A Vocalização Yehová ou Jeová é uma invenção tardia?


Roy Kotansky, educador de religião e cultura premiado na Universidade de Chicago por suas contribuições e conhecimento de língua grega, autor de várias obras sobre textos gregos antiquíssimos escreveu sobre o Nome de Deus em seu artigo “The ‘Horned Hunter’ on a Lost Gnostic Gem” :

“Muito embora a maioria dos eruditos acreditem que “Jeová” seja uma forma hibrida tardia (c. 1100 CE) derivada da combinação das letras JHVH com as vogais de Adonai (a versão tradicionalmente pronunciada de יהוה),muitos textos mágicos em Semítico e Grego estabelecem uma pronúncia bem mais cedo do Nome Divino apresentando tanto Yehovah como Yahweh”  The Harvard Theological Review, Vol. 88, No. 3 (Jul., 1995), p. 318.

A prova de que o Nome já era pronunciado com a vocalização Yehová pode ser vista neste artigo que escrevi com papiros do Século II guardados em Museus até os dias de hoje.

 

Quais as implicações dessa afirmação?

Quando encontramos o Nome de Deus na forma Yehová ou IEOÁ em Grego em mss do Século II (veja o link acima), fica claro que não foi os Massoretas que criaram uma “forma hibrida” coisa nenhuma. Os Massoretas passaram a inventar seus sinais massoréticos somente a partir do 5º e 6º século.

Anúncios
Os comentários estão desactivados, mas pode deixar um trackback: URL do Trackback.