Como poderia Jesus ser “um deus” criado por Jeová, se em Isaías 43:10 Jeová diz: “Antes de mim não foi formado nenhum Deus e depois de mim continuou a não haver nenhum”?


“O Deus Todo-poderoso Jeová contrastava a si mesmo com os ídolos de fabricação humana das nações em volta de Israel. Jeová pergunta. “E a quem é que podeis assemelhar Deus e que semelhança podeis comparar com ele?” Certamente não a uma imagem feita por um trabalhador em metal ou esculpida duma árvore. (Isaías 40:18-20; 41:7) Tais “deuses” não poderiam ‘estender os céus como uma gaze fina’, como Jeová fez. (Isaías 40:21-26) Ademais, Jeová pode prever o futuro; os ídolos das nações certamente não podem ‘contar as coisas que hão de vir posteriormente, para que saibamos que são deuses’. (Isaías 41:23) Esta idéia é repetida em Isaías 43:9, onde Jeová diz: “Sejam ajuntados os grupos nacionais. Quem dentre eles pode contar isso? Ou podem fazer-nos ouvir mesmo as primeiras coisas? Forneçam as suas testemunhas.” Corretamente, o Todo-poderoso diz: “Eu sou Jeová. Este é meu nome; e a minha própria glória não darei a outrem, nem o meu louvor a imagens entalhadas.” — Isaías 42:8.
Portanto, o contexto estabelece que o Todo-poderoso lança um desafio aos chamados deuses das nações. Sendo meros ídolos sem poder divino, certamente não são deuses que mereçam ser adorados; são realmente nulidades. Jeová continua: “Acaso existe outro Deus além de mim? Não, não há nenhuma Rocha. Não reconheci nenhuma. Os formadores da imagem esculpida são todos uma irrealidade, e seus próprios queridinhos [feitos de metal fundido ou esculpidos na madeira] não serão de proveito algum.” (Isaías 44:8-17) Assim, o contexto de Isaías 43:10 torna claro que ali não se está falando de Jesus; os “deuses” dos quais se fala são os impotentes ídolos das nações.
A palavra “Deus” ou “deus” é comumente usada com relação a um objeto de veneração sobre-humano. Assim, na mente de muitos, “deus” significa quer (1) o Ser Supremo, o Todo-poderoso, quer (2) um deus falso, como um ídolo. Contudo, a Bíblia permite outros usos. Podemos deduzir isso do Salmo 82:1, 2. Ali o Divino (Jeová Deus) é diferençado de juízes humanos, a quem o salmista chama de “deuses”. O próprio Jesus mais tarde referiu-se a essa passagem. Visto que ele se referira a Jeová Deus como sendo seu Pai, alguns judeus queriam apedrejá-lo. Respondendo à acusação deles de que ‘fazia de si mesmo um deus’, Jesus disse: “Não está escrito na vossa Lei: ‘Eu disse: “Vós sois deuses”’? Se ele chamou (de] ‘deuses’ [aqueles juízes humanos]. . . dizeis a mim, a quem o Pai santificou e mandou ao mundo: ‘Blasfemas’, porque eu disse: Sou Filho de Deus?” — João 10:31-36.
Inquestionavelmente, existe um só Deus Todo-poderoso, como escreveu o apóstolo Paulo: “Pois, embora haja os que se chamem ‘deuses’ quer no céu, quer na terra, assim como há muitos ‘deuses’ e muitos ‘senhores’, para nós há realmente um só Deus, o Pai, de quem procedem todas as coisas, . . . e há um só Senhor, Jesus Cristo, por intermédio de quem são todas as coisas, e nós por intermédio dele.” (1 Coríntios 8:5, 6) O Senhor Jesus Cristo não é deus falso, não é deus demoníaco, não é mero ídolo. Ele ‘é o reflexo da glória de Jeová Deus’. (Hebreus 1:3) Assim, é apropriado que João 1:1 reconheça Jesus como sendo “um deus” ou “divino” (Johannes Schneider).

“O título ho theos [o Deus, ou Deus], que agora designa o Pai como realidade pessoal, não se aplica no N[ovo] T[estamento] ao Próprio Jesus; Jesus é o Filho de Deus (de ho theos). . . . João 1:1 deve ser traduzido rigorosamente: ‘A palavra estava com o Deus [=o Pai], e a palavra era um ser divino.’ ” — Dicionário da Bíblia (1965, em inglês), de John L. McKenzie, S.J.”

source: W 01/07 1986

Sobre a Trindade  ou  artigos adicionais

Negam as TJ a “divindade de Cristo” ? 

VEJA O ARTIGO “O USO E SIGNIFICADO DA PALAVRA DEUS” (Hebraico Elohim)

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • Eduardo Barbosa  On 4 de maio de 2013 at 17:19

    Queruvim, recentemente eu me deparei com uma teoria de que o “AMEM” tem suas origens egipcias do deus AMOM (o que seria uma referencia inconsciente a ele) de modo que Jeova (o deus dos hebreus) seria um deus desenvolvido apartir dos moldes de Amom ( que inclusive era venerado duma maneira monoteista). O mais interessante é que no principio os israelitas não diziam “amem”. Foi só com o passar dos seculos que tal costume se desenvolvel. Bem, isso é uma acusação serissima e de grande preocupação! Se isso for verdade, deveriamos dizer no final da oração “assim seja! E não “amem” O que acha?
    obs.: segundo estudo perspicaz, amem vem duma raiz hebraica “a-mán” que significa “ser fiel; fidedigno”. E amon (Á-mon) significa ser Fidedigno; Fiel; Duradouro. E ai?

    Curtir

  • Paulo  On 4 de maio de 2013 at 18:43

    Isso é parecido com a argumentação de opositores que dizem que Jeová no VT é o mesmo Jesus no NT pelo simples fato de em Isaías estar escrito que além de Jeová não há salvador. (Isaías 43:11)
    Oras, nós sabemos que na história de Israel houveram diversos salvadores do povo de Deus. Houveram Moisés, Sansão, Jefté, Débora, Gideão e muitos outros. É simplesmente um absurdo afirmar que Jeová é Jesus pelo motivo de que são salvadores.
    É óbvio, que “além de Jeová”, ou “fora de Jeová”, ou à parte de Jeová Deus, não há salvação. De modo que todos esses salvadores foram usados como instrumentos ou canais de Deus para salvação de seu povo. Não há, portanto, contradição alguma no que Isaías diz com o restante das escrituras, nem isso dá, de modo algum, respaldo para doutrina anti-bíblica da trindade.
    A mesma coisa se dá com o termo “deus”. Como foi explicado no artigo, não existem deuses iguais a Jeová, o Todo-poderoso.

    Curtir

  • Saga  On 4 de maio de 2013 at 19:59

    E você levou a sério essa teoria de YHWH vindo de Amon ? E que não deveríamos dizer Amém ?

    Refletindo sobre o que foi dito:
    Se em hebraico amom é uma palavra que significa alguém “fiel”, o caso seria similar a palavra baal que significa “dono” [marido], atuam como títulos ou adjetivos e não como nome próprio.

    Ainda dentro deste tema: Outros deuses no mundo devem ter títulos e adjetivos como Senhor, Criador, Salvador, Rei, Pai não devem? E quanto a qualidades positivas também devem ter sido louvados com muitas delas.

    Curtir

  • queruvim  On 4 de maio de 2013 at 21:20

    É uma idéia totalmente equivocada. Até porque o hebraico é apresentado como o idioma original da humanidade( ou seja muito anterior aos egípcios) e a palavra “a-mán” é usada todo tempo nas Escrituras Hebraicas em variadas formas dentro de sua estrutura triliteral. Essa afirmação é o mesmo que dizer que inventaram o nome Paulo por causa da cidade de São Paulo. Claro que quem não lê nos idiomas da Bíblia podem ser confundidos com estas ideias, ao meu ver frajutas. Mas nada como informação. Agradeço por partilhar.

    Curtir

  • Fábio Almeida  On 4 de junho de 2013 at 19:06

    Podemos usar dois textos bem conhecido para responder, João 3:16,17 diz: “Porque Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, a fim de que todo aquele que nele exercer fé não seja destruído, mas tenha vida eterna. 17 Pois, Deus enviou seu Filho ao mundo, não para julgar o mundo, mas para que o mundo fosse SALVO por INTERMÉDIO dele”.

    Curtir

  • francisco costa de brito  On 26 de junho de 2013 at 21:48

    queria tambem lhe pro um desafio . Qual a forma mais correta jeova visto que nao tinha j no hebraico ou iahweh de acordo com as cartas de laquis.espero uma resposta.

    Curtir

  • queruvim  On 27 de junho de 2013 at 14:47

    Prezado Francisco Costa,

    Eu escreví alguns artigos sobre o Nome onde poderá encontrar muito material sobre este tema.

    Se concluirmos que não havia J no hebraico e que por isso não se deve usar o J, então a bem da coerência não se deve falar Jerusalém, nem Jeremias etc. Mas tal conceito não faz sentido. Visto que os Apóstolos ao escreverem o N.T não preservaram a pronúncia hebraica dos nomes dos servos de Deus da antiguidade. Antes, usaram seus equivalentes em grego. Por exemplo, Jesus aparece Iesous nos Mss em grego. E não a forma Iehoshúa ou Ieshua. Também sua afirmação de que a Carta de Laquis apresenta o Nome na forma Iahweh não é correta. O Nome aparece na forma do Tetragrama em caracteres paleo-hebraico abjad também conhecido como consonantário. Vale ressaltar que a forma Yahweh é uma forma que os arqueólogos e críticos da Bíblia usam para verter o tetragrama. Mas tenha em mente que eles colocam a afirmação de que certos achados contém o Nome de Deus “Yahweh”, no entanto, não se encontra em tais achados arqueológicos a vocalização, mas apenas as consoantes. É o texto em inglês que de modo enganoso diz que no achado se diz “Yahweh” ou “Javé”. Isso não existe!Só aparece quatro letras YHVH ou seja o tetra(quatro) letras (grama).

    Att.

    Queruvim

    Curtir

  • Saga  On 27 de junho de 2013 at 17:08

    Então Iesus é mais correto que Jesus? Vamos todos trocar Jesus por Ieosua.

    Curtir

  • ANTONIO MUNIZ  On 20 de outubro de 2013 at 21:27

    MARAVILHOSA A SUA MATÉRIA IRMÃO! VENDO OS COMENTARIOS ACIMA SOBRE O TETRAGRAMA, ME LEMBREI DE UM CRÍTICO DO NOME JEOVA, ELE AFIRMOU QUE NOMES PRÓPRIOS, NAO SE TRADUZ, SEGUNDO ELE SÓ SE TRANSLITERA. É VERDADEIRA ESTA AFIRMAÇAO DESTE CRITICO?

    Curtir

  • Queruvim  On 20 de outubro de 2013 at 21:46

    Em primeiro lugar vejamos o que é “transliterar” de acordo com o Dicionário Caldas Aulete:
    (trans.li.te.rar)
    v.
    1. Passar (palavras, texto) de um alfabeto para outro, procurando manter a prosódia (ou pronúnia) original.

    De fato, se encontrar a palavra “house” em Inglês, ao traduzirmos para o português devemos traduzir por “casa”. O que faz como que a palavra mude totalmente e seja apresentada em seu significado e pronúncia em nosso idioma.Observe porem que “house ou casa” não é um nome mas antes um substantivo. Mas se encontramos o nome Mary, o que faremos? Lógico que devemos chamar a pessoa de Mary. O nome não se traduz mas se translitera. Por exemplo se for em outro idioma temos que transformar as letras ou caracteres em letras compreensíveis para nós que falamos português.
    Em hebraico o Nome de Deus aparece milhares de vezes Yehváh no texto hebraico. Como devemos apresentar a tal nome em nossas biblias em português? Transliterando! Ou seja o nome não deve mudar mas ser repetido em português. E é o que a TNM faz. Repete o nome e adapta a língua portuguesa. Temos a forma Jeová. Esta está em uso a muito mais de 1000 anos. O que não pode é REMOVER o nome e trocar por um pronome de tratamento como é o caso da palavra “Senhor” e causar uma confusão enorme por exemplo ao se ler o Salmo 110:1.

    Curtir

  • phanegomes  On 22 de agosto de 2015 at 14:04

    Queruvim, gostaria de saber como é o nome Tiago no idioma original, e como explicar, se puder, a diferença entre James e o nosso Tiago, já que é um dos nomes mais diferentes que eu me lembro agora na bíblia inglesa e portuguesa.

    Curtir

  • Larcio Junior  On 1 de outubro de 2016 at 0:14

    Boa noite Queruvim!!,Como está?
    No caso,o nome YHWH que temos hoje,é correto afirmar que,por exemplo, o nome Isaías(sufixo YAH),Jeremías(sufixo YAH)…,nos originais,está sendo transliterados erroneamente?
    Os massoretas,1 milênio depois do nome e idioma originais(hebraico consonantal) conseguiram recuperar o hebraico e pronúncia de forma correta com a vocalização? Visto que Esdras, em Neemias,teve de ler ao povo as leis do Senhor porque o povo já não estava mais habituado com a língua antiga.
    Não há confusão entre o Hebraico(Judaico no tempo de Ezequias) e Massorético? visto que existem palavras que são homógrafas e somente os escribas antigos,experientes,acostumados com a pronunciação correta e minúcias consonantais eram capazes de entender corretamente a heterofonia correta.
    Só para lembrar,vc se esqueceu de me passar um estudo,no grego, acerca do véu usado na bíblia e o usado em algumas denominações cristãs(rsrs!!!)
    Abçs!!

    Curtir

  • Queruvim  On 1 de outubro de 2016 at 12:34

    “Visto que Esdras, em Neemias,teve de ler ao povo as leis do Senhor porque o povo já não estava mais habituado com a língua antiga”.

    Onde é que a Bíblia diz isso? Que se sabe os antigos israelitas precisavam de orientação espiritual e explicação da Lei, não de aulas sobre o idioma judaico.

    Esdras louvou então a Jeová, o verdadeiro Deus, o Grande, e todo o povo respondeu “Amém!* Amém!”+ e levantou as mãos. Curvaram-se então e prostraram-se perante Jeová com o rosto por terra. 7 E Jesua, Bani, Serebias,+ Jamim, Acube, Sabetai, Hodias, Maasias, Quelita, Azarias, Jozabade,+ Hanã e Pelaías, que eram levitas, explicavam a Lei ao povo,+ que continuava de pé. 8 E liam em voz alta o livro, a Lei do verdadeiro Deus, explicando-a claramente e dando o sentido dela; assim ajudavam o povo a entender o que estava sendo lido.*” Neemias 8:6

    Há algo neste ou em outros relatos que indique que sua afirmação é correta? Se o pressuposto é enganoso ou errado, devemos reiniciar a avaliação de um dado assunto.

    Curtir

  • larcio  On 1 de outubro de 2016 at 17:55

    Vc me entendeu errado,não estou afirmando o todo e sim inquerindo,pois tenho dúvidas msm.
    No que tange ao que me referi acima,à questão da ignorância dos Judeus,é dado a supressão,parcial,do idioma hebraico,no cotidiano dos Judeus e doravante o uso do aramaico.

    Curtir

  • Queruvim  On 1 de outubro de 2016 at 18:33

    Desculpe se entendi mal, de fato, YAH no final de nomes teofóricos é apenas uma das formas em que estes são acrescidos de afixos. Ou se empregava Yeho como prefixo nos nomes teofóricos ou Yah como sufixo. Yah no caso não é uma forma de se pronunciar o Nome mas a outra maneira de se referir a Yehováh. Em alguns textos temos Yehováh em outros Yáh, os nomes teofóricos empregaram ambas as formas. Todos os nomes próprios na Bíblia Hebraica terminados com um –wh são pronunciados sem exceção por “vá”. (Gên. 36:40) (Eva) Hawwah (Gên. 4:1), Ishwah (Gên. 46:17) Iwwah (2Reis 19:13), Puwah (Números 26:23) e Tiqwah (2 Reis 22:14). Nomes teofóricos indicam que é bem possível e muito provável que o Nome de Deus começasse com Yeho. Sendo assim, visto que o final de nomes próprios sempre terminavam com a pronúncia “wah” temos a forma Yehováh ou Jeová, em português, como sendo uma representação correta do Nome de Deus. Alguns tem perguntado como se pode conciliar isso com a terminação YAH presentes em alguns nomes. Ocorre que os nomes Teofóricos que empregam o Nome de Deus utilizam quer o prefixo Yeho ou o sufixo Yah.

    Este assunto é muito bom e um artigo cairia bem. Quando a profecia diz “Meu povo saberá o meu Nome” é possível que a vocalização Yehováh fosse mesmo a original. Desculpe não poder responder agora tudo o que me indagou em vista do tempo.

    Curtir

  • Larcio Junior  On 1 de outubro de 2016 at 20:24

    Tranquilo…eu tentei ver se havia expressado mal em algum ponto,mas o importante é o esclarecimento.
    Quanto ao assunto para um artigo,seria de grande valia,pois temos nos deparado com muita ignorância e até zombarias acerca de nome de Deus,pessoas não tendo o conhecimento sumário e por conseguinte blasfemando.Falo isto,porque tenho contato com pessoas que vêem,por exemplo, as testemunhas de Jeová e as conotando pejorativamente, atribuindo coisas que uma pessoa,se estivesse realmente em Deus não o faria.
    Realmente,se olharmos para os achados arqueológicos e conclusões teofóricas nos dão um vislumbre do nome YEHOWÁH como possibilidade assertiva,como por exemplo também “YHWHshafat”(Jehosafá),AdoniYAH(Adonías)…ou seja,tetragrama em parte no começo = Deus+atribuição;no final,atribuição+ DEUS,o nome de Deus no seu sufixo,Tipo um trocadilho.
    O plausibilidade também de YAHWEH é incerta.Bem aceita,mas incerta.

    Curtir

  • KL  On 3 de outubro de 2016 at 8:30

    Queruvim quanto a pronúncia da silaba wh como vá em nomes próprios na BHS há fontes pessoas/gramáticas que esbocem o mesmo entendimento que o que você esta apresentando ;para que possamos indica a outros quando falarmos isso a eles como evidencia a favor da forma Jeová do nome divino?

    Curtir

  • Queruvim  On 4 de outubro de 2016 at 22:29

    KL acabo de escrever algo a respeito. Mas na realidade, este assunto não é tão primordial. É fácil virar um “debate sobre palavras”. Então temos que ser sempre observadores.

    Curtir

  • KL  On 5 de outubro de 2016 at 9:17

    Muito obrigado!Você tem toda razão eu já vi algo assim acontecer.

    Curtir

Comments in english allowed! Não serão permitidos comentários de opositores ou pessoas que querem debates sem fim. EVITE FUGIR DO TEMA DA PÁGINA OU FAZER flooding de informações. Isso é coisa de gente desonesta e que quer confundir. Discordar não é problema, mas fazer oposição com zombaria desrespeito e trollagem não são aceitos nesta página. Ao postar nesta página você estará concordando com isso! Não é permitido a participação de APÓSTATAS nos comentários desta página. Em outras palavras, críticas e discordâncias são aceitas e até mesmo postadas, mas não “espírito de oposição”. Isto se dá em vista do claro mandamento bíblico para que “os eviteis” Romanos 16:17.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s