Plurais em Hebraico Bíblico na Tradução do Novo Mundo


Nos textos da Bíblia, especificamente na parte escrita originalmente em hebraico, podemos encontrar plurais vários que não correspondem ao plural numérico.  Em Jó 1:12 e 2:7 lemos que numa assembleia celestial, o inimigo da verdade é citado como estando presente, e que este saiu “…de diante da face (Hebraico.: paním) de Jeová“. Algumas traduções do texto hebraico optaram por verter: “…de diante da pessoa de Jeová“. Como é o caso da Tradução do Novo Mundo.  A palavra hebraica “panim” ou “face”  pode ser vertida “pessoa”.   Certo leitor desta página indagou se há alguma relevância teológica envolvendo a natureza de Deus caso a palavra “face” ou “pessoa” esteja quer no plural quer não, no idioma original. 

O substantivo panim  não está no singular. Todavia, não pode ser igualado ao nosso plural numérico.

Existem plurais em hebraico que nada têm que ver com o nosso conhecido plural numérico. Antes, referem-se à extensão de um local como um todo. Entre estes surge a palavra “céus” shamaim, “altura” meromim, “superfície” ou “face”, panim, entre outros exemplos. Desta ultima temos um entendimento de que se trata de um plural onde uma superfície pode se estender ou se virar para todos os lados. A face de Jeová observa ou “olha” para todos os lados ao mesmo tempo e em harmonia com isso é apropriado uma palavra hebraica no plural,  conhecido como “plural de extensão de local”. São inúmeros os exemplos deste tipo de plural no texto hebraico. Até mesmo quando se refere a humanos ou a uma simples superfície, a saber, uma única superfície, emprega-se o plural “panim”. Fica ambíguo e impossível de se afirmar que é apenas um ou são 2 ou vários itens referidos por este tipo de plural. Exemplo deste plural específico: “Tenda” ou “moradia”, se diz  ohel em hebraico. Mas um acampamento é Ohalim(plural); este pode ser apenas uma turma acampada, duas, três ou até mesmo 1000. Em minha leitura chego à conclusão de que tais plurais não apresentam apoio teológico quer a favor ou contra a doutrina da trindade.

Quando se fala especialmente de superfícies ou de inumeráveis partes compostas, por exemplo, em níveis de uma determinada superfície, emprega-se no texto da Bíblia Hebraica o plural de extensão local. O mesmo pode ser gramaticalmente observado ao se falar de localidades em geral ou qualquer coisa que tenha um alcance maior. Por exemplo, ao se falar de um período longo ou muito longo de tempo, não se usa Olam, que se refere quase sempre ao tempo de duração indefinida , mas Olamim, (1 Samuel 4:10)  um plural de extensão. Encontramos exclusivamente na poesia hebraica um numero de plurais que visam intensificar a ideia etimologicamente presente.  מִבְטַחִים‎ mibetahim Isaías 32:18  plena confiança e não apenas “confiança” como vemos em muitas traduções da Bíblia; בְּרָכוֹת ‎ abundante benção, ψ 21:73; Qualidades ou condições estão presentes em plurais abstratos sufixados na raiz etimológica. Estes são devidamente vertidos na Tradução do Novo Mundo de forma a apresentar o sentido original. Em Prov. 14:30 vemos um exemplo, בְּשָׂרִים ou Besarim (lit. “carnes” vertida organismo carnal) diferente de basar (“carne” no singular), foi vertido de uma forma literal e com competência incomuns pelos tradutores da Comissão de Tradução da Tradução do Novo Mundo. Não parafrasearam, optaram pela literalidade e não se perdeu nada do que lemos no texto hebraico, ou seja, emprega-se exatamente um plural de extensão, que por sua vez é um plural abstrato. Observamos , não raro no texto da Bíblia hebraica, um plural quase que exclusivo em poesias , visando intensificar a ideia presente na raiz. Em alguns casos tal plural conhecido como plural de amplificação não parece funcionar como um intensificador da ideia presente, mas apenas um auxílio na rima poética hebraica. Em vista disso é descrito por eruditos como um plural de intensidade , como em Jó 2132, 2 Cron. 1614; 2 Reis 2220A  Tradução do Novo Mundo revisada pretende evitar a literalidade excessiva a favor do entendimento mais claro e direto. O pluralis excellentiae ou maiestatis é um dos plurais abstratos em suas variadas formas. Em português PLURAL MAJESTÁTICO HEBRAICO.

O plural de composição se refere a numerosos itens ou partes do mesmo material que forma ou “compõe” algo. Ocorre em דָּמִ֛ים damim (plural de דַּ֣ם Dam, “sangue”) designa o sangue no estado de dispersão (manchas, poças de sangue, respingos) e portanto o “derramamento de sangue” num assassinato, Gen. 4:10. por sua vez “assassinato” Ex. 22:2.

Dual de composição é um plural que se refere a itens que normalmente ocorrem em pares, נְחֻשְׁתַּ֣יִם nehushtaim dois pedaços de bronze ou “grilhões de cobre” 2 Sam. 3:34 (TNM).  מָ֫יִם Maim água pode ser explicado como um plural de composição ou de extensão.

Existe o plural de generalização, entre outros. Pretendo ampliar a análise dos plurais encontrados na Bíblia Hebraica a medida que o tempo me favorecer, visando demonstrar particularidades desconhecidas de muitos dos que falam as línguas do ocidente além de evidenciar o bom trabalho feito pelos da Comissão de Tradução da TNM.

nile from space

Both comments and trackbacks are currently closed.