Jerusalém destruída em 607 A.E.C – Por que a data de 587 é errada de acordo com a Bíblia


 

Jerusalém 607 A.E.C 

 

Apóstatas e outros opositores argumentam que Jerusalém  não foi destruída em 607 A.E.C, mas em 587 A.E.C, e fornecem o que eles alegam ser evidências arqueológicas a fim de apoiar isto. Se 607 A.E.C está errada, então os  “sete tempos” da profecia que termina em 1914 E.C estariam errados.

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


A Bíblia diz que Jerusalém ficou devastada por setenta anos, começando em 607 A.E.C.

Entretanto, como Testemunhas de Jeová, nos baseamos apenas pelo que diz a Bíblia. Contudo, eles dizem que a Bíblia apoia 587 A.E.C como uma data correta também! Os dois mais proeminentes apóstatas que argumentam isto, Ray Franz e Karl Johnsson, procurando influenciar outros de destaque, chegam a dizer: “Ora, se fosse apenas uma questão de se acreditar na Bíblia, então, acreditaríamos em 607 também!” Seria isso mesmo?

Não é de admirar. Eles não mencionam que a data de 587 A.E.C é um desastre cronológico — biblicamente falando. Faz com que diversas profecias falhem, causa o colapso de narrativas cronológicas, tornam algumas passagens impossíveis de se cumprirem, e faz com que partes das Escrituras contradigam outras partes dela mesma. É na verdade uma confusão absoluta e um uso desastrado da Bíblia.

Ao invés de lidar com esses enormes problemas críticos, os que promovem a data de 587, ou ignoram a tais, os mantêm em segredo ou fingem que esses não existem! Franz e Johnsson certamente não fazem nenhuma menção deles para os leitores. Ao invés disso, eles se concentram em evidências seculares falíveis. Ao passo que mencionam alguns versículos bíblicos escolhidos, se calam acerca de passagens inteiras, profecias, e narrativas que a data deles de 587 contradiz. Ah, e a propósito, muitos dos diferentes apoiadores da teoria “a Bíblia apoia 587 também” contradizem uns aos outros.

Este website destaca claramente o caos escriturístico causado pela data de 587 A.E.C., algo sobre o qual homens como Franz e Johnsson não gostam de falar. Nós, os autores, outrora acreditávamos em 587; mas, após um exame cuidadoso da evidência provinda das Escrituras, podemos ver que a data de 587 é totalmente errada. “Oh, se fosse apenas uma questão de se acreditar na Bíblia, então, acreditaríamos em 607 também” é o que eles disseram usando muitas palavras.

Bem, a Bíblia de modo sobrepujante risca 587 e torna abundantemente claro que 607 é a única data possível.

Por favor, examine os capítulos abaixo com oração, e o apêndice que cobre assuntos mais complexos. Por favor, inicie pelo capítulo 1, Por que 607 A.E.C é importante ?

— Os Autores. Este artigo é uma tradução feita por Rubens Oliveira do seguinte artigo : http://www.jehovahsjudgment.co.uk/607/)

P.S. Não examinamos de modo sistemático a evidência secular, visto que a Bíblia é suprema a qualquer coisa. Todavia, ficamos surpresos ao ver que o pouco da evidência secular que examinamos realmente apoia 607!  Também encontramos sérios problemas com a credibilidade da evidência secular. (Não deixe de acessar os artigos de A Sentinela recentemente publicados em 2011 a esse respeito no final desta página!)

Veja: Apendice B: registros seculares “corrigindo”a BíbliaApendice  Q: A tabuinha BM21946 e como ela apoia 607 ao invéz da cronologia secular, e Apendice R: O flagrante desrespeito dos cronologistas seculares pela Bíblia.

 Por que 607 A.E.C é uma data importante

para as Testemunhas de Jeová ?

 

O apóstolo Paulo certa vez declarou: “Dentre vós mesmos surgirão homens e falarão coisas deturpadas, para atrair a si os discípulos.” (Atos 20:30) Hoje está acontecendo exatamente isso. Testemunhas de Jeová que apostataram junto com outros opositores atacam nossas crenças de todos os ângulos. Isso inclui a nossa doutrina referente a 1914. 

 

  

Jeremias lamentando a destruição de Jerusalém.  (Rembrandt)

Acreditamos que Jesus iniciou seu Reino de modo invisível nos céus em 1914, por meio de uma interpretação da profecia dos sete tempos de Daniel, capítulo 4. Os sete tempos duram 2520 anos, e iniciou quando Jerusalém foi destruída pelo Império Babilônico e quando o ultimo Rei da linhagem de Davi foi removido. Nossa estrita cronologia bíblica assinala esse evento como tendo ocorrido no ano 607 A.E.C. Contando 2520 anos a partir dessa data, chegamos ao ano de 1914 E.C. Para uma explanação mais detalhada dessa interpretação, e como ela é biblicamente correta, veja o Apêndice A. (Logo estará disponível.)

Todavia, isso entra em conflito com a amplamente aceita cronologia de historiadores. Eles acreditam que Jerusalém foi destruída em 587 A.E.C., vinte anos depois do que dizemos. Se eles estão corretos, a doutrina de 1914 tem um sério problema – ela está vinte anos errada! Entretanto, este artigo se propõe a mostrar – a partir da Bíblia – que a cronologia das Testemunhas de Jeová baseada em 607 está correta.

607 A.E.C. é a data que Jerusalém foi destruída por Babilônia.

1914 E.C. é calculado usando essa data como ponto de partida.

Se 607 A.E.C. está errado, 1914 também está.

 

A questão principal: setenta anos.

Por que discordamos de historiadores seculares? A cronologia secular é baseada na interpretação de antigas tabuinhas de argila, escritos, e inscrições. Com base em tais, eles discernem quanto tempo cada rei babilônico governou antes de o império ser conquistado em 539 A.E.C. Para um breve comentário da evidência secular, veja o  Apêndice B.

Contando para trás a partir dessa data, e adicionando o que eles discerniram ser o reinado de cada rei, encontram 605 A.E.C. como sendo o primeiro ano do poderoso Rei Nabucodonosor. Jeremias diz que o Rei destruiu a cidade de Jerusalém no seu 19º ano de reinado. Então, contando 19 anos para frente chegamos a 587 A.E.C. Incidentalmente, este é também o método que a cristandade usa.

As Testemunhas de Jeová, por outro lado, acreditam em algo que os historiadores seculares não acreditam. Acreditamos que a Bíblia é a palavra inerrante e inspirada de Deus. Portanto, levamos em consideração as profecias da Bíblia quando calculamos a cronologia antiga. — Veja os gráficos.

O Profeta Daniel nos conta: “Jerusalém ficará em ruinas por setenta anos.” (Daniel 9:2, Contemporary English Translation) Contudo, a cronologia secular discorda da Bíblia. A cronologia deles permite apenas 50 anos – não setenta – contando a partir de 587 A.E.C. quando se supõe que Jerusalém foi destruída, até o tempo em que os judeus retornaram para casa em 537 A.E.C.

Portanto, as Testemunhas de Jeová não aceitarão a cronologia secular quando esta contradiz a Bíblia. Sendo assim, contando para trás, de 537 A.E.C. (o ano em que a Bíblia indica que os judeus retornaram para casa), para uma contagem plena de setenta anos chegamos ao ano 607 A.E.C. Este tem de ser o ano em que Jerusalém foi destruída. A data secular de 587 A.E.C., com vinte anos de diferença, tem de estar errada. As páginas seguintes deste site demonstrarão a partir de profecias da Bíblia  por que [a data de] 607 A.E.C. tem de estar correta.

A Bíblia diz que Jerusalém ficaria em ruinas por 70 anos.

Historiadores seculares, apóstatas, e a cristandade dizem que seriam apenas 50 anos.

70 anos de quê?

O método empregado para chegar ao ano de 607 A.E.C. é bastante simples. Como poderia alguém ignorar as claras palavras da Bíblia e colocar a cronologia secular acima da palavra inspirada de Deus? Qualquer apóstata respeitável não vai querer parecer que está contradizendo a Bíblia – isso iria dissuadir outros em sua tentativa de desacreditar a doutrina de 1914 e de tirá-los da verdade.

Sendo assim, ao invés disso, distorcem a profecia que fala da “devastação” (ou “ruinas”) para “significar realmente” outra coisa. Se manipulam de modo a mostrar que 607 está errado, contudo, a profecia dos 70 anos ainda se cumprindo, então não haveria razão para as Testemunhas de Jeová não aceitarem a cronologia secular. Aceitar isso, por sua vez, significaria descartar a doutrina referente a 1914.

Tipicamente, eles usam duas estratégias. Alegam que  “na verdade” significa mera servidão ao Rei de Babilônia por 70 anos. Ou, ao invés disso, alegam que “na verdade” quer dizer algum tipo vago ou figurativo de devastação por 70 anos. Usam de argumento forçado a fim de dizerem que a quantidade de tempo que Jerusalém ficou em ruinas é irrelevante. Isso apesar de as Escrituras sempre declararem de modo claro que Jerusalém ficaria em ruinas e sem habitantes.

Portanto, dizem as Escrituras que a cidade de Jerusalém ficaria em ruinas por plenos 70 anos ou não?

·         Os apóstatas apoiam a cronologia secular que contradiz a Bíblia.

·         Afirmam que seriam 70 anos de servidão, não desolação.

·         Afirmam que a data da destruição de Jerusalém não importa.

 

Está Jerusalém incluída nos 70 anos?

Quando os 70 anos estavam prestes a expirar, o profeta Daniel declarou: “No primeiro ano de Dario,[539/538 A.E.C] filho de Assuero… que fora constituído rei sobre o reino dos caldeus, no primeiro ano do seu reinado,[ sobre os judeus como rei em Babilônia] eu, Daniel, compreendi pelos livros o número de anos a respeito dos quais viera a haver a palavra de Jeová para Jeremias, o profeta, para se cumprirem as devastações de Jerusalém, a saber, setenta anos.” – Daniel 9:1-2

 

 

A Bíblia diz que a desolação afetaria “toda” a terra, contudo os apóstatas alegam que Jerusalém foi poupada por 20 anos.

Observem que Daniel disse que havia compreendido isso por ler nos “livros” a palavra que “veio a haver para Jeremias”. Hoje tais palavras de Jeremias que Daniel leu são encontradas em Jeremias, capítulo 25. Ali Jeremias diz: “‘E toda esta terra terá de tornar-se um lugar devastado, um assombro, e estas nações terão de servir ao rei de Babilônia por setenta anos.’ … Jerusalém e as cidades de Judá e seus reis, seus príncipes, para fazer delas um lugar devastado, um assombro, objeto de assobio e uma invocação do mal.” – Jeremias 25:1118

Sim, Daniel leu em Jeremias que quando “toda” a terra – sim, incluindo “Jerusalém” com seus “reis” e “príncipes” – se tornasse devastada, passariam 70 anos. É o que diz de maneira simples.

Todavia, alguns apóstatas tentam alegar que somente a terra de Judá  seria devastada por 70 anos, e que sua cidade capital não faria parte da profecia, mas somente a terra ao redor dela. É dessa maneira que eles lidam com o fato de que sua cronologia secular diz que Jerusalém ficou em ruínas por apenas 50 anos.

Tem tal teoria apoio das Escrituras?

Onde se iniciam os 70 anos?

Na mesma profecia de Jeremias onde ele fala de Nabucodonosor  vindo a fim de destruir seu povo, e onde “estas nações terão de servir ao Rei de Babilônia por setenta anos”, ele menciona especificamente onde a “calamidade” iniciaria. Onde?

Ele diz: “Pois, eis que é sobre a cidade sobre a qual se invoca o meu nome que eu principio a trazer calamidade.” (Jeremias 25:29). Não, não é sobre a terra ao redor da cidade, ou sobre qualquer outra nação, mas é sobre a própria cidade de Jerusalém que a “calamidade” começaria — “a cidade sobre a qual se invoca o meu nome”.

Entretanto, poderia essa calamidade ser um simples ataque ou um grupo de exilados sendo levados? Não, apenas para tornar as coisas perfeitamente claras, a“calamidade” é descrita. Poucos versículos à frente, diz-se-nos: “Eis que sai uma calamidade de nação em nação e suscitar-se-á até mesmo uma grande tormenta desde as partes mais remotas da terra. E os mortos por Jeová certamente virão a estar naquele dia de uma extremidade da terra até à outra extremidade da terra.” (Jeremias 25:32, 33) Sim, isso não era o início de algum reino vassalo, mas a destruição sangrenta de Jerusalém — onde “eu principio a trazer calamidade”, diz Jeová.

Ezequiel também confirma numa visão que o julgamento começaria com Jerusalém: “Passa pelo meio da cidade, pelo meio de Jerusalém … Passai pela cidade, atrás dele, e golpeai. Não deixeis o vosso olho ter dó e não tenhais compaixão. … E deveis principiar desde o meu santuário.” (Ezequiel 9:4-6). Não, o julgamento não iniciou no interior [ou zona rural] de Judá, deixando a cidade de Jerusalém intocada. A profecia não poderia ser mais clara— o julgamento iniciou em Jerusalém com o golpe e a morte de seus habitantes.

A profecia claramente descreve o inicio dos 70 anos de desolação e servidão como iniciando com a destruição de uma cidade — Jerusalém.

Quando realmente  Judá foi para o exílio?

Há mais provas de que o interior de Judá somente foi ao exílio quando Jerusalém foi destruída  — não antes. Qual prova é esta? Encontra-se em 2 Reis capítulo 25[verso 8]. Primeiro esse relato nos informa que Jerusalém foi destruída.

“E no quinto mês, no dia sétimo do mês, isto é, no décimo nono ano do Rei Nabucodonosor, rei de Babilônia, veio a Jerusalém Nebuzaradã, chefe da guarda pessoal, servo do rei de Babilônia. E ele passou a queimar a casa de Jeová e a casa do rei, e todas as casas de Jerusalém; e queimou com fogo a casa de todo homem proeminente. E as muralhas de Jerusalém…foram demolidas.” – 2 Reis 25:8-10.

Agora, veja se consegue perceber nos versículos que seguem [19-21] quando é que Judá foi ao exílio:

“… e da cidade tomou um oficial da corte, que tivera o comando sobre os homens de guerra, e cinco homens dos que tiveram acesso ao rei, que se achavam na cidade; e o secretário do chefe do exército, aquele que recrutara o povo da terra, e sessenta homens do povo da terra, que se achavam na cidade; e Nebuzaradã, chefe da guarda pessoal, tomou-os então e conduziu-os ao rei de Babilônia, a Ribla. E o rei de Babilônia passou a golpeá-los e a entregá-los à morte em Ribla, na terra de Hamate. Assim foi exilado Judá do seu solo.”

Está certo. A região rural ou interiorana de Judá não foi ao exílio antes da cidade. É depois que Jerusalém foi destruída que ‘Judá foi exilado de seu solo’. Essas são as palavras da Bíblia — não nossas.

Judeus morando fora de Jerusalém

Adicionalmente, a Bíblia diz especificamente que havia judeus morando fora de Jerusalém em suas próprias cidades e vilas, pouco antes de Jerusalém ser destruída. Jeremias diz: “E sucedeu que, no quinto ano de Jeoiaquim [dois anos de devastação de Judá, de acordo com os apóstatas],  filho de Josias, rei de Judá, no nono mês, que todos os povos em Jerusalem e todos os povos que vinham da cidade de Judá a Jerusalem proclamaram um jejum perante Jeová.” – Jeremias 36:9.

A Nova Tradução Viva (New Living Translation)  diz: “Pessoas de toda Judá vieram para assistir aos serviços no Templo no dia seguinte.” A Tradução Mensagem(Message translation) diz: “Todos das vilas de Judá”. Claramente, Judá não foi devastada, deixando Jerusalém como a única cidade sobrevivente, como eles afirmam.

Daniel acreditava que a devastação predita incluiria Jerusalém, observando que seria para que ‘se cumprissem as devastações de Jerusalém’, e não é à toa! A profecia que ele consultou em Jeremias dizia que “toda esta terra” será devastada, e que “Jerusalém e as cidades de Judá e seus reis, seus príncipes” seriam tornados “um lugar devastado”. – Jeremias 25:11, 18.

A profecia de 70 anos está intimamente ligada a Jerusalém. É nisso que Daniel acreditava. Não faria sentido os profetas terem dito que “toda” região do país seria dizimada, e então terem esperado que seus leitores entendessem que isso significa que a cidade de maior tamanho permaneceria intocada por vinte anos! As declarações da Bíblia não são complicadas nesta parte das Escrituras. Elas são muito claras. Somente o raciocínio dos apóstatas as tornam indevidamente complexas e difíceis de compreender.

De fato, seria muito estranho para Daniel ter discernido que 70 anos de devastação teriam passado sobre Jerusalém se a cronologia secular estivesse certa. De acordo com a cronologia secular, a cidade estaria habitada, com um rei, um sacerdócio, e um templo em operação por duas décadas durante a chamada “devastação”.

Adicionalmente, Jeremias fez a profecia no “quarto ano de Jeoiaquim”. (Jeremias 25:1) Ou em 604 A.E.C., na cronologia secular deles. Isso é um grande problema para os apóstatas, porque eles dizem que a devastação de Judá já havia começado um ano antes, em 605 A.E.C. Contudo, aqui Jeremias está  fazendo uma profecia a respeito do futuro! Ele diz: “E toda esta terra terá de tornar-se um lugar devastado” ( Jeremia 25:11), e “esta mesma cidade será devastada”. – Jeremias 26:9.

Conclusão

Alguns querem nos fazer crer que as “devastações de Jerusalém” a que Daniel se referiu é uma espécie vaga de conceito que começou vinte anos antes de Jerusalém ter sido destruída, quando o restante de Judá estava (supostamente) devastado. Contudo, a palavra inspirada de Deus discorda de todos esses pontos. A Bíblia mostra que Judá não foi devastada anos antes da destruição de sua cidade capital. De forma alguma!

Os 70 anos se iniciam com calamidade e morte em Jerusalém.

A Bíblia diz que Judá e Jerusalém seriam devastadas juntas.

Depois de um ano ao qual os apóstatas alegam ter começado a devastação, a Bíblia fala desta como estando no futuro.

Dois anos depois desse suposto início, a Bíblia faz menção de pessoas de outras cidades de Judá.

Judá somente vai ao exílio depois da destruição da cidade.

 

Ruinas, desolação, um baldio desolado

VEja Apêndice A     A PROFECIA DOS SETE TEMPOS

  Apêndice  B    Registros seculares “corrigindo” a Bíblia.

http://www.jehovahsjudgment.co.uk/607/

Artigos de A Sentinela de outubro e novembro de 2011 sobre 607 A..E.C !

wp_T_20111001

wp_T_20111101 

Foi o Dr. Ronald H. Sack erroneamente citado pelo artigo de A Sentinela  ou são os opositores que citam mal a Sentinela ?

VEJA TAMBÉM : Jeremias 29:10 “em Babilônia” ou “para Babilônia” ? Novo! Adicionado em Janeiro de 2012

Anúncios
Both comments and trackbacks are currently closed.

Comentários

  • jorge pacheco  On 7 mar 2012 at 14:50

    È interesssante que após tudo isto que disseram nada é esclarecedor. É necessario entender o que Daniel pensou e que Jeremias pretendeu dizer.
    Mas interessante é ver o que Nemias disse no capitulo 2 e como Israel ainda estava sobre o dominio Persa, muitos anos apos as vossass datas,já que o texto biblico é importante, ver também que Ciro concedeu a possibilidade de reconstruir o templo mas não a liberdade e autonomia a Israel aquel só veio acontecer com Artaxerxes.
    Pelo que sei, dizem que Babilonia foi punida em 539,conforme a revista Sentinela e outros vossos publicações, mas se tomarmos o ano 607, como conquista de Israel temos um problema, somando os 70 anos de jugod Babilónico sobre as nações, este teria que ser quebrado em 537 e não 539. Como explicam esta situação de erro de dois anos? Porque fogem do livro Neemias o qual foi represantante(governador) de Arterxerxes sobre Israel, muitos anos após a queda de Babilonia? o que prova que em 537 Israel ainda estava subjado a um imperio estrangeiro! Será que voltou alguma vez ser livre após a tomada por Babilonia? Os impérios sucederam-se os conflitos na região também em 70 DC desapareceu Israel, foi restaurado em1948.
    A biblia não fornece datas mas sim a historia e arqueolgia.

    Curtir

  • queruvim  On 7 mar 2012 at 17:04

    Jorge Pacheco , comentou:

    “Pelo que sei, dizem que Babilonia foi punida em 539,conforme a revista Sentinela e outros vossos publicações”


    Prezado Jorge…

    São os historiadores quem sustentam que Babilónia caiu diante do exército de Ciro em Outubro de 539 AEC. Não existe disputa acerca disto. Poderá estudar as fontes abaixo, nenhuma delas é ´das Testemunhas de Jeová`.

    http://www.iranchamber.com/history/cyrus/cyrus.php

    http://539bc.com/cyrus-day.html

    http://www.persiandna.com/his_cyrus.htm

    Neste link lemos:
    “… after his successful campaign against the Babylonians in 539 BC, Cyrus established a large empire stretching from the Mediterranean in the west to eastern Iran, and from the Black Sea in the north to Arabia.”

    Boardman, John “Nabonidus: Babylonia from 605-539 B.C.”, in The Cambridge Ancient History vol. 3.2, p. 249. Contributor John Boardman. Cambridge University Press, 1991

    Talley Ornan, The Triumph of the Symbol: Pictorial Representation of Deities in Mesopotamia and the Biblical Image Ban (Göttingen: Academic Press Fribourg, 2005), 4 n. 6

    Nabonido (em acadiano Nabu-naid) foi o último rei do Império Neo-Babilónico, reinando entre 554 a.C. a 539 a.C. FONTE wikipedia

    Seria bom respaldar suas declarações com fontes fiáveis e mais responsabilidade nesta discussão. Me parece claro, que você quer somente contender com as Testemunhas de Jeová. Chega ao ponto de mencionar datas não disputadas, dando a entender que é uma colocação feita pelas Testemunhas de Jeová e não historiadores respeitados. Fica evidente que uma vez que não está claro o básico para ti, imagine assuntos mais detalhados nesta discussão?

    Sugiro que vá estudar com o intento de saber a verdade sobre o referido assunto e não com o desejo implacável de refutar ou ridicularizar o que as Testemunhas de Jeová dizem. Este tipo de estudo não é bem vindo aqui nesta página.

    Curtir

  • Moisés Vilas Boas  On 11 dez 2012 at 17:36

    O que o senhor Jorge Pacheco está fazendo é evidente e tem apenas um objetivo: atingir as Testemunhas de Jeová sem ao menos entender do assunto que se propõe a falar. Como um típico papagaio de porta de butequim repete o que ouviu. Eu estando no lugar do administrador dessa página (por sinal muito esclarecedora) nem dava resposta a este senhor, apagava o comentário dele sumariamente…que vá brincar de discutir com outro alguém. Parabéns pelo conteúdo aqui postado.

    Curtir

  • dilei  On 20 abr 2013 at 11:19

    muito bom seus argumentos apresentados……quer dizer argumentos bíblicos….eu uso 1reis 6:1
    se alguem quiser alterar 607 vai ter q alterar todo o restante das escrituras ja q estao todas interligadas
    se fizermos a soma de todos o reis de judá. o período q eles reinaram soma 390 anos. mesmo período de ezequiel cap 4. período q Deus iria tolerar a rebeldia do povo q começou com a divisão das tribos.em 997.
    997-390……607 o décimo primeiro ano de zedequias. alterar essa data tem q se alterar toda a bíblia
    a data do êxodo…a data q abraão cruzou o eufrates..até mesmo a do dilúvio….as evidencias biblicas são esmagadoras

    Curtir

  • LUCIA DIVINA DE JESUS  On 3 set 2013 at 12:10

    ANTES EU TAMBÉM SEM NENHUM CONHECIMENTO BÍBLICO DEBATIA COM OUTROS SOBRE RELIGIÃO HOJE ESTOU CONHECENDO A VERDADE E ELA ESTA ME LIBERTANDO,REMOVENDO A VENDA Q EXISTIA EM MEUS OLHOS, HOJE ESTUDO A BÍBLIA COM AS T. J. E ESTOU ME PREPARANDO PARA BATIZAR NO PRÓXIMO CONGRESSO QUE SERÁ 13,14,15/09/2013 VC ESTA CONVIDADO MORO EM GOIÂNIA GO. SOU MUITO FELIZ HOJE.

    Curtir

  • LUCIANO MATTOS BAPTISTA SANT´ANNA  On 6 dez 2013 at 23:42

    infelizmente pequei contra jeová e fui desassociado, mas pretendo voltar a servir ao amoroso Deus jeová. tenho um irmão que ja foi testemunha de jeová e que tambem agora usa este tipo de falso raciocionio para desencaminhar alguns.
    Na verdade tenho, embora desassociado, certeza de que tanto meu irmão quanto esse tal de jorge e outros apóstatas estão errados porque todos os apóstatas são pessoas que antes serviam a jeová e que tinham no caso de alguns, e outros não tinham mas queriam, ter cargos na congregação não para servirem os irmãos e a congregação, mas para terem destaques e serem glorificados pelos irmãos, terem um reconhecimento de algo que na verdade o unico que tem que ser reconhecido é o próprio jeová!!! a pessoa peca, não é humilde para reconhecer que errou e aceitar a disciplina da parte de jeová. ficam magoados e ressentidos com isso, ficam cheios de orgulho e arrogância a ponto de não aceitarem a disciplina, e começam a resmungar contra a organização de jeová!!! porque não se arrependem de seus erros, reconheçam que foram orgulhosos e pedem perdão á jeová e sua organização!!! peça sinceramente pérdão a jeová e dêem meia volta!!! cargos dão mais responsabilidade e compromissos, não destaque!!! todos os humanos são imperfeitos e não exemplo perfeito pára ninguem!!! exemplo perfeito deu somente jesus cristo!!! digo isso com propriedade, fui servo ministerial, pioneiro e pequei e hoje estou desassociado!!! nem por isso fico criticando e atacando a organização de jeová nem os que o servem!!! apóstatas, vou dizer uma coisa!!! se não querem servir a jeová então não sirvam, jeová não os obriga, mas deixem os querem, servi-lo servirem.
    nesse texto que vou citar, vocês podem confiar, pois tem na biblia de vocês tambem!!! 1° pedro 4:15
    diz: ( que nenhum de vóis sofra como assassino, ladrão, malfeitor ou INTROMETIDO NOS ASSUNTOS DOS OUTROS. se não querem servir não sirvam, mas deixem os que querem servir em paz.

    Curtir

  • Queruvim  On 7 dez 2013 at 1:01

    Luciano, lamento mas não posso continuar aprovando seus posts. Espero que entenda.

    Curtir

  • LUCIANO MATTOS BAPTISTA SANT´ANNA  On 8 dez 2013 at 12:34

    entendo!!

    Curtir

  • Queruvim  On 8 dez 2013 at 12:55

    😦

    Curtir

  • Marcelo  On 8 dez 2013 at 14:23

    Jeová disciplina quem ama. Que alegria é quando alguém percebe isto! E que alegria no céu quando se arrepende!

    Temos um irmão na fé, muito zeloso por sinal, e alguém que eu admiro muito, que há alguns poucos anos havia sido desassociado. Ele disse que se sentiu muito grato por ter sido desassociado, pois estava morno por anos, visto que havia escondido o pecado por anos. Mas quando foi disciplinado, readmitido e hoje é um irmão exemplar que reflete muito Provérbios 17:17.

    Curtir

  • Queruvim  On 1 jan 2014 at 20:38

    Jorge Pacheco e outros que desejarem postar aqui, por favor se atenham ao tema e não misturem assuntos. Contribua com material de qualidade para aumentar o nível desta página. Não postarei os comments que fizerem OPOSIÇÃO as TJ e de modo desrespeitoso fazerem volume com vários assuntos e com arrogância tentarem ridicularizar e difamar a religião dos outros.(isso se aplica a todos sem excessão ) Não quero dizer que não aceitamos comments críticos, não é isto. Desde que observemos que há margem para diálogo e humildade de ambas as partes, não vejo pq não postar mesmo que seja o comentário de um critico. Mas opor se é diferente de criticar. Oposição é uma atitude de crítica sistemática e contínua, junto com recursos que visam difamar a despeito do que textos bíblicos ou argumentos factuais digam ou provem. O interesse de alguns não é demonstrar a verdade de modo textual e claramente bíblico a si mesmos e a outros, mas apenas contender. Este tipo de comentário não será aceito aqui. Espero que entendam . Ademais , visto que em Rom 16:17 diz que “os eviteis” isto é , a certos tipos de pessoas a quem a Bíblia Sagrada descreve como “apóstatas”, assim fazemos aqui neste site. Evitamos certas pessoas de comentar aqui. São opositores empedernidos e fora de sintonia com a verdade e a sinceridade.

    Curtir

  • August Dickmann  On 23 fev 2014 at 13:55

    Para os que negam a destruição de Jerusalém no ano 607 AEC, não seria uma contradição Jerusalém ser “supostamente” destruída no ano 587 AEC e o povo judeu voltando apenas 50 anos depois para sua terra em 537 AEC??????? Pois existem várias referências apontando 70 e não 50 anos de desolação (2 Crô 36:21, Jer 25:11, 29:10, Dan 9:2, Zac 1:12, 7:5).

    Sei que alguns argumentam que são “66 anos” e que se deve arredondar para 70 anos, e isto é lastimável! Tudo isso para tentar ajustar a bíblia para com a história, nisto JAMAIS irão se igualar as TJs que respeitam a Bíblia como o perfeito “Livro de História, Ciências, Matemática, Geografia etc…”

    Curtir

  • Francis  On 17 ago 2015 at 21:08

    COMENTÁRIO REPOSTADO POR MODERAÇÃO:

    boa noite irmãos. estava a fazer uma pesquisa aqui no blog a respeito de 607 AEC. ai nos comentários apareceu assim:

    “muito bom seus argumentos apresentados……quer dizer argumentos bíblicos….eu uso 1reis 6:1
    se alguem quiser alterar 607 vai ter q alterar todo o restante das escrituras ja q estao todas interligadas
    se fizermos a soma de todos o reis de judá. o período q eles reinaram soma 390 anos. mesmo período de ezequiel cap 4. período q Deus iria tolerar a rebeldia do povo q começou com a divisão das tribos.em 997.
    997-390……607 o décimo primeiro ano de zedequias. alterar essa data tem q se alterar toda a bíblia
    a data do êxodo…a data q abraão cruzou o eufrates..até mesmo a do dilúvio….as evidencias biblicas são esmagadoras”.

    achei muito interessante essa forma de chegar a 607, mas como descobrir essas datas na biblia? para fazer a soma certinho…

    pergunta adicional: que outras profecias iriam falhar se essa data fosse por ex 587?( só citar as profecias para eu fazer pesquisa)

    desde já agradeço a ajuda. E que Jeová continue a abençoar o esforço de todos que aqui comentam para provar a verdade a respeito das escrituras.

    Curtir

  • Beto  On 13 abr 2017 at 14:19

    Matéria ótima, esclarecedora.

    Curtir

  • Giggio  On 22 jun 2017 at 14:51

    Muito bom poder contar com uma página que defende a VERDADE… diante de inúmeros sites de apóstatas.. Agradeço-lhe muito “Queruvim” pelo tempo e dedicação gasto…. Disponibilizo abaixo o link da parte 2 da matéria d`A Sentinela de 2011…

    Quando a Jerusalém antiga foi destruída? — Parte dois
    A Sentinela (2011) - https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/2011810
    

    Grande abraço e que Jeová o recompense…

    Curtir