Gênesis 1:2 “força ativa” o que dizem os léxicos ?


                       Genesis 1:2 na Tradução do Novo Mundo

“..e a força ativa de Deus movia-se …”-TNM 

New Revised Standard Version Gen 1:2 “enquanto um vento de Deus movia-se sobre…”

Good News Bible: ” e o poder de Deus movia-se sobre as aguas.”

New Jerusalem Bible: “com um vento divino locomovendo-se sobre as aguas.”

Knox: “e sobre as aguas movimentava-se o fôlego de Deus.”

Jewish Publication Society: “e um vento de Deus movimentava-se sobre as aguas”

Podemos deduzir destas traduções que a palavra hebraica  ruahh traduzida por “espirito” em muitas versões, não é de forma alguma consenso entre tradutores. De fato isto é prontamente reconhecido no The Anchor Bible, Genesis, A New Translation with Introduction and Commentary produzido por F.A.Speiser que observa sobre RUACH aqui em Genesis 1:2 :

um fantástico vento. Heb[raico] ruahh significa primeiramente “vento, briza,” e de modo secundário “fôlego,” e por fim “espirito.” Porém a ultima conotação é mais concreta do que abstrata ; no presente contexto porém, parece não se encaixar bem”– veja H.M.Orlinsky, JQR 47(1957), 174-82…)

É portanto, a tradução oferecida pela Comissão de Tradução da Tradução do Novo Mundo , “força ativa” uma tradução correta e linguisticamente possível?

O seguinte comentário responderá de forma positiva:

“Perceptivel e todavia não perceptivel , invisivel , contudo, poderoso, real como o ar, carregado de energia, o vento, a tempestade, tão importante à vida como o ar que respiramos: esta é a maneira como as pessoas nos tempos antigos frequentemente imaginavam o “Espirito” e a operação invisivel de Deus. De acordo com o princípio do relato da criação, “espirito” (Hebraico, ruah; Grego, pneuma) é o “rugir ,” a “tempestade” de Deus sobre as águas. “Espirito” não se refere no sentido idealistico a uma capacidade de conhecimento ou um poder psicólogico, muito menos um principio ético , intelectual ou imaterial, e certamente não espiritual ou uma realidade mental no sentido moderno oposto a natureza ou realidade corporal sensível. “Espirito” como entendido na Biblia significa a força ou poder procedendo de Deus, que é oposto a “carne,” e a realidade criada e perecível: Aquela força invisivel de Deus e o poder de Deus que é efetivo criativamente ou destrutivamente, quer para a vida ou julgamento, na criação ou na história, em Israel ou na Igreja. Isto [Literalmente em Inglês “it”] vem sobre o homem poderosamente ou de modo gentil, levando individuos ou grupos a extase, frequentemente com efeito de fenomenos extraordinários, em grandes homens e  mulheres, em Moisés e nos “juízes” em guerreiros e cantores, Reis , Profetas e Profetizas.” Hans Kung, On Being a Christian (Sendo um cristão) (1997), pags. 468/469.(O grifo é meu)

Observe que Kung escreveu: que ” o Espirito como entendido na Biblia siginifica a força ou poder procedendo de Deus,”

Usando Genesis 1:2; Jo 33:4 e o Salmo 33:6 como sua base , Swete escreve sobre o “Espirito” no Velho Testamento:

“O Espírito de Deus é o poder vital que pertence ao Ser Divino, e é visto em operação no mundo e nos homens. É a energia Divina que é a origem de toda vida criada, especialmente da existencia humana e as faculdades da natureza humana.” Swete, The Holy Spirit in the New Testament (O Espírito Santo no Novo Testamento)(1909), pag. 2.

O comentarista vê claramente o “espirito” Hebraico ruahh, como uma força, não como uma pessoa nestes versos.

Referente a tradução de Genesis 1:2 observe  que diz um outro estudioso no assunto:

“Existe base para se recomendar “um poderoso vento” (NEB, Speiser, von Rad); nas relativamente poucas passagens onde “Deus” é usado como um superlativo, o contexto normalmente torna isto claro, O sentido é perfeitamente transmitido por “o poder de Deus” (GNB).” A Bible Commentary for Today, General Editor G. C. D. Howley (1973), página 135.

Observe que este comentário declara que ” O sentido é perfeitamente transmitido por “o poder de Deus ” (GNB).”

Há de modo aparente um desenvolvimento na direção da hipostatização do espírito, não no sentido de que seja concebido como uma pessoa mas como uma fonte substancial de força e atividade. É a força criativa de Javé (Gn. 1:2; Jb 33:5)” Dictionary of the Bible, McKenzie (1965), pag. 841.

Este Dicionário da Biblia concorda com a TNM que em Genesis 1:2, o Espírito é a “força criativa de Javé.”

“O Espírito pairava sobre as aguas primitivas (Gn. 1:2) e cria o homem (Gn. 2:7), o Espírito que embeleza o céu (Jb 26:13), sustenta a vida animal e renova a superficie da terra (Ps. 54:30), é o ruahh (‘folego,’ ‘vento’) de Deus, o poder e energia divina que se desloca a todo lugar.” The New Bible Dictionary, J. D. Douglas (1962), pag. 531.

O ruahh não é uma pessoa, o significado básico em Gen 1:2 (e nas outras escrituras citadas) demonstra que este é ” o poder e energia divina que se desloca a todo lugar .”

Conotações comuns são “energia” e “invisibilidade”…. Falando de uma maneira ampla, o ruah de Deus é representado como 1: como o poder de Deus na criação do cosmo (Gn. 1:2; Salmo. 33:6 etc.).The New Dictionary of Biblical Theology, Edited by T. D. Alexander (2000), pag. 551.

Este dicionário da Biblia define ruahh em Gen. 1:2 como sendo ” o poder de Deus na criação do cosmo.”

“O ‘fôlego’, ‘vento,’ ou ‘Espírito’ de Deus é o poder criativo que traz vida ao caos sem forma no princípio de todas as coisas (Gen 1:2)” The Interpreter’s Dictionary of the Bible (O Dicionário da Biblia do Intérprete) (1962), Vol. 2, pag. 629.

O Espírito de Deus é um “poder criativo“, não uma pessoa.

“O significado mais básico de ruah é quase sempre definido como ‘sopro’ (Kamalah, NIDNTT, 690), ‘ar em movimento’ (TDOT 2:836; Reiling. DDD, 792), e ‘vento’ (Koch, 872)…

…Como Kamalah observou, “a idéia por detras de ruah é o fato extraordinário que algo tão intangivel quanto o ar deve se mover; ao mesmo tempo , não é o movimento per si per que evoca atenção, mas a energia manifesta por tal movimento” (NIDNTT 3:690). Em outras palavras, a essencia invisível de ruahh é conhecida primariamente pelo seu efeito no mundo visível, pelo qual podemos atentar e perceber sua essencia. Desta forma, ruah é um termo representando algo não visto a fim de que o efeito visível da força invisível possa ser adequadamente percebida.” –The New International Dictionary of Old Testament Theology and Exegesis – Lexical Dictionary, Van Gameren, Vol 3. page 1073.

Esta fonte mostra que o significado básico da palavra ruah não denota uma personalidade, mas antes “algo não visto a fim de que o efeito visível da força invisível possa ser adequadamente percebida.” Isto provê clara base filológica para a tradução da TNM “força ativa de Deus”.

Falando sobre o “Espírito de Deus” em Gen 1:2:

A frase descreve não caos mas o poder criativo de Deus em ação.O vento, um simbolo de poder, é usado Teologicamente no Velho Testamento para se referir a atividade dinâmica e presença de Deus no Mundo – seu Espírito.”Genesis 1-11 Cambridge Bible Commentary, Robert Davidson (1973), page 16.

Este comentarista não pensa que uma “pessoa” é apresentada aqui, mas antes, o “poder de Deus em ação”.

No comentário sobre “o espírito de Deus movia-se”:

“Ruach é o vento, fôlego ou espírito; denota o elemento vital no homem (cp. ‘entregou o seu espírito’, Marcos 15:39), e quando se refere a Deus pode se referir a seu poder de dar vida (cf. 2:7 e nota abaixo). Mas aqui , a expressão dificilmente significa algo mais do que em hebraico ‘um vento muito forte’, e ela dificilmente pode ser usada para se referir ao Espírito Criador ” Genesis 1-11 – Torch Bible Paperbacks, Alan Richardson (SCM Press Ltd, 9yh impression, 1974), page 48.

Esta nota explica que a palavra hebraica RUAHH pode se referir ao “poder de dar a vida” proveniente de Deus, mas ao mesmo tempo este Erudito informa com base em gramática e filologia que RUAHH “dificilmente pode se referir ao Espírito Criador”

” Aqui a concepção que permeia a criação é um empenho entre a Deidade e certas forças da natureza nas quais o misterioso, poder divino invisível produz ordem a partir do caos, conquista o reino da escuridão, e subjuga o mar selvagem e sem fronteiras.” Genesis, C. T. Fritsch (1959), pag.22.

Observe: “poder divino invisível”

“O vento de proporções divinas pode ser também “o espírito [i.e., o fôlego dador de vida] de Deus” movendo-se sobre as aguas preparatórias para o princípio da criação. “poiso espírito de Deus me fez, o fôlego do Todo Poderoso me mantem vivo.” (Jo 33:4): em Hebraico a palavra para espirito, fôlego, vento, todos os simbolos de poder, são um e os mesmos.” On Genesis, Bruce Vawter (1977), page 41.

Observe “o fôlego dador da vida”, claramente não pessoal. Também o fato de que a palavra Hebraica denota “poder”.

Espirito: “<1,,4151,pneuma>
Denota primariamente “o vento ” (derivado de pneo, “respirar, soprar”); também “fôlego;” então, especialmente “o espírito,” o qual , semelhante ao vento, é invisível , imaterial e poderoso. O uso da palavra no N.T deve ser analizado aproximadamente como segue: “(a) o vento, João 3:8 (onde a marg. é, talvez , preferível); Heb. 1:7; cp. Amos 4:13, Sept.; (b) o fôlego, 2 Tess. 2:8; Rev. 11:11; 13:15; cp. Jó 12:10, Septuaginta.; “ Vine’s Expository Dictionary

Para uma análise gramatical da palavra “espírito” no N.T click AQUI.

Vine acreditava na terceira pessoa da trindade (como a 7º definição de RUAH), mas observe que até mesmo ele é forçado a atribuir impersonalidade como a PRINCIPAL definição de ESPIRITO. (veja a nota abaixo)

“No V.T, Hebraico significa primeiro de tudo vento e fôlego, mas também o espírito do homem no sentido da força de vida e até mesmo energia pessoal.” Eerdman’s Dictionary of the Bible (veja também o Léxico de Brown Driver Brigg)

O que mais dizem Eruditos respeitados ?

“Espírito é o principio da vida e atividade vital. O espírito é o fôlego de vida (Gn 6:17; 7:15, 22; BS 38:23; WS 15:11, 16; 16:14). O fôlego é o fôlego de Deus, o vento, comunicado ao homem por inspiração divina….O espírito de Javé ou o espírito de Deus (Elohim) é uma força que tem efeitos singulares no homem…e o espírito de Javé é uma força que opera as obras de Javé o salvador e juiz. O espírito de Javé é frequentemente a força que inspira profecia (Num 11:17 ff; 24:2; 2 Sam. 23:2; 1 Cronicas 12:18; Is 61:1; Mi 3:8; Ezequiel 2:2; 3:12, 14, 24; 8:3; 11:1, 5, 24; 37:1; 43:5; Ne 9:30; Zc 7:12). O profeta é um homem do espírito (Oséias 9:7).” Dictionary of the Bible by John L. McKenzie, S.J.

John L. McKenzie lecionou em várias Universidades e tinha conhecimento avançado em diversos idiomas, perito em hebraico, grego, aramaico e outros 7 idiomas produziu um Dicionário com 900. 000 palavras.  Em vista destas definições feitas por eruditos, encyclopedistas, tradutores, lexicógrafos tanto peritos como hebraístas, não dê atenção a clérigos religiosos (pastores e padres, reverendos etc) se realmente deseja levar o estudo coerente da palavra  de Deus a sério!

Concluimos portanto que a versão da Tradução do Novo Mundo “força ativa ” para o hebraico RUACH é tanto exata como apropriada para Genesis 1:2.

OBSERVE ESTE DIÁLOGO

  • Fábio On abril 18, 2012

    Mais uma vez gostaria de elogiá-lo pela maneira de como explicar assuntos um tanto difíceis. Excelente os comentários acima!
    Gostaria que pudesse comentar sobre: Como posso refutar a idéia que o espírito santo é Deus conforme alguns apontam para Atos 5:3, 4, onde Pedro diz no 3 que Ananias trapaciou ao espírito santo e no 4 diz que Ananias não trapaciou a homens mais a Deus. Aguardo!

  • queruvim On abril 19, 2012

    Fábio, este tipo de afirmação dos trinitários é na melhor das hipóteses uma afirmação ridícula.

    De acordo com o relato, Ananias mentiu aos apóstolos.Sendo assim, por apresentar este raciocínio como sendo “evidência” de que o espírito santo é Deus, faria com que chegássemos a conclusão de que Pedro estava dizendo que os apóstolos também são Deus, uma vez que Pedro afirmou : ” Não mentiste aos homens, mas a Deus” (ALA) Atos 5:4

    Em Marcos 9:37 Cristo disse que “aquele que recebe a uma criança recebe também a mim” Usando o mesmo raciocínio dos trinitários, diríamos então que Jesus e as crianças mencionadas são as mesmas pessoas. No mesmo texto de Marcos Jesus prossegue dizendo que quem o recebe, “recebe não a mim, mas aquele que me enviou”. Pela logica dos trinitários, tal criancinha é o próprio Deus. Sugiro que considere Mateus 25:40 e Lucas 10:16 comparando-os com Atos 5:3. Interessante que no 5:3 vemos que “satanás afoitou” ou “influenciou Ananias” a praticar este ato. Mas no 5:4 observará que o próprio Ananias foi quem “propôs isso no seu coração”. Seguindo o mesmo raciocínio trinitário, diríamos que Satanás é Ananias!

    A Bíblia trinitária de estudo ecumênica The New Oxford Annotated Bible, 1977,Oxford University Press comentando Atos 5:3 numa nota ao pé da página diz: “Os apóstolos e talvez a Igreja, representam o Espirito Santo” Portanto uma tentativa de enganar os apóstolos feita por Ananias era equivalente a tentar enganar o espírito santo. Se por exemplo eu cuspisse na carta de um Rei, isto seria considerado como uma ofensa direta contra o Rei. Não é difícil entender que mentir a representantes de Deus, tal qual eram os apóstolos era uma ofensa contra o espírito de Deus.

    Números 14:2 diz que o povo “murmuravam contra Moisés e Arão”
    Em seguida no versículo 26 e 27 lemos que Jeová disse que o povo estava “murmurando contra mim” disse Jeová. Seguindo a lógica ridícula dos trinitários, afirmaríamos que Jeová era Moisés e Arão!

    Não é incomum a Bíblia personificar coisas tais como o amor (1 Cor 13:4) a sabedoria, o pecado (Rom 7:11), a morte, a lei ( veja Rom 3:19), a água e o sangue (1 João 8) etc. Em Tiago 3:14 diz : “…não mintais contra a verdade”Será que a verdade é alguém? Claro que não! Tampouco o espírito santo é alguém em Atos 5:3.

    Este texto é claramente uma tentativa dos trinitários de forçar sua teologia pagã da trindade na palavra de Deus, a Bíblia.

    A Obra Young’s Exhaustive Concordance afirma que ” coisas inanimadas ou abstratas são frequentemente personificadas” na Bíblia e logo em seguida apresenta uma longa lista destas personificações. O que os trinitários com seu raciocínio afetado não percebem é que o entendimento correto não pode ser deduzido a partir destes textos metafóricos ou simbólicos, mas da Bíblia em suas declarações singelas e majoritárias ao falar sobre o espirito santo. Um detalhe importante a lembrar é que Satanás por ser alguém é mencionado em Atos 5:3 de forma articular, ou seja , segue se a um artigo definido, Ho Satana, ao passo que a palavra “espírito” segue a um artigo NEUTRO, a saber, TÓ PNEUMA, fato este quase que na totalidade dos textos da inteira sagrada escritura. Na verdade os trinitaristas tentam personificar o que a Bíblia personifica em apenas alguns lugares, e ignoram a totalidade dos textos que indicam claramente que o espirito de Deus não é alguém, mas algo. Como sabemos este é a irresistível e poderosa força ativa de Deus. Eles comentem o mesmo erro com a palavra INFERNO que aparece no capitulo 16 de Lucas em uma ilustração (obviamente um sentido simbólico visto ser mencionado numa parábola) e se esquecem ou ignoram a totalidade dos textos da palavra de Deus onde INFERNO se refere claramente a “sepultura comum da humanidade”.

Observe o que afirmou um erudito que não é Testemunha de Jeová a respeito de João 1:1

Voltar a página TRADUÇÃO DO NOVO MUNDO DEFENDIDA!

Anúncios