Lucas 3:33 – “Arni” ou “Rão” foi antepassado de Cristo?


Certo crítico da TNM fez a seguinte afirmação:

“Em Lc 3:33, na TNM, ‘Lucas’ comete um erro grosseiro, colocando o fictício ‘Arni’ como sendo o pai de Aminadabe, ao mesmo tempo que coloca o também fictício ‘Arni’ como filho de Esrom, contrariando o AT, que diz:

“…e Rão tornou-se pai de Aminadabe”(Rt 4:19 TNM)… “e Esrom tornou-se pai de Rão”(RT 4:19 TNM). O “Lucas” da TNM não só se contradiz com o AT, mas também com o Mateus da TNM, que demonstra ter conhecimento do AT, afirmando:

“…Esrom tornou-se pai de Rão. Rão tornou-se pai de Aminadabe”(Mt 1:2-3 TNM).
Portanto, ‘Arni’ nunca existiu no AT, não sendo portanto nem pai de Aminadabe e nem filho de Esrom, pois o filho de Esrom era Rão, ao mesmo tempo que Aminadabe era filho de Rão. A STV está entoxicada do mesmo veneno das igrejas que endossaram o Texto Crítico de Westcott e Hort.”

São tais afirmações provenientes de um estudioso ou de um apedeuta?

Os defensores do texto RECEPTUS se valem de teologia e não crítica textual como combustível  para tais ataques ao texto WH. O autor das críticas não sabe que Arni é uma variante do equivalente grego do nome hebraico Rão. (Na Septuaginta grega é vertido Arã). Ao afirmar que “Arni é fictício” ele demonstra que está mais interessado em tentar achar erros e não em comparações textuais. Até porque seus textos preferidos (o texto receptus) apresenta o nome Arã. Nunca vi alguém afirmar que Arã é “fictício”.

Stephanus Textus Receptus 1550
τοῦ Ἀμιναδὰβ τοῦ Ἀράμ, τοῦ Ἑσρὼμ τοῦ Φάρες τοῦ Ἰούδα

Scrivener’s Textus Receptus 1894
τοῦ Ἀμιναδάβ, τοῦ Ἀράμ, τοῦ Ἑσρώμ, τοῦ Φαρές, τοῦ Ἰούδα,

A própria Almeida Corrigida e Revisada Fiel bem como a Almeida Revisada e Atualizada dizem “Arão [filho] de Esrom”

Diversas das  mais respeitadas versões em inglês optaram pela mesma opção de versão que a TNM exemplos : a NLT, ESV,ISV,NET BIBLE, God´s Word Translation, ASV, ERV, WNT. O número de versões em outros idiomas que verteram da mesma forma que a TNM fala por si.
A Encyclopedia Biblica Padrão Internacional (em Inglês) afirma que Arni era “ancestral de Jesus Cristo”( fonte ou source). Estão eles promovendo algo fictício? Uma nota da New Living Translation concorda com isso. “Arni e Aram são formas alternativas de escrever Ram”. O Dicionário da Bíblia Ilustrado de Zondervan diz debaixo do tópico Ram ( o mesmo que Rão): “Arni segue uma leitura variante” de Ram ou Rão. (fonte**)

O Dicionário da Bíblia de Smith na mesma linha de entendimento diz que Arni é “provavelmente um outro nome ou forma do nome Aram”. Aram é a forma grega do nome hebraico Ram. Como, então,  este crítico da Tradução do Novo mundo explica, a versão preferida dos protestantes, a Almeida em sua versão Almeida Atualizada? Os tradutores desta verteram Lucas 3:33 da seguinte forma:

“Nasom de Aminadabe, Aminadabe de Admim, Admim de Arni, Arni de Esrom, Esrom de Farés, Farés de Judá,” ALA on line

Fica claro que o crítico da TNM citado no início deste artigo, é quem está “intoxicado” com o ódio das Testemunhas de Jeová e de boa dose de falta de conhecimento. Portanto, infelizmente é ele quem comete um “erro grosseiro”. Não estudou o assunto. Sequer se deu ao trabalho de abrir outras versões da Bíblia e se apresenta como aparente entendido do assunto! De fato, o Manuscrito ou Códice Sinaítico datado como sendo do 4º século, foi extensamente usado para refinar e aprimorar o texto da Bíblia. Este manuscrito descoberto em 1859 por Constantin Von Tischendorf no Mosteiro de Santa Catarina no sopé do Monte Sinai, revelou que a base dos textos padrões provenientes do texto RECEPTUS continham algumas alterações posteriores. A Comissão de Tradução das Testemunhas de Jeová optaram pelo que é mais antigo e confiável. Algo básico em crítica textual. O Códice Sinaiticus apresenta o nome “Arni” em Lucas 3:33. As mais antigas “testemunhas textuais” deveria ser a preferência na escolha dos tradutores que afirmam que a Bíblia é a palavra de Deus.


Lecionamos Inglês também!

Anúncios
Both comments and trackbacks are currently closed.

Comentários

  • foxhound  On 11 fev 2015 at 19:20

    É por essas e outras que pessoas como eu leigo, em busca de obter sempre mais conhecimento fico impressionado com a honestidade e seriedade de nossa organização, algo que me faz cada vez mais ter absoluta certeza de que estou no lugar certo.
    Sei que posso confiar em qualquer novo entendimento, correção, aprimoramentos e o mais importante sem questionar.
    Muito bom o artigo Queruvim.

    Curtir

  • Alexei  On 12 fev 2015 at 11:45

    Uau!!! Excelente resposta Queruvim, estou maravilhado.
    Agora, como é que um cidadão desses, com falta de capacidade necessária se arroga como conhecedor das Escrituras se, conforme vimos, não consegue nem sequer fazer uma pesquisa simples como essa??? Até minha filha de 16 anos conseguiria fazer uma pesquisa mais detalhada que ele antes de sair criticando aleatoriamente. Eis aí um verdadeiro CATURRA (Jó 40:1,2)
    Pelo que parece a falta de capacidade é mais séria. Constitui-se uma deficiência moral, o que é muito mais preocupante!!!
    Espero que esse indivíduo tenha recebido a resposta e tenha aprendido. Talvez lhe sobrevenha um pouco mais de humildade ao tecer críticas sobre o que não lhe convêm.

    Curtir

  • ...  On 12 fev 2015 at 13:29

    Que lindo!!

    São essas coisas que eu não me conformo com a “Babí” (Babilônia), sabe. Olha a simplicidade da coisa: “”Arni é uma variante do equivalente grego do nome hebraico Rão””, daí cita-se as fontes. Acabou!!

    Ahh, tem horas que eu penso que o pessoal da Babí e os ‘aBóstatas’ deveriam fazer curso de PORTUGUÊS primeiro (interpretação de textos, etc).

    Eu tento não fazer comentários quando vejo esses tipos de posts, mas não aguento, é muita acefalia pra uma pessoa só.

    Ehh ‘aBostasia’, onde vais parar??

    🙂

    Curtir

  • foxhound  On 12 fev 2015 at 14:23

    Kkk muito boa.

    Curtir

  • Nilson Rocha  On 12 fev 2015 at 14:28

    Poxa sinto-me orgulhoso de mesmo não tendo nem de longe o grau de conhecimento do Queruvim,poder contribuir com ele na defesa da TNM e do povo que leva o nome.Parabéns,excelente explicação!

    Curtir

  • vinicius  On 12 fev 2015 at 15:39

    esse critico devia pedir é DESCULPAS! kkkkk

    Curtir

  • Jeosadá  On 12 fev 2015 at 19:49

    Olha o respeito “… ON”.

    São “Ex-Testemunhas de Jeová”.

    Kkkkkkkkkkkkkkk

    Que falso moralismo!

    Querem justificar sua imunda condição espiritual com um neologismo eufêmico.

    *Pra quem não nos conhece, ‘apostata’ é aquele que sai da organização e faz afronta a ela, causa ataques diretos por meio de um progandismo disfêmico e recorre a mentiras, calúnias e meias-verdades, se fazendo de vítimas apenas pra retratar seu passado. Não são movidos por “novas idéias”, e sim por rancor e ódio a aquilo que um dia, em sã consciência e em meio a milhares de testemunhas jurou defender e praticar após um profundo estudo ao longo de meses.

    Não é atoa que estudiosos apontam que o testemunho de apostatas não é confiavél. Somente um meio de comunicação sensacionalista da margem a este tipo de gente.

    https://sites.google.com/site/tjdefendidasapologia/quem-entende-a-apostasia/testemunho-dos-apostatas

    Curtir

  • Saga  On 13 fev 2015 at 3:34

    Nunca faria isso criticará Westcott e Hort, o Sinaítico e tudo mais, muito mais provavelmente, depois acusará a TNM de outras coisas. Quem paga mico costuma ficar dissimulado, fingir que não é com ele e mudar de assunto sem admitir que errou. Isso acontece quando um trinitário lança um argumento que refutamos, ou quando resolvemos uma acusação de contradição que um ateu lança, ele avança pruma próxima tentativa ignorando o fato de que errou miseravelmente na anterior.

    Curtir

  • Daniel Oliveira  On 13 fev 2015 at 9:09

    A maioria do povo não lê e estuda a bíblia. Quando o faz, já o faz com a ideia pré concebida de ler pra somente confirmar suas doutrinas e ideias. A pessoa que acredita na Trindade vai ler João 1:1 e dizer: “Bom aqui está a prova de que Jesus é Deus”….pronto se contenta com isso.

    Os textos que dizem que Jesus tem um Deus são ignorados. Aquele que acredita no inferno de fogo vai se contentar com a parábola do rico e Lázaro. Esquece Ezequiel 18:4 e outros textos. E assim caminha a cristandade.

    Dizem pra nós que temos que ler o contexto do livro e aceitar o resto da bíblia, mas eles mesmos é que não fazem isso. O que esse Sr fez aí é só mais um exemplo do que vemos todos os dias no campo de casa em casa etc…

    Jeová não atrai essas pessoas. Só atrai os sinceros e por isso que bem poucos aceitam a nossa mensagem. Mas Jeová não se importa com quantidade, sim com qualidade.

    Curtir

  • Daniel Oliveira  On 13 fev 2015 at 11:04

    Só pra vocês verem como é o estudo bíblico das pessoas nas suas igrejas e casas. Certo dia no serviço de pregação, acho que há 1 ano e meio atrás, conversei com uma senhora.

    Disse pra ela que queria ler um texto da bíblia, se possível na bíblia dela. Ela entrou pegou a bíblia e lemos juntos João 17:3. Então expliquei pra ela que para termos vida eterna devemos conhecer duas pessoas, Jesus Cristo e o Pai dele, assim como afirmava o texto.

    Então ela disse que na igreja dela o único Deus deles era Jesus Cristo, que ele era o Pai e o filho ao mesmo tempo. Se ela se achava trinitariana, a resposta dela a contradiz, pois isso é unicismo descarado. Mas não entrei com ela no mérito da questão.

    Pedi pra ela ler então Mateus 3:16 e 17 e perguntei pra ela onde é que Jesus estava nessa ocasião e ela respondeu: “na terra”…. e eu perguntei então de onde é que vinha a voz que aprovava Jesus, ao que ela respondeu: “do céu”..

    então lhe disse que aquele texto confirmava que existiam duas pessoas distintas, que não existia somente Jesus, mas sim Jesus e o Pai.

    Então ela ficou parada um pouco, pensou e me disse: “olha você tem sua doutrina e eu tenho a minha, eu não estou tentando lhe impor minha religião”.

    Eu disse pra ela que eu não estava falando de religião e nem tinha mencionado religião nenhuma, mas antes estávamos lendo dois textos da bíblia que falavam de duas pessoas diferentes. Eu disse que quem estava falando algo ali não era eu, mas era a bíblia falando pra ela, afinal estávamos lendo a bíblia dela.

    Ela disse então que eu não devia por dúvidas na cabeça dela, que ela adorava somente Jesus e pronto. Eu disse pra ela ler então a bíblia com mais frequência, e quando lesse tentasse prestar atenção que sempre os evangelhos se referia a duas pessoas. Então eu me despedi e agradeci pela atenção.

    É o mesmo que faz o Sr do texto aí. Não pesquisa nada direito e ainda vem acusar as TJs de distorcer a bíblia. Fala sério!!! Isso me zanga as vezes. Ma eu tento me controlar porque eu sei que não é culpa delas, mas sim o inimigo da verdade que as cega.

    Curtir

  • GIBE  On 13 fev 2015 at 14:26

    Daniel, eu me pergunto até que ponto a pessoa é INOCENTE e só Satanás é o culpado pela cegueira dela. Jesus disse: (Mateus 15:14) . . .Guias cegos é o que eles são. Se, pois, um cego guiar outro cego, ambos cairão numa cova.”
    O cego que se deixa guiar por outro cego também cairá numa cova.
    Há um outro texto que é bem claro: (2 Tessalonicenses 2:9-12) . . .Mas a presença daquele que é contra a lei é segundo a operação de Satanás, com toda obra poderosa, e sinais e portentos mentirosos, 10 e com todo engano injusto para com os que estão perecendo, em retribuição por não terem aceito o amor da verdade, para que fossem salvos. 11 De modo que é por isso que Deus deixa que vá ter com eles a operação do erro, para que fiquem acreditando na mentira, 12 a fim de que todos eles sejam julgados, porque não acreditaram na verdade, mas tiveram prazer na injustiça.
    Este texto deixa claro que é uma retribuição. Por que? “por não terem aceito o amor da verdade, para que fossem salvos” Em certos casos a cegueira é uma opção e não uma condição

    Curtir

  • Saga  On 13 fev 2015 at 17:38

    A pessoa que acredita na Trindade vai ler [um texto favorito] e dizer: “Bom aqui está a prova de que [a trindade é bíblica] pronto se contenta com isso. Os textos que dizem que Jesus tem um Deus são ignorados”

    Não existe nenhuma passagem dentro de seu contexto que apoie a Trindade ou o Cristeísmo, eles precisam, necessitam de isolar os versos. João 1:1 distingue duas pessoas, “Ho Logos” e “Ho Theos”, sendo que o Logos não é “Ho Theos”, não podendo ser o mesmo Deus com quem estava, sua deidade deve ser entendida em outro sentido e não como uma declaração de identidade única. Além do mais no 1:18 se diz ninguém jamais viu este Deus e ainda se acrescenta que a divindade do Logos é unigênita, ou seja, gerada pelo Pai.

    Alguns tentam usar o próprio João 1:18 que menciona “monogenes theos”, incluindo dar um sentido de “O Deus Único”, mas isso é negado pelo próprio verso, que distingue o Pai do Filho e ainda diferencia o “deus unigênito” do Deus que ninguém nunca viu.

    Em João 5:18, querem supor que Jesus se fazia igual a Deus como acusavam os inimigos dele, mas a continuação do verso diz que os judeus o acusavam de “violar o sábado”, Jesus nunca pecou ou transgrediu a Lei de Deus e nenhum de seus atos violavam o sábado o que demonstra que os conceitos dos fariseus sobre Jesus não tinham credibilidade, não bastasse isso no verso seguinte Jesus se defende de tal acusação dizendo que nada pode fazer de sua própria iniciativa, ou seja de maneira independente do Pai,

    Em João 10:30 afirmam que Jesus disse que era um só Deus com o Pai e mencionam as acusações dos fariseus para apoiar sua conclusão, mas esquecem de ler o mais importante, que é a réplica e a explicação de Jesus, que menciona que o “Antigo Testamento” já colocava o precedente para filhos do Altíssimo possam ser chamados de “deuses”.

    Separam alguns versos de João 14, mas ora em João 14 é o mesmo lugar onde Jesus menciona o fato de que o Pai é maior do que ele e onde diz que tem de crer nele e em Deus, ou seja, mostrando que ele não é Deus, afinal, se fosse não poderia se mencionar a parte de Deus na mesma frase, sem contar que omitiu a “pessoa divina’ do “Espírito Santo” nessa frase.

    Em João 17 dizem que Jesus está se dizendo parte de Deus, que existia junto ao Pai com a mesma glória antes de haver o mundo, mas esta é uma oração de Jesus a Deus, Deus que no mesmo folêgo Jesus afirma ser o único Deus verdadeiro, omitindo a si mesmo desta deidade. Além do mais no resto do discuso usado nesta oração Jesus explica que seus seguidores devem ser um como ele e o Pai não, demonstrando assim que não existe nenhum mistério trinitário místico na unidade que existe entre o Pai e o Filho.

    Em João 20:28 o contexto da exclamação de Tomé não se refere a Santíssima Trindade e sim a Ressurreição, era nisso que Tomé deveria crer, inclusive se Jesus fosse Jeová não era o fato de ressuscitar dos mortos que iria provar isso, pois Deus não morre, então alguém levantado dos mortos pode ser tudo, menos o Deus Jeová. No mesmo relato Jesus menciona Jeová como o seu Deus e João finaliza o relato dizendo que foram escritos para que os leitores creiam que Jesus é…….o Filho de Deus.

    O que eu quis dizer? Que TODOS textos que os trinitários usam tem ser DESCONTEXTUALIZADOS para que sirvam ao seus objetivos, seja na tradução que for, se vê que os versos circundantes, o capítulo em si e as referências usadas não apontam para o que gostariam que apontasse, isso independe de ser na TNM ou na Almeida.

    Em 1 João 5:7, o contexto fala sobre Jesus ser o Filho de Deus, e os versos próximos mencionam a água, o sangue e o espírito. De Trindade não há nem sinal, pois o tema aqui não é identidade ou a natureza de Deus como Ser Triuno, de forma que a inserção espúria da “Conma Joanina” atrapalha o fluxo normal e lógico da leitura colocando um corpo estranho no meio da passagem.

    “Aquele que acredita no inferno de fogo vai se contentar com a parábola do rico e Lázaro. Esquece Ezequiel 18:4 e outros textos. E assim caminha a cristandade.
    Dizem pra nós que temos que ler o contexto do livro e aceitar o resto da bíblia, mas eles mesmos é que não fazem isso”

    E pior é dizer que textos como Eclesiastes 9:5 e Ezequiel 18:4 estão descontextualizados por nós, ora a explicação honesta do sentido para essas passagens é a mesma para qualquer um de forma que não descontextualizamos nada aqui, dizer que no contexto de Ezequiel 18:4 “alma” quer dizer a própria pessoa que pecou é exatamente o que afirmamos também, o ponto na verdade que fica é que as Escrituras não aplicam o termo alma como significando uma substância imaterial imortal fantasmagórica que se separa da carne humana no momento da morte, mas que não só aplicam o termo com outros sentidos mas ainda afirmam diretamente que a alma morre. Dizer que “alma” tem vários sentidos e que em cada texto devemos avaliar qual o sentido devemos aplicar como eles fazem é fugir do problema, pois fica muito cômodo variar o sentido de “alma” da forma como quiserem texto a texto até pegarem alguns e dizerem que ali sim a referência é a uma alma imortal, ou seja, deu na mesma que ignorar todos outros textos que falam em alma (como mortal) e isolar os textos que convém (que aparentemente falam de existência da alma fora do corpo morto), cade o contexto de TODA A BIBLIA? Cadê o “temos de levar OUTROS textos em conta também” ?

    Curtir

  • vinicius  On 13 fev 2015 at 17:50

    si bem, que um trinitário teria que ficar pedindo desculpas e reconhecendo a suas falhas do textos mau interpretados toda hora 🙂 rsrsrsrsrsrs. sera que eles ficam desesperado do outro lado da telinha ^^ tsctsc

    Curtir

  • Victor DB  On 14 fev 2015 at 16:10

    Perfeito Gibe. Me ajudou a ver duma ótica mais abrangente. Tem total sentido, pois quando o texto diz “a fim de que todos eles sejam julgados porque… tiveram prazer nas injustiça”, passa a idéia de que Jeová irá julga-los por suas escolhas com motivações pessoais e não por simplismente terem sido enganadas por Satanás. Ás vezes nos prendemos tanto ao fato de querer ajuda-los a sair da escuridão espiritual que esquecemos dessa simples verdade.

    Em resumo, entendi assim: Serão julgadas por que escolheram agradar/enganar a si mesmos em vez de agradar a Deus.

    Curtir

  • Arildo Rodrigues do AGBM  On 15 fev 2015 at 16:56

    MEU CARO AMIGO JÁ ALGUM TEMPO VENHO RECEBENDO POR E-MAIL A SUAS EXCELENTES PESQUISAS BÍBLICAS, E CADA DIA QUE PASSA EU VENHO ME ALIMENTANDO MAIS ESPIRITUALMENTE, POR ISSO EU FICO MUITO GRATO.
    MAIS AGORA SE VOCÊ PUDER, ASSIM QUE VOCÊ TIVER UM TEMPINHO, POR FAVOR ME MANDE UM RELATO SOBRE A MORTE DOS APÓSTOLOS DE J. CRISTO
    Desde já fico grato com a sua Atenção:
    Atenciosamente: Arildo R. do AGBM

    Date: Wed, 11 Feb 2015 15:07:10 +0000
    To: agbm.1961@hotmail.com

    Curtir

  • Arildo Rodrigues do AGBM  On 17 fev 2015 at 18:05

    EU ENCONTREI ESSES RELATOS DO MORTE DOS APÓSTOLOS NO INTERMETE, MAIS POR NÃO UMA FONTE, EU PEÇO POR GENTILEZA, ME MANDE UMA PESQUISA SOBRE ISSO
    Atenciosamente: Arildo Matos

    Conheçamos um pouco o chamado dos apóstolos e vejamos como eles morreram:

    MATEUS

    Após a ressurreição de CRISTO, ele passou a pregar para os judeus. Fez do seu próprio país seu campo missionário. Apesar disso, morreu na Etiópia, como mártir.Era também chamado de Levi. Cobrador de impostos (, classe muito odiada na época de Jesus, por cobrarem impostos dos judeus para serem entregues às autoridade romanas) nos domínios de Herodes Antipas, em Cafarnaum (Marcos 2.14; Mateus 9.9-13; 10.3; Atos 1.13). Percorreu a Judéia, Etiópia e Pérsia, pregando e ensinando. Há várias versões sobre a sua morte. Teria morrido à espada na cidade de Etiópia.

    ANDRÉ

    Esse apóstolo era filho de um pescador da Galiléia de nome Jonas e era irmão de Pedro. Ele vivia em Cafarnaum e era um seguidor de São João Batista antes de ser apresentado a Jesus. Ao vê-lo, reconheceu-o imediatamente como sendo o Messias, e foi o seu primeiro apóstolo. Conta a Lenda que foi para a Grécia e pregou na província de Acaia (província romana que, com a Macedônia, formava a Grécia). Ali se tornou mártir e foi crucificado numa cruz em forma de xis (não foi pregado) para que seu sofrimento se prolongasse. Foi crucificado e da cruz pregou ao povo até morrer. Séculos mais tarde, seus restos mortais foram levados para Escócia. O navio que os transportava naufragou em uma baía que assim foi denominado a Baía de Santo André. André pregou na Grécia e Ásia Menor. Foi discípulo de João Batista, de quem ouviu a seguinte afirmação sobre Jesus: “Eis aqui o Cordeiro de Deus”. André comunicou as boas notícias ao seu irmão Simão Pedro: “Achamos o Messias” (João 1.35-42; Mateus 10.2).

    FILIPE

    Natural de Betsaida, cidade de André e Pedro. Um dos primeiros a ser chamado por Jesus, a quem trouxe seu amigo Natanael (João 1.43-46). Diz-nos Policrates, um cristão que foi Bispo de Éfeso durante o séc. II, que Filipe foi para a Ásia e foi sepultado em Hierápolis. Pregou na Frígia e morreu como mártir em Hierápolis. Foi enforcado de encontro a um pilar em Hierápolis (Frígia, Ásia Menor).

    BARTOLOMEU

    As fontes da Igreja Primitiva são muito confusas quanto a este apóstolo. Diz a lenda que ele foi morto a chicotadas e seu corpo foi colocado num saco, atado e jogado ao mar. Tem sido identificado com Natanael. Natural de Caná da Galiléia. Recebeu de Jesus uma palavra edificante: “Eis aqui um verdadeiro israelita, em quem não há dolo” (Mateus 10.3; João 1.45-47) Exerceu seu ministério na Anatólia, Etiópia, Armênia, Índia e Mesopotâmia, pregando e ensinando. Foi esfolado vivo e crucificado de cabeça para baixo. Outros dizem que teria sido golpeado até a morte.

    SIMÃO

    Seu passado também é muito obscuro, mesmo durante a vida de CRISTO. Existe uma teoria que, por ele ser do partido dos Zelotes e todos os partidários foram massacrados por Roma em 70 d.C.; quando os Zelotes tomaram Jerusalém. O Zelotes foi crucificado. Dos seus atos como apóstolo nada se sabe. Está incluído na lista dos doze, em Mateus 10.4, Marcos 3.18, Lucas 6.15 e Atos 1.13. Julga-se que morreu crucificado.

    TIAGO MENOR

    Pregou na Palestina e no Egito, sendo ali crucificado. Filho de Alfeu (Mateus 10.3). Missionário na Palestina e no Egito. Segundo a tradição, martirizado provavelmente no ano 62. Escreveu uma das epístolas bíblicas. Foi precipitado de um pináculo do templo de Jerusalém ao solo; a seguir, foi atacado por se recusar a denunciar os cristãos, sendo apedrejado até a morte, por ordem do sumo sacerdote Ananias.

    JUDAS TADEU

    Foi quem, na última ceia, perguntou a Jesus: “Senhor, por que te manifestarás a nós e não ao mundo?” (João 14, 22-23). Nada se sabe da vida de Judas Tadeu depois da ascensão de Jesus. É autor de uma das cartas do Novo Testamento (Carta de Judas). Diz à tradição que pregou o Evangelho na Mesopotâmia, E dessa, Arábia, Síria e também na Pérsia, onde foi martirizado juntamente com Simão, o Zelote.

    JUDAS

    Filho de Simão Escariotes. Ele traiu a Jesus por trinta peças de prata, enforcando-se um dia após entregar Jesus às autoridades judaicas. Tirou sua vida e não acreditou no perdão de Deus. (Mateus 26,14-16; 27:3-5). Vemos duas interpretações para o seu ato: Que ele se enforcou e em outro relato que ele se atirou (Atos 1:18), todavia, Judas perdeu sua vida.

    PEDRO

    O Primeiro do grupo dos Apóstolos. Pescador, natural de Betsaida. Confessou que Jesus era “o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mateus 16.16). Foi testemunha da Transfiguração (Mateus 17.1-4). Negou Jesus três vezes, mas se arrependeu e entendeu seu verdadeiro chamado. Seu primeiro sermão foi no dia de Pentecostes. Segunda a tradição, sua, por volta do ano 68 d.C., em Roma, a durante a perseguição de Nero aos cristãos, sofreu martírio. Pregou entre os judeus chegando até a Babilônia, esteve em Roma, onde foi crucificado. Pediu para ser crucificado de cabeça para baixo, por achar-se indigno de morrer na mesma posição que seu mestre Jesus de Nazaré. Assim, morreu sufocado com seu próprio sangue.

    TIAGO MAIOR

    Natural de Betsaida da Galiléia, pescador (Mateus 4.21; 10.2). Filho de Zebedeu e irmão do também apóstolo João. Eram chamados de Filhos do Trovão, por Jesus. Ele sofreu martírio em 44 d.C., quando Herodes Agripa mandou prender Pedro. Foi decapitado em Jerusalém. Foi o primeiro dos apóstolos a morrer pela fé. A partir dos séculos passou a ser venerado na península Ibérica, sendo o grande protetor contra os mouros (árabes/muçulmanos). A Espanha tornou-o seu patrono, Santiago de Compostela, onde, até hoje, é reverenciado como padroeiro. Sua devoção avançou para a América com as Grandes Navegações e, até hoje, ele é muito cultuado no Chile, México, Peru…

    JOÃO

    Pescador, filho de Zebedeu (Mateus 4.21 O único que permaneceu perto da cruz – João 19.26-27). Era irmão de Tiago Maior. O primeiro a crer na ressurreição de Cristo (João 20.1-10). Foi o que viveu mais tempo. Liberto da Ilha de Patmos pelo Imperador Nerva (96 d.C.), regressou a Éfeso e teve morte natural em idade bem avançada. O apóstolo que recebeu de Jesus a missão de cuidar de Maria. “O discípulo que Jesus amava” (João 13.23). A tradição relata que João residiu na região de Éfeso, onde fundou várias igrejas. Na ilha de Patmos, no mar Egeu, para onde foi desterrado, teve as visões referidas no Apocalipse (Ap 1.9). Após sua libertação teria retornado a Éfeso. Foi metido numa caldeira de azeite a ferver, em Roma, mas escapou ileso.Teve morte natural com idade de 100 anos aproximadamente.

    TOMÉ

    Dizem que trabalhou na Índia. Outros que nos arredores da Pérsia. A seita “Cristãos Malabores de São Tomé” o considera seu primeiro líder e mártir; alguns historiadores dizem que morreu a flechadas enquanto orava. Só acreditou na ressurreição de Jesus depois que viu as marcas da crucificação (João 20.25). Segundo a tradição, sua obra de evangelização se estendeu à Pérsia (Pártia) e Índia. Consta que seu martírio se deu por ordem do rei de Milapura, na cidade indiana de Madras, no ano 53 da era cristã.

    PAULO

    Ele não conviveu com Jesus; nem por isso deixou de ser mais importante; pelo contrário, é considerado o responsável pela conversão dos povos gentios e até explanou com os demais apóstolos esta necessidade. Seu nome era Saulo, judeu, um cidadão romano, um soldado e chefe de uma guarnição romana. Perseguiu e matou inúmeros cristãos e, a caminho de uma cidade de Damasco, Deus falou com ele. A partir daquele dia sua vida mudou e seu nome passou a ser Paulo, aquele que é o menor entre todos. Pouco tempo depois já estava atuando com os discípulos. Enfrentou uma rejeição no início, pois o viam ainda como um perseguidor, mas o tempo foi o maior aliado, pois se tornou um dos primeiros missionários. Morreu como mártir sendo decapitado no mesmo ano de Pedro e pelo mesmo motivo, mas em ocasiões diferentes. Não era apóstolo oficialmente, pois não foi um dos escolhidos de Jesus, foi considerado apóstolo dos gentios por causa da sua grande obra missionária nos países gentílicos. Ele foi um dos primeiros a ver que não só os judeus poderiam ser batizados, mas todos: gregos, romanos, egípcios… Assim, ele acreditava que não só os judeus podiam ser batizados e se tornarem cristãos. Escreveu várias cartas para as localidades por onde passava. Foi decapitado em Roma por ordem do imperador Nero.

    LUCAS

    Era médico. Não conheceu Jesus pessoalmente. Recolheu inúmeros relatos (principalmente dos apóstolos) e escreveu seu Evangelho. Notamos uma linguagem mais rebuscada, com termos relatos mais profundos. Vemos uma atenção especial para com a infância de Jesus. Ele também escreveu o Ato dos Apóstolos. Foi enforcado em uma oliveira na Grécia.

    MATIAS

    Escolhido para substituir Judas Iscariotes. Diz-se que exerceu seu ministério na Judéia, Alexandria e Macedônia. Teria sido martirizado na Etiópia.

    TADEU

    Não há relatos sobre a sua morte.
    Date: Wed, 11 Feb 2015 15:07:10 +0000
    To: agbm.1961@hotmail.com

    Curtir