Assédio generalizado em toda a Rússia contra as Testemunhas de Jeová


EM VÁRIAS REGIÕES DA RÚSSIA A POLÍCIA PRENDEU TESTEMUNHAS DE JEOVÁ E INVADIU SUAS RESIDÊNCIAS

Centro de Notícias SOVA, 12 de dezembro de 2017

Durante o mês de novembro de 2017 órgãos da policia em diversas regiões da Rússia prenderam Testemunhas de Jeová, exigindo que revelassem suas confissões religiosas [ou seja, que dissessem que são de fato Testemunhas de Jeová, obviamente para serem presas], muitas vezes as levaram a departamentos policiais, apreenderam seus itens pessoais, fotografaram de modo coercitivo ou forçado e tiraram suas impressões digitais, além de invadirem suas residências.   Tais incidentes foram observados na província de Dmitrov em Moscou, na aldeia de Severnaya Ferma na regiãode Vologoda, na província de Diveevo região de Nizhny Novgorod e na região autônoma de Yamalo-Nenets.

Yamalo-Nenets

Na província de Chapaevsk Samara, durante uma verificação do cumprimento da legislação anti-extremista, uma [das Testemunhas de Jeová] foi convocada para o Ministério Público para dar explicações.   Várias vezes a polícia invadiu as residências dos crentes.

Chapaevsk Samara

Distrito de Dmitrovsky em Moscow

Diveevo região de Nizhny Novgorod

 

 

Novgorod

 

Por exemplo, na aldeia de Uiskoe na província de Cheliabinsk, a polícia coletou informações sobre os crentes através de denúncias provenientes de apartamentos  em que as Testemunhas de Jeová viveram. Em Yartsev na província de Smolensk, a polícia também chegou ao lar de um crente e perguntou se ele era uma Testemunha de Jeová. Em Kushvo na província de Sverdlovsk, a polícia realizou uma busca sem o consentimento do proprietário, insultou o dono do apartamento e a amiga que estava visitando e falou com desprezo sobre sua fé.

Smolensk

Em Belgorod, um casal Testemunha de Jeová relatou a invasão ilegal da polícia em seu apartamento e a instalação de dispositivos para gravação de áudio e vídeo.

Belgorod 

  Além disso, a polícia de Naberezhnye Chelny e F.S.B. o pessoal chegou a uma área recreativa que havia sido alugada por cerca de 100 crentes e verificaram os documentos das pessoas reunidas lá e copiaram suas informações. Em Novosibirsk, a polícia chegou ao local de trabalho de um fiel e, segundo ele, plantou folhetos religiosos em seu escritório.

(por PDS, postado em 16 de dezembro de 2017)

Anúncios
Os comentários e os trackbacks estão atualmente desativados.