Solucionada a questão da Pronúncia do Tetragrama


Por Queruvim

Nehemia Gordon, arqueólogo e erudito judeu perito em manuscritos hebraicos, argumentou que, embora os estudiosos cristãos universalmente considerem a pronúncia de YHVH como sendo Yah-weh, a pronúncia real é “Ye-ho-vah“. No início, Gordon publicou escritos do falecido Ḥakham Mordekhai Alfandari que acreditava que a pronúncia original do Nome era “Yihweh“. No entanto, posteriormente, ele descobriu que essa posição cristã certamente se baseava nas palavras de Wilhelm Gesenius (teólogo do século 18 que surgiu com o léxico hebraico muito influente, usado até hoje). Gesenius, um reconhecido antisemita, postulou uma vaga alusão a esta pronúncia nas notas de seu trabalho, com base em uma origem pagã, e, no entanto, o corpo de seu Léxico explica muitas vezes que os nomes bíblicos que começam com “Yeho” são uma contração que significa “Ye-ho-vah“.

Por exemplo: Yehoshua (Joshua) significa “Ye-ho-vah salva”. Gordon também mostrou que não há fontes antigas hebraicas / judaicas que apoiem a pronúncia  “Yahweh” e que estudiosos ocidentais fizeram uma grande confusão entre o árabe e hebraico ao pensarem que o Vav Hebraico é pronunciado Waw, levando os cientistas acadêmicos a pensar que o Tetragrama é YHWH em vez de YHVH (adicionando peso ao argumento de que a vocalização Yahweh é infundada).

Gordon provou em uma palestra chamada “Waw is a Vav” que a maioria das comunidades judaicas em todo o mundo (mesmo a maioria daqueles que falam árabe na rua) ainda lê a Tanakh em hebraico e pronuncia o Vav como um “V” não um “Waw” em casa e na sinagoga. Em última análise, o argumento central de Gordon cita o fato de que os Massoretas, (que eram os principais escribas judeus medievais)  não pronunciaram o nome e assim omitiram a vogal do meio, o Hholam (som de “o”), ao copiar manuscritos, para evitar que os judeus simplesmente lessem o nome como estava escrito. 

Nas últimas duas décadas, ele encontrou vários lugares em cada um dos mais de 1000 manuscritos hebraicos antigos de diferentes regiões geográficas no mundo, onde um conjunto completo de vogais aparece para YHVH. As vogais completas foram provavelmente escritas eequivocadamente por escribas nos tempos antigos enquanto copiaram o texto e perderam a concentração por um momento. Quando encontrados o conjunto completo das vogais nesses documentos, eles vocalizavam “Ye-ho-vah”. Existem também inúmeros outros motivos, alguns teológicos/bíblicos, outros gramaticais que se somam ao caso feito por Nehemia Gordon, e podem ser ouvidos nas palestras em seu site.

Recentemente Gordon encontrou escritos jamais publicados, alguns ainda escritos a mão pelo autor original, que dizem qual a pronúncia original e a vocalização original.(vídeo abaixo) Teve acesso a um banco de dados de escritos rabínicos contendo mais de 100 mil livros. São mais de 10 rabinos que afirmam que as vogais eram “shewá , hholam, Kamats”.

A Enciclopédia Judaica ao afirmar que o Nome é “impronunciável” ou como dizem “inefável”, participou em uma conspiração contra o Nome de forma consciente ou não. O próprio Talmude no Avodah Zarah 18:a, afirma que o rabino Hanina Ben Teradion foi queimado vivo pelos romanos, junto com sua esposa (circa 135 E.C), por “pronunciar o Nome segundo as suas letras”. Diferente do que afirma a Enciclopédia ao dizer que o Nome era “inefável” e que a forma JEHOVAH é “gramaticalmente impossível”, os escritos desenterrados por Nehemia Gordon revelam que não somente a Enciclopédia Judaica, como também a Católica, léxicos e comentários da Bíblia estão todos em desarmonia com os documentos que vieram a tona nas pesquisas do erudito Nehemia Gordon. São vários rabinos que demonstram de diversas formas que a vocalização ouvida por Moisés no Monte Sinai foi Yehováh. O peso da documentação apresentada por Gordon, coloca suas assertivas não no campo da opinião ou “tese”, mas da prova documentária e causa um embaraço para historiadores, enciclopedistas e teólogos da jeofobia.

A montanha da evidência que Gordon acumulou de manuscritos hebraicos antigos com a vocalização completa do tetragrama é tão esmagadora que a maioria dos que os estudou completamente, encontra um caso muito forte para resolver o mistério do Tetragrama. No entanto, hoje, ao invés de tentar pronunciar reverentemente o nome divino do Criador, a maioria ainda segue a antiga tradição de esconder este nome.

Anúncios
Os comentários e os trackbacks estão atualmente desativados.