Onde e Como se deu a Morte dos Apóstolos de Jesus? ATUALIZADO


Há algum tempo eu estava lendo os escritos do Historiador Cornélio Tácito, considerado um grande historiador da Roma antiga  e  que viveu entre os anos 50 e 120 E.C.  Em sua obra-prima Anais, ele nos conta que o Imperador Nero acusou os cristãos de atear  fogo em Roma. De acordo com Tácito, surgiram rumores de que o fogo foi planejado pelo próprio Imperador Nero. Em sua obra, Cornélio fala de Jesus e diz:

“Cristo …sofreu a penalidade extrema durante o reinado de Tibério às mãos de um de nossos procuradores, Pôncio Pilatos…”

Nos anos 80, lembro me de ler um artigo da respeitada revista VEJA onde afirma-se que a única evidência da existência de Jesus aparece nos evangelhos. Obviamente, uma desinformação muito grande. Estou certo de que esta revista hoje, com seu jornalismo investigativo, é um dos melhores meios de se informar sobre fatos e que deve ter abandonado esta falta de informação. Hoje sabe-se que a historicidade de Cristo não pode ser contestada. Quer dizer de algum vestígio envolvendo os chamados Apóstolos de Jesus Cristo? Que informação temos a respeito deles? Mais especificamente, onde e Como se deu a morte dos Apóstolos?

 Apóstolo Paulo (Σαῦλος Ταρσεύς )

No ano 64 a acusação de Nero e de seus apoiadores, de que os cristãos haviam ateado fogo em Roma, foi seguida de uma onda de perseguição violenta contra os cristãos. No ano seguinte em 65 E.C,  Paulo foi executado às ordens de Nero. (Imagem ao lado: Reconstituição facial de Paulo feita pelos especialistas do LKARenânia do Norte-Vestfália, Alemanha.)

Bartolomeo_Montagna_-_Saint_Paul_-_Google_Art_Project

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Apóstolo Paulo de acordo com Bartolomeu Montagna

 

Em uma carta escrita por volta do ano 90 E.C por Clemente bispo de Roma, relata-se o seguinte sobre Paulo :

Por causa de inveja e brigas, Paulo, pelo exemplo, mostrou a recompensa da resistência paciente. Após ele ter sido preso por sete vezes, ter sido exilado, apedrejado e ter pregado no ocidente e no oriente,  recebeu o reconhecimento que era o prêmio da sua fé, tendo ensinado a retidão para o mundo inteiro e tendo chegado aos confins do ocidente. E quando ele já tinha dado seu testemunho perante os governantes, partiu deste mundo e foi para um lugar sagrado, tendo encontrado um notável padrão de resistência paciente.
— I Clemente, Clemente de Roma

O local da execução de Paulo é citado a séculos como sendo na Abadia das Três Fontes (foto abaixo) sendo que até mesmo a coluna onde ele foi amarrado é local de peregrinação e idolatria até hoje.

Tre Fontane Três Fontes Paulo decapitado

Eusébio de Cesareia, que escreveu no século IV d.C., afirma que Paulo foi decapitado durante o reino do imperador romano Nero. Eusébio cita Tertuliano, que viveu no 2º século, (160 E.C) também testificando que Paulo foi executado em Roma. Eusébio afirma que neste local de execução há registros de que tanto Paulo quanto o Apóstolo Pedro foram executados por Nero em Roma. Para garantir a fidelidade de seu testemunho, Eusébio diz que no local há cemitérios que apresentavam inscrições com os nomes de ambos os apóstolos.

O evento da morte de Paulo tem sido datado ou no ano de 64 E.C, quando Roma foi devastada por um incêndio, ou algum tempo depois 65- 67 d.C. A festa de São Pedro e São Paulo, da Igreja Católica, é comemorada em 29 de junho, o que pode refletir uma data tradicional para o seu martírio. Outras fontes também apontaram uma tradição de que Pedro e Paulo teriam morrido no mesmo dia (e, possivelmente, no mesmo ano).

Lactâncio que posteriormente se tornou conselheiro do Imperador Constantino e que viveu entre os anos 240 e 320 E.C,  em seus escritos intitulado “Sobre a Forma como os Perseguidores morreram” #  afirma que o “tirano” Nero “pendurou Pedro e matou Paulo” em Roma. Portanto, temos vários escritores que viveram no 2º e 3º séculos falando a mesma coisa a respeito da morte de Paulo.  João Crisóstomo (ca. 347, Antioquia—14 de setembro de 407), escreveu que Nero “ao saber que a pregação aumentava e a doutrina avançava fez com que Paulo fosse levado à execução o quanto antes“. ( FONTE: Concernente à inferioridade da mente).

Este artigo prosseguirá falando sobre Paulo e outros apóstolos em seus últimos momentos enquanto ainda estavam  na terra. Há muitas surpresas e novidades que serão postadas nesta mesma página a respeito deste assunto. Muitos dos artigos escritos nesta página estão sendo constantemente atualizados. A fato de vários escritores citarem detalhes dos últimos dias de alguns dos apóstolos demonstra aos críticos da Bíblia Sagrada que estes homens de fato existiram e que sua historicidade não pode ser contestada, algo que ateus e os da alta crítica adoravam fazer no tempo em que não havia internet nem a informação de massa que possuímos hoje.

Veja a página 21 deste link para uma dissertação sobre a morte de cada apóstolo.

O que dizem eruditos

Segundo o impressionante erudito em Copta, C. S Malan no link acima, Pedro foi morto em Roma, no dia 5 de Abib (calendário egípcio). Os meses citados aqui estão em copta.

 

Tiago foi para a cidade de Abydene e foi morto no dia 17 de Barmudeh.

Nos dias do imperador Tito e depois Domiciano, João fugiu para Éfeso onde morreu, depois de passar um tempo exilado na ilha de Pátmos.

André morreu em Bizâncio,(no dia 4 de Kihak).

Felipe foi para Cesareia onde morreu dia 08 de Hatur.

 

Bartolomeu foi para a Armênia e depois para os oásis do Egito para a terra dos Berberes onde morreu.

Mateus foi para a Palestina, Tiro e Sidon, e para a cidade de Basra, 9 anos após a ascensão do messias escreveu seu evangelho em hebraico, que foi depois traduzido por João para a língua grega. Mateus foi morto em Cartagina (Sul do Mediterrâneo, imagem ao lado) no dia 18 de Babeh. Tomé foi para a Índia onde foi morto.

 

 

 

Tiago filho de Alfeu foi para cidades da Índia e voltou para Jerusalém onde foi morto no dia 10 de Amshir.

 

Simão foi para Samosata, Alepo, Hierápolis e Bizâncio (ambas na atual turquia) e foi morto no dia 9 de Abib.

 

Judas foi de Antioquia para as ilhas na Mesopotâmia e foi morto no dia 2 de Abib.

 

Matias foi para as cidades de Sherat e foi morto no dia 18 de Barmahat. De acordo com Nicéforo[1], Matias primeiro pregou o Evangelho na Judeia, seguindo para a Etiópia e, posteriormente, se dirigiu para região da Cólquida (agora conhecida como GeórgiaCaucasiana), onde foi crucificado. Um marco localizado nas ruínas da fortaleza romana de Gônio, atual Apsaros, nas modernas regiões georgianas de Adjara indicam que Matias estará sepultado naquele lugar.

A “Sinopse” de Doroteu de Tiro contém esta tradição:

“Matthias in interiore Æthiopia, ubi Hyssus maris portus et Phasis fluvius est, hominibus barbaris et carnivoris praedicavit Evangelium. Mortuus est autem in Sebastopoli, ibique prope templum Solis sepultus.”

Cuja tradução é:

“Matias esteve na Etiópia, onde o Porto Maritimo de Hyssus e o Rio Fásis estão. Ele faleceu em Sebastopólis e está sepultado aqui, próximo ao Templo do Sol.”

Um trecho dos Atos Coptas de André e Matias localiza sua atividade similarmente na “Cidade dos Canibais”, na Etiópia. Alternativamente, outra tradição, menos confiável, menciona que Matias foi enterrado em Jerusalém pelos judeus, onde teria sido decapitado [#].

Já a tradição, narrada por Hipólito de Roma, informa que Matias teria morrido em idade avançada em Jerusalém.

 

Paulo foi para Roma e foi morto no dia 5 de Abib.

 

O Evangelista Marcos, cujo nome inicial era Yohhanan, foi para Roma junto com Pedro. Ele sabia hebraico, Latim e Grego. Pregou em Roma, Egito, Abissínia e Nubia.  Designou um Ancião em Alexandria e foi para Barka. Dois dias após o 14 de Nisã (no calendário dos judeus) ele foi morto em Alexandria.

Lucas, o Evangelista, médico e escritor do Evangelho de Lucas e do Atos dos Apóstolos, foi para Alexandria e foi morto 22 anos depois da ascensão de Cristo.


 

 

 

 

Os comentários e os trackbacks estão atualmente desativados.