Guerra na Assembleia de Deus envolve denúncias de corrupção e vira caso de polícia e justiça


Guerra na Assembleia de Deus envolve denúncias de corrupção e vira caso de polícia e justiça

Insatisfação com a nova administração do pastor Samuel Câmara (Foto ao lado) levou fiéis da Assembleia de Deus de São José dos Campos a procurar ajuda judicial.

Uma igreja em pé de ‘guerra’. Na tarde de ontem, pela segunda vez em três dias, fiéis da igreja Assembleia de Deus de São José dos Campos se negaram a cumprir uma ordem judicial que determina que a presidência da igreja matriz da denominação seja transferida para uma junta de pastores, representados por Antônio Luis Celani, o antigo pastor .
A história, que envolve a troca de acusações e agressões entre os grupos rivais, teve início há cerca de um ano, quando o pastor Celani deixou o cargo.seu lugar, assumiu o também pastor Samuel Câmara, de Belém (PA).

Mas a insatisfação com a nova administração do templo levou uma parcela dos fiéis a procurar ajuda judicial.

Direta ou indiretamente, essa disputa afeta a atuação das 182 igrejas mantidas pela denominação em São José (subordinadas à matriz), que juntas possuem patrimônio avaliado em R$ 30 milhões (apenas contando imóveis). São 10 mil fiéis.

Justiça

Em outubro, o grupo descontente com a presidência atual acionou a Justiça, que no último dia 17 concedeu liminar determinando o afastamento da atual diretoria. No entanto, ela se nega a deixar a igreja.

No início da tarde de ontem, um grupo de fiéis cercou o pátio da matriz com automóveis. Um oficial de justiça esteve no local, mas, novamente os fiéis, que já ocupavam o prédio, se negaram a sair do templo. Alegando não serem representantes da igreja, disseram não poder assinar a ordem da Justiça.

Cerco

A Polícia Militar foi chamada, mas não entrou na igreja, porque foi surpreendida com o número de pessoas no local. Os fiéis que ocupavam a igreja comemoraram a saída das autoridades com uma oração do lado de fora da igreja.

No domingo, fiéis favoráveis ao retorno de Celani tentaram entrar no templo. Houve confronto com o grupo rival. O tumulto somente foi contido com ajuda da Polícia.

VEJA ABAIXO A MEDIDA CAUTELAR NA JUSTIÇA

http://esaj.tj.sp.gov.br/cpo/pg/search.do?paginaConsulta=1&localPesquisa.cdLocal=577&cbPesquisa=NUMPROC&tipoNuProcesso=UNIFICADO&numeroDigitoAnoUnificado=0059954-46.2010&foroNumeroUnificado=0577&dePesquisaNuUnificado=0059954-46.2010.8.26.0577&dePesquisa=&pbEnviar=Pesquisar


Preso pastor estelionatário que fundou mais de 140 igrejas pelo Brasil

Preso pastor estelionatário que fundou mais de 140 igrejas pelo Brasil

Um total de 146 igrejas evangélicas fundadas até 2007, um veículo furtado e um volume ainda não contabilizado de bens e dinheiro arrecadados em golpes. Essa é a ficha criminal resumida de Sabino Saldanha, 51, que seria natural de Soledade (RS).

A Polícia Federal e a Brigada Militar de São Borja (560 km de Porto Alegre) ainda não conseguiram checar de qual cidade, afinal, o suspeito de estelionato teve ao menos quatro carteiras de identidade falsas encontradas no momento da prisão em flagrante.
Saldanha –que, em São Borja, se apresentava como pastor Laércio Alves da Silva– foi preso na noite de quinta (9) no município gaúcho. A prisão aconteceu em um galpão onde ele se preparava para ministrar aulas e após dias de monitoramento de suas atividades. O falso pastor foi encaminhado ao presídio estadual de São Borja.
A prisão foi efetuada pela Brigada Militar. Segundo o chefe do setor de Inteligência da corporação, sargento Gibi Coski, o falso pastor foi encontrado graças a uma denúncia anônima. “A partir daí, começamos a pesquisar na internet e vimos que ele tinha mandados de busca no Tocantins, em Rondônia e em São Paulo.”
A busca online ainda auxiliou a Brigada em mais duas descobertas: a de um veículo Gol encontrado no galpão onde aconteceu o flagrante –o carro, segundo a polícia, consta como furtado no Paraná– e de vários documentos das igrejas que foram fundadas por ele.
“Pelo que apuramos até o momento, os mandados eram de três Estados, mas ele teve problemas de apropriação indébita e estelionato também no Distrito Federal, Paraná, Rio de Janeiro, Goiás e São Paulo. Não param de ligar pessoas que foram fiadoras dele nesses Estados e que tomaram calote”, contou o policial.
Os golpes variavam do requerimento de doação de áreas para construção de igrejas e de centros de recuperação de dependentes químicos, que nunca foram construídos, a bingos e outros tipos de captação para projetos. As terras doadas, por exemplo, eram vendidas sem qualquer interesse assistencial. A PF confirmou que um inquérito para apurar os crimes foi instaurado.

Pastor da Igreja Mundial é preso durante culto

Noticia Quinta-feira, Outubro 28, 2010

Pastor da Igreja Mundial é preso durante culto

O culto da Igreja Mundial da Palavra de Deus, no Jardim das Palmeiras, em Sumaré (SP), foi interrompido pela Polícia Militar. O pastor Jaime Martiniano dos Santos, de 33 anos, que lia versículos da Bíblia a um grupo de pelo menos 30 pessoas, recebeu voz de prisão e foi levado, com as mãos algemadas, para a Delegacia da Polícia Civil, onde ficou preso. Segundo a polícia, ele está condenado a 23 anos e 4 meses por um latrocínio (roubo seguido de morte) em 2002 na Vila Matilde, na Capital.

A informação de que o pastor da igreja deveria ser preso chegou à PM por intermédio do Serviço Disque-Denúncia. Os policiais foram até o templo, na Avenida Ivo Trevisan, na noite de sábado, e anunciaram ao pastor que ele estava preso. Santos não reagiu. Ele interrompeu a palavra, entregou a Bíblia a outro obreiro e seguiu com os policiais na viatura.

Uma pesquisa feita por policiais civis revelou que Santos, atualmente morador na Vila São Pedro, em Hortolândia, era procurado pela Justiça. Foi condenado pelo assassinato de um comerciante em 30 de agosto de 2002, na Capital, durante um assalto. A condenação é da 30ª Vara Criminal de São Paulo e a sentença foi proferida em 11 de abril de 2006. O pastor também está condenado por furto. Conforme informações da polícia, ele estava morando em Hortolândia desde 2005.

Na madrugada de domingo, Santos foi encaminhado para a Cadeia de Sumaré e ontem, transferido para uma das seis unidades do Complexo Penitenciário Campinas-Hortolândia. Ele deve cumprir a pena em regime fechado, conforme determina a sentença. Representantes da igreja e pessoas da família do pastor não foram encontradas ontem pela reportagem.
Fonte: Guiame

Este texto-desabafo, apesar de não causar estranheza, dada a atual natureza do autor, causa-nos profunda tristeza. É que se esperava do grande líder que ele foi, do fundador do desafio jovem de Feira de Santana, do grande homem de Deus que um dia foi, um “mea-culpa”, permitindo daí retornar a ser considerado como o líder que era.
Quando o pastor da Assembleia de Deus em Salvador, Israel Alves Ferreira afirma que a igreja dele foi vítima de “muita violência por parte da convenção estadual” peca contra a verdade e tenta lesar a consciência dos mais incautos. Mentiras e mais mentiras, omissão de parte da história e meias-verdades “pai da mentira”, cf. João 8:44 “Vós tendes por pai o Diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira”.
Mencionar o nome do saudoso Pr. Rodrigo Santana, para dar respaldo ao movimento rebelde, produzido por mentes cauterizadas, que já não permitem mais a ação do Espírito Santo, é no mínimo indecente, desrespeitoso. O Pr. Rodrigo Santana foi vítima também, tal como a CEADEB, de um movimento rebelde-separatista. Foi no tempo de Zacarias. Naquela época, foi necessário tomar templos à base da força. Mas a Igreja manteve-se unida, resistindo aos rebeldes e toda a Bahia sofreu, mas venceu juntamente com os crentes da capital.
Quando o ex-líder fala do fundo convencional, falta-lhe o mínimo de brio para dizer a verdade necessária. Ele diz que a sede da convenção foi comprada com dinheiro da Igreja em Salvador, a título de fundo convencional. Esquece-se de mencionar que todas as igrejas da Bahia contribuem com 5% de suas receitas para, conforme diz o estatuto da nossa convenção, em seu artigo 45 – “A receita da CEADEB destina-se: I – Prioritariamente ao pagamento das prebendas dos Ministros jubilados e pensionistas”. Esquece-se ainda que muitos destes ministros foram obreiros que trabalharam na capital. Falta-lhe a memória para lembrar que, desde aquela época, a Igreja fazia acordos para tentar quitar os débitos pendentes com os jubilados e a alternativa foi fazer um investimento de grande porte com parcelas “pagáveis”. A CEADEB inclusive já chegou a perdoar dívidas da Igreja em Salvador na época do Pr. Severino Soares.
È de causar misericórdia para com uma alma que menciona o Fundo Convencional, onde tem Igrejas na Bahia que honram integral e pontualmente com estes 5%, porque seus pastores entendem que assim como todo crente deve ser fiel nos dízimos para seu próprio bem-estar e prosperidade e para o crescimento do Reino de Deus, quando o pastor da maior igreja na Bahia há anos que despreza o princípio bíblico de cuidar dos órfãos e das viúvas, cf. Deuteronômio 27:19 “Maldito aquele que perverter o direito do estrangeiro, do órfão e da viúva. E todo o povo dirá: Amém.” Parece-nos que esta palavra tem sido uma constante na vida deste pobre homem. Verdadeiramente não pode ser abençoado quem despreza um preceito tão sério.
Será que ele consegue dormir ao colocar sua cabeça sobre o travesseiro? Ou será que entre as facetas da maldição que a bíblia menciona também veio à insônia? Será que ele tem saúde perfeita, mesmo achando que pastores jubilados, viúvas e órfãos poderiam passar fome?
Interessante que o ex-líder não se importou com a saúde espiritual das ovelhas que ele pastoreia quando tomou medidas para receber a maldição. Quando o pastor vive sob maldição, a igreja inteira sofre e o rebanho geme.
De uma coisa nós, os crentes da Assembleia de Deus em toda a Bahia, temos que agradecer: A postura emancipacionista-rebelde-separatista permitiu a existência de igrejas saudáveis na capital. De crentes cheios do Espírito Santo e trabalhando para o crescimento da obra. Não que os demais irmãos da capital tenham culpa. Em absoluto, são apenas vítimas de líderes que perderam a visão e direção de Deus. Estes crentes gemem por viverem a tragédia que a bíblia prenuncia: I Reis 22:17: “Vi a todo o Israel disperso pelos montes, como ovelhas que não têm pastor”.
Se falta paz na vida destes homens, é que expulsaram o príncipe da paz do centro de suas existências. As igrejas sob o controle da CEADEB, inclusive na capital, vivem o clima da mais perfeita paz.
Esta “ideia genial”, de orar, abrir novas igrejas, evangelizar e batizar é prática comum na história da Assembleia de Deus no Brasil e na Bahia não é diferente. É também uma forma de gratidão que este ex-líder tem pela Igreja em Ilhéus. Igreja que ele já pastoreou e que tanto o ajudou e agora o mesmo abre uma igreja com a única intensão de “concorrer” com a Assembleia de Deus, prometendo consagrações a todo tipo de gente, ele mesmo ligou para vários obreiros da nossa igreja. Quando assumimos algumas igrejas na capital e abrimos outras, foi para acolher os crentes que sofriam por não concordar com a postura de seus líderes.
Os crentes das Assembleias de Deus ligadas a CEADEB não nutrem ódio, ressentimento e vingança por quem quer que seja. Antes rogam a Deus que use de misericórdia para os rebeldes. Rebelião é algo muito sério e o fim é morte.
Oramos pela conversão. É isso verdadeiramente que precisamos ver neste ex-líder e nos seus seguidores. O Deus de Jacó, o Pai de Jesus Cristo, pelo Seu Espírito, tem poder de transformar vidas.
A partir do uso da verdade, uma palavra bem distante do dicionário dele, o Espírito Santo operará a libertação. Falar em verdade, porque não esclarece a razão de haver sustado os cheques dados a CEADEB para pagar Fundo Convencional e assim a convenção poder pagar os jubilados, viúvas e órfãos? Este negócio de sustar cheque é coisa de crente?
É difícil imaginar estes líderes rebeldes vivendo o avivamento. Gostaria de perguntar por que será que as igrejas da capital, ligadas a CEADEB vivem este clima de avivamento? Porque será que Deus se mostra presente e o Seu Espírito tem operado grandemente nas Igrejas cujos pastores são fiéis a convenção, enquanto o ex-líder clama pela chegada de avivamento?
Querido ex-líder, renovar a credibilidade é algo difícil pelas razões que esta foi perdida. Quando a igreja perde a credibilidade pelo seu pastor é muito triste. Incentivar alguém a contribuir é algo complicado para quem se tornou rebelde porque não quis contribuir, (sic) chamar os crentes pra contribuir sem murmurar!
A crise se instalou de maneira tão intensa que até admitem ter abandonado o cuidado com os jovens, adolescentes, crianças e família.
A razão pela igreja está desorganizada financeiramente e administrativamente é porque vive o que a Bíblia diz, repito I Reis 22:17: “Vi a todo o Israel disperso pelos montes, como ovelhas que não têm pastor”. A divida com o INSS que depois de vários processos foi feito um acordo de 100 parcelas de R$ 40.000,00 (quarenta mil reais) por mês foi passado isto pra o ministério e para os membros? Uma divida só com o INSS de R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais)
A minha oração é para que o Pastor Israel Alves Ferreira assuma seus erros, peça perdão e receba o perdão e a acolhida da convenção. Haverá uma igreja para ajudá-lo no processo de restauração dele como pastor e, principalmente, como servo de Deus. Porque pela alma dEle Cristo morreu na cruz.
Enquanto este milagre não ocorre minha oração imediata é que a mentira dê uma trégua. Enquanto não tem forças para dizer a verdade, que faça votos de silêncio. É melhor não dizer nada do que proferir mentiras. João 8:32 “E conheceres a verdade, e a verdade vos libertará”.
Que Deus em Cristo opere o milagre em favor dos milhares de servos dEle na capital que continuam a gemer. A eles fica a mensagem de ânimo, contida no Salmo 30:5c: “O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã”.
Anúncios