Refere-se a palavra grega malakós (1 Cor. 6:9) à praticas homossexuais?


Por Queruvim

Alguns na tentativa de legitimar o comportamento homo afetivo dentro do cristianismo afirmam que a palavra grega malakoi usada por Paulo em 1 Coríntios 6:9  jamais teve qualquer sentido de homossexual” .  Chegam a afirmar que não existe tal conotação. Certa página em Inglês dedicada a evangélicos gays possui o seguinte tema: ” Malakoi NUNCA é usado na Bíblia para significar Homossexual”. Eles até grifam a palavra NUNCA. Contudo, já em seus primeiros parágrafos o mesmo site afirma: “De fato, a origem da palavra malakós (singular de malakoi)  raramente… se refere ao comportamento gay”.**

Em vista desta declaração em contradição uma com a outra, é evidente que não são estudiosos sérios que fazem tais afirmações que já começam a ecoar no Brasil.

Em vista disso, dediquei tempo a leitura de textos gregos  bastante antigos a fim de ver como tal palavra grega era empregada nos dias de Paulo. Em minha leitura atenta de diversos textos em grego notei que a significação básica de malakós é “macio” ou “mole” ou ainda diversas metáforas relacionadas.

 

Eusébio de Cesáreia em História Eclesiástica escreveu:

250px-Eusebius_of_Caesarea

μὴ γένησθε μήτε μαλακώτεροι γυναικὸς μήτε συμπαθέστεροι μητρός

“Não vos torneis nem mulheres moles ou mães sentimentais” FONTES gr.  e inglês

Nas escrituras gregas cristãs além de 1 Cor. 6:9 encontramos as seguintes ocorrências de malakós:

μαλακὰ — 1 vez.        (Em Mateus 11:8)
μαλακοὶ — 1 vez.       (Em 1 Cor. 6:9)
μαλακοῖς — 2 vezes  (Em Mateus 11:8 e Lucas 7:25)

Mateus 11:8:

“…Um homem vestido de roupagem macia? (μαλακοῖς ) Ora, os que vestem roupagem macia ( μαλακὰ )estão nas casas dos reis”. A TNM revisada optou pela frase “roupas finas”.

Lucas 7:25:

“O que, pois, fostes ver lá fora? Um homem vestido de macia(μαλακοῖς) roupagem exterior?”

Em 1 Cor. 6:9 malakois é vertido de diferentes maneiras por diversas escolas de erudição contudo quase sempre relacionada ao comportamento gay:

King James Version – 1611: “efeminados”

Portuguesa 1690– “efeminados”

Valera em Espanhol 1602: “Efeminados”

Rheims-Douay – 1609: “Efeminados”

Darby – 1884 : “Aqueles que fazem de si mesmos mulheres”

Weymouth – 1903: “qualquer um que é culpado de crime desnatural”

Amplified – 1958: “Aqueles que participam em homossexualismo”

TNM das TJ: “homens que se submetem a atos homossexuais” FONTE

A Bíblia Judaica Completa 1998: “homossexualidade ativa ou passiva”

De acordo com o respeitado Léxico de Liddell e Scott, malakós possui basicamente duas acepções. Uma boa e outra pejorativa, não sendo considerada uma palavra técnica. Malakós ocorre em textos gregos desde antes de Platão e Aristóteles, com sentido básico (macio, mole, suave alguém “fácil de lidar” μαλακώτερος,etc) ou  metafórico,  “não vigoroso” também “moralmente fraco”, “ineficaz”  e efeminado entre outras. Liddell e Scott ;  STRONG. Dizer que “nunca” se refere a alguém homossexual é fugir da definição básica. O que significa efeminado ou afeminado?

Efeminado:

adjetivo

1. Diz-se de homem ou rapaz que tem trejeitos femininos. = ADAMADO, AFEMINADO 2. Mole3. VoluptuosoHomem com características ou modos de mulher. Aparência ou modos feminis,Homossexualismo, transsexualismo, etc.

Alguns argumentam que malakoi  era empregada no tempo de Paulo da mesma forma que alguns usam hoje a palavra moça em sentido de “fraqueza”. Por exemplo, em um jogo de futebol, quando alguém usa a frase: ” Você chuta a bola igual uma moça!” De fato, durante alguns dias fiz pessoalmente a leitura de diversos textos gregos antigos, incluindo os escritos de Péricles (430 a.C) Platão (437-427 a.C) Aristóteles (384-322 a.C) e muitos outros,e notei que malakós em suas diversas formas, aplica-se também a “falta de vigor”, “fraqueza”, “moleza”, “doença” etc. Afirmar, porém, que malakós “jamais se refere ao homossexualismo” não é resultado de pesquisa científica filológica, mas opinião tendenciosa. Certo site crítico das versões que traduzem malakós por “efeminado” ou “homossexuais” afirmou o seguinte:

“Fatores culturais influenciaram tradutores modernos de modo a injetarem em suas traduções tendências anti gay”. Daí prossegue dizendo que malakoi “nunca se referiu exclusivamente a gays e a lésbicas”. Esta afirmação é sutilmente equivocada. Se eu dissesse que malakoi (plural de malakós) nem sempre se referia a homossexuais, isto esta correto. Todavia, dizer que “nunca” se refere a tais, é errado . Há inúmeros casos onde vemos malakoi sendo aplicado a homossexuais. Isto é bem documentado.

O uso de Malakós no tempo de Paulo

 Dionísio de Halicarnasso, que escreveu Antiguidades romanas por volta de 7 a.C ,descreveu Aristodemo de Cumas como μαλακός porque ele era ” afeminado ” ( θηλυδρίας ) pois quando criança  tinha participado em atividades ou coisas associadas com mulheres. Dionísio escreveu:

O tirano de Cumas naquela época era Aristodemo, o filho de Aristocrates, um homem de nascimento nada obscuro, que foi chamado pelos cidadãos Malacus ou “afeminado”- um apelido que com o tempo veio a ser mais conhecido do que seu próprio nome – ou porque quando menino ele era efeminado ou porque se permitia ser tratado como uma mulher...fonte

Na literatura clássica a palavra μαλακός às vezes é aplicada a pessoas obviamente gays. Lucian descreve o sangue de alguns sacerdotes que ele condena por comportamento homossexual passivo e em seu texto emprega a palavra μαλακός. Estes eram os sacerdotes que passavam o tempo em busca de grupo de encontros sexuais. Embora haja alguma ambiguidade em relação a μαλακός, é evidente o emprego de tal palavra como representando o comportamento homossexual. Isto é ainda mais observável quando esta palavra é empregada em paralelo com ἀρσενοκοιτής que implica um papel homossexual ativo. É interessante que em Problemas de Aristóteles, uma longa discussão a respeito das origens da passividade homossexual, se emprega a palavra μαλακός.

Revelador Manuscrito em papiro descoberto no Egito 

Em Fevereiro e Março de 1902 enquanto arqueólogos faziam suas escavações em Fayum no Egito, foi lhes apresentado por um negociante partes de um papiro reconhecido pelos arqueólogos como sendo da província de El Hibeh (um nome árabe para a antiga cidade egípcia de Tayu-djayet). Este foi posteriormente datado como sendo uma relíquia do 3º século antes de Cristo. Foi então chamado de Papiro de Hibeh. Localizado entre panos mortuários de múmias foi datado como sendo do ano 245 A.E.C. Observe o que lemos neste papiro:

 

Demofonte a Ptolomeu , saudações. Faça todo o possível para me enviar o flautista Petoüs tanto com as Flautas frígias bem como o resto ; e se qualquer despesa for necessária, pague , e deverá reembolsa-la de mim. Me envie também Zenóbio o afeminado [ malakón ] com um tambor e címbalos e castanholas , pois ele é procurado pelas mulheres para o sacrifício ; e deixe-o usar roupas tão finas quanto possível ” (Carta de Demofon para Ptolomeu” [provenientes de panos mortuários de múmias encontrados na necrópolis de El-Hibeh e datado como sendo escrito por volta de  245 a.C],  The Hibeh Papyri: Part I, no. 54, 200-201). Link adicional

Outros escritos antigos

” Diz-se que quando ele estabeleceu como opinião de Zeno que o caráter de um homem pode ser conhecido a partir de sua aparência, certos homens jovens espirituosos trouxeram diante dele um ancinho com mãos calejadas da labuta no país e pediram-lhe que declarasse qual era o caráter do homem. Cleantes estava perplexo e mandou o homem embora; mas enquanto ele saia, ele espirrou, “entendi”, gritou Cleantes , ele é efeminado [malakós]” (Diógenes Laércio, Dionísio – Cleantes 7,173)

Embora existam usos específicos do termo que denotam pederastia (Dionísio de Halicarnasso , Antiguidades romanas 7.2.4 ), a passagem acima demonstra que o sentido pode ser mais amplo do que o de meninos afeminados prostitutos, pois ele é chamado de “homem” no texto grego acima.

Um certo musico  Zenobius é descrito como malakós“, provavelmente no mesmo sentido em que a palavra é usada em 1 Cor 6:9, e não simplesmente com referência ao seu estilo de dançar” (James Hope Moulton and George Milligan, The Vocabulary of the Greek Testament: Illustrated from the Papyri and Other Non-literary Sources [Grand Rapids: Eerdmans, 1982], s.v. “malakÒj,” 387).

O Professor David E. Malick do Seminário Teológico de Dallas falando sobre malakós escreveu:

“Quando aplicado com referência às relações sexuais de homens com homens, porém, não é também um termo técnico para prostitutos numa aplicação pederasta. O termo pode significar efeminado com respeito a garotos ou homens que desempenham o papel de mulher em relações homossexuais. Como afirma Ukleja, ” Não é além da razão entender a palavra como representando as partes passivas em uma relação sexual homossexual. Isto é ainda mais razoável quando esta está em justaposição com ἀρσενοκοῖται (arsenokoitai) que implica em um papel homossexual ativo”.  Falando sobre 1 Cor. 6:9 o Professor prossegue: ” [tais termos, malakós e arsenokoitai,] são descritivos das partes ativas e passivas numa relação homossexual. Suas referências incluem o abuso da pederastia mas também pode denotar relações sexuais de pessoas do mesmo sexo em atividades mutuas mais amplas a partir duma perspectiva das Escrituras Hebraicas, especialmente Levítico 18:22 e 20:13″. 

Platão observa em seu diálogo Fedro que um amante mais velho ” vai claramente cortejar um amante que é efeminado [ malthakos ] Depois de muitas horas achei o texto de Platão que reza:

διάνοιαν ἐπίτροπός τε καὶ κοινωνὸς οὐδαμῇ λυσιτελὴς ἀνὴρ ἔχων ἔρωτα. τὴν δὲ τοῦ σώματος ἕξιν τε καὶ θεραπείαν οἵαν τε καὶ ὡς θεραπεύσει οὗ ἂν γένηται κύριος,ὃς ἡδὺ πρὸ ἀγαθοῦ ἠνάγκασται διώκειν, δεῖ μετὰ ταῦτα ἰδεῖν. ὀφθήσεται δὴ μαλθακόν τινακαὶ οὐ στερεὸν διώκων, οὐδ᾽ ἐν ἡλίῳ καθαρῷ τεθραμμένον ἀλλὰ ὑπὸ συμμιγεῖ σκιᾷ, πόνωνμὲν ἀνδρείων καὶ ἱδρώτων ξηρῶν ἄπειρον, ἔμπειρον δὲ ἁπαλῆς καὶ ἀνάνδρου

“um homem apaixonado não é de forma alguma um guarda ou associado lucrativo. Devemos considerar em seguida, como ele que é forçado a seguir o prazer e não a boa vontade, resguardará seu corpo de quem é dono e que importância lhe dará. Ele certamente cortejará um amante que é efeminado, não viril, que não cresceu no puro sol quente, mas em sombras e proteção, não acostumado a labutas viris e o suor do esforço mas acostumado com o delicado modo de vida não masculinizado”

Este texto é um golpe nos eruditos pró gays da igreja evangélica ou católica. Há incontáveis textos semelhantes a este e não são poucos os eruditos que chegaram a mesma conclusão depois de estudo acadêmico. Um texto de Aristóteles refere-se de forma semelhante aos que são anatomicamente inclinados em direção ao papel receptivo como malakoi ( Pseudo- Aristóteles, Problemas 4.26) Cai por terra a afirmação de diversos sites que tentam dar a impressão de que no grego “não existe” tal conotação.

Textos astrológicos que falam de homens desejosos de desempenhar o papel feminino na penetração também usam o termo malakoi ( Ptolomeu , Quatro Livros 3,14 §172 ; Vettius Valens , Antologias 2.37.54 ; 2.38.82 ; . Cf. Brooten , 126 n 41, 260 n . 132 ) .

Oi Malthakoi , uma comédia de Cratino , fala também sobre  efeminados.   Existe uma carta egípcia que data de cerca de 145 aC, em que malakos quase certamente se refere à homossexualidade masculina passiva. ” , Greenberg, ” a Construção da Homossexualidade ” , p. 212 (1990 ) .

” Outra palavra usada para designar  relações sexuais entre pessoas do mesmo sexo  em 1 Coríntios 6: 9 é malakoi . Esta palavra refere-se a um parceiro passivo sexualmente , um homem efeminado que desempenha o papel de uma mulher. “ , Schreiner , ” A Perspectiva do Novo Testamento sobre a Homossexualidade ” , Themelios ( 31.3.70 ) , Abril de 2006.

Os eruditos Bauer, Arndt e Gingrich apresentaram  a seguinte definição de malakós:

“macio, efeminados, especialmente de catamites homens e garotos que se permitem ser homossexualmente explorados.” Arndt, William, F. Wilbur Gingrich, Frederick W. Danker, and Walter Bauer. A Greek-English Lexicon of the New Testament and Other Early Christian Literature 2º Ed. “malakoi,” pag.488

MickUkleja1.jpg

Bacharel em Filosofia e Doutorado em Teologia e línguas semíticas, Michael Ukleja (FOTO)  em  “A Bíblia e o Homossexualismo, Parte 2: Homossexualidade no Novo Testamento,” acrescenta:

“Uma provável tradução de malakós e arsenokoitai seria,  moralmente frouxo (efeminado) que se deixam ser homossexualmente explorado e a pessoa que é um homossexual praticante “

Louw and Nida chegaram à mesma conclusão. Colocaram estes termos sob o domínio semântico de “Qualidades Éticas e Morais” mais especificamente sob a categoria de “Mal comportamento sexual” (Johannes P. Louw and Eugene A. Nida, Greek-English Lexicon of the New Testament Based on Semantic Domains, 2 vols., 2d ed. [New York: United Bible Societies, 1988-1989], 1:74243, 772). Afirmam em sua pesquisa que arsenokoites refere-se a um parceiro masculino numa relação sexual homossexual” (ibid., 772, ¤88.280). E referindo-se a ambos os termos empregado por Paulo eles escrevem que “refere-se em dados contextos a um parceiro masculino numa relação sexual homossexual em contraste com malakós , o parceiro masculino passivo” (ibid., 772-73, §88.280-88.281). “Assim como em Grego, um número de outras línguas também possuem termos inteiramente distintos para o papel ativo e passivo em uma relação sexual homossexual” (ibid., 773, §88.281). Esta visão é apoiada por outras obras dedicadas ao assunto> Feinberg, Feinberg, & Huxley, ‘Ethics for a Brave New World’, pp. 200–201 (1996). Este estudo não é apenas opiniático, mas acadêmico e não faz relação específica com a pederastia. Se o Apóstolo Paulo quisesse se referir especificamente aos homossexuais, ele teria usado a palavra grega padrão no Grego de seus dias que descrevia os homossexuais, a saber, “paideraste“. Isto indica que malakós é mais ampla e inclui mais que isso. Foi em harmonia com isso apropriadamente vertida “homens mantidos para propósitos desnaturais” na TNM com referências ou “homens que se submetem a atos homossexuais” na versão Revisada da Biblia Sagrada publicada pelas Testemunhas de Jeová  na Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada. Isto explica a opção da Nova Versão Internacional (NVI):

“Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus” (1 Co 6.9-10).

Uma comparação entre 1 Corintios 5:1–13 e 1 Corintios 6:1–11 favorece ainda mais a conclusão destes eruditos.

Portanto,  ao fazer uma pesquisa recorrendo a diversos escritos em grego clássico, percebi que μαλακός era sim usada para se referir a meninos e homens que se envolveram em praticas homossexuais.Também era aplicada a homens que desempenhavam o papel feminino ou passivo na homossexualidade, mas possui um sentido mais amplo sendo usada até hoje na Grécia para descrever os que praticam a masturbação.

μαλακός é citado por muitos como sendo uma palavra que “nunca” ou “raramente” é empregada no sentido de “homossexual”. Contudo, os fatos demonstram que ao se referir à homossexuais, as pessoas nos dias de Paulo empregavam esta palavra. Ao mesmo tempo que havia uma significação diferente quando se referia a objetos ou a alguém fraco ou sensível. Uma vez que Paulo emprega  malakós  e arsenokoitai uma seguida da outra fica difícil concluir que o sentido é outro que não o sexual.

Já existe igrejas evangélicas que acolhem homossexuais como parte da igreja professamente “aprovada” de Cristo.(Fontes: I  II  ) O mesmo está acontecendo com o clero católico. Decidi escrever este artigo em defesa da verdade (apologia) e para eliminar dúvidas de alguns que me escreveram a este respeito. Os verdadeiros cristãos não podem baixar a guarda e ceder a pressão deste mundo governado pelo Diabo (1 João 5:19) compactuando com sua moral decadente.

 

A Bíblia não incentiva o preconceito contra pessoas. No entanto, o conceito dela sobre atos homossexuais é claro.

“Não te deves deitar com um macho assim como te deitas com uma mulher. É algo detestável.” — Levítico 18:22.

Certo artigo publicado pelo jw.org afirma:

 

“Com respeito a atos homossexuais, a Palavra de Deus diz claramente: “[Isto] é uma abominação.” (Levítico 18:22, A Bíblia de Jerusalém) A Lei de Deus para Israel determinava: “Quando um homem se deita com um macho assim como alguém se deita com uma mulher, ambos realmente fazem algo detestável. Sem falta devem ser mortos.” (Levítico 20:13) A mesma punição recebiam os que praticavam bestialidade, incesto e adultério. — Levítico 20:10-12, 14-17.
O apóstolo Paulo foi inspirado a descrever os atos homossexuais como expressões de “ignominiosos apetites sexuais” e ‘contrários à natureza’. Ele escreveu: “É por isso que Deus os entregou a ignominiosos apetites sexuais, pois tanto as suas fêmeas trocaram o uso natural de si mesmas por outro contrário à natureza; e, igualmente, até os varões abandonaram o uso natural da fêmea e ficaram violentamente inflamados na sua concupiscência de uns para com os outros, machos com machos, praticando o que é obsceno e recebendo em si mesmos a plena recompensa, que se devia ao seu erro. E assim como não aprovaram reter Deus com um conhecimento exato, Deus entregou-os a um estado mental reprovado, para fazerem as coisas que não são próprias.” — Romanos 1:26-28.
As Escrituras não dão desculpas, não fazem concessões e nem deixam margem para dúvida: as práticas homossexuais, o adultério e a fornicação são atos repulsivos para Deus. Em conformidade com isso, os cristãos verdadeiros não diluem o conceito da Bíblia sobre os “ignominiosos apetites sexuais” apenas para se tornarem mais populares ou aceitáveis à cultura moderna. Tampouco concordam com qualquer movimento de promoção da homossexualidade como estilo de vida normal.”

De fato, nunca nos esqueçamos das palavras de Paulo sob inspiração divina:

Heb. 13:4: “O matrimônio seja honroso entre todos e o leito conjugal imaculado, porque Deus julgará os sexualmente imorais e os adúlteros.”

 

Leia também: 

O que a Bíblia diz sobre homossexualidade?

 

O Conceito da Bíblia

Existem justificativas para a homossexualidade?

Como posso explicar o conceito da Bíblia sobre a homossexualidade?

O que a Bíblia diz sobre o homossexualismo?

 Outros temas:

Os textos do “Novo Testamento” indicam que todos os bons irão para o céu?


Lecionamos Inglês também!

Trackbacks are closed, but you can post a comment.

Comentários

  • Patcharro Espanhol  On 7 de novembro de 2014 at 22:51

    Muito Bom Queruvim! Sua pesquisa foi fantástica. Já era de se esperar que opositores iriam tentar burlar ou desacreditar a Palavra de Deus a fim de promover seus conceitos e suas práticas. A Bíblia é clara, quem quiser ser cristão, um verdadeiro cristão, de forma alguma pode ter um comportamento homossexual. Podem fazer quantas Igrejas quiserem para pessoas que praticam o homossexualismo, mas como diz em 1º Coríntios 6:9-11 o final, caso não se arrependam, já está certo!

    Curtir

  • Apolo  On 8 de novembro de 2014 at 1:13

    Parabéns, estimado irmão Queruvim, pelo excelente artigo.

    Curtir

  • Victor Deiró  On 8 de novembro de 2014 at 17:16

    Copiando e salvando em PDF já! kkk

    Curtir

  • kl  On 8 de novembro de 2014 at 18:48

    Essas pesquisas cabais são reveladoras!………È um prazer ler artigos assim!

    Curtir

  • Nilson Rocha  On 8 de novembro de 2014 at 22:01

    Poxa que estudo bem feito,parabéns que Jeová seja louvado meu irmão.

    Curtir

  • Saga  On 9 de novembro de 2014 at 3:05

    Penso que seria útil os seguintes dados….como tal palavra foi traduzida quando o Novo Testamento foi vertido para o Latim, Aramaico, Copta e demais versões antigas? Isso é útil para ver demonstrações de como a palavra grega era entendida e aplicada pelos antigos. E outra matéria importante seria a literatura patrística, pois demonstraria ao que os antigos pais eclesiasticos aplicavam o versículo. Se por quase 2000 anos uma passagem é aplicada e explicada de uma forma, não parece que agora ativistas homoeróticos derepente querem ensinar ao cristianismo o que Paulo queria dizer.

    Curtir

  • Jose Roberto de Araujo  On 9 de novembro de 2014 at 11:45

    Meu irmão, que explicação excelente! Que Jeová continue lhe dando sabedoria, para que possa continuar a usar o teu conhecimento para a glória do seu grandioso nome! Êxodo 3;15!

    Curtir

  • Queruvim  On 9 de novembro de 2014 at 13:35

    O que o copta diz…muito boa colocação. Realmente há muito a ser escrito a respeito. Eu já havia percebido isso. Vou continuar a ler textos antigos. Gastei mais de 5 horas somente lendo Platão. Levaria anos para achar mais coisas. Há muitos sites que apontam textos em grego clássico, mas poucos são específicos em dizer exatamente onde estão as declarações. Prefiro ler diretamente nos textos do que repetir o que disseram (Eruditos e outros) . Acredito que o artigo acima é bom, mas pode ser ainda mais exaustivo e contundente. Agradeço pelas observações…e mãos a obra!

    Queruvim

    Curtir

  • Saga  On 9 de novembro de 2014 at 21:50

    A palavra “gay” é inglesa e literalmente quer dizer “alegre”, certo? É uma gíria para homossexuais.
    O mesmo demonstra ser o caso de “malakos”, é uma gíria grega usada para aqueles homossexuais que se tornam a mulherzinha durante o coito,

    Os argumentos da “Teologia Gay” [sic] com respeito aos outros textos bíblicos a respeito do tema são de uma pobreza incrível, o que já vi por aí foi [1] negação evolucionista da história do Eden, [2] negação da historicidade do relato sobre Sodoma ou negação de qualquer indicio de imoralidade homossexual no relato da destruição da mesma, [3] argumentação de que os 10 mandamentos não tem repudio a homossexualidade, [4 negação da inspiração divina da Lei Mosaica, [5] insinuações que Rute, Davi, Jesus, João, Paulo eram gays, [6] afirmação de que Jesus nunca falou sobre homossexualidade,[7] e negação de que na carta aos Romanos Paulo estivesse recriminando as relações homoeróticas,

    É incrível que possa ter alguém que leve a sério os disparates que são ditos por essa gente realmente Babilônia é confusão;

    Queruvim faz um trabalho sério ao realmente estudar o assunto objetivamente e não simplesmente fazer suposta “pesquisa” ou lançar “teses” supostamente “academicas” apenas com fins de militância, pois acredito que quem lança essas ideias SABE que o que estão dizendo não tem fundamento, sua intenção realmente é enganar ou confundir ingênuos ou trouxas.

    Curtir

  • Sonnyz  On 11 de novembro de 2014 at 9:33

    Para os que querem forçadamente fazer com que o homossexualismo seja aceito na bíblia, há uma explicação para cada texto que falar contra:

    SODOMA e GOMORRA:

    Não pense que as interpretações acerca do pecado de Sodoma e Gomorra foram sempre as mesmas. Na verdade, elas têm sido variadas entre os tempos e por último, para sustentar um preconceito, há alguns séculos os homofóbicos passaram a afirmar que a destruição havia sido por causa da “homossexualidade”.

    Leia os textos dos capítulos 18 e 19 de Gênesis e sem “pré-conceitos” entenda realmente o que aconteceu. Perceberá que os homens daquelas cidades queriam violentar sexualmente os anjos que chegaram à casa de Ló. Caso você nunca tenha ouvido falar, consulte livros de história, enciclopédias, internet… sobre o assunto xenofobia, que é a repulsa a coisas ou pessoas estrangeiras, medo e ódio aos estrangeiros.

    Por que o medo de nações estrangeiras? Lembra dos “espias de Jericó”? Existia uma estratégia de guerra e dominação entre os povos da Antiguidade de enviarem seus espiões para examinar a terra inimiga e voltarem às suas contando sobre todos os procedimentos e andamentos das cidades a serem invadidas. Uma forma de intimidar e refrear o envio de espiões, era violentando sexualmente os “visitantes”.

    Voltando ao contexto, se fosse uma questão de homossexualidade pura e simples, por que haveria Ló de oferecer suas filhas virgens? Ele não seria tão estúpido para oferecer mulheres a um bando de homossexuais abusadores. Se ele ofereceu suas filhas, é porque sabia que os mesmos não eram homossexuais. … Estas histórias apenas confirmam os assuntos que seguem, por isso é importante que você leia com muita atenção. Este tipo de atitude para Deus é degradante. Violentar sexualmente uma pessoa, com o prazer de humilhar uma orientação sexual que não lhe era natural. Isto é exatamente o contrário da vontade de partilhar afetivamente uma vida a dois.

    O profeta Ezequiel revela o verdadeiro pecado de Sodoma: “Eis que esta foi a iniqüidade de Sodoma, tua irmã: Soberba, fartura de pão, e abundância de ociosidade teve ela e suas filhas; mas nunca fortaleceu a mão do pobre e do necessitado.” (Ezequiel 16, 49). Sodoma cometeu abominação por sua constante hostilidade, segregação e agressão ao ser humano. Trazendo esta questão para os nossos dias, podemos afirmar que o papel “sodomita” atualmente é desempenhado pelas próprias igrejas homofóbicas, pelo alto grau de rejeição a seres humanos, vidas, enfim, a toda uma comunidade de pessoas que Deus aceitou em amor.

    Curtir

  • Sonnyz  On 11 de novembro de 2014 at 10:16

    RESUMO:

    Muitos que defendem o homossexualismo afirmam que a palavra grega ‘malakós’ NUMCA se refere a homossexualidade. Para desmentir isso, Queruvim diz que não é bem assim. De acordo com o respeitado Léxico de Liddell e Scott, ‘malakós’ possui basicamente duas acepções: Um sentido básico (macio, mole, suave alguém “fácil de lidar” μαλακώτερος, etc) ou metafórico (“não vigoroso” também “moralmente fraco”, “ineficaz” e efeminado entre outras).

    Deixando bem claro isso, surge a pergunta: Em que sentido Paulo usou a palavra grega ‘malakós’?

    Para responder isso, surge o resultado de sua árdua pesquisa debaixo do subtítulo: “O uso de Malakós no tempo de Paulo”.

    Muitas obras respeitadas foram citadas indicando que no tempo de Paulo, não era tão raro assim se referir a alguem homossexual pelo termo grego ‘malakós’. E ainda mostrou que o fato de Paulo ter usado ‘malakó’ ao invés de outra palavra grega que se referísse especificamente á prática homossexual, significava que a advertência de Paulo tinha um sentido mais amplo. Diferente dos que concordam os apoiadores do homossexualismo, que chegam a conclusão totalmente contrária:

    “lembrando que é grande a quantidade de termos e palavras no grego clássico que significavam “comportamento homossexual”. É preciso lembrar ainda que o Apóstolo Paulo não utilizou nenhuma delas, de onde podemos concluir que ele se referia realmente a algo muito específico.”

    Com isso, conclui-se:

    “Portanto, ao fazer uma pesquisa recorrendo a diversos escritos em grego clássico, percebi que μαλακός era sim usada para se referir a meninos e homens que se envolveram em praticas homossexuais.Também era aplicada a homens que desempenhavam o papel feminino ou passivo na homossexualidade, mas possui um sentido mais amplo sendo usada até hoje na Grécia para descrever os que praticam a masturbação.”

    Parabêns pela pesquisa.
    Esperando, quam sabe, pela pesquisa referente a outra palavrinha, a saber: “Arsenokoitai”

    Abraços!

    Curtir

  • Saga  On 11 de novembro de 2014 at 14:33

    Então Queruvim, críticos das traduções da Bíblia, inclusive da TNM, reclamam muito dizendo que as palavras Gay/Homossexual/Homossexualidade,e Espirita/Espiritismo são invenções modernas e não existiam nos tempos da Bíblia comprovando claramente “o erro crasso e o anacronismo histórico” que “modernas traduções bíblicas tendenciosas” fazem ao fazer menções negativas do espiritismo e da homossexualidade na Bíblia. Será que eles acham que no passado não existiam pessoas espiritas e nem homossexuais, foi necessário primeiro esperar as palavras inglesas serem inventadas primeiro?

    Curtir

  • Saga  On 11 de novembro de 2014 at 14:51

    “Se ele ofereceu suas filhas, é porque sabia que os mesmos não eram homossexuais”

    O fato deles negarem é que denuncia fortemente seu desejo de ter relações com homens e nada mais.

    “Isto é exatamente o contrário da vontade de partilhar afetivamente uma vida a dois”

    Quem lê isso aqui poderia pensar que a tendência geral dentro das populações de gays,travestis e transsexuais é o casamento ou união a dois por toda vida, e não altos índices de promiscuidade,prostituição e fornicação com alta rotatividade de parceiros sexuais e de DSTs. A relação estável de uma dupla homoerótica é uma exceção que ocorre principalmente entre os gays mais cultos e de melhor condição social, visando vantagens financeiras tais como as que ocorrem em casais héteros quanto a divisão de gastos, de bens e sobre posteriores questões de pensões ou heranças. Na cultura gay em geral, não só agora como historicamente o foco esteve no prazer, nos parceiros e nas práticas sexuais, sempre, nunca nessa historinha de “uma vida a dois”, tivemos algumas culturas mais tolerantes com o homossexualismo, mas nunca falando em casamento ou coisas do tipo!! Se houve falar de muitos casos de relações homoeróticas no mundo greco-romano, mas perceba que eles tinham suas famílias, filhos e esposas, suas relações homoeróticas eram algo por fora, não algo para substituir a família natural.

    “Sodoma cometeu abominação por sua constante hostilidade, segregação e agressão ao ser humano. Trazendo esta questão para os nossos dias, podemos afirmar que o papel “sodomita” atualmente é desempenhado pelas próprias igrejas homofóbicas”

    As Escrituras Cristãs (ou Novo Testamento) deixam claro a grave imoralidade sexual que os habitantes de Sodoma cometeram. É muito engraçado que retirem o fator sexo do juízo sobre Sodoma, parece coisa de quem nunca leu a Bíblia na vida, o fator sexual já está no próprio Gênesis demonstrada a perversão sexual dos sodomitas, inclusive foi o estopim para a decisão dos anjos em punir a cidade, o livro de Judas compara a situação de Sodoma com a dos anjos que pecaram tendo relações desnaturais com as filhas dos homens antes do Dilúvio. E parece papo de bêbado isso, pois a Lei de Deus já proibia o tipo de relações dos sodomitas e com a pena máxima.

    Curtir

  • Saga  On 11 de novembro de 2014 at 15:07

    Malakos e Arsenokoitai foram usados juntos, em vez de usar um termo único ele fez uma síntese de duas classes, os que emulam o papel feminino e os que usam desses “delicados” objetos sexuais. Não faz nada de novo, pois na Lei de Moisés ambos já recebiam a pena de morte, mostrando que o pecado permanece independente de quem está por cima.

    A Teologia GLBT tenta isolar os textos para trazer confusão a eles um por um e foge de ter uma visão geral do testemunho de todos eles em conjunto. Não é por um ou por outro texto isolado que os atos homoeróticos são contra a vontade de Deus, mas pelo testemunho da BÍBLIA INTEIRA, desde os primeiros relatos sobre a origem dos sexos no Éden até a maldição do Apocalipse contra os “cães” no Lago de Fogo

    A Associação Torre de Vigia nota que os aniversários de nascimento não são postos em boa luz nas Escrituras Sagradas, são postos em luz negativa como costume dos inimigos de Deus. Nunca são comemorados por servos de Jeová, e isso é levado em conta. Análises a respeito de temas como Trindade e Espírito também não são baseadas em textos isolados mas no testemunho conjunto da Bíblia inteira. Isso impede que dependedamos exclusivamente de um ou outro texto com risco de ser mal interpretado ou deficientemente traduzido, temos um conjunto de argumentos e raciocínios em cima do tema dentro da lógica bíblica, e importante isso, lógica BÍBLICA e não humana.

    Curtir

  • Vinicius Monteiro  On 12 de novembro de 2014 at 14:36

    É incrível que possa ter alguém que leve a sério os disparates que são ditos por essa gente realmente Babilônia é confusão;

    Na verdade não é incrível, 2 Timóteo 4: 3,4:

    Pois haverá um período de tempo em que não suportarão o ensino salutar, porém, de acordo com os seus próprios desejos, acumularão para si instrutores para lhes fazerem cócegas nos ouvidos; e desviarão os seus ouvidos da verdade, ao passo que serão desviados para histórias falsas.

    Este são somente mais uns dentro de várias teologias inventas para ganhar adeptos, como a teologia da prosperidade e tantas outras que fazem sucesso por aí.

    Curtir

  • Marcelo  On 13 de novembro de 2014 at 15:50

    Quem lê isso aqui poderia pensar que a tendência geral dentro das populações de gays,travestis e transsexuais é o casamento ou união a dois por toda vida, e não altos índices de promiscuidade,prostituição e fornicação com alta rotatividade de parceiros sexuais e de DSTs.

    Muito bem colocado Saga. Nunca tinha me caído esta ficha.

    Excelente artigo Queruvim!

    Curtir

  • Ramiro  On 16 de novembro de 2014 at 2:34

    Excelente artigo!Deve ter dado um trabalho enorme pesquisar sobre esse assunto para escrever esse artigo.Parabéns irmão Queruvim!Jeová te abençoe muito e cada vez mais.

    Curtir

  • O Protestante  On 17 de novembro de 2014 at 22:57

    Muito bom o artigo como sempre! Já é o bastante para derrubar os argumentos desses “cristãos da diversidade”.
    E como o Saga bem disse, seria interessante ter citações dos pais da igreja.
    Tem por aí uma teoria de que os cristãos aceitavam a homossexualidade, até o “apocalipse homofóbico” século doze, que aconteceu após John Wycliffe traduzir esta palavra como sodomita.
    Qualquer um com um mínimo de conhecimento veria que isso não faz sentido nenhum, porém tal teoria foi divulgada por uma famosa revista vermelha e, se eu não me engano, até com embasamento de “acadêmicos”. Portanto não duvido disso ter se enraizado na cabeça muitos, e por isso acredito que seja importante pegar nem que seja duas citações patrísticas sobre tal assunto.
    Bom, de qualquer forma, ótimo artigo.

    Curtir

  • Queruvim  On 18 de julho de 2016 at 13:29

    Este assunto foi novamente trazido à tona recentemente.

    Curtir

  • Julecleison Pereira  On 27 de julho de 2016 at 13:14

    Nunca que a palavra efeminado foi usada para nomear homossexuais, nem todo homossexual é afeminado, eu tenho certeza que ele se referia aos homens com jeitos femininos. E outra, era se o tempo que os homossexuais viviam apenas em sexo, hoje eles se casam, vivem juntos, não vivem em um rodízio de sexo como foi dito. É muita falta de respeito por parte desses evangélicos que mais parecem o estado islâmico, ainda bem que mais e mais países estão dando direitos aos gays, na Suécia pastores não tem vez, Alemanha, EUA, Espanha, Noruega, Inglaterra, países que realmente sabe tratar um homosexual, gente civilizada. Nesses últimos vinte anos conseguimos evidências científicas que a homossexualidade nada mais é que uma variação da sexualidade humana, algo que não dá pra mudar. Aí quando for provada com 100% de certeza, com o vai ficar a sua religião? E Toda a sua
    interpretação sobre a bíblia? Pois nem a heterossexualidade eles NÃO sabem ainda como funciona, o que tem é uma teoria, vcs usam a fé para pregar o ódio mesmo estando errados. Os gays são sim fiéis a Deus, a bíblia, mas a homossexualidade não é algo que se muda, se realmente Deus quisesse a “cura” era para eles conseguirem mudar, mas não é o que ocorre, o que acontece é sofrimento por essa tentativa de mudança, Deus sabe do coração deles.

    Curtir

  • Julecleison Pereira  On 27 de julho de 2016 at 13:21

    Que nojo desse povo daqui, hoje os gays vivem sim relação a dois, se amam igualmente como um casal heterossexual. O que é promiscuidade para vc? Pois safadezas, sexo apenas por sexo tem em todas as classes, homossexuais, heterossexuais, mulheres homens. Os altos índices de DSTs está pelo o fato de que muitos homossexuais no passado não usavam camisinha, mas isso mudou. Mas vcs vão pagar por toda essa perseguição que vcs fazem

    Curtir

  • A Serviço do Reino  On 27 de julho de 2016 at 13:22

    Julecleison,

    A Bíblia não fala diretamente dos fatores biológicos envolvidos nos desejos homossexuais, embora reconheça que todos nós nascemos com a tendência de ir contra os mandamentos de Deus. (Romanos 7:21-25) Mas, em vez de focalizar a causa dos desejos homossexuais, a Bíblia simplesmente proíbe as práticas homossexuais.

    A Bíblia diz: “Não seja controlado pelo seu corpo. Mate qualquer desejo pelo tipo errado de sexo.” (Colossenses 3:5, Contemporary English Version) Para eliminar desejos errados, que levam a ações erradas, você precisa controlar seus pensamentos.

    Se você sempre encher a mente com pensamentos sadios, conseguirá rejeitar desejos errados mais rapidamente. (Filipenses 4:8; Tiago 1:14, 15) Embora talvez tenha de se esforçar muito a princípio, isso poderá se tornar mais fácil com o tempo. Deus promete ajudá-lo a ‘ser renovado na força que ativa a sua mente’. Efésios 4:22-24.

    Milhões de heterossexuais que querem seguir os padrões da Bíblia também se esforçam em controlar seus desejos. Isso inclui muitos que são solteiros ou que são casados com alguém incapaz de ter relações sexuais. Apesar das tentações que talvez enfrentem, eles levam uma vida feliz. Aqueles que têm desejos homossexuais podem fazer o mesmo se realmente quiserem agradar a Deus. Deuteronômio 30:19.

    Embora a Bíblia desaprove as práticas homossexuais, ela não apoia a homofobia ou o ódio aos homossexuais. Em vez disso, os cristãos são aconselhados a ‘respeitar todas as pessoas’. 1 Pedro 2:17, Bíblia Fácil de Ler.

    Curtir

  • ministeriotj  On 1 de agosto de 2016 at 17:29

    Julecleison,

    “eu tenho certeza que ele se referia aos homens com jeitos femininos”

    Apenas dizer que tem certeza não é o suficiente. Exponha o que te deu essa certeza para nós, para que possamos ter certeza disso juntos.😉

    “Nesses últimos vinte anos conseguimos evidências científicas que a homossexualidade nada mais é que uma variação da sexualidade humana, algo que não dá pra mudar. […] mas a homossexualidade não é algo que se muda, se realmente Deus quisesse a “cura” era para eles conseguirem mudar, mas não é o que ocorre, o que acontece é sofrimento por essa tentativa de mudança, Deus sabe do coração deles.”

    O que você acha, Julecleison: Será que as pessoas nascem com essa tendência homossexual? Nesse caso, alguns acham que é cruel dizer que elas não podem satisfazer seus desejos. A Bíblia não fala sobre as possíveis causas genéticas da homossexualidade. Mas ela reconhece que algumas características de personalidade são fortes e bem difíceis de mudar. Mesmo assim, a Bíblia diz que a pessoa que quer agradar a Deus deve evitar totalmente certos tipos de conduta — incluindo o homossexualismo. — 2 Coríntios 10:4, 5.

    Ainda no assunto de fatores genéticos, alguns especialistas dizem que características como a agressividade podem ter uma causa genética. A Bíblia não entra nesse campo, mas reconhece que algumas pessoas ‘se iram facilmente’ e são ‘propensas à ira’. (Provérbios 22:24; 29:22) Mesmo assim, ela diz: “Deixe a ira e abandone o furor.” — Salmo 37:8; Efésios 4:31.

    A maioria das pessoas concordaria com esse conselho da Bíblia e não acharia que ele é cruel. Na verdade, até os especialistas que dizem que a raiva faz parte da genética da pessoa se esforçam para ajudar essas pessoas a se controlar.

    As Testemunhas de Jeová pensam da mesma forma com relação a qualquer conduta que não esteja de acordo com o que a Bíblia diz. Isso inclui não apenas práticas homossexuais, mas também sexo entre um homem e uma mulher que não são casados. Para todos esses casos, o conselho da Bíblia é: “Cada um de vocês deve saber controlar o seu próprio corpo em santidade e honra, não com paixão desenfreada, ávida.” — 1 Tessalonicenses 4:4, 5.

    Em fim, eu até posso entender esse seu sentimento. Taxar todos os religiosos de “homofóbicos” e de “promover a violência contra os homossexuais” não é algo muito honesto. Você não vê nenhuma Testemunha de Jeová fazendo protestos, colocando cartazes incentivando a violência contra os homossexuais e outras coisas que você mesmo está cansado de ouvir falar na mídia. As Testemunhas de Jeová se esforçam para seguir a Regra de Ouro, ou seja, tratar os outros como gostariam de ser tratadas.

    Curtir

Comments in english allowed! Não serão permitidos comentários de opositores ou pessoas que querem debates sem fim. EVITE FUGIR DO TEMA DA PÁGINA OU FAZER flooding de informações. Isso é coisa de gente desonesta e que quer confundir. Discordar não é problema, mas fazer oposição com zombaria desrespeito e trollagem não são aceitos nesta página. Ao postar nesta página você estará concordando com isso! Não é permitido a participação de APÓSTATAS nos comentários desta página. Em outras palavras, críticas e discordâncias são aceitas e até mesmo postadas, mas não “espírito de oposição”. Isto se dá em vista do claro mandamento bíblico para que “os eviteis” Romanos 16:17.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s