Judas 4 corretamente contextualizado


Alguns leitores sinceros tem se deparado com o texto de Judas verso 4 e perguntado como podemos responder aos trinitários, uma vez que este texto fala de Jesus e o chama de “único Dono”. Estaria o texto inspirado afirmando que Jesus é o próprio Deus? O texto reza:

Versão: : João Ferreira de Almeida Atualizada reza:

Judas 1:4 Porque se introduziram furtivamente certos homens, que já desde há muito estavam destinados para este juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de nosso Deus, e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo.  

Versão: Español: Biblia de Jerusalén (1976)

Judas 1:4 Porque se han introducido solapadamente algunos que hace tiempo la Escritura señaló ya para esta sentencia. Son impíos, que conviertan en libertinaje la gracia de nuestro Dios y niegan al único Dueño y Señor nuestro Jesu Cristo.

A Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas verteu do grego assim:

“A minha razão é que se introduziram sorrateiramente certos homens  que há muito têm sido designados pelas Escrituras para este julgamento, homens ímpios, que transformam a benignidade imerecida de nosso Deus numa desculpa para conduta desenfreada e que se mostram falsos para com o nosso único Dono e Senhor, Jesus Cristo”.

 

Vejamos a definição dada pela Concordância de Strong a respeito da palavra grega usada.

 

Concordância de Strong
despotés: Senhor, mestre

Palavra Originalδεσπότης, ου, ὁ
Parte do Discurso: Substantivo Masculino
Transliteraçãodespotés
Pronúncia Fonética(dés-pot’-ess)
Definição Curta: um senhor, mestre, ou príncipe

Este texto de Judas verso 4, onde ocorre uma frase com aplicação exclusiva, não pode ser isolado na interpretação. Usando o mesmo raciocínio exclusivo eu poderia afirmar que Moisés era um falso deus visto que Jeová é o “Único Deus Verdadeiro”. (Êxodo 7:1; João 17:3) A própria declaração de Judas 4 não pode ser dissociada de Judas 25 onde lemos que o Pai, ou seja,  “Deus”, é o nosso salvador “por intermédio de Jesus Cristo nosso Senhor”. Tais palavras contextuais indicam claramente que Jesus é o amo ou mestre devidamente designado por Deus. Paulo em 1 coríntios 6:20 apresenta o porquê desta terminologia “Dono”, ao explicar que “fomos comprados” pelo sangue de Cristo. Paulo comenta que não somos mais “escravos de homens”. (1 Cor. 7:23) Fica claro que Jesus é o Único Dono no contexto da sua compra simbólica de escravos realizada com seu sangue. Em 2 Pedro 2:1 o Apóstolo usa a mesma palavra “Dono” empregada em Judas verso 4 e amplia nosso entendimento desta ao dizer que “alguns repudiam o Dono que os comprou“. Portanto é no contexto da compra que Jesus realizou que ele deve ser chamado de “Dono”.   Negar que ele é o nosso Dono é antibíblico. É algo natural neste contexto afirmarmos que Jesus é o nosso “Único Dono”. O próprio texto de Judas 4 apresenta Deus como a fonte de benignidade imerecida, ou seja, aquele que forneceu Jesus para nos salvar. Jeová Deus “deu o seu filho” a fim de que este dominasse sobre a Igreja. JOÃO 3:16

Não são poucos os teólogos evangélicos que afirmam que “não se pode isolar um texto a fim de formar doutrina”. Algo ignorado por seus próprios irmãos de fé que costumam usar textos isolados ao passo que ignoram o contexto imediato de diversas passagens.

Suponhamos que aceitássemos a interpretação de alguns, quando afirmam que Jesus é o único e exclusivo dono sem exceção, como ficaria a teologia deles mesmos, que alega que há 3 pessoas? Sem perceber, ao usarem tal raciocínio, eles excluem o Pai e o “Espírito Santo” de serem seus “donos”!

 

Isto entraria em choque com centenas de textos bíblicos, inclusive o de Efésios 1:17 que afirma que “O Pai da Glória” é o “Deus de nosso Senhor Jesus Cristo”.

Os judeu afirmaram: “Temos um só pai, Deus” ao mesmo tempo que disseram: “Nosso pai é Abraão” (João 8:39,41) Se usarmos da mesma hermenêutica que usam os trinitários, concluiremos que Deus e Abraão são um só!

fariseus_TNM

 

É importante salientar que Jesus é chamado de nosso Único Dono, mas não no contexto onde se discute quem é Deus ou sua natureza, e sim no contexto da relutância de alguns em reconhecerem a Cristo como o único que deve exercer domínio na vida das pessoas. 

Reconhecer o “Presidente” de uma empresa não significa negar a legitimidade do Presidente de nosso país. Da mesma forma, chamar nosso pai biológico de pai não significa rejeitar a Deus como o Pai e dador da vida. O mesmo podemos dizer da expressão único dono quando aplicada a Cristo. Não há contradição alguma , por exemplo, em reconhecer a Cristo como nosso único dono em contraste com os senhores deste mundo.

A linha de raciocínio apresentada por Judas não era sobre a natureza de Cristo, como querem fazer crer os trinitários que isolam judas verso 4. O discípulo Judas escreveu: “Introduziram[-se] sorrateiramente certos homens que há muito têm sido designados pelas Escrituras para este julgamento, homens ímpios, que transformam a benignidade imerecida de nosso Deus numa desculpa para conduta desenfreada e que se mostram falsos para com o nosso único Dono e Senhor, Jesus Cristo.” (Judas 4) Embora se associassem com a congregação, esses homens eram uma influência corrompedora. (Judas 8-10, 16) Foi neste contexto que Jesus foi chamado de “único Dono”. O que implica que alguns estavam procurando outro tipo de escravidão. A escravidão ao pecado e não a Cristo Jesus.
 
Both comments and trackbacks are currently closed.

Comentários

  • Saga  On 6 de agosto de 2014 at 16:00

    Jeová é nosso “Dono”, “Senhor” ou “Soberano” por ser o nosso Criador, pertencemos a ele, desde sempre, desde que viemos a ser criados.

    Jesus é o nosso “Dono”, “Amo” ou “Senhor” por ter nos comprado no Calvário -em 33 dC- ao preço de seu sangue. Pertencemos a ele desde então (Por nos dar vida eterna ele também se torna o Segundo Adão, ou seja nosso “Pai Eterno”, Adão no primeiro pai nos legou a morte, Jesus como segundo adão se torna um pai que nos dá vida, e vida eterna), ele também é Amo e Senhor, por ser ter sido entronizado por Deus como sendo o nosso rei.

    Percebam a diferença na nuance de significado dos dois casos. Um é “Dono” desde a própria criação, o outro é “Dono” desde o ano 33 d.C. Um é Rei desde a eternidade, outro é rei desde que foi designado como rei.

    Curtido por 1 pessoa

  • Espectador  On 6 de agosto de 2014 at 18:42

    Obrigado por esta interessante matéria. De fato, é bem assim que vemos um monte de gente usar os textos – isoladamente. É bom ver que de tantos e tantos sites que difamam esta excelente tradução da bíblia (NM), há algumas páginas dispostas a defender os ensinos simples e claros da bíblia, além de detalhes do grego e do hebraico que ajudam muito a diferenciar as traduções boas das não tão boas assim.
    Parabéns!!!

    Curtido por 1 pessoa

  • lais  On 6 de agosto de 2014 at 23:52

    “Percebam a diferença na nuance de significado dos dois casos. Um é “Dono” desde a própria criação, o outro é “Dono” desde o ano 33 d.C. Um é Rei desde a eternidade, outro é rei desde que foi designado como rei.”

    Excelente,isso descarta a hipótese de Jesus ser o O Deus,pois se Jesus fosse o O Deus,ele seria rei desde a eternidade,amei sua explicação,vou té usá la,quando for falar da Trindade pra alguém.(y) ❤

    Curtido por 1 pessoa

  • Saga  On 7 de agosto de 2014 at 22:29

    Os Cristeístas (os chamo assim) citam muitas semelhança entre Cristo e Deus, mas muitas delas tem de ser contextualizadas conforme este exemplos.

    Ambos são Reis? Mas são reis diferentes. Jesus atua como sucessor da linhagem do rei Davi, Davi, Salomão e outros por serem reis por acaso usurpavam a posição real de Jeová como Rei do Universo? Não.

    Ambos são Salvadores? Mas em sentidos distintos, o Pai é a fonte da salvação e o Filho é o agente da salvação, ou o meio pelo qual Deus salva.
    O paralelo de Cristo é com muitos outros salvadores que Deus designou para salvar Seu Povo.

    Jeová tem uma Mulher? Jesus tem uma Noiva? Mas vejam como a situação é distinta, Jeová estava pactuado ou casado com a Nação de Israel desde 1500 a.C no monte Sinai, certo? Mas a “Igreja” está prometida como noiva a Cristo, para que ocorra o casamento quando enfim se encontrarem nos céus.

    Ambos são Juízes? Mas enquanto que Jeová é o juiz universal, a Jesus e seus irmãos ungidos foi dada a autoridade em seu nome para julgar a Terra durante os mil anos, também chamados de “Dia do Juízo”.

    Ambos são “Primeiro e Último”? Mas Jeová é o primeiro e o último em eterna divindade, o Todo Poderoso Deus sem antecessores ou sucessores. Jesus é o primeiro e o último a morrer e a viver novamente por ação do próprio Jeová.
    Sim, pois os outros serão ressuscitados por Jesus.

    A confusão entre seus títulos e papeis atrapalha a compreensão de muitas passagens bíblicas, análises superficiais confundem os leitores das escrituras e os impedem de compreender os textos em profundidade. Além de perderem de vista a bonita relação que existe entre Jesus Cristo e Jeová Deus, como as pessoas religiosas irão apreciar a relação, a intimidade, a confiança e o amor existente entre Deus e seu querido Filho. Afinal, se enxergam Deus e Jesus como o mesmo, Jeová e Jesus como nomes da mesma pessoa, como que irão visualizar esta relação? Pai e Filho para eles são apenas rótulos funcionais que expressam a Divindade trabalhando em Si Mesma em diversas operações, é apenas uma ilustração, eles não tem realmente essa relação familiar Pai-Filho, são personalidades iguais, coiguais e coeternas, que apenas fingem ser “Filho” e “Pai” para fins da salvação humana.

    Exemplificando O Problema:
    [1] Pense numa pessoa com múltipla personalidade chamada Guto, que relação de intimidade existe entre sua personalidade chamada “Seth” e sua outra personalidade chamada “Josiel”? Serão eles realmente “Avó” e “Neto”??

    [2] Agora pense em duas pessoas, Seth de 80 anos e Josiel de 15 anos, ambos da família Guto, Seth sendo pai da mãe de Josiel, que moram na mesma casa.

    Percebe que o vinculo familiar verdadeiro está na segunda situação? Eles são realmente indivíduos distintos, e literalmente parentes.

    Curtido por 1 pessoa

  • Saga  On 8 de agosto de 2014 at 1:13

    Diferença da Abordagem Bíblica da Cristandade Trinitária
    x
    Abordagem Bíblica do Povo de Jeová.

                                    (Efésios 4:4-6) 
    

    4 Há um só corpo e um só espírito, assim como também fostes chamados em uma só esperança a que fostes chamados; 5 um só Senhor, uma só fé, um só batismo; 6 um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por intermédio de todos, e em todos.

                                   (1 Coríntios 8:5-6) 
    

    5 Pois, embora haja os que se chamem “deuses”, quer no céu, quer na terra, assim como há muitos “deuses” e muitos “senhores”, 6 para nós há realmente um só Deus, o Pai, de quem procedem todas as coisas, e nós para ele; e há um só Senhor, Jesus Cristo, por intermédio de quem são todas as coisas, e nós por intermédio dele.

    Os Triniteístas estão IMPOSSIBILITADOS de compreenderem tais textos, quando os usamos contra a Trindade, eles respondem que nossa analise é falha, pois se fosse assim, entendido objetivamente, “como que Jesus poderia ser o único Senhor, significa isso que Jeová não é Senhor?”.

    Mas é ao contrário, ELES É QUE NÃO SÃO CAPAZES DE EXPLICAREM tais textos, as Testemunhas Cristãs de Jeová não tem qualquer problemas com essas passagens.

    O sentido em que “Jesus é Senhor” é diferente da acepção em que Jeová é o Soberano Senhor. Considerem os textos abaixo

    • (Atos 2:36) Portanto, que toda a casa de Israel saiba com certeza que DEUS O FEZ TANTO SENHOR como Cristo, a este Jesus, a quem pregastes numa estaca.
      • (Romanos 14:9) Pois, para este fim morreu Cristo e passou a viver novamente, PARA QUE FOSSE SENHOR tanto sobre mortos como sobre viventes.

    Vocês acham alguém fez com que Jeová fosse o Soberano Senhor? Ele se tornou o Soberano Senhor morrendo e sendo revivido por outro? Não, ele sempre foi o Soberano Senhor, então percebam que não existe igualdade entre seus tipos de senhorio.

    Sobre porque eu escrevi “Soberano Senhor”, a resposta é dada pela TNM, que distingue tal termo, termo este que se origina da palavra hebraica ADONAY, palavra que nas Escrituras é usada para Jeová, mas não para Jesus Cristo, a situação é conforme diz o Salmo 110

    (Salmos 110:1) A pronunciação de Jeová a MEU SENHOR é: “Senta-te à minha direita, Até que eu ponha os teus inimigos como escabelo para os teus pés.”

    No Salmo 110, Davi chamou Jesus de “meu Senhor”, que em hebraico se diz “meu adon” (adon-i), não de Adonay. O que torna muito claro, que o fato de Jesus ser “Senhor” (Adon) NÃO O TORNA Jeová. (Que é o ensino que a Cristandade matraca, papagaia e repete através de seus pregadores, pastores, pastoras, sacerdotes, papas, teólogos, “especialistas”, “apologistas”, “sábios” e “eruditos”)

    • Jeová é o nosso Soberano Senhor (Nosso Adonay). Ele tem essa posição por ser o Deus Altíssimo, nosso Criador e o Rei da Eternidade.
    • Jesus é o nosso Senhor (nosso Adon). Ele tem tal posição por ter sido ungido por Deus (Cristo, o Messias significa Ungido) como nosso rei e ter morrido por nós. Com seu sangue ele comprou pessoas, as resgatando, de forma que Cristo se torna o Senhor, Amo ou Dono da alma dessas pessoas, sim, estes são seus escravos ou servos.

    Esta acepção em que Jesus Cristo é o nosso Senhor, é única no universo, não existe outro homem, nem anjo, nem Deus e nem espírito que tenha passado por tal processo.de forma que Cristo é um Senhor Único. Sendo assim os textos de Efésios 4:5 e I Coríntios 8:6, não estão apagando a soberano senhorio de Jeová ao chamar Cristo deúnico Senhor, é que neste sentido em que ele é “Senhor”, tal como explica textos como Atos 2:36 e Romanos 14:9, ele realmente, de fato é único.

    Note o contexto de 1 Coríntios 8:6, o verso 5 diz que há “MUITOS SENHORES”, qual o sentido de “senhor” neste verso 5? Será que é no sentido de ADONAY (Soberano Senhor), de existirem vários como Jeová tal como os trinitaristas propõem? IMPOSSÍVEL! Não podem existir muitos “adonays” ou “muitos jeovás” [sic], isso seria totalmente blasfemo (Leia Dt 6:4 e Marcos 12:29, 32, 34 NA TNM), mas podem existir muitos “adons”, e dentre estes, os cristãos reconhecem a singularidade e a supremacia de Jesus Cristo, aquele que foi ungido por Deus como rei dos reis, morreu e ressuscitou, nos legando vida eterna e se tornando Senhor sobre vivos e mortos por decreto do próprio Jeová.

    Já no caso daqueles que creem na Trindade: COMO EXPLICAR que Jesus seja o único Senhor, se a Trindade exigem que o Pai e o Espírito Santo também sejam o Senhor? MISTÉRIO!!!

    Os trinitaristas ensinam que Senhor é um titulo cristológico divino que o coloca como ser supremo no universo, um sinônimo de dizer Deus, uma forma equivalente de dizer que alguém é o Todo Poderoso Jeová, mas SE ISSO FOSSE VERDADEIRO, o fato de Jesus ser o ÚNICO Senhor, implicaria que a Segunda e a Terceira Pessoa da Trindade seriam inferiores a Jesus. É irônico que na ânsia por acharem evidência para sua amada doutrina da Trindade, o mais comum é que terminem por contradize-la.

    Já no caso do termo “Deus”, os triniteístas continuam num beco sem saída em EXPLICAR COMO PODER 1 COR 8:6 e EFÉ 4:6 DIZEREM QUE SOMENTE O PAI É DEUS. Como o Pai pode ser único em divindade, ser Deus num sentido que os membros da Trindade também não sejam? Nunca vi até hoje ninguém responder, OU SEJA…… mistério.

    • As TJ entendem e explicam em que sentido os cristãos podem ter “um só Senhor”: Jesus.(Sem que isto afete a posição suprema de Jeová Deus, o Pai)
    • O Filho pode ser “Senhor” em um sentido bíblico diferente do que Jeová é.
  • Mas a Cristandade não conseguem compreender e explicar em que sentido os cristãos devem ter “um só Deus”: o Pai. (Sem afetar a posição igualitária dos outros membros da Trindade) – A Doutrina da Trindade não permite que o Pai seja “Deus” em sentido diferente do que o Espírito e o Filho são.

  • Esclarecimentos das Testemunhas de Jeová vs Mistérios da Babilônia:
    Explicar x Confundir
    Malaquias 3:18

    É por isso que quando você debate com um deles, eles não demonstram interesse em TE EXPLICAR as coisas, e sim em TE CONFUNDIR, quando a coisa aperta ele sempre pode apelar pro famoso “Isto é um Mistério de Deus”! Já você não tem este artifício, tem de explicar tudo tintin por tintin, respondendo cabalmente todas as perguntas e resolvendo todas problemáticas, ele é o único que pode chegar num beco sem saída em que apele pro mistério.

    Babilônia cumpre a frase “Eu vim para confundir, e não para explicar”. Quer uma demonstração? Os pressione com textos como Mateus 24:36, João 17:3 e 1 Cor 8:6 que verás essa tática em ação:

    • Ao questionamento sobre o texto de Mateus 24:36 (somente o Pai sabe) quanto ao porque o Espírito Santo não sabe, ele pode tentar te CONFUNDIR com 1 Cor 2:11 (ninguém mais sabe das coisas de Deus, senão o Espírito de Deus);
    • Quanto ao questionamento sobre João 17:3 (A Vida Eterna é conhecer o Pai como o único Deus verdadeiro), ele pode tentar te CONFUNDIR com 1 João 5:20 (Estamos no Verdadeiro, em seu Filho Jesus Cristo. Esse é o verdadeiro Deus e a Vida Eterna);
    • Quanto ao questionamento sobre 1 Cor 8:6 (Há um só Deus, o Pai), ele pode tentar te confundir por perguntar: “Mas o resto do versículo diz que temos um só Senhor, Jesus Cristo. Se Jeová ser o único Deus exclui Jesus de também ser Deus, o fato de Jesus ser chamado de o único Senhor não excluiria Jeová de ser o Senhor? Tu não acredita que Jeová também seja Senhor? Sim? É o que mostram muitos outros textos da Palavra. Então também não deverias usar esse verso isoladamente para negar que Jesus seja Deus, como muitos outros versos deixam claro”

    Percebam que nos três casos propostos, o trinitário NÃO EXPLICOU o texto de Mt 24:36, NÃO EXPLICOU o sentido do texto de Jo 17:3 e NÃO EXPLICOU o significado do texto de 1 Cor 8:6, ele tentou desviar atenção para outros textos (tentando dizer que o Espírito Santo também é Onisciente, o Filho também é Deus verdadeiro e que o Pai também é Senhor), mas quanto a onde se encaixa a Trindade com relação aos textos questionados, isso continuou um MISTÉRIO!

    Estes são os fatos, então….
    VOCÊ que vive em Babilônia (Apo 18:4), ainda há tempo, saia dos mistérios, venha enfim conhecer segredos preciosos das Escrituras, selados para tantas pessoas (Amós 8:11,12), mas revelados ao Povo de Jeová.

    (Provérbios 4:18,19 .Isaías 65:13,14)

    Chega de mistérios, se estamos nos últimos dias, o tempo é de revelação (Favor LER DANIEL 12:4), confusão (babel) religiosa nunca mais.

    E vós haveis de ver novamente a diferença entre o justo e o iníquo, entre o que serve a Deus e o que não o serviu. (Malaquias 3:18)

    Curtido por 1 pessoa

  • karmo2010  On 8 de agosto de 2014 at 9:05

    Ou seja, Cristo é o único Senhor na sua categoria de senhorio.
    Jeová é o único Deus, na sua categoria de divindade.
    É muito simples, sem mistério.

    Curtir

  • lais  On 8 de agosto de 2014 at 11:20

    Isso mostra que eles não leen a bíblia por completo,se lessem eles saberiam disso,pior é se vc mostrar,explicar’e nos mínimos detalhes’pra eles,alguns deles ignoram,tentam de toda forma lutar contra a verdade,porque não está de acordo com suas crenças.

    Curtir