O que significa dizer que Deus “abençoou e santificou” o sábado? (Gênesis 2:3)


Em Gênesis 2:3 lemos:

“E Deus abençoou o sétimo dia e o declarou sagrado, pois neste dia Deus tem descansado de toda a obra que criou, de tudo que ele decidiu fazer.” TNM

A Almeida Revista e Atualizada verteu o texto da seguinte forma:

“E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera.” Almeida Revista e Atualizada. 

A mesmíssima expressão hebraica “e o santificou” é encontrada em Levítico com relação ao que Deus fez logo após escolher Arão, irmão de Moisés como Sumo Sacerdote.

Moisés pegou então o óleo de unção e ungiu o tabernáculo e tudo o que havia nele, e os santificou. 11  Depois aspergiu um pouco do óleo sete vezes sobre o altar, ungindo o altar, todos os seus utensílios e a bacia com seu suporte, para santificá-los. 12  Por fim derramou um pouco do óleo de unção sobre a cabeça de Arão e o ungiu para santificá-lo.+ Levítico 8:10

Como sabemos tais objetos usados no antigo Israel e considerados sagrados não permaneceram para sempre como algo sagrado, mas deixaram de ser assim considerados após a nova aliança ou novo pacto inaugurada com o sangue derramado de Cristo.

 

Em Números 7:1 lemos algo semelhante se referindo ao Tabernáculo do antigo Israel:

“No dia em que Moisés acabou de armar o tabernáculo, ele o ungiu e santificou, junto com todos os seus móveis, o altar, e todos os seus utensílios. Depois de ungir e santificar essas coisas.”

Também em 2 Crônicas 7:7 emprega-se novamente a mesma expressão ao dizer que Salomão “santificou então o centro do pátio que ficava diante da casa de Jeová, pois teve de oferecer ali as ofertas queimadas e a gordura dos sacrifícios.”

Portanto, abençoar e santificar algo não é o mesmo que torná-lo algo perpétuo. “O sétimo dia” é reservado ou dedicado à realização e ao cumprimento da vontade de Deus para com a Terra e a humanidade. Neste sentido, ele é “sagrado”.
Comentando sobre este verso, a Obra Estudo Perspicaz das Escrituras diz: “Este “dia”, portanto, devia ser usado pelos homens como “dia” de serviço sagrado e de obediência a Jeová. Não devia ser profanado por obras do homem em benefício próprio. Adão e Eva, portanto, violaram este “dia” quando empreenderam um programa de autodeterminação, de fazer o que bem entendiam, na terra, independentes do seu Soberano, Jeová. O ‘dia de descanso’ de Deus ainda continua, segundo o registro de Hebreus 3:11, 13; 4:1-11. ”

Sugestão de leitura, para maiores detalhes :  W 01/10/2001

Perguntas dos Leitores
Qual é o “descanso” mencionado em Hebreus 4:9-11, e como se pode “entrar naquele descanso”?

Veja Também

 

Sábado

 

 

 

Anúncios
Os comentários e os trackbacks estão atualmente desativados.