria ele desertado seu pai e mãe? Ele disse, referindo-se à sua mãe: “Mulher, o que tenho a ver contigo?” João 2:4

    Os fariseus disseram a Cristo: “É legal pagar tributo a César?”

    Cristo disse: “Mostra-me a moeda do tributo. Eles trouxeram para ele uma moeda. E eles disseram: É de César. E Cristo disse: Dá a César o que é de César Mateus 22:21”.

    Será que Cristo pensou que a moeda era de César apenas porque possuía sua imagem estampada sobre ela? Pertenceria a moeda a César ou ao homem que a ganhara? Teria César o direito de requisitá-la só porque nela estava estampada a sua imagem?

    Não nos parece que por esta conversa que Cristo não entendia a real utilização e natureza do dinheiro?

    Podemos ainda afirmar que Cristo tenha sido o maior dos filósofos? Pra mim ele nem existiu visto quem nem um historiador da epoca cita ele em momento algum e se existiu não vejo nada de belo em seus ensinamentos para que eu possa seguilos nos dias atuais.

    Não coloquem “estuprada” na busca por imagens no google. Só tem imagens fortes. E a bíblia me manda uma dessas: “Se uma mulher for estuprada na cidade, e não gritar alto suficiente, ela deve ser apedrejada até à morte (Dt
    22:23-24). Caso seja no campo, então ela vive (Dt 22:25). Enfim, se o estuprador for apanhado, ele deverá pagar
    uma quantia ao pai e casar com a estuprada (Dt 22:28-29).”

    “Se uma jovem é dada por esposa a um homem e este descobre que ela não é virgem, então será levada para a
    entrada da casa de seu pai e a apedrejarão até a morte.
    – Deuteronômio 22:20-21”

    Amigos se vcs querem tudo bem mais eu mesmo não quero meus filhos seguindo essas babozeiras biblicas de forma alguma.

    “Agora pois MATAI todo o varão entre as crianças;
    e MATAI toda a mulher que conheceu algum homem, deitando-se com ele. Porém, todas as meninas e as jovens
    virgens, que não conheceram algum homem deitando-se com ele, deixai-as VIVER para vós.”
    Números 31:17-18.

    ÊXODO : 20-21 Se alguém ferir a seu servo ou a sua serva com pau, e este morrer debaixo da sua mão, certamente
    será castigado; mas se sobreviver um ou dois dias, não será castigado; porque é dinheiro seu.

    OLHEM QUANTA IGNORÂNCIA, É BOM ACRESCENTARMOS ESTES DAÍ TAMBÉM E REFUTA-LOS.

    Curtir

  • J. Mathias  On 3 de dezembro de 2016 at 0:22

    O Item 1- , onde o autor tenta negar a acusacao de roubo por parte de Jesus Cristo, possui explicacoes insastisfatorias.
    1- o autor escreve que os enviados de Cristo pediram educadamente
    Falso, pois eles ja chegaram soltando o animal.e não ha nenhuma mencao de que eles tenham pedido o animal.
    2-O jumento nunca foi montado-O fato de um animal nunca ter sido montado nao significa que nao tenha dono. ele esta preso , logo tinha dono.
    3-os donos viram e estavam presentes. Não altera em nada , pois todos nos presenciamos no nosso dia dia pessoas que sao roubadas e estao presentes.
    4-Houve consentimento por parte do dono.
    Falso, pois em nenhuma parte do texto, existe a afirmacao de que os donos afirmem que poderiam levar o animal.
    5- Iriam devolver
    Falso, pois em nenhuma parte do texto ha mencao por parte dos enviados de Cristo que iriam devolver o animal.
    6- Deixaram levar o animal.
    Falso, pois em nenhuma parte do texto ha a afirmacao de que os donos consentiram em que o animal fosse levado, inclusive levaram um grande susto quando o animalo foi solto pelos agentes de Cristo.
    7 O Senhor precisa dele.
    Poderia ate precisar , porem precisar não é justificativa para roubar.
    Sera que o autor concorda com pessoas que assaltam nas ruas com a desculpa de que ” esta desempregado e precisa do dinheiro”
    8 Não houve roubo – falso, houve roubo sim, e todas as palavras do texto provam o fato e o autor da pagina nao conseguiu refutar.

    Curtir

  • Colportores  On 4 de dezembro de 2016 at 2:37

    J. Mathias, boa noite.
    Agradecemos a sua opinião, porém, há uma conclusão totalmente errada e incoerente a qual você sugeriu.
    Primeiramente, do ponto de vista conceitual, a palavra “roubo” de acordo com certo dicionário significa: “Delito cometido por quem se apossa INDEVIDAMENTE de coisa móvel pertencente a outrem.”

    Do ponto de vista jurídico, “roubo”, no CPB ( Código Penal Brasileiro) no Art. 157 do Código Penal – Decreto Lei 2848/40, diz: “Subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante GRAVE AMEAÇA ou VIOLÊNCIA a pessoa, ou depois de havê-la, por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de resistência”

    Também, no Código Penal – Decreto Lei nº 2.848/40, diz, com respeito a apropriação indébita: “Apropriar-se de coisa alheia móvel, de que tem a posse ou a detenção”, ou seja, você tem um carro que foi emprestado pela empresa, mas você se faz de dono.

    No caso em questão, a Bíblia é clara:

    1º Jesus pede para que os discípulos tragam a jumenta e o jumentinho que estão amarrados, da qual, neste ultimo, ninguém tinha montado. ( Marcos 11:2; Mateus 21:2; Lucas 19:30)

    2º Jesus diz o que os discípulos devem falar se encontrarem “RESISTÊNCIA”, simplesmente por dizer : “‘O Senhor precisa dele, e logo o mandará de volta para cá.’ ” ( Marcos 11:3) Ou seja, os animais foram devolvidos.

    3º Quando os dois discípulos foram fazer isso, ocorreu a “resistência” ou questionamento por parte dos DONOS, mas depois que os discípulos disseram exatamente como Cristo ordenara: “Disseram a eles ( os donos) o que Jesus tinha dito, e eles ( os donos) os deixaram ir.” ( Marcos 11:6)

    4º Os próprios donos “deixaram” que os discípulos fizessem isso. ( Marcos 11:6)

    Resumo: Não houve roubo, pois os discípulos não pegaram os animais, mediante “GRAVE AMEAÇA OU VIOLÊNCIA A PESSOA”.
    Além do mais, não houve redução da “impossibilidade de resistência”, pelo contrário, houve a resistência da parte dos donos, mas depois da explicação, eles “deixaram” que os discípulos levassem os animais á Cristo, emprestando-os”.
    E, por fim, não houve “apropriação indébita”, visto que Cristo não se passou de dono, e deixou claro que o devolveria.

    Nota: Os donos sabiam quem era Jesus Cristo, devido ao fato de “deixarem” que os discípulos levassem os animais de carga, após a explicação destes sobre quem havia solicitado. Ou seja, se Cristo disse que devolveria, então, logicamente, conclui-se que não houve roubo, apropriação indébita e nenhuma das formas de ameaça para obter item alheio.

    Portanto, J. Mathias, espero tenha compreendido. Porém, Quando você pressupõe que Cristo Roubou, ou melhor, foi mandante do roubo, subtende-se que o contexto circundante e paralelo indicará isto. Mas, como explanado acima, não houve nada disso. Faltou da tua parte ler com detida atenção as passagens bíblicas, e ter mais respeito por elas, ao invés de simplesmente argumentar distorcendo o que esta escrito.

    Curtir

Comments in english allowed! Não serão permitidos comentários de opositores ou pessoas que querem debates sem fim. EVITE FUGIR DO TEMA DA PÁGINA OU FAZER flooding de informações. Isso é coisa de gente desonesta e que quer confundir. Discordar não é problema, mas fazer oposição com zombaria desrespeito e trollagem não são aceitos nesta página. Ao postar nesta página você estará concordando com isso! Não é permitido a participação de APÓSTATAS nos comentários desta página. Em outras palavras, críticas e discordâncias são aceitas e até mesmo postadas, mas não “espírito de oposição”. Isto se dá em vista do claro mandamento bíblico para que “os eviteis” Romanos 16:17.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s