A Batalha contra o Nome de Deus continua – CUIDADO COM OS EMBUSTEIROS


críticos da TNM Recebi certo e-mail onde o leitor achou material enganoso publicado por pessoas que fazem pesquisas tentando enganar. Movidas por ódio fazem pesquisas enganosas que contém deturpações com aparência de conhecimento de supostos  “originais” da Bíblia . CUIDADO com este tipo de material.  Observe até que ponto vão os opositores. Visto que este site, se compromete em fazer defesa linguística da Tradução do Novo Mundo , decidi  expor a enganação dos que batalham contra o Nome de Deus.  Analise o argumento deles abaixo, começaram citando um texto na Tradução do Novo Mundo que reza:

“Que observa o dia, observa-o para Jeová. Também o que come, come-o para Jeová, pois dá graças a Deus; e o que não o come, não come-o para Jeová, porém dá graças a Deus. Nenhum de nós, de fato, vive somente para si mesmo, e ninguém morre somente para si mesmo, pois se vivemos, vivemos para Jeová, assim como se morremos, morremos para Jeová. Conseqüentemente, quer vivamos quer morramos, pertencemos a Jeová. Pois com este fim morreu Cristo e voltou a viver para ser senhor tanto sobre os mortos como sobre os vivos”. Rom. 14:6-9

Em seguida o autor do texto tentando desacreditar a TNM faz o seguinte comentário:

“Neste texto, a chave se encontra no versículo 9, onde se diz que a morte e ressurreição constituiu Cristo como “senhor dos vivos e dos mortos”. A última palavra (o verbo “kyrieuse”) deriva do substantivo “Kyrios”, que significa “Senhor”. São Paulo emprega constantemente esta palavra para se referir a Cristo: “Cristo é o Senhor”. Neste versículo, que é o mais importante, estão de acordo o texto grego, a versão interlinear, a versão da direita e a versão espanhola. Porém, devemos prestar atenção aos versículos anteriores… Aparece seis vezes a palavra “Kyrios”, que na versão interlinear se traduz corretamente por “lord”, isto é, “senhor”. À direita, porém, encontramos tal palavra traduzida por “Jeová”. No texto original encontramos uma sucessão lógica de idéias: “Comemos para o Senhor, vivemos para o Senhor, morremos para o Senhor, pertencemos totalmente ao Senhor porque Cristo morreu e ressuscitou para ser Senhor”. Essa lógica é interrompida se traduzimos que “Comemos para Jeová, vivemos para Jeová, morremos para Jeová, pertencemos totalmente a Jeová porque Cristo morreu e ressuscitou para ser Senhor”. A mesma deturpação encontramos em Lucas 1,43-46, quando lemos na Tradução do Novo Mundo: “‘Pois a quem se deve que eu tenha este [privilégio] de que me venha a Mãe de meu Senhor?… haverá uma completa realização das coisas que lhe foram faladas da parte de Jeová‘… Maria disse: ‘Minha alma engrandece Jeová‘”. As três palavras grifadas correspondem, em grego, à palavra “Kyrios”, ou seja, “Señor”.

Certo leitor ao ver tais argumentos em um site crítico da Tradução do Novo Mundo, me enviou um e-mail procurando saber o que penso a respeito. Minha resposta foi: “Simples, não existe nenhum manuscrito “original” da Bíblia.  Só isso desmonta toda a articulação desta tese anti Testemunha de Jeová. Eles deviam estar mais preocupados com a remoção do Nome no chamado VT em suas versões da Bíblia. São hipócritas ao criticarem a TNM e apoiarem a remoção do Nome (quase 7000 vezes),  não somente no V.T como no N.T em passagens que citam o V.T”. O leitor me enviou então a seguinte frase:

” [ Os críticos da TNM…] fazem muito barulho ao falarem que a TNM adiciona o nome no NT, mas quando a bíblia deles remove o nome do AT, eles não fazem esse estardalhaço.”

Vale mencionar ainda outras considerações a respeito do texto acima escrito pelo crítico da TNM. Como deve observar ele contém muitos erros por ser aparentemente um tradução do Google colada às pressas sem revisão. Fala do texto grego que temos hoje na Interlinear como se fossem os “originais” da Bíblia, quando são na verdade cópias. De fato, os manuscritos originais da Bíblia, escritos pelos Apóstolos eram feitos de materiais perecíveis, tais como o couro e o papiro. Com o tempo, estes se decomporam e foram substituídos por cópias. Os autógrafos ou originais em grego  não existem mais. Portanto, a afirmação de que “nos originais ocorre a palavra KYRIOS ou “Senhor” é falsa. Ademais, como sabemos todos os escritores da Bíblia Sagrada eram judeus. Estes usavam o Nome de Deus sem restrição. Foi somente com o tempo que pararam de usar o Nome de Deus, JEOVÁ e o substituíram oralmente por palavras ou frases tais como HA SHEM (O Nome) ETERNO e ADONAY. Ainda assim, os judeus não fizeram o desfavor de remover o Nome de Deus de suas cópias da Bíblia. Algo que os tradutores tanto católicos como evangélicos fazem sempre. Não há dúvida de que o Nome de Deus era amplamente usado pelos primitivos escritores inspirados. Os apóstolos empregavam o Nome de Deus em seus escritos. Existem textos antigos ainda preservados que são parte do chamado V.T traduzidos para o grego (a chamada Septuaginta Grega) que contém o Nome de Deus. Paulo e outros apóstolos usavam a Septuaginta (LXX) quando escreviam o N.T, de forma que quando citavam o V.T obviamente empregavam o Nome de Deus. O Nome aparece milhares de vezes nos manuscritos em hebraico do chamado “Velho Testamento”.   A medida que o tempo passou, os tradutores da Bíblia fossem eles católicos ou evangélicos, na maioria dos casos, decidiram por remover o Nome de Deus de suas Bíblias. Isto causou uma confusão entre o Senhor Jeová e o Senhor Jesus, pavimentando o caminho para a também posterior doutrina da trindade, que não aparece na Bíblia. Não existe nenhum verso das Escrituras que falam de 3 pessoas em um só Deus. E se ler algo assim, pode ter certeza que é uma adulteração de verdade! Portanto, antes de atacar a Tradução do Novo Mundo acusando-a de “deturpar” a Bíblia, estes críticos deveriam notar que há textos em suas próprias versões prediletas, (ex.: 1 João 5:7)  que não são nem controversos, ou seja, todos sabem que não são parte da Bíblia e que foram adulterações posteriores. Certo leitor desta página propôs as seguintes perguntas ao crítico da TNM em Romanos 14:6-9:   Em segundo momento, gostaria de expor que tenho visto situações em que, se formos seguir a linha de raciocínio do questionador, então como poderíamos considerar o trecho abaixo, retirado do relato de 1 Samuel 1:25-28?

 
“…e trouxeram o menino a Eli.
E disse ela: Ah, meu senhor, viva a tua alma, meu senhor; eu sou aquela mulher que aqui esteve contigo, para orar ao SENHOR.
Por este menino orava eu; e o Senhor atendeu à minha petição, que eu lhe tinha feito.
Por isso também ao Senhor eu o entreguei, por todos os dias que viver, pois ao Senhor foi pedido. E adorou ali ao Senhor.”


Perguntas:
 
Como definir quem é o senhor citado várias vezes no referido texto?
 
Qual saber a quem se dirige o termo “senhor” em cada uma das ocorrências, além do uso de maiúsculas (colocadas pelo tradutor)?
 
A qual senhor Ana orou? O SENHOR com letras maiúsculas ou o Senhor do final do texto????
Qual senhor atendeu?
A qual deles Ana entregou seu filho?
A qual foi o menino pedido?
 
E a qual deles Ana adorou?”
O comentário acima, feita pelo leitor desta página, chamado Alex foi muito apropriado. Ele ainda me indagou se há uma diferença entre KYRIOS  e a palavra que ocorre no texto no verso 9. Respondendo a indagação dele e ao mesmo tempo a afirmação enganosa feita no início deste artigo pelo crítico da TNM,  a palavra grega kyrieuse  citada significa literalmente “ser Amo ou Senhor” , “Ter autoridade ou domínio sobre algo ou alguém” STRONG 2961. É empregada referente a outros que não o Deus Todo Poderoso, como dá a entender de modo distorcido e tendencioso o crítico. Isso pode ser confirmado ao lermos textos como Lucas 22:25 onde lemos que “os reis das nações dominam (κυριεύουσιν) sobre elas“. É o mesmo verbo grego empregado em Romanos 14:9. Em Romanos 6:9 também ao se referir à morte, que não mais “domina” sobre Jesus. Romanos 6:14 diz que “o pecado não deve dominar” ou “exercer autoridade” sobre nós e emprega o mesmo verbo κυριεύσει. A lei  “domina” ( κυριεύει ) sobre as pessoas (Rom 7:1). E por fim Paulo em 2 Cor 1:24 emprega o mesmo verbo grego ao falar que “não somos amos” ou “donos” da vossa fé”. Portanto, tal termo grego é aplicado amplamente e não representa nenhuma terminologia especificamente cristológica.

O Nome de Deus no Novo Testamento

Debate sobre se o Nome de Deus deve ser empregado no N.T

Material sobre o assunto na página OFICIAL DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ

Ainda sobre o tema acima, o leitor Saga fez o seguinte comentário:

“Que observa o dia, observa-o para Jeová. Também o que come, come-o para Jeová, pois dá graças A DEUS; e o que não o come, não come-o para Jeová, porém dá graças A DEUS. Nenhum de nós, de fato, vive somente para si mesmo, e ninguém morre somente para si mesmo, pois se vivemos, vivemos para Jeová, assim como se morremos, morremos para Jeová. Conseqüentemente, quer vivamos quer morramos, pertencemos a Jeová. Pois com este fim morreu Cristo e voltou a viver para ser senhor tanto sobre os mortos como sobre os vivos”. Rom. 14:6-9

(ROMANOS 14)

 1 Acolhei o [ homem ] que tem fraquezas na [ sua ] fé, mas não para fazer decisões sobre questões subjetivas. 2 Um [ homem ] tem fé para comer de tudo, mas o [ homem ] que é fraco come hortaliças. 3 Quem come não menospreze ao que não come, e quem não come não julgue aquele que come, pois DEUS tem acolhido a esse.
4 Quem és tu para julgares o servo doméstico de outro? Para o seu próprio amo está em pé ou cai. Deveras, far-se-á que ele fique em pé, pois Jeová pode fazê-lo ficar em pé.
5 Um [ homem ] julga um dia como superior a outro; outro [ homem ] julga um dia como todos os outros; esteja cada [ homem ] plenamente convencido na sua própria mente. 6 Quem observa o dia, observa-o para com Jeová. Também, quem come, come para com Jeová, pois dá graças A DEUS; e aquele que não come, não come para com Jeová, contudo, dá graças A DEUS. 7 Nenhum de nós, de fato, vive somente para si mesmo, e ninguém morre somente para si mesmo; 8 pois, quer vivamos, vivemos para Jeová, quer morramos, morremos para Jeová. Portanto, quer vivamos quer morramos, pertencemos a Jeová.
9 Pois, para este fim MORREU Cristo e passou a viver novamente, para que fosse SENHOR tanto SOBRE MORTOS como [ sobre ] viventes.
10 Mas, por que julgas tu o teu irmão? Ou, por que menosprezas também o teu irmão? Porque nós todos ficaremos postados diante da cadeira de juiz DE DEUS; 11 pois está escrito: “‘Por minha vida’, diz Jeová, ‘todo joelho se dobrará diante de mim e toda língua reconhecerá abertamente A DEUS’. ” 12 Assim, pois, cada um de nós prestará contas de si mesmo A DEUS.
 13 Portanto, não nos julguemos mais uns aos outros, mas, antes, tomai esta decisão, de não pordes diante dum irmão uma pedra de tropeço ou uma causa para cair. 14 Sei e estou persuadido no Senhor Jesus que nada é aviltado em si mesmo; somente quando um homem considera algo como aviltado, para ele é aviltado.
 15 Porque, se teu irmão, por causa do alimento, está sendo contristado, não estás mais andando de acordo com o amor. Não arruínes pela tua comida aquele pelo qual Cristo morreu. 16 Portanto, não deixeis que se fale com dano para vós do bem que fazeis. 17 Pois o reino DE DEUS não significa comer e beber, mas [ significa ] justiça, e paz, e alegria com espírito santo. 18 Pois, quem neste sentido TRABALHAR COMO ESCRAVO PARA CRISTO, É ACEITÁVEL A DEUS e tem aprovação da parte dos homens.
19 Assim, pois, empenhemo-nos pelas coisas que produzem paz e pelas coisas que são para a edificação mútua. 20 Parai de demolir a obra DE DEUS só por causa do alimento. Verdadeiramente, todas as coisas são limpas, mas é prejudicial para o homem que come com motivo para tropeço. 21 É bom não comer carne, nem beber vinho, nem fazer algo que faça teu irmão tropeçar.
22 A fé que tens, tem-na de acordo contigo mesmo à vista DE DEUS. Feliz é o homem que não se põe a si mesmo em julgamento por aquilo que ele aprova.
23 Mas, se tiver dúvidas, já está condenado, se comer, porque não [ come ] em fé. Deveras, tudo o que não vem da fé é pecado.

1- O apóstolo Paulo faz distinções óbvias entre quem é Deus e quem é Cristo, ele cita ambos, mas não como se fossem o mesmo personagem, Deus (Theos) é mencionado no 14:3, 6, 6, 10, 11, 12, 17, 18, 20 e 22; Jesus Cristo é mencionado diretamente no 14:9, 14, 15 e 18.  Estaria Paulo aqui usando menções intercambiadas referentes ao mesmo Senhor (Kyrios) como Cristo e Deus?  Não, leiam o 14:18 que diz que “TRABALHAR COMO ESCRAVO PARA CRISTO, É ACEITÁVEL A DEUS e tem aprovação da parte dos homens”. Isso mostra que Paulo não tem nenhuma intenção que misturemos a identidade de Deus com a de Cristo.

2- A TNM usa Jeová em 14:6, pois o verso mostra estar falando de Deus: “Quem observa o dia, observa-o para com Jeová. Também, quem come, come para com Jeová, pois dá graças A DEUS; e aquele que não come, não come para com Jeová, contudo, dá graças A DEUS”

3- Já em 14:9 a TNM não usa Jeová e nem poderia, a referência é o título de um senhor que domina sobre os vivos e os mortos, com o termo usado se referindo a dominação de um amo sobre seus servos e não ao nome divino. Ou alguém está propondo que Jesus morreu e ressuscitou `Para ser Jeová sobre os mortos e sobre os vivos`? Absurdo que alguém morra para “ser Jeová”, ou ´Jeová ou não é, ninguém pode vir a ser Jeová, Jeová já é e sempre será, agora e desde toda a eternidade, amém. Jeová também não pode morrer e sendo assim não necessita de ser levantado. É absurdo que alguém peça ou exija que a TNM usasse Jeová aqui! Isso é sinal de uma ignorância bíblica profunda, o desespero fanático e fundamentalista de ver impor a Trindade fazendo mal a sanidade das pessoas.

Repetindo:
1- O autor deste capitulo não crê que Deus seja Cristo
2- Romanos 14:6 fala de Deus, portanto de Jeová.
3- Romanos 14:9 não fala de Deus, que sendo imortal e eterno não morre e nem ressuscita, a referência não é ao nome divino de Jeová e sim ao cargo de ser senhor dominando sobre alguém.

Por fim, a pessoa que é trinitarista ainda tentará mais um argumento perguntando: “Mas então como pode dizer que pertencemos a Jeová se o nosso senhor é Cristo?”

Para quem conhece a Bíblia Sagrada a resposta é fácil, está em:

(2 Pedro 2:1) “O dono que os comprou” (Apocalipse 5:9) Porque foste morto e com o teu sangue COMPRASTE pessoas PARA DEUS.

Com sua morte Jesus se tornou o Amo, Dono ou Senhor que comprou pessoas com seu sangue, pessoas estas que ele comprou PARA JEOVÁ. Não existindo assim nenhum mistério, contradição ou dificuldade neste assunto.  Inclusive se ele mesmo fosse Deus as palavras estariam sem sentido, teríamos a risível situação de Deus comprando pessoas para outro Deus que não é ele mesmo, o que não cabe nesta passagem.

A mesma deturpação encontramos em Lucas 1,43-46, quando lemos na Tradução do Novo Mundo: “‘Pois a quem se deve que eu tenha este [privilégio] de que me venha a Mãe de meu Senhor?… haverá uma completa realização das coisas que lhe foram faladas da parte de Jeová‘… Maria disse: ‘Minha alma engrandece Jeová‘”.

Deturpação?
O nosso caluniador quer insinuar que Isabel (Elisabete) disse que Maria era `a mãe de Jeová` [sic], vejam bem, enquanto que na passagem bíblica anterior nosso caluniador trinitário veio com a blasfêmia herética de que Jeová `morreu` [sic], aqui ele vem com uma tão absurda quanto que é a de dizer que Jeová tem `mãe`!!!  Não preciso dizer que os dois casos iriam contra a famosa “doutrina das duas naturezas”, que foi criada justamente para prevenir situações desse tipo onde se atribuem características de limitações humanas a Deus, neste caso nascimento e morte.

Vejamos o texto:

(LUCAS 1)
41 Pois bem, quando Elisabete ouviu o cumprimento de Maria, pulou a criança na sua madre; e Elisabete ficou cheia de espírito santo, 42 e exclamou com um alto grito e disse: “Abençoada és tu entre as mulheres e abençoado é o fruto de tua madre! 43 Como é então que tenho este [ privilégio ], de vir a mim a mãe de meu Senhor? 44 Pois, eis que assim que o som de teu cumprimento chegou aos meus ouvidos, a criança na minha madre pulou de regozijo. 45 Feliz também é aquela que acreditou, porque haverá uma completa realização das coisas que lhe foram faladas da parte de Jeová. ”
46 E Maria disse: “Minha alma magnifica a Jeová 47 e meu espírito não pode deixar de estar cheio de alegria por Deus, meu Salvador; 48 pois ele tem olhado para a situação humilde de sua escrava. Porque, eis que doravante todas as gerações me proclamarão feliz; 49 visto que o Poderoso tem feito grandes ações para comigo, e santo é o seu nome; 50 e sua misericórdia é de geração em geração sobre os que o temem. 51 Ele tem agido valorosamente com o seu braço, tem espalhado os que são soberbos na intenção dos seus corações. 52 Tem derrubado de tronos homens de poder e tem enaltecido humildes; 53 tem plenamente saciado os famintos com coisas boas e tem mandado embora, de mãos vazias, os que tinham riqueza. 54 Ele tem vindo em socorro de Israel, seu servo, para fazer lembrar a misericórdia, 55 assim como disse aos nossos antepassados, a Abraão e a seu descendente, para sempre. ”

No 1:43, a “santa Isabel” está falando sobre a criança que Maria carregava no ventre e que seria o rei de todo Israel, portando o seu “Senhor”, seria até engraçado que ela do nada tivesse deduzido que a criança era o próprio Deus,  ou seja, mesmo que Jesus de fato fosse Deus, não existe motivo algum para imaginar que Isabel pensasse isso, lembrando que o dogma da Trindade ainda não tinha sido formulado e todos aqui eram judeus estritamente monoteístas fundados no unidade de Deus expressa na Shemá, ate hoje se vê como é difícil fazer um judeu aceitar a ideia de uma encarnação, maternidade divina e pior ainda, de uma Trindade, não era menos difícil na Palestina do século I d.C !!! Interessante que Isabel não expressou gratidão pelo privilégio de vir a ela “NOSSA SENHORA” e sim a “mãe de meu Senhor”.

No 1:45 ela está falando de Deus e não da criança de Maria, ela está se referindo as coisas que foram faladas através dos profetas nas Escrituras por JEOVÁ, por isso a TNM apropriadamente repõe o nome divino num lugar apropriado.

No 1:46-55 Maria está dedicando um poema a Deus e não a sua criança. Afinal ela diz: ““Minha alma magnifica a Jeová e meu espírito não pode deixar de estar cheio de alegria por Deus, meu Salvador” (Lucas 1:46,47), sobre este Deus ela chega a dizer “santo é o seu nome” (Lucas 1:49), seu poema é totalmente bíblico e várias frases podem ser postas em paralelos com louvores a Jeová no Velho Testamento.

Mas será que esta parte do evangelho não quer nos ensinar que Jeová seria a criança por nascer?

(Lucas 1:5-9)
5 Nos dias de Herodes, rei da Judéia, havia certo sacerdote, de nome Zacarias, da turma de Abias, e ele tinha por esposa [ uma ] das filhas de Arão, e o nome dela era Elisabete. 6 Ambos eram justos diante de Deus por andarem inculpes de acordo com todos os mandamentos e exigências legais de Jeová. 7 Mas não tinham filho, porque Elisabete era estéril e ambos já estavam bem avançados em anos. 8 Ora, atuando ele perante Deus como sacerdote na designação de sua divisão, 9 segundo a prática solene do cargo sacerdotal, chegou a sua vez para oferecer incenso ao entrar no santuário de Jeová

Justos diante de Deus, Zacarias (que significa “Lembrado por Jeová”) atuava como sacerdote perante Deus e foi oferecer incenso no santuário de Jeová.

(Lucas 1:11-25) Fala que veio a Zacarias o Anjo de Jeová, que lhe disse que Isabel seria mãe de João Batista e que este seria grande diante de Jeová e cheio de espírito santo retornando muitos israelitas ao seu Deus, Jeová; João irá adiante com o espírito de Elias para aprontar um povo para Jeová. O anjo de Jeová diz que é Gabriel que está a postos diante de Deus e por fim Isabel diz que Jeová lhe deu atenção para tirar seu vitupério.

Jeová é descrito como sendo Deus, mas não como sendo Jesus Cristo e nem como o espírito santo que é descrito em separado. E continua…

(Lucas 1:26-38) Deus enviou Gabriel, o anjo de Jeová a uma virgem de Nazaré chamada Maria. Chegando lá ele a cumprimenta dizendo que “Jeová é contigo” e que ela “achou favor diante de Deus” e terá um filho que chamará de Jesus (que significa Jeová É Salvação), sobre Jesus Gabriel diz que: “Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo; e Jeová Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai” (Lucas 1:32). Percebam que ele não diz que Jesus é o Altíssimo, Jeová Deus, mas que Jesus seria filho do Deus Altíssimo,  Jeová. Afinal diz o Salmo 83:18: “Somente tu cujo nome é Jeová, és o Altíssimo”. O anjo faz outra menção do “espírito santo”, mas não como sendo Jeová e sim fazendo um paralelismo dele com “o poder do Altíssimo” que virá sobre Maria a encobrindo, por fim finaliza dizendo que o menino será o Filho de Deus, que Isabel também está grávida e que para Deus nada é impossível, no que Maria consente dizendo que é uma serva de Jeová.

(Lucas 1:57-80) Isabel, a quem Jeová magnificou sua misericórdia, deu a luz a João Batista, Zacarias bendisse a Deus, a mão de Jeová estava sobre o menino. Cheio de espírito santo Zacarias profetiza que o Deus de Israel, cujo nome é Jeová voltou atenção ao seu povo, ele disse: “Bendito seja Jeová, o Deus de Israel, porque voltou a sua atenção e realizou livramento para com seu povo. E ele nos suscitou um chifre de salvação na casa de Davi, seu servo, assim como ele, pela boca de seus santos profetas da antiguidade, tem falado duma salvação” (Lucas 1:68-71). Vejam que Jeová suscitou um chifre de salvação na casa de Davi, e este chifre é o filho de Maria, Jesus, mais uma vez ficando claro que o filho da virgem não é o Deus de Israel mas foi suscitado por ele como “chifre de salvação”. Depois Zacarias fala que João Batista será “profeta do Altíssimo” que irá aprontar os caminhos de Jeová. para dar ao povo de Deus conhecimento da salvação por causa da terna compaixão de nosso Deus

Ou seja, dizer que em Lucas 1:43 Isabel estava falando que Maria seria “a mãe de meu Jeová” [sic] é estuprar o relato de Lucas, que não diz nada agradável ao trinitarismo que possa ser usado para dizer que o bebê na barriga de Maria é o próprio Jeová. Eles sim DETURPAM os relatos bíblicos, inclusive `meu Jeová` [sic] não existe, o que existe é “meu Senhor”, todos estes termos “nosso Jeová”, “meu Jeová” e “seu Jeová”, “teu Jeová” são todos antibíblicos!!! Quando estes pronomes aparecem devemos entender como se referindo ao titulo “Senhor” e não ao nome divino (YHWH), expressões como “meu Jeová” ou “nosso Jeová” suporia que existiriam outros Jeová [sic], o que é impossível pois Jeová é apenas um (Dt 6:4 – Marcos 12:29), já “nosso Senhor” e “meu Deus” são termo possíveis de serem empregados pois há muitos deuses e muitos senhores
(LEIAM 1 Coríntios 8:4-6).

O fato é que os trinitários querem usar de Romanos 14:6-9, Lucas 1:43-46 para ludibriar outras pessoas com com a ideia de que Jesus Cristo é o SENHOR Deus, o mesmo SENHOR que é citado 6.828 vezes no chamado Velho Testamento e veem seus planos arruinados com as leituras da TNM que distinguem o título de honra que exprime senhorio do nome divino pessoal de Jeová.

Both comments and trackbacks are currently closed.