Um desafio aos católicos e aos evangélicos! – Parte 1


Por Apologista da Verdade

FONTE: Este artigo foi escrito originalmente aqui

Prezado leitor:

Antes que você conclua algo negativo do tema desse artigo, antecipo que o desafio que será proposto é positivo e promove maior conhecimento da Bíblia, independente de sua religião.

O desafio proposto é este:

Outras traduções vertem a palavra “virgindade” (qualidade) por “virgem” (pessoa), e aí começa a confusão. Para piorar a situação, algumas traduções acrescentam a palavra “filha” (que não ocorre no texto grego original), fazendo o texto rezar: “filha virgem”.

Em função disso, surgem traduções absurdas.

A matéria abaixo é uma republicação de parte do artigo As traduções da cristandade – parte 5:

 

Casar-se com a própria filha?

“Entretanto, se alguém julga que trata sem decoro a sua filha, estando já a passar-lhe a flor da idade, e as circunstâncias o exigem, faça o que quiser. Não peca; que se casem.” – 1 Cor. 7:36, Almeida Atualizada.

O texto isolado, nessa tradução, menciona duas pessoas – o pai e sua filha –, e no final recomenda: “Que se casem.” Isoladamente, tal tradução está recomendando o incesto!

A continuação do texto nessa versão segue outro caminho – igualmente absurdo. Observe:

“Todavia, o que está firme em seu coração, não tendo necessidade, mas domínio sobre o seu próprio arbítrio, e isto bem firmado no seu ânimo, para conservar virgem a sua filha, bem fará. E, assim, quem casa a sua filha virgem faz bem; quem não a casa faz melhor.” – 1 Cor. 7:37, 38, Almeida Atualizada.

Tal maneira de traduzir adota uma posição altamente machista e insensata: propõe que um homem sem necessidade de ter uma esposa deve também manter a sua filha sem se casar! E ainda acrescenta que tal decisão é a “melhor”.

Vendo que tal modo de verter o texto é simplesmente inadmissível, algumas traduções traçam outro enfoque. Veja abaixo:

“Aos que ficaram noivos, mas resolveram não casar mais, eu digo o seguinte: se o rapaz sente que assim não está agindo certo com a sua noiva e acha que a sua paixão por ela ainda é muito forte e que devem casar, então que casem. Não existe pecado nisso. Mas se, pelo contrário, o rapaz não se sente na obrigação de casar, se está mesmo resolvido a ficar solteiro e se é capaz de dominar a sua vontade e já resolveu o que deve fazer, então faz bem em não casar com a moça. Assim quem casa faz bem, mas quem não casa faz melhor ainda.” – 1 Cor. 7:36-38, Nova Tradução na Linguagem de Hoje.

Estaria o apóstolo Paulo incentivando o rompimento do noivado, algo tão sério mesmo no pacto da Lei mosaica? (Gên. 19:14; Mat. 1:19) É o que tais traduções estão afirmando. Pior ainda: segundo tais traduções, Paulo estaria dando apenas ao noivo o direito de cancelar o compromisso, e ainda por motivos absurdos!

E os absurdos não param por aí. A Bíblia de Jerusalém fala de o noivo, ao invés de casar-se com a noiva, decidir ‘deixá-la permanecer como sua noiva’! Em outras palavras, ele nem se casa nem cancela o noivado. É um noivado vitalício!

E a Edição Pastoral traduz de modo a afirmar que o noivo deixar de casar-se equivale a “respeitar a noiva”. Parece não haver palavras para descrever tantos disparates!

Toda essa confusão poderia ter sido evitada se os tradutores atentassem para o fato de que a palavra grega par·thé·nos, além de “virgem”, significa também o estado de virgindade.[1] Assim, a Tradução do Novo Mundo verte com exímia precisão:

“Mas, se alguém pensa que se está comportando de modo impróprio para com a sua virgindade, se esta estiver além da flor da juventude, e este é o modo em que deve ocorrer, faça ele o que quiser; ele não peca. Casem-se. Mas, se alguém estiver resolvido no seu coração, não tendo necessidade, mas tiver autoridade sobre a sua própria vontade e tiver feito esta decisão no seu próprio coração, de manter a sua própria virgindade, ele fará bem. Consequentemente, também faz bem aquele que der a sua virgindade em casamento, mas, aquele que não a der em casamento fará melhor.” – 1 Cor. 7:36-38.

Paulo, sob inspiração, estava simplesmente incentivando o estado de solteiro para a melhor promoção dos interesses espirituais.

Agora, o desafio está lançado: você será capaz de encontrar uma tradução da Bíblia (em qualquer idioma) que verta essa passagem (1 Coríntios 7:36-38) de forma coerente, que não promova o machismo e muito menos o incesto?


Um desafio aos católicos e aos evangélicos! – Parte 1

Um desafio aos católicos e aos evangélicos! – Parte 2

Um desafio aos católicos e aos evangélicos! – Parte 3

Um desafio aos católicos e aos evangélicos! – Parte 4

Um desafio aos católicos e aos evangélicos! – Parte 5 (Final)

RESPOSTA A UMA CONTESTAÇÃO DOS ARTIGOS ACIMA (aprofundamento) 

Anúncios
Both comments and trackbacks are currently closed.