Brutalidade policial contra as Testemunhas de Jeová em Omsk, Rússia


A polícia de Omsk na Rússia agrediu violentamente SERGEI POLIAKOV simplesmente por ser Testemunha de Jeová

13 de julho de 2018  

Soube-se que Sergei Poliakov, que junto com sua esposa ficou incomunicável por vários dias, foi espancado durante sua prisão em sua casa em Omsk. Os ferimentos físicos foram desferidos por dois policiais de Omsk usando máscaras.   Em 4 de julho de 2018, às 7h20, Sergei e Anastasia Poliakov foram acordados por uma batida na porta e imediatamente perceberam que esta estava sendo arrombada. Para a pergunta “Quem está aí?” eles ouviram a resposta: “Polícia”.

Sergei tentou dar um telefonema, mas nesse momento os mascarados invadiram o apartamento e, sem fazer qualquer exigência ou explicar qualquer coisa, desferiram vários golpes a Sergei na cabeça. Durante isso, seu nariz e lábio foram esmagados, como resultado do qual ele começou a sangrar muito. Então Sergei foi jogado no chão e um dos agentes especiais o espancou com o joelho no rosto. Depois de algum tempo ele foi  forçado a limpar o sangue no chão do corredor.   Durante a invasão, a porta de entrada do apartamento dos Poliakovs teve suas dobradiças quase arrancadas e uma porta para a escada foi quebrada. A busca no apartamento e no automóvel dos Poliakovs durou cerca de cinco horas.

Quando o casal solicitou que se identificassem, eles foram insultados ou ridicularizados em resposta. Uma busca pessoal do casal também foi realizada. Anastasia foi revistada por uma observadora do sexo feminino (!) O investigador, Denis Logovsky, ignorou pedidos para explicar seus direitos e obter a ajuda de um advogado. Uma busca foi realizada, durante a qual a propriedade pessoal foi apreendida do casal. Quando Anastasia tentou inserir no relatório que ela não consentiu, o investigador rasgou o pedaço de papel de suas mãos. Mais tarde, o casal foi levado em carros separados para o assentamento de Azovo (Omsk oblast), onde a identificação e outras ações investigativas foram realizadas. Durante o transporte no carro, os policiais forçaram Anastasia a apresentar evidências, chamando-a de “agente americano” e e acusando-a de pertencer a uma seita, foi chamada de “sectária”.   Exame médico de Sergei devido as feridas físicas foi realizado apenas depois de dois dias após o espancamento, em uma das instituições médicas em Azovo. Como Sergei ainda tinha o nariz inchado, fez-se um exame de raio-x.   Anastasia e Sergei foram levados para o tribunal do distrito de Azovo, para um interrogatório a fim de se tomar medidas para assegurar o comparecimento e foram mantidos em uma gaiola no tribunal. A presidente da corte, Nina Iordan, obrigou os dois a ficarem dois meses na Cela de Detenção Investigativa No. 1 da UFSIN da Rússia em uma divisão administrativa de Omsk. O casal acabou na prisão porque são suspeitos de professar a religião das Testemunhas de Jeová.

Anúncios
Os comentários estão desactivados, mas pode deixar um trackback: URL do Trackback.