O sexo errado e o sangue “polui” a pessoa – Atos 15:20


ἀπέχεσθαι τῶν ἀλισγημάτων τῶν εἰδώλων καὶ

 τῆς πορνείας καὶ ‹τοῦ›πνικτοῦ καὶ τοῦ αἵματος


“se abstenham de coisas contaminadas por ídolos,+ de imoralidade sexual,+ do que foi estrangulado e de sangue.”

O verbo ἀπέχεσθαί determina o genitivo de τῶν ἀλισγημάτων, “de coisas poluídas/ contaminadas;” observe que a repetição da forma genitiva de toda nomina descrevem as 4 categorias proibidas por vez que indica que a poluição ocorre através de cada uma delas; veja também  J. W EHNERT, Die Reinheit des ‘christlichen Gottesvolkes’ aus Judenund Heiden , p. 239-45. 

Clemente de Alexandria acusou certa vez árabes nômades de beberem os sangue de seus camelos ainda que fosse para salvar suas vidas. (Clement ode Alexandria, Paedagogus 2:7).

Tertuliano, em seu pedido de desculpas, escrito no verão de 197 E.C, provavelmente em Cartago, fala à sua audiência gentia – a quem ele acusa de comer sangue até mesmo de seres humanos. Tertuliano escreveu posteriormente: “Considerai aqueles que, com sede cobiçosa, num espetáculo da arena, pegam sangue fresco de criminosos iníquos . . . e o levam correndo para curar sua epilepsia.” Ele os contrastou com os cristãos da seguinte forma:

Erubescat error vester Christianis, qui ne animalium quidem sanguinem in epulis esculentis habemus, qui propterea suffocatis quoque et morticinis abstinemus, ne quo modo sanguine contaminemur vel intra viscera.

sepulto. Denique inter temptamenta Christianorum botulosetiam cruore distensos admovetis, certissima scilicet inlicitumesse penes illos per quod exorbitare eos vultis. 

““Envergonhai-vos do vosso erro perante os cristãos, pois nós não incluímos nem mesmo sangue de animal em nossa alimentação natural. ( qui propterea suffocatis quoque et morticinis abstinemus ), Pois que nos abstemos das coisas estranguladas ou que morrem por si, para que não sejamos, de algum modo, poluídos pelo sangue, ( contaminemur ),  mesmo que esteja contido na carne. Finalmente, quando provais os cristãos lhes ofereceis chouriços cheios de sangue; estais perfeitamente cônscios, de fato, de que entre eles isto é proibido; mas quereis fazê-los transgredir.”( illicitum).”Tertuliano Apologia 9.13,14

 

Minúcio Félix, advogado romano que viveu até cerca de 250 EC, salientou o mesmo ponto, escrevendo:

“Não nos é permissível nem ver matança humana nem ouvir dela; abstemo-nos tanto do sangue humano que, em nossas refeições, evitamos até o sangue de animais utilizados como alimento.” — Octavius (Otávio), XXX, 6.


Atos 15:29 ´abstende-vos de sangue` e a Terminologia Grega Sobre Abstinência

 

 

Os trackbacks estão desactivados, mas pode publicar um comentário.

COMENTÁRIOS sob moderação aberto temporariamente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s