Mateus 5:3 “pobres de espírito”


MATEUS 5:3

Literalmente: “pobres de espírito”

Ideia: “os que têm consciência de sua necessidade espiritual”

Em seu famoso Sermão do Monte, Jesus usou uma expressão que muitas vezes é traduzida como “bem-aventurados os pobres de espírito”. (Mateus 5:3Almeida, revista e corrigida) Mas, em muitas línguas, a tradução literal dessa expressão não é muito clara. Em alguns casos, uma tradução muito literal poderia dar a entender que “os pobres de espírito” são pessoas mentalmente desequilibradas ou sem energia e determinação. No entanto, Jesus estava ensinando ali que a felicidade das pessoas não depende de elas satisfazerem suas necessidades físicas, mas de reconhecerem que precisam da orientação de Deus. (Lucas 6:20) Assim, traduções como “os que têm consciência de sua necessidade espiritual” ou “os que reconhecem que precisam de Deus” transmitem o significado dessa expressão de forma mais exata. — Mateus 5:3Bíblia Fácil de Ler.

A edição jeovista afirma que a tradução idiomática desse texto é: “os que têm consciência de sua necessidade espiritual”. Já a TNM de 1986, o traduz como “os cônscios de sua necessidade espiritual” (“tradução correspondente à versão em inglês da TNM, constante da “KIT” e que pretende traduzir o texto grego (em letras cursivas), conforme a ed., 1985, p. 29”):

Será que são somente as Testemunhas de Jeová que optaram por entender Mateus 5:3 como se referindo aos “cônscios de sua necessidade espiritual”?

Schaff’s Popular Commentary on the New Testament #

“5: 3. Os pobres de espírito, não em corpo, nem ‘em mente. “O humilde, cônscios de suas necessidades espirituais e, assim, preparados para serem preenchidos com as riquezas do Evangelho. O discurso começa no início; senso de necessidade vem antes de bênçãos espirituais; o fruto da lei e o germe do Evangelho. Agora, para os judeus com suas esperanças não eram “pobres em espírito, daí a pertinência da introdução. O orgulho é sempre o primeiro e grande obstáculo para a obtenção de uma parte no reino.”

Observe como gregos nativos entendem a frase grega “ΟΙ ΠΤωΧΟΙ Τω ΠΝΕΥΜΑΤΙ” (os pobres de espírito)

“Μακάριοι οι πτωχοί τω πνεύματι”

από Νίκος » Δευτ Αύγ 06, 2012 5:49 pm

“Μακάριοι οι πτωχοί τω πνεύματι, ότι αυτών εστί η βασιλεία των ουρανών” (Ματθ. 5, 3)

Πολλές φορές προβληματίστηκα από την ερμηνεία αυτής της φράσης του Ευαγγελίου. Τι σημαίνει ακριβώς “οι πτωχοί τω πνεύματι” και γιατί ο Χριστός λέει ότι σ΄αυτούς μόνο ανήκει η Βασιλεία των Ουρανών;

Χτες άκουσα στο ραδιοφωνικό σταθμό της Εκκλησίας της Ελλάδος μια ομιλία του παπα-Γιώργη του Μεταλληνού στην οποία έδινε μια εξαιρετικά ενδιαφέρουσα και ακριβή (κατά την ταπεινή μου γνώμη) ερμηνεία της φράσης αυτής. Είπε, δηλαδή, ότι πτωχοί τω πνεύματι είναι εκείνοι που συναισθάνονται ότι υποφέρουν από έλλειψη Θείας Χάριτος (Πνεύματος) και στρέφονται στο Θεό αναζητώντας διαρκώς την κάλυψη της έλλειψης αυτής. Αυτοί, λοιπόν, που πλησιάζουν συνεχώς προς το Θεό σε αναζήτηση Χάριτος, αυτοί θα κερδίσουν τη Βασιλεία των Ουρανών.

“Bem-aventurados os pobres em espírito”

 por Nick »  06 de 2012 17:49

“Bem-aventurados os pobres em espírito, que a estes pertence o reino dos céus” (Mat. 5, 3)

Há confusão a respeito da interpretação desta frase do Evangelho. O que exatamente significa “pobres de espírito” e por que Jesus diz que a eles pertence o reino dos céus?

Ontem ouvi na estação de rádio da Igreja Grega um discurso de Metallinou do Papa George que deu uma interpretação muito interessante e precisa (na minha humilde opinião) a respeito desta frase. Ele disse, que os pobres de espírito são aqueles que se tornam conscientes de que eles sofrem com a falta de Graça Divina (Espírito) e se  voltam para Deus em busca continuamente para cobrir esta carência. Então, eles constantemente se aproximam em direção a Deus em busca da Graça, estes ganharão o reino dos céus.” # ( O negrito é meu)

O Comentário da Bíblia de Jamieson-Fausset-Brown concorda com estes nativos de língua grega, pois diz a respeito de Mateus 5:3:

“Mas aqui as palavras explicativas, “de espírito”, consertam o sentido a “aqueles que em sua consciência mais profunda se dão conta de toda a sua necessidade” (compare o grego de Lucas 10:21, João 11:33, 13:21, Atos 20:22 Ro. 12:11, 1Co 5: 3, Pil. 3: 3). Essa convicção auto-esvaziadora de que “diante de Deus estamos desprovidos de tudo” está no fundamento de toda excelência espiritual, de acordo com o ensinamento da Escritura. Sem ela, somos inacessíveis às riquezas de Cristo; Com ele estamos no estado apropriado para receber todos os suprimentos espirituais.  (Re 3:17, 18, Mt 9:12, 13).”

Há inúmeros comentários da Bíblia que tentam dar uma explicação a respeito desta passagem, que é literalmente vertida por “pobres de espírito” na vasta maioria das traduções da Bíblia.”

The Biblical Illustrator

“I. Por pobres em espírito se entende aqueles que foram convencidos de sua pobreza espiritual. Todos sem Cristo são miseráveis, cegos, nus, pobres. São sensíveis às suas necessidades; ”

 

Comentário de Adam Clarke em inglês diz: “Pobre de espírito – Aquele que é profundamente sensível à sua miséria e pobreza espiritual .”

Vincent’s Word Studies

Diz a respeito de Mat. 5:3

“…Denotando a completa miséria espiritual, cuja consciência precede a entrada no reino de Deus, e que não pode ser aliviada pelos próprios esforços, mas apenas pela livre misericórdia de Deus. (Ver em 2 Coríntios 6:10, e ver 2 Coríntios 8: 9).” (negrito é meu)

The FourFold Gospel

“O pobre de espírito é aquele que sente uma profunda miséria espiritual e compreende sua pequenez diante de Deus.”

 

Abbott´s Ilustrated New Testament

“Pobres de espírito são aqueles que são  …cônscios da ignorância”

John Trapp Complete Commentary

“Pobres de espírito: mendigos no espírito. Mendici spiritu.”

The Popular Commentary by Paul E. Kretzmann

“A referência de Jesus aqui não é primariamente à pobreza temporal, à miséria terrena, como em outras passagens do Novo Testamento, 1Co 1: 26-28; Tiago2: 5. Ele está falando dos pobres e miseráveis ​​”em espírito”, aqueles que se encolhem e se dobram com medo e temor, que estão tremulamente vivos aos desejos e necessidades de sua alma, que sentem em seu próprio coração, no que diz respeito às riquezas espirituais , Nada além de um grande vazio, um desespero de suas próprias habilidades, Mat. 11: 5-28; Isa_61: 1; Isa_62: 2; 5: 5. Como estes, conscientes, dolorosamente conscientes de suas deficiências morais, o Senhor chama de abençoado, feliz.” 

Thomas Coke Commentary on the Holy Bible

“A pobreza de espírito implica a falta, e consequentemente um procura habitual, e a dependência de Deus, para o suprimento, pela oração, pela fé e pela obediência…. os pobres de espírito, são as almas humildes, que, profundamente conscientes de sua ignorância e culpa, podem resignar-se silenciosamente aos ensinamentos divinos e acomodar-se às mais baixas circunstâncias que a Providência lhes designará…”

Justin Edwards’ Family Bible New Testament

“Pobres de espírito; os humildes, que sentem sua dependência de Deus em todas as coisas, temporais e espirituais, e olham para ele para o fornecimento de todas necessidades; mais especialmente aqueles que sentem sua necessidade, como pecadores, de bênçãos espirituais, e olham para Jesus Cristo para concedê-las.”

Peter Pett’s Commentary on the Bible #

“Esta palavra ‘pobre’, basicamente, indica o destituído. Mas no Antigo Testamento refere-se regularmente ao piedoso que reconhece as suas próprias necessidades espirituais desesperadas.”

Portanto depois de avaliarmos diversos comentários da Bíblia a respeito de Mateus 5:3, notamos que muitos eruditos concordam com a forma de tradução encontrada na TNM.

É raro a TNM em sua edição de 1986 em português, apresentar uma tradução não literal de textos bíblicos.

Mas tinha que aparecer um engraçadinho para tentar enganar os leitores por meio de suas colocações e fazê-los crer que a TNM se distancia do texto original em todo o seu trabalho de tradução! É a famosa falácia da composição, onde ele apresenta uma parte para tentar de forma desonesta convencer outros de que o restante segue o mesmo padrão!

Mas será que mesmo tentando dar esta impressão, (que deduzimos a partir do título onde acusa a TNM de não ser uma “tradução” e sim “versão”), estaria ele correto em sua abordagem gramatical de Mateus 5:3? Observe o que ele afirma:

Observe que a expressão grega tô pneúmati é traduzida literalmente por “to the spirit” (para o espírito), precedido da partícula “as”, transmitindo a ideia de “quanto ao espírito”. Logo, a tradução literal para o inglês proposta é: “pobres para o espírito”. Mas o texto à esquerda, da The New World Translation (versão em inglês da TNM) apresenta o texto como “cônscios de suas necessidades espirituais” – como se estivesse interpretando a expressão obscura e contestável “pobres de espírito”, não o texto grego mesmo.

A TNM não fez uma “interpretação” da frase “pobres de espírito” vertida por outros. É muita ingenuidade Sr. Damião, achar que as Testemunhas de Jeová, com uma comissão de muitas dezenas de pessoas, que foram usadas para traduzir a Bíblia, iria copiar uma tradução feita por evangélicos ou outros.

a versão proposta pela TNM é uma tentativa de melhorar uma tradução convencional imprecisa,

Colega para de preconceito! Nós temos a fama de não pular casa ao pregar. Por que então faríamos uma tradução plagiada, apressada e desleixada de textos da palavra de Deus?

É apenas uma Tradução de equivalência dinâmica. Equivalência dinâmica é uma abordagem à tradução. Também conhecida como equivalência funcional, tenta transmitir o pensamento, expressado em um texto fonte (se necessário, ao custo da literalidade, original ordem das palavras, etc),  representa ênfase, respectivamente, na leitura e fidelidade para com o texto original.  Interessante que o autor chama a opção de tradução “pobres de espírito”, de obscura e contestável. Concordamos com isso! A maioria das versões fazem uma trapalhada ao traduzir este verso.

Na verdade, se a tradução exata fosse essa, [ pobres DE espírito, no genitivo] no grego deveria constar hoi ptochoì toû pneumatós (os pobres DE espírito). Já que o caso genitivo “normalmente limita a qualidade do SUBSTANTIVO sobre seu tipo, classe ou categoria, normalmente denotando possessão, fonte ou conceitos transmitidos pela preposição [portuguesa] DE…” (DICIONÁRIO GRAMATICAL DO GREGO DO NOVO TESTAMENTO, p. 84).

Realmente concordamos que não há um caso genitivo, exemplo οἱ πτωχοί τοῦκόσμου (partitivo genitivo), “os pobres do mundo”, o que desabona ainda mais a tradução feita na versão Almeida !

Ocorre que, no texto grego consta: hoi ptochoì tô pneúmati (os pobres em/ pelo espírito), caso dativo “…normalmente usado para OBJETO INDIRETO, designando a pessoa ou coisa para a qual algo é dado ou para quem algo existe ou é feito…” (DICIONÁRIO GRAMATICAL DO GREGO DO NOVO TESTAMENTO, p. 57).

A Comissão de Tradução da TNM levou em consideração diversas fontes antigas inclusive em latim e aramaico a fim de tentar encontrar o sentido desta expressão aparentemente contestável. A forma dativa do texto realmente sugere algo como “pobres quanto ao espírito”.

Paulo em Romanos 6:11 diz:

οὕτως καὶ ὑμεῖς λογίζεσθε ἑαυτοὺς εἶναι νεκροὺς μὲν τῇ ἁμαρτίᾳ ζῶντας δὲ τῷ Θεῷ ἐν Χριστῷ Ἰησοῦ.

Assim também vocês, considerem-se mortos com relação ao pecado, mas vivos com relação a Deus, por meio de Cristo Jesus.

Neste texto temos o caso dativo onde dois substantivos precedem ao dativo em grego. Na tradução proposta pelo Sr. Damião, hoi ptochoì tô pneúmati (os pobres em/ pelo espírito), emprega-se uma forma preposicional ou um dativo locativo como opção de tradução. Sendo assim, pergunto: Há no caso de Mateus 5:3 um dativo de vantagem/commodi ou um dativo de referência? A forma como se interpreta o dativo, quer seja um dativo de esfera ou dativo de referência ou outro, muda totalmente o sentido da frase ou pode terná-la sem sentido algum! Para mim é claro que temos um dativo de referência em mateus 5:3. “Pobres quanto ao/com referência ao espírito”.  Se entendermos que o adjetivo ptochoì como significando “necessitado” ou “mendigo”, “pedinte”, o entendimento muda bastante!

STRONGS NT 4434: πτωχός

“Com o dativo de referência τῷ πνεύματι, no que se refere ao espírito… alguns tornam a ideia mais íntima e ética “cônscios de sua necessidade espiritual, Mat. 5:3; Compare com a Epístola de Barnabás 19 [ET] ἔσῃ ἁπλοῦς τῇ καρδία καίπλούσιος τῷ  πνεύματι “serás simples de coração e rico quanto ao[ou no que se refere ao] espírito”

Neste texto grego antigo do 2º século , temos um adjetivo+artigo no dativo+substantivo, uma construção gramatical similar. 

John Trapp Complete Commentary

“Pobres de espírito: mendigos no espírito. Mendici spiritu.”

O mesmo texto, na Nova Bíblia de Jerusalém, ed. 2002, é assim traduzido: “os pobres pelo espírito”, porque o sentido do texto não é o de elevação da pobreza espiritual

Criticar as opções de tradução comumente vistas “pobres  de espírito” e optar por ““os pobres pelo espírito”, como na NBJ  não mudou nada!  Como assim “pobres pelo espírito”? Os leitores católicos vão entender que o Espírito Santo os torna pobres? Ou um espírito de falecido os empobrece?

As Testemunhas de Jeová entenderam que “pobre” tem o sentido de “carente”, necessitado”, que cai muito bem dentro da gama aceitável de significação de πτωχός.

Portanto a ideia “carente quanto ao espírito” é bem literal e pode ser vertida sem problemas por “cônscios de sua necessidade espiritual”. Que seria uma tradução de equivalência dinâmica. Como vimos alguns comentários  de eruditos apoiam esta opção.

Assim, a tradução de Mt 5,3 na TNM, parece ser …sem a devida atenção ao que consta do texto grego em The New Testament in Original Greek, obra que os anônimos tradutores alegam ser o texto-base da versão em inglês constante da TNM.

Diria então que os autores dos referidos comentários da Bíblia acima, não deram a “devida atenção ao que consta no texto grego”?

Observe o que comenta os pesquisadores do Texto Copta referente a esta passagem:

3 ϪⲈ ⲚⲀⲒⲀⲦⲞⲨ ⲚⲚϨⲎⲔⲈ ϨⲘ ⲠⲈⲠⲚⲈⲨⲘⲀ ϪⲈ ⲦⲰⲞⲨ ⲦⲈ ⲦⲘⲚⲦⲢⲢⲞ ⲚⲘⲠⲎⲨⲈ.

Os “pobres” ou “necessitados” na Bíblia representam aqueles que sabem muito pouco sobre coisas espirituais, mas querem aprender. “Espírito” representa nossa mente quando estamos recebendo idéias verdadeiras do Senhor.”

 

Uma explicação adicional para o significado de Mateus 5:3

ocorre neste link.  Como segue abaixo:

 

“A palavra grega para “pobre” é ptochos e significa aquele que é destituído, aflito e  carente. O que este versículo está literalmente dizendo é “Bem-aventurados os destituídos / aflitos / carentes do espírito; porque deles é o reino dos céus”. Isso não faz nenhum sentido. No entanto, se traduzimos a palavra grega ptochos em hebraico, temos a palavra aniy que também significa destituído, aflito e faltante. Mais literalmente, a palavra hebraica significa “inclinado para baixo”, como uma pessoa pobre que é destituída. Mas, esta palavra hebraica também pode significar alguém que é humilde, no mesmo sentido de se curvar rente ao chão. Agora, se traduzimos o hebraico de volta para o inglês, temos: “Bem-aventurados os humildes em espírito; porque deles é o reino dos céus”. Ao entender esta passagem a partir do seu passado hebraico, podemos interpretar melhor a Bíblia do Novo Testamento.”

Anúncios
Trackbacks are closed, but you can post a comment.

Comments in english allowed! Não serão permitidos comentários de opositores ou pessoas que querem debates sem fim. EVITE FUGIR DO TEMA DA PÁGINA OU FAZER flooding de informações. Isso é coisa de gente desonesta e que quer confundir. Discordar não é problema, mas fazer oposição com zombaria desrespeito e trollagem não são aceitos nesta página. Ao postar nesta página você estará concordando com isso! Não é permitido a participação de APÓSTATAS nos comentários desta página. Em outras palavras, críticas e discordâncias são aceitas e até mesmo postadas, mas não “espírito de oposição”. Isto se dá em vista do claro mandamento bíblico para que “os eviteis” Romanos 16:17. Outra coisa...tenho recebido comentários feitos com erros graves em quase toda linha e frase. NÃO POSTAREI. Tenha respeito por assuntos bíblicos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s