Middle East Expert : ‘Fight Islam Like Nazism’ (With translation to portuguese; tradução para o português)


 

World-renowned Dr. Bukay sounds warning on Islamic ideology intent on conquering world, as seen in lethal Islamic State.
 

By Benny Toker, Ari Yashar

 
Palestinian Arabs hold Nazi flag (file)

Palestinian Arabs hold Nazi flag (file)
Photo: Reuters

Middle East studies expert Dr. David Bukay of the University of Haifa ridicules intelligence experts trying to downplay the danger posed by the extremist group Islamic State (IS, formerly ISIS), which has captured large swathes of Iraq and Syria in recent months.

Speaking to Arutz Sheva, Bukay explained “today they have nearly 20,000 fighters; it’s a contagious phenomenon, they cast fear and dread and many join them.”

“There’s no clear strategy against them,” added Bukay, noting on US President Barack Obama’s statements last Thursday that he has “no strategy” to combat IS in Syria.

“Today they’re already waving their flags in Arab villages in Israel, in Umm al-Fahm and Saknin. The new amendment against waving Hamas and IS flags is ludicrous, I’d like to see the attorney general fight them,” commented the Middle East expert.

Bukay argued that the world must understand the war today must not be against this or that terror group, but against extremist Islam as an ideology.

“Islam is an existential threat, and if in the past they declared war on the Nazis and afterwards on Communism, today they must declare war on Islam and not necessarily on terror. You’re fighting an ideology here that speaks about conquering the world and killing infidels, that’s a religious war by all means,” argued the expert.

“IS published a map of all the next countries in line, including India, China, Africa and the Middle East,” continued Bukay. “Today they are functioning in areas where there is a governmental vacuum, like Iraq and Syria, but them are also functioning in Lebanon and approaching Jordan.”

It is worth noting that at least one Jordanian Muslim scholar, Sheikh Ahmad Adwan, has sharply criticized Islamic fundamentalism, saying in March “there are classes in Islam which claim that the Koran seeks to abolish the Torah and Bible. There is no truth to that. …Allah chose to call this land ‘Israel’ and not ‘Palestine.’ The term ‘Palestine’ does not appear in the Koran either.”

Adwan said “Palestinians” were “the killers of children, the elderly and women. …This is their habit and custom, their viciousness, their having hearts of stones towards their children, and their lying to public opinion, in order to get its support.”

Regarding the IS threat in Israel, General Security Services reported on Friday that at least ten Arab citizens of Israel have joined IS and are taking part in the fighting in Syria and Iraq, reports Yisrael Hayom.

Likewise Arab reports indicated that a Syrian-born IS terrorist was killed in Gaza during the fighting against Israel in Operation Protective Edge, showing how the threat of IS is encroaching on Israel.

source ARUTZ7

 

TRADUÇÃO

 

O mundialmente renomado  Dr. Bukay expressa um alerta a respeito da ideologia Islâmica e seu objetivo de conquistar o mundo, como vemos no letal “Estado Islâmico” 
 

Por  Benny Toker, Ari Yashar

 Especialista do Oriente Médio:  “Lute contra o Islão como se fosse o Nazismo”. 

Especialista em estudos do Oriente Médio, o Dr. David Bukay da Universidade de Haifa ridiculariza especialistas em inteligência tentando minimizar o perigo representado pelo grupo extremista Estado Islâmico (IS, ex-ISIS), que conquistou enorme faixas de terra  no Iraque e na Síria nos últimos meses. 

Falando à Arutz Sheva, Bukay explicou: “hoje eles têm cerca de 20.000 combatentes; É um fenômeno contagiante, lançaram o medo e pavor e muitos se juntam a eles”. “Não há nenhuma estratégia clara contra eles”, acrescentou Bukay, fazendo uma observação  nas declarações do presidente americano Barack Obama na quinta-feira quando disse que não há  “nenhuma estratégia” para o combate na Síria. 

“Hoje eles já estão agitando suas bandeiras em aldeias árabes em Israel, em Umm al-Fahm e Saknin. A nova emenda contra agitar bandeiras do Hamas e do IS é ridícula, eu gostaria de ver o procurador-geral combatê-los “, comentou o especialista no Oriente Médio. 

Bukay argumentou que o mundo deve entender que a guerra de hoje não deve ser contra este ou aquele grupo terrorista, mas contra o islamismo extremista como uma ideologia. 

“O Islã é uma ameaça existencial, e se, no passado, declarou-se  guerra aos nazistas e depois ao comunismo, hoje eles devem declarar guerra contra o Islã, e não necessariamente contra o terror. Você está lutando contra uma ideologia que fala sobre a conquista do mundo e matar infiéis, isso é uma guerra religiosa por todos os meios “, argumentou o especialista.

 

“O IS  ( também chamado ISIS)  publicou um mapa dos próximos países na reta deles, incluindo a Índia, China, África e Oriente Médio”, continuou Bukay. “Hoje eles estão operantes em áreas onde há um vazio governamental, como o Iraque e a Síria, mas eles também estão operantes no Líbano e se aproximando da Jordânia .” 

É interessante notar que pelo menos um estudioso muçulmano jordaniano, Sheikh Ahmad Adwan, criticou fortemente o fundamentalismo islâmico, dizendo em março “há aulas de islamismo que afirmam que o Alcorão procura abolir a Torá e Bíblia. Não há nenhuma verdade nisso. … Allah escolheu chamar esta terra ‘Israel’ e não ‘Palestina’. O termo “Palestina” não aparecem sequer no Alcorão. ” 

Adwan disse “palestinos” são “os assassinos de crianças, idosos e mulheres. … Este é seu hábito e costume, a sua crueldade, tendo os seus corações de pedra em relação aos seus filhos, e mentem para a opinião pública, a fim de obter o seu apoio. ” 

Em relação à ameaça do grupo ISIS ou IS em Israel, Serviços Gerais de Segurança nesta sexta-feira afirmam que pelo menos dez cidadãos árabes de Israel se juntaram ao  IS e estão tomando parte na luta na Síria e no Iraque, relata Yisrael Hayom. 

De maneira similar, relatos provenientes de fontes árabes indicaram que um terrorista do ISIS e natural da Síria foi morto em Gaza durante o conflito contra Israel na Operação Borda de proteção, mostrando como este tipo de ameaça está invadindo Israel. Fonte: Arutz Sheva

 

OBSERVAÇÕES do SITE TNMD

Autoridades no mundo inteiro estão cada dia mais informadas e decididas a agirem contra o sistema religioso. O Islão está acelerando esta conscientização. Os adoradores do Verdadeiro Deus, Jeová, sabem o que isto significa

 

Anúncios
Both comments and trackbacks are currently closed.