Foi a Remoção do Nome Jeová nas Traduções da Bíblia algo de pouca importância?


2010484_univ_lsr_lg

Não preciso dizer que o Nome de Deus foi removido da maioria das traduções da Bíblia e substituído por palavras tais como “Senhor”, “Deus”  ou “Eterno”. Um estudo básico revela que isso realmente aconteceu. **  Percebi porém que mesmo de posse destas informações, alguns religiosos devotos, tais como pastores, padres, bispos e outros que vão todos os dias a uma igreja, consideram esta discussão algo de pouca importância.

Alguns chegam a dizer: “Eu sei que o Nome de Deus é Jeová”, ou ainda “temos que nos focar na pessoa de Cristo”. Estas pessoas não enxergam nada de ofensivo ou errado em remover o Nome de Deus e substituí-lo em suas versões preferidas da Bíblia Sagrada. ( Veja um antigo manuscrito onde o Nome de Deus ocorre sem reservas em apenas um pequeno trecho) Recentemente cheguei a estudar Arquivologia e percebi que se uma pessoa escreve seu próprio nome em um papel, datando-o e mencionando algum acontecimento ou talvez escrevendo poucas linhas, tais palavras escritas em um papel qualquer, se porventura forem encontradas séculos depois, farão parte de um “documento”. Ou seja, um simples pedaço de papel pode ser considerado um documento tempos depois. Conversando com uma religiosa evangélica, indaguei a ela se seria correto “apagar o nome” de alguém em um documento assim. Confesso que foi muito difícil receber uma resposta dela.

Quando percebeu que eu estava questionando o que seus mestres e teólogos fazem quando removem o Nome do Autor da Bíblia, começou a falar junto comigo e a evitar responder as perguntas. Sentiu-se acoada e sem saída. Com um sorriso sem graça no rosto passou a fugir o máximo que podia do assunto enquanto procurava uma maneira de tentar pescar ou achar algo contra mim em base pessoal, relacionado a minha vida pessoal e as poucas impressões que teve sobre mim. Isso mesmo…partiu para o ataque desesperada.

Eu afirmo sem dúvida alguma, que cultos religiosos promovidos pelas Igrejas intituladas “cristãs” estão fazendo um mal muito grande aos seus “irmãos” de fé. Quando eles repetem a palavra “Senhor” em seus cultos em um mistura de emoção e êxtase, estão não somente seguindo um padrão totalmente desconhecido pelos servos de Deus da antiguidade, que costumavam empregar o Nome Jeová sem cessar, como também estão subliminarmente removendo o Nome de Deus de seus corações.

Inventaram frases como “Senhor dos Exércitos” e outras em suas adulterações da Bíblia e criaram um Deus anônimo desconhecido dos profetas de Jeová da antiguidade. Não há paralelo entre os evangélicos e os antigos adoradores do Verdadeiro Deus no antigo Israel. Há sim paralelo entre as Testemunhas de Jeová e os servos de Deus da antiguidade. Estes empregavam o Nome de Deus a todo momento em suas correspondência, escritos sagrados e conversação diária.

Na Bíblia, Deus diz: “Eu sou Jeová. Este é meu nome.” (Isaías 42:8) Em oração a seu Pai, Jesus disse: “Tenho dado a conhecer o teu nome e o hei de dar a conhecer.” (João 17:26) Os primeiros cristãos ajudaram pessoas de muitas nações a conhecer o  nome de Jeová. Numa reunião entre os apóstolos e os anciãos em Jerusalém, o discípulo Tiago disse: “Deus . . . voltou a sua atenção para as nações, a fim de tirar delas um povo para o seu nome.” — Atos 15:14.

Não deixe de ler este artigo que lhe mostrará mais sobre o desafio de conhecer melhor o Nome de Deus.

São convincentes os motivos apresentados para não se usar o Nome JEOVÁ?

É o Nome Jeová uma “tradução errônea do tetragrama” ?

Nova Biblia King James Restaura o Nome Divino

Um dos motivos de se evitar usar o Nome de Deus nas versões da Bíblia

É correto falar a palavra “Adonai” quando lemos o texto hebraico e se deparamos com o Tetragrama?

É o nome Jeová uma “junção da palavra Adonai sobreposta ao tetragrama” ?

São convincentes os motivos apresentados para não se usar o Nome JEOVÁ?

The Name Yahweh in Egyptian Hieroglyphic Texts

Trackbacks are closed, but you can post a comment.

Comentários

  • Defensor Da Verdade!  On 28 de maio de 2016 at 8:41

    É, a maioria dos Evangélicos e Católicos que converso, insistem na ideia de que o Tetragrama possui as vogais de Adonay e por isso a desculpa de trocar o nome, principalmente no NT, por “Senhor”!

    Curtir

  • Danilo Gervasoni.  On 28 de maio de 2016 at 9:15

    em minhas conversas com pessoas de outras denominações noto de forma clara que a doutrina e mais importante que a bíblia a palavra de deus não importa a doutrina ganha um destaque maior do que a verdade.

    Curtir

  • Saga  On 28 de maio de 2016 at 19:15

    Isto é bem notório entre os adventistas, nunca vi um deles tendo problemas com a palavra Jeová, a sua profetisa Ellen White fez uso desta forma. Porem consideram isto um detalhe de menor importância, além de que citam mais a Jeová quando querem relacionar tal nome a pessoa de Jesus.

    Um igreja pentecostal aqui perto era chamada “Assembleia de Deus Ministério Jeová Nissi O Deus da Provisão” e agora trocaram a placa para “Assembleia de Deus Ministério Javé Nissi Seguindo A Cristo”.
    Veja que a troca foi motivada por este senso de jeovafobia que existe entre muitos protestantes e católicos

    Curtido por 1 pessoa

  • Kl  On 29 de maio de 2016 at 11:18

    Queruvim eu tenho grande interesse de aprender/obter mais informações sobre aquele manuscrito do 2 século[Pap_Greek_IEWA] que em certo artigo seu você indicou que nele há forma Jeová do tetragrama. Meu caro queruvim você poderia reescrevê-lo?Quero dizer edita-lo conforme a grafia e a padronização dos textos gregos que temos acesso hoje.Poderia translitera-lo e traduzi-lo?

    Curtir

  • Qualquer um  On 29 de maio de 2016 at 22:02

    Quem dera se explicar essas coisas para as pessoas fosse tão fácil quanto explicar uma conta matemática: Você mostra na conta dela o que ela está errando, e ela mesmo com o orgulho ferido, se sente obrigada a admitir que estava errada.

    O fato é que se uma pessoa não está disposta a passar por alto a ferida que seu orgulho pode sofrer por descobrir que erra, ela nunca vai deixar de errar. No caso de religião isso muito se aplica quando ela sequer sente prazer em conversar sobre esse tema com outras pessoas de outras denominações.

    Curtir

  • abibliaeavidaeterna  On 30 de maio de 2016 at 19:01

    as pessoas hoje estão mais propensas a aceitar o nome de Deus. mas como foi citado no começo do artigo sempre com o pretexto de juntar Jeová com Jesus, dizendo que são o mesmo. A maioria dos pastores fazem isso para disfarçar o erro doutrinário deles. essa resposta já é meio que normal para mim no ministério de campo. Certo teólogo falou que a trindade é progressiva na bíblia: primeiro como jeová, depois como jesus e agora por meio do espírito santo…
    vê se pode!

    Curtir

  • Alexei  On 31 de maio de 2016 at 10:44

    Caros irmãos, vejam essa notícia sobre o microquimerismo, uma complicação que está sendo descoberta tanto nas transfusões de sangue quanto na promiscuidade sexual. Os estudos científicos estão avançando…

    http://www.seminhematol.org/article/S0037-1963%2806%2900234-4/abstract

    Curtir

  • Queruvim  On 31 de maio de 2016 at 12:16

    Obrigado por contribuir…repliquei este em alguns links

    Curtir

  • Davi  On 31 de maio de 2016 at 15:02

    Além dos evangélicos que não reconhecem o nome de Deus, os judeus também tem maior culpa disso,pois as sua tradições que são de Homens e não de Deus removeram o nome de Deus por “Eterno”, eu estava olhando a bíblia hebraica (a de capa verde ) e eles fizeram exatamente isso, por uma interpretação erronia de Êxodo 20:7 – “Não deves tomar o nome de Jeová, teu Deus, dum modo fútil.”
    Este texto não fala que não devemos deixar de invocar, mas sim de evitar de falar sem motivo aparente.
    Como Jesus foi enfático em dizer que eles seguiam a tradições em vez de seguir as leis de Deus conforme Mateus 23 inteiro fala da tradução da época,

    Curtir

  • Alexei  On 1 de junho de 2016 at 16:24

    Interessante notar que a própria Bíblia Judaica mostra claramente no seu prefácio, as dificuldades criadas por se substituir o Tetragrama pelo termo “Senhor”.

    Curtir

  • Fernando  On 1 de junho de 2016 at 21:53

    As tj dão mais atenção no nome do que na pessoa de Deus.eu creio que Deus tem um nome não um nome tem Deus como vçs pensam.Deus ja existia muito antes de Ele escolher um nome pra si.vçs falam que a cristandade retirou o nome Jeova e substituio por Senhor mais vçs tambem fazem a mesma coisa.mais ao contrario ou seja onde ta Senhor na biblia vçs colocam Jeova ex:romanos 10:13 e atos 2:21.agora uma pergunta que as tj não vão conseguir responder.quem chamava Deus pelo nome antes dele criar a humanidade?

    Curtir

  • Queruvim  On 1 de junho de 2016 at 23:43

    Romanos 10:13 e Atos 2:21 são citações de Joel 2:32 onde o Nome aparece de forma indisputável.

    Joel 2:32 diz:

    32 E todo aquele que invocar o nome de Jeová será salvo;
    Pois no monte Sião e em Jerusalém estarão os que escaparem, assim como Jeová disse,
    Os sobreviventes que Jeová está chamando.”

    Atos 2:21
    21 E todo aquele que invocar o nome de Jeová será salvo.”’

    Portanto sua avaliação é errada. Além disso, estou certo de que você fala em “pessoa de Deus” mas não acredita nem prega que ele seja uma pessoa. Mas “pessoas”. A remoção do Nome de Deus causou uma confusão na mente das pessoas. Confundem Jeová, o Ser Supremo, com Jesus, o filho de Deus. Não são as TJ que “falam que a cristandade retirou o Nome”, qualquer leitor do texto hebraico pode ver que o Nome foi substituído por palavras a bel prazer. Em outras palavras, os pastores, padres e outros teólogos que exerceram a função de tradutores de muitas versões da Bíblia usadas em predileção pela Cristandade apóstata são adulteradores profissionais de documento.

    Curtir

  • Caique  On 2 de junho de 2016 at 10:25

    Fernando, o que você disse não é a verdade sobre o que pensamos. Damos sim muita importância à pessoa de Deus, tanto que recentemente estudamos em nossas reuniões um livro que focalizava as 4 qualidades principais de Deus: amor, sabedoria, justiça e poder. Mas o nome de Deus é muito importante e representa tudo que ele é. Assim, damos o devido reconhecimento a esse nome. Com respeito a sua pergunta, a resposta é: antes de criar os humanos, Deus era chamado pelo nome pelos anjos. E antes de criar os anjos, Deus estava sozinho. A Bíblia não diz quando Deus escolheu seu nome para si ou se o nome dele é eterno assim como ele.

    Curtir

  • edvaldo  On 3 de junho de 2016 at 7:48

    Se for para usar o nome de Jeová em reuniões que ensinam sobre o inferno de fogo, imortalidade da alma e ocultismo,……é melhor que usem Titulos mesmo!!!! Assim eles estão fazendo um grande favor ao verdadeiro Deus!!!!

    Curtir

  • jose  On 3 de junho de 2016 at 8:59

    olá eu queria perguntar uma coisa pra vocês,existe alguma lei brasileira, que proíba o ensino de religião nas escolas? aqui na minha região de vez em quando a igreja católica inventa alguma atividade pra os alunos, hoje mesmo tinha uma procissão para um santo e o aluno que não participasse levaria falta, minha filha não participou e levou falta, tem alguma lei que eu possa imprimir e levar lá na escola mostrando que a escola não pode forçar um aluno a participar de atividades religiosas na escola?minha filha tá sendo prejudicada com isso

    Curtir

  • Davi  On 3 de junho de 2016 at 15:45

    Fernando,

    Essa resposta se encontra em Isaias 6:3 que diz: 3 E clamavam uns para os outros:
    “Santo, santo, santo é Jeová dos exércitos.A terra inteira está cheia da sua glória.”

    Veja que essa passagem é quando os anjos se reuniu perante Jeová e disse essas palavras lindas, isso foi um coro celestial. agora será que os anjos não sabem o nome de Deus?
    De forma alguma! Muito pelo contrario eles o louvam usando o Nome Dele.
    Isso significa que antes de criar a humanidade os anjos já sabiam o nome dele e usavam também.

    Curtir

  • Luciano  On 5 de junho de 2016 at 14:08

    Tem algum MSS do NT, onde consta o nome de Deus?

    Curtir

  • Queruvim  On 5 de junho de 2016 at 23:41

    Para uma resposta sobre este assunto sugiro este link: https://www.jw.org/pt/publicacoes/revistas/wp20080801/nome-no-novo-testamento/

    Curtir

  • fernando  On 6 de junho de 2016 at 7:58

    Queruvin eu também concordo INDISCUTIVELMENTE que joel 2:32 aparece o nome JEOVÁ, mais o autor de atos 2:21 e romanos 10:13 fez apenas uma citação de joel 2:32,ou seja ele usou joel 2:32 e apricou a JESUS.uma citação não é um control c control v ,é apenas uma citação. Um exemplo disso nós vemos em hebreus cap.1 versos 10,11,12 que é uma citação de salmos cap.102 versos 25,26,27.em salmos o salmista aplica ao DEUS pai mais o autor de hebreus fez uma citação do salmo e aplicou a JESUS.todos os manuscristos do novo testamento aparece a palavra Senhor tanto em atos cap.2 verso 21 como em romanos cap.10 verso 13.sendo assim os tradutores da tnm cometeram o mesmo erro da cristandade,apenas inverteu .onde tava Senhor colocou JEOVÁ.E o Senhor de atos 2:21 e romanos 10:13 é JESUS e ponto.todo o contexto de atos 2 e romanos 10 fala do senhor JESUS,não de JEOVÁ.temos uma enxurrada de citações do velho testamento no novo testamento,mais são apenas citações. Se as tj acreditam que atos 2:21 e romanos 10:13 tem que ser JEOVA só porque em joel 2:32 fala JEOVÁ,então as tj quando lê hebreus 1 verso 9 tem que entender que o autor de hebreus ta falando do rei davi não de JESUS.porque hebreus 1 verso 9 é uma citação de salmos 45 verso 6 e nesse salmos fala do rei davi.

    Curtir

  • Queruvim  On 6 de junho de 2016 at 11:01

    Não quero prolongar esta discussão. Nem pense em usar este espaço para fazer “oposição” ao Nome com ar de erudição. Isso não será bem sucedido. Vamos a algumas considerações: O senhor concorda que Atos 2:21 é uma citação de Joel 2:32, onde aparece o Nome. Temos evidências conclusivas de que os mais antigos mss da LXX empregavam o Nome de Deus e não substitutos. Sabemos também que os escritores do chamado Novo Testamento usavam a LXX, que originalmente continha o Nome. Os judeus empregavam o Nome sem restrição. Não estou falando dos judeus atuais, mas das Testemunhas de Jeová da antiguidade.(Isaías 43:10) Os copistas judeus eram altamente zelosos e supor que escritores cristãos inspirados, que eram todos eles judeus e empregavam o Nome sem restrições, teriam removido o Nome de todas nas passagens do NT onde se fazem citações do VT, é pensamento posterior e teologia posterior. É evidente que a regra era empregar o Nome. Aplicar Joel 2:32 a Jesus é uma interpretação sua e de muitos trinitaristas, que curiosamente são assíduos em remover o Nome de Deus a fim de pavimentarem o caminho para a aceitação da trindade católica e pagã. A terminologia “Deus Pai” é apenas mais um vício destes desvios sutis da palavra de Deus. As TJ não cometeram erro coisa nenhuma, a partir do momento em que há sim evidências de que os mais antigos mss do NT empregavam o Nome principalmente ao citarem a LXX e textos do VT onde o Nome ocorre. Pessoas iguais a você apoiam sem reservas a remoção do Nome em passagens do VT. Isso é adulteração de documento. Isso faz parte do conhecimento elementar de arquivologia. Quanto ao texto do Salmo 45, Salomão foi um Rei cujas ações representam muito bem o tipo de pessoa que é o Messias, o Cristo. Mas ninguém afirma que são as mesmas pessoas. Sua conclusão de que o Salmo 45 se aplica “a Davi” é equivocada também. As Testemunhas de Jeová e a vasta maioria dos eruditos acreditam da mesma forma que a versão trinitária New American Standard Bible (NASB), Edição de Referência, que explica em sua nota que o Salmo 45 se refere “provavelmente a Salomão como um tipo de Cristo”. O texto se refere literalmente e especificamente a um Rei da antiguidade. Mas claramente tem uma aplicação ao Messias. Já ví trinitários empregarem vários textos para tentarem desesperadamente, como é o seu caso, provar que Jesus é Jeová, mas aplicar Romanos 10:13 é totalmente contra a lógica. Na mente de vcs em seus cultos barulhentos, Senhor é o mesmo que falar “Deus”. Para nós, porém, “Senhor” pode ser qualquer um, inclusive o Diabo.

    Curtir

  • Liberal Junior  On 6 de junho de 2016 at 12:23

    Irmãos super interessantes habilidades de fundamentarem em deixar a palavra de Jeová se auto responder, estava baixando uma tradução em grego pelo nosso App, e achei fantástico como esta escrito João 1:1 ” 1 Στην αρχή ήταν ο Λόγος, και ο Λόγος ήταν μαζί με τον Θεό, και ο Λόγος ήταν θεός ” em que a palavra Deus está escrito diferente, isso mostra que indiscutivelmente que Deus Jeová (Θεό ) da outra forma escrito que se refere a Jesus (
    θεός) são pessoas diferentes. Fico feliz em deixa a bíblia responder a tudo faz com que a verdade apareça e nos fortaleça pois só a palavra de Jeová penetra até o fundo das nossas intenções. Claro que sei que essas duas palavras não são os nomes de Jeová e Jesus. Pois Jeová se escreve Ιεχωβά e Jesus Ιησούς. Abracos se tiver errado meu raciocínio fico f3liz em saber o correto a base da biblia nao raciocínio humanos.

    Curtir

  • Queruvim  On 6 de junho de 2016 at 22:07

    Júnior, Theós tanto em grego antigo quanto no grego moderno está no singular nominativo, ao passo que theo é a mesma palavra no grego moderno, contudo no singular acusativo. São apenas variações de grafia do mesmo substantivo dentro de casos gramaticais.

    Curtir

  • Caique  On 7 de junho de 2016 at 9:54

    Fernando, ainda sobre este assunto de Romanos 10:13, há um vídeo esclarecedor que assisti que demonstra que o nome JEOVÁ deve aparecer no texto. Se o Queruvim permitir, eu passo o link. Neste vídeo, que é uma refutação ao argumento de Leandro Quadros, se mostra com maestria que quando fazemos uma citação, é inconcebível fazermos qualquer alteração. Caso contrário, a citação perde a força. Visto que Paulo citou Joel 2:32, e ali consta o nome de Deus, ele com certeza não teria tomado a liberdade de substituir o nome divino por SENHOR. Com respeito ao seu argumento de Hebreus cap. 1, é verdade que o Salmo fala de Jeová e Paulo o aplicou a Jesus. No entanto, gostaria de fazer duas observações aqui.

    Primeira: o apóstolo Paulo citou o Salmos sem fazer nenhuma alteração do texto. Ele o citou conforme o texto que ele tinha a sua disposição na época.

    Segunda: Paulo aplicou o texto a Jesus porque este participou junto com Deus na criação e, conforme a descrição de Provérbios cap.8, Jesus era um “trabalhador perito.”

    Assim, a questão não está na forma como determinado texto é aplicado, mas sim em quando citá-lo fazer isso sem distorcer ou alterar as palavras originais.

    Curtir

  • A Serviço do Reino  On 13 de junho de 2016 at 17:01

    Ibis,

    Quem disse que não mencionaram o nome de Deus? Veja as evidências:

    1) Os manuscritos gregos que temos hoje não são os originais. A maioria dos milhares de cópias existentes foi produzida pelo menos dois séculos depois de os textos originais terem sido escritos. Também nessa época, os que copiavam os manuscritos substituíam o Tetragrama por Kýrios ou copiavam de manuscritos onde isso já tinha sido feito.

    2) Nas cópias das Escrituras Hebraicas usadas nos dias de Jesus e de seus apóstolos, o Tetragrama ocorria em todo o texto. O Tetragrama também ocorria em traduções gregas das Escrituras Hebraicas.

    3) O próprio N.T relata que Jesus muitas vezes fez referência ao nome de Deus e o tornou conhecido a outros. (João 5:43; 10:25) Ele disse: “Tornei o teu nome conhecido aos homens que me deste do mundo.” Também acrescentou que continuaria a ‘tornar conhecido’ esse nome a outros. (João 17:6, 11, 12, 26)

    4) Visto que as Escrituras Gregas Cristãs foram adicionadas por inspiração divina às sagradas Escrituras Hebraicas, o desaparecimento repentino do nome de Jeová do texto pareceria incoerente.

    No primeiro século EC, o discípulo Tiago disse aos anciãos em Jerusalém: “Simeão relatou em detalhes como Deus, pela primeira vez, voltou sua atenção para as nações, a fim de tirar delas um povo para o Seu nome.” (Atos 15:14) Não seria lógico Tiago ter dito isso se ninguém no primeiro século conhecesse ou usasse o nome de Deus.

    5) Também, o nome divino ocorre em sua forma abreviada. Em Apocalipse 19:1, 3, 4, 6, o nome divino faz parte da palavra “Aleluia”, derivada de uma expressão hebraica que significa literalmente “Louvem a Jah”. “Jah” é a forma abreviada do nome Jeová.

    6) Antigos escritos judaicos indicam que os cristãos judeus usavam o nome divino em seus escritos. A Tosefta, uma coleção escrita de leis orais finalizada por volta de 300 EC, diz o seguinte sobre os escritos cristãos que eram queimados no sábado: “Os livros dos evangelistas e os livros dos minim [pelo visto os cristãos judeus], eles [os opositores] não salvam do fogo. Mas são queimados no lugar onde estão, eles e suas referências ao Nome Divino.”

    Segundo essa fonte, o Rabino Yosé, o Galileu, que viveu no início do segundo século EC, teria dito que, em outros dias da semana, “devem-se recortar deles [entende-se que se trata dos escritos cristãos] as referências ao Nome Divino, guardá-las e queimar o restante”.

    7) Alguns eruditos bíblicos admitem que o nome divino provavelmente ocorria nas citações das Escrituras Hebraicas encontradas nas Escrituras Gregas Cristãs.

    Sob o cabeçalho “O Tetragrama no Novo Testamento”, o Dicionário Bíblico Anchor faz o seguinte comentário: “Há evidências de que o Tetragrama, o Nome Divino, Yahweh, aparecia no N.T em algumas ou em todas as citações do V.T quando os documentos do NT foram originalmente escritos.”

    E o erudito George Howard diz: “Visto que o Tetragrama ainda era escrito nos exemplares da Bíblia grega [a Septuaginta], que compunha as Escrituras da primitiva igreja, é razoável crer que os escritores do NT, ao citarem a Escritura, preservaram o Tetragrama dentro do texto bíblico.”

    Ainda acha que ninguém citou o nome de Deus?

    Curtir

  • ibis  On 14 de junho de 2016 at 10:27

    O apóstolo Paulo, em suas muitas cartas, não citou uma vez sequer o nome Jeová. Por quê?

    Curtir

  • A Serviço do Reino  On 14 de junho de 2016 at 12:07

    Ibis,

    Você disse: “O apóstolo Paulo, em suas muitas cartas, não citou uma vez sequer o nome Jeová. Por quê?”

    Resposta: Quem disse que não? Em Romanos 10:13, que muitos dizem se tratar de Jesus, na verdade se trata do Pai Jeová. Paulo está citando Joel 2:32, onde nos manuscritos dizem que “aquele que invocar o nome de YHWH (Jeová) será salvo”.

    Se quiser rebater essa ideia que em Romanos 10:13 se trata de Jesus, assista esse vídeo primeiro, no link abaixo, pois ele já tem uma refutação da refutação que você ainda tentará fazer. Abraço.

    Curtir

  • A Serviço do Reino  On 15 de junho de 2016 at 9:51

    Ibis,

    Na bíblia, várias pessoas foram chamadas de “salvadores”. Frequentemente, Jeová salvava por meio de homens enviados por Ele como salvadores. Juízes 3:9 declara: “Quando os filhos de Israel clamaram a Jeová, suscitou-lhes ele um salvador que os livrou, a saber, Otniel filho de Quenaz, irmão mais moço de Calebe.” (Versão SBB)

    No caso de nossa vida eterna, tanto o Pai Jeová bem como o Filho Jesus são nossos salvadores.

    1 Coríntios 8:6 declara: “Para nós há realmente um só Deus, o Pai, DE QUEM PROCEDEM todas as coisas, e nós para ele; e há um só Senhor, Jesus Cristo, POR INTERMÉDIO DE QUEM são todas as coisas, e nós por intermédio dele.”

    Note Ibis que Paulo diz que do Pai “procedem todas as coisas”, ao passo que Jesus é aquele “por intermédio de quem são todas as coisas”. Tendo presente esta clara regra estabelecida pela Bíblia, podemos entender facilmente textos que usam as mesmas expressões tanto para Jeová como para Jesus.

    No caso do termo “Salvador”, tanto Jeová como Jesus são descritos assim na bíblia, mas Judas, versículo 25, equaciona o problema aplicando a regra bíblica acima. O texto diz: “Ao único Deus, nosso Salvador, POR INTERMÉDIO de Jesus Cristo, nosso Senhor.”

    O entendimento é claro: Jeová é chamado de Salvador por ser a Procedência, o Autor e a Fonte da salvação, ao passo que Jesus é referido como Salvador por ser o Agente, o Canal, ou meio, pelo qual ela é realizada. Isto é confirmado pela declaração de Atos 13:23, que reza: “DEUS TROUXE a Israel um salvador, Jesus.”

    É por isso que Atos 4:12 diz: “Não há salvação em nenhum outro, pois, DEBAIXO DO CÉU não há nenhum outro nome DADO aos homens pelo qual devamos ser salvos”.

    Portanto, aqui na terra (debaixo do céu) somente Cristo salva, pois somente Jeová DEU à ele essa comissão. Mas como podemos inferir do texto, acima do céu Jeová salva. É por isso quem Apocalipse 7:10 os salvos vão dizer: “A salvação pertence ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro”. (Nova Versão Internacional)

    CONCLUSÃO: Somente Deus salva, mas Ele salva através de agentes enviados ou autorizados por Ele, e não podemos de maneira nenhuma dizer que os enviados são iguais a aquele que os envia. (Veja João 13:16)

    Curtir

  • phanegomes  On 16 de junho de 2016 at 15:09

    Realmente,parece haver certa fobia do nome Jeová. Sempre que vejo por aqui onde moro, está acompanhando por palavras como JIREH ou NISSI, coisa que não é nossa.

    Curtir

  • Mario Silva.  On 4 de setembro de 2016 at 21:44

    Olá td bem!… Eu acho bom esse zelo pelo seu Glorioso nome, sério… seria maravilhoso poder chama-lo pelo seu nome próprio, mas convenhamos, temos que ser sinceros, o nome “Jeová” e uma invenção!.

      Eu vou dar uma resumida na história só pra dar mais liga no que quero diz, pois sei que sabem td isso e estão cansados das mesmas histórias. 
    
      Bom mas as sagradas letras YHWH ( יהוה ) na sua forma "PURA" no hebraico, tinha um "SOM", um sopro dessas palavras, que tal vez lembra-se "Javé", ou "Yavé". ou ainda "Yawé", que significaria dizer "Eu Sou"  ou  "Eu Sou O Que Sou",  E que, era nesse sentido que seria o nome de Deus. (Êxodo 3:14)
    
      E mas são especulações, e como tds já estão "carecas" de saber a pronuncia correta se perdeu, blz? blz!.
    
      Dai muito tempo de pois precisou-se dar um "SOM" para essas maravilhosas letras, mas por conta do tempo, a língua hebraica hoje e quase morta, então se difunde mais o Aramaico, e é ai que entra a questão!
    
      Por ser mais fácil em uma tradução, no Aramaico foram inseridos alguns sinaizinhos e pontos, que são chamados de sinais massoréticos, que hoje são as "VOGAIS", e assim não mais havendo o esquecimento dos sons das palavras graças a esses sinais miraculosos.
    
      Bom mas ai vieram as adaptações, o resultado de se pegar os sinais massorético de Adonay que no Hebraico que significa "SENHOR" mesmo, como vcs sabem, vcs querendo não, e adaptar a um escrito em hebraico antigo "PURO" de YHWH ( יהוה), os massoretas levantaram a pronúncia tradicional de uma palavra em hebraico de consoantes, que andes  eram "IMPRONUNCIÁVEL".
    
      E com essa adaptação se deu o "SOM" e a palavra YEHOVAH, que em Portugues "JEOVÁ", graças a um sistema de pontuação "INVENTADO", sejamos franco, foi uma invenção muito boa, para atender a acentuação vocálica. Com isso, eles padronizam uma pronúncia das letras "YHWH", tornando-o igual para qualquer pessoa que o lesse após a época em que iniciou-se a compilação.
    
      Agora Tjs, fala sério, falar que o nome de DEUS é unicamente, exclusivamante "Jeová", isso fere a inteligência de qualquer pessoa que presa por um estudo detalhado sobre o assunto.
    
      E digo mais, nem mesmo vcs podem afirmar com "TODA" a confiança e certeza do Universo que, "Jeová" é o  nome de Deus!
    
      Valeu, Abraço!
    

    Curtir

  • Queruvim  On 5 de setembro de 2016 at 1:54

    no Aramaico foram inseridos alguns sinaizinhos e pontos, que são chamados de sinais massoréticos

    Afirmação incorreta. Os Massoretas vocalizaram o texto hebraico e por consequência o texto aramaico. JAMAIS empregaram a vocalização para se ler Yahvéh. Pegue o texto Hebraico da BHK, BHS e Bíblia Quinta e verá que eles vocalizaram para se ler Yehwáh. Não empregaram a vocalização de Adonay visto que nesta não vemos um shevá. O que fica evidente neste mapeamento da vocalização do Tetragrama é que o “e” na palavra Yehwah é um sheva e não um hateph Patah, que ocorre na primeira sílaba da palavra “Adonai”. Em “Adonai” temos um hateph patah, um holem e um qamets.

    Antigamente os adoradores de Jeová Deus, assim como muitos das nações, costumavam adicionar o nome de seu Deus como parte dos nomes de seus filhos. Fosse de forma prefixada ou sufixada, isto nos dá alguma dica de como possivelmente eram pronunciados os nomes destes “deuses”, inclusive da Divindade Suprema. São os chamados “nomes teofóricos”.Os nomes teofóricos sempre aparecem nas escrituras como “Yeho”. Este era incorporado nos nomes dos antigos israelitas e como nos dão uma demonstração do equívoco que é a forma samaritana “Yahweh” ou “Javé” em português.

    Um outro argumento que descarta claramente a pronúncia “Javé” como sendo a pronúncia antiga do Nome de Deus pode ser visto nas palavras do Historiador Judeu Flavio Josefo em Guerra dos Judeus onde ele fala que a inscrição do Nome Divino numa “coroa dourada” usada pelo Sumo Sacerdote “era gravada para apresentar quatro vogais [phônêenta tessara]”. War of the Jews 5.230 (Tradução para o Inglês feita por Whiston); Thackeray LCL 3, page 273.

    Foi somente por volta do século 19 que a forma “Javé” começou a se tornar popular e geralmente aceita nos meios acadêmicos. O primeiro a apoiar tal pronúncia foi Genebrardus, um exegeta Beneditino Frances (1535-1597) . Contudo, não existe uma versão da Bíblia pelos Judeus que apoie tal pronúncia aceita de modo geral tardiamente.

    Sobre a pronúncia correta do Nome, até mesmo hoje, o nome “Jesus” é pronunciado de diferentes formas dependendo do país onde você esteja. Em grego os apóstolos chamavam Jesus de Iesous. Ninguém jamais diria que eles estavam “errados” e que deveriam pronunciar o nome Jesus exatamente assim como os judeus pronunciavam.

    Portanto, a pronúncia exata do Nome de Deus não é desculpa para se evitar usar esse nome. Alguns recorrem a essa argumentação bem como a outras desculpas que não convencem. Por exemplo, Maria, a mãe de Jesus, era chamada “Miriam”, tanto por Jesus como pelos vizinhos judeus que falavam hebraico; e, como sabemos, ninguém hoje que professa a veneração de Maria defende que a chamem de “Miriam”. Se fôssemos usar a mesma pronúncia que os judeus usavam, então jamais diríamos “Jeremias” e “Isaías”, mas sim Yermiáhu e Yeshayahu. O mesmo aconteceria com centenas de nomes encontrados nas Escrituras e hoje pronunciados de forma totalmente diferente.

    Portanto, podemos afirmar com certeza que os que criticam o Nome “Jeová” como sendo uma pronúncia errada não usam PARA OUTROS NOMES HEBRAICOS a regra ilusória e fantasiosa que eles mesmos exigem que outros usem.

    Curtir

  • Mario Silva.  On 7 de setembro de 2016 at 13:39

    Olá de novo amigos tjs!

    Quando eu postei minha tese, e na parte em que dizia, “no Aramaico foram inseridos alguns sinaizinhos e pontos, que são chamados de sinais massorético”

    Eu não errei a AFIRMAÇÃO!, só não coloquei em sua ordem, entrando assim em uma questão mais técnica sobre o assunto massorétas, mas que eu tinha feito uma resumida da história, lembra?

    Bem… mas vamos lá, O fato de se colocar os sinais massoréticos nos Hebraicos e posteriormente nos Aramaicos não muda em nada a questão de ser uma ADAPTAÇÃO, ou invenção para os dias atuais de hoje!

    Mas o que basicamente “AFIRMEI”, e que todos esses pronomes que conhecemos e falamos se derivaram de um tetragrama “PURO” e “ANTIGO”, sem qualquer envolvimento do homem, sendo Ele um teônimo hebraico “PURO” ( יהוה ) sem qualquer resquício dado à Moisés na época pelo próprio Deus Pai.

    Oras, mas a pronúncia se “PERDEU”, ai fazer o que. Bom mas graças aos talentos e cuidados dos rabinos (homens), foi dado o trabalho de se achar uma “NOVA” pronuncia para tanto, e eles o fizeram não é vdd?, mas como forma de se APROXIMAR de seu Nome, não que SERIA seu Nome ou novo Nome, e no ponto em que vc abordou a pronúncia do nome JESUS, como tantos outros NOMES dado a Ele em determinados países, isso tbm não muda em nada.

    Ex: Cv tem seu nome, e esse nome independentemente do país que esteja, no máximo ele vai ser pronunciado um pouco diferente ou até diferente, mas que deverá seguir uma “REGRA”, ser “ESCRITO” da mesma forma que está em seu “REGISTRO”,
    Se escreverem uns rabiscos e afirmarem que é vc que está a li, só porque seu nome se parece com umas coisas ou objetos, isso seria uma forma de tentar te enganar, eu tenho certeza que vc não aceitaria uma situação dessas, pois vc tem um nome e zela pelo seu nome.

    Oras se o nome JESUS se diferencia em outros países em ESCRITAS e PRONÚNCIAS e porque nunca foi seu nome próprio, e sim um titulo de “SALVADOR”, e nesse sentido sim se faz a diferença a escritas e pronúncias.

    Mas com o nome de Deus foi bem diferente, Ele foi “ESCRITO” e “REGISTRADO” por Moisés, e principalmente “FALADO” por ele, e assim, esse Nome teve seu início com um “SOM” dessas letras, mas por conta da perda da pronúncia, se fez necessário outros “ESCRITOS” e outros “NOMES”, mas que já não fazem mais parte dos originais, ou seja não são mais “PUROS”.

    Mas convenhamos…O nome “Jeová” é Indescritivelmente aceito pelo mundo todo, sem proplema algum quanto a isso, eu até falo e aceito isso sendo um de seus nomes, Mas dai dizer que esse é o seu nome “LEGÍTIMO” de todas as galáxias, ai já forçar a barra!

    Curtir

  • Queruvim  On 8 de setembro de 2016 at 20:23

    Não se pode afirmar que a pronúncia original do Nome “se PERDEU”. Pode ser que a pronúncia original seja a empregada hoje pelas Testemunhas de Jeová em Israel. Yehováh. Não sabemos com certeza qual era a pronúncia original do Nome. Mas como já foi claramente abordado, isso não importa.
    Sua afirmação de que o nome de Jesus é “apenas um título de Salvador” em virtude de não se empregar a pronúncia original é, ao meu ver, um erro. O nome é transliterado e pronunciado de forma diferente, mas continua sendo o nome. Ora, meu colega, preste atenção! Ninguém zomba ou questiona a palavra Jerusalém como não sendo uma referência à cidade onde Davi reinou no passado, apenas porque sua pronúncia não é EXATAMENTE a mesma. Alguns ficam se atendo ao Nome de Deus mas não questionam os outros milhares de nomes presentes nas Escrituras Sagradas. O motivo disso é simples, isso não importa.

    Curtir

  • Mario Silva.  On 9 de setembro de 2016 at 13:57

    Amigo tj Queruvim!

    Eu até preso e estimo seus argumentos e expectação na questão do nome “Jeová”

    Mas veja a dubiedade de sua parte, “Pode ser…”, “Não sabemos com certeza…”

    Meu camarada se perdeu e ponto. O que temos hoje são “TERMOS” que usarmos na expectativa de chamarmos sua atenção na ora em que vamos falar com Ele, mas que de nada vai adiantar meu amigo de chamarmos Ele pelos seus pronomes e títulos, e de até mesmo quem dera, pelo seu verdadeiro “NOME” se não tivermos o principal para chegarmos até Ele, O seu “Filho” que e o caminho e a Salvação.

    A propósito Queruvim a questão do título “SALVADOR”, esse título foi utilizado pelo próprio Pai para mostrar quem Ele era, e foi empregado ou seu Filho como sendo esse Salvador, mas esse Filho sendo tbm um Deus não se limitaria em ter a penas esse título NOME, mas vários (Isaías 9:6). Sendo assim fica claro que seu NOME não e um mero NOME, mas tudo que existe de excelência para Ele.

    A objetividade desse nosso papo meu amigo e simples. Que como vc mesmo disse NÃO IMPORTA, não importa mesmo se O chamamos de Deus, PAI ou Jeová e etc, Ele nos ouvirá, não por causa de seus vários Nomes ou Títulos, mas por causa de seu Filho que nos leva à Ele, sei que para vcs é importante conhecer a condição dos mortos a vdd sobre o reino, conhecer a palavra e pregar a palavra e se batizar, e estou de acordo, mas que se não souber o seu NOME, parece que esta td perdido!, parece até igual os dizimistas evangélicos de outras denominações, “vcs são batizados mas se não der o dízimo são ladrões e Não serão Salvos!”. Que absurdo!

    O sistema religioso seja ele qual for é FALHO, e é FALHO por que é dos homens, o que não e falhos são os planos de Deus, temos que crer apenas em uma coisa, em seu Filho, creiamos Nele e seremos salvo, eu vc e nossa casa, e ai sim com certeza conheceremos de vez o seu NOME, e isso e só com Ele na quele dia.

    Curtir

  • Queruvim  On 13 de setembro de 2016 at 11:04

    Mario Silva afirmou sobre o Nome de Deus:

    “…de nada vai adiantar meu amigo de chamarmos Ele pelos seus pronomes e títulos, e de até mesmo quem dera, pelo seu verdadeiro “NOME” se não tivermos o principal para chegarmos até Ele, O seu “Filho” que é o caminho e a Salvação.”

    Nesse sentido de “não ter o principal…que é seu Filho” não é um problema para as Testemunhas de Jeová. Estou convencido de que durante muitas provas, ficou mais do que claro que as chamadas igrejas “cristãs”, “evangélicas” e outras negam o Cristo por meio de suas ações. Tem gente que sente aversão e não gosta de “crente” por causa da hipocrisia evidente que há em BOA PARTE deles. No caso das Testemunhas de Jeová, são o oposto. Observa-se um comprometimento real e não a hipocrisia( Na vasta maioria DELES). Por exemplo, há tantos escândalos recorrentes no meio Evangélico, que fico admirado ao ver alguém sugerir que são as TJ que precisam “aceitar a Jesus”. Isso não passa de preconceito.Não são as TJ que estão brotando nos noticiários envolvidos em corrupção e casos corriqueiros de crassa imoralidade sexual. Não são as TJ que estão divididas doutrinal e nacionalmente uma vez que, diferente dos chamados “evangélicos”, “católicos” e outros professos “cristãos”, elas não pegam em armas para matar seus correligionários como tem acontecido. Vamos citar aqui um exemplo:

    Imagine que você congrega no Iraque numa célula evangélica e casa-se e tem família. De repente o tempo passa e você vê seu filho de 18 anos sendo convocado para defender a pátria iraquiana. Iria lutar contra os americanos ? Saiba então que muitos evangélicos americanos foram na ultima guerra contra o Iraque!

    Já imaginou batistas americanos matando batistas iraquianos ? Eu não somente imagino como leio isso nos anais da história da Igreja Batista americana que é uma das mais sangrentas que já li. Isso deveria fazer os evangélicos repensarem o que significa REALMENTE SER CRISTÃO e obedecer a Jesus.

    Na Segunda Guerra Mundial, o único grande grupo religioso que se recusou de modo firme e constante a apoiar a guerra de qualquer maneira foram as Testemunhas de Jeová. O Dr. Hanns Lilje, ex-bispo da Igreja Protestante em Hannover, Alemanha, escreveu o seguinte sobre as Testemunhas de Jeová:

    “Elas podem de direito dizer que foram o único grande grupo de objetores de consciência no Terceiro Reich.”

    PRESTA ATENÇÃO nisso aqui!

    O livro History of Christianity, de Paul Johnson, diz:

    “Dentre 17.000 pastores evangélicos, nunca houve mais de cinqüenta que cumprissem longos termos de prisão [por não apoiarem o regime nazista] em qualquer época.” Contrastando tais pastores com as Testemunhas de Jeová, Johnson escreveu: “Os mais valentes eram as Testemunhas de Jeová, que proclamavam a sua inequívoca oposição doutrinal desde o início e sofreram em conseqüência disso. Recusaram qualquer cooperação com o Estado nazista.”

    Durante a guerra, as Testemunhas de Jeová em muitos países preferiram sofrer represálias a promover ou apoiar a guerra.

    Portanto a questão não deve ser se as testemunhas de Jeová “tem Jesus”, algo que como vimos é respondido com um enfático sim. Mas se as Igrejas Evangélicas e outras das chamadas religiões cristãs tem realmente Jesus.

    A estes ecoam desde o domínio espiritual as palavras de Jeus registradas em Lucas 6:46:

    “Por que, então, me chamais de ‘Senhor! Senhor!’, mas não fazeis o que eu digo?

    Mario Silva afirmou:

    “A objetividade desse nosso papo meu amigo e simples. Que como vc mesmo disse NÃO IMPORTA, não importa mesmo se O chamamos de Deus, PAI ou Jeová e etc, Ele nos ouvirá…”

    Eu não afirmei que “não importa” usar ou não o Nome de Deus. Eu afirmei que não importa se a pronúncia é exatamente a mesma ou não. Presta atenção no que eu escrevi! O Nome de Deus é importante sim e seu uso era algo normal tanto na conversa diária quanto nas correspondências feitas pelos judeus da antiguidade. Este Nome aparece mais do que qualquer outro nome em todas as Escrituras Sagradas. Se o Autor Divino providenciou que seu Nome fosse usado com tanta frequência, é porque IMPORTA SIM senhor! O Nome era usada sem reservas na adoração e ao escreverem a Bíblia. Você distorceu o que eu afirmei com base nas Escrituras. Eu não afirmei que “não importa se empregamos senhor, Deus, Jeová ou outros nome”…Eu afirmei que não importa a EXATA PRONÚNCIA DO NOME. É exatamente sobre a importância de usar o Nome que eu escrevi o artigo. OLHE O TEMA DO ARTIGO ACIMA! É incrível como você lê mas não entende o que lê! Sugiro que leia o artigo acima NOVAMENTE! Ou você é do tipo que lê um artigo apenas para tentar “rebatê-lo”? Este tipo de argumento de que usar o Nome “não importa” é coisa de quem remove o Nome das traduções da palavra de Deus. Coisa de teólogos evangélicos e outros. Substituem o Nome de Deus por palavras que lhes vem na mente. Os textos de Davi, por exemplo, escritos sob inspiração, está salpicado com o Nome de Deus. Jesus falou sobre o Nome e disse:

    “Tenho feito manifesto o teu nome aos homens que me deste do mundo.” Que nome é este? Isaías 42:8 responde:

    “Eu sou Jeová. Este é meu nome; e a minha própria glória não darei a outrem, nem o meu louvor a imagens entalhadas.” NÃO APARECE A PALAVRA SENHOR neste texto, conforme as adulterações feitas por pastores, teólogos e outros.

    É incrível…é como se eu tivesse escrito um artigo intitulado “COMO O DIAMANTE É TÃO VALIOSO” e de repente alguém vem postar e dizer que “o diamante não é tão valiosos assim”. Você defende justamente o oposto do que o artigo se propõe a fazer. Mario, acredite…você não entendeu o assunto…precisa ler com calma e dedicação. Atribui a mim justamente aquilo que lhe ocorre! O que deve nortear nosso julgamento do que é certo ou errado, correto ou não, são os textos citados diretamente da Bíblia Sagrada. Tenha mais reverência pelos textos da Bíblia Sagrada em cada menção que deles faço. Observe se eles apoiam ou não aquilo que estou defendendo.

    Curtir

  • Mario Silva.  On 17 de setembro de 2016 at 15:59

    Queruvim…!

    De forma amistosa quero esclarecer alguns pontos meu prezado amigo, pode se dizer, que até não entrei no clima do artigo no inicio do nosso papo, só que tem tem um porem meu chapa, na decorrência desse nosso pequeno debate, o “Artigo” já se fez presente faz e horas Queruvim! Visto que vc já deve ter percebido que, eu não vejo como algo tão “IMPORTANTE” a remoção de seu Nome das Bíblias! mesmo porque como eu já tinha dito em outras linhas, esse nome não é o seu verdadeiro.

    A propósito na questão da suposta “distorção”, eu simplesmente usei de uma forma sarcástica de sua “escrita”, pegando ela como gancho para minha afirmação de que de fato NÃO IMPORTAVA mesmo se o chamemos de Deus ou de Jeová ou qualquer outros exemplos!

    Mas que tinha colocado como regra “principal” Ele seu Filho, como o caminho e Salvação que nos leva até Ele o Pai. E que portanto isso seria mais “importante” que saber os seus títulos ou Nomes ou até mesmo o seu verdadeiro Nome. E aproveitando isso com base, gostaria de fazer então
    uma pergunta senhor Queruvim, em um pequeno exemplo;

    Seria realmente “IMPORTANTE” de fato para uma pessoa em seu leito de morte, Ela saber a pronuncia “EXATA” ou “TANTO FAZ” do Nome de Deus, ou ela saber exatamente quem é o Salvador que Deus enviou para Salva-la na quele “EXATO” momento de sua partida. E ai, seria ou não, SIM ou NÃO?
    Fica ai à seu critério, blz!

    Outro ponto que tbm quero deixar esclarecido, não que talvez vc esteja pensando isso de mim, mas só pra ficar claro, Eu não afirmo em hipótese alguma que vcs TJs Não tem como base de Salvação o Messias, e que portanto seria prudente aceita-lo como tal, isso seria um absurdo visto pelo que já li sobre vcs!

    Quero tbm deixar destacado aqui, que não defendendo denominação algum, seja Evangélicos com seu costumes e preceitos católicos entre outros, e é claro que não vou puxar a sardinha tbm pra vcs tanto assim, Mas…não que seja isso importante pra vc, mas vejo que os TJs tem sido realmente uma das mais fieis. Mas que não me detenho em analisar tanto assim os seus exemplos, e de outros seja lá de mocinhos ou de bandidos Cristãos, mesmo porque cada um sabem o “Bem” que deve fazer e, se não faz, Ele mesmo irá analisar isso td em em julgamento com certeza.

    Bem, mas vamos ver o que mais vc destacou “O Messias deu a conhecer seu Nome né!” (João 17:6)

    Mas como se da isso se no capitulo INTEIRO em que vc extraiu esse versículo, Ele se quer menciona uma única vez a palavra “Jeová” ou qual quer outro nome, E pior ainda, Ele NUNCA mencionou em canto algum das escrituras que o Nome de Deus fosse Jeová!, mas que muitas vezes o chamou de que mesmo? de…!
    “PAI”

    E só no capitulo em que vc extraiu esse versículo Ele o chama 5 vezes de PAI!, Então onde nas escrituras que Ele nos fez conhecer seu Nome sendo "Jeová"? 
    

    Isaías 42:8 Está se referido a uma época em que Elias sabia realmente de fato o seu Nome, “mas ele sabia, lá em sua época”, Hoje, eu duvido se o que ele ouviu de fato da parte de Deus era realmente a palavra “Jeová”.

    E a propósito eu presto muita ATENÇÃO no que dizem as nas ESCRITURAS SAGRADAS, mas nas ESCRITURAS não as Bíblias de homens que existem por ai a fora.

    Curtir

  • Queruvim  On 17 de setembro de 2016 at 21:52

    O leitor Mario Silva afirmou em seu último post:

    “como eu já tinha dito em outras linhas, esse nome[i.e Jeová] não é o seu verdadeiro.”

    Mario, o Nome Jeová é uma representação correspondente à transliteração e vocalização hebraica Yehwáh escolhida pelos judeus do 6º século em diante ao produzirem o texto massorético hebraico na região de Tibérias. Todos os mais respeitados textos da Bíblia Hebraica empregam esta vocalização. Jamais Javé ou algo assim. Não se pode exigir uma pronúncia exata, até porque há letras em hebraico que não existem em português nem em Inglês. Tampouco seus sons existem. O que há no caso do Nome Jeová é uma representação universalmente aceita. Assim como a palavra “Jerusalém” evidentemente é o nome correto quando se referimos a antiga Ierushalaim, Jeová também é uma representação aportuguesada correspondente ao Nome Yehováh. Não vejo você lutando com a mesma teimosia em defender uma reformulação dos milhares de léxicos/ Dicionários e seus nomes do VT sob a alegação de que “não são o mesmo nome”. Já escrevi muitas vezes nas páginas deste blog que o nome de Maria, a Mãe de Jesus, era pronunciado originalmente Miriam, e nunca ví alguém defender que Maria “não é o verdadeiro nome/vocalização” do nome da mãe de Jesus, somente porque é uma forma aportuguesada deste nome! Vê se coloca nessa cachola o seguinte entendimento…os Apóstolos ao escreverem o NT não empregaram a mesmíssima pronúncia dos nomes do AT. E eles foram inspirados por Deus e movidos pelo espírito santo para escreverem o NT! Discutiria com eles também? Você por inferência, questiona a visão dos homens de Deus inspirados, em sua teimosia infinita e em sua opinião sem conhecimento. Você é tão teimoso que cita nossas palavras, reconhecendo que “não se pode afirmar com certeza qual era a pronúncia original” do Nome de Deus, mas ao mesmo tempo afirma que “Jeová” não é a pronúncia original. Como sabe se não era esta realmente a pronúncia original?

    A forma Jeová já está associada ao Nome do Deus do Antigo Israel. E assim continuará. Não pode mais ser suplantada pelos conspiracionistas.

    Ao ensinar a oração do Pai nosso a primeira e mais importante atenção deve ser dada à Santificação do Nome de Deus.Remover o Nome ou deixar de usar sob o pretexto de não se pronunciar “o original” é ir de encontro com a “santificação do Nome”. Como te mostrei, a Bíblia diz que este Nome é “Jeová” tanto no texto de Isaías 42:8 como milhares de outros textos. Por exemplo Ezequiel 38:23 que diz que o Nome que será santificado é o Nome Jeová. A Tradução João Ferreira de Almeida na versão de 1995 apresenta a forma “Jeová” no Salmo 83:18 e se refere a Ele como sendo o “Altíssimo sobre toda a Terra”. Será que os editores desta versão erraram também? Seu modo de pensar é neste sentido, o de remover o Nome e usar qualquer outro nome ou simplesmente deixar de usar o Nome de Deus. Está mais do que explicado que a pronúncia exata não é importante, mas sim o emprego do Nome seja qual for a pronúncia em qualquer idioma. Até mesmo o nome Jesus não pode ser pronunciado em diversos países, pois há uma consoante hebraica no nome Yeshua` que não é pronunciada corretamente na maioria dos idiomas modernos. Estou falando da letra ע (Ayin). Ela tem sim senhor um som tipicamente semítico e que só pronunciam os que sabem realmente hebraico. Não existe correspondência nem em caractere nem ou sons em nossa língua. Até hoje não vi um pastor sequer, defensor do movimento do Nome Sagrado e outros com suas teorias malucas da letra J falarem o nome “Jesus” em hebraico do jeito que deve ser pronunciado. Há bons professores de hebraico que sequer sabem pronunciar. Não vejo vc nesta teimosia infinita pela exatidão e originalidade de nomes insistir que o nome de Jesus também está errado. E se pensa assim, é um direito seu, mas dá um tempo. Vá postar este tipo de desinformação em outras páginas da internet. Na verdade, sua birra não é a favor de uma reforma geral, o que resultaria na mudança de milhares de nomes de pessoas e cidades mencionados na Bíblia, mas é uma oposição ao Nome de Deus. Sem perceber, lutas contra o uso do Nome de Deus. Queres apagar este Nome e se possível jamais vê-lo nas traduções da Bíblia Sagrada. Não entende e nem aceita o fato que repeti diversas vezes, a saber, os primitivos cristãos e os escritores inspirados USAVAM O NOME SEM RESERVAS. Este paralelo, não se encontra em lugar algum a não ser no meio das Testemunhas de Jeová. Até mesmo os judeus deixaram de usar o Nome. Mas estes últimos não foram tão longe ao ponto de remover o Nome dos textos num todo. Apenas evitam pronunciá-lo.

    Sua afirmação equivocada de que Jesus usava apenas a palavra PAI ou algo assim apenas revela usa oposição ao Nome. Sua vontade insana de apagar o Nome que mais ocorre no texto bíblico inspirado depõe contra ti.

    Jesus cantou os Salmos de Hillel na noite anterior a sua morte junto com os Apóstolos. Nestes Salmos o Nome de Deus é amplamente citado. Lemos ali:

    הַלְלוּ-יָהּ:
    הַלְלוּ, עַבְדֵי יְהוָה; הַלְלוּ, אֶת-שֵׁם יְהוָה. 1

    ב יְהִי שֵׁם יְהוָה מְבֹרָךְ– מֵעַתָּה, וְעַד-עוֹלָם. 2
    ג מִמִּזְרַח-שֶׁמֶשׁ עַד-מְבוֹאוֹ– מְהֻלָּל, שֵׁם יְהוָה. 3
    ד רָם עַל-כָּל-גּוֹיִם יְהוָה; עַל הַשָּׁמַיִם כְּבוֹדוֹ. 4
    ה מִי, כַּיהוָה אֱלֹהֵינוּ– הַמַּגְבִּיהִי לָשָׁבֶת

    Louvem a Jah!*
    Deem louvor a ele, servos de Jeová,
    Louvem o nome de Jeová.
    2 Seja louvado o nome de Jeová,
    Desde agora e para sempre.+
    3 Desde o nascente do sol até o poente,
    Seja louvado o nome de Jeová.
    4 Jeová está bem acima de todas as nações;
    Sua glória é mais elevada do que os céus.
    5 Quem é semelhante a Jeová, nosso Deus,
    Aquele que mora* nas alturas?

    Vai me dizer que Jesus falava “SENHOR” ao ler estas passagens? Desculpe, mas eu vejo em você um opositor do Nome. Simples assim.

    Você ainda afirmou:

    Seria realmente “IMPORTANTE” de fato para uma pessoa em seu leito de morte, Ela saber a pronuncia “EXATA” ou “TANTO FAZ” do Nome de Deus, ou ela saber exatamente quem é o Salvador que Deus enviou para Salva-la na quele “EXATO” momento de sua partida. E ai, seria ou não, SIM ou NÃO?

    No leito de morte não é hora de julgamento. É o que a pessoa fez durante sua vida inteira que será contado. A Bíblia fala em “obras de arrependimento”. É raro que alguém seja agraciado com o favor, apenas no leito de morte. Ela pode usar o Nome de Deus quanto quiser na hora da morte, isso dificilmente lhe seria favorável. Jeová não se guia pelo sentimentalismo. 2 Tess. capítulo 1 verso do 6-10 mostra que “os que não conhecem a Deus”, ( o texto não está falando de Jesus neste caso) terão um julgamento desfavorável. Pode invocar o nome de Cristo a vontade, se ela ´não conhece` ao Verdadeiro Deus Jeová, é bem provável que sua destruição, na vinda de Cristo, estará assegurada.(Evidentemente se excetua aqueles que nunca tiveram oportunidade de saber o que é uma Bíblia) É o que acontecerá com a maioria dos chamados “cristãos” que não sabem a diferença entre Jesus e Jeová. Jesus é apenas o “caminho” mas o destino é Jeová Deus!

    Curtir

Comments in english allowed! Não serão permitidos comentários de opositores ou pessoas que querem debates sem fim. EVITE FUGIR DO TEMA DA PÁGINA OU FAZER flooding de informações. Isso é coisa de gente desonesta e que quer confundir. Discordar não é problema, mas fazer oposição com zombaria desrespeito e trollagem não são aceitos nesta página. Ao postar nesta página você estará concordando com isso! Não é permitido a participação de APÓSTATAS nos comentários desta página. Em outras palavras, críticas e discordâncias são aceitas e até mesmo postadas, mas não “espírito de oposição”. Isto se dá em vista do claro mandamento bíblico para que “os eviteis” Romanos 16:17.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s