Possui Jesus no céu um corpo humano? É Jesus homem eternamente?


 

É grande o número de evangélicos que respondem positivamente às perguntas feitas acima, no título do artigo. Para eles, o Senhor Jesus Cristo ainda retêm em sua natureza a humanidade, fato este que prova o porquê da bíblia se referir a Jesus como sendo submisso ao Pai mesmo após a sua ressurreição, claro, buscando assim um pretexto para apoiar a doutrina da trindade. É o  típico caso de uma mentira para encobrir outra.

Felizmente, a bíblia que é a verdade, nos dá luz sobre este assunto. Lemos em 1 Pedro 3:18 que Jesus foi “morto na carne, mas vivificado no espírito”. (Tradução do Novo Mundo; Almeida, atualizada; I.B.B.Brasileira)

Unicamente esse texto já serviria para responder as indagações a respeito desse assunto, mas como Jeová é amoroso, ele nos fornece mais indícios em sua palavra para eliminar qualquer dúvida  a respeito de qualquer assunto que seja.

A lei mosaica, com seus sacrifícios, era uma sombra de coisas ainda futuras. O que é uma sombra? Uma sombra indica a figura ou forma geral da realidade que a projeta.  O que isso tem a ver com o corpo de Cristo? Lemos em Colossenses 2:17:

“Estas coisas são sombras do que haveria de vir; a realidade, porém, encontra-se em Cristo”. 

Lemos também em Hebreus 10:1:

“A Lei traz apenas uma sombra dos benefícios que hão de vir, e não a realidade dos mesmos. Por isso ela nunca consegue, mediante os mesmos sacrifícios repetidos ano após ano, aperfeiçoar os que se aproximam para adorar”.

O bode e os novilhos oferecidos no dia da expiação representavam o sacrifício de nosso Senhor Jesus Cristo. O que acontecia com os cadáveres daquelas vítimas usadas em sacrifício no dia da expiação? Lemos em Hebreus 13: 11,12:

“O sumo sacerdote leva sangue de animais até o Santo dos Santos, como oferta pelo pecado, mas os corpos dos animais são queimados fora do acampamento. Assim, Jesus também sofreu fora das portas da cidade, para santificar o povo por meio do seu próprio sangue”. 

O que deduzimos disso? Seguindo a mesma lógica, Jeová Deus eliminou o corpo sacrificado de seu Filho. Além disso, se Jesus tivesse tomado de volta seu corpo de carne, seu sacrifício teria sido temporário, sem contínuo valor expiatório. Também lemos em Hebreus 9:8,24:

“Dessa forma, o Espírito Santo estava mostrando que ainda não havia sido manifestado o caminho para o Santo dos Santos enquanto ainda permanecia o primeiro tabernáculo. Pois Cristo não entrou em santuário feito por homens, uma simples representação do verdadeiro; ele entrou no próprio céu, para agora se apresentar diante de Deus em nosso favor”. 

A carne do ser humano Jesus Cristo era um impedimento para ele ter acesso aos céus. Lemos em Hebreus 10:19,20:

Tendo pois, irmãos, ousadia para entrarmos no santíssimo lugar, pelo sangue de Jesus, pelo caminho que ele nos inaugurou, caminho novo e vivo, através do véu, isto é, da sua carne”. 

A “carne” de Jesus, portanto, é mencionada em Hebreus 10:20 como sendo representada pela “cortina” (véu) que separava o Santo do Santíssimo no tabernáculo. Antes de poder entrar no céu, o verdadeiro “Santíssimo”, Jesus teve de renunciar à sua existência carnal e receber natureza espiritual. Seu corpo de carne teria sido uma barreira para ele ir além da “cortina” como pessoa espiritual.

Outra evidência a favor de que Jesus não foi ressuscitado na carne é que dois de seus discípulos, bem como Maria Madalena, não o reconheceram nas suas aparências físicas após a ressurreição. Apenas discerniram quem ele era por meio daquilo que disse e fez. — Luc. 24:13-31; João 20:14, 15.

Mas o caro leitor pode-se perguntar: E no caso de Tomé, os sinais físicos das marcas de prego no corpo de Jesus não é evidência clara que Jesus possuía o mesmo corpo físico antes de morrer?

Para responder  essa pergunta, temos de ler o contexto. Veja o que ele nos diz:

Jesus veio, embora as portas estivessem fechadas à chave, e ficou em pé no meio deles.” (João 20:26)

Seja sincero caro leitor: é possível um ser humano de corpo fisicamente carnal entrar numa sala com portas fechadas, simplesmente atravessando as paredes? E porque João frisou esse ponto? Se o Senhor Jesus tivesse simplesmente  aberto a porta e depois entrado fisicamente na sala, João NÃO teria dito as palavras acima.

Isso explica o fato de no livro de Lucas os discípulos terem ficado apavorados. Lemos:

 Enquanto falavam sobre isso, o próprio Jesus apresentou-se entre eles e lhes disse: “Paz seja com vocês! “Eles ficaram assustados e com medo, pensando que estavam vendo um espírito”. Lucas 24:36-37

Fica claro assim que Jesus deve ter materializado instantaneamente um corpo físico de carne. Um corpo humano não atravessa portas fechadas. Isto é algo que nenhum homem de carne podia ter feito. Mas é algo que pessoas espirituais podiam fazer por se materializarem.

Isto está de acordo com as palavras de Jesus no mesmo relato de Lucas. Lemos:

Ele lhes disse: “Por que vocês estão perturbados e por que se levantam dúvidas em seus corações?Vejam as minhas mãos e os meus pés. Sou eu mesmo! Toquem-me e vejam; um espírito não tem carne nem ossos, como vocês estão vendo que eu tenho”. Lucas 24:38-39 

A materialização de corpos carnais é evidente em vários episódios nas escrituras.  No relato de Lucas vemos isso. Lá diz:

 

“Então um anjo do Senhor apareceu a Zacarias, à direita do altar do incenso”. Lucas 1:11 

Outro fato que corrobora que Jesus simplesmente assumiu um corpo, para ser visto pelos seus discípulos, assim como anjos fizeram no passado, é também evidente no fato de que ele apareceu plenamente vestido. Quando Jesus foi deitado no túmulo, não estava vestido, mas apenas envolvido em faixas de linho fino. Depois de sua ressurreição, estas faixas permaneceram no túmulo. Portanto, assim como Jesus teve de materializar roupa, também teve de assumir carne, para se tornar fisicamente visível aos seus discípulos. — Luc. 23:53; João 19:40; 20:6, 7.

Com este entendimento, podemos reconhecer que, ser Jesus chamado de “Filho do homem”, mesmo depois de ter ido para o céu, não se pode referir a ele ter um corpo humano nos céus. Uma profecia messiânica que fala sobre ele receber poder régio de seu Pai, refere-se a ele como sendo “alguém semelhante a um filho de homem”. (Dan. 7:13, 14) Portanto, embora tivesse oferecido o sacrifício exigido por entregar a sua natureza humana, Jesus Cristo retém a designação messiânica de “Filho do homem”.

Em Apocalipse lemos também: Não vi templo algum na cidade, pois o Senhor Deus todo-poderoso e o Cordeiro são o seu templo. Apocalipse 21:22

Jesus Cristo leva o título de “o Cordeiro”, por ter deposto a sua vida em sacrifício. Este título obviamente não descreve sua aparência ou natureza nos céus. Assim, as Escrituras, como um todo, testificam que Jesus foi ressuscitado, não como homem de carne e sangue, mas como gloriosa pessoa espiritual. É por isso que a bíblia é enfática em dizer:

Mas alguém pode perguntar: “Como ressuscitam os mortos? Com que espécie de corpo virão? ” Assim também é a ressurreição dentre os mortos. Semeia-se o corpo em corrupção; ressuscitará em incorrupção. Semeia-se corpo natural, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual. E agora digo isto, irmãos: que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção.”1 Coríntios 15:35,42,44 e 50

Era do propósito de Deus que seu Filho reassumisse a vida celestial e não mais continuasse a viver como homem na terra. Isto exigia que Jesus fosse ressuscitado como pessoa espiritual, porque pessoas de carne e sangue não podem viver nos céus.

 Contribuído 
 
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • Karmo  On 1 de março de 2014 at 12:14

    Muito bom esse artigo! Além de mostrar as implicações negativas da crença de que Jesus subiu aos céus com seu corpo carnal, mostra indiretamente a incoerência do ensino da Trindade. Como assim?

    A crença na trindade diz que as três pessoas são co-eternas, CO-IGUAIS, todo-poderosas e etc… Pelo menos no requisito CO-IGUAIS já não se encaixa a crença de que Jesus subiu aos céus com seu corpo carnal. Nenhuma das outras supostas duas pessoas da trindade tem um corpo carnal. Fica comprometida a crença na trindade pelos próprios trinitaristas que acreditam que Cristo subiu com seu corpo carnal.

    Algo parecido com essa crença é a doutrina da Assunção de Maria aos céus. Os evangélicos se equiparam assim aos católicos que creem que Maria subiu com seu corpo carnal aos céus. Dessa forma, seriam duas pessoas carnais a habitar os céus espirituais. Que absurdo!

    Essas crenças desonram o Criador, e amigo leitor, reflita bem sobre o assunto. Caso tenha uma opinião diferente, queira nos fazer ciente dela, desde que se manifeste com educação e profundo respeito.

    Curtir

  • juliioaguiar  On 2 de março de 2014 at 15:29

    irmãos, gostaria que colocassem um artigo sobre filipenses 2:10 e revelação 5:12,13 pois os ev afirmam que devemos adorar a Jesus.

    Curtir

  • Bruno  On 2 de março de 2014 at 21:49

    Portanto, “no nome de Jesus, se dobre todo joelho dos no céu, e dos na terra, e dos debaixo do chão, e toda língua reconheça abertamente que Jesus Cristo é Senhor, para a glória de Deus, o Pai”. — Filipenses 2:10, 11. (Note o final do Vers. 11 que diz: para a glória de Deus).

    Jesus disse: “É a Jeová, teu Deus, que tens de adorar e é somente a ele que tens de prestar serviço sagrado.” (Mateus 4:10) Mais tarde, Jesus ordenou aos seus discípulos: “Não chameis a ninguém na terra de vosso pai, pois um só é o vosso Pai, o Celestial.” — Mateus 23:9.

    Curtir

  • oTESTEMUNHAdeJAH  On 3 de março de 2014 at 17:36

    Se Jesus possui um corpo de carne e sangue no céu, como ficam as necessidades fisiológicas? Ele terá que se alimentar e dormir pelo menos 8 horas por dia também? Que espécie de roupa de astronauta Jesus deveria usar para conseguir permanecer no “céu” espiritual?

    Sei que o comentário parece até meio debochado, mas na verdade com um corpo humano Jesus teria necessidades concernentes a tal espécie de corpo!

    Mais um conceito que pode ser refutado pela LÓGICA!

    Curtir

  • oTESTEMUNHAdeJAH  On 3 de março de 2014 at 20:12

    Olá Julio Aguiar.

    Quanto aos textos você mesmo pode analisá-los e perceber que não se referem a adorar Jesus no lugar de Jeová.

    FILIPENSES 2:10
    Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai. – Filipenses 2:9-11 Al.

    Veja que o texto diz que
    1- DEUS O EXALTOU; – Então ele não possuía essa posição.
    2- LHE DEU o nome que é sobre todo nome. – Se Deus “lhe deu”
    esse nome que está acima de todo outro nome, podemos perceber que esse nome continua sendo ainda inferior ao de Jeová. conforme lemos em 1 Corintios 15:27 que diz: “Porque todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas.”. – Note 1 Corintios 11:3

    Mas será que mesmo assim o texto indica que Jesus tem que ser adorado?
    Veja que esse nome dado a Jesus foi uma autoridade, pois “todo o joelho deve se dobrar diante dele”.
    Todo o joelho se dobrar diante de Jesus não indica uma adoração e sim que Jesus passou a ter autoridade sobre. Como sabemos disso?
    1- “Todo joelho se dobra NO CÉU” – Os anjos estão sujeitos a Jesus.”Feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles.- Hebreus 1:4 Almeida.
    2- “Todo joelho se dobra NA TERRA” – De fato Jesus é o cabeça dos humanos, Ele possui autoridade superior e somos sujeitos a essa autoridade.- 1 Corintios 11:3
    3- “Todo joelho se dobra DEBAIXO DA TERRA” – Se essa expressão “Todo joelho se dobre” se referisse a “adoração” como alguém “de baixo da terra”, ou morto como diz o texto, poderia adorar alguém? O Salmo 115:17 deixa isso claro: “Os mortos não louvam ao Senhor, nem os que descem ao silêncio.” – Almeida.
    Então podemos concluir que Jesus também tem autoridade sobre os mortos, para ressuscitá-los e eliminar a morte da humanidade. e ele somente poderá fazer isso por que DEUS JEOVÁ o EXALTOU e lhe DEU esse NOME ou AUTORIDADE.e tudo isso ocorrerá como disse o próprio Bruno: “para a glória de DEUS, o PAI” – Filipenses 2:11; 1 Corintios 15:25-28.

    REVELAÇÃO 5:12, 13
    “Que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças.
    E ouvi a toda a criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e que estão no mar, e a todas as coisas que neles há, dizer: Ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, sejam dadas ações de graças, e honra, e glória, e poder para todo o sempre”.- Apocalipse 5:12-13.

    Qual a história que se passa em Revelação 5 (usando a Almeida)?

    A visão diz que Jeová estava sentado no trono tendo na mão direita um livro selado com sete selos, Mas não havia ninguém, nem no céu nem na terra que fosse digno de abrir aquele livro. Então Jesus “o cordeiro” aparece e pega o livro da mão de Jeová e todos ficam em êxtase por que se achou alguém digno de abrir o livro. Por isso os anjos pronunciaram o que diz nos versículos 12 e 13.
    Apesar de tudo isso não consigo ver margem para adorar a Jesus. Talvez o ponto esteja no versículo 14 que diz: “e os quatro seres viventes diziam: Amém. E os anciãos prostraram-se e adoraram.” – Apocalipse 5:14
    Jeová estava sentado no trono (Apocalipse 5:13) e a adoração foi dirigida a ele conforme podemos ver em todo o contexto da Biblia, inclusive no que o próprio cordeiro nos ensinou. – Mateus 4:10.

    Espero ter ajudado.
    Fique com Jeová.

    Curtir

  • Ismael Cardoso S. Neto  On 4 de março de 2014 at 17:17

    Muito bom.
    Mas tenho uma dúvida quanto o que ocorreu com o corpo físico de Jesus.
    Para onde foi, o que ocorreu, o que aconteceu com esse corpo.
    Obrigado.

    Curtir

  • Karmo  On 4 de março de 2014 at 23:48

    Sem dúvida, Cristo ressuscitou como poderosa criatura espiritual. Isso fica ainda mais evidente das palavras registradas em Atos 10:40, 41:

    “Deus ressuscitou a Este no terceiro dia e lhe concedeu tornar-se manisfesto, NÃO A TODO O POVO, mas a testemunhas designadas de antemão por Deus, a nós, os que comemos e bebemos com ele depois do seu levantamento dentre os mortos.”

    O povo em geral, que costumava ver Jesus fazendo milagres, não viu Jesus após sua ressurreição, mas os discípulos tiveram o privilégio de vê-lo em ocasiões especiais, às vezes as portas fechadas as chaves, quando aparecia de repente na frente deles materializando corpos humanos, como os anjos faziam no passado, tomando com eles até mesmo refeições durante um período de 40 dias após sua morte. (Atos 1:3)

    Sem dúvida não era o mesmo corpo com o qual sofreu e morreu! Agora é um corpo glorificado, um corpo espiritual que tem livre acesso aos céus espirituais.
    “[Cristo,] NOS DIAS DA SUA CARNE, ofereceu súplicas e também petições Àquele que era capaz de salvá-lo da morte…” (Hebreus 5:7) O que se quer dizer com a expressão NOS DIAS DA SUA CARNE, senão que ele não possui mais um corpo carnal?

    “Tomou também o pão, deu graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: “Isto significa meu CORPO QUE HÁ DE SER DADO em vosso benefício. Persisti em fazer isso em memória de mim.” (Lucas 22:19) Cristo Jesus não tomaria de volta o CORPO que iria dar em benefício pela humanidade. Se o fizesse, anularia seu sacrifício de resgate. Mas, então, o que aconteceu ao corpo carnal de Cristo?

    “Ó desarrazoado! Aquilo que semeias não é vivificado a menos que primeiro morra; e, quanto ao que semeias, semeias, não o corpo que se há de desenvolver, mas o mero grão, seja de trigo, seja de qualquer dos outros;” (1 Cor. 15:36, 37) O apóstolo Paulo, falando da ressurreição dos mortos, nos mostra que o corpo sepultado (o grão), não é o mesmo corpo levantado (que há de se desenvolver). Um tipo de corpo é sepultado, outro tipo é levantado (principalmente no que diz respeito aos herdeiros celestiais).

    Ao falar de sua morte, Jesus se comparou ao grão de trigo: “Eu vos digo em toda verdade: A menos que o grão de trigo caia ao solo e morra, permanece apenas um só [grão]; mas, se morre, então dá muito fruto.” (João 12:24) De fato, ao ressuscitar e aparecer para seus discípulos, muitos não o reconheceram imediatamente, fato estranho em se tratando de pessoas que conviveram com ele por vários anos. Certamente o “grão” tinha morrido e se desenvolvido em outro tipo de “corpo”.

    O que então, teria acontecido com seu corpo carnal, DADO em sacrifício pela humanidade? O próprio Deus se encarregaria de sumir com o corpo carnal de Jesus, assim como se encarregou do corpo do seu profeta Moisés. (Deuteronômio 34:6) Com a diferença de que não deixou o corpo carnal de Cristo no sepulcro, e com certeza o corpo carnal de Cristo também não viu a corrupção ou decomposição. (Atos 2:26, 27) Não sabemos o que Deus fez com o corpo carnal de Cristo, mas eu particularmente acredito que o corpo carnal de Jesus está preservado por Deus em um lugar que só Deus sabe. É como se fosse um lembrete por toda eternidade do sacrifício e do amor feito por Jeová e Jesus Cristo a favor da restauração da paz no Universo.

    Portanto, o que importa para nós é que Cristo vive como poderosa criatura espiritual e está à direita de Jeová Deus nos santos céus por toda eternidade. Seu sacrifício pela humanidade jamais será esquecido, e queremos ser sempre gratos pelo maior presente que nosso Criador poderia ter nos dado, a vida eterna através de Jesus Cristo.

    Curtir

  • Saga  On 5 de março de 2014 at 21:28

    Olhando para os modelos da Lei, pensem no que acontecia com os corpos dos animais oferecidos.

    “Os sacrifícios ordenados sob o pacto da Lei apontavam todos para Jesus Cristo e seu sacrifício, ou para os benefícios que resultam desse sacrifício. (He 8:3-5; 9:9; 10:5-10)

    Ofertas queimadas. As ofertas queimadas eram apresentadas em sua inteireza a Deus; o adorador não ficava com parte alguma do animal. (Veja Jz 11:30, 31, 39, 40.) Constituíam um apelo a Jeová para que aceitasse, ou demonstrasse aceitar, a oferta pelo pecado que às vezes as acompanhavam. Jesus Cristo, como “oferta queimada”, entregou-se por completo, inteiramente.
    Animais oferecidos e o procedimento seguido: vitelo, carneiro, cabrito, rola ou pombo novo. (Le 1:3, 5, 10, 14) No caso de um animal, o ofertante punha a mão sobre a cabeça do animal (reconhecendo a oferta como sua própria oferta, e como para si, em seu favor). (Le 1:4) O animal era abatido; o sangue era aspergido ao redor sobre o altar da oferta queimada (Le 1:5, 11); o animal era esfolado e cortado em pedaços; seus intestinos (nenhum resíduo orgânico era queimado sobre o altar) e pernas eram lavados; a cabeça e outras partes do corpo eram colocadas sobre o altar (o sacerdote oficiante recebia a pele; Le 7:8). (Le 1:6-9, 12, 13) No caso de uma ave, o papo e as penas eram removidos, e a cabeça e o corpo eram queimados sobre o altar. (Le 1:14-17)
    Ofertas de participação em comum (ou ofertas de paz). As ofertas de participação em comum aceitáveis a Jeová indicavam paz com ele. O adorador e sua família participavam delas (no pátio do tabernáculo). O sacerdote oficiante recebia uma parte, e os sacerdotes a postos, uma outra parte. Jeová, com efeito, recebia a fumaça agradável da gordura que queimava. O sangue, que representa a vida, era dado a Deus, como pertencente a ele. Portanto, os sacerdotes, os adoradores e Jeová estavam como que juntos na refeição. ”

    (Hebreus 13:11,12) 11 Porque os corpos daqueles animais, cujo sangue é levado para dentro do lugar santo pelo sumo sacerdote, pelo pecado, são queimados fora do acampamento. 12 Por isso, Jesus também, para santificar o povo com o seu próprio sangue, sofreu fora do portão.

    “Por conseguinte, a evidência bíblica prova que Jesus Cristo foi ressuscitado como Filho espiritual de Deus, em imortalidade e incorrução. (Atos 13:32-37) Portanto, na sua ressurreição dentre os mortos, Jesus Cristo não retirou seu corpo humano qual sacrifício de cima do altar de Deus, por tomar novamente seu corpo humano. (Hebreus 10:1-10) Assim como no Dia da Expiação, anual, eliminavam-se os cadáveres daquelas vítimas animais, cujo sangue fora levado ao Santíssimo pelo pecado, assim Deus aceitou o sacrifício da natureza humana de Jesus e eliminou o corpo humano de Jesus. Como? Isso não sabemos. (Hebreus 13:10-13) ”

    *** it-2 p. 85 Expiação, Dia da ***
    “O apóstolo Paulo demonstrou que, ao passo que não era possível que o sangue de touros e de bodes removesse pecados, Deus preparou para Jesus um corpo (que ele se mostrou disposto a sacrificar quando se apresentou para o batismo), e que, segundo a vontade divina, os seguidores de Cristo foram “santificados por intermédio da oferta do corpo de Jesus Cristo, uma vez para sempre”. (He 10:1-10) Assim como aquilo que sobrava dos corpos do novilho e do bode oferecidos no Dia da Expiação era por fim queimado fora do acampamento de Israel, o apóstolo observa que Cristo sofreu (por ser pregado numa estaca) fora do portão de Jerusalém. — He 13:11, 12”

    Não seria estranho se esse paralelo com holocaustos [ofertas queimadas] queira dizer alguma coisa. O fato é que aquele corpo foi totalmente oferecido no simbólico altar celestial de Deus e aquele sangue usado como eterna expiação. Há de se perguntar se afinal de contas tal carne e sangue podem ter outro uso após tal coisa.

    Curtir

  • Marcelo  On 6 de março de 2014 at 12:42

    Ismael

    Visto que o corpo de Jesus foi “queimado”, como fala o artigo, é razoável crer que este foi de alguma forma consumido por Jeová. Além do mais, certamente este corpo teria sido objeto de idolatria – Judas 9

    Curtir

  • Vassalo de Deus  On 8 de março de 2014 at 13:39

    Prezados senhores,

    Eu ainda não me dei por convencido, no tocante à ausência da ressurreição do corpo natural de Cristo. Tenho dúvidas sobre as quais gostaria de que fossem elucidadas. Nos últimos meses, desvinculei-me de algumas crenças por motivos vários que não cabem serem aqui discutidos, pois não há relação com o referido post. Trago comigo uma bagagem teológica que pode até prejudicar-me na escolha duma nova comunidade a qual eu deva me unir. Sendo assim, pergunto:

    A alegação de que um corpo humano não pode atravessar paredes como fizera Jesus diante dos apóstolos, não pode servir de base para a afirmação que o corpo de Jesus não era um corpo natural glorificado. Por quê? Ora, quando Cristo ainda não tinha sido morto e ressuscitado, ele fizera prodígios, tais como andar sobre as águas. Que corpo humano não ressuscitado poderia fazer isso? Jesus tinha um mero corpo como o nosso, no entanto ele andou sobre as águas. Se ele poderia fazer isso com o seu corpo natural, o que ele não poderia fazer tendo um corpo humano glorificado? Atravessar paredes seria algo trivial para Jesus ressuscitado. Isso precisa de explicação.

    Outra pergunta: Se o corpo de Jesus era somente espiritual, por que ele apresentou as marcas de seu martírio, se um corpo espiritual não pode ter evidências físicas? Como é que o corpo espiritual de Jesus apresenta marcas, sinais físicos? E mais, ele manda Tomé toque nessas marcas, dizendo que tem carne e ossos; logo, que corpo é esse?

    Outro questionamento. O fato de Jesus não ter sido reconhecido por Maria Madalena e outros no referido episódio, não atesta que Jesus tinha outra aparência, mas que os seus servos estavam de tal modo possuídos pela admiração que eles não viram o óbvio. Isso é psicologicamente verificado quando pessoas estão sob estresse. Já vi casos em que a própria mãe não percebeu que seu filho estava ao seu lado, quando desesperadamente procurava por ele após uma acidente. O mesmo fato aconteceu com Cléofas e o outro discípulo no caminho para Emaús. Os dois estavam sob estresse, nesse caso, uma frustração enorme, pois perceberam que Cristo não havia ressuscitado.

    Creio que há argumentos suficientes para que a ressurreição do corpo humano de Jesus não seja tão levianamente subestimada, assim como há os argumentos das Testemunhas de Jeová. Para mim, pelo menos até agora, penso que a ressurreição de Jesus foi completa, no sentido de que o seu corpo foi glorificado com incorruptibilidade. Assim, é óbvio que tal corpo não teria qualquer tipo de necessidade fisiológica, como alguém aqui indagou. Isso é tão absurdo quanto ao fato de que Jesus com seu corpo espiritual comeu peixe entre os apóstolos. Ou seja, nem o corpo espiritual de Jesus tinha necessidade de alimentos, nem o corpo natural glorificado. Essa passagem é para mim um mistério. Para que Jesus se alimentou? Ou será que ele só fez companhia aos apóstolos? Não sei. Expliquem-me, por favor.

    As demais doutrinas das Testemunhas de Jeová que conheço, até onde sei, tem fundamentação, tanto que até cogitei a possibilidade de congregar com alguns de vocês. Contudo, eu creio que esse assunto da ressurreição de Cristo é o mais incompreendido, ou o menos aceitável, por mim.

    Curtir

  • Karmo  On 8 de março de 2014 at 16:36

    Caro Vassalo de Deus,

    Realmente, quando se está acostumado com determinadas crenças desde muito tempo, é difícil assimilar uma nova maneira de encarar os assuntos, um novo ponto de vista.

    Quando pensamos na ressurreição de Cristo, muitas vezes nos vem a mente que Cristo reassumiu o corpo que foi morto no madeiro. Porém, o apóstolo Pedro, testemunha ocular da ressurreição de Cristo, como já foi até mencionado no artigo, testificou que Jesus foi morto na carne, mas vivificado no espírito. Se alguém tem uma interpretação diferente para 1 Pedro 3:18, poderia contribuir para o enriquecimento do assunto.

    Quando pensamos na ressurreição de Cristo, não devemos nos levar pela mera emoção e ter em mente as palavras do apóstolo Paulo em 1 Cor. 15:50, de que carne e sangue não herdam o reino de Deus. Subir para o céu com seu corpo carnal seria uma flagrante contradição com as palavras do apóstolo Paulo e Pedro.

    O corpo ressuscitado de Cristo, sem dúvida, era um corpo glorificado. Pergunto, o corpo que Jesus possuía antes de morrer podia atravessar paredes? Não há nada nos evangelhos que indique isso. Porém, é verdade que ele andou por cima das águas, com certeza com a ajuda do espírito santo de Jeová, com o qual foi ungido no batismo. Da mesma forma, Eliseu, o profeta, fez um machado perdido por um dos trabalhadores flutuar sobre as águas. (2 Reis 6:1-7) E Elias foi levado por uma carruagem de fogo para outra localidade, mesmo estando em corpo carnal. (2 Reis 2:11) A despeito disso tudo, por que seria necessário que Cristo aparecesse em meio aos discípulos, às porta fechadas, e não a todo o povo? (Atos 10:40, 41)

    Quanto aos corpos espirituais, quando permitido por Deus, eles podem assumir formas humanas carnais, assim como os anjos nos dias de Abraão fizeram. (Gênesis 18:1-8) Veja-se que os anjos tomaram uma refeição naquela ocasião. Acontece que não entendemos plenamente essa forma de vida espiritual, de alguma maneira eles podem transformar matéria em energia com muita facilidade, sem precisar de digestão. Quanto à forma que podem assumir, dentro do limite estabelecido pelo Criador, não podemos dizer o que eles são ou não são capazes de fazer. No que diz respeito a Cristo, que recebeu toda autoridade nos céus e na terra, seria facílimo para ele assumir um corpo semelhante ao que foi DADO em sacrifício pela humanidade, e, portanto, podia dizer que naquele momento em que apareceu para Tomé, materializado, ele não era um espírito, mas tinha carne e osso, assim como os anjos que apareceram a Abraão.

    O não reconhecimento de Jesus ressuscitado, por parte dos discípulos, não foi algo apenas de momento, como quando se dá no caso de pessoas que passaram por experiências traumáticas. O caminho para Emaús onde viajavam os discípulos por onze quilômetros, provavelmente a pé, era um longo caminho, ao qual se juntou o ressuscitado Jesus. (Lucas 24:13) Viajaria você e um outro amigo seu por onze quilômetro conversando com uma pessoa que não via a apenas três dias, e não a reconheceria? Por que só reconheceram ele quando chegaram na aldeia e pelo ato de partir o pão? (Lucas 24:30, 31) Se tiver uma explicação melhor para esse fatos, por favor, nos diga.

    Que o glorificado Jesus comeu com seus discípulos após sua ressurreição é atestado pelo texto de Lucas 24:41-43. Portanto, isso não é mistério para as testemunhas cristãs de Jeová, que tomam a peito o que a Bíblia diz sobre o assunto, e não podem acreditar que Cristo tenha subido aos céus com marcas de ferimentos em seu corpo glorificado.

    Medite, caro amigo, no assunto. Pergunte-se: Necessitaria Cristo de um corpo carnal para viver nos domínios espirituais de onde ele veio para nascer como humano?

    Fica com Deus.

    Curtir

  • Saga  On 8 de março de 2014 at 17:37

    Vassalo disse: A alegação de que um corpo humano não pode atravessar paredes como fizera Jesus diante dos apóstolos, não pode servir de base para a afirmação que o corpo de Jesus não era um corpo natural glorificado.

    Um corpo glorificado é um corpo espiritual. Não é um corpo carnal.

    Ler o que as Escrituras dizem sobre o glorioso corpo dos ressuscitados para a imortalidade.

    andar sobre as águas. Que corpo humano não ressuscitado poderia fazer isso?

    Jesus não andou sobre as águas por causa de nada anormal com respeito ao seu corpo, ele andou sobre as águas com um corpo físico igual ao nosso com respeito a ter carne, sangue e ossos. Seus milagres não tinham relação com o tipo de corpo que possuía.

    Se o corpo de Jesus era somente espiritual, por que ele apresentou as marcas de seu martírio, se um corpo espiritual não pode ter evidências físicas?

    Na verdade, um corpo espiritual nem ao menos pode ser visto, quanto mais ter dedos, pés, mãos, cabelo, roupas e tudo mais. Para ter tais adendos é necessário que aconteça uma materialização, pois aí se verá fisicamente o corpo do ser espiritual a sua frente. Mas enquanto espírito o corpo do ser celeste é imaterial, se tornando matéria quando necessário. No caso das aparições apostólicas, era necessário se tornar material, para que fosse visto, tocado e tudo mais.

    não atesta que Jesus tinha outra aparência, mas que os seus servos estavam de tal modo possuídos pela admiração que eles não viram o óbvio

    Como é? Ah tá claro, as estatísticas estão ao seu favor, digamos que tenhamos 13 pessoas, das 13, apenas de Tomé se diz que a principio não o reconheceu. Isso porque Jesus chega a REaparecer e mesmo assim não é por via visual que o reconhecem e sim por suas palavras e ações.

    corpo foi glorificado com incorruptibilidade
    Um corpo se glorificado com incorruptibilidade é deixar de ser carne e se tornar espiritual. Com o novo corpo, o antigo deixa de existir, assim como acontece com o grão.

    Isso é tão absurdo quanto ao fato de que Jesus com seu corpo espiritual comeu peixe entre os apóstolos [...] Essa passagem é para mim um mistério. Para que Jesus se alimentou?

    Jesus fez a mesma coisa que fizeram aqueles que apareceram a Abraão antes da destruição de Sodoma. (O fato de ter se alimentado era uma prova de que não estavam sonhando e nem vendo coisas, não era visão ou fantasma, pois comeu do alimento que estava ali.Ele era real, tão real quanto era o peixe pescado)

    Contudo, eu creio que esse assunto da ressurreição de Cristo é o mais incompreendido, ou o menos aceitável

    A diferença de “corpo espiritual imortal” para “corpo glorificado incorruptível” é apenas de escrita, o sentido é o mesmo. O ponto é que Cristo não tinha o mesmo corpo de carne e sangue que ele sacrificou na “cruz”, ele se tornou uma forma de existência superior, incapaz de morrer.

    PS: Neste ponto, as TJs consideram os imortais corpos gloriosos ou espirituais dos ungidos de Deus SUPERIORES aos corpos angélicos, que embora sejam também espirituais, NÂO TEM A IMORTALIDADE, já que ainda são passiveis de destruição ou estão sujeitos ao chamado Lago de Fogo. Então não são corpos “meio carne-meio espírito”/”meio físico/meio espiritual” pois os corpos dos anjos e demônios, que são corpos 100% ESPIRITUAIS, são inferiores a tais.

    Curtir

  • Vassalo de Deus  On 9 de março de 2014 at 10:51

    Saga e Karmo, agradeço pelas respostas. Tenham certeza de que já meditei sobre elas, mas creio que até eu aceitar todos os argumentos, deverá ser um processo no qual eu terei que repudiar a minha opinião inicial. Contudo, eu estou sinceramente cogitando congregar desde já num Salão do Reino. Eu até queria saber o que eu devo fazer: ir logo para lá ou pedir para ser visitado antes através do site das Testemunhas de Jeová?

    Gostaria de ser informado se a opinião das TJ’s já foi ao longo da cristandade foi defendida por outros representantes do cristianismo, pois pelo que eu sei, vocês são restauracionistas, portanto, fazendo jus ao nome defendem o que outrora em tempos antigos era doutrina cristã. Quais grupos do passado defenderam a opinião que vocês hoje defendem? Isso é importante saber, a fim de que se descarte um ineditismo doutrinário depois de quase dois milênios.

    Tenho mais algumas dúvidas. O que ocorreu na morte de Moisés? Por que ele apareceu juntamente com Elias na transfiguração de Cristo? Elias e Enoque foram levados por Deus para que lugar? A teologia católica parece informar que Elias e Enoque estão habitando o jardim do Éden. Desconheço a opinião das TJ’s. Sei que pela Palavra todos os homens nascidos de mulher morreram, então deve haver outra explicação para tais fatos. Há até quem diga que Moisés ressuscitou?

    Curtir

  • Karmo  On 9 de março de 2014 at 11:52

    Ainda sobre a ressurreição de Cristo em espírito, tenho a dizer que a conversa que ele teve com Nicodemos foi muito significativa e tem relação com a maneira como Jesus surgiu de entre os mortos. Lemos em João, capítulo 3:2-8:

    “Este [Nicodemos] veio a ele de noite e disse-lhe: “Rabi, sabemos que tu, como instrutor, tens vindo de Deus; pois, ninguém pode realizar esses sinais que tu realizas, a menos que Deus esteja com ele.” Em resposta, Jesus disse-lhe: “Digo-te em toda a verdade: A menos que alguém nasça de novo, não pode ver o reino de Deus.” Nicodemos disse-lhe: “Como pode um homem nascer, sendo velho? Será que pode entrar pela segunda vez na madre de sua mãe e nascer?” Jesus respondeu: “Eu te digo em toda a verdade: A menos que alguém nasça de água e espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que tem nascido da carne é carne, e o que tem nascido do espírito é espírito. Não te maravilhes por eu te dizer: Vós tendes de nascer de novo. O vento sopra para onde quer, e ouves o som dele, mas não sabes donde vem e para onde vai. Assim é todo aquele que tem nascido do espírito.”

    O QUE TEM NASCIDO DA CARNE É CARNE, O QUE TEM NASCIDO DO ESPÍRITO É ESPÍRITO. Jesus nasceu, como todos sabemos, através do milagre realizado pelo poderoso espírito santo de Jeová. A vida do Filho de Deus, que já existia nos céus como poderosa criatura espiritual, foi transferida milagrosamente para o ventre da jovem judia Maria. (Lucas 1:35, 26) Temos, então, antes do nascimento como humano, uma poderosa criatura espiritual. Que Jesus já existia antes do seu nascimento como humano, vemos da sua declaração em João 8:58. Jesus é corretamente chamado de O NASCIDO DE DEUS pelo próprio apóstolo que escreveu a conversa entre Jesus e Nicodemos. (1 João 5:18) E o próprio apóstolo João escreveu em Rev. 3:14, que Jesus é o princípio da criação de Deus. Qual é o ponto em questão?

    Jesus nasceu de Deus, como poderosa criatura espiritual, de modo que sua forma humana carnal só passou a existir quando veio a Terra como ser humano. Como já foi abordado no artigo e nos comentários, Deus preparou um corpo para que Cristo fosse sacrificado pela humanidade. Não poderia tomar de volta o corpo dado em sacrifício pela humanidade. Os humanos que tem perspectiva de vida celestial têm de nascer de novo, no sentido de terem uma ressurreição semelhante a de Cristo, uma ressurreição em espírito. (1 Pedro 1:3) Como disse Jesus, “A menos que alguém nasça da água e do espírito, não pode entrar no Reino de Deus.” Cristãos dedicados e ungidos com espírito são batizados em água e no espírito santo, para herdarem o Reino de Deus. Daí podem ter um “novo nascimento”, quando ressuscitam como poderosas criaturas espirituais.

    A ressurreição de Cristo, de certa forma, foi também seu “novo nascimento”, pois ele não assumiu seu corpo carnal, mas assumiu um corpo espiritual glorificado. (1 Pedro 3:18) Apareceu diversas vezes em meio aos discípulos, materializando-se em um corpo semelhante ao que foi morto, para que eles compreendessem que ele tinha, de fato, ressuscitado.

    Para além disso, temos a experiência do apóstolo Paulo, que “viu” Jesus após esse ter subido aos céus. (Atos 9:3-9) Os homens que o acompanhavam na jornada para Damasco “ouviram uma voz, mas não observaram nenhum homem.” Se Cristo tivesse assumido novamente seu corpo carnal e o tivesse levado para os céus, certamente esse companheiros de viajem do apóstolo Paulo o teriam visto, não é verdade?

    Jesus jamais levaria para o céu o corpo martirizado no madeiro. Carne e sangue não podem herdar o Reino de Deus, motivo adicional porque disse as palavras a Nicodemos “necessário vos é nascer de novo”. A compreensão dessa verdade entra em choque com a tradicional forma de pensar das pessoas da cristandade, de modo que não é aceita pelos clérigos e líderes religiosos.

    Porém, o que deve interessar para nós, estudante sinceros da palavra de Deus? Somente a verdade. Ficamos então com o testemunho indisputável das escrituras sagradas a respeito da ressurreição de Cristo. Ressurreição pela qual devemos diariamente agradecer ao nosso amoroso Pai celestial Jeová.

    Curtir

  • DREJAH  On 9 de março de 2014 at 18:56

    Caríssimo Vassalo de Deus,

    Vou ‘falar’ um pouquinho sobre sua dúvida. Mt 20:28 diz que Jesus veio DAR a sua ALMA como RESGATE em troca de muitos. Acho que você sabe muito bem como funciona um RESGATE não é mesmo? Você tem que dar UM VALOR para resgatar alguém. No caso Bíblico que interessa foi dado o CORPO de CRISTO como VALOR A SER PAGO. E uma vez DADO esse VALOR Jesus não poderia pegá-lo de volta. Senão teria ele pago o resgate realmente se tivesse pego esse VALOR de volta ? Para entender melhor He 10:1 explica que a Lei tem uma sombra das boas coisas vindouras. E o que dizia a Lei ? De 19:21 dizia que seria alma por alma, olho por olho, dente por dente……” Ro 5:12 diz que por meio de um só homem entrou o pecado no mundo…..e a morte se espalhou a todos os homens….Por meio de Adão toda humanidade estava condenada a morte, mas por meio de Jesus Cristo toda humanidade poderá ter vida eterna. Mas para isso foi preciso DAR ALMA POR ALMA ( JESUS POR ADÃO). Um corpo perfeito DADO por outro corpo perfeito. Mostrando Sua Justiça e Seu Amor Jeová providenciou o RESGATE para nós. Jo 3:16. O Próprio Jesus deixa isso claro ao dizer em Jo 6:48, 51 “Eu sou o pão da vida….e o PÃO que eu HEI DE DAR é a MINHA CARNE a favor da vida do mundo. Olhando novamente para a Lei os sacerdotes faziam sacrifícios com os animais num altar e os queimavam . Será que se eles tirassem os animais antes de queimá-los teriam realmente oferecido tal sacrifício ? Jesus na sua última celebração disse em Lu 22: 19 que seu CORPO seria DADO em nosso benefício. O Ap. Paulo também explica que embora tenhamos conhecido Cristo segundo a CARNE AGORA NÃO O CONHECEMOS MAIS ASSIM. 2Co 5: 16.
    O Ap. João disse também que a Palavra se TORNOU CARNE.Jo 1:14 Ou seja, antes de Jesus vir a Terra ele não era carne. Mas se TORNOU CARNE quando viveu na terra. E Jesus disse em oração: “Pai glorifica-me junto de ti COM A GLÓRIA QUE EU TINHA junto de ti antes de haver mundo. Jo 17: 5. Agora pare e raciocine: será que a glória que Jesus tinha antes de haver mundo era de CARNE ?

    Devido a história que você contou da sua vida. Acho que a coisa mais importante a fazer agora é achegar-se a Deus em oração. Jesus disse: “tudo o que pedires ao Pai em meu nome Ele atenderá” Jo 16:23 Então procure orar desta forma; ore ao Pai, Jeová, e peça no nome de Jesus Cristo esclarecimento sobre este assunto. Com toda certeza e até acho que você já está sendo ajudado pelo espírito santo de Deus. Pois é da vontade Dele que todos nós venhamos a ter um conhecimento exato da verdade. 1 Ti 2:3,4 Quanto ao seu questionamento acho muito importante que você aceite um estudo da Bíblia conosco, pois como você já disse que concorda com muitos pontos que são bem fundamentados por nós Testemunhas por que não fazer uma investigação mais de perto, mais detalhada, assistindo às reuniões. talvez possa haver com essa sua busca um esclarecimento melhor de algum ponto que ainda esteja obscuro. E você sabe que não vai pagar nenhum centavo por isso por que o motivo principal nosso é ajudá-lo a conhecer melhor o Propósito do Deus Verdadeiro. Ficarei muito feliz em saber que estas palavras junto com as dos meus irmãos puderam esclarecer-lhe e espero sinceramente ouvir boas notícias tuas. Um Grande Abraço ___ DREJAH.

    Curtir

  • Saga  On 10 de março de 2014 at 2:25

    “Quais grupos do passado defenderam a opinião que vocês hoje defendem?”

    Aqueles do primeiro século que escreveram o Novo Testamento.

    “Mas….”

    A literatura religiosa extra-bíblica que existe aqui é aquela que o Catolicismo decidiu manter, ou que falhou em destruir. Sendo que mesmo sem intenção de destruir certos escritos, o simples fato de não os recopiarem já os levaria ao esquecimento, pois o tempo os desgastariam e não teriam novas cópias, mesmo entre as que foram copiadas o estudo crítico não raro encontra edições em escritos antigos para se adequar melhor com a doutrina mais aceite da Igreja atual. Como exemplo, no caso da Trindade se vê considerável adição para tentar obscurecer o fato que os primeiros pais não eram trinitaristas, existem diferente traduções das mesmas obras com diferenças numerosas, de acrescismo, omissão e/ou troca de palavras.

    Curtir

  • A SERVIÇO DO REINO  On 10 de março de 2014 at 11:16

    Caro Vassalo de Deus….falando um pouco sobre a transfiguração…qual foi o objetivo dela?

    Para entendermos o objetivo da transfiguração, precisamos remontar à palestra que Jesus teve com seus discípulos apenas alguns dias antes Eles estiveram presentes quando os fariseus e saduceus incrédulos exigiram um sinal — provavelmente, que Jesus viesse visivelmente nas nuvens do céu. Mas Jesus disse àqueles homens egoístas e iníquos que apenas receberiam um sinal terrestre — o sinal do profeta Jonas. — Mat. 16:4.

    Pouco depois, Jesus perguntou a seus discípulos sobre a opinião do povo em geral: “Quem dizem os homens ser o Filho de Deu?” Eles responderam: “Alguns dizem João Batista, outros, Elias, ainda outros, Jeremias ou um dos profetas.” — Mat. 16:13, 14.

    Inteirado da opinião do povo, Jesus perguntou: “Vós, porém, quem dizeis que eu sou?” Simão Pedro respondeu: “Tu és o Cristo [Messias], o Filho do Deus vivente.” Deus revelara isso aos apóstolos por causa de sua fé; mas eles precisavam saber ainda muito mais sobre o Messias, sobre o que tinha de fazer e a glória que Deus lhe daria. Por conseguinte, Jesus começou a explicar que tinha de ir a Jerusalém e sofrer muitas coisas, e ser morto. Pedro procurou dissuadi-lo, dizendo: “Sê benigno contigo mesmo, Senhor; não terás absolutamente tal destino.” A resposta de Pedro mostrou que ele não entendeu plenamente que Jesus tinha de sofrer uma morte sacrificial e que seria ressuscitado para a vida celestial. Tampouco compreendeu Pedro que o Reino governaria desde o céu, começando muito depois da morte dos apóstolos, no tempo da parousía ou presença invisível de Cristo em glória e poder. Jesus corrigiu logo a Pedro, dizendo: “Não tens os pensamentos de Deus, mas os de homens.” — Mat. 16:15-23.

    Jesus dava-se conta que seus apóstolos encaravam seu reino do ponto de vista humano, pensando que ele governaria dum trono terrestre. Mas era essencial que estes homens, que seriam colunas na congregação cristã, fossem testemunhas da verdade de sua futura presença celestial no poder do Reino. (Gál. 2:9) Não naquela ocasião, mas após a sua morte e ressurreição, eles teriam de fundamentar firmemente na congregação esta grande verdade, esta doutrina importante. Por isso lhes fez a seguinte declaração notável:
    “O Filho do homem está destinado a vir na glória de seu Pai, com os seus anjos . . . Deveras, eu vos digo que há alguns dos parados aqui que não provarão absolutamente a morte, até que primeiro vejam o Filho do homem vir no seu reino.” — Mat. 16:24-28.

    Alguns dias depois, cumpriram-se as palavras de Cristo. Ele levou Pedro, Tiago e João a um alto monte. Não precisava levar todos os seus apóstolos. Bastavam três testemunhas, segundo exigia a Lei. (Deu. 19:15; 2 Cor. 13:1)

    Ali, perante os olhos dos apóstolos, estava a evidência de que a presença de Jesus no poder do Reino seria celestial, gloriosa. Também, a palestra dos visionários Moisés e Elias sobre o êxodo de Jesus era prova de que sua morte humilhante não era algo a evitar, como Pedro queria. Neste quadro, Moisés, que fora usado por Deus para dar a Israel a Lei, representava aquele pacto da Lei. Elias representava os outros profetas. Tanto a Lei como os profetas haviam predito o Cristo, sua vida, seu sofrimento, seu sacrifício e sua glória. Todos haviam apontado para Cristo. Conforme disse o apóstolo Paulo: “A Lei . . . tornou-se o nosso tutor, conduzindo a Cristo.” (Gál. 3:24; Rom. 10:4) E quanto aos outros profetas, um anjo disse mais tarde ao apóstolo João: “Dar-se testemunho de Jesus é o que inspira o profetizar.” — Rev. 19:10.

    Cristo é também Líder e Libertador assim como foi Moisés. Ele é o Mediador do novo pacto, assim como Moisés foi do pacto da Lei. (Gál. 3:19; Heb. 9:15) Jeová dissera a Moisés: “Suscitar-lhes-ei do meio dos seus irmãos um profeta semelhante a ti; e deveras porei as minhas palavras na sua boca e ele certamente lhes falará tudo o que eu lhe mandar. E tem de dar-se que o homem que não escutar as minhas palavras que ele falar em meu nome, deste eu mesmo exigirei uma prestação de contas.” — Deu. 18:18, 19; Atos 3:22, 23, 26.

    Cristo dirigiria uma obra semelhante à de Elias. O profeta Malaquias havia registrado a promessa de Jeová: “Eis que vos envio Elias, o profeta, antes de chegar o grande e atemorizante dia de Jeová.” Elias havia feito uma grande obra de restauração da adoração pura. (1 Reis 18:25-29, 40) João Batista fez isto para com Israel. (Luc. 1:17; Mat. 17:12, 13) Mas, na ocasião da transfiguração, este João já estava morto. O Elias que apareceu na visão, portanto, indicaria que Cristo realizaria uma obra maior, restabelecendo permanentemente a adoração pura. Isto tinha de acontecer “antes de chegar o grande e atemorizante dia de Jeová”, que virá quando Deus executar a sentença nos adoradores falsos e neste atual sistema iníquo de coisas. — Mal. 4:5, 6.

    A visão era tão real, que Pedro passou a participar da cena, evidentemente vencido pelo espanto e apreço. Quando viu que os dois homens visionários estavam sendo separados” de Jesus, aparentemente não quis que partissem. Por isso falou sobre armar tendas, “não se dando ele conta do que estava dizendo”.

    No entanto, a ocorrência foi uma visão, Moisés e Elias sendo apenas visionários. (Mat. 17:9) Pois, Moisés havia morrido e ainda estava na sua sepultura. (Deu 34:5, 6; veja Atos 2:29.) Elias fará levado num carro ardente para o céu, mas não para o céu de Deus. Na realidade, foi transferido ou transportado para outra designação na terra. De fato, anos depois, ainda vivo, Elias escreveu uma carta profética a Jeorão, rei de Judá. (2 Crô. 21:12)

    Depois, Elias morreu, assim como todos os outros da humanidade. Nem ele, nem Moisés, foram ressuscitados para a vida eterna antes de Cristo, que é “o primogênito dentre os mortos”. O próprio Jesus, enquanto na terra, disse: “Nenhum homem ascendeu ao céu.” — Rev. 1:5; João 3:13.

    Enquanto Pedro falava, formou-se uma nuvem e os encobriu. Isto era símbolo da presença invisível de Jeová. (Êxo. 16:10; 1 Reis 8:10) Daí, num dos três casos em que se ouviu a própria voz de Jeová, Ele deu seu próprio testemunho do Messiado de Jesus, dizendo: “Este é meu Filho, aquele que foi escolhido. Escutai-o.” — Luc. 9:35.

    Que prova conclusiva e espantosa estes três apóstolos receberam nesta ocasião! Quão poderoso e convincente seria então seu testemunho do Messiado de Cristo! De fato, eles ‘não tinham provado a morte’ antes de ver esta demonstração dramática da futura presença de Cristo na glória do Reino. Mais de trinta anos depois, o apóstolo Pedro escreveu:
    “Não, não foi por seguirmos histórias falsas, engenhosamente inventadas, que vós familiarizamos com o poder e a presença [parousia, a presença invisível no poder do Reino] de nosso Senhor Jesus Cristo, mas foi por nos termos tornado testemunhas oculares da sua magnificência. Pois ele recebeu de Deus, o Pai, honra e glória, quando pela glória magnificente lhe foram dirigidas palavras tale como estas: ‘Este é meu Filho, meu amado, a quem eu mesmo tenho aprovado.’ Sim, estas palavras nós ouvimos dirigidas desde o céu, enquanto estávamos com ele no monte santo. Por conseguinte, temos palavra profética tanto mais assegurada e fazeis bem em prestar atenção a ela como a uma lâmpada que brilha em lugar escuro, até que amanheça o dia e se levante a estrela da alva, em vossos corações.” — 2 Ped. 1:16-19.

    O apóstolo João, cerca de sessenta e seis anos depois da visão da transfiguração, evidentemente ainda tinha esta cena bem vívida na memória, ao escrever: “A Palavra se tornou carne e residiu entre nós, e observamos a sua glória, uma glória tal como a de um filho unigênito dum pai; e ele estava cheio de benignidade imerecida e de verdade.” — João 1:14.

    Curtir

  • Vassalo de Deus  On 14 de março de 2014 at 9:06

    O que é intrigante nesta sua interpretação é que faz do evento um não-evento, mas uma dramatização, um teatro de aparências celestial. Se Pedro quis interagir, não creio que foi por que caiu na “ilusão”, mas por que o evento dizia exatamente o que se queria que fosse entendido. Pensar que Deus favorece o engano é mau. A explicação dos adventistas é inconcebível, pois usa da prerrogativa de que Moisés ressuscitou antes de Cristo. Todavia, supor que a transfiguração foi uma encenação teatral no qual figuravam não pessoas mas meras imagens de pessoas, para mim, dá margem a entender que Deus foi leviano ao permitir que pessoas mortas aparecessem numa visão, quando as mesmas não poderiam, pois poderiam sucitar más conclusões. Em todo caso, agradeço pela sua explicação, quero dizer, das testemunhas de Jeová. Mesmo assim, meditarei mais sobre suas palavras.

    Curtir

  • DREJAH  On 15 de março de 2014 at 22:04

    Caríssimo Vassalo de Deus,
    deixei um comentário lá em cima pra você. Ore e medite nele.

    Quanto ao seu último comentário tenho a dizer que é muito importante você observar o que diz o contexto para uma melhor compreensão. Em Mt 16:27,28 Jesus disse que alguns dos parados ali não provariam a morte sem que antes vissem o Filho do Homem VIR no seu REINO. Daí a alguns dias depois eles veem o cumprimento dessas palavras com a transfiguração. Percebe-se nessa passagem que o próprio Pedro não entendeu direito o que estava acontecendo. O que apenas mais tarde foi compreender do que se tratava aquela VISÃO.2 Pe 1:16-19

    É importante também ressaltar que Jesus, ao ascender aos céus sentou-se a direita de Deus. Daí em diante AGUARDANDO ATÉ que seus inimigos fossem postos por escabelo dos seus pés. He 10:12,13 Este texto é importante, pois mostra que Cristo não começou a reinar imediatamente quando chegou aos céus. Mas teve que esperar um certo tempo.
    Bem, tendo isso em mente volte ao contexto, pois ele deixa claro que se tratava de uma visão. O próprio Jesus disse se tratar de uma VISÃO. Mt 17:9. Deveríamos duvidar do próprio Jesus Cristo ??? Assim como a Lei era sombra de uma REALIDADE MAIOR a VISÃO TAMBÉM.
    Deus não favorece ao engano, mas ele USA de dramatizações e ilustrações para explicar verdades profundas e se você não estudá-las a fundo jamais terá a compreensão delas. Um grande abraço ___ DREJAH

    Curtir

  • Karmo  On 16 de março de 2014 at 10:42

    Caro Vassalo de Deus, tudo bem?

    “Tu, porém, continua nas coisas que aprendeste e ficaste PERSUADIDO a crer, sabendo de que pessoas as aprendeste  e que desde a infância tens conhecido os escritos sagrados, que te podem fazer sábio para a salvação, por intermédio da fé em conexão com Cristo Jesus.” (2 Timóteo 3:14, 15)

    Amigo, Jeová Deus usa de persuasão para conosco, para o nosso bem. Não recorre a enganação, mas a ajudas audio-visuais para compreender verdades profundas. Veja o exemplo do apóstolo João, testemunha da transfiguração de Cristo no monte santo. No final de sua vida terrestre, João foi arrebatado em seus sentidos para ter as visões maravilhosas do Apocalipse, ou Revelação. Ninguém diria que Deus estava enganando o idoso apóstolo João ao lhe apresentar verdades por meio de simbolismos.

    Hoje, Jeová Deus está persuadindo as pessoas a virem para o lado do Seu glorioso Reino. Está persuadindo, não com enganação, nem ameaçando com tormento eterno, mas com amor e por cumprir Suas promessas maravilhosas. Suas profecias se cumpriram no passado, nos dando motivo para confiança de que se cumprirão em breve.

    Você tem pesquisado quem são as testemunhas de Jeová. Viu como elas não se envolvem em política e guerra mundana, e como procuram se apegar as normas bíblicas de conduta bem como rejeitar ensinos pagãos como trindade, imortalidade da alma.e inferno de sofrimento eterno.

    Sabe, então, de que pessoas aprendeste, pessoas organizadas por Deus em todo o globo com um mesmo ensinamento, uma mesma ‘língua pura da verdade’. Exorto-te, então, caro Vassalo, a persistir na benignidade imerecida de Deus e tornar seu progresso manifesto a todos, por vir para o lado do Reino e se juntar a essa grande multidão em dar louvores ao nosso Criador.

    Abraço!

    Curtir

  • Saga  On 16 de março de 2014 at 20:45

    “Vassalo de Deus” ,

    Então teve um monte de “não eventos” por aí, a Bíblia tá cheia deles né.
    Um “não-evento” interessante é quando Deus e os serafins apareceram ao profeta e se colocou uma brasa na boca dele.

    Outro “não-evento” é quando João mediu o templo de Deus, quando se curvou ao anjo, quando recebeu um rolo para comer, quando caiu aos pés do filho do homem, tudo não eventos.

    Interessante que ele interagia com os “não eventos”.

    “O que ocorreu na morte de Moisés?”
    Ele morreu e seu corpo foi ocultado. Satanás tinha interesse neste corpo mas Miguel interveio.

    “Por que ele apareceu juntamente com Elias na transfiguração de Cristo?”
    Por que Moisés é a a Lei. Ele é o nome que representa a Torá, que é a base das Escrituras Hebraicas.

    “Elias e Enoque foram levados por Deus para que lugar?”
    Se Elias e Enoque nunca morreram e foram direto para o céu, então eram eles dois que deveriam aparecer e não Moisés e Elias, pois é dito clara e diretamente que Moises morreu, então Enoque deveria ter aparecido aqui no lugar dele.

    “Há até quem diga que Moisés ressuscitou”
    O primeiro a ressuscitar e ir para o céu foi Jesus, o primeiro homem a receber vida eterna.

    Curtir

  • Vassalo de Deus  On 16 de março de 2014 at 20:55

    Prezados Karmo e DREJAH,

    Tenham certeza de seus comentários enriqueceram em muito a conce~pção que eu tinha acerca dessas passagens bíblicas. Com certeza representaram um modo de argumentar muito valoroso, pois consideraram a minha opinião e não a rechaçaram cegamente, mas foram muito responsáveis ao responder. Eu sou muito grato por suas palavras.

    Eu estou assimilando a resposta que me deram. De fato, há concordância. Sei que devo o quanto antes ir a um Salão do Reino, devo apenas enfrentar minha inércia e dirigir-me a uma congregação. Acho que tive as mais urgentes dúvidas respondidas, portanto, creio ser igualmente urgente congregar com as testemunhas de Jeová, a despeito de toda má reputação que tem frente a uma sociedade preconceituosa e anticristã. Dentro dos próximos dias eu tomarei a minha decisão e reportá-la-ei a vocês. Deus os abençoe!

    Curtir

  • Alexei  On 16 de março de 2014 at 21:32

    Nota da Bíblia de Jerusalém:
    Moisés e Elias são nomeados apenas para identificar os “dois homens” mencionados no início; pode-se pensar que, na fonte combinada por Lc com Mc, se tratava de dois anjos (cf. 24,4; At 1,10), que instruíam e confortavam Jesus (cf. 22,43). Quanto ao significado de Moisés e Elias na tradição de Mt, cf. Mt 17,1+

    Curtir

  • Saga  On 17 de março de 2014 at 2:38

    Eu não entendi bem o que a BJ quis dizer.

    Curtir

  • Karmo  On 17 de março de 2014 at 10:54

    Caro Vassalo de Deus,

    Primeiramente agradeço pela consideração as nossas palavras, e por corresponder aos nossos esforços em compreender as tais passagens bíblicas em questão. Gostaria de salientar que todos os que estão abordando o assunto aqui, senão a maioria, são testemunhas cristãs de Jeová. Somos um só corpo com muitos membros, de modo que o objetivo de todas as testemunhas cristãs de Jeová nesse site é ajudá-lo a se achegar a Deus e sua organização terrestre.

    Nesse sentido, gostaria de orienta-lo a aceitar nosso convite de assistir ao Memorial da Morte de Cristo, à realizar-se em 14/04/2014 após o pôr do sol, em qualquer Salão do Reino das testemunhas de Jeová, ou no Salão mais próximo de sua localidade. Queira pesquisar, por favor, no site http://www.jw.org, qual o Salão mais próximo, ou quando alguma testemunha de Jeová visitar sua casa no serviço de pregação, se informar com ela qual a opção mais conveniente para você.

    De fato, com o passar do tempo, com pesquisa e oração, as dúvidas serão dissipadas, desde que nos submetamos à vontade do Criador. Muitas coisas foram faladas por Jesus, pelos apóstolos e profetas, e até mesmo por Jeová Deus, com o objetivo de trazer para fora os pensamentos dos corações. Como assim? Deus quer saber como as pessoas reagem à mensagem do Reino, se elas vão tratar como “loucura”, “tolice”, ou se vão buscar o significado de sua mensagem mais do que a tesouros escondidos. O que pensarão de Deus? Tomarão, por exemplo, a parábola do rico e Lázaro de modo literal, fazendo parecer que Deus é um sádico ou psicopata, ou irão na busca do verdadeiro significado?

    É elogiável da sua parte a busca pessoal de Deus, mas saiba que haverão obstáculos. Saiba que o inimigo da vida eterna irá fazer de tudo para que a palavra semeada no teu coração seja sufocada pelos afazeres deste sistema de coisas. Portanto, tome o capacete da salvação, a espada do espírito, o escudo da fé e siga em frente nessa luta incansável pela salvação tua e de tua família.

    Espero em breve ter boas noticias a teu respeito!

    Até mais.

    Curtir

  • Bandeira  On 27 de março de 2014 at 14:11

    Bom dia, na organização de vcs existem profetas?

    Curtir

  • Bandeira  On 27 de março de 2014 at 15:22

    1 PEDRO 3:18: “Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados… morto, sim, na carne, mas vivificado no espírito.”

    As Escrituras habitualmente empregam os termos “na carne” e “no espírito” para contrastar o modo de vida carnal ou pecaminoso, com o modo de vida espiritual piedoso. Por exemplo, em Romanos 8:8-9 nós lemos que os cristãos que têm o Espírito de Deus andam “no espírito” em vez de “na carne”. É óbvio que Paulo não está ensinando que os cristãos que andam “no espírito” são criaturas espirituais. Antes, Paulo está proclamando que, por andar “no espírito”, esse está andando pelo poder do Espírito Santo de Deus. Do mesmo modo, 1 Pedro 3:18 proclama que Jesus foi levantando dos mortos “no [poder do] Espírito.”

    De facto, Jesus que foi “vivificado no espírito”, não se tornou um espírito, mas foi “vivificado” para o sobrenatural, reino eterno de vida espiritual. Jesus foi morto “na carne” — isto é, no reino carnal do homem pecador (não que Ele fosse pecador, mas que Ele viveu entre os pecadores), e Ele foi vivificado “no espírito” — isto é, no reino eterno (espiritual), não mais amarrado à vida terrestre com todas as suas limitações.

    Curtir

  • Queruvim  On 27 de março de 2014 at 20:06

    Respondendo sua indagação a respeito das Testemunhas de Jeová, se no nosso meio “existem profetas”… Em primeiro lugar , agradecemos pela oportunidade de poder partilhar estes assuntos contigo.

    As Testemunhas de Jeová já se expressaram diversas vezes sobre este assunto. Por exemplo, em um artigo de estudo considerado por elas datado de janeiro de 1883, página 425:

    “Não temos o dom da profecia.” (A Sentinela de Janeiro de 1883)

    A Sentinela de 15 de dezembro de 1896, página 306 diz:

    “Não desejamos que os nossos escritos sejam reverenciados ou considerados infalíveis.”

    Acrescentou em 15 de agosto de 1950, página 263:

    “A Sentinela não se diz inspirada em suas pronunciações nem é dogmática.”

    Mais recentemente, em 15 de agosto de 1981, página 19, reconheceu:

    “Os irmãos que preparam essas publicações não são infalíveis. Seus escritos não são inspirados assim como eram os de Paulo e dos outros escritores bíblicos. (2 Timóteo 3:16) E assim, às vezes, tornou-se necessário corrigir conceitos, conforme o entendimento se tornou mais claro (Provérbios 4:18).”

    O que significa ser um profeta ?

    Não se refere apenas aqueles que fazem previsões de eventos futuros. Do ponto de vista da Bíblia “Profeta” pode ser aquele que ensina ou divulga a palavra de Deus. Não necessariamente fazendo previsões futuras. Note por exemplo como Deus disse em Êxodo 7:1 sobre Arão:

    “…ao passo que Arão teu irmão, se tornará teu profeta.”

    Ou seja Arão falaria no lugar de Moisés ou diria a palavra.

    É neste sentido que as TJ se consideram “profetas”.

    Vines Composite Dicionário Expositivo (Em Inglês ) diz na pagina 190 debaixo da palavra Hebraica “Profetizar”.

    “Profetizar é muito mais do que predição de eventos futuros. De fato, a primeira incumbencia do Profeta é falar a palavra de Deus as pessoas de seu próprio tempo. Convocando-as a fielmente observarem o pacto. A mensagem do Profeta é condicional, dependendo da resposta das pessoas. Sendo assim, de acordo com a resposta a esta palavra o povo determina em grande parte o que o futuro reserva”

    O que é um Profeta do ponto de vista das Escrituras Sagradas? O dicionário acima, bastante respeitado deu uma explicação!

    Uma olhada em Exodo 7:1 será de grande valia. Exodo 4:10-16 mostra que Moisés se achava inapto para “falar” que é o mesmo que “profetizar”.
    Profetizar não é somente “prever sob inspiração”, mas repetir algo que foi inspirado para o povo ouvir, isso é outro sentido Bíblico da palavra profetizar.As TJ não encaram a NINGUÉM nem ALGUM GRUPO como profetas inspirados no mesmo sentido que os antigos profetas da Bíblia.Antes , elas se consideram “profetas” no sentido de darem “avisos divinos” segundo o que JÁ ESTÁ ESCRITO NAS ESCRITURAS SAGRADAS.

    Espero que tenha sido esclarecedor saber o que as Testemunhas de Jeová realmente dizem sobre ser um profeta.

    Curtir

  • Marcelo  On 27 de março de 2014 at 20:16

    As Escrituras habitualmente empregam os termos “na carne” e “no espírito” para contrastar o modo de vida carnal ou pecaminoso, com o modo de vida espiritual piedoso.

    É verdade Bandeira. Mas Jesus não vivia em pecado, não é mesmo?

    O entendimento de que Jesus ressuscitou em um corpo espiritual é explicado no artigo. Inclusive a declaração de Paulo que diz que “carne e sangue não podem herdar o reino de Deus”.

    Mas permita-me te perguntar. O que faz com que tu creias que a ressureição de Jesus foi em carne, e o que te faz acreditar que ele tem um corpo carnal hoje?

    Curtir

  • DREJAH  On 27 de março de 2014 at 21:04

    Bandeira você está caindo em contradição com a Bíblia nesta sua frase:
    “De facto, Jesus que foi “vivificado no espírito”, não se tornou um espírito”.

    Aconselho-te a ler as explicações dada pelo artigo acima e os comentários abaixo sobre o assunto com oração sincera. Abraços.

    Curtir

  • Saga  On 28 de março de 2014 at 1:22

    “Bandeira On 27 de março de 2014 at 15:22
    1 PEDRO 3:18: “Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados… morto, sim, na carne, mas vivificado no espírito.” As Escrituras habitualmente empregam os termos “na carne” e “no espírito” para contrastar o modo de vida carnal ou pecaminoso, com o modo de vida espiritual piedoso”

    Então neste caso quando Cristo morreu teria deixado o modo de vida carnal pecaminoso e entrado no modo de vida piedoso, assim Jesus só teria deixado sua vida pecaminosa depois da sua morte.

    “Por exemplo, em Romanos 8:8-9 nós lemos que os cristãos que têm o Espírito de Deus andam “no espírito” em vez de “na carne””

    Em relação a 1 Pedro 3:18 que fala da morte de Cristo, ele só andaria no espírito após sua morte na cruz quando fosse ao céu? Romanos está falando sobre andar no espírito agora, já 1 Pedro está falando sobre a ressurreição de Cristo.

                                    (Romanos 8:8-9) 
    

    8 De modo que os que estão em harmonia com a carne não podem agradar a Deus. 9 No entanto, vós estais em harmonia, não com a carne, mas com o espírito.

                                      (1 Pedro 3:18-19) 
    

    18 Ora, até mesmo Cristo morreu uma vez para sempre quanto aos pecados, um justo pelos injustos, a fim de conduzir-vos a Deus, sendo morto na carne, mas vivificado no espírito. 19 Neste estado, também, ele foi e pregou aos espíritos em prisão.

    O assunto é totalmente diferente:
    -O apostolo Paulo está falando sobre os cristão em Roma não andarem em harmonia com os desejos da carne, mas sim de acordo com o espírito santo.

    -O apostolo Pedro por outro lado, está falando que na morte de Cristo, seu corpo de carne se foi, mas ele passou a viver como espírito.

    O “espírito” em Rom 8:9 é o espírito santo de Deus, já o “espírito” de 1 Pe 3:18 é o espírito pessoal de Jesus Cristo, este espírito levantou da morte, vivificado. O espírito Cristo levantou, o corpo de carne não. O 3:19 confirma este uso petrino de “pneuma” no contexto, ao usar o termo para seres espirituais e não para o espírito santo.

    A “carne” de Romanos 8:8,9 são os desejos carnais pecaminosos, já a “carne” de 1 Pedro 3:18 é o corpo físico de Jesus Cristo que morreu no Calvário. Não foram os “desejos carnais” que morreram, foi literalmente seu corpo de carne, osso e sangue. Sinceramente, não cabe dizer que foi “o seu modo de vida pecaminoso que morreu na cruz”!

    “É óbvio que Paulo não está ensinando que os cristãos que andam “no espírito” são criaturas espirituais”

    É óbvio que Pedro não está ensinando que a morte da carne de Cristo se refere ao fim de seu modo de vida pecaminoso.

    “Do mesmo modo, 1 Pedro 3:18 proclama que Jesus foi levantando dos mortos “no [poder do] Espírito.” De facto, Jesus que foi “vivificado no espírito” […] foi “vivificado” para o sobrenatural, reino eterno de vida espiritual […] Ele foi vivificado “no espírito” — isto é, no reino eterno (espiritual), não mais amarrado à vida terrestre”

    Se ele foi ressuscitado para o “sobrenatural reino eterno de vida espiritual” nos céus, então necessita de um corpo celestial e imortal e não de um corpo carnal e terreno. O texto fala na morte de sua carne, mas não diz que ela também foi “vivificada” ou ressuscitada.

    No caso de Jesus Cristo, “carne” nunca pode significar pecaminosidade e nem corrupção. Vejamos outras passagens:

    (1 Timóteo 3:16) Ele foi manifestado em carne
    (João 1:14) De modo que a Palavra se tornou carne
    (1 João 4:2) Toda expressão inspirada que confessa Jesus Cristo como tendo vindo na carne origina-se de Deus,
    (2 João 7) Pois, muitos enganadores saíram pelo mundo afora, pessoas que não confessam Jesus Cristo vindo na carne
    (Hebreus 5:7) Cristo, nos dias da sua carne, ofereceu súplicas

    Percebam que o sentido acima de Jesus se tornar, se manifestar ou vir em carne, todos eles é de ter um corpo humano. Os “dias da carne” de Cristo são os dias que ele viveu com um corpo humano.

    A carne tem este sentido de desejos pecaminosos apenas para nós que herdamos o pecado adâmico tendo uma carne caída em vista de nossa natureza imperfeita. No caso de Jesus, o termo “carne” é apenas uma referência que seu corpo perfeito era físico, com pele, ossos e sangue.

    “Jesus foi morto “na carne”[…] não mais amarrado à vida terrestre com todas as suas limitações”

    Sim, este tipo de morte para deixar a vida e as limitações terrestres envolvem deixar os corpos de carne.

                                         (Romanos 8:11) 
    

    Então, se morar em vós o espírito daquele que levantou a Jesus dentre os mortos, aquele que levantou a Cristo Jesus dentre os mortos também vivificará os vossos corpos mortais por intermédio do seu espírito que reside em vós.

    Veja que “VIVIFICAR os corpos mortais” quer dizer RESSUSCITAR. Este verso especificamente não fala sobre se tornar seres espirituais, apenas de voltar a vida por intermédio do espírito santo. Mas vale pelo uso de “vivificar” em paralelo com “levantar” que é um sinônimo de ressurreição dos mortos. É útil para frisar que o termo não se refere apenas a uma “vivificação” simbólica, onde o crente “morra” simbolicamente para a carne ou pecado, mas a literalmente voltar da morte física.

    É como diz em (1 Coríntios 15:22)
    22 Porque, assim como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos serão vivificados.

    Vivificados = Ressuscitados

    Aqui se fala sobre os crentes eleitos se tornarem criaturas espirituais sim, em Coríntios:

    (1 Coríntios 15:40)
    40 E há corpos celestes e corpos terrestres

    (1 Coríntios 15:44)
    44 Semeia-se corpo físico, é levantado corpo espiritual. Se há corpo físico, há também um espiritual.

    Então existem corpos espirituais, mas qual foi o corpo que Cristo recebeu?

    (1 Coríntios 15:45-47)
    45 Até mesmo está escrito assim: “O primeiro homem, Adão, tornou-se alma vivente.” O último Adão tornou-se espírito vivificante. 46 Não obstante, o primeiro é, não o que é espiritual, mas o que é físico, depois aquilo que é espiritual. 47 O primeiro homem é da terra e feito de pó; o segundo homem é do céu.

    Veja que Cristo se tornou um espírito vivificante.
    O corpo físico carnal do terreno Adão, que foi feito de pó é contrastado com o corpo do celeste Cristo vivificado.

    Mas mesmo assim, não poderia esse glorioso corpo espiritual celeste reter parte do corpo carnal?

    (1 Coríntios 15:50)
    50 No entanto, digo isso, irmãos, que carne e sangue não podem herdar o reino de Deus, nem pode a corrupção herdar a incorrupção.

    Se o Bandeira quer explicar o sentido de textos como 1 Pedro 3:18 e 1 Cor 15:44-47 sugiro que tente de novo. Pois está claro, nos textos citados a morte na carne e a ressurreição em espírito. (Embora alguns tentem enrolar o assunto pra outro caminho que fuja da questão da ressurreição corporal, não encaixa com o caso de Cristo, pois quando esteve na Terra ele era perfeito e já andava no espírito, de forma piedosa e sem pecado. cheio do espírito santo, e o fato dele estar em carne não tinha qualquer conotação de pecaminosidade)

    Curtir

  • Alexei  On 28 de março de 2014 at 8:42

    Quando diz “são nomeados”, quer dizer que são rotulados como sendo os personagens, mas que, segundo os editores da BJ, provavelmente os dois são anjos representando-os. Existe um reconhecimento sobre não serem de fato os dois servos fiéis falecidos até mesmo porque os editores reconhecem da incoerência desse crença e de sua incompatibilidade com as ideias da época e a concepção dos “pais da igreja”.
    A última sentença não está relacionado com o assunto que estamos tratando (Moisés e Elias na tradição…)

    Curtir

  • elenio  On 16 de julho de 2015 at 0:11

    cadê o corpo de jesus? se quando maria madalena foi ao sepulcro ele não estava lá, “porque buscais viventes entre os mortos?” lc 24. 5b,39 , vocês tem argumentos só pra confundir a mente dos que ainda não tem a cristo com salvador. Vocês esqueceram quando Jesus estava no deserto ele foi transportado para o pinaculo do templo, ele tinha forma humana de corpo carne e sangue,

    Curtir

  • Marcelo  On 16 de julho de 2015 at 5:34

    elenio, tu não leu o post, não é mesmo? Nem o título do artigo! Ou pelo menos não prestou atenção.

    Possui Jesus NO CÉU um corpo humano? É Jesus homem ETERNAMENTE?

    Curtir

  • Daniel Oliveira  On 16 de julho de 2015 at 9:47

    Elenio, você leu todo o artigo junto com a bíblia? Além disso, leu todos os comentários que tiram muitas dúvidas ainda que possam surgir? Sobre o episódio da tentação do Diabo, foi uma visão usada pelo Diabo provavelmente. E mesmo que fosse transportado de verdade, ainda assim ele não atravessou paredes.

    Os milagres de Jesus nada tem a ver com seu corpo, mas sim com o espírito santo de Deus. O que buscamos aqui nessa página é a correta interpretação bíblica, e isso o artigo e os comentários explicam bem.

    Jesus foi ressuscitado num corpo espiritual e as provas bíblicas estão aí em cima. Não venha nos acusar de não termos Cristo ou qualquer outra pessoa, pq isso é ataque ad hominen. Antes, refute.

    Curtir

  • Davi  On 16 de julho de 2015 at 10:36

    Sr. Elenio,

    Para responder sua pergunta:cadê o corpo de jesus? Primeiro vamos analizar um texto em que o próprio apostolo paulo:

    Atos 13:34 nos diz:o fato de que Deus o ressuscitou dentre os mortos de modo que ele nunca mais tivesse um corpo perecível, Ele declarou do seguinte modo: ‘Eu lhes darei as fiéis* expressões de amor leal prometidas a Davi.

    O Apostolo Paulo afirmou neste texto que depois de Jeová ter ressucitado Jesus dentre os mortos ele NUNCA mais tivesse um corpo perecível.

    No dicionário a palavra perecível ja é sugestiva:
    adj. Que tende a perecer; que se deteriora; deteriorável: alimento perecível.

    Então quando uma pessoa morre seu corpo se deteriora ou é corruptivel, correto?

    E o corpo de Cristo?

    Até mesmo corpos humanos perfeitos são corruptíveis, isto é, não estão além da ruína ou destruição. Por isso, o apóstolo Paulo podia dizer que o ressuscitado Jesus estava, dali em diante, “destinado a nunca mais voltar à corrupção” (At 13:34), ou seja, jamais retornaria à vida num corpo humano corruptível. Apenas a ação de Deus pôde impedir que o corpo carnal da existência terrestre de seu Filho visse a corrupção no túmulo. (At 2:31; 13:35-37) Este corpo, porém, não foi preservado para ser usado pelo ressuscitado Jesus, visto que o apóstolo Pedro diz que Jesus foi “morto na carne, mas vivificado no espírito”. (1Pe 3:18) Portanto, parece evidente que Deus miraculosamente deu fim a tal corpo, não permitindo assim que se decompusesse ruinosamente.

    Curtir

  • karmo2010  On 16 de julho de 2015 at 17:18

    Prezado elenio,

    Se Jesus ainda é de carne, ossos, sangue e tudo o mais, então ele continua menor que os anjos, pois assim o descreve a Bíblia em sua condição humana. (Leia Hebreus 2:7)

    Se Jesus subiu com seu corpo martirizado, então ele continua menor que os anjos.

    Como você resolveria esse dilêma?

    Curtir

  • Daniel Oliveira  On 5 de agosto de 2015 at 22:59

    O sr elênio veio no mês de julho, fez uma pergunta totalmente sem nexo, foi respondido, não leu e sumiu. Esse tipo de pessoas são daqueles que quando nossos irmãos falam com ele na pregação de casa em casa é capaz de dizer: “conheço tjs que creem que Jesus não tinha corpo humano.” E vai jurar que viu isso.

    Nem acho que seja má-fé, é ignorância mesmo, aliado ao preconceito. Se apenas lesse o título do artigo, não diria asneiras. É uma pena, mas não saber interpretar ou alegar ignorância não é desculpa pra Jesus, pois o tanto de irmão que é analfabeto e sabe muito mais da bíblia que muito pastor aí, não se conta.

    Os apóstolos, em sua maioria, eram pessoas sem muita instrução (não eram analfabetos), mas tinham o principal: zelo, amor e sinceridade no coração.

    Curtir

  • Saga  On 6 de agosto de 2015 at 15:58

    A doutrina do ressurrecto corpo humano eterno de Jesus é assim, notem as tentativas de argumentação:

    Ele comia, viam e tocavam nele.
    => Mas também acontecia isso com os anjos no Antigo Testamento, e eles não eram seres com corpos humanos.
    Mas o corpo não estava mais no túmulo.
    => Porém o corpo de Moisés também não estava, e ele morreu e não foi ressuscitado, apenas era conveniente que seu corpo não ficasse exposto a todos.
    Vocês não acreditam na ressurreição! Negam que nosso Senhor foi ressuscitado corporalmente.
    => Jesus foi ressuscitado corporalmente, mas não em um corpo de carne e sim de espírito, o problema para a Cristandade admitir a ressurreição espiritual de Jesus vem da sua falsa crença na IMORTALIDADE DA ALMA, por causa desta crença as igrejas pensam que o espírito de Jesus aparecer aos discípulos não seria milagre nenhum, pois quando morremos eles ensinam que a alma ou espírito de todos nos sai por aí. Suas crenças espíritas os faz ficarem confusos
    com respeito a ressurreição espiritual, afinal, corpos espirituais eles acham que todo mundo que morreu já tem, incluindo os impios no inferno!!! Por isso não conseguem conceber outra ressurreição que não a ressurreição carnal (por outro lado vemos outras igrejas e religiões que vão na via oposta e confundem imortalidade da alma com ressurreição dos mortos, e nem ao menos falam na ressurreição terrestre).
    Jesus ainda é chamado de homem e de filho do homem mesmo após sua ressurreição e ascensão, e sua aparência é descrita como humana.
    => Mas os anjos também eram chamados de homens, e Filho do Homem é um título que equivale a dizer, O Messias, este título é uma identificação de identidade e não uma declaração de natureza corpórea. Quando Jesus se dizia Filho do Homem, quer dizer que era aquela personagem da visão simbólica de Daniel. Os seres celestiais na Bíblia são descritos como tendo olhos, dois braços, duas pernas, e isso não quer dizer que sejam todos seres humanos, é apenas a descrição da visão, continuam sendo seres espirituais embora descritos em aparência como semelhantes aos filhos de homem.

    Curtir

  • Marcos  On 13 de outubro de 2016 at 21:17

    Jesus ressuscitou com o corpo de carne que por ter vencido a morte teve o poder de desintegração e se fez corpo celeste.

    Curtir

  • Vini  On 14 de outubro de 2016 at 18:31

    Queruvim, Jesus era 100% humano aqui ou poderia ser considerado um deus enquanto aqui na terra?
    João 10:33.

    Se dissermos que ele era um deus aqui, não incorremos no parodoxo trinitário?

    Curtir

  • Queruvim  On 15 de outubro de 2016 at 0:24

    Vini, observe a definição dos melhores léxicos sobre o uso e significado da palavra “Deus” (em Hebraico Elohim) …

    ELOHIM Segundo a definição do respeitado Brown Driver Briggs Léxico Hebraico–Inglês:

    a. governantes, juizes, quer como representantes divinos em lugares sagrados ou como refletindo majestade divina e poder.
    b. divinos, seres humanos poderosos, incluindo Deus e anjos.
    c. anjos;

    A Concordância Analítica de Young da Bíblia, Eerdmans , 1978 Reprint , ” Dicas e ajuda a Interpretação da Bíblia” explica sobre a palavra Deus:

    “ Deus – . É usado referente a qualquer um ( professadamente ) PODEROSO , sendo verdadeiro ou não , e é aplicada não somente ao verdadeiro Deus , mas aos falsos deuses,magistrados,juízes,anjos,profetas, etc , por exemplo – Ex. . 7:1 , 15:11 , 21:6 , 22:08 , 9; … Sal 8:5 ; . 45:6 , 82:1 , 6; 97:7 , 9 … João 1:1 , 10:33

    Portanto Jesus por ter recebido poder de Jeová para realizar obras poderosas, inclusive ressuscitar os mortos era um deus.Sendo assim, os primitivos judeus usavam a palavra “Deus” (Hebraico: Elohim ; Grego : THEÓS) para se referirem a tudo o que possui poder ou exerce poder sobre outros ou alguma criatura com poderes concedidos por Jeová, o Ser Supremo. Os Judeus não viam nisso uma contradição. Deus disse a Moisés neste verso: “Vê, eu te fiz Deus (Elohim: אֱלֹהִים) para Faraó, ao passo que Arão teu irmão te servirá de profeta”

    A Tradução New American Standard Bible verteu essa passagem da seguinte maneira:

    “Vede, eu te faço Deus para Faraó, e teu irmão Arão será teu profeta”

    Por receber poder Divino e autoridade de Jeová (IHVH), Moisés foi chamado de “Deus” (hebraico: Elohim).” Portanto, não devemos confundir o fato de alguém ser “poderoso”, que é o significado da palavra “Deus/deus” com Todo Poderoso. Afirmar que alguém é um deus não é o mesmo que asseverar que este tem o direito de ser adorado ou algo assim. Isso sim seria politeísmo.(Leia este artigo para saber na REALIDADE O QUE SIGNIFICA POLITEÍSMO)

    Curtir

  • Vini  On 15 de outubro de 2016 at 3:13

    Entendi. Obrigado ^^

    Curtir

  • TIAGO  On 24 de novembro de 2016 at 14:39

    ESSE Argumento usado neste artigo e facilmente derrubado Queria convidar esse indivíduo para um debate.

    Curtir

Comments in english allowed! Não serão permitidos comentários de opositores ou pessoas que querem debates sem fim. EVITE FUGIR DO TEMA DA PÁGINA OU FAZER flooding de informações. Isso é coisa de gente desonesta e que quer confundir. Discordar não é problema, mas fazer oposição com zombaria desrespeito e trollagem não são aceitos nesta página. Ao postar nesta página você estará concordando com isso! Não é permitido a participação de APÓSTATAS nos comentários desta página. Em outras palavras, críticas e discordâncias são aceitas e até mesmo postadas, mas não “espírito de oposição”. Isto se dá em vista do claro mandamento bíblico para que “os eviteis” Romanos 16:17.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s