Contradições da bíblia que nenhum crente consegue explicar?


Supostas CONTRADIÇÕES na Bíblia não resistem ao escrutínio PARTE I

Certo usuário do Yahoo resposta colou este texto abaixo com letras normais e sugeriu que ninguém consegue “explicar”! Será mesmo? Vejam como as declarações são enganosas e facilmente desmascaradas. (respostas em negrito. OBS.:  iT: se refere a obra Estudo Perspicaz das Escrituras)

Algumas contradições bíblicas: Os Gigantes existiam antes da inundação (Gênesis 6:4).
Somente Noé, sua família, e os animais da Arca sobreviveram à inundação (Gênesis 7:23). Mesmo depois da Inundação os gigantes continuaram existindo (Números 13:33).
Em Gên. fala-se dos “nefilins” ou “derrubadores”. Já em Números, fala se dos “filhos de Anaque” que eram de estatura muito alta e devido a isso eram chamados “nefilins”. Mas não eram os mesmos mencionados em Gen. O próprio texto de Num. 13:33 diz que eram “os nefilins, os filhos de Anaque”. Em Jos. 11:21  diz que estes moravam na região montanhosa de Hébron, não na Mesopotâmia onde Noé vivia. 
Toda a terra tinha uma só língua e as mesmas palavras, até que Deus criou vários idiomas diferentes, fazendo com que ninguém entendesse um ao outro (Gênesis 11:1,6-9).Anterior a isto, a Bíblia fala de diversas nações, cada um com sua própria língua (Gênesis 10:5).
O capítulo 10 conta a história dos filhos de Noé que sobreviveram ao dilúvio e de onde surgiu todos que vivem até o dia de hoje na terra. A frase deste crítico quando diz: “Anterior a isto” se referindo a Gên. 10 é enganosa. O texto fala do futuro e não se refere ao tempo anterior a Babel. Fica claro que o crítico é muito fraco em interpretar texto. Além do fato que a Bíblia não é entendida por quem lê apressadamente, muito menos os que a leem com objetivo de criticar! Deus admitiu que Ele é a causa da surdez e da cegueira (Êxodo 4:11). O texto diz que ele “designa o cego ou o surdo” no sentido de não abrir a mente destes. 
Contudo, Deus não aflige os homens por vontade própria (lamentações 3:33) Deus envia Moisés para o Egito resgatar os filhos de Israel (Êxodo 3:10. 4:19-23).
No caminho, Deus ameaçou Moisés de morte. Não proveu de explicação (Êxodo 4:24-26).
O crítico nada fala sobre por que a vida de Moisés estava por um fio. Sabe por que ? Ele não tem essa informação. Simples, ele não sabe!  Nós também não vamos falar. Isso só sabe quem estuda. Se fosse o crítico que falasse de entregar alguém a morte isto seria certamente um absurdo. Mas ocorre que esta decisão não era de um humano.
Deus mata todos os animais dos egípcios com uma forte pestilência. Nenhum sobreviveu a pestilência (Êxodo 9:3-6).
Errado! Agora percebo que nem ler  sabe! O verso 4 diz que muitos animais sobreviveram. Os de quem? Os dos adoradores de Jeová, o Deus de Israel.
Deus mata todos os animais dos egípcios com uma chuva de granizo (Mas eles já não haviam morrido com a pestilência?) (Êxodo 9:19-21,25).
Em lugar algum diz que já haviam morrido todos com pestilência. E nem mesmo depois. Agora estou convicto de que o criador deste texto é um mentiroso descarado. 
Deus não foi conhecido por Abraão, Isaac e Jacó pelo nome de Javé (Êxodo 6:2-3). O nome do Senhor já era conhecido (Gênesis 4:26).
O significado do Nome não era conhecido. Veja oque diz a Obra Estudo Perspicaz das Escrituras: 

Emprego Inicial do Nome e Seu Significado. Êxodo 3:13-16 e 6:3 são freqüentemente mal aplicados como significando que o nome de Jeová foi revelado pela primeira vez a Moisés, algum tempo antes do Êxodo do Egito. Na verdade, Moisés suscitou a pergunta: “Suponhamos que eu vá ter com os filhos de Israel e deveras lhes diga: ‘O Deus de vossos antepassados enviou-me a vós’, e eles deveras me digam: ‘Qual é o seu nome?’ O que hei de dizer-lhes?” Isto, porém, não significa que ele ou os israelitas não conhecessem o nome de Jeová. O próprio nome da mãe de Moisés, Joquebede, significa “Jeová É Glória”. (Êx 6:20) A pergunta de Moisés provavelmente se relacionava com as circunstâncias em que se encontravam os filhos de Israel. Por muitas décadas, estiveram sujeitos à dura escravidão, sem nenhum sinal de qualquer alívio. A dúvida, o desânimo e a fraqueza na fé quanto ao poder e ao propósito de Deus de libertá-los, mui provavelmente se haviam infiltrado em suas fileiras. (Observe também Ez 20:7, 8.) Portanto, se Moisés dissesse que viera simplesmente em nome de “Deus” (ʼElo·hím) ou do “Soberano Senhor” (ʼAdho·naí), isto talvez não significasse muito para os israelitas sofredores. Sabiam que os egípcios possuíam seus próprios deuses e senhores, e, sem dúvida, ouviam zombarias por parte dos egípcios, de que os deuses deles eram superiores ao Deus dos israelitas.

Ademais, devemos ter presente que os nomes naquele tempo possuíam verdadeiro significado, e não eram apenas “rótulos” para identificar a pessoa, como o são atualmente. Moisés sabia que o nome de Abrão (que significa “Pai É Enaltecido (Exaltado)”) foi mudado para Abraão (que significa “Pai Duma Multidão”), fazendo-se esta mudança devido ao propósito de Deus para com Abraão. Assim, também, o nome de Sarai foi mudado para Sara, e o de Jacó para Israel; em cada caso, a mudança revelava algo fundamental e profético a respeito do propósito de Deus para com eles. Moisés talvez se perguntasse se Jeová se revelaria então sob algum novo nome, de modo a lançar luz sobre o Seu propósito para com Israel. Dirigir-se Moisés aos israelitas em “nome” Daquele que o enviou significava que era o representante Dele, e a enorme autoridade com que Moisés falaria seria determinada por esse nome e seria proporcional a ele, ou com o que representava. (Veja Êx 23:20, 21; 1Sa 17:45.) Assim, a pergunta de Moisés era significativa.

Deus proíbe que seja feito a escultura de qualquer ser (Êxodo 20:4). Para adoração  era proibido
Deus ordenou a fabricação de estátuas de ouro (Êxodo 25:18). Para enfeitar… e não adorar…simples.

Proibição do assassinato (Êxodo 20:13). Deus proíbe homens de matar
Deus manda Moisés matar todos os homens de Madiã (Números 31:7). Nenhuma contradição, Deus pode decidir quem vive, afinal Ele criou os bilhões de sóis e a raça humana. Ele apenas usou no passado humanos com executores. Não há contradição alguma. Ou acha  que temos a mesma autoridade que Deus? Parece que acha que sim! 🙂

Proibição do roubo (Êxodo 20:15).
Deus manda roubar os egípcios (Êxodo 3:21-22). O hebraico diz “despojar os Egípcios” não diz “roubar os Egípcios”. Os próprio Egípcios que deram todos aqueles “despojos”. 

Proibição da mentira (Êxodo 20:16)
Deus permite a mentira (I Reis 22:22) Um espírito “enganoso” diz o texto em hebraico. Contra quem? Um justo, honesto e gente boa? Não! Um assassino cruel. Isso você omite! Mas vem cá…por que critica o texto sendo que você pratica aquilo que critica? Até eu se pudesse enganar um serial killer a fim de que ele fosse preso eu o faria. E não acho justo que me criticassem por isso! O que me diz? Você sabe que tem um assassino perigoso e cruel a solta. E tem a chance de enganar a ele facilmente levando-o nas mãos da polícia. Diria a você mesmo: “Não posso enganar a ele! Isso é mentira…”  ???

Deus não pode mentir (Números 23:19).
Deus deliberadamente enviou um “espírito” mentiroso (I Reis 22:20-30) (II Crônicas 18:19-22).

O texto diz “espírito enganoso” e usa a palavra Yafat em hebraico. Bem como Sheqer. Não a palavra Kazav que significa mentira. Troca essa  Bíblia e usa a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas. 

Deus faz pessoas acreditarem em mentiras (II Tessalonicenses 2:11-12). O texto diz que “Deus deixa” ou “permite”. A Tradução João Ferreira de Almeida foi mais uma vez infeliz. Esta Bíblia comete verdadeiras trapalhadas de tradução. 

Aarão morreu no monte Hor. Imediatamente depois disso, os israelitas foram para Salmona e Finon (Números 33:38).
Aarão morreu em Mosera. Depois disso, os isralelitas foram para Gadgad e Jetebata (Deuteronômio 10:6-7).Deus diz a Moisés que Aarão morreu no monte Hor (Deuteronômio 32:50).

Ao olharmos no mapa provido pela organização de Jeová veremos que não há nenhuma contradição, pois segue o mesmo caminho. Em Números 33:30 fala de um acampamento na região chamado de Moserot, o plural de Moserah. Local perto do monte Hor. Eles passaram em vários lugares perto do Monte Hor. Quando você viaja de ônibus e vai para Bahia, estará mentindo se disser que parou em “Feira de Santana”? Feira de Santana não é na Bahia? Não há nenhuma contradição. 

Nós temos que amar Deus (Deuteronômio 6:5) (Mateus 22:37).
Nós temos que temer Deus (Deuteronômio 6:13) (I Pedro 2:17).

Da mesma forma que nós “amamos o mar” e “tememos o mar”  Temer se refere a um medo sadio . O temor a Deus é salutar; trata-se de admiração reverente, uma profunda reverência pelo Criador, e um pavor salutar de desagradá-lo. (Veja Estudo Perspicaz das Escrituras
Deus escreveu nas tábuas as dez palavras da aliança (Deuteronômio 10:1-2,4).
Deus ditou e Moisés escreveu (Êxodo 34:27-28).

Sugiro que leia na Tradução do Novo Mundo, visto que o texto é corretamente vertido alí. Êxodo 34:28

2E ele continuou ali com Jeová quarenta dias e quarenta noites. Não comeu pão nem bebeu água.+ E ele* passou a escrever nas tábuas as palavras do pacto, as Dez Palavras.*+

Josué queimou a cidade de Hai e reduziu-a a um monte de ruínas para sempre (Josué 8:28).
Hai ainda existe como uma cidade (Neemias 7:32).

Mais um erro de Tradução na Almeida. Seria interessante ver este artigo que escreví mostrando a inexatidão da João Ferreira de Almeida e outras versões quando traduzem a palavra ´Olam por “perpétuo” quando na realidade significa “tempo indefinido”. 

Josué destruiu totalmente os habitantes de Dabir (Josué 10:38-39).
Os habitantes de Dabir ainda existem (Josué 15:15).

Os anaquins se estabeleceram novamente na cidade de Debir, talvez vindo da costa filistéia (Jos 11:22), enquanto Israel estava temporariamente no seu campo em Gilgal ou enquanto guerreava no N. (Jos 10:43-11:15) Embora as campanhas iniciais de Josué tivessem servido para subjugar a resistência unificada das forças inimigas na terra de Canaã, demolindo rapidamente todas as principais fortalezas, evidentemente este tipo de campanha militar não permitia o estabelecimento de guarnições para garantir a posse de todas as cidades destruídas. Assim, fez-se uma segunda conquista ou “operação de limpeza” em Debir, por Otniel, a quem, por ter-se distinguido na conquista da cidade, foi dada como esposa Acsa, a filha do veterano guerreiro Calebe. — Jos 15:13-19; Jz 1:11-15.

Saul destruiu completamente os amalecitas (I Samuel 15:7-8,20).
David destruiu completamente os amalecitas (I Samuel 27:8-9).
Finalmente os amalecitas são mortos (I Crônicas 4:42-43).

Tais textos citados de 1 Sam. não dizem que se “destruiu completamente” os amalequitas. Até por que eles tinham várias cidades pequenas  como podemos ver em 1 Sam 27: 8 : “E Davi passou a subir com os seus homens para fazer incursões contra os gesuritas,+ e contra os girzitas, e contra os amalequitas;+ pois habitavam o país que [se estendia] desde Telão*+ até Sur,+ e para baixo até a terra do Egito” Ver este artigo

Isaí teve sete filhos além de seu mais jovem, David (I Samuel 16:10.11).
David foi o sétimo filho (I Crônicas 2:15).

Há vários textos bíblicos que demonstram que Jessé (Isaí) teve 8 filhos. Jessé tornou-se pai de oito filhos, um dos quais, pelo que parece, morreu antes de gerar quaisquer filhos, o que pode explicar a omissão de seu nome nas genealogias de Crônicas. (1Sa 16:10, 11; 17:12; 1Cr 2:12-15

Saul tentou consultar o Senhor (I Samuel 28:6).
Saul nunca fez tal coisa (I Crônicas 10:13-14).

Foi após o incidente de não eliminar a Agague que Jeová não se comunicava mais com ele. A ordem foi para que eliminassem todos os Amalequitas. Saul porém não obedeceu e por isso Jeová não mais se comunicava com ele. Por outro lado, no final de sua vida, anos depois, “ele não consultou a Jeová” diz 1 Crôn. mas sim uma médium espírita”. Nenhuma contradição. O crítico aqui acha que tudo aconteceu em um dia só. 

Saul cometeu suicídio (I Samuel 31:4-6) (I Crônicas 10:4-5).
Saul foi morto por um amalecita (II Samuel 1:8-10).
Saul foi morto pelos filisteus (II Samuel 21:12).

Não há nenhuma contradição. Ele tomou sua espada e “lançou-se sobre ela”, de modo que morreu. O amalequita mentiu ao dizer que o matara. Saul se suicidara depois de  mortalmente ferido (pelos filisteus). (Confira os detalhes na Obra Estudo Perspicaz das Escrituras)

Davi tomou 1.700 cavaleiros de Adadezer (II Samuel 8:4).
Davi tomou 7.000 cavaleiros de Adadezer (I Crônicas 18:4).

Davi matou aos arameus 700 parelhas de cavalos e 40.000 cavaleiros (II Samuel 10:18).
Davi matou aos arameus 7.000 cavalos e 40.000 empregados (I Crônicas 19:18).

“Em Helão, as forças de Hadadezer, sob o comando de Sobaque (Sofaque), enfrentaram as de Davi e foram derrotadas. Logo depois disso, os vassalos de Hadadezer fizeram paz com Israel. (2Sa 10:17-19; 1Cr 19:17-19) No conflito, foram mortos 40.000 cavaleiros sírios. Talvez, a fim de escapar através de terreno escarpado, estes cavaleiros tivessem desmontado e assim fossem mortos como soldados de infantaria. Isto explicaria por que são chamados de “cavaleiros” em 2 Samuel 10:18 e de “homens a pé” em 1 Crônicas 19:18. A diferença no número de sírios, condutores de carros, mortos na batalha, usualmente é atribuída a um erro de escriba, considerando-se correto o número menor de 700 condutores de carros”.it (Censo)

Israel dispõe de 800.000 homens aptos para manejar espadas, enquanto que Judá dispõe de 500.000 homens (II Samuel 24:9).
Israel dispõe de 1.100.000 homens aptos para manejar espadas, enquanto que Judá dispõe de 470.000 homens (I Crônicas 21:5).

“A contagem revelou que Israel dispunha de 1.100.000 homens, e Judá de 470.000, segundo o relato de 1 Crônicas 21:5. O relato de 2 Samuel 24:9 diz que havia 800.000 homens em Israel, e 500.000 homens em Judá. Alguns crêem que haja algum erro de cópia. Mas não convém atribuir ao relato um erro quando não se entendem plenamente ascircunstâncias, os métodos de cômputo, e assim por diante. Os dois relatos podem ter computado os números através de enfoques diferentes. Por exemplo, é possível que os membros do exército efetivo e/ou de seus oficiais tenham sido computados, ou omitidos. E diferentes métodos de cômputo podem ter causado uma variação na listagem de certos homens, quanto a se eles se achavam sob Judá ou sob Israel. Em 1 Crônicas, capítulo 27, encontramos o que pode ser um exemplo disso. Alistam-se 12 divisões a serviço do rei, citando-se nominalmente todas as tribos, exceto Gade e Aser, e citando-se Levi e as duas meias-tribos de Manassés. Isto talvez tenha ocorrido porque os homens de Gade e de Aser se achavam incluídos sob outros cabeças naquela época, ou por outros motivos não declarados”. it (Censo)

Satã provocou Davi a fazer um censo de Israel (I Crônicas 21:1).
Deus sugeriu Davi a fazer um censo de Israel (II Samuel 24:1).

O Registro Calamitoso Feito por Davi. Um registro feito perto do fim do reinado do Rei Davi também se acha relatado, um que trouxe calamidade. O relato em 2 Samuel 24:1 reza: “E novamente veio a acender-se a ira de Jeová contra Israel, quando se instigou Davi contra eles, dizendo: ‘Vai, faze a contagem de Israel e de Judá.’” Não se identifica ali quem o instigou a isso. Teria sido algum conselheiro humano? Teria sido Satanás? Ou mesmo Deus? Primeira das 1 Crônicas 21:1 ajuda a responder à pergunta, dizendo: “Satanás passou a pôr-se de pé contra Israel e a instigar Davi a recensear Israel.” Tal versão na Tradução do Novo Mundo concorda com o texto hebraico e com as traduções para o grego, o siríaco e o latim. É também coerente com a versão de outras traduções. — ALA, IBB, So, Tr, VB.

Entretanto, como salienta a nota ao pé da página, referente a 1 Crônicas 21:1, a palavra hebraica sa·tán também pode ser vertida “opositor”. Byington traduz “um Satanás”; a tradução de Young reza “um adversário”. Portanto, é possível que aquele que induziu Davi a optar pelo proceder calamitoso tenha sido um conselheiro humano mau.

É interessante que uma nota em 2 Samuel 24:1 indica que este texto poderia ser traduzido: “E novamente veio a acender-se a ira de Jeová contra Israel, quando eleinstigou Davi contra eles.” A tradução da The Bible in Basic English (A Bíblia em Inglês Básico) reza: “Novamente a ira do Senhor ardia contra Israel, e movendo Davi contra eles, ele disse: Vai, faze a contagem de Israel e Judá.” Assim, alguns comentaristas consideram que o “ele” que instigou Davi a fazer o recenseamento foi Jeová. Sua ‘ira contra Israel’, segundo este conceito, acendeu-se antes do recenseamento e se devia às recentes rebeliões deles contra Jeová e seu rei designado, Davi, quando seguiram primeiro o ambicioso Absalão e depois o imprestável Seba, filho de Bicri, em oposição a Davi. (2Sa 15:10-12; 20:1, 2) Tal ponto de vista poderá ser harmonizado com o conceito de que Satanás ou algum conselheiro humano mau instigou Davi, se a instigação for encarada como algo que Jeová propositadamente permitiu, como por remover sua proteção ou sua mão restritiva. — Compare isso com 1Rs 22:21-23; 1Sa 16:14; vejaPRESCIÊNCIA, PREDETERMINAÇÃO (Com relação a pessoas).

Da parte de Davi, talvez tenha havido motivação errada, devido ao orgulho ou à confiança nos números de seu exército, deixando ele assim de demonstrar plena confiança em Jeová. Em todo caso, torna-se claro que nesta ocasião a motivação de Davi não era a de glorificar a Deus.

Davi pagou 50 siclos de prata por gados e pelo terreno (II Samuel 24:24).
Davi pagou 600 siclos de ouro pelo mesmo terreno (I Crônicas 21:25).

Araúna, pelo que parece, ofereceu esse lugar, junto com o gado e os implementos de madeira para o sacrifício, sem cobrar nada, mas Davi insistiu em pagar um preço. O registro em 2 Samuel 24:24 mostra que Davi comprou a eira e o gado por 50 siclos de prata (US$ 110). No entanto, o relato em 1 Crônicas 21:25 fala de Davi ter pago 600 siclos de ouro (c. US$ 77.000) pelo lugar. O escritor de Segundo Samuel trata apenas da compra, conforme ela se relaciona com a localização do altar e com os materiais para o sacrifício então feito, e, assim, parece que o preço de compra mencionado por ele se restringia a tais coisas. Por outro lado, o escritor de Primeiro Crônicas considera os assuntos segundo relacionados com o templo mais tarde construído neste lugar, e associa a compra com essa construção. (1Cr 22:1-6; 2Cr 3:1) Visto que a área toda do templo era muito ampla, parece que a soma de 600 siclos de ouro se aplica à compra desta grande área, em vez de à pequena parte necessária para o altar inicialmente construído por Davi.

Rei Josias foi morto em Magedo. Seus servos o levam morto para Jerusalém (II Reis 23:29-30).
Rei Josias foi ferido em Magedo e pediu para seus servos o levarem para Jerusalém, onde veio a falecer (II Reis 23:29-30).

O texto de Crônicas que o críticou tentou citar aqui (o relato paralelo de 2 Crôn. 35) ) não diz que ele “veio a falecer em Megido”. Esta é uma frase enganosa. 

Foram levados 5 homens dentre os mais íntimos do rei (II Reis 25:19-20).
Foram levados 7 homens dentre os mais íntimos do rei (Jeremias 52:25-26).

São citados os nomes de 10 pessoas que vieram com Zorobabel (Esdras 2:2)
São citados os nomes de 11 pessoas que vieram com Zorobabel (Neemias 7:7)

(Esdras 2:3 & Neemias 7:8) Estas passagens pretendem mostrar a quantidade de pessoas que voltaram do cativeiro babilônico. Compare o número para cada família: 14 deles discordam.

O que ocorre nestes  textos é a substituição de nomes por outro nome ou ainda outros fatores . Por exemplo, no relato de Esdras Raamias é chamado  Reelaías. Diversos nomes foram dados a mesma pessoa. Além disso um relato foi escrito com muitas décadas de diferença de tempo em relação a outro, além de Neemias ter usado um registro genealógico escrito muito tempo depois. Apenas citou o que viu nestes registros posteriores. É possivel que com a morte de um dos citados, seu nome não fosse repetido tempos depois no relato de Neemias.  Certos eruditos afirmam que o registro inicial de Esdras difere de Neemias também pelo fato de ter sido feito um outro computo posterior. Ou seja , um outro censo sendo realizado quando os Israelitas chegaram em Jerusalém e alí se estabeleceram.  De forma que não somente números diferem, mas também nomes. Isto significa que ambas as listas em Esdras 2 e Neemias 7 eram registros precisos sem erros de qualquer natureza, a lista encontrada em Neemias sendo uma lista que foi escrita depois da  de Esdras 2, levando  em conta as mudanças que ocorreram no tempo decorrido entre os dois escritos. Os textos de Reis e Crônicas citados acima tiveram algumas diferenças menores de nomes também evidentemente devido a estes fatores. O que os críticos não sabem, é que a Bíblia foi escrita no decorrer de muitos anos ou até mesmo séculos. Era uma história viva referente a pessoas vivas, que adoeciam, morriam e que usavam registros computados em épocas diferentes. Não foram escritos no mesmo dia por um contador de estórias de cálices mágicos ou anéis mágicos , feitos somente para vender. São relatos reais de pessoas reais. O fato de registros escritos por pessoas diferentes em épocas diferentes e em circunstâncias mudadas diferirem,  é compreensivel no mundo real.  Ainda sobre Esdras 2:2 e Neemias 7:7 a frase hebraica “chegaram” e no relato de Neemias “entraram” pode carregar muita explicação que somente as Testemunhas oculares poderiam testificar com certeza. Isto não deve ser despercebido uma vez que recentemente descobriu-se que a cidade de Jericó após recentes escavações só permitia acesso por meio de um movimento de “subir” em vista da forma com que foi construída. Isso é mencionado de maneira quase imperceptível na Bíblia quando lemos em Josué 6:20 “subiu cada um diretamente na frente de sí”. (Dê uma olhada no 13:00 (minuto)  deste vídeo

Certa publicação diz o  seguinte:

“Por que, na contagem de Neemias, a quantidade de pessoas por famíliaque voltou a Jerusalém com Zorobabel é diferente da contagem de Esdras?

(Esdras 2:1-65) Talvez o motivo seja que Esdras e Neemias usaram fontes de informações diferentes. Por exemplo, o número dos que se registraram para voltar talvez tenha sido diferente dos que realmente voltaram. Ou os dois registros poderiam diferir porque alguns judeus que antes não haviam conseguido determinar sua genealogia o fizeram algum tempo depois. Ambos os relatos, porém, concordam num ponto: o número dos primeiros que voltaram era de 42.360, sem contar os escravos e os cantores” (W 01/02/2006)

Veja a continuação deste artigo Supostas Contradições da Bíblia PARTE II

Criou Deus o Mundo em 6 dias de 24 horas? 

Deus se arrepende?

Anúncios
Both comments and trackbacks are currently closed.

Comentários

  • foxhound  On 19 de julho de 2013 at 10:33

    é observando estas e outras que devemos nos orgulhar e também agradecer, de termos sidos atraidos para Jeová, para fazermos parte de sua org. terrestre e poder adora-lo em espírito e verdade. como disse Pedro: para onde iríamos.

    queruvim gostaria que você me tirasse uma dúvida, na tradução do novo mundo alguns textos mostram Jeová pedindo por favor a fiéis servos e também a iníquos .algumas traduções da cristandade não possuem esta palavra porque ?
    e qual é a palavra para por favor em hebraico?
    um abraço e obrigado desde já.

    Curtir

  • O Protestante  On 19 de julho de 2013 at 11:41

    Muito bom!!! É legal ver que, quando se faz um estudo sério, os argumentos desses “críticos textuais” de internet com “alto conhecimento” da Bíblia caem rapidamente!!!
    Falando nisso, tenho uma sugestão: O sr. poderia aproveitar isso e também refutar as “contradições bíblicas” propostas pelo grupo do facebook “Contradições da Bíblia”(Ou “Paradoxos da Bíblia”, não me lembro o nome deles direito). Seria daora ver esse pessoal chorando por que as “contradições” deles foram desmentidas! Aí eles não teriam um só argumento para desafiar a Infalível Palavra do Deus Vivo!

    Curtir

  • Saga  On 19 de julho de 2013 at 13:16

    – Os relatos de Esdras e Neemias foram escritos com uma diferença de anos grande, de forma que a listagem de um sobre as caravanas das famílias que voltaram do cativeiro, uma foi feita antes da viagem e outra foi feita depois que elas chegaram. As relações familiares podem mudar neste meio tempo, de toda forma o total de pessoas registradas é a mesmo, o que variou foi se certas pessoas deveriam ser contadas como membros de uma família ou de outra.

    Não sei se faz diferença, mas Edras diz os que “chegaram” com Zorobabel e Neemias diz os que “entraram” com Zorobabel. De toda forma a Escritura em relatos dos quais não sabemos todos os detalhes mais -não estávamos lá- então devemos esperar em Deus, a problemática costuma ser diferenças de diferentes manuscritos em números e grafias e não em temas de grande relevância.

    – Sobre Saul, ele se matou sim, o soldado se recusou a mata-lo, aquele que se reivindicou a autoria de sua morte é que estava mentindo.

    Curtir

  • queruvim  On 19 de julho de 2013 at 13:53

    Em Jó capítulo 38, Jeová Deus falando a Jó diz: “Por favor, cinge os teus lombos como um varão vigoroso…”(verso 3). A palavra hebraica usada é נָא (se lê Na´) ocorre também em Gê. 12:13 na TNM onde Abraão disse a Sara: “Dize por favor, que és minha irmã…” Ocorre 403 vezes nas Escrituras Sagradas no Texto Massorético Hebraico da BHK. Em 1 Samuel 25:28 onde lemos Abigail dizendo “Por favor, perdoa a transgressão da tua escrava” a Daví em vista de Nabal ser mesquinho, demonstra que a palavra hebraica tem o sentido claro de “por favor”. Em Jó 1:11, Jeová Deus numa interlocução com o Opositor Satanás, o inimigo da vida eterna diz a repeito de Jó :

    “Mas ao invés disso, estende tua mão, por favor, e toca em tudo o que ele [Jó] tem…”

    A Concordância de Strong define esta palavra em sua DEFINIÇÃO CURTA como significando “por favor”. É uma “partícula de pedido ou súplica” segundo o respeitado Léxico Brown Driver Briggs. Pode Ser vertida por outras expressões que apresentem o sentido básico de “suplica” ou “pedido” respeitoso. Isso demonstra que Jeová Deus é muito educado com suas criaturas. Se ele que é perfeito é assim, quanto mais nós, então devemos ser respeitosos e educados! Algumas versões usam expressões que carregam um sentido similar a TNM mas não são muito boas em verter esta particula. A Versão João Ferreira de Almeida, por exemplo, que é uma das mais atrapalhadas versões da Bíblia omite esta palavra, acho que por despreparo dos tradutores, por exemplo em Jó 1:11 onde esta versão atrapalhada reza: “Mas estende a tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e verás se não blasfema contra ti na tua face”

    Curtir

  • Saga  On 19 de julho de 2013 at 15:22

    Protestante,

    Não adianta refutar, senão adianta refutar nem religiosos que dizem crer na Bíblia quanto mais aos descrentes. Mas ajuda a pessoas sinceras que andavam enfraquecidas diante de tantos ataques, elas passarem a ver que o “monstro” proposto pelos ateus não é feio assim, muitas coisas, a maioria delas tem resposta sim e muitas delas bem simples.

    Curtir

  • larcio  On 19 de julho de 2013 at 19:32

    Queruvim!
    deixando usos e costumes à parte.
    Não sou hipócrita ao ponto de não reconhecer um bom trabalho e argumento.
    Parabéns pela refutação ao cético,e não é só isto que ronda pela net,são vastos comentários que tentam dizer haver contradição nas traduções bíblicas tanto na ARA quanto nas TNM entre outras.

    Curtir

  • Jaime  On 20 de julho de 2013 at 2:06

    Oque ha de errado na interpretaçao judaica das setenta semanas da profecia de Daniel?
    Vi neste site judaico:

    http://antimissionario.wordpress.com/2013/05/19/as-setenta-semana-de-daniel/

    Curtir

  • Saga  On 20 de julho de 2013 at 14:54

    (II Reis 25:19-20) x (Jeremias 52:25-26).
    (Esdras 2:2) x (Neemias 7:7)

    O numero maior é do relato mais recente, na atualização o escritor acrescenta nomes a mais, provavelmente por causa de sua fonte.

    ” Israel dispõe de 800.000 homens aptos para manejar espadas, enquanto que Judá dispõe de 500.000 homens (II Samuel 24:9). Israel dispõe de 1.100.000 homens aptos para manejar espadas, enquanto que Judá dispõe de 470.000 homens (I Crônicas 21:5).”

    Mas não convém atribuir ao relato um erro quando não se entendem plenamente as circunstâncias, os métodos de cômputo, e assim por diante. […] E diferentes métodos de cômputo podem ter causado uma variação na listagem de certos homens, quanto a se eles se achavam sob Judá ou sob Israel. Em 1 Crônicas, capítulo 27, encontramos o que pode ser um exemplo disso.

    O relato de Samuel, que tem os números menores diz:
    (2 Samuel 24:9) Joabe deu então ao rei o número do registro do povo; e Israel somou oitocentos mil homens VALENTES que puxavam da espada, e os homens de Judá eram quinhentos mil homens.

    E o Crônicas:
    (1 Crônicas 21:5,6) Joabe deu então a Davi o número do registro do povo; e todo o Israel somou um milhão e cem mil homens que puxavam da espada, e Judá, quatrocentos e setenta mil homens puxando da espada. 6 E a Levi e a Benjamim NÂO REGISTROU entre eles, porque a palavra do rei tinha sido detestável para Joabe.

    2 Samuel distingue quem são os 800 000; e quanto aos 470 000 de 1 Crônicas se diz que está incompleto. Dito isso tem uma referência a 30 000 soldados de elite -que completariam os 500 000- em

    (2 Samuel 6:1) E Davi passou a ajuntar novamente todos os homens seletos em Israel, trinta mil. Esse “BOPE”/”SWAT” poderia não contar.

    Curtir

  • queruvim  On 20 de julho de 2013 at 15:23

    Tenho que sair agora para lecionar grego classico e por isso quando eu tiver tempo vou dar uma olhada nisto, visto que é um assunto que exige mais tempo. Mas vou selecionar este para pesquisa. Obrigado pela contribuição.

    Curtir

  • larcio  On 20 de julho de 2013 at 15:38

    Dê uma olhada neste absurdo qu algum tempo eu cansei de gargalhar com os comentários: http://www.bibliadocetico.net/

    Curtir

  • larcio  On 20 de julho de 2013 at 15:40

    Sem contar quão indignado fiquei com desrespeito com o altíssimo!

    Curtir

  • Jeosadá da Pavéia  On 20 de julho de 2013 at 16:36

    Boa Noite Senhores!

    Antes de mais nada gostaria de dizer que sou Testemunha de Jeová há vario anos e que acompanho este blog desde o inicio.

    E engraçado que basicamente, com este post, o tom do blog passa pra ‘3 fase’.
    Não entendeu? Vou explicar.

    No inicio o blog refutava basicamente acusações sobre a organização de Jeová e sobre a TNM.

    Dai ele passou pra ‘2 fase’: Refutações sobre a alma, espirito santo, e principalmente a Trindade.

    Agora, com este post, poderemos passar pra uma fase que eu mais gosto: “REFUTAR FALSOS CRÍTICOS DA BÍBLIA”.
    É nessa fase que entra as criticas de ‘Contradição’ e ‘Mitos’ Bíblicos.

    Mas eu já posso prever algum sujeito determinado vir aqui e dizer quase como louco:
    “E quem garante que os Judeus,a Igreja Católica, ou alguns Monges e Tradutores da Idade Media não alteraram e/ou selecionaram as partes dos Manuscritos que hoje compõem a Bíblia?”

    Isso também pode ser uma matéria pra fazer um Post.

    Eu tava fazendo uma pesquisa profunda pra provar que o Diluvio não é um Mito (e tenho ótimos argumentos). Outra sugestão de Post.

    No próximo comentário eu darei uma Matéria pra contribuir pra parte dois deste post…

    Curtir

  • Jeosadá da Pavéia  On 20 de julho de 2013 at 18:19

    Desconstruindo o outras (supostas) contradições:

    I Reis 4:26 “Tinha Salomão quarenta mil cavalos em estrebarias para os seus carros.”

    vs.

    II Crônicas 9:25 “E Salomão veio a ter quatro mil baias para cavalos, e carros, e doze mil corcéis, e manteve-os aquartelados em cidades de carros e perto do rei em Jerusalém.”

    PROBLEMA: Ao registrar a prosperidade de Salomão, esta passagem declara que ele possuía 40.000 cavalos em estrebarias, para os seus carros. Entretanto, 2 Crônicas 9:25 afirma que Salomão tinha apenas 4.000 cavalos. Qual é o registro correto?

    SOLUÇÃO: Este é, sem dúvida alguma, um erro de copista. A razão de 4.000 cavalos para 1.400 carros, como encontrada na passagem de 2 Crônicas, é muito mais razoável do que uma relação de 40.000 para 1.400 como está no texto de 1 Reis. No hebraico, a diferença visual entre os dois números é muito pequena. As consoantes do número 40 são rbym*, e as do número 4 são rbh (as vogais não eram escritas no texto). Os manuscritos utilizados pelo escriba poderiam estar manchados ou danificados, de forma a dar-lhe a impressão de ser 40.000 e não 4.000.

    * O “y” na palavra rbym normalmente é representado pela vogal “i” longa. Entretanto, como a consoante yod era utilizada para representar vogais longas antes de se acrescentar a pontuação por vogais, ela está inserida aqui como uma transliteração da letra que estaria constando no texto não pontuado.

    ——————————————————————————————–

    Que idade Acazias tinha quando começou a reinar? (Essa discrepância só ocorre na “incrível” versão Almeida e outras do nível. Não ocorre na TNM, que diz a idade de ’22 anos’ para os dois textos.)

    22 anos.
    II Rs 8:26 – Era Acazias de vinte e dois anos de idade quando começou a reinar e reinou um ano em Jerusalém; e era o nome de sua mãe Atalia, filha de Onri, rei de Israel.

    vs.

    42 anos.
    II Cr 22:2 – Era da idade de quarenta e dois anos quando começou a reinar e reinou um ano em Jerusalém. E era o nome de sua mãe Atalia, filha de Onri.

    Descontradizendo:
    A Bíblia de estudo NVI traz da seguinte maneira a tradução do texto de II Cr 22:2:

    “Acazias tinha vinte e dois anos de idade quando começou a reinar, e reinou um ano em Jerusalém…”.

    Gleason Archer também comenta:
    “Felizmente, dispomos de informações adicionais no texto bíblico que nos mostram que o número correto é 22. Em II Rs 8:17, lemos que o pai de Acazias, Jorão, filho de Acabe, tinha 32 anos quando se tornou rei, vindo a falecer oito anos mais tarde, aos quarenta. Portanto, Acazias não poderia ter 42 à época em que seu pai morreu, aos 40!”

    Fonte: “Enciclopédia de Temas Bíblicos”; ed. Vida; pg.179-180.

    Normen Geisler & Thomas Howe:
    “Trata-se com toda certeza de mais um erro de copista, e há base suficiente para se demonstrar que Acazias tinha 22 anos quando começou a reinar em Judá.Em 2 Reis 8:17, vemos que Jeorão, filho de Josafá e pai de Acazias, tinha 32 anos quando se fez rei. Jeorão morreu com a idade de 40 anos, oito anos depois de começar a reinar. Conseqüentemente, o seu filho Acazias não poderia estar com a idade de 42 anos ao assumir o reinado após a morte do seu pai; caso contrário ele estaria com uma idade maior do que a de seu pai”.

    ——————————————————————————————-

    A referência a Jeoiaquim em Jeremias 27:1 pode ser um erro do copista, visto que os versículos 3 e 12 falam de Zedequias.
    [Retirado do livro: “Jeremias e a Mensagem de Deus para Nós”, na página 27 (rodapé)]

    Obs.:
    Podíamos fazer uma relação de todos os erros de copistas. Acho que são poucos, mas mostraria uma honestidade de nossa parte…
    [Poderíamos também explicar o por quê disso (Erros do Copista) e mostrar que isso não afeta o escopo bíblico. Pode ser até tema de um post.]

    Att.: Jeosadá

    Curtir

  • Jeosadá  On 22 de julho de 2013 at 7:51

    Alguns podem citar textos como prova de CONTRADIÇÕES na Bíblia. Na verdade, alguns não passam de:

    ERROS DE COPISTA
    [fonte: Watchtower Library (Estudo Perspicaz das Escrituras) e Internet]

    * 2 Crônicas 22:2 (Quarenta e dois anos) – NÃO OCORRE NA TRADUÇÃO DO NOVO MUNDO
    A Bíblia de estudo NVI traz da seguinte maneira a tradução do texto de II Cr 22:2:
    “Acazias tinha vinte e dois anos de idade quando começou a reinar, e reinou um ano em Jerusalém…”.
    Gleason Archer também comenta:
    “Felizmente, dispomos de informações adicionais no texto bíblico que nos mostram que o número correto é 22. Em II Rs 8:17, lemos que o pai de Acazias, Jorão, filho de Acabe, tinha 32 anos quando se tornou rei, vindo a falecer oito anos mais tarde, aos quarenta. Portanto, Acazias não poderia ter 42 à época em que seu pai morreu, aos 40!”
    Fonte: “Enciclopédia de Temas Bíblicos”; ed. Vida; pg.179-180.
    Normen Geisler & Thomas Howe:
    “Trata-se com toda certeza de mais um erro de copista, e há base suficiente para se demonstrar que Acazias tinha 22 anos quando começou a reinar em Judá.Em 2 Reis 8:17, vemos que Jeorão, filho de Josafá e pai de Acazias, tinha 32 anos quando se fez rei. Jeorão morreu com a idade de 40 anos, oito anos depois de começar a reinar. Conseqüentemente, o seu filho Acazias não poderia estar com a idade de 42 anos ao assumir o reinado após a morte do seu pai; caso contrário ele estaria com uma idade maior do que a de seu pai”.
    * Gênesis 36:16 (Xeque Corá)
    Um “Xeque Corá” está alistado em Gênesis 36:16 como filho de Elifaz e neto de Esaú. No entanto, o nome não aparece entre os descendentes de Elifaz, em Gênesis 36:11, 12, ou 1 Crônicas 1:36. O Pentateuco Samaritano omite o nome em Gênesis 36:16, e alguns peritos sugerem que seu aparecimento no texto massorético talvez seja erro de copista.
    * 1 Crônicas 1:6 (Difá)
    Descendente de Noé por meio de Jafé e de Gômer; chamado Rifá na Vulgata latina, na Septuaginta grega e em cerca de 30 manuscritos hebraicos, bem como em Gênesis 10:3. (1Cr 1:4-6 n.) A grafia “Difá” encontrada no texto massorético, em 1 Crônicas 1:6, talvez tenha surgido dum erro de copista, visto que as letras hebraicas “R” (ר) e “D” (ד) são muito parecidas.  
    * Lucas 3:36 (Cainã)
    Lucas relaciona um segundo Cainã entre Arfaxade e Selá (Luc. 3:36). Isto é considerado pela maioria dos eruditos como erro de copista. Esse nome não consta nesta posição nas listas genealógicas dos textos hebraico e samaritano, nem em targuns ou versões, exceto na Versão dos Setenta, e possivelmente nem nas primeiras cópias dela pois, Josefo, que usualmente seguia a Versão dos Setenta, alista Selá (Shelah) a seguir, como filho de Aefaxade. (Antiquities of the Jews, Livro I, Cap. VI, par. 7) Os primitivos escritores, Africano, Eusébio e Jerônimo, rejeitavam isso como interpolação. Outra possibilidade é que “Cainã” seja uma variante para “caldeu”. De modo que o texto grego pode ter rezado “filho do caldeu Arfaxade”.
    * Números 28:27-30 (Dois Carneiros)
    Há uma ligeira diferença na descrição das outras ofertas (as além da oferta de participação em comum) no relato em Números 28:27-30. Em vez de sete cordeiros, um novilho, dois carneiros e um cabritinho, como em Levítico 23:18, 19, requeria sete cordeiros, dois novilhos, um carneiro e um cabritinho. Comentadores judeus dizem que a passagem em Levítico refere-se ao sacrifício que acompanhava os pães movidos, e aquele em Números, o devidamente ordenado sacrifício da festividade, de modo que se ofereciam ambas as ofertas. Em apoio disso, Josefo, descrevendo os sacrifícios no dia de Pentecostes, primeiro menciona os dois cordeiros da oferta de participação em comum, daí junta as ofertas remanescentes, enumerando três bezerros, dois carneiros (evidentemente um erro do copista em vez de escrever três), 14 cordeiros e dois cabritinhos. (Jewish Antiquities [Antiguidades Judaicas], III, 253 [x, 6]) O dia era um santo congresso, um dia sabático. — Le 23:21; Núm 28:26.
    * 2 Crônicas 15:8 (Odede, o profeta)
    Pai do profeta Azarias. (2Cr 15:1) O Segundo das Crônicas 15:8 descreve o próprio Odede como profeta: “Assim que Asa ouviu estas palavras e a profecia de Odede, o profeta.” Alguns eruditos rejeitam as palavras “de Odede, o profeta”, como um erro de copista, mas isto não explica por que o escritor diz que Asa ouviu “estas palavras e a profecia”. Outros fazem um acréscimo para que se leia: “Asa ouviu estas palavras e a profecia de Azarias, filho de Odede”, para concordar com a Septuaginta grega (Códice Alexandrino), com a Pesito siríaca e com a Vulgata latina (recensão clementina), mas isto ainda deixa a já mencionada dificuldade sem explicação. A terceira solução é aceitar o texto massorético como reza, entendendo-se que o próprio Odede enunciou uma profecia que não foi preservada no registro. Asa acatou as palavras de Azarias (2Cr 15:2-7) e as do seu pai, Odede.
    * Josué 15:49; 21:13, 15 (Quiriate-Sana)
    Nome alternativo para Debir, uma cidade de Judá designada aos sacerdotes arônicos, uns 13 km ao SO de Hébron. (Jos 15:49; 21:13, 15) Alguns encaram Quiriate-Sana como erro de copista na escrita de Quiriate-Sefer.

    * 2 Samuel 21:19 (Jaare-Oregim)
    Nome que aparece só em 2 Samuel 21:19 . Acredita-se geralmente que um erro de escriba tenha dado margem para este nome e que a leitura correta seja preservada no texto paralelo em 1 Crônicas 20:5. “Jaare” é considerado ser uma alteração de “Jair”, e “Oregim” (ʼo•reghím,” “tecelões”) é tido como tendo sido copiado inadvertidamente duma linha abaixo do mesmo versículo.
    * Ezequiel 6:14 (Dibla)
    Lugar mencionado por Ezequiel (6:14) quando registrou a profecia de Jeová a respeito da desolação que sobreviria à terra de Israel em retribuição pela sua adoração idólatra. Desconhece-se qualquer lugar antigo com este nome, e a maioria dos peritos hodiernos, portanto, acha que “Dibla” seja erro de copista em lugar de “Ribla”, sendo fácil confundir a letra hebraica inicial “R” (ר) com a letra hebraica “D” (ד). Neste caso, pode ser identificada com a Ribla bíblica (ruínas perto da moderna Ribleh) às margens do rio Orontes, “na terra de Hamate” (2Rs 23:33), e “o ermo na direção de Dibla [Ribla]” talvez se refira à ininterrupta planície pedregosa do Deserto Sírio ao S e ao SE de Ribla. Alguns tradutores, porém, fazem as palavras de Ezequiel rezar “desde o deserto até Ribla”. (CBC) De acordo com tal tradução, o sentido talvez seja que o julgamento de Jeová se estenderia desde “o ermo”, tradicional fronteira meridional da Terra da Promessa (Êx 23:31) até a região de “Hamate” (representada por Ribla) no norte longínquo. (1Rs 8:65) Usar Ezequiel tal frase seria equivalente à melhor conhecida “desde Dã para baixo até Berseba”. — Jz 20:1
    * Jeremias 27:1 (Jeoiaquim)
    A referência a Jeoiaquim em Jeremias 27:1 pode ser um erro do copista, visto que os versículos 3 e 12 falam de Zedequias
    * 1 Reis 4:26 (Quarenta mil cavalos)
    Ao registrar a prosperidade de Salomão, esta passagem declara que ele possuía 40.000 cavalos em estrebarias, para os seus carros. Entretanto, 2 Crônicas 9:25 afirma que Salomão tinha apenas 4.000 cavalos. Qual é o registro correto? Este é, sem dúvida alguma, um erro de copista. A razão de 4.000 cavalos para 1.400 carros, como encontrada na passagem de 2 Crônicas, é muito mais razoável do que uma relação de 40.000 para 1.400 como está no texto de 1 Reis. No hebraico, a diferença visual entre os dois números é muito pequena. As consoantes do número 40 são rbym*, e as do número 4 são rbh (as vogais não eram escritas no texto). Os manuscritos utilizados pelo escriba poderiam estar manchados ou danificados, de forma a dar-lhe a impressão de ser 40.000 e não 4.000.
    * O “y” na palavra rbym normalmente é representado pela vogal “i” longa. Entretanto, como a consoante yod era utilizada para representar vogais longas antes de se acrescentar a pontuação por vogais, ela está inserida aqui como uma transliteração da letra que estaria constando no texto não pontuado.

    Explanação:
    É possível achar um texto massorético “puro”?
    Há muita disputa entre os eruditos sobre que códice hoje disponível é o texto “puro” de Ben Asher, como se isso nos fornecesse então o “verdadeiro” texto massorético. Na realidade, nunca houve um único texto massorético “puro”, autorizado. Antes, havia muitos textos massoréticos, cada um deles um pouco diferente dos outros. Todos os códices existentes são textos mistos, com versões tanto de Ben Asher como de Ben Naftali.
    A tarefa com que qualquer tradutor das Escrituras Hebraicas se confronta hoje é enorme. Ele não só precisa familiarizar-se com o texto hebraico, mas também com todas as opções razoáveis onde o texto talvez tenha sido alterado por um erro de copista ou de outro modo. Embora os diversos textos massoréticos lhe sirvam de base, ele precisa consultar outras fontes válidas, que possam razoavelmente representar versões mais antigas e talvez mais exatas do texto consonantal.
    Na introdução do seu livro The Text of the Old Testament (O Texto do Antigo Testamento), Ernst Würthwein explica: “Quando nos confrontamos com uma passagem difícil, não podemos simplesmente reunir as diversas versões e escolher aquela que parece oferecer a solução mais simples, às vezes preferindo o texto hebraico, outras vezes a Septuaginta e ainda em outras ocasiões, o Targum Aramaico. As evidências textuais não são todas igualmente confiáveis. Cada uma tem seu próprio caráter e sua própria história peculiar. Temos de estar familiarizados com elas se esperamos evitar soluções inadequadas ou falsas.”
    Temos uma base firme para ter plena confiança em que Jeová preservou a sua Palavra. Pelos esforços conjuntos de muitos homens sinceros no decorrer de séculos, temos à nossa disposição a essência, o conteúdo e até mesmo os pormenores da mensagem da Bíblia. Qualquer ligeira diferença numa letra ou numa palavra não tem afetado nosso entendimento das Escrituras. Agora, a pergunta importante é: viveremos nós em harmonia com a Palavra de Deus, a Bíblia?

    Curtir

  • queruvim  On 24 de julho de 2013 at 1:03

    Vou organizar estes seus posts dentro do corpo de artigo assim que puder!

    Curtir

  • O Protestante  On 24 de julho de 2013 at 11:10

    Nossa, fizeram uma versão em português dela???? Não acredito! Esses neo-ateus tão ligeiros, hein!

    Falando nisso, eu até comentar a “The Skeptic’s Annotated Bible”, mas já que você já falou dela, e ainda da versão em português dela, acho que não será necessário eu fazer algum comentário….(rimou! hue)

    Curtir

  • O Protestante  On 24 de julho de 2013 at 11:13

    Além disso, parece que o cara nem sabe a diferença entre apócrifo, pseudepigrafo, e manuscrito histórico!:
    http://www.bibliadocetico.net/apocrifos.html

    Curtir

  • Saga  On 24 de julho de 2013 at 16:19

    Claro que a BDC existe em portugues, qual você acha que é fonte dessas mazelas, acham que cada ateu ou hater vai lá abrir na Bíblia diretamente ? Ele abre no site da BDC ou outros sites de ateus e copia e cola listas prontas.

    Curtir

  • Saga  On 24 de julho de 2013 at 16:21

    Gente é flood, hahaha. Eu já respondi essas mesmas questões anteriormente, mas o incoveniente é quando feitas assim todas de uma vez, é o famoso ad nauseam.

    Curtir

  • O Protestante  On 25 de julho de 2013 at 16:18

    Desculpem pelo flood, mas, um detalhe que vai fazer vocês ou rirem ou chorarem: li essa “lista” dele detalhadamente, e, parece que ele copiou e colou da wikipédia!!! Dá pra ver a qualidade disso agora. Além de ele nem ter se preocupado em separar apócrifos do NT, os apócrifos do AT, os apócrifos da LXX(o que os católicos chamam de “deuterocanônicos”), os pseudepígrafos, e o que eu chamo de livros históricos; ele ainda parece ter copiado e colado tudo da wikipédia!

    Deixem seus risos abaixo \/

    Curtir

  • TNM  On 24 de setembro de 2013 at 22:20

    Me ajudem com essa contradição:

    Quem as mulheres viram na tumba?

    Um anjo. [Mt 28:2]
    Um homem jovem. [Mc 16:5]
    Dois homens. [Lc 24:4
    Dois anjos. [Jo 20:12]

    Curtir

  • O Protestante  On 25 de setembro de 2013 at 9:19

    Isso daí foi a forma na qual os escritores inspirados registraram. Tanto que, se você ver, os relatos se equivalem:
    -Quando são citados homens, o escritores inspirado também cita que eles usam “vestes resplandecentes”. Ora, o que seria esses homens senão anjos?
    -Quando são citados mais de um homem ou mais de um anjo, a eles são atribuídas uma “fala” única, como se apenas um deles falassem. Assim, provavelmente os escritores inspirados Mateus e Marcos provavelmente citaram apenas um, pelo fato de apenas um ter realmente falado.

    Curtir

  • Jurandir  On 17 de outubro de 2013 at 10:13

    É !! me parece que cada um entende da forma que melhor lhe convêm. Existem tantas outras escrituras, mas porque acreditar que a verdadeira é essa ou aquela, eu acho que é interessante ficar nessa zona de conforto, para que vou ficar questionando né, vamos acreditar, seguir sem reclamar oque foi escrito a milhares de anos por pessoas que eu nem sei se realmente existiram.

    Curtir

  • João pastor  On 31 de outubro de 2013 at 11:07

    Deus mandou Moisés Matar ??? como assim ? no passado Deus ordenava homens a serem executores? ele não tinha capacidade para faze-lo ? Justo aquele que preferiu morrer na cruz do que fazer mal a um semelhante mesmo que fosse inimigo, pecador ? (alias vc conhecer algum não pecador aqui na terra ?) esse irmão que comenta só pode estar de brincadeira, essa ja é a contradição, pq Deus iria enviar esse ser a terra para depois mandar mata-lo? ou homens de Madiã não era tmb descendentes de Noé e filho de Deus ? ele mandava a criação matar a criação?meio sinistro isso nao ? as pessoas que mataram Jesus foram perdoadas ainda quando eles estava na cruz , pq Deus nao perdoaria os homens de Madiã ?

    Curtir

  • Saga  On 4 de novembro de 2013 at 14:09

    Não entendi qual a do “João Pastor” aí, ele está escandalizado com aquilo que a Bíblia diz sobre a pena de morte? Tenta colocar oposição entre Novo e Antigo Testamento?

    [1] Justamente quem irá cometer o maior número de execuções será o próprio Cristo em sua vinda, então não cabe essa noção de um Jesus pacifista.

    [2a] O perdão que o pecador espera obter de Deus é espiritual, para que chegue a Vida Eterna, não significa estar ileso de consequências negativas aos seus crimes nessa vida (Existe diferença entre receber a morte física e ser punido com a morte espiritual, pessoas mortas nas guerras com Israel não necessariamente sofreram a Pena Eterna da Geena).

    [2b] Um exemplo bem famoso, o ladrão ao lado de Cristo em sua morte, Jesus perdoou o criminoso? Mas será que isso fez aquele ladrão escapar de ser executado na “cruz” ? Jesus o deu a promessa do paraíso, mas a vida daquele homem nessa antiga Terra acabou ali, pagando pelos seus crimes cometidos diante da lei dos homens. Hoje uma pessoa na prisão que se converte, Jeová pode perdoa-lo e lhe abrir sua misericórdia rumo a Vida Eterna, mas isso não quer dizer que ela não deva continuar na prisão pagando por seus crimes. São duas coisas diferentes: o perdão espiritual de Deus e a isenção das penas terrenas.

    Curtir

  • Saga  On 4 de novembro de 2013 at 14:11

    Queruvim, colegas e irmãos. http://apologeticspress.org/AllegedDiscrepancies.aspx
    Deve haver mais material para leitura proveitosa sobre esse tema da Coerência e Harmonia Bíblicas aqui. É mais uma fonte para analise e comparação.

    Curtir

  • Saga  On 4 de novembro de 2013 at 23:19

    Agora cuidado com essas heresias sobre doutrina: http://apologeticspress.org/AllegedDiscrepancies.aspx?article=651

    http://apologeticspress.org/AllegedDiscrepancies.aspx?article=2682

    In What Way was God Greater than Jesus?
    by Eric Lyons, M.Min.
    […]
    This same apostle recorded other statements in his account of the Gospel that convey the same basic truth. He wrote how, on one occasion, Jesus told a group of hostile Jews, “I and My Father are one” (10:30). Later, he recorded how Jesus responded to Philip’s request to see God by saying, “He who has seen Me has seen the Father” (14:9). He even told about how Jesus accepted worship from a blind man whom He had healed (9:38; cf. Matthew 8:2). And, since only God is to be worshipped (Matthew 4:10), the implication is that Jesus believed He was God (cf. John 1:29,41,49; 20:28; Mark 14:62).

    Sobre a questão dos relatos “contraditórios”, os comentaristas continuamente pensam que acharam textos que “contradizem” ao Unitarismo (ou as TJ). Essa questão sobre o “worship” é ridícula, mas é engraçado que possam ir tão fundo no grego ou no hebraico para responder acusações de ateus, enquanto que quando entra em cena a Trindade rapidamente se esquece do estudo profundo sobre os idiomas originais e simplesmente se prende ao inglês [Ou ao português, as leituras comuns das populares King James e da Almeida em vez de nos antigos manuscritos]. A palavra portuguesa “adorar” ou a inglesa “worship” não são o importante para a conclusão do que foi que o cego foi à Jesus e sim O CONTEXTO e o relato original em GREGO. Mas como eu disse antes, assim como os ateus são rápidos em vasculhar

    Ele continua

    Some, however, see an inconsistency with these statements when they are placed alongside John 14:28, in which Jesus declared: “My Father is greater than I”. Allegedly, this verse (among others—cf. 1 Corinthians 11:3; Mark 13:32; Colossians 3:1) proves that Jesus and the Bible writers were contradictory in their portrayal of Jesus’ divine nature. Jesus could not be one with God and lesser than God at the same time, could He? What is the proper way to understand John 14:28?

    Sobre ser alguém ser “um com Deus” e menor do que Deus ao mesmo tempo, é totalmente possível, em vista do que Jesus diz sobre seus discípulos que seria um em união com ele e com o Pai, eles estão em unidade com o Pai e com o Filho mas continuam abaixo de Deus em posição.

    Statements found in passages like John 14:28 (indicating that Jesus was lesser than God), or in Mark 13:32 (where Jesus made the comment that even He did not know on what day the Second Coming would be), must be understood in light of what the apostle Paul wrote to the church at Philippi concerning Jesus’ self-limitation during His time on Earth. Christ,
    […]
    While on Earth, and in the flesh, Jesus was voluntarily in a subordinate position to the Father. Christ “emptied Himself ” (Philippians 2:7; He “made Himself nothing”—NIV). Unlike Adam and Eve, who made an attempt to seize equality with God (Genesis 3:5), Jesus, the last Adam (1 Corinthians 15:47), humbled Himself, and obediently accepted the role of a servant.

    Jesus’ earthly limitations (cf. Mark 13:32), however, “were not the consequence of a less-than-God nature; rather, they were the result of a self-imposed submission reflecting the exercise of His sovereign will (Jackson, 1995, emp. added). While on Earth, Jesus assumed a position of complete subjection to the Father, and exercised His divine attributes only at the Father’s bidding (cf. John 8:26,28-29) [Wycliffe, 1985]. As A.H. Strong similarly commented years ago, Jesus “resigned not the possession, nor yet entirely the use, but rather the independent exercise, of the divine attributes” (1907, p. 703).

    Quanto papo furado. Pois o apelo trinitário a Filipenses 2:7 falha por duas razões: primeiro que a doutrina da Trindade não crê em um esvaziamento da divindade (de forma que os trinitários de fato não aceitam que durante seu ministério o Filho estava esvaziado de seus poderes divinos), ao contrário ele seria Deus e Homem ao mesmo tempo. Segundo que esse tipo de escusa não resolveria o problema de Marcos 13:32 que diz que “somente O PAI” sabia “o dia e a hora”, então como o espírito santo nunca sofreu qualquer esvaziamento de sua deidade em vista de alguma encarnação a tentativa explicação de MC 13:32 (MT 24:36) que apela para a kenosis (esvaziamento) de FIL 2:7 é simplesmente sem chão!!!

    Ainda poderia ampliar um terceiro e quarto e até quinto motivos: afinal se a passagem de João 14:28 diz que Cristo era inferior a Deus durante o ministério terrestre, a situação não se inverte depois, mesmo após receber toda autoridade (Mt 28:18) ainda se falar de Cristo como inferior a Deus (1 Cor 11:3) e a ele sujeito (15:24-28) bem após a ascensão ao céu. Que Jesus Cristo ainda está inferior à Deus em conhecimento continua sendo um fato mesmo no livro de Apocalipse (Ap 1:1). E o problema MAIOR seria que Fil 2:6 fala que Cristo ser “igual a Deus” seria uma “USURPAÇÃO”, o que prova por A + B que ele não é Deus, isso porque nem citei o problema do resto do texto (2:7-11) fala em Deus lhe exaltar a uma posição superior, o que seria totalmente impossível se Cristo fosse Deus, pois Deus não pode ser promovido além do que já é.

    Nada disso foi resolvido pelos doutos “apologistas” acima e de fato, nunca vi e creio que nunca irei ver resolver.

    Admittedly, understanding Jesus as being 100% God and 100% human is not an easy concept to grasp. When Jesus came to Earth, He added humanity to His divinity (He was “made in the likeness of men”). For the first time ever, He was subject to such things as hunger, thirst, growth (both physical and mental), pain, disease, and temptation (cf. Hebrews 4:15; Luke 2:52). At the same time Jesus added humanity to His divinity, however, He put Himself in a subordinate position to the Father in terms of role function (1 Corinthians 11:3). In short, as Wayne Jackson summarized, “when Jesus affirmed, ‘The Father is greater than I’ (John 14:28), He was not disclaiming divine nature; rather, He was asserting that He had subjected Himself voluntarily to the Father’s will” (1995).

    Deus ser subordinado a alguém é qualquer sentido é uma aberração, uma monstruosidade teológica só capaz de vir a existência por meio de uma ideia absurda como a Doutrina da Trindade. Um dos requisitos faz com que alguém seja o próprio Deus é justamente ser TODO PODEROSO, ou seja ter a maior posição de todas, tendo todos em sujeição e agir onipotentemente de forma independente conforme sua própria vontade. Como alguém pode ser o TODO PODEROSO tendo um chefe acima de si a quem se submete é outro mistério que ninguém vai explicar.

    Sobre a trinitária Doutrina das Duas Naturezas, acima é admitido que é algo paradoxal – eu diria logicamente contraditório-. [“Admittedly, understanding Jesus as being 100% God and 100% human is not an easy concept”]

    Eles estão cientes das contradições que o ensino do esvaziamento causa ao dogma da Trindade: http://apologeticspress.org/apcontent.aspx?category=10&article=354

    De fato o individuo acima se apercebe do que eu falei sobre 1 Cor 11:3 e 15:28.

    O caso é que quando acuados em suas doutrinas de homens [não bíblicas], os “doutos” usam de muito papo furado e de variadas evasivas mas pouca argumentação bíblica, isso quando não usam NENHUMA [argumentação bíblica] e ficam apenas a especular em cima da [não bíblica] Doutrina de Duas Naturezas.

    Em vez de confrontar a Bíblia com a Bíblia, texto com texto e harmonizar os dois, quando a Trindade entra em campo, o objetivo do teólogo é tentar harmonizar a Bíblia com doutrinas humanas, ele quer que o leitor concluía que não existem contradições de textos bíblicos (como Mc 13:32) com os dogmas eclesiásticos que os filósofos Cristandade inventaram do século 4 d.C em diante. (Os motivos para a invenção de doutrinas como a Trindade foram filosóficos e não bíblicos, biblicamente falando era fácil resolver o assunto, mas os filósofos católicos não estavam satisfeitos com a ideia de adorar o mesmo Deus que os judeus, preferia um Deus anônimo e misterioso que se coadunasse com o neoplatonismo e que fosse encarnado em homem como as deidades pagãs e adorado em forma de Tríade como as religiões de mistério)

    Curtir

  • igor  On 19 de novembro de 2013 at 11:33

    Eu só queria saber quando ele volta, ou se vai demora mais alguns seculos .

    Curtir

  • djalma do nascimento brito  On 24 de novembro de 2013 at 20:22

    como poder ter certesa que jesus e o messias?

    Curtir

  • djalma do nascimento brito  On 24 de novembro de 2013 at 20:24

    como posso ter certeza que jesus e o messias? por favor me responda?

    Curtir

  • Queruvim  On 24 de novembro de 2013 at 20:38

    o site jw.org afirma sobre este assunto:
    O escritor de Gênesis registrou a informação de que o Messias viria da descendência de Abraão. (Gênesis 3:15; 22:15-18) Outra indicação revelou que o Messias seria da tribo de Judá. (Gênesis 49:10) Deus disse aos israelitas que o Messias seria um porta-voz e libertador até mesmo maior do que Moisés. — Deuteronômio 18:18.
    Na época do Rei Davi, a profecia revelou que o Messias seria herdeiro de Davi ao trono e que Seu reino seria “firmemente estabelecido por tempo indefinido”. (2 Samuel 7:13-16) O livro de Miquéias disse que o Messias nasceria na cidade de Davi, Belém. (Miquéias 5:2) Isaías predisse que Ele nasceria de uma virgem. (Isaías 7:14) O profeta Malaquias disse que Sua vinda seria anunciada por alguém igual a Elias. — Malaquias 4:5, 6.
    Outro detalhe específico sobre o Messias apareceu no livro de Daniel. Indicando o próprio ano do surgimento do Messias, a profecia declara: “Deves saber e ter a perspicácia de que desde a saída da palavra para se restaurar e reconstruir Jerusalém até o Messias, o Líder, haverá sete semanas, também sessenta e duas semanas. Ela tornará a ser e será realmente reconstruída, com praça pública e fosso, mas no aperto dos tempos.” — Daniel 9:25.
    O rei persa Artaxerxes deu a ordem, ou a “palavra”, para restaurar e reconstruir Jerusalém no 20.° ano de seu reinado. Visto que seu reinado começou em 474 AEC, o 20.° ano foi 455 AEC. (Neemias 2:1-8) Assim, um período de 69 (7 mais 62) semanas proféticas separaria a ordem de restaurar e reconstruir Jerusalém do aparecimento do Messias. Contadas literalmente, 69 semanas dariam apenas 483 dias, menos de dois anos. Mas quando aplicamos a regra profética de “um dia por um ano”, descobrimos que o Messias apareceria 483 anos mais tarde, em 29 EC. — Ezequiel 4:6.
    Apesar de muitas pessoas que afirmavam ser o Messias terem aparecido em várias épocas, Jesus de Nazaré apareceu na cena mundial em 29 EC. (Lucas 3:1, 2) Naquele mesmo ano, Jesus foi a João Batista para ser batizado em água. Jesus foi então ungido como Messias com espírito santo. João, o predito Elias que precederia o Messias, mais tarde apresentou Jesus a André e a outro discípulo, chamando Jesus de “o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. — João 1:29; Lucas 1:13-17; 3:21-23.

    Curtir

  • Queruvim  On 24 de novembro de 2013 at 20:42

    Jesus Foi Aceito Como o Messias. A evidência histórica encontrada nos Evangelhos demonstra que Jesus era deveras o Messias. No primeiro século, aqueles que estavam em condições de interrogar as testemunhas e examinar a evidência aceitavam as informações históricas como autênticas. Tinham tanta certeza da sua exatidão, que estavam dispostos a suportar perseguição e a morrer por causa da sua fé baseada nestas informações seguras. Os registros históricos dos Evangelhos mostram que diversas pessoas reconheceram abertamente que Jesus era o Cristo, ou Messias. (Mt 16:16; Jo 1:41, 45, 49; 11:27) Jesus não disse que não estavam certas, e ocasionalmente ele admitiu ser o Cristo. (Mt 16:17; Jo 4:25, 26) Às vezes, Jesus não dizia especificamente que ele era o Messias; outras vezes mandou que os outros não divulgassem isso. (Mr 8:29, 30; 9:9; Jo 10:24, 25) Visto que Jesus estava presente onde pessoas podiam ouvi-lo e ver suas obras, ele queria que cressem na base sólida desta evidência, para que a fé delas se fundasse no seu próprio testemunho ocular do cumprimento das Escrituras Hebraicas. (Jo 5:36; 10:24, 25; compare isso com Jo 4:41, 42.) Agora já se forneceu nos Evangelhos o registro do que Jesus era e do que fez, junto com as Escrituras Hebraicas, as quais forneceram abundante evidência do que ele faria, para que se saiba e creia que Jesus deveras é o Messias. — Jo 20:31; veja JESUS CRISTO.
    FONTE: http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1200003018

    Curtir

  • Queruvim  On 24 de novembro de 2013 at 20:44

    SUGESTÃO DE LEITURA ADICIONAL:

    O Judaísmo e Jesus

    A maioria dos judeus do primeiro século rejeitou Jesus como o Messias. Ainda assim, ele exerceu profundo impacto sobre o judaísmo. Embora Jesus raramente seja mencionado no Talmude, o pouco que é dito tenta “menosprezar a pessoa de Jesus, por atribuir ilegitimidade ao seu nascimento, poderes mágicos e uma morte vergonhosa”. The Jewish Encyclopedia (A Enciclopédia Judaica).9

    O perito judeu Joseph Klausner admite que tais lendas “parecem ter visado deliberadamente contradizer os eventos registrados nos Evangelhos”.11 E havia bom motivo para isso! A Igreja Católica tinha exacerbado a aversão dos judeus por Jesus, mediante seu anti-semitismo. Ela alienara ainda mais os judeus por declarar que Jesus era um suposto ‘Deus Filho’ parte de uma incompreensível Trindade — em direta contradição com os ensinos do próprio Jesus. Em Marcos 12:29, Jesus citou a Torá, dizendo: “Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor.” — Tradução Almeida, edição revista e corrigida; Deuteronômio 6:4.

    Embora o judaísmo resistisse à conversão, “o Cristianismo influiu consideravelmente sobre o Judaísmo. Obrigou os Rabinos a mudar de ênfase e, em alguns casos, a modificar seus conceitos”.12 Os rabinos de gerações anteriores criam que a esperança messiânica permeava as Escrituras. Eles viam vislumbres dessa esperança em textos tais como Gênesis 3:15 e 49:10. O Targum da Palestina aplicava o cumprimento do primeiro texto “ao dia do Rei Messias”.13 O Midrash Rabbah (O Grande Midrash) disse sobre o último texto: “Isto faz alusão ao Messias real.”14 O Talmude também aplicava ao Messias diversas profecias de Isaías, de Daniel e de Zacarias.15 “Todos os profetas somente têm profetizado para os dias do Messias”, Talmude, Sanhedrin 99a. 16
    Mas, sob a pressão dos esforços de conversão, por parte da cristandade, o judaísmo reavaliou seus conceitos. Muitos textos que há muito eram aplicados ao Messias foram reinterpretados.17 No alvorecer dos tempos modernos, alguns peritos judeus, sob a influência da alta crítica da Bíblia, concluíram que a esperança messiânica não ocorre em parte alguma da Bíblia!18

    A esperança messiânica, porém, experimentou uma espécie de renascimento com a criação do Estado de Israel, em 1948. Escreve Harold Ticktin: ‘A maioria das facções judaicas consideram o surgimento do Estado de Israel como um grande evento profético.’19 Todavia, no modo de pensar judaico, continua não resolvida a questão de quando é que deve chegar o Messias há muito aguardado. Diz o Talmude: “Quando virdes uma geração sobrepujada por muitas dificuldades como se fosse por um rio, esperai [o Messias].” (Sanhedrin 98a)20 No entanto, o Messias judeu não veio durante a noite tenebrosa do Holocausto, nem veio durante o tumultuado nascimento do Estado de Israel. A pessoa se admira: ‘Que outras dificuldades tem o povo judeu ainda de enfrentar antes que o Messias venha?’

    Em Busca do Messias

    Foi entre os judeus que nasceu e foi acalentada a esperança messiânica. Entre eles, tal esperança tornou-se tênue. Seu brilho quase que se extinguiu pelos séculos de sofrimento e desapontamento. Ironicamente, milhões entre as pessoas das nações, ou gentios, vieram a buscar e, por fim, a abraçar um Messias. Será por simples coincidência que Isaías disse sobre o Messias: “A ele buscarão as nações [os gentios]”? (Isaías 11:10, JP) Não deveriam os judeus também buscar, eles mesmos, o Messias? Por que deveriam negar a si mesmos a sua esperança, há muito acalentada?
    É fútil, contudo, buscar um futuro Messias. Caso ele estivesse para chegar, como poderia firmar-se como um descendente legalmente comprovado do Rei Davi? Não foram os registros genealógicos destruídos junto com o segundo templo? Embora tais registros existissem nos dias de Jesus, sua afirmação de ser um descendente legítimo de Davi nunca foi questionada com êxito. Poderia qualquer futuro pretendente a Messias apresentar, algum dia, tais credenciais? É preciso, portanto, buscar o Messias que já veio no passado.

    Isto requer que se exerça novo enfoque sobre Jesus, eliminando noções preconcebidas. O asceta efeminado das pinturas das igrejas se parece muito pouco com o verdadeiro Jesus. Os relatos dos Evangelhos — escritos por judeus — apresentam-no como um homem vigoroso e vibrante, um rabi dotado de extraordinária sabedoria. (João 3:2) Na realidade, Jesus supera qualquer sonho que os judeus já tenham tido de um libertador político. Ele, como Rei conquistador, iniciará, não um frágil Estado político, mas um Reino celeste invencível que restaurará o Paraíso em toda a Terra, sob o qual “o lobo habitará com o cordeiro”. — Isaías 11:6, JP; Revelação (Apocalipse) 19:11-16.

    Viverá nessa era messiânica? Maimônides aconselhou os judeus a simplesmente ‘esperarem a vinda do Messias’.22 Nossos tempos, contudo, são críticos demais para alguém correr o risco de ter perdido a volta dele. A inteira raça humana precisa desesperadamente dum Messias, de um libertador dos problemas que afligem este planeta. Por conseguinte, é tempo de buscá-lo — intensa e ativamente. As Testemunhas de Jeová estão ansiosas de ajudá-lo a fazer isso. Lembre-se de que buscar o Messias não é trair sua herança judaica, uma vez que a esperança messiânica é intrínseca ao judaísmo. E, por buscar o Messias, bem que poderá verificar que ele já veio.

    9. The Jewish Encyclopedia (A Enciclopédia Judaica), 1910, Volume VII, página 170.
    10. Israelis, Jews, and Jesus, de Pinchas Lapide, 1979, páginas 73-4.
    11. Jesus of Nazareth—His Life, Times, and Teaching (Jesus de Nazaré — Sua Vida, Seus Tempos e Seu Ensino), de Joseph Klausner, 1947 (inicialmente publicado na Grã-Bretanha, em 1925), página 19.
    12. The Jewish People and Jesus Christ (O Povo Judeu e Jesus Cristo), de Jakób Jocz, 1954 (inicialmente publicado em 1949), página 153.
    13. Neophyti (Neófitos 1), Targum Palestinense, Ms de la Biblioteca Vaticana, Génesis, 1968, Volume I, páginas 503-4; The Messiah: An Aramaic Interpretation (O Messias: Uma Interpretação Aramaica), de Samson H. Levey, 1974, páginas 2-3.
    14. Midrash Rabbah, traduzido e editado por Dr. H. Freedman e Maurice Simon, 1961 (Primeira Edição 1939), Volume II, página 956; Chumash With Targum Onkelos, Haphtaroth and Rashi’s Commentary (Chumash com Targum de Onkelos, Comentário de Haphtaroth e Rashi), tradução de A. M. Silbermann e M. Rosenbaum, 1985, páginas 245-6.
    15. The Babylonian Talmud, Volume II, páginas 663-5, 670-1 (Sanhedrin 98a, 98b).
    16. New Edition of the Babylonian Talmud (Nova Edição do Talmude de Babilônia), editado e traduzido por Michael L. Rodkinson, 1903, Parte IV, Volume VIII, página 312 (Tratado Sanhedrin); The Babylonian Talmud, traduzido pelo Dr. H. Freedman, 1959, Volume II, página 670 (Sanhedrin 99a).
    17. The Suffering Servant in Deutero-Isaiah, de Christofer R. North, Primeira Edição, 1948, página 18; The Jewish People and Jesus Christ, de Jakób Jocz, 1954 (primeiro publicado em 1949), páginas 205-7, 282; The Pentateuch and Haftorahs (O Pentateuco e as Haftorás), editado por Dr. J. H. Hertz, 1929-36, Volume I, página 202, Palestinian Judaism in New Testament Times (O Judaísmo Palestino nos Tempos do Novo Testamento), de Werner Förster, tradução de Gordon E. Harris, 1964, páginas 199-200.
    18. Encyclopaedia Judaica, 1971, Volume 11, página 1407; revista U.S. Catholic, dezembro de 1983, página 20.
    19. Revista U.S. Catholic, dezembro de 1983, página 21; What Is Judaism? (O Que É Judaísmo?), de Emil L. Fackenheim, 1987, páginas 268-9.
    20. The Babylonian Talmud, Volume II, página 663.
    21. The Works of Josephus (As Obras de Josefo), tradução de William Whiston, 1987, “A Vida de Flávio Josefo”, 1:1-6, e “Flávio Josefo Contra Ápion”, nota de rodapé sobre 7:31, 32.
    22. The Book of Jewish Knowledge, página 286.

    Todas as citações das Escrituras Hebraicas são, quer de The Holy Scriptures (As Escrituras Sagradas; sigla JP), quer da Tanakh (Ta), ambas editadas pela Sociedade Publicadora Judaica da América.
    Afirma Pinchas Lapide, erudito israelense: “Os trechos do Talmude sobre Jesus. . . foram mutilados, distorcidos ou obliterados pelos censores da igreja.” É, assim, “mais do que provável que Jesus tenha tido originalmente um impacto muito maior sobre a literatura rabínica do que dão testemunho os fragmentos de que dispomos hoje em dia”. — Israelis, Jews, and Jesus (Israelenses, Judeus e Jesus). 10
    Veja The Life of Flavius Josephus (A Vida de Flávio Josefo), 1:1-6.21

    FONTE G 22/06/1991

    Curtir

  • Queruvim  On 24 de novembro de 2013 at 20:52

    É bem provável que nossa geração veja. (Mas antes veja Mateus 24:36)

    Sugiro a leitura atenta do artigo abaixo:
    http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1200002686

    Curtir

  • David  On 22 de dezembro de 2013 at 6:59

    Nossa é serio que todos vocês aceitaram de boa a resposta ”não podiam adorar” e logo após ”só para enfeitar” não pode ser que adultos ainda caem nessas historinhas… eu acreditava que quando me torna-se + velho n teria mais ninguém que acreditaria em historinhas absurdas como a existência de um deus superior e etc, mas pelo visto tem muito idiota ainda nesse mundo né??
    porque n tentam estudar sobre os grandes físicos? e de repente adquirir um pouco de massa cinzenta que falta a vcs. Antes que venham falar ”Einstein era cristão” ele n era cristão, ele acreditava em um deus pessoal, como um amigo imaginário, um deus que ele mesmo criou em sua cabeça. E logo falando Newton acreditava em força espiritual, afinal ele era Alquimista uma pratica que acreditava nas forças naturais como divindades etc.
    Resumindo isto eu começo aqui a dizer umas coisinhas, na arca de nóe algo super absurdo onde eles botam todos seres conhecidos daquela época na arca. OK todos seres conhecidos, agora me explica como só existe penguins na Antártida?? alias eles salvaram todos bichos conhecidos naquela época, e levando em consideração os bichos conhecidos da época onde o mundo era somente Europa, asia-menor, e parte da africa.
    Seu deus é onisciente, onipotente e onipresente, mas o diabo existe né?? me explica, se ele saberia que lúcifer iria fazer oque fez, ele nunca teria criado lúcifer, pois afinal para que criar o mal??
    Ai vcs me dizem que o ser humano precisava saber do mal para poder diferenciar o bem do mal, ok pode ser uma resposta, mas se esse era o objetivo de deus pq ele n criou lúcifer logo como uma figura maligna??
    Se deus sabia que teria que mandar que o diluvio pq criou a raça humana??
    Provas de que o big-bang ocorreu aparecem todo dia, alias existem sons que podem ser ouvidos com as maquinas desenvolvidas atualmente que ouvem os ruídos dos fragmentos dessa explosão, mas até hoje ninguém veio me falar ”nossa vi deus ontem”, ai vcs me fazem aquela velha pergunta que eu considero a pergunta mais idiota dos séculos ”ok mas de onde veio o big-bang?” ok cara então me responda de onde veio seu deus??
    Fosseis de dinossauros são encontrados diariamente, e eles nem foram citados na bíblia.
    Já pedaços da arca de nóe ninguém nunca viu.
    A torre de babel foi parada, pq deus n queria que ninguém chega-se aos céus(oq é obvio que n é verdade, visto que humanos daquela época n tinha tecnologia arquitetaria suficiente para fazer os prédios arranha-céus que temos hoje) ok a torre foi parada, mas quando os seres humanos enviaram foguetes para a lua… deus nem apareceu para falar ”para ai, já disse que n vão chegar aos céus”.
    é complicado vcs deixarem de acreditar, a maioria de vcs devem ter 30 anos + e estão convictos da existência de um deus, menosprezando a própria raça e a chamando de inferior a um ser que vcs mesmos n tem 100% de certeza que exista, vcs vão negar dizer que acreditam nele 100% mas eu bem sei que existe aqueles 20% de duvida. Eu fico pasmo em como as pessoas falam ”n estuda a bíblia” mas vcs tbm nunca estudaram a física, química entre outros ramos da ciência, se estudaram n compreenderam ou botaram em mente que era tudo ”blasfêmia contra a palavra do meu amigo imaginário”….

    Curtir

  • Marcelo  On 22 de dezembro de 2013 at 20:50

    Davdi

    Se existem provas sobre o Big Bang, por que nem todos os cientistas ateus acreditam no big bang? Afinal, se é de fato provado, todos deveriam concordar.

    Aliás, o que é considerado ciência mesmo? Ouvi dizer que inclue concluir com base em eventos observáveis e que possam ser reproduzidos. Concorda com isto?

    Se tal definição é correta, sabe o que os cientistas usam para concluir tais TEORIAS (ainda são chamadas de teorias)?

    É FÉ meu amigo. FÉ!

    Sério. Eu trabalho a semana inteira, estou o tempo exausto e ainda tiro tempo para me reunir com meus irmãos na fé, estudar a bíblia e pregar no fim de semana, quando gostaria de estar morto em minha cama, para muitas pessoas das quais me odeiam por isto. Por que faço isto? Por que até agora fui apresentado muito mais evidências de que Deus existe do que evidências do contrário.

    Eu juro, sou uma pessoa inteligente e bem razoável.

    Agora, mesmo assim eu posso estar terrívelmente enganado e iludido em acreditar em Deus. Tenho humildade para admitir isto. Portanto, estou aberto a uma explicação melhor para a origem da vida.

    Me apresente as PROVAS de que big bang gerou tudo a nossa volta e eu prometo que vou parar de perder tempo tentando ensinar o reino do deus que não existe para as pessoas.

    Veja o que os cientistas que falam para todo mundo que a evolução é um fato, não conseguem de fato provar a evolução:

    ATENÇÃO:

    O Vídeo abaixo tem é muito inteligente no que se refere aos questionamentos aos acadêmicos e professores, mas no que se refere a “propaganda religiosa” do fim do vídeo, faltou um pouco mais de coerência em relação a fonte de suas teorias, no caso a bíblia.

    Curtir

  • Queruvim  On 22 de dezembro de 2013 at 20:59

    Mais um comment mal educado e que levanta muitas questões ao mesmo tempo fazendo um flooding aqui nesta página.(Argumentum Verbosium) Outro comment assim não será aceito.Verbosium porque tu usas de muitas perguntas ao mesmo tempo. Espero estar errado, mas parece que pensas que não há argumentos que sejam melhores que os seus ou que sequer existe uma explicação.David, colega, não é bem assim! Quero deixar claro que não somos “evangélicos” mas Testemunhas de Jeová (bem diferente) e que respeitamos a todos. Inclusive você. Procure enriquecer esta página com suas opiniões, mas sempre com respeito e consideração para com o proponente de visão diferente. Isso sem dúvida contribuirá para o nível desta página.

    Sobre Isaac Newton

    A grande maioria dos eruditos atualmente identificam Isaac Newton como tendo sido um cristão antitrinitário monoteísta.O que Sir Isaac Newton tinha a dizer sobre a doutrina da Trindade? Ele rejeitava esse ensino. Seu principal motivo para rejeitá-lo era que, ao verificar as declarações dos credos e dos concílios da Igreja, não encontrou nada nas Escrituras que apoiasse tal ensino. De fato, ele acreditava firmemente na soberania suprema de Jeová Deus e na posição de Jesus Cristo nas Escrituras, como inferior ao Pai. — 1 Coríntios 15:28.

    Posso citar duas fontes fiáveis a este respeito. Snobelen, Stephen D. (1999). “Isaac Newton, heretic: the strategies of a Nicodemite” (PDF). E esta é claramente a mesma opinião encontrada em Avery Cardinal Dulles. The Deist Minimum. Janeiro de 2005. Por meio do estudo das profecias e da cronologia bíblica, alguns tentaram determinar precisamente quando viria o fim. Um que pesquisou esse assunto foi Sir Isaac Newton, matemático do século 17, que descobriu a lei da gravitação universal e inventou o cálculo infinitesimal.
    Ele foi induzido por suas descobertas a escrever:

    “Esse belíssimo sistema do Sol, dos planetas e dos cometas poderia apenas proceder do propósito e do domínio de um Ser inteligente e poderoso.”

    Será que ele não era um “grande físico” e lhe faltava “massa cinzenta”?

    Sua afirmação David referente a Newton e os estudos da alquimia que ele fez é a opinião de um crítico de Newton e escritor de ficção. Não é partilhada pelos que realmente conheciam Newton e seus escritos.Ninguém jamais conseguiu com êxito desafiar a autenticidade da Bíblia.
    Newton acreditava em um Deus ou Ser Supremo como sendo algo que não podia ser negado em vista da maravilha e grandiosidade da criação. ( FONTE: Webb, R.K. ed. Knud Haakonssen. “The emergence of Rational Dissent.” Enlightenment and Religion: Rational Dissent in eighteenth-century Britain. Cambridge University Press, Cambridge: 1996. p19)

    Sir Isaac Newton disse:

    “Encontro na Bíblia mais indícios indisputáveis de autenticidade do que em qualquer história profana.”

    A mão humana tem feito com que pessoas refletivas fiquem admiradas! “Na ausência de qualquer outra prova”, escreveu Sir Isaac Newton…

    “o polegar por si só me convenceria da existência de Deus”.

    Sir Isaac Newton, expressou seu interesse na santidade do sangue. Declarou ele:

    “Esta lei [de abster-se do sangue] era mais antiga do que os dias de Moisés, sendo dada a Noé e a seus filhos, muito antes dos dias de Abraão: e, assim, quando os Apóstolos e Anciãos no Concílio de Jerusalém declararam que os gentios não eram obrigados a ser circuncidados e a guardar a lei de Moisés, eles excetuaram esta lei de abster-se do sangue, e de coisas estranguladas, como sendo uma lei anterior de Deus, imposta, não apenas aos filhos de Abraão, mas a todas as nações.”

    Pera ai! Ele acreditava em Noé e no relato do dilúvio! Era ele alguém desprovido de massa cinzenta? Longe disso! Antes, os grandes cientistas do passado, como Isaac Newton (chamado pelo escritor científico Isaac Asimov “o maior cérebro científico que o mundo já conheceu”), acreditavam em Deus. Não achavam que a descrença fosse uma credencial necessária para a sua habilidade científica.

    Att.

    Queruvim

    Curtir

  • Jeosadá  On 23 de dezembro de 2013 at 1:16

    Antes de mais nada, fica o recado:

    SE VOCÊ TEVE CORAGEM DE VIR ATÉ ESSE BLOG E POSTAR SEU LONGO COMENTÁRIO, TENHA CONSIDERAÇÃO POR AVALIAR O QUE OUTROS TEM A DIZER!

    VAMOS LÁ:

    Vê se usa sua massa cinzenta e de repente adquirir um pouco que falta a você Sr. David!!!
    _____________________________________________________________________________

    “Eu acreditava que quando me torna-se + velho n teria mais ninguém que acreditaria em historinhas absurdas como a existência de um deus superior e etc, mas pelo visto tem muito idiota ainda nesse mundo né??
    porque n tentam estudar sobre os grandes físicos?”

    RESPOSTA:
    Veja que você não usa a RAZÃO para negar a existência de Deus, mas usa um sentimentalismo “Soberbo”, usa a famosa FALÁCIA Bulverismo:

    -> Argumentar partindo do pressuposto de que o oponente já está comprovadamente errado.
    Ex.:
    Você está dizendo que a Bíblia é correta? Nem vou discutir com você, parei. Sabemos que a ciência comprovadamente explica tudo corretamente.

    É um egocentrismo ideológico, não se consegue considerar os pontos de vista do outro.

    Vamos estudar grandes mentes?

    Que tal começar por Michael Behe, lendo “A Caixa-Preta de Darwin”?

    Talvez essa obra lhe faça “adquirir um pouco de massa cinzenta que falta”…
    ___________________________________________________________________________

    “Resumindo isto eu começo aqui a dizer umas coisinhas, na arca de noé algo super absurdo onde eles botam todos seres conhecidos daquela época na arca. Alias eles salvaram todos bichos conhecidos naquela época, e levando em consideração os bichos conhecidos da época onde o mundo era somente Europa, asia-menor, e parte da africa.””

    RESPOSTA:
    As “espécies” de animais selecionados se referiam às fronteiras ou aos limites inalteráveis e nítidos fixados pelo Criador, dentro dos quais as criaturas são capazes de se reproduzir “segundo as suas espécies”. Alguns calcularam que as centenas de milhares de espécies de animais atuais poderiam ser reduzidas a comparativamente poucas “espécies” de famílias — a espécie eqüina e a espécie bovina, para se mencionar apenas duas. Os limites de reprodução segundo a “espécie”, estabelecidos por Jeová, não foram e não podiam ser ultrapassados. Tendo isto presente, alguns pesquisadores têm dito que, se tivesse havido apenas 43 “espécies” de mamíferos, 74 “espécies” de aves e 10 “espécies” de répteis na arca, elas poderiam ter produzido a variedade de espécies conhecidas atualmente. Outros foram mais liberais em calcular que 72 “espécies” de quadrúpedes e menos de 200 “espécies” de aves eram tudo o que se requeria. Que a grande variedade de vida animal hoje conhecida poderia ter resultado de cruzamentos dentro de tão poucas “espécies” após o Dilúvio é provado pela infinita variedade da espécie humana — pessoas baixas, altas, gordas, magras, com incontáveis variações da cor dos cabelos, dos olhos e da pele — todas as quais surgiram da única família de Noé.

    Esses cálculos talvez pareçam a alguns muito restritivos, especialmente visto que fontes tais como The Encyclopedia Americana (A Enciclopédia Americana) indicam que há mais de 1.300.000 espécies de animais. (1977, Vol. 1, pp. 859-873) Todavia, mais de 60 por cento delas são insetos. Reduzindo estes algarismos ainda mais, dos 24.000 anfíbios, répteis, aves e mamíferos, 10.000 são aves, 9.000 são répteis e anfíbios, muitos dos quais podem ter sobrevivido fora da arca, e apenas 5.000 são mamíferos, inclusive baleias e toninhas, que também teriam permanecido fora da arca. Outros pesquisadores calculam que há apenas cerca de 290 espécies de mamíferos terrestres maiores do que ovelhas e cerca de 1.360 menores do que ratos. (The Deluge Story in Stone [A História do Dilúvio Gravada em Pedra], de B. C. Nelson, 1949, p. 156; The Flood in the Light of the Bible, Geology, and Archaeology [O Dilúvio à Luz da Bíblia, da Geologia e da Arqueologia], de A. M. Rehwinkel, 1957, p. 69) Assim, mesmo se as estimativas se basearem nesses algarismos ampliados, ainda assim a arca poderia facilmente ter alojado um casal de todos esses animais.

    ____________________________________________________________________________

    “OK todos seres conhecidos, agora me explica como só existe pinguins na Antártida?”

    RESPOSTA:
    Alguns têm argumentado que a presença de animais em ilhas isoladas, tais como a Austrália e a Nova Zelândia, é indício de que nem todos os animais terrestres que estavam fora da arca pereceram no Dilúvio. No entanto, as descobertas dos oceanógrafos indicam que há base para se crer que, certa vez, cordilheiras terrestres uniam o que são agora áreas terrestres isoladas. Por exemplo, estudos oceanográficos divulgados pelo Dr. René Malaise falam de descobertas indicativas de que, certa vez, existia uma “Cordilheira do Atlântico Médio” que cruzava esse oceano acima da superfície. Possivelmente havia também outras cordilheiras, e os animais poderiam ter emigrado através delas, antes que tais cordilheiras afundassem sob a superfície do oceano. Outros estudos oceanográficos apresentaram evidência de que, certa vez, existia enorme continente no Pacífico Sul, que abrangia a Austrália e muitas das ilhas dos Mares do Sul. Se esse era o caso, então os animais não tiveram, naturalmente, dificuldade alguma em emigrar para tais terras.

    ________________________________________________________________________________

    “Ai vocês me fazem aquela velha pergunta que eu considero a pergunta mais idiota dos séculos: “Mas de onde veio o big-bang?” Ok cara! Então me responda de onde veio seu deus?”

    RESPOSTA:

    Teve Deus um princípio?

    O CÉPTICO francês, de pé e firmemente ereto em frente de casa, olhou para a Testemunha de Jeová bem nos olhos e disse: “Se puder me dizer de onde veio Deus, eu o escutarei.” Tranquila, a Testemunha respondeu: “Algumas pessoas dotadas de muita lógica chegaram à mesma conclusão que Voltaire, filósofo francês do século 18: ‘Se Deus não existisse, seria preciso inventá-lo.’ Já refletiu por que um homem tão inteligente como Voltaire faria tal declaração?”

    O senhor admitiu que não, e mandou a Testemunha entrar. A Testemunha desenvolveu sua argumentação no seguinte sentido:

    Sejamos Lógicos
    Como Voltaire, muita gente é da opinião que a vida e o universo têm de ter uma causa. A fim de poder produzir as coisas que vemos, esta causa teria de ser dotada de certos poderes e qualidades, tais como energia, capacidade de organização, gosto artístico, amor e sabedoria. Por quê? Por que as coisas observáveis no universo, notadamente em nosso planeta Terra, refletem tais características. Bem, estas não são atributos de coisas, mas de pessoas. Assim, o resultado é o conceito de um Ser Supremo — Deus.

    “Isso é bem razoável”, replicou o incrédulo francês, “mas de onde veio Deus?”

    Nenhum Princípio Absoluto
    Vemo-nos confrontados com a realidade observável de um universo material e de muitas formas diferentes de vida na Terra. De onde se originaram? Alguns cientistas, embora nem todos, afirmam que estas formas de vida são obra do acaso. Mas as teorias divergentes dos cientistas sempre pressupõem a existência de algo, não importa como eles o chamem. Afirmam, e de modo correto, que a matéria é uma forma de energia. Nessa base, acham que o universo material poderia ter surgido acidentalmente. Mas não explicam como o conjunto inicial de circunstâncias veio a existir. Existe sempre algo preexistente, cuja origem não são capazes de explicar.

    De modo que os ateus pressupõem a existência de uma coisa, ao passo que os que acreditam em Deus pressupõem a existência de uma pessoa. Em vista de todas as leis naturais, da precisão matemática, da organização, e da sabedoria observáveis na Terra e por todo o universo, as Testemunhas de Jeová depreendem que é mais lógico concluir que a Causa Primária é uma Pessoa em vez de uma coisa; um Criador inteligente, em vez de uma força cega. À premissa do ateísmo: ‘No princípio, algo’, preferem as palavras iniciais da Bíblia: “No princípio Deus.” — Gênesis 1:1.

    “Sabia que o senhor acabaria citando a Bíblia”, disse o francês indagador.

    A verdade é que as Testemunhas de Jeová consideram que o ponto de vista da Bíblia sobre os fatos básicos é lógico e se harmoniza com as realidades observáveis. Examinemos algumas delas.

    Algo Não Pode Provir do Nada. Nenhum cientista conseguiu produzir algo do nada. O homem só consegue transformar ou construir à base de materiais já existentes. Similarmente, ninguém em são juízo sugeriria que um artigo manufaturado simplesmente surgiu por acaso. A Bíblia declara uma verdade auto-evidente: “Cada casa, naturalmente, é construída por alguém.” Daí, prossegue à conclusão lógica: “Mas quem construiu todas as coisas é Deus.” (Hebreus 3:4) Reconhecer que uma casa precisaria dum arquiteto e dum construtor e, ao mesmo tempo, afirmar que um átomo complicado, uma molécula, ou uma célula surgiram do nada, simplesmente não faz sentido, do ponto de vista da Bíblia. A Bíblia pergunta com lógica: “Deve a coisa feita dizer referente àquele que a fez: ‘Ele não me fez’?” — Isaías 29:16.

    A Vida Procede de Outra Vida.

    Embora alguns insistam em crer que a vida surgiu espontaneamente de matéria abiótica, nunca vimos fábricas transformarem vagões inteiros de substâncias químicas em células vivas manufaturadas. Se a vida é algo espontâneo, por que o homem não consegue repetir e desenvolver tal processo? Simplesmente porque os fatos mostram que todas as coisas vivas conhecidas provêm de outras coisas vivas preexistentes. A Bíblia reconhece que a primeva Causa Primária deve ter sido um Ser vivo, declarando: “De tempo indefinido a tempo indefinido, tu és Deus.” “Contigo está a fonte da vida.” — Salmo 90:2; 36:9.

    A Matéria É Uma Forma de Energia.

    A Bíblia está em perfeito acordo com o fato cientificamente comprovado de que a matéria é uma forma de energia. O homem descobriu como liberar energia da matéria em suas bombas atômicas, e em suas usinas nucleares. A Bíblia mostra que Deus é a fonte da energia concentrada no universo material. Lemos: “Levantai ao alto os vossos olhos e vede [os corpos do sistema solar, as estrelas, as galáxias]. Quem criou estas coisas? Foi Aquele que faz sair o exército delas até mesmo por número. . . . Devido à abundância de energia dinâmica, sendo ele também vigoroso em poder, não falta nem sequer uma delas.” (Isaías 40:26) “Ele é Quem fez a terra pelo seu poder.” — Jeremias 10:12.

    O Universo Fornece Evidência de Objetivo.

    De acordo com a experiência humana, a ordem jamais resulta da confusão. Por conseguinte, será lógico crer que a ordem visível na Terra, com suas estações e seus ciclos tão necessários à vida vegetal, animal e humana, poderia ser obra do acaso? Antes, não fornecem tais coisas uma evidência de projeto e de objetivo? Declara a Bíblia: “Assim disse Jeová, o Criador dos céus, Ele, o verdadeiro Deus, o Formador da terra e Aquele que a fez, Aquele que a estabeleceu firmemente, que não a criou, simplesmente para nada, que a formou mesmo para ser habitada.” — Isaías 45:18.

    Qual é a sua conclusão?

    O Universo
    ↓ ↓
    Não teve | Teve um
    começo começo
    ↓ ↓
    Sem causa | Foi causado
    ↓ ↓
    Por uma | Por um SER
    COISA ETERNO
    ETERNA

    _______________________________________________________________________________

    “Seu deus é onisciente, onipotente e onipresente… Se deus sabia que teria que mandar que o diluvio porque criou a raça humana??”

    RESPOSTA:
    A Bíblia deixa bem claro que Deus tem a capacidade de predizer o futuro. Ele sabe ‘o final desde o princípio’, diz Isaías 46:10. Ele até mesmo usou secretários humanos para registrar muitas profecias. (2 Pedro 1:21) Além disso, essas profecias sempre se cumprem em detalhes por causa da sabedoria e do poder de Deus. Assim, Deus pode tanto predizer como predestinar acontecimentos sempre que deseja fazer isso. Mas será que Deus predestina o futuro de cada ser humano ou o número dos que serão salvos? A Bíblia diz que não.

    Ela ensina que Deus é seletivo no que diz respeito a predestinar o futuro. Por exemplo, ele predisse que “uma grande multidão” de pessoas justas sobreviveria à destruição dos maus no fim do atual sistema. (Revelação [Apocalipse] 7:9, 14) Note, porém, que Deus não deu o número específico daquela grande multidão. O motivo? Ele não predestina a vida de cada pessoa. Deus é como o pai amoroso de uma grande família. Ele sabe que pelo menos alguns de seus filhos retribuirão ao seu amor, mas ele não predetermina o número deles.

    Compare o uso que Deus faz da predestinação com o modo de usar seu poder. Sendo o Todo-Poderoso, ele tem poder absoluto. (Salmo 91:1; Isaías 40:26, 28) Mas será que ele usa seu poder de um modo descontrolado? Não. Por exemplo, ele só agiu contra Babilônia, uma inimiga do Israel antigo, no tempo certo. “Continuei a exercer autodomínio”, disse Deus. (Isaías 42:14) O mesmo princípio se aplica ao seu uso da predição e da predestinação. Jeová exerce autodomínio a fim de respeitar o livre-arbítrio que ele mesmo nos deu.

    O controle que Deus tem de seu poder não o limita nem o torna imperfeito. Na realidade, magnifica sua grandeza e nos atrai a ele, porque mostra que sua soberania é exercida não apenas com onisciência e poder, mas também com amor e respeito pelo livre-arbítrio de suas criaturas inteligentes.

    Por outro lado, se Deus predestinasse tudo, incluindo todos os acidentes e atos horríveis que já ocorreram, as pessoas poderiam culpá-lo com razão por todo o sofrimento do mundo. Assim, depois dessa análise, concluímos que o ensino popular da predestinação não honra a Deus, mas o retrata como cruel, injusto e desamoroso — justamente o oposto do que a Bíblia diz a seu respeito. — Deuteronômio 32:4.

    Ex.: Você pode ter uma granada na mão e ter o poder de destruir uma sala cheia de pessoas. Mas só porque você tem esse poder não significa que você o usa irracionalmente.

    Lembre-se que Deus PODE muda uma ação se PRIMEIRO as pessoas mudarem seu proceder.

    Se no mundo de Noé as pessoas se arrependessem elas seriam poupadas, assim como aconteceu com Nínive.

    Você pode usar seu livre-arbítrio da maneira que lhe agrada, mas não pode fugir das consequências dos seus atos.

    Ex.: Um fumante escolhe que escolhe fumar sabendo dos riscos, nunca vai poder condenar o ministério da saúde, pois durante toda a vida dele ele foi AVISADO que aquilo fazia mal, mais mesmo assim ele ESCOLHEU fumar tendo em mente as consequências de sua decisão.

    TODOS TEMOS ESCOLHAS.
    E TODAS ELAS TRAZEM CONSEQUÊNCIAS.
    CABE A CADA UM DECIDIR O QUE FAZER.

    ___________________________________________________________________

    “Já pedaços da arca de noé ninguém nunca viu.”

    MUITO MENOS O “ELO PERDIDO”…

    _______________________________________________________

    Sabe, você deve estar começando sua vida agora, deve estar sofrendo com os hormônios da Adolescência e deve estar um pouco ‘agitadinho’ por causa de seus professores que devem estar botando muita porcaria em sua mente.

    Perceba que é só por meio de uma LONGA investigação que você vai ter uma opinião própria ao invés de ir na ‘ondinha’ de gente com ares de sabedoria.

    Eu já passei por isso e sei hoje que no colégio a gente aprende MUITA porcaria!

    Se eu não tivesse aprendido a pensar por mim mesmo, talvez hoje eu acreditaria em Mitos como a Evolução, Aquecimento Global, SOMENTE Transfusão de Sangue Salva Vidas, dentre outras…

    APRENDE A PENSAR POR SI MESMO E VER QUE VOCÊ TEM QUE TER OPINIÃO PRÓPRIA!

    Curtir

  • Alexei  On 23 de dezembro de 2013 at 18:10

    Essa também é uma das maiores culpas da Babilônia.
    Saem por aí pregando todo tipo de doutrina e ensino falso e olha em que resulta.
    Existem ideias que não são se harmonizam com a personalidade de nosso Deus. Infelizmente, devido a esses ensinos contraditórios e confusos, como por exemplo o tormento eterno, a predestinação, etc, muitos se perdem sem aperceber-se disso.
    O problema é que essas pessoas não conseguem ouvir uma terceira opinião (ou pelo menos não têm humildade suficiente para isso) e aferram-se aos conceitos velados que lhe foram apresentados para elaborar suas críticas. Pelo que eu saiba, não é isso o que os homens da verdadeira ciência defendem.
    É necessário ter razoabilidade para analisar os fatos. Ter uma certa medida de frieza e superar se possível suas próprias crenças pessoais (mesmo as científicas) para buscar imparcialmente a verdade.

    A Babilônia, sempre a Babilônia. Sempre cheia de confusão, tem afastado as pessoas do verdadeiro Deus.
    Pessoas generalizam pelo simples fatos de terem sido enganadas pela Grande Meretriz e suas filhas religiosas. Cometendo fornicação com César e seus tantos outros parceiros esqueceu-se rapidamente daquele a quem professava ser possuída. O resultado era esperado. Somente tem cumprido a missão que Satanás realmente queria: Afastar as pessoas de Deus.
    Irmãos, temos a luta à frente de ajudar as pessoas (sinceras) a fugir desse antro vil de devassidão…
    Façamos isso então!

    Curtir

  • DREJAH  On 23 de dezembro de 2013 at 23:49

    É David realmente tem muito[s ] neste mundo mesmo que não sabem nada de ciência e quando entram em assuntos bíblicos conseguem ser mais ignorantes ainda.
    Sobre os pedaços da Arca que ninguém nunca viu acho que você deveria reavaliar esta sua colocação após ver este vídeo https://www.youtube.com/watch?v=8dFPnLLJBow
    Você me lembra muito bem um personagem bíblico chamado Tomé e o que Jesus disse a ele eu digo a você: “Para de ser incrédulo , mas torna-te crente.” Jo20:27
    Agora sobre provas do som do Big Bang tenho que concordar com você . Recentemente cientistas americanos e europeus conseguiram captar um som progressivo e constante vindo do espaço ele era exatamente assim : JEEOOOOOVVÁÁÁÁÁÁÁ !!!!

    Curtir

  • Queruvim  On 24 de dezembro de 2013 at 1:40

    Curtir

  • Vinicius Monteiro  On 24 de dezembro de 2013 at 10:39

    Irmãos não faz sentido Jeová preservar a Arca de Noé, serviria de símbolo de adoração a muitos e não ajudaria ninguém a servir a Jeová. Além disso não precisamos de pedaços de madeira velhos cobertos de alcatrão para provar que o dilúvio existiu. Já existe provas suficientes para quem tem coração sincero, como: Várias espécies de animais encontrados dentro de uma caverna, soterrados de lama, o fato do dilúvio ser narrado em muuuuittaasss culturas, o encontro de animais mortos ainda com comida na boca, animais com o corpo cheio de lama, e etc…. Algo tão impressionante deixou marcas, e quem tiver coração sincero, vai acreditar. Lembre-se do texto de Salmos 10:4 que diz: “O iníquo, segundo a sua arrogância, não faz nenhuma pesquisa; Todas as suas idéias são: “Não há Deus.””

    Com relação as suas acusações David, analisemos elas e chegue as suas conclusões: “Seu deus é onisciente, onipotente e onipresente, mas o diabo existe né?? me explica, se ele saberia que lúcifer iria fazer oque fez, ele nunca teria criado lúcifer, pois afinal para que criar o mal??”

    De fato Deus é onisciente, ele tem condições de saber qualquer coisa, porém, ele deu a cada uma das suas criaturas o livre-arbítrio, o mesmo que você está usando para difamá-lo, assim como Satanás fez e continua fazendo. É interessante o relato de Ezequiel 28 onde Jeová se refere ao rei de Tiro, mas, percebe-se que ele também está falando com Satanás, devido as referências como Jardim do Éden e Querubim, preste atenção no que Jeová diz: “‘“Tu estás selando o modelo, cheio de sabedoria e perfeito em beleza. Vieste a estar no Éden, jardim de Deus. […] Tu és o querubim ungido que cobre, e eu te constituí. Vieste a estar no monte santo de Deus. No meio de pedras afogueadas andavas. Eras sem defeito nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou injustiça em ti. […] e começaste a pecar. E eu te porei para fora do monte de Deus, por seres profano, e te destruirei, ó querubim que cobre, do meio das pedras afogueadas. “‘“Teu coração se ensoberbeceu por causa da tua beleza. Arruinaste a tua sabedoria por causa da tua refulgência. Vou lançar-te para a terra. […]
    “‘“Devido à abundância dos teus erros, […] farei de ti cinzas sobre a terra diante dos olhos de todos os que te vêem. Quanto a todos os que te conhecem entre os povos, hão de olhar para ti espantados. Terrores repentinos é o que te terás de tornar, e não serás mais por tempo indefinido.”’” — Ezequiel 28:11 – 19

    Percebe que Jeová o havia feito perfeito, sem pecado, sem maldade, porém, por ter sido soberbo perdeu a perfeição e por causa das maldades por ele cometidas, ele será destruído. Agora vamos a questão que você disse, se Deus é onisciente, então ele sabia que o anjo que ele criou mais tarde se tornaria Satanás, e que Adão e Eva pecariam não é? Na verdade não, o fato de Deus ser onisciente não significa que ele sabe qual passo que cada um vai dar, Ele não fica controlando o que cada criatura faz, senão não haveria o livre-arbítrio, haveria o destino. Se Deus soubesse o que cada um poderia fazer e se tornar, perderia totalmente o sentido de Ele ter mandado o seu filho como resgate e pedir que cada ser humano na face da Terra se arrependa de seus pecados e passe a fazer a vontade dele. Se tiver interesse em aprender mais, leia aqui http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1200001549#h=12:0-15:597

    Próximas questões: “Ai vcs me dizem que o ser humano precisava saber do mal para poder diferenciar o bem do mal, ok pode ser uma resposta, mas se esse era o objetivo de deus pq ele n criou lúcifer logo como uma figura maligna??
    Se deus sabia que teria que mandar que o diluvio pq criou a raça humana??” Quem te afirmou que Deus criou Satanás para que o ser humano soubesse diferenciar o bem do mal, está lhe mentindo, em Jeová não há maldade, e ele é a fonte do amor (1 João 4:8). Deus nunca criou Satanás, como viu no texto anterior, Jeová o criou perfeito, bom, mas, ele se tornou Satanás. Não foi uma criação de Jeová. Deus não sabia que teria que mandar o Dilúvio, de fato, ele nem sabia que Adão e Eva iriam pecar, como já foi explicado.

    Próxima questão: “Provas de que o big-bang ocorreu aparecem todo dia, alias existem sons que podem ser ouvidos com as maquinas desenvolvidas atualmente que ouvem os ruídos dos fragmentos dessa explosão, mas até hoje ninguém veio me falar ”nossa vi deus ontem”, ai vcs me fazem aquela velha pergunta que eu considero a pergunta mais idiota dos séculos ”ok mas de onde veio o big-bang?” ok cara então me responda de onde veio seu deus??” Você nunca vai ouvir alguém dizer que viu Deus, por que a Bíblia diz que nenhum homem pode ver a Deus (João 1:18), se alguém lhe disse que viu a Deus está mentindo. Porém isso não prova que Jeová não existe, assim como o fato de não podermos enxergar o vento, as células, as bactérias, os átomos e outras coisas, não provam que tais coisas não existem.
    E Jeová veio de onde? A Bíblia ensina que Deus não teve princípio. Ele sempre existiu. Para não ficar muito longa a resposta, veja mais neste link http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/2010491#h=0:0-7:489

    Próxima questão: “Fosseis de dinossauros são encontrados diariamente, e eles nem foram citados na bíblia.
    Já pedaços da arca de nóe ninguém nunca viu.”
    Me diga, o que são os dinossauros, não são animais? Inclusive, segundo os cientistas, alguns estão vivos até hoje, como o crocodilo. A Bíblia diz que Deus criou as espécies de animais, não especifica cada animal, o que não significa que não existiram, por exemplo, a Bíblia não menciona a Arara, mas, não quer dizer que ela não menciona que foi criada. Além disso, o termo dinossauro, foi criado em 1842, muito tempo depois da escrita da Bíblia ter sido completada.
    Com relação a Arca de Noé, de fato, ninguém nunca viu, mas, como já disse, existe outras evidências que comprovam a existência do dilúvio. Veja algumas evidências aqui: http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1200001150#h=10:0-16:1124

    Próxima questão: “A torre de babel foi parada, pq deus n queria que ninguém chega-se aos céus(oq é obvio que n é verdade, visto que humanos daquela época n tinha tecnologia arquitetaria suficiente para fazer os prédios arranha-céus que temos hoje) ok a torre foi parada, mas quando os seres humanos enviaram foguetes para a lua… deus nem apareceu para falar ”para ai, já disse que n vão chegar aos céus”.” Vamos ver o relato de Gênesis e veja a afirmação que você fez está correta: “Ora, toda a terra continuava a ter um só idioma e um só grupo de palavras. E sucedeu que na sua viagem para o oriente descobriram, por fim, uma planície na terra de Sinear, e passaram a morar ali. E começaram a dizer, cada um ao próximo: “Vamos! Façamos tijolos e cozamo-los por um processo de queima.” O tijolo servia-lhes assim de pedra, mas o betume servia-lhes de argamassa. Disseram então: “Vamos! Construamos para nós uma cidade e também uma torre com o seu topo nos céus, e façamos para nós um nome célebre, para que não sejamos espalhados por toda a superfície da terra.”” – Gênesis 11:1-4
    Como pode ver a intenção dos homens ao construir a torre, era que não fossem espalhados pela superfície, uma afronta direta aos planos de Jeová, de que os homens se espalhassem pela Terra, que a ocupassem. — Gênesis 1:28, 9:1
    Além disso, quem intencionou a construção da torre, Ninrode, era um forte opositor da adoração verdadeira, como a própria Bíblia o descreveu (Gênesis 10:9), seu objetivo era desviar as pessoas de Jeová. O projeto da torre proposto em Babel era uma demonstração do poder e habilidade humanos, independente de Deus, não autorizado por ele. Traria prestígio e fama a seus construtores, não a Deus. E, como Deus se apercebia, isto seria apenas o começo. Poderia levar a uma série de ambiciosos projetos de poder, que arrastaria os homens para um proceder cada vez mais distante do Deus verdadeiro, em desafio a ele e a seu propósito para com o planeta e a raça humana. Mais uma vez, Deus interveio, lançando o projeto em confusão por agir sobre a faculdade humana da fala, levando as pessoas a se dispersarem por todo o globo.
    Com relação a tecnologia, será que eles realmente não sabiam? Os egípcios construíram as pirâmides como? E os maias? Com a ajuda de Ets? Se você pesquisar havia muito conhecimento na Biblioteca de Alexandria, que se perdeu ao ser destruída, e que hoje o ser humano teria que redescobrir, então a tecnologia, de fato, era o menor dos problemas.

    Finalizando: “é complicado vcs deixarem de acreditar, a maioria de vcs devem ter 30 anos + e estão convictos da existência de um deus, menosprezando a própria raça e a chamando de inferior a um ser que vcs mesmos n tem 100% de certeza que exista, vcs vão negar dizer que acreditam nele 100% mas eu bem sei que existe aqueles 20% de duvida. Eu fico pasmo em como as pessoas falam ”n estuda a bíblia” mas vcs tbm nunca estudaram a física, química entre outros ramos da ciência, se estudaram n compreenderam ou botaram em mente que era tudo ”blasfêmia contra a palavra do meu amigo imaginário”….”

    Na verdade não é complicado, é que ninguém nos mostrou algo mais plausível. Eu particularmente tenho 19 anos, e agradeço muito a Jeová e a sua organização por tudo que ela tem feito por mim, me ajudou a desenvolver muitas habilidades, como por exemplo, consigo controlar a minha timidez, aprendi a falar em público e a racionar com as pessoas, por mais cabeças duras, ou, por mais dificuldade que elas tenham de entender. E sim, nós estudamos todas estas ciências, ciências estas que no final acabam concordando com tudo o qua Bíblia fala, exceto a evolução, que na verdade de científico não tem nada. Espero que tenha elucidado um pouco dos seus questionamentos.

    Curtir

  • Queruvim  On 24 de dezembro de 2013 at 13:36

    Não foi Jeová quem preservou, foi o gelo. 🙂

    Curtir

  • Marcelo  On 26 de dezembro de 2013 at 6:34

    Lúcifer, como ele e muitos pastores afirmam por aí, não é o nome de Satanás.

    Sobre onisciência, eu particularmente especulo, que Jeová não sabe o tempo todo de tudo, mas que ele tem a capacidade de saber tudo em qualquer momento.

    Seria semelhante aos logs de computador que, quando bem configurados, informam o administrador de sistemas dos eventos importantes que ocorreram (erros, avisos, acessos).

    Ou, em uma linguagem menos técnica, seria semelhante aqueles emails do orkut (eu parei no orkut com esta história de redes sociais) que diz “O fulano comentou sua foto”. Agente não precisa ficar vigiando todos os nossos amigos, mas assim que alguém faz um comentário a nosso respeito nós ficamos sabendo, e podemos verificar o que foi. 🙂

    Curtir

  • Milton Lourenço  On 29 de dezembro de 2013 at 11:24

    Tua tentativa de tentar explicar o inexplicável e defender as contradições bíblicas é tão penosa que qualquer “leigo” de imediato nota o quanto tu tá errado… Lastimável esse site…

    Curtir

  • Queruvim  On 29 de dezembro de 2013 at 18:50

    O fato de tu afirmares que eu estou errado não me torna automaticamente errado.Já vou avisar que este tipo de comment não é bem vindo aqui. Faz uma forcinha ai colega, e aponte algum raciocínio válido que não seja apenas emoção. Isto contribui para o nível da página. Concorda? Queremos uma opinião baseada em raciocínio e diálogo. Deixe o julgamento para os que acessarem e lerem a matéria.Quem está certo ou não é justamente o motivo das perguntas e respostas. Tu afirmas que um leigo notaria O QUANTO estou errado. Imagine então um entendido igual a vc! O QUANTO, QUÃO E QUANTO GRANDEMENTE GIGANTEMENTE IMENSAMENTE EU DEVO ESTAR errado diante dos seus olhos, não? Mas me diz…em que mesmo? tem algum palpite que demonstre O QUÃO IMENSAMENTE GRANDEMENTEMENTEMENTEMENTEMENTE EU ESTOU ERRADO ????? 🙂

    Curtir

  • Saga  On 29 de dezembro de 2013 at 20:33

    Passando até anos lidando com tais listas de acusações contradições, o que notei é o tipo de problema mais relevante que se conseguiria mostrar seriam quanto a diferenças de grafia ou de numeração em manuscritos.

    —- Falha de Copista —
    Dito isso, seriam coisas que demonstrariam problemas em cópias modernas a que temos acesso e não nos escritos originais feitos pessoalmente pelos autores bíblicos.

    Se vermos 14503 numa passagem e 16503 em outra, é muito mais provável pensarmos que um copista se enganou num digito ao copiar, do que que o escritor inspirado propositalmente inventou um número falso. Sobre isso se veria que: [1] Deus preservou a informação verdadeira. apesar do erro do copista a outra passagem paralela tem a informação correta, de forma que nada se perdeu. E [2] A mensagem bíblica que nos chegou hoje é a mesma, pois as diferenças que se vê são em questões menores. tais como números, não são nos assuntos que interferem em nossa salvação ou saúde e encorajamento espiritual.

    —-Falha No Entendimento Bíblico de quem lê —
    Saindo da questão – Pequeno Erro de Cópia- , penso que o resto é deficiência do leitor, este sim que não entende ou não entendeu o tema e usa de sua deficiência em conhecimento como “prova” de erro da Bíblia. Vejam essas questões de fé x obras ou guardar-não guardar o sábado entre outros temas, a falha não está na Bíblia, que dá a necessária luz para entender esses assuntos e sim no leitor que falha em compreender certas questões.

    —- Má Vontade na leitura de relatos paralelos que tenham diferenças entre si–
    No caso dos relatos e narrativas, o que se vê é má vontade dos acusadores, pois os relatos (por exemplo, os 4 Evangelhos) em si contam as mesmas histórias com a mesma moral e mensagem, com as diferenças pontuais não diminuindo em nada a boa fé dos escritores e o proveito e autenticidade de seus relatos ). Tal má vontade se vê claramente quando alguém diz que a OMISSÂO de algo por um escritor bíblico (por exemplo Marcos não citar o nascimento virginal nem os pastores no nascimento de Jesus na manjedora) é uma “contradição” com outro autor (por exemplo Lucas que cita tudo isso que falei antes) …

    Curtir

  • galileo  On 3 de janeiro de 2014 at 20:27

    é um show de apelação e discussão sobre “o sexo dos anjos”,ficam duas perguntas: quem era o avô de Jesus? e me explique por favor genesis 6:6. só nao me venha com “churumelas” de tradução e que não era bem assim,seja sim,sim!não,não! por favor…

    Curtir

  • Queruvim  On 3 de janeiro de 2014 at 23:59

    Sobre se Deus “se arrepende” leia este artigo que escrevi:

    https://traducaodonovomundodefendida.wordpress.com/2010/10/03/sera-que-deus-se-arrepende/

    Saiba também que o dicionário STRONG e outros como o DBD são obras que exibem um aparato textual que merece respeito. Também esta página em que estás é dedicada ao assunto de “tradução”. Por isso, se está aqui é para discutir entre outros pontos, traduções do texto da Bíblia. Espero que caso haja alguma contestação que seja feita sem a emoção, mas com apelo ao raciocínio e tendo consideração pelos participantes desta página. Claro que será sempre bem vindo para postar suas críticas, mas isso vale para todos.

    Um abraço e felicidades para todos que visitam esta página em busca de discussão de nível e conhecimento que possa nos enriquecer. 🙂

    Curtir

  • galileo  On 5 de janeiro de 2014 at 11:05

    então ele se decepciona ao lamentar sua criação? outro sentimento humano demais,só se decepciona quem é surpreendido e se assim o é é porque não sabia o que viria acontecer…
    ainda fico pensando que “maldito é o homem que confia no outro…” ou será mais uma imprecisão da tradução?!obrigado.

    Curtir

  • Queruvim  On 5 de janeiro de 2014 at 13:06

    Não “sua criação” mas as escolhas dela. Deus criou seres espirituais no domínio celestial e humanos na terra. Estes foram criados com o direito de fazer escolhas. Não foram feitos como robôs que fazem apenas o que lhes é mandado. Deus lamenta quando as escolhas de suas criaturas reflete falta de amor por Ele. Os artigos abaixo poderão ser uma referência interessante para entendimento adicional do assunto:

    A maravilhosa dadiva do livre arbítrio

    Visto que Adão era perfeito, como foi possível ele pecar?

    Temas diversos sobre este assunto…escolha um!

    Obrigado por expor o que pensa. Felicidades em sua vida pessoal!

    Curtir

  • Galileu  On 5 de janeiro de 2014 at 17:13

    Desculpe mas fica tudo ainda ao sabor de interpretações,inclusive o próprio livre arbítrio, pois se existe a predestinação como poderá haver livre arbítrio?

    Curtir

  • Galileu  On 5 de janeiro de 2014 at 17:23

    nota: Nossa dialética está me levando a pesquisar mais a bíblia,obrigado.

    Curtir

  • Queruvim  On 5 de janeiro de 2014 at 21:03

    O ensino da predestinação não é nem justo nem sábio. Observe os artigos abaixo:

    O conceito da Bíblia – Seu futuro foi predestinado?

    São alguns religiosos evangélicos que ensinam tal doutrina.

    “Como Jeová Deus seria desamoroso e injusto se, antes de nascermos, tivesse predeterminado o proceder que deveríamos adotar e depois nos responsabilizasse por nossas ações! Ele não faz isso, pois “Deus é amor”, e “todos os seus caminhos são justiça”. (1 João 4:8; Deuteronômio 32:4) Ele não pode, ao mesmo tempo, ter-nos dado liberdade de escolha e ‘determinado desde a eternidade a quem salvaria e a quem condenaria’, como afirmam os que crêem na predestinação. A liberdade de escolha e a predestinação são incompatíveis.
    A Bíblia mostra claramente que nossas escolhas alteram nosso destino. Por exemplo, Deus solicita aos transgressores: “Por favor, recuai cada um do seu mau caminho e da ruindade de vossas ações . . . para que eu não vos cause calamidade.” (Jeremias 25:5, 6) Essa solicitação não faria sentido se Deus já tivesse predeterminado o destino de cada pessoa. Além disso, a Palavra de Deus declara: “Arrependei-vos, portanto, e dai meia-volta, a fim de que os vossos pecados sejam apagados, para que venham épocas de refrigério da parte da pessoa de Jeová.” (Atos 3:19)

    Curtir

  • Galileu  On 6 de janeiro de 2014 at 20:54

    Certamente são incompatíveis, daí chamar a atenção. E sobre PREDESTINAÇÃO
    Romanos 8:28-30

    Sabemos que aos que amam a Deus, todas as coisas lhes cooperam para o bem, a saber, aos que são chamados segundo o seu propósito.
    Porque os que dantes conheceu, também predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele fosse o primogênito entre muitos irmãos;
    e aos que predestinou, a estes também chamou; e aos que chamou, a estes também justificou; e aos que justificou, a estes também glorificou.

    Tradução segundo: American standard version, sociedade bíblica britânica, Almeida corrigida,Almeida revisada, Nova versão internacional, Webster, entre muitas.
    Obviamente sei que ira falar que a TNM diz que predeterminou e não predestinou, enfim, debate infrutífero.Todos os tradutores,pesquisadores e teólogos estão errados e a TNM é a única certa não é?Ou seja, prometo não perder mais o seu e o meu tempo.
    Obrigado.

    Curtir

  • Queruvim  On 7 de janeiro de 2014 at 0:35

    O mesmo apóstolo que foi inspirado a escrever tais palavras mostra que alguns, que foram “comprados” e “santificados” pelo sangue do sacrifício resgatador de Cristo, e que “provaram a dádiva celestial gratuita” e “se tornaram participantes de espírito santo . . . e [dos] poderes do vindouro sistema de coisas”, se desviariam a um ponto além de arrependimento e trariam destruição sobre si mesmos. (2Pe 2:1, 2, 20-22; He 6:4-6; 10:26-29) Os apóstolos se uniram em instar com aqueles aos quais escreveram: “Fazei tanto mais o vosso máximo para vos assegurar da vossa chamada e escolha; pois, se persistirdes em fazer estas coisas, de nenhum modo falhareis jamais”; também: “Persisti em produzir a vossa própria salvação com temor e tremor.” (2Pe 1:10, 11; Fil 2:12-16) Paulo, que foi “chamado para ser apóstolo de Jesus Cristo” (1Co 1:1), obviamente não se considerava individualmente predestinado para a salvação eterna, uma vez que fala de seus esforços estrênuos de alcançar “o alvo do prêmio da chamada para cima, da parte de Deus” (Fil 3:8-15), e de sua preocupação para que ele mesmo não ‘viesse a ser de algum modo reprovado’. — 1Co 9:27.
    De modo similar, “a coroa da vida” oferecida a tais é concedida desde que sejam fiéis, sob prova, até a morte. (Re 2:10, 23; Tg 1:12) Podem perder a coroa de reinado com o Filho de Deus. (Re 3:11) O apóstolo Paulo expressou confiança de que “a coroa de justiça” lhe estava “reservada”, mas só fez isso quando tinha certeza de que estava chegando ao fim de sua carreira, tendo-a “corrido até o fim”. — 2Ti 4:6-8.
    Por outro lado, se encararmos os textos previamente citados como se aplicando a uma classe, à congregação cristã ou “nação santa” dos chamados, como um todo (1Pe 2:9), significariam que Deus soube de antemão e predeterminou que seria produzida tal classe (mas não as pessoas específicas que a comporiam). Também, estes textos significariam que Ele prescreveu ou predeterminou o ‘padrão’ no qual teriam de enquadrar-se todos os que, no devido tempo, seriam chamados para ser membros dela, tudo isto de acordo com o Seu propósito. (Ro 8:28-30; Ef 1:3-12; 2Ti 1:9, 10) Ele também predeterminou as obras que se esperaria que tais pessoas realizassem, e que seriam provadas devido aos sofrimentos que o mundo lhes causaria. — Ef 2:10; 1Te 3:3, 4. Portanto, é obvio que tal passagem que tu citas tem uma aplicação nos cristãos que recebem o privilégio de vida celestial como grupo.

    A “lógica” da predestinação
    Alguns dos que crêem na predestinação raciocinam da seguinte maneira: Deus é onisciente. Ele sabe tudo, até mesmo o que acontecerá no futuro. Sabe o que as pessoas vão fazer com sua vida e até mesmo a maneira e o momento exato como cada uma vai morrer. Assim, de acordo com esse raciocínio, quando chega a hora de a pessoa tomar uma decisão, sua escolha não pode ser outra além da que Deus previu e predeterminou. Se não fosse assim, Deus não seria aquele que sabe de tudo. Esse argumento lhe parece convincente? Veja quais seriam as conseqüências lógicas desse modo de pensar.
    Se alguma força já tivesse determinado seu futuro, seria inútil tentar cuidar de si mesmo. Escolher entre fumar ou não seria irrelevante para sua saúde ou a de seus filhos. Usar o cinto de segurança no carro não serviria de proteção alguma. Mas pensar assim seria um erro. As estatísticas mostram que as pessoas que tomam medidas de precaução sofrem menos conseqüências fatais. A negligência pode resultar em tragédia.
    Veja outra linha de raciocínio. Se Deus escolhesse saber de tudo com antecedência, então mesmo antes de ter criado Adão e Eva ele já teria conhecimento de que eles o desobedeceriam. Mas quando Deus disse a Adão que ele não devia comer da “árvore do conhecimento do que é bom e do que é mau” ou então morreria, será que Ele já sabia que Adão comeria do fruto da árvore? (Gênesis 2:16, 17) Quando Deus disse ao primeiro casal: “Sede fecundos e tornai-vos muitos, e enchei a terra, e sujeitai-a, e tende em sujeição os peixes do mar, e as criaturas voadoras dos céus, e toda criatura vivente que se move na terra”, será que ele já sabia que a maravilhosa perspectiva de vida eterna num paraíso estava condenada ao fracasso? É claro que não. — Gênesis 1:28.
    De acordo com essa linha de raciocínio, a idéia de que Deus sabe de todas as nossas decisões com antecedência significa que ele é responsável por tudo o que acontece — incluindo guerras, injustiças e sofrimento. Será que isso é possível? O que Deus diz a respeito de si mesmo dá uma resposta clara sobre isso.

    Curtir

  • Marcelo  On 20 de janeiro de 2014 at 22:21

    Eu achei algo que parece contradição, mas deve ter alguma explicação, pois mesmo que não houvesse inspiração, e fosse apenas palavra de homens, os versículos são pertos demais para que tenha sido um erro na “invenção do conto de fadas”.

    Talvez erros de copistas? Significado/falta de palavras?

    Ló era irmão ou sobrinho de Abraão?

    Gên 14:12,14,16

    Curtir

  • Queruvim  On 21 de janeiro de 2014 at 0:05

    ERA LÓ SOBRINHO OU IRMÃO DE ABRAÃO?

    Ló era sobrinho de Abraão mas com a morte de Tera Ló herdou a herança e se tornou como que irmão de Abraão visto que veio morar no seio da família. Ademais a palavra hebraica empregada tem um sentido mais amplo do que “irmão’ e isto foi trazido atenção na nova Tradução do Novo Mundo revisada (2014) que verteu a palavra hebraica por “parente” e não “irmão”.

    Tanto é assim que o BDB, um dos mais respeitados léxicos define a palavra hebraica אָח da seguinte maneira:

    Brown-Driver-Briggs’ Definition
    irmão

    irmão dos mesmos pais
    meio irmão (mesmo pai)
    parente, afilhado, mesma tribo
    de cada um para o outro (relação reciproca)
    (fig.) de semelhança

    FONTE: http://www.studylight.org/lex/heb/hwview.cgi?n=0251

    Curtir

  • Marco Antonio Felicio  On 21 de janeiro de 2014 at 0:16

    Ló era irmão ou sobrinho de Abraão?

    Ló era irmão de Abraão. Gn 14:14, 14:16

    Ló era sobrinho de Abraão. Gn 11:27, 12:5, 14:12.

    Textos

    Era irmão:
    Gn 14:14-16 – Ouvindo, pois, Abrão que o seu irmão estava preso, armou os seus criados, nascidos em sua casa, trezentos e dezoito, e os perseguiu até Dã… E tornou a trazer toda a fazenda e tornou a trazer também a Ló, seu irmão, e a sua fazenda, e também as mulheres, e o povo.

    +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    Era sobrinho:
    Gn 11:27 – E estas são as gerações de Tera: Tera gerou a Abrão, a Naor e a Harã; e Harã gerou a Ló.

    Gn 12:5 – E tomou Abrão a Sarai, sua mulher, e a Ló, filho de seu irmão, e toda a sua fazenda, que haviam adquirido, e as almas que lhe acresceram em Harã; e saíram para irem à terra de Canaã; e vieram à terra de Canaã.

    Gn 14:12 – Também tomaram a Ló, que habitava em Sodoma, filho do irmão de Abrão, e a sua fazenda e foram-se.

    Descontradizendo –

    Bíblia Nova versão Internacional (NVI):
    Gn 14:16 – “Recuperou todos os bens e trouxe de volta seu parente Ló com tudo o que possuía, com as mulheres e o restante dos prisioneiros”.

    Bíblia de Referência Thompson:
    Gn 14:16 – “Assim trouxe de novo todos os seus bens, e também a Ló, seu sobrinho, e os bens dele, e também as mulheres e o povo”.

    Nova Tradução da Linguagem de Hoje (NTLH):
    Gn 14:16 – e trouxe de volta tudo o que os inimigos haviam levado. Abrão trouxe também o seu sobrinho Ló, e tudo o que era dele, e também as suas mulheres, e o resto da sua gente.

    João Ferreira de Almeida Revista e Atualizada (JFDA):
    Gn 14:16 – Trouxe de novo todos os bens, e também a Ló, seu sobrinho, os bens dele, e ainda as mulheres, e o povo.

    O erro é encontrado na versão Almeida Atualizada, mas foi corrigido na Revista e Atualizada.

    Temos também outro texto que confirma que Ló era sobrinho de Abrão. Em Gênesis 11:26-27 temos a confirmação.

    Gn 11:26-27 – Aos 70 anos, Terá havia gerado Abrão, Naor e Harã. Esta é a história da família de Terá:Terá gerou Abrão, Naor e Harã. E Harã gerou Ló.

    Ló era filho de Harã. Se Harã era irmão de Abrão, então Ló era sobrinho de Abrão.

    O que temos é um erro de tradução por parte de João Ferreira de Almeida e não uma contradição.

    Obs: Para se fazer qualquer exegese ou aplicar a hermeneutica é necessário sempre se consultar mais do que uma tradução e analisar outros textos para confirmar uma suposição.

    http://www.dc.golgota.org/contradicoes/genesis/genesis40.html

    Curtir

  • Marcelo  On 29 de janeiro de 2014 at 12:30

    Sara era filha ou nora de Tera? Gen 11:31; 20:12.

    Não achei nada explicando, mas nada impede que os dois sejam veradade. Só acho estranho que ela não seja citada em 11:31, mas talvez seja o costume de apenas mostrar linhagem dos varãos…

    Curtir

  • Marcelo  On 29 de janeiro de 2014 at 14:54

    Queruvim

    Uma dúvida:

    Visto que a palavra vertida por anjos (correto?) significa mensageiros, existe alguma expressão que indique que se trata de um mensageiro espiritual?

    Por exemplo, Gen 18:2 fala de 3 homens, e no capítulo seguinte identifica dois deles como “anjos”.

    Existe algo no texto que implique que os homens não eram descendentes de Adão que tiveram a tarefa de levar a mensagem de Jeová?

    TIA

    Curtir

  • Queruvim  On 29 de janeiro de 2014 at 15:56

    Que eu tenha visto não. O entendimento de que os visitantes de Abraão eram anjos se dá devido a interpretação lógica dos eventos. Ademais a palavra hebraica malʼákh ou “mensageiro”usada é comumente empregada ao se referir a anjos e foi vertida por “anjos” na versão LXX. A conclusão de que os ilustres visitantes eram anjos materializados é vista no contexto. No início do capítulo 18 de Gênesis foi usada a palavra “homens” com a mesma grafia e sem diferença alguma da palavra “homem” quando referida a humanos.Até mesmo a palavra “mensageiro” é usada em outros relatos referindo-se a um humano enviado para transmitir uma mensagem. Então é questão de dedução interpretativa.Sua pergunta é muito boa visto que foca a questão de um ângulo de observação inusitado. Vou observar com mais atenção, visto que há algumas coisas que eu percebi e que jamais são comentadas em publicações da organização devido ao caráter erudito e aprofundado.Por exemplo, quando Sara Questiona tais anjos dizendo que já tem idade e que irá ainda sentir prazer, ela usa uma palavra que deriva-se de éden ao falar a palavra “sentirei prazer sendo velha?” O que nos dá uma indicação etimológica da palavra éden. Com respito a palavra mensageiro, preciso olhar se é articulada e se há alguma diferença mínima que seja quando empregada em relação a humanos. A princípio não observei nada.

    Curtir

  • Marcelo  On 29 de janeiro de 2014 at 16:01

    Entendi. Tks!

    Curtir

  • Marcelo  On 29 de janeiro de 2014 at 17:22

    Em relação a “sentir prazer” lembrei de uma curiosidade que tive na leitura desta semana, que também não encontrei nada a respeito.

    É sobre o fato de Abimeleque querer tomar Sara como esposa depois de ela ter seus 90 anos e estar estéril…

    Curtir

  • Vinicius Monteiro  On 30 de janeiro de 2014 at 0:30

    Achei algo relacionado com a sua dúvida de Abimeleque querer Sara. Olha este link http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1200003845#h=14:161-14:312

    Curtir

  • Marcelo  On 30 de janeiro de 2014 at 10:46

    Obrigado Vinícius, é realmente esclarecedor!

    Tks!

    Curtir

  • omerico  On 19 de fevereiro de 2014 at 13:22

    olha a maioria de suas resposta são suposições relatos que vc acha que foi assim, sobre o rebanho dos egípcios a bíblia deixa bem claro que todo o rebanho morreu.
    Israel dispõe de 800.000 homens aptos para manejar espadas
    Israel dispõe de 1.100.000 homens aptos para manejar espadas
    qual e verdade, sua resposta foi apenas uma suposição.
    entre muitas outras.

    Curtir

  • Alexei  On 19 de fevereiro de 2014 at 19:42

    Gênesis 29:12
    E Jacó começou a contar a Raquel que era irmão de seu pai e que era filho de Rebeca. E ela saiu correndo e contou a seu pai.

    Curtir

  • Queruvim  On 19 de fevereiro de 2014 at 20:19

    Todos os anos são encontrados artefatos que autenticam os relatos da Bíblia, contudo, os céticos continuam a dizer coisas do tipo, “Davi nunca existiu” e vez após vez, a arqueologia tem sido ignorada (e olha que arqueologia é ciência). Ninguém jamais foi bem sucedido em desafiar a exatidão histórica da Bíblia. Lembro-me que os editores da Revista Veja nos anos 80 afirmaram que “os únicos documentos que falam sobre Jesus são os chamados Evangelhos” e que fora estes, ´não havia mais nada para constatação dos relatos e da certeza de que Jesus realmente existiu`. Contudo, sabemos que um dos mais respeitados historiadores do 2 º século Cornélio Tácito falou de Jesus em sua obra ANALES. Ou seja a historicidade de Jesus é cientificamente confirmada. Veja o que afirmou a Organização de Jeová:

    “Embora sejam escassas as referências a Jesus Cristo da parte de primitivos historiadores seculares, tais referências realmente existem. Cornélio Tácito, respeitado historiador romano do primeiro século, escreveu: “O nome [cristão] deriva-se de Cristo, a quem o procurador Pôncio Pilatos executou no reinado de Tibério.” Suetônio e Plínio, o Jovem, outros escritores romanos daquela época, também se referiram a Cristo. Além disso, Flávio Josefo, historiador judeu do primeiro século, escreveu sobre Tiago, a quem identificou como “o irmão de Jesus, que era chamado Cristo”. Assim, The New Encyclopædia Britannica (A Nova Enciclopédia Britânica) conclui: “Estes relatos independentes provam que nos tempos antigos nem os oponentes do cristianismo jamais duvidaram da historicidade de Jesus, que foi disputada pela primeira vez e em bases inadequadas em fins do século 18, durante o século 19 e no início do século 20.”

    Curtir

  • Queruvim  On 19 de fevereiro de 2014 at 20:25

    Omerico,

    Agradeço por expor o que pensa, no entanto, é fácil começarmos a pensar que sabemos o que é melhor ou que a sabedoria dos intelectuais deste mundo é superior à de Deus e que está mais atualizada. Pessoas de bem também podem adotar esta atitude. Portanto, quando nosso Pai celestial faz o amoroso convite para escutarmos seu conselho, ele inclui também avisos apropriados: “Filho meu, não te esqueças da minha lei, e observe teu coração os meus mandamentos, porque te serão acrescentados longura de dias e anos de vida e paz. Confia em Jeová de todo o teu coração e não te estribes na tua própria compreensão. Nota-o em todos os teus caminhos, e ele mesmo endireitará as tuas veredas. Não te tornes sábio aos teus próprios olhos. Teme a Jeová e desvia-te do mal.” — Provérbios 3:1, 2, 5-7.
     A sabedoria deste mundo está disponível em abundância e de muitas fontes. Há muitas instituições de ensino, e “de se fazer muitos livros não há fim”. (Eclesiastes 12:12) Agora, a internet oferece acesso ilimitado a dados sobre quase qualquer assunto. Mas todo este conhecimento disponível não torna o mundo mais esperto, nem soluciona seus problemas. Antes, a situação do mundo piora a cada dia. Assim é compreensível que a Bíblia nos diga que “a sabedoria deste mundo é tolice perante Deus”. — 1 Coríntios 3:19, 20.
     Nesta parte final dos últimos dias, é de esperar que o arquienganador, Satanás, o Diabo, lance uma avalanche de mentiras no esforço de minar a confiança na veracidade da Bíblia. A alta crítica tem produzido uma proliferação de livros especulativos que questionam a autenticidade e fidedignidade da Bíblia. Paulo advertiu seus concristãos: “Ó Timóteo, guarda o que te foi confiado, desviando-te dos falatórios vãos, que violam o que é santo, e das contradições do falsamente chamado ‘conhecimento’. Por ostentarem tal conhecimento, alguns se desviaram da fé.” (1 Timóteo 6:20, 21) A Bíblia adverte adicionalmente: “Acautelai-vos: talvez haja alguém que vos leve embora como presa sua, por intermédio de filosofia e de vão engano, segundo a tradição de homens, segundo as coisas elementares do mundo e não segundo Cristo.” — Colossenses 2:8.

    Curtir

  • Saga  On 20 de fevereiro de 2014 at 4:32

    Omerico:

    (2 Samuel 24:9) Joabe deu então ao rei o número do registro do povo; e Israel somou oitocentos mil homens VALENTES que puxavam da espada, e os homens de Judá eram quinhentos mil homens.

    (1 Crônicas 21:5,6) Joabe deu então a Davi o número do registro do povo; e todo o Israel somou um milhão e cem mil homens que puxavam da espada, e Judá, quatrocentos e setenta mil homens puxando da espada. 6 E a Levi e a Benjamim NÂO REGISTROU entre eles, porque a palavra do rei tinha sido detestável para Joabe.

    Em II Samuel distingue quem seriam os tais 800 000; e quanto aos 470 000 de I Crônicas se diz que está incompleto. Dito isso tem uma referência a 30 000 soldados de elite -que completariam os 500 000- em
    II Samuel 6:1 que diz “E Davi passou a ajuntar novamente todos os homens seletos em Israel, trinta mil”

    Curtir

  • francisco pereira  On 4 de março de 2014 at 9:16

    Ja perceberam que entre negações e afirmações,quem nega ou afirma é sempre o homem,e que em nenhum momento Deus se pronunciou,contra ou a favor de nenhum dos dois lados? conclusão estamos discutindo de forma inútil,cada lado tentando defender seu ponto de vista,alguns defendem Deus,como se ele fosse indefeso,raciocínio este totalmente contraditório,uma vez que os que creem,dizem que Deus é o todo poderoso,logo não precisa de defesa,e depois a própria bíblia diz que ninguém jamais viu a Deus,então se não temos provas,por que insistir em defender o que não se pode provar?,quanto aos que não creem da mesma forma,não vamos muito longe,pois nada é mais contagioso do que a religião,dai a dificuldade de fazer um crente tornasse cético,conclusão Deus so existe para os que creem,tudo esta na mente,e se você não crer,para você ele não existe,e antes que eu esqueça,o ônus da prova,cabe a quem afirma,e não a quem nega,logo os crentes é quem devem ralar para provar,o que dizem existir.

    Curtir

  • Gil Cleber  On 10 de março de 2014 at 12:30

    Fato é que toda discussão sobre o teor da Bíblia é inconclusivo, uma vez que os que crêem na literalidade do texto não aceitam as contradições e lançam mão de todos os recursos para contraditar quaisquer argumentos, mesmo valendo-se do próprio texto duvidoso, e apresentando-o como contra-argumento suficiente. O erro em que incorrem é quererem entender a Bíblia como um livro de cunho científico, quando sua função é doutrinária. Os erros encontrados na Bíblia, que se devem à época em que os livros foram escritos, época em que não havia o conhecimento de que se dispõe hoje, em nada diminuem seu valor como fundamento religioso. Fora isso, existem aquelas passagens de fundamentação religiosa que hoje em dia já não se aplicam (veja-se, p. ex., o Levítico, que apresenta um código de leis verdadeiramente absurdo para os dias atuais), o que, da mesma forma, não diminuem o valor intrínseco da mensagem.

    Curtir

  • Gil Cleber  On 10 de março de 2014 at 12:38

    Prezado Queruvim, gostaria de saber quem, exatamente, não foi bem sucedido em desafiar a exatidão histórica da Bíblia. Não questiono a existência de Cristo, a meu ver suficientemente comprovada; mas há narrativas bíblicas que não resistem a uma investigação mesmo que superficial. Devemos lembrar que, quando alguém pretende defender uma narrativa bíblica no ponto de vista histórico, não poderá lançar mão de outros textos bíblicos, pois a dúvida persiste: terá de aduzir argumentos extra-bíblicos, e então a coisa fica um pouco complica. Ser crente, ou ser um cristão, não implica em que se tenha de aceitar cegamente, ou literalmente, qualquer coisa que esteja na Bíblia.

    Curtir

  • Queruvim  On 10 de março de 2014 at 12:58

    “Gostaria de saber quem????” Não leu o que postei no ultimo comment que fiz acima? A respeito dos editores da Veja nos anos 80? Quase sempre eu observo uma falta de informação da parte dos críticos, como este exemplo que citei referente a historicidade de Cristo. As descobertas arqueológicas também têm ilustrado e confirmado aquilo que lemos nas Escrituras Gregas ou o Novo Testamento. Antigamente muitos céticos duvidavam até mesmo de que houve um Governador chamado Poncio Pilatos. Assim, em 1961, o nome de Pôncio Pilatos foi encontrado numa inscrição nas ruínas dum teatro romano em Cesaréia.16 Até esta descoberta, havia apenas evidência limitada, à parte da própria Bíblia, da existência deste governante romano.

    No Evangelho de Lucas, lemos que João, o Batizador, iniciou seu ministério “quando . . . Lisânias era governante distrital de Abilene”. (Lucas 3:1) Alguns duvidaram desta declaração, por Josefo mencionar um Lisânias que governou Abilene e que morreu em 34 AEC, muito antes do nascimento de João. No entanto, os arqueólogos descobriram uma inscrição em Abilene que menciona outro Lisânias, que era tetrarca (governante distrital) durante o reinado de Tibério, que governou como César em Roma quando João iniciou seu ministério.17 Este facilmente pode ter sido o Lisânias mencionado por Lucas.

    Muitas pessoas Gil, afirmam de boca cheia que a Bíblia foi “mudada” ou “mexida” nos últimos séculos. Afirmam que “no papel se coloca o que quer”. Isso é de uma falta de conhecimento tão grande!. Até porque os textos antigos mais bem atestados que existem são os da Bíblia Sagrada. A Autenticidade da Bíblia não é apoiada somente por se recorrer a relatos pertinentes a sua harmonia “interna” ou como você coloca, lançam “mão de outros textos” da própria Bíblia. Por exemplo, referente ao reconhecimento dos judeus, de que Moisés foi o escritor do Pentateuco,(os primeiros cinco livros da Bíblia, pode-se acrescentar o testemunho de antigos escritores, alguns dos quais eram inimigos dos judeus. Hecateu de Abdera, o historiador egípcio Mâneto, Lisímaco de Alexandria, Eupolemo, Tácito e Juvenal, todos atribuem a Moisés o estabelecimento do código de leis que distinguia os judeus das outras nações, e a maioria menciona especificamente que ele assentou suas leis por escrito. Numênio, o filósofo pitagórico, até mesmo menciona Janes e Jambres como os sacerdotes egípcios que resistiram a Moisés. (Mencionados também por Paulo em 2 Tim. 3:8).

    Portanto, a história e a arqueologia ilustram, e até certo ponto confirmam, os elementos históricos das Escrituras Gregas. Mas, novamente, a prova mais forte da veracidade destes escritos se encontra nos próprios livros. Sua leitura não dá a impressão de mitos. Eles têm o tom da verdade.

    Curtir

  • Queruvim  On 10 de março de 2014 at 13:02

    Os fatos? Vejamos, sejamos mais objetivos…Certa publicação da organização de Jeová diz: “Ninguém jamais conseguiu com êxito desafiar a autenticidade da Bíblia. O renomado cientista Sir Isaac Newton disse:

    “Encontro na Bíblia mais indícios indisputáveis de autenticidade do que em qualquer história profana.”

    Nada forjado, como os “diários” de Hitler! E como se compara a Bíblia com outros escritos antigos? O livro The Bible From the Beginning (A Bíblia Desde o Princípio) diz:

    “No número de antigos MSS. [manuscritos] que atestam a escrita e no número de anos decorridos entre o original e os MSS. atestantes, a Bíblia goza de uma decidida vantagem sobre os escritos clássicos [de Homero, Platão e outros]. . . . Ao todo, os MSS. clássicos constituem apenas um punhado em comparação com os bíblicos. Nenhum livro antigo é tão bem atestado como a Bíblia.”

    Tudo a respeito da Bíblia indica ser ela totalmente genuína”.

    Curtir

  • Queruvim  On 11 de março de 2014 at 12:23

    Que dizer, então, se as profecias são mesmo genuínas? E que dizer se os milagres realmente aconteceram? Neste caso, Deus, de fato, estava por detrás da escrita da Bíblia, e ela realmente é a palavra dele, não a de homem.

    Curtir

  • anderson  On 21 de março de 2014 at 0:22

    a sociedade que conhecemos acabaria se descobrir que a religião crista é falsa?

    Curtir

  • Queruvim  On 21 de março de 2014 at 12:23

    Quando se descobre que algo é verdadeiro não há possibilidade de se descobrir que é falso. Mas uma avaliação deste assunto pode ser obtido ao se examinar os regimes de governo que optaram pelo ateísmo e se estes foram realmente isentos de problemas. Tanto os chamados “cristãos” em suas “nações cristãs” quanto as nações que optaram pelo ateísmo demonstraram o mesmo fracasso por praticarem atrocidades e crimes contra a humanidade. Mas o verdadeiro cristianismo é pregado apenas por uma minoria. Eles estão organizados e são bem distintos como grupo. QUEM SÃO OS VERDADEIROS CRISTÃOS?? Examine este artigo com atenção e sem preconceito, Não o subestime nem pense que já sabe o que este artigo dirá. LEIA-O COM ATENÇÃO! Boa pesquisa

    Curtir

  • dogao  On 30 de março de 2014 at 22:10

    O mais ingraçado eh que as pessoas acreditam tao segamente suas religioes que elas ate se matam por isso , e esquecem ao defender a biblia que alguem veio primeiro e se os judeus ja existiam antes de jesus porque surgiu as religioes cristas , os judeus ja vieram antes entao eles merecem mais credibilidade mais porque esquecer as que vieram antes . lembrando que os indios ja tinham suas religios antes do portugueses chegarem e obrigalos a serem catolicos . e os protestantes lembrai que o catolicismo veio antes entao alguem o invetou como alguem inventou o catolicismo e alguem inventou o isla e assim pir diante tudo foi inventado por nos porque se um nao concorda com o outro alguem esta errado mais quem somis nos relis mortais nao temos poder de compreensao o suficiente para esses assuntos e as regras vcs acham q deus liga se o nome dele eh escrito com d maiusculo ou se ele criou tudo ele criou o universo e com a imesidao do universo ele soh se preocupa com nos acho q naum acho q ele criou o universo e nos somos o efeito colateral ou vcs acham que com o çrovavel esforço q ele fez ao criar a terra ele ia criar parasita destrutivei como o ser humano acho q se ele podese interferir ele disimaria o ser humano para salvar a terra e na biblia muitos trechos dis q deus mandou um matar o outro para ficar com o trono de israel tenha santa paciencia se acha que deus vai perder tempo conosco possivelmente colocou agente na terra pa acompanhar os genocideos e acho que jesus era soh uma cara que judel que se achava fodao maus era soh um ser humano e a mae deke era mulher normal que provavelmwnte traiu o marido e disse que foi deus que meteu um filho nela lembranos que naquela epoca como hoje naquela regiao adutereo e punivel com morte. a historia de jesus lembra um pouco hercules e percy jackson. e jesus ingravidou a maria madalena

    Curtir

  • Marcelo  On 31 de março de 2014 at 6:49

    Então o senhor não acredita em Deus, não acredita no Cristianismo e nem em Jesus, mas afirma que Jesus “ingravidou” a Maria Madalena… hum…

    Curtir

  • Saga  On 31 de março de 2014 at 6:56

    O mais “ingraçado” primeiro seria você aprender a escrever, aprimore seus hábitos de leitura, assim não só sua escrita melhorará mas também sua interpretação textual.

    Sabe por que, coleguinha?

    [1]
    Porque senão você não vai ser capaz de palpitar em temas tão complexos tais como filosofia e religião e menos ainda será capaz de ler e compreender adequadamente um livro tão antigo e com leitura tão complexa quanto a Bíblia Sagrada. E não bastasse isso ainda será incapaz de entender as respostas de estudantes da Bíblia sobre assuntos bíblicos polêmicos por mera incapacidade de compreender e absorver o que está sendo debatido ali.

    [2]
    A Bíblia é um livro antigo escrito em línguas arcaicas – o que a torna de complexa tradução, ela também usa termos acima do vocabulário médio dos brasileiros, sua linguagem e recursos literários também fogem do nível cultural do brasileiro comum. Ela foi escrita em outro contexto cultural e histórico, numerosas vezes com pouco ou nada a ver com o nosso contexto histórico-cultural atual.

    [3]
    As pessoas que estudam a Bíblia quando conversam entre si usam uma linguagem teológica totalmente desconhecida para os leigos, leigos estes que poderão ficar observando uma conversa dessas sem entender nada! Essa linguagem que eu falei usa muitos termos que não existem na Bíblia mas foram formulados por filósofos, religiosos ou teólogos, ou seja, a mera leitura da Bíblia não garante que o leigo irá se conseguir se achar neste tipo de dialogo teológico.

    [4]
    As religiões atrapalham grandemente que os leigos tenham conhecimento sobre a Bíblia, uma pessoa que nasce num país religioso como o Brasil fatalmente terá contado com conceitos de religião, querendo ou não, mas nada garante que estes conceitos religiosos populares sejam bíblicos.

    Na verdade a religião popular poderá confundir a pessoa, a atrapalhando de conseguir entender a mensagem da Bíblia.

    A pessoa desde criança pode ter sido condicionada a pensar em um inferno governado por diabinhos chifrudos com tridentes espetando almas desencarnadas; no céu como um lugar acima das nuvens onde ficam anjinhos pelados tocando harpa diante de um Deus que é velhinho de barba branca; na existência de uma Mamãe do Céu que é Nossa Senhora e Mãe de Deus; em Natal, em destino; em mediunidade, etc e etc. Os conceitos religiosos não-bíblicos culturalmente aprendidos são um problema para quem vai começar a se aventurar na leitura da Bíblia, pois a tendência é que a leia com tais ideias equivocadas em mente, ingenuamente crendo que a Bíblia é a fonte de tais coisas.

    [5]
    O Google é outro problema, pois o número de besteira religiosa que fazem as pessoas desaprenderem é muito grande, besteira religiosa e antirreligiosa! Ora se a pessoa é leiga, ela dificilmente ela terá critério e maturidade para julgar a confiabilidade das informações, quais estão realmente educando e quais estão a enganando.

    [6] Dito isso, procure uma Testemunha de Jeová que gratuitamente ela irá o ajudar neste caminho, o ajudará a aprimorar sua leitura, a conhecer melhor as religiões e a tirar proveito da leitura da Bíblia. Sim, pois você lerão a Bíblia bastante, além de ter acesso a vários outros livros sobre a Bíblia que irão o fazer crescer em conhecimento e habilidade. Não interessa se você for ateu, o estudo é para qualquer pessoa, independente se a pessoa quer seguir alguma religião ou não quer ter religião nenhuma, ela pode conhecer a mensagem da Bíblia, não quer dizer que uma Testemunha de Jeová visita sua casa que você agora é da mesma religião que ela, isso depende de sua vontade, se você quiser, mas o estudo bíblico é independente disso. Pode estudar e continuar sem religião nenhuma.

    Curtir

  • Saga  On 31 de março de 2014 at 8:03

    “dogao On 30 de março de 2014 at 22:10
    O mais ingraçado eh que as pessoas acreditam tao segamente suas religioes”

    O mais Engraçado é que as pessoas acreditam tao Cegamente EM suas religiÕes

    “…e esquecem ao defender a biblia que alguem veio primeiro e se os judeus ja existiam antes de jesus”

    A Bíblia é um livro judeu, escrito por judeus e para judeu.
    Jesus era judeu e seus discípulos eram judeus, todos eles adoravam ao Deus dos judeus.

    O Judaísmo é uma religião que veio primeiro, o que demonstra que temos de começar pelas Escrituras Hebraicas, que são os livros da Bíblia aceitos como sagrados pelos judeus, sem o entendimento desses livros, que são popularmente conhecidos como “Velho Testamento” não é possível entender os livros do Cristianismo, que são popularmente chamados de “Novo Testamento”.

    Os costumes e a cultura judaica são importantes para compreender a Jesus e aos seus discípulos. Os ateus costumam pular esta parte, não sabem nada sobre a cultura judaica e saem vomitando horrores sobre o que não entendem.

    “porque surgiu as religioes cristas , os judeus ja vieram antes entao eles merecem mais credibilidade”
    A Escrituras Judaicas vieram antes dos judeus atuais, então elas merecem mais credibilidade, por isso elas devem ser analisadas e comparada com o que o judeu Jesus e os seus discípulos também judeus diziam e ensinavam.

    Os judeus só adoravam um Deus (Jeová), os católicos e evangélicos hoje por outro lado adoram a Trindade. Mas olhando para Jesus Cristo e os seus seguidores cristãos que escreveram o “Novo Testamento” vemos que eles adoravam o mesmo Deus que os judeus, e não um “Deus-Trindade”, ou seja, quem está em erro são os religiosos católicos e protestantes que não obedecem os ensinam do Livro Sagrado em que dizem se basear.

    Este ensino do Deus-Trindade (criado nos século 4 e 5 d.c) foi algo tão sério que fez os judeus se tonarem inimigos mortais das igrejas, e levou ao surgimento do Islamismo (no século 6 d.c), pois este também rejeita fortemente o ensinamento católico de que Deus seja uma Trindade! então, só pra citar um exemplo que afasta o atual Judaísmo do Catolicismo. Mas não foi culpa de Jesus, pois Jesus nunca usou essa palavra “Trindade”, ao contrário, falava continuamente para seus seguidores adorarem o mesmo Deus dos judeus.

    “lembrando que os indios ja tinham suas religios antes do portugueses chegarem”
    O que não quer dizer nada sobre qual das duas religiões é verdadeira, inclusive podem as duas serem falsas, ou seja, esse pensamento de qual veio primeiro é uma bobeira.

    Ela fazia algum sentido quanto a questão do Judaísmo x Cristianismo, pois são religiões de origem comum, e ambas usam dos mesmos livros sagrados. A Bíblia tem 66 livros, e 39 deles são aceitos pelos judeus, então o fato dos judeus terem vindo primeiro e dos seus livros serem mais antigos que os livros cristãos é sim relevante, já no caso dos índios com o catolicismo não faz diferença nenhuma, pois suas religiões não tem parentesco. De todo o jeito, quando os portugueses chegaram aqui descobriram que os índios também criam num grande dilúvio, o que demonstra que realmente deve ter acontecido um dilúvio no passado, pois povos diferentes e distantes que nunca se conheceram contam a mesma história, sinal que tal história deve ter uma origem comum.

    “e os protestantes lembrai que o catolicismo veio antes”
    Sim, mas como ambos dizem que creem na Bíblia, então se um quer desqualificar a religião do outro, é só usar a Bíblia para mostrar que o outro não está a seguindo corretamente e pronto, estará provando os defeitos da outra religião.

    Não basta os católicos virem antes dos protestantes, se dizem que são cristãos não podem ir contra o que Jesus Cristo disse, e se dizem que são apostólicos, também não podem ir contra o que os apóstolos escreveram na Bíblia, por isso é possível sim um protestante corrigir um católico, é só mostrar na Bíblia os erros da religião do Papa.

    “alguem inventou o isla”
    O Islã mistura elementos do Judaísmo e do Cristianismo, o seu livro sagrado, o Alcorão é baseado na Bíblia Judaico-Cristã, de fato passagens do Alcorão afirmam que a Bíblia é verdadeira, então o Islamismo e o Alcorão estão comprometidos com a Bíblia Sagrada também, por isso esta tem autoridade e primazia sobre o Alcorão, pois ela veio primeiro e ele mesmo se baseia nela, já o Alcorão não tem autoridade para corrigir a Bíblia, pois ele veio muito depois, assim as palavras dela não tem compromisso de concordar com as dele.

    “ele criou tudo ele criou o universo e com a imesidao do universo ele soh se preocupa com nos acho”

    Se ele se preocupa com nós ou não, teríamos de perguntar pra ele, mas como não temos como dialogar face a face com ele, aí entra a necessidade de existir uma Bíblia Sagrada, para nos informar sua vontade e propósitos. Mas será que ela realmente é a Palavra escrita de Deus? Aí que entra a necessidade de você estudar, para avaliar isso.

    “na biblia muitos trechos dis q deus mandou um matar o outro para ficar com o trono de israel”

    Sugiro que no estudo da Bíblia aprenda sobre a origem de Israel, como povo, como grupo religioso e finalmente como uma monarquia com sede em Jerusalém, é importante pois o tema do Messias está diretamente ligado a história de Israel, o trono de Israel é totalmente relevante dentro do tema da Bíblia inteira. Então comece seu estudo da Bíblia, com sua leitura partindo do Gênesis, pois é a base de tudo, começa desde antes do nascimento da nação de Israel.

    “se acha que deus vai perder tempo conosco”
    Depende de quem é Deus e de como ele é. Se ele for Jeová, o Jeová de quem a Bíblia fala, o Pai que Jesus Cristo falava, então ele vai sim, de fato a história gira em todo de seus propósitos, que incluem justamente a mim e a você, não é porque sejamos assim tão importantes, realmente não somos nada, porém Deus está trabalhando para sua própria glória para defender sua própria Soberania que foi desafiada, e nos estamos no meio disso, é útil que façamos a escolha certa e nos posicionemos do lado vencedor.

    “possivelmente colocou agente na terra pa acompanhar os genocideos”
    Ele colocou a gente aqui para vivermos felizes para sempre na Terra em mundo sem morte ou doença. É como a Bíblia conta, apesar de alguns religiosos discordarem e acharem que estamos aqui apenas para nos preparar para vida após a morte no além, ora, se o nosso Criador queria que vivêssemos todos no céu, que nos criasse no céu, como os anjos, se criou a Terra é porque tem um motivo, um objetivo um proposito para ela. Está aí mais um exemplo de como a falsa religião atrapalha ao entendimento dos ensinos bíblicos.

    “acho que jesus era”
    Acho que a pessoa deve estudar as Escrituras Hebraicas (Antigo Testamento) para ver se Jesus era ou não era, aquilo que dizia ser.

    “naquela epoca como hoje naquela regiao adutereo e punivel com morte”
    Falso, em Israel, o adultério não é mais punido com a morte, você tá confundindo com os países árabes, com os islâmicos.

    ” a historia de jesus lembra um pouco hercules e percy jackson”
    A história de Hércules ou Percy Jackson envolve um deus fazer sexo com uma mortal, gerando um semideus, o que mostra que nasceram normalmente, de uma mãe que não era virgem.

    Não tem nada a ver com a história de Jesus que envolve nascer sem contato sexual, nascimento de uma criança normal, não de um semideus, Jesus não tinha poderes por ser semideus, aí está coisa de quem não leu a Bíblia e se guia por opinião popular, Jesus fazia milagres através do espírito santo de Deus que estava sobre ele, da mesma forma como outros homens na Bíblia faziam milagres, quando esteve neste mundo Jesus não era deus e nem semideus, apenas um homem perfeito a quem Deus atendia os pedidos. agora quando Deus o ressuscitou dos mortos, aí sim Jesus ganhou poderes, pois se tornou um poderoso espírito imortal. Estude a Bíblia com as Testemunhas de Jeová que irá entender estes assuntos.

    “e jesus ingravidou a maria madalena”
    Engravidou como? Por que? Onde? Cadê as provas? Qual era o nome da criança? Onde se lê isso?

    Enfim, esse site ajuda pessoas por todo o mundo, é escrito em linguagem simples e acessível, é proveitoso para todo tipo de pessoa, de todas as idades e de diferentes níveis de conhecimento. Por ele é possível pedir que uma Testemunha de Jeová venha até sua casa: jw.org/pt/

    Bom proveito colega, foi bom falar com você.

    Curtir

  • Alexei  On 31 de março de 2014 at 9:41

    Alguém faça o favor de providenciar uma cartilha para o sr. Dogao. Seria bastante proveitoso.

    Curtir

  • joao batista santos  On 8 de abril de 2014 at 16:18

    esse cidadao que responde as contraDIÇOES, usa muito a palavra talvez.

    Curtir

  • Queruvim  On 8 de abril de 2014 at 19:29

    A vasta maioria das refutações não usam sequer tal palavra.

    Devido a isso…(3º parágrafo do texto)
    O próprio texto…( 3 º parágrafo do texto)
    Fica claro que…( 5º parágrafo do texto)
    Além do fato que …(5º parágrafo do texto)
    Em lugar algum…(8º parágrafo do texto)
    Na verdade… (10 º parágrafo do texto)
    Devemos ter presente que…
    O texto diz isso….e não aquilo…
    A tradução exata ou correta de tal passagem é …. e não… (fonte citada)
    No ultimo parágrafo emprega-se uma explicação usando “talvez”. Mas não é o caso do texto. Citar uma parte como sendo um todo é falácia da composição. Conta outra por favor!Eu me admiro como que em uma frase tão pequena, uma pessoa pode revelar uma falácia ao mesmo tempo que revela indisposição de leitura responsável. Tudo isso em apenas uma frase. Seria essa a avaliação que seguiu a lei do menor esforço?

    Curtir

  • Alexandre Martins TJ  On 8 de abril de 2014 at 19:51

    O “talvez” só é usado quando na resposta não se pode afirmar algo com certeza absoluta. Isso de forma alguma invalida as respostas dadas.

    Curtir

  • Alexandre Martins TJ  On 9 de abril de 2014 at 9:08

    Quando fazermos o esforço de expurgar todos os erros gramaticais e ortográficos do Sr. DOGÃO. Vemos que ele não passa de um agnóstico (termo grego que significa literalmente “sem conhecimento”). Ele defende de forma confusa a ideia de que tendo Deus criado um Universo tão imenso quem somos nós infinitamente pequenos em relação a ele, para Deus nos dar atenção. Se ele for sincero e desejar obter uma resposta a seu questionamento visite o site jw.org. no link: http://www.jw.org/pt/publicacoes/revistas/wp20130501/jeova-se-importa-com-voce/#?insight%5Bsearch_id%5D=01d94210-b90a-41ba-bfd1-1f321111ac41&insight%5Bsearch_result_index%5D=2.

    Aconselho ao o sr. DOGÃO que não se deixe influenciar por argumentos fáceis e inconclusivos. Pesquise, coloque a prova a Palavra de Deus. Abandone as ideias mentirosas publicados em livros da série Percy Jackson, são apenas romances, não são estudos sérios. Não fique propagandeando afirmações satânicas que colocam Jesus como um homem imoral, que manteve relações com sua discípulas. Em suma, purifique vossa mente.

    Curtir

  • Xavier  On 1 de agosto de 2014 at 7:35

    http://contradicoesdabiblia.com

    Uma Contradição da Bíblia (?)

    Tome-se a porção composta da língua hebraica, da língua aramaica e da língua grega em que se exprimiram os cerca de 40 redatores da Bíblia. Chamemos «objeto HAG», ou simplesmente «HAG», a esse conjunto de palavras, encerrado no 1.º século da nossa Era.Em seguida, tome-se a porção da língua portuguesa usada por João Ferreira de Almeida [1628-1691] na sua tradução da Bíblia, feita 16 séculos depois de a escrita da Bíblia ter ficado completa. Chamemos «Objeto FERREIRA», ou simplesmente «FERREIRA», a essa porção de língua portuguesa. Ora, HAG é anterior a FERREIRA, é distinto de FERREIRA e é totalmente independente de FERREIRA. Se alguém provar que existe um erro, uma incoerência ou uma contradição em FERREIRA (i.e. na porção da língua portuguesa usada da tradução de João Ferreira de Almeida), isso nada prova quanto à existência de um erro, de uma incoerência ou de uma contradição em HAG, que é a porção de língua hebraica, da língua aramaica e da língua grega usada 16 séculos antes pelos redatores da Bíblia.

    De fato, até se verificou que FERREIRA – o texto da tradução de João Ferreira de Almeida — continha (e ainda contém) vários erros, incoerências e contradições. Por isso, FERREIRA teve a sua situação «revista e corrigida», em 1898, «revista e atualizada», em 1959, «corrigida e revisada – fiel», em 1994, 2007 e 2011. Em contraste, HAG jamais foi – nem pode ser – revisto, atualizado, corrigido ou tornado fiel – e muito menos o foi nas passagens em que FERREIRA, pelo visto, precisou de ser. Quem quiser provar que HAG contém erros, incoerências ou contradições tem de falar de HAG, e não de FERREIRA. Se falar de FERREIRA quando devia falar de HAG, o seu argumento sofrerá do irremediável vício lógico da falácia do espantalho, e a credibilidade de seus proponentes e defensores é nula, na medida em que um argumento assim viciado vai contra a Razão e contra a Lógica.

    Seja o objeto KJ a tradução da Bíblia para a língua inglesa denominada «King James Bible» (Versão Rei Jaime), publicada em 1611. Seja o objeto NVI a tradução da Bíblia para a língua portuguesa denominada «Nova Versão Internacional», publicada em 2001. Todo o raciocínio de The Skeptic’s Annotated Bible se baseia em KJ e todo o raciocínio da Bíblia do Cético Comentada se apoia em NVI. Ora, tal como em relação a FERREIRA, HAG (o conjunto das palavras da língua hebraica, da língua aramaica e da língua grega usadas na Bíblia) é anterior a KJ e a NVI, é distinto de KJ e de NVI e é totalmente independente de KJ e de NVI. Se alguém provar que existe um erro, uma incoerência ou uma contradição em KJ (i.e. na porção de língua inglesa empregue na Versão Rei Jaime) ou em NVI (i.e. na porção da língua portuguesa usada na Nova Versão Internacional), isso nada prova quanto à existência de um erro, de uma incoerência ou de uma contradição em HAG, que é a porção de língua hebraica, da língua aramaica e da língua grega usada 19 séculos antes pelos redatores da Bíblia. Acontece que tanto The Skeptic’s Annotated Bible como a Bíblia do Cético Comentada nem falam sequer de HAG, isto é, da Bíblia. Só falam de KJ e de NVI, que são traduções de HAG. Logo, nada provam quanto a HAG, a Bíblia, sendo suas afirmações totalmente irrelevantes quanto a eventuais contradições de HAG, a Bíblia. A falácia do espantalho é clamorosa.

    Note-se que tanto KJ como NVI – em que se baseiam, respectivamente, The Skeptic’s Annotated Bible e a Bíblia do Cético Comentada – contêm, efetivamente, contradições. Essas contradições surgem também em FERREIRA e na generalidade das traduções da Bíblia que circulam na Cristandade, das quais os pastores, os padres e os pregadores afirmam categoricamente que não contêm contradição alguma. Lembremos o que é uma contradição: existe uma contradição nos casos em que não é possível haver uma situação em que duas sentenças são ambas verdadeiras (Wilfrid Hodges, Logic, An Introduction to Elementary Logic. Londres: 1977, p. 13-15). Ora, lemos em KJ e em NVI, em João 1:1: «a Palavra [Jesus Cristo] era [e, como não deixou de ser, ainda é] Deus». Assim, temos a afirmação que os pregadores, os pastores e os padres constantemente repetem: «Jesus é Deus». Por outro lado, lemos ainda em KJ e NVI, em Romanos 8:34: «Cristo Jesus […] está à direita de Deus». Por consequência, em KJ e NVI, João 1:1 e Romanos 8:34 são incompatíveis. Não é possível haver uma situação — em tempo algum, no céu, na terra ou em qualquer outro lugar — em que as referidas sentenças de João 1:1 e Romanos 8:34 sejam ambas verdadeiras. Assim como nenhum quadrado pode ser redondo, nenhuma pessoa ou coisa pode ser A e estar à direita de A. Logo, existe uma contradição. Pela regra da adição lógica, temos a sentença molecular «Jesus é Deus e Jesus está à direita de Deus» — é o mesmo que dizer «Deus está à direita de Deus». Esta sentença é sempre falsa.

    Agora a questão é: esta contradição, entre João 1:1 e Romanos 8:34, e esta falsidade que se encontram na tradução KJ e na tradução NVI (e na generalidade das traduções) também se encontra na própria Bíblia – o nosso objeto HAG? Se se encontram, então a própria Bíblia tem, pelo menos, esta contradição e esta falsidade. Cabe a cada um verificar por si e pensar por sua cabeça, à luz da Lógica, da Razão e da Ciência.

    Pessoalmente, já verificamos essa situação e concluímos que na Bíblia não existe contradição entre João 1:1 e Romanos 8:34. Essa contradição, aliás, não existe em muitas traduções da Bíblia, as quais — por razões semânticas, sintáticas, pragmática e, como se vê, sobretudo lógicas — traduzem João 1:1 da seguinte maneira: «e a Palavra era um deus» (La Sainte Bible, Segond-Oltramare, Genebra, Paris) ou «e a Palavra era um ser divino» (La Bible du Centenaire, Société Biblique de Paris), ou «e um deus (ou: da espécie divina) era a Palavra» (Das Evangelium nach Joannes, Siegfried Schulz, Göttingen, Alemanha), ou «e da sorte semelhante à de Deus era o Logos» (Das Evangelium nach Joannes, Joannes Schneider, Berlim). Não traduzir deste modo João 1:1 é fabricar na tradução da Bíblia uma contradição que a própria Bíblia não contém. Toda a responsabilidade recai sobre o tradutor.
    http://contradicoesdabiblia.com/

    Curtir