Colossensses 1:16 “outras”


Colossensses 1:16-17 

       “Todas as [outras] coisas foram criadas por intermédio …”

” porque mediante ele foram criadas todas as [outras] coisas nos céus e na terra, as coisas visíveis e as coisas invisíveis, quer sejam tronos, quer senhorios, quer governos, quer autoridades. Todas as [outras] coisas foram criadas por intermédio dele e para ele. 17 Também, ele é antes de todas as [outras] coisas e todas as [outras] coisas vieram a existir por meio dele…” Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas. Enfase acrescentada.

Observe antes de tudo que a o Léxico Grego de Thayer define a preposição grega DIÁ (abreviada na figura abaixo por Dí em grego)  como significando  ”por intermédio ” especialmente ao ser usada numa contrução genitiva.Este dicionário apresenta somente esta definição nesta construção genitiva. Não no sentido de “por alguém” mas antes, “por intermédio” de alguém.

pantas

A Concordância de Strong também deixa claro que em uma construção genitiva, a preposição grega Diá tem o sentido de “através de” ou “por intermédio de”. Sendo assim, Jesus é apresentado como sendo o agente passivo da criação. “Todas as coisas vieram à existência por intermédio[diá] dele …. O mundo veio a existência por  INTERMÉDIO [diá] dele” – João 1:3,10. Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas

Muitas versões da Bíblia não dão a entender isso corretamente.

Alguns tem argumentado que a palavra “outras” que ocorre aqui no texto da Tradução do Novo Mundo (TNM) “não existe no grego” repetindo o que alguns sites americanos dizem. Isso porém é errado. Até mesmos Eruditos tem argumentado que a palavra “outras” não é uma adição ao texto mas uma tradução literal do significado da palavra grega PANTA.

Como certo erudito se expressou apropriadamente:

Os que objetam ao uso da palavra “outras” na TNM estão na verdade afirmando que Jesus criou ele mesmo,  uma vez que Col. 1:16 diz ” ele ( Jesus) é o primogênito de toda a criação“.Também, estão afirmando que Cristo é antes de Deus e que Deus veio a existir por meio de Cristo. (v. 17) ,também que Cristo precisa ser reconcilidado com Deus (v. 20) Todavia, a palavra  “outras” está implícita no significado da palavra grega PANTA. De fato a Comissão de Tradução da Tradução do Novo Mundo não deveria nem mesmo ter colocado “outras” em parentesis visto que já faz parte do significado hiperbólico da palavra. A TNM explicitou o que estava implícito. De fato os que negam que Cristo seja o “primogênito de toda a criação” objetam ao uso da palavra “outras” aqui!” declarações do Erudito Jason Beduhn.

Será que a inserção da palavra  “outras” aqui indica uma “falta de treinamento nas linguas originais” como tem afirmado alguns ?

Uma avaliação gramatical (e não teológica) revela que a TNM não acrescentou nada ao texto!

A Versão Padrão Revisada ( Revised Standard Version) insere a palavra “outras” 100 vezes, a versão Rei Jaime (King James Version) , 67 vezes, e a Versão Revisada padrão do N.T  (New Revised Standard Version New Testament) 31 vezes. Aqui vai alguns exemplos:

Lucas 21:29

“Olhai para a figueira, e todas as árvores.” Revised Standard Version (RSV)
“Pensai na figueira e todas as outras árvores.” Good News Bible (TEV)
“Considerai a figueira e todas as outras árvores” New American Bible (NAB)

Lucas 11:42

“e toda erva.” Revised Version (RV)
“e todas as outras ervas.” TEV
“e todos os outros tipos de ervas …” New International Version

Em todas estas ocorrências a palavra  “outras” não estava no texto original, porém os tradutores viram a necessidade de coloca-las ali. Será que podem fazer isso mesmo sem colchetes ?

A Obra Gramática Grega  em Inglês ” (Greek Grammar of the New Testament and Other early Christian Literature“) escrita por F. Blass e A. Debrunner declara :

não é incomum no grego coiné se omitir a palavra outras“.

O livro Teologia e Tendencias nas Traduções da Bíblia  (Theology and Bias in Bible Translations) produzido pelo respeitado  Professor e erudito Rolf Furuli falando sobre a palavra “outras” em  Col. 1:16 na TNM diz:

“Isto significa que os colchetes que a TNM usa perto de “todas” pode ser removido, visto que a palavra outras não é uma  “adição” ou “interpolação”, mas em um dado contexto ela é parte legítima de PAS.” 

Todos os tradutores da Bíblia suprem palavras adicionais de acordo com sua própria compreensão do significado intencionado pelo escritor inspirado. Qualquer estudante da Bíblia sério está a par deste fato elementar. Pode observar que os Tradutores da King James Version ou Versão Rei Jaime em Inglês ( bem como a NIV, NKJV, TEV/GNB, Beck, etc.) adicionaram a palavra “outras” e de maneira coerente, muito embora esta não ocorresse no texto grego. (Compare também Jó 24;24 na King James Version). Estavam eles de modo “blasfemo e desonesto” adicionado algo a palavra de Deus ? Claro que não!

Estes mesmos argumentos são colocados dum ponto de vista de um Erudito a partir de uma avaliação gramatical.

http://searchforbibletruths.blogspot.com/2010/06/nwt-other-at-col-116.html

Os escritores inspirados frequentemente excluem o sujeito (e outros) ao usarem o termo “todos” (grego: PANTA). Isto é algo normal até mesmo atualmente.

Por exemplo um policial pode entrar numa sala e ao prender os ali presentes, pode muito bem dizer: “Todos aqui estão presos”.

Obviamente o policial não estaria se incluindo como um dos presos e nem mesmo incluiria a algum outro policial que o acompanhasse e que estivesse presente ali com ele!

O Theological Dictionary of the New Testament editado por  Kittel and Friedrich se referindo a palavra PANTA nos textos gregos do Novo Testamento, (a Septuaginta ou LXX), diz:

Em muitas passagens, evidentemente,o uso é retórico.” E que tal palavra ” é usada no N.T para denotar um grande numero“. Ou seja não literalmente todos! pp. 796, 797, Eerdmans, 1992 reprint.

“Algumas particulas tais como TODAS , são frequentemente usadas para  ALGUNS ou MUITOS, e.x., Matt. 3:5; 26:52 [even King David?]; 1 Cor. 6:12; Col. 3:22″ Young’s Analytical Concordance of the Bible, Eerdmans, 1978 reprint.

Em Mateus 10:22 Jesus diz a seus seguidores:

“E sereis odiado por todos por causa do meu nome” NRSV. Certamente que Jesus não quis dizer que seus seguidores verdadeiros seriam odiados  até mesmo por Deus.

 

A tradução da bíblia de  Moffatt , bem como a An American Translation, The Common Bible, The Amplified Bible, e traduções produzidas por C. B. Williams, e  Beck todas estas adicionaram a palavra “outras ou outros” depois de “todos” em 1 Cor. 15:24 .E novamente em 1 Cor. 6:18, as traduções da Bíblia feitas por trinitários, a NIV, NASB, NEB, REB, AT, GNB, TEV, JB, NJB (bem como outras), adicionaram a palavra “outras” ou “outros” ao contexto. A TNM concorda com este procedimento normal.

Observe essa colocação feita em uma página na internet onde  reconhece que “inserir” palavras para completar o sentido é algo que ocorre normalmente:
 ” Em Lucas.13:2 lemos na TNM: “Ele lhes disse, assim, em resposta:
 “Imaginais que esses galileus se mostraram piores pecadores do que todos os outros galileus, porque sofreram tais coisas?”.
O próprio texto estabelece um contexto em que o adjetivo “pas” não possa significar todos em absoluto, mas todos em distinção do grupo previamente identificado. É óbvio que o segundo grupo de galileus não é o mesmo do anterior, sendo assim a inclusão do termo “outros” é compreensível. Segue-se que, nesse caso o contexto exige tal inserção.
Em Lucas 21.29 lemos na TNM:
Com isso contou-lhes uma ilustração: “Reparai na figueira e em todas as outras árvores”. Note que o caso é similar: Dois grupos distintos de árvores são contrastadas, as figueiras e as demais. Nesse caso, como no anterior, o contexto exige tal distinção. Será que tal exigência é vista em Col.1.16? Em Filepenses.2.21 lemos na TNM: “Pois todos os outros estão buscando os seus próprios interesses, não os de Cristo Jesus”. Novamente dois grupos contrastados: os cristãos e os demais. Novamente vemos que quando o contexto exige a distinção, o uso do termo “outros” na tradução não é um equívoco, mas uma necessidade. Mas, em Cl.1.16 vemos essa exigência e necessidade? Por que a Tradução do Novo Mundo emprega a palavra “outras” nos versículos 16, 17 e 20? “
O apóstolo Paulo, como lemos em Colossenses 1:16, afirmou que por meio de Jesus Cristo todas as coisas foram criadas nos céus e na terra. Mas como sabemos em Revelação 3:14 deixa claro que o próprio Jesus também foi criado, a Tradução do Novo Mundo acrescenta a palavra “outros”, que claramente é o que o apóstolo tinha em mente. Se não fosse a prevalência da doutrina trinitária, que infere que Jesus não foi criado, não teria sido necessário acrescentar a palavra “outras”. ” Não é incomum que palavras sejam “adicionadas”, ou “inseridas”. Ao estudar a versão King James Version verá que os tradutores desta colocaram “acréscimos” em itálico. Na verdade, esta “prática” ocorre centenas de vezes. Pode-se ver isso acontecendo nesse mesmo capítulo em Colossenses com muitas traduções modernas em Inglês como a Nova Versão Internacional e The New Revised Standard Version.
Além disso não seria correto afirmar que a palavra “outras” “não existe no grego” conforme afirmam muitos críticos da TNM visto que esta palavra está presente no significado da palavra grega que aparece nestes versículos. As palavras entre colchetes segudo alguns estudiosos do grego koine, não deveriam nem mesmo estar entre colchetes na TNM.
Clemente de Alexandria escritor cristão que viveu 153-217 dC, foi um dos primeiros a usar o termo “primeiro a ser criado”, em referência ao Filho de Deus. Em seu livro “Clemente de Alexandria” (Edimburgo: William Blackwood e Filhos, 1914, p. 103, 104) John Patrick diz-nos:
“Clemente repetidamente identifica a palavra com a Sabedoria de Deus, e ele ainda se refere a Sabedoria como o primeiro a ser criado de Deus, enquanto que em uma passagem que ele atribui o epíteto de” primeiro a ser criado “, e no outro”, o Unigênito. De acordo com a Concordância Exaustiva de Strong da Bíblia a frase “o primogênito de” ocorre 36 vezes. Êxodo 6:14, 11:5 (3), 12:29 (3), 13:13, 13:15 (3), 22:29, 34:20, Números 3:13, 40,46,50; Josué 17:01;; 8:16,17; 18:15 1 Crônicas 1:29; 2:3,13,25,27,50, 4:4, 5:1, 9:31 ; 10:36 Neemias, Jó 18:13; Salmos 135:8, Isaías 14:30 e Colossenses 1:15. Se examinarmos cada uma das ocorrências acima veremos que o “primogênito de” é parte de ou pertence a um grupo a um grupo de pessoa do qual é mencionado. Observará que em cada caso, o “primogênito” teve um começo ou existência. Assim, em Êxodo 11:5, na construção gramatical em questão, o “primogênito do Faraó” pertenceu, ou foi de Faraó, o “primogênito da serva” foi literalmente o primogênito da serva e o primogênito ” da besta “era em si uma besta.
Assim, portanto, a frase em Colossenses 1:15, “o primogênito de toda a criação”, seria, corretamente entendido de acordo com seu uso costumeiro na Bíblia, como uma parte da criação, pertencente a criação, um ser criado. Assim, a evidência é de um genitivo de subordinação. Na LXX e no Novo Testamento, o uso dessa expressão começa a pesar em favor de um genitivo partitivo aqui.

O Novo Léxico Grego-Inglês The Thayer (em Inglês) aqui em Colossenses 1:15 sob a palavra “prototokos diz:

” Cristo é chamado [pases prototokos ktiseos] (partit [iva] gen [tivo] … como em Gen IV.4; .. . Deut.xii.17; Ex.xxii.29 … .. “Então, gramaticalmente, prototokos pases  ktiseos ,” primogênito de toda a criação “pode significar” que Cristo está no ápice da criação, mas ainda um ser criado. … Assim, “toda a criação” seria a totalidade de que o Filho é o primogênito, o genitivo seria então partitivo ou de qualificação. “-As epístolas de Paulo aos Colossenses e Filemom, introdução e comentários, o Rev. HMCarson, Tyndale Press, 1 ª Edição, 1960, página 42.
Um trinitário, Goldsmith, em um site de apologética trinitária, realmente tem argumentado que PRWTOTOKOS PASHS KTISEWS pode ser uma expressão partitiva, mas se é, então, refere-se ao nascimento do Filho de Deus na terra, momento em que ele se tornou um homem.
Obviamente, essa passagem está mostrando claramente que o Filho pré-existente, uma criatura espiritual, o Filho primogênito de Deus, foi a primeira de todas as criaturas “[PASHS KTISEWS] e que, por meio deste” todas as [outras] coisas “[TA PANTA] foram criadas. Podemos ver o envolvimento do Filho de Deus na criação em Gênesis 1:26, Provérbios 8:22 e João 1:3. Concordando que a expressão que encontramos no v.15 de Colossenses 1 é partitiva, equivale a aceitar que o Filho é na verdade uma criatura e a primeira criatura de todos os tempos!
 Que a expressão “primogênito de toda a criação”  está apontando ao tempo, não, não ao tempo quando o Filho nasceu como um homem na cidade terrena de Belém, mas quando o filho nasceu ou veio à existência antes de tudo, antes mesmo do céu ou da terra. Portanto, não é surpreendente que Goldsmith prefere entender a expressão com sendo um genitivo de subordinação (Wallace afirma isso em sua gramática) e não de partição.  E não é nenhuma surpresa visto que Marshall Goldsmith não deu um exemplo sequer da LXX ou do N.T Grego.
No entanto, ao admitir que a visão trinitária do Filho podem ser incomodada com a aceitação da expressão como sendo uma expressão genitiva partitiva, e dado que se faz que o contexto defende a existência pré humana antes de Cristo se  tornar homem, isso dá um grande apoio para a crença de que o filho de Deus é  realmente uma criatura, o primeiro ser que Deus criou.
Observe o que escreveu o apologista da Verdade sobre PROTÓTOKOS:

O primogênito de toda a criação.”  Nas Escrituras Hebraicas e nas Escrituras Gregas Cristãs, a palavra “primogênito” ocorre 112 vezes no sentido de ser o primeiro nascido[1]. A mesma palavra grega para “primogênito” é usada na Septuaginta (Versão dos Setenta) nesse sentido. Tanto que a Bíblia faz um paralelo entre “primogênito” (protótokos) e “o princípio [arkhé] de toda a sua faculdade de procriação”. (Gên. 49:3, LXX; compare com Deuteronômio 21:17, LXX; Salmo 105:36.) À base de tais declarações bíblicas é razoável concluir que o Filho de Deus é o primogênito de toda criação no sentido de ser a primeira das criaturas de Deus.

Quando a palavra “primogênito” não se aplica ao primeiro, isto se deve ao fato de que o primeiro perdeu seu direito à primogenitura, e outro da mesma família assumiu o seu lugar. (1 Crô. 5:1; Jer. 31:9) Portanto, seguindo esta regra bíblica, se Jesus não fosse o primogênito no sentido de ser o primeiro filho ou o primeiro nascido de Deus, isto significaria que Deus criou outro antes de Jesus, e que este outro perdeu seu direito à primogenitura, sendo necessário Jesus ter assumido o seu lugar. Assim, imagine as implicações de se negar que Jesus é a primeira criação de Deus!

Ademais, uma regra que permeia toda a Bíblia é a de que o primogênito sempre faz parte do grupo. O “primogênito de Israel” é um dos filhos de Israel; “o primogênito de Faraó” é um da família de Faraó; “os primogênitos dos animais” são eles próprios animais. (Êxo. 6:14; 11:5; Deut. 15:19) Assim sendo, Jesus também faz parte da criação; é um ser criado. Dito de modo simples, Jesus é o começo da criação originada por Deus.

Podemos comprovar isso adicionalmente vendo o outro uso da palavra “primogênito” no mesmo contexto, em Colossenses 1:18, que declara: “Ele é o princípio, o primogênito dentre os mortos, para se tornar aquele que é primeiro em todas as coisas.” Note o paralelo entre “primogênito” (protótokos), “princípio” (arkhé) e “primeiro” (do verboproteúo, que significa “ser o primeiro”; “ter o primeiro lugar” [G.D.]). Tais palavras descrevem a Jesus como o primeiro de um grupo ou classe – dos ressuscitados para a vida eterna. Atos 26:23 fala de Cristo “comoprimeiro a ser ressuscitado dentre os mortos”. (Veja também Hebreus 6:19, 20; 1 Coríntios 15:22, 23.) Ninguém antes de Jesus Cristo foi elevado à vida imortal nos céus. (João 3:13) Visto que ele foi o primeiro a ter uma ressurreição à perfeição de vida, é “o primogênito [ou o primeiro] dentre os mortos”. Correspondentemente, visto que ele foi o primeiro a ser criado por Deus, ele é “o primogênito [ou o primeiro] de toda a criação”. Isto é reconhecido pela versão ecumênica da Comunidade deTaizé (Edições Loyola), e pela JRV, que descrevem Jesus como “o primogênito de toda criatura”.

PARA UMA CONSIDERAÇÃO ADICIONAL E DETALHADA SOBRE ESTE ASSUNTO CONSIDERE ESTE ARTIGO
Anúncios
Both comments and trackbacks are currently closed.

Comentários

  • Samuel  On 8 de abril de 2011 at 16:38

    Respondendo esse assunto com um texto bíblico.

    O apóstolo Paulo disse:Mas quando se diz que (todas) as coisas lhe foram sujeitas,é evidente que se excetua Aquele que lhe sujeitou todas as coisas.Há muitas coisas nas escrituras que são evidentes e seus escritores não acharam necessário especificar,visto ser tão evidente.Assim como Paulo mostrou que não era necesário colocar o auxiliar (outras)para explicar que não eram todas as coisas generalizadamente falando que Deus havia sujeito à Jesus.Então,embora não use o auxiliar,em 1 Cor 15:28 ele mostra que não eram todas ascoisas que Jeová lhe havia sujeitado,mas sim,todas as outras coisas.Tudo,menos o próprio JEOVÁ.Portanto Paulodeixa evidente que se alguém não entender o texto,não é errado colocar tal auxiliar.TENTEI EXPLICAR.ESPERO QUE TENHA CONSEGUIDO.

    Curtir

  • batista  On 11 de abril de 2013 at 13:36

    Essa versão Novo Mundo já é uma cópia tendenciosa das versões que eles mesmos dizem que são exatamento ao texto original como a (King James Version

    Curtir

  • queruvim  On 11 de abril de 2013 at 13:59

    Batista, não é isso o que dizem pessoas que trabalham com traduções. Inclusive peritos. Observe o comentário de alguns na página principal deste artigo conforme o link abaixo. Depois de avaliar com cuidado, peço por favor, que volte a ler a sua afirmação e comparação com o que estes dizem. Pondere com atenção, reflita.

    http://traducaodonovomundodefendida.blogspot.com.br/

    Curtir