Jeová ou Javé ? – Qual a forma realmente equivocada de se pronunciar o Nome de Deus.


Certo leitor afirmou o seguinte sobre a pronúncia do Nome de Deus:
“O NOME JEOVÁ É APENAS UMA IDEIA HUMANA, NADA MAIS, ´DE 1518 PARA CÁ … É RECENTE, É UMA FABRICAÇÃO MEDIEVAL “
Este comentário feito por um dos leitores do artigo do site do Apologista da verdade, baseia-se na premissa de que a pronúncia exata original do Nome de Deus é realmente importante. (Ignora as declarações do artigo do Apologista, que mostram que os apóstolos não preservaram a pronúncia exata de nomes do V.T ao escreverem o N.T)
É o que deduzimos quando se critica a pronúncia “Jeová” como sendo “fabricação”. Ou seja, estão dizendo que não é a pronúncia correta. Contudo, o critico não  apresenta uma pronúncia que seria  a “correta”. Ou seja é uma crítica  que pressupõe o que NÃO SERIA CORRETO sem oferecer uma solução! Entrando no campo da psicologia podemos perguntar: Que valor há na crítica de alguém que não oferece uma solução? E se ele porventura acredita que a forma Javé é a correta, então por que não apresentou evidencias disso?
Muitos tem defendido que o Nome deve ser pronunciado “Javé” .Como podemos observar no artigo do Apologista, esta é descartada facilmente em vista das evidências apresentadas nos nomes teofóricos como demonstrarei abaixo. Teodoreto (Antioquia, circa. 393 – Antioquia, 466 E.C) afirma que “as mesmas quatro letras foram pronunciadas pelos samaritanos como ΙΑΒΕ (Jave) mas os judeus a pronunciavam ΙΑΩ
Observe que os “judeusnão pronunciavam “Javé”. Estes são documentos antiquíssimos que  pesam muito contra a pronúncia “Javé”. os nomes teofóricos sempre aparecem nas escrituras como “Yeho” As imagens abaixo embora em inglês dão uma idéia de como o nome da deidade suprema, era incorporado nos nomes dos antigos israelitas e como nos dão uma demonstração do equívoco que é a forma samaritana “Yahweh” ou “Javé” em português.   Vale ressaltar, a título de informação, que antigamente os adoradores de Jeová Deus, assim como muitos das nações, costumavam adicionar o nome de seu Deus como parte dos nomes de seus filhos. Fosse de forma prefixada ou sufixada, isto nos dá alguma dica de como possivelmente eram pronunciados os nomes destes “deuses”, inclusive da Divindade Suprema, Jeová Deus. São os chamados “nomes teofóricos”
SOME THEOPHORIC NAMES WITH GODS NAME EMBEDDED IN THEM
 MORE THEOPHORIC NAMES SUPPORT THE NAME OF JEHOVAH FOR GOD AND JEHOSHUA FOR CHRIST
Nos escritos de Clemente de Alexandria (circa 150-215 E.C) na obra STROMATA ele menciona o Nome de Deus em seu Livro 5 capitulo 6 onde lemos:

“O nome mistico de quatro letras …era pronunciado Iaou

Esta citação vem da mais completa obra com os escritos de Clemente que viveu no segundo século. Na Patrologia Grega compilada a partir de uma coleção de escritos gregos de lideres da Igreja e produzida no século 17 por Jacques Paul Mignes. Alro raro e que pode ser acessado no link abaixo (página 60).
Foram feitas muitas versões destes textos grego para o Inglês. Por exemplo na página sobre os pais pré Nicéia 
Contudo, verteram propositalmente a palavra Iaou em grego por Yahweh em Inglês. O que criou uma paixão tradicional pela pronúncia como se esta fosse de origem judaica.  Algumas pesquisas de teólogos e sites supostamente “aprofundados” no assunto chegam a afirmar que a pronúncia correta é “Javé” e citam estas traduções para o Inglês!
Quanto ao tetragrama em favor do nome hebraico “Yehowah” (Inglês-Jeová) observe o que afirmou um erudito e especialista no tetragrama :

A forma original do nome divino era quase certamente três sílabas, não duas. Os dados acumulados apontam fortemente na direção de uma palavra de  “três sílabas“.

George W. Buchanan, Professor Emeritus do Novo Testamento em Wesley Theological Seminary na obra : “Some Unfinished Business With the Dead Sea Scrolls,”  RevQ 13.49-52 (1988), 416 “
 
“O Tetragrama deve ser pronunciado ‘Jeová’ e não ‘Yahweh’ … O som de “Jeová” é consistente com a maneira que traduzimos outros  nomes hebraicos para o Inglês. “-Eric Rasmusen; Professor da Fundação Universidade de Indiana .

 “Duas formas modernas de YHWH são usados ​​nas traduções da Bíblia, Javé e Jeová. Elas possuem diferentes vogais, sendo que a primeira tem duas sílabas, enquanto a segundo tem três. Tenho apresentado o argumento de que a pronúncia YaHWeH deve ser excluída como uma forma próxima da original para duas razões principais , 1), (Javé) não tem base alguma em textos hebraicos sem pontuação ou no texto Massorético, e 2) (Yahweh) tem duas sílabas, enquanto nomes teofóricos sugerem que YHWH tinha três sílabas (como é encontrado em Jeová).”

– Rolf Furuli , Professor de línguas semíticas na Universidade de Oslo.

“Jeová é a versão hebraica correta”    Strong’s Exhaustive Concordance of the Bible.

“Jeová que está em concordância com o início de todos os nomes teofóricos é a pronúncia autêntica” “--Paul Drach, a rabbi converted to Catholicism, De l’harmonie entre l’église et la synagogue (Of the Harmony between the Church and the Synagogue) 1842.
A forma “Jeová” aparece também no trabalho de Raimundo Martini em sua obra “Pugio Fidei” de 1270.
Charles William King citando a obra “Na interpretação” (do 2º século) encontra o Nome na forma ΙΕΗΩΟΥΑ  que segundo Charles… “se cada vogal grega for lida com o verdadeiro som grego” veremos o que ele chama de ” a correta representação da pronúncia hebraica da palavra Jeová“.Charles William King,The Gnostics and their remains: Ancient and Mediaeval (1887), pp. 199-200.
Uma coisa é certa após estas e muitas outras citações, fica claro que muito antes dos Massoretas a forma IeHoWah já era usada, o que torna a afirmação de muitos, no mínimo, uma impossibilidade histórica. A The International Standard Bible Encyclopedia editada por Geoffrey W.Bromiley na página 507 afirma que os Massoretas “deixaram as consoantes para YahWeh no texto, mas colocaram com estas as vogais para Adonai, a, o, a”  Como vimos tal afirmação apresenta um problema. As vogais exatas que corresponde a palavra Adonai sequer são usadas.
Quando os judeus massoretas foram vocalizar o tetragrama usaram a forma Yehwah amplamente. Para uma avaliação, observe, por exemplo, o livro de Gênesis. No texto massorético hebraico da Bíblia Hebraica Stuttgartensia, das 165 vezes em que aparece o Nome de Deus, o Tetragrama, 12 vezes é pontuado para se lerYehovah, 2 vezes Yehwih e uma vez, em Gênesis 2:16, é incerto. Na maioria dos textos onde ocorre o tetragrama no B19 usa se a vocalização “Yehwah”.
Um estudo mais detalhado tem rejeitado claramente a forma Javé como sendo a pronuncia originalmente usada. Isto se dá por exemplo ao observarmos o cântico de Moisés em Êxodo 15:1 e a forma rítmica mais provável:
                                          ou
 
 
Exodo 15:6:
 
 
 
                                                   ou
 
 
Exodo 15:17
 
 
 

ou

É óbvio que a forma Yahweh (de onde se originou em português Javé) é sem ritmo nestes textos outrora cantados. Isto foi observado pelo Erudito Buchanan em seu livro “como o Nome de Deus era pronunciado” na página 31 (em Inglês). 

“Por que alguns estudiosos recomendam” Javéh”? Acho ser um ataque insidioso contra “Jeová” . Uma tentativa de torna-lo um deus tribal ao invés do único Deus verdadeiro” 

-Eric Rasmusen; Indiana University Foundation Professor

“O mais antigo Testemunho arqueológico favorece a pronúncia Jeová . Uma inscrição curta datada da época do [Faraó]
Amenófis III (cerca de 1400 aC) foi encontrada em Soleb … ” –M. Gérard GERTOUX;  a Hebrew scholar,  especialista do Tetragrama; president of the Association Biblique  de Recherche d’Anciens Manuscrits

A inscrição ” a terra dos nomades de Jeová” é encontrada na região do templo de Saleb no que hoje é o atual Sudão. Nesta o Nome de Deus é grafado para se ler YAHWAH. O templo foi contruido 1400 anos antes de Cristo em homenagem ao Faraó Amenhotep III.

Observe o local e a incrição:

Templo datado como sendo de 1400 A.C em homenagem a Amenhotep III onde o Nome de Deus foi encontrado em inscrição onde lemos o tetragrama em caracteres Egípcios na forma YAHWAH. Segundo eruditos esta inscrição descarta a pronuncia Yaweh (ou Javé)

The Soleb inscription

http://www.diggingsonline.com/pages/rese/arts/other/2011/shasu.htm

Foi somente por volta do século 19 que a forma “Javé” começou a se tornar popular e geralmente aceita nos meios acadêmicos. O primeiro a apoiar tal pronúncia foi Genebrardus, um exegeta Beneditino Frances (1535-1597) . Contudo, não existe uma versão da Bíblia pelos Judeus que apoie tal pronúncia aceita de modo geral tardiamente. Na verdade foram os da alta crítica quem popularizaram tal pronúncia na mídia normalmente citando o nome Javé de forma pejorativa e como se referindo a um deus tribal. A própria Enciclopédia  Católica de 1610 reconhece que promoveram esta pronúncia quase desconhecida depois de 1500 anos. Lemos a seguinte declaração desta:

“Inserindo as vogais de Jabe no texto hebraico consonantal  original, nós obtermos a forma Jahveh”

Catholic  Encyclopedia, 1910, Robert Appleton Company, vol.VIII, Online edition 1999, Kevin Knight ( O sublinhado é meu)

O próprio Teodoreto promoveu a adoração de Maria e o uso de objetos na Igreja, sendo ele alguém que citava o nome na forma Javé. Contudo, se soubesse ler em hebraico jamais teria promovido uma pronuncia usada por Sirios ou samaritanos e desconhecida pelos Judeus. Ademais, críticos descrentes do século 19 ignorando textos hebraicos criaram uma disseminação midiática deste nome. Creio que a força com que tentam desmoralizar a forma “Jeová”  pode ser apropriadamente aplicada aos defensores da pronúncia “Javé”.

Um outro argumento que descarta claramente a pronúncia “Javé” como sendo a pronúncia antiga do Nome de Deus pode ser visto nas palavras do Historiador Judeu Flavio Josefo em Guerra dos Judeus onde ele fala que a inscrição do Nome Divino numa “coroa dourada”  usada pelo Sumo Sacerdote “era gravada para apresentar quatro vogais  [phônêenta tessara]”. War of the Jews 5.230 (Tradução para o Inglês feita por Whiston); Thackeray LCL 3, page 273.

Portanto, Javé ou Yahveh é  uma criação tardia , uma sobreposição das vogais ao tetragrama.

Links adicionais em Inglês:

http://pt.scribd.com/doc/36883881/Iaoue-Definition

http://www.biblearchaeology.org/post/2010/03/08/The-Name-Yahweh-in-Egyptian-Hieroglyphic-Texts.aspx#Article

Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • Lord Saga  On 21 de setembro de 2012 at 19:54

    http://www.criacionismo.com.br/2012/09/gospel-de-rapina.html

    Olhem isso. Rsrsrs

    Go$pel

    Curtir

  • Lord Saga  On 24 de setembro de 2012 at 14:56

    Queruvim,
    E o movimento YAHOSHUAH ? [Acho que é isso] ou é YAHUAH? [Não lembro] São aqueles que dizem saber o nome de Deus [e de Jesus] e que os nomes usados são fraldes blasfemas e pagãs [Deus, God, Jesus, etc].

    Curtir

  • queruvim  On 24 de setembro de 2012 at 16:46

    Já imaginou se uma ala da Igreja Católica começasse a defender a ideia de que Maria não deve ser a santa porque a santa era “Miriam” ? Como sabemos os apóstolo não preservaram os nomes judaicos ao escreverem o N.T

    O Movimento do Nome Sagrado que professam ser cristãos, surgiu inicialmente dentro do Adventismo, propagado por Clarence Orvil Dodd , que pretende se conformar ao seu cristianismo as raízes hebraicas da fé cristã.

    Certa página diz sobre eles: ” A melhor distinção conhecida do MNS é a sua defesa do uso do nome sagrado YHWH (יהוה) – o Tetragrama -, isto é, o nome histórico do Deus de Israel, preferem sonorizar (conforme cada variação da seita), bem como o uso do nome original Aramaico de Jesus (Yeshua) ou do Hebraico Yaohushua, muitas vezes transcrito como Yehoshua/Yahoshua/Yaohushua. Esses crentes MNS também geralmente mantêm muitas das leis do Antigo Testamento e cerimônias, como o sábado do sétimo dia, festivais Torá e leis alimentares tentando manter alimentação e costume próximo ao kosher judaico”.

    Segundo a página oficial deles, ”

    Não existe, escrituralmente falando, nenhuma outra forma de identificação do Criador, nem tampouco de seu Filho, a não ser os seus Nomes

    “. Claramente uma declaração errada, uma vez que a Bíblia não apresenta Deus como tendo vários “nomes”.

    Curtir

  • Mr M.  On 29 de setembro de 2012 at 4:21

    Já viram o lançamento da “Divine Name King James Bible” na qual o nome de Jeová foi restaurado, tanto na Escrituras Hebraicas quanto nas Gregas, totalizando 6.972? Que maravilha!!! Observem o link dessa versão em comemoração ao seu 400º aniversário:

    http://www.dnkjb.net/

    Obrigado pelo conhecimento compartilhado por vocês. (Num. 6:24-26)

    Curtir

  • givanilson rocha  On 3 de outubro de 2012 at 10:46

    Prezado queruvim! Em Hebreus 11: 16 a TNM traz a palavra ” Pertencente” .
    A maioria das traduções que examinei não consta essa palavra,dando até a entender que o que eles esperavam era o próprio céu.Com que base a TNM colocou a palavra ” Pertencente”?

    Curtir

  • Lord Saga  On 4 de outubro de 2012 at 17:13

    Mais do mundo gospel:

    3 de outubro de 2012 McLaren realiza cerimônia de casamento gay de seu filho
    Brian McLaren realiza cerimônia de casamento gay de seu filho
    Famoso pastor progressista avança em sua apostasia

    O pastor Brian McLaren admitiu ter mudado sua opinião a respeito do homossexualismo ao descobrir que um de seus filhos é gay.

    D acordo o site Christianity Today, o pastor não apenas passou a aceitar a união de duas pessoas do mesmo sexo, como realizou a cerimônia de casamento de seu filho, Trevor Douglas McLaren com seu parceiro, Owen Patrick Ryan.

    http://noticias.gospelmais.com.br/pastor-brian-mclaren-cerimonia-casamento-gay-filho-43377.html

    Segundo o jornal The New York Times a cerimônia de casamento gay realizada pelo pastor contou com “elementos cristãos tradicionais”

    O Pastor Brian afirmou que sua reação de rejeição ao fato de seu filho ser homossexual foi desaparecendo com o passar do tempo, e que isso o fez mudar de ideia a respeito do homossexualismo ser pecado. O pastor, que agora faz parte de um movimento nos EUA que prega que o cristianismo abandone o que classifica como “heterossexissmo” e busque uma reconciliação com os homossexuais, convivendo com suas práticas. McLaren é conhecido no Brasil por seus diversos livros, influentes mídias evangélicas passaram anos recomendando seu veneno teológico, o próprio site GospelMais, que reportou a apostasia gay de McLaren, recomenda vários livros dele, publicados pela Editora Vida.

    http://livros.gospelmais.com.br/evangelicos/autores/brian-mclaren

    Curtir

  • Lord Saga  On 4 de outubro de 2012 at 17:18

    […Continuação]

    Recomendar livros de apóstatas é comportamento rotineiro de evangélicos progressistas, não espanta ver o…sensacionalista Genizah dando livros do McLaren para seus seguidores, [nem] o Pavablog…afinal, o Pavablog é junto com o Genizah, grande recomendador de Philip Yancey, cujas posturas sobre homossexualismo são progressistas. Mas espanta que os donos do GospelMais caiam no erro – (Severo)
    ——————————————————————————————-
    EXEMPLOS DE LIVROS DO PASTOR HOMOSSEXUALISTA:

    http://www.genizahvirtual.com/2009/10/livros-na-faixa-para-os-seguidores-do.html

    UMA ORTODOXIA GENEROSA (Brian Mclaren) – Cristianismo – 336 Pág.
    “Antes de mais nada, eu escrevi este livro para homens e mulheres que experimentam um persistente impulso para entrarem mais profundamente na vida espiritual, MAS ESTÂO CONFUSOS SOBRE QUAL DIREÇÂO SEGUIR. São pessoas que “conhecem” a história de Cristo e têm profundo desejo de deixar este conhecimento descer de suas mentes para os seus corações. Elas têm uma vaga percepção de que esse “conhecimento de coração” pode não apenas lhes dar um senso de quem são, mas de fato, tornar todas as coisas novas para elas. No entanto, essas mesmas pessoas frequentemente sentem certa hesitação e medo de entrar nesse novo caminho incerto, e se perguntam se não estão fazendo papel de bobo. Espero que este pequeno livro ofereça a tais pessoas algum encorajamento e direção” – Brian McLaren

    Em Busca de Uma Fé que Faz Sentido (Brian McLaren) da Editora Vida Cristã trata sobre questionamentos da fé. Muitas pessoas não tem com quem falar sobre a fé, e acabam tendo que ter uma jornada solitária. Este livro trás uma conversa franca sobre a fé e seus conflitos para aquelas pessoas que desejam mostrar suas dúvidas e idéias. O objetivo do livro é mostrar A FÉ REAL, ENRIQUECEDORA E HONESTA

    Em Busca de Uma Fé Que é Real (Brian McLaren) da Editora Vida Cristã trata sobre o que muitas pessoas buscam, algo que está acima delas e do sentido de suas vidas. “Se você está em busca de um tipo de fé que nunca teve, ou tentando recuperar uma fé perdida, ou tentando se agarrar a uma fé que parece estar escorrendo por entre os seus dedos, esperamos que este livro seja útil.” Brian McLaren

    Mais Preparado do Que Você Imagina (Brian McLaren) da Editora Vida Cristã fala sobre o evangelismo pessoal. Este livro mostra que é possível evangelizar de forma significativa, clara e criativa nos tempos modernos. O autor fala sobre significado, valores, fé, beleza, verdade, propósito, generosidade, VIDA ANTES E PÓS MORTE e de Deus.
    ——————-
    Beeem, imaginem só o alimento que tais clérigos de moral liberal servem e qual ensinamento tem a passar sobre a verdadeira fé “real e honesta” em que ajudam a tirar suas ovelhas da “confusão”? A genialidade teológica de alguém que ensina a se evangelizar sobre a vida pós morte ao mesmo tempo que apoia a teologia gay e casamentos de mesmo sexo. Alguns crentes pagam caríssimo para se empanturrar com tais livros, serão alimento solido, maduro e no tempo apropriado para as pessoas famintas em sentido espiritual ?

    Curtir

  • Lord Saga  On 4 de outubro de 2012 at 18:10

    http://www.genizahvirtual.com/2012/09/pastor-pedofilo-que-jurava-ejacular.html

    Opa, Queruvim, mais um caso recente (QUINTA-FEIRA, 13 DE SETEMBRO DE 2012) pra tu colocar lá no teu tópico de pedofilia gospel

    Curtir

  • queruvim  On 4 de outubro de 2012 at 21:52

    Givanilson, a frase grega ἐπουρανίου lignifica literalmente “uma celestial”ou “do celestial” uma forma adjetival genitiva. Portanto a tradução “pertencente ao céu” é bastante literal e contém exatamente a ideia presente no grego. Por exemplo em Hebreus 3:1 onde encontramos a mesma frase genitiva ἐπουρανίου se refere aos participantes da chamada “celestial”(grego : ἐπουρανίου) poderia ser vertida “pertencente ao céus” sem problema algum. Em Hebreus 12:22 quando lemos “a Jersusalém celestial” também vemos a mesma forma genitiva que poderia ser vertida, “a Jerusalém pertencente ao céus”. É apenas outra forma de verter a palavra grega e que cai dentro da gama de significado da mesma. Portanto gramaticalmente não há desvio algum. O que sempre acontece é que por terem um conhecimento mais avançado e exato da palavra de Deus, as Testemunhas de Jeová vertem a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas de maneira mais harmoniosa levando em conta o restante da Bíblia.

    Como disse certo erudito: “”Você não pode produzir uma doutrina saudável com base em uma tradução ruim. A falta de exatidão de uma tradução iria invalidar qualquer doutrina erguida a partir dela. É por isso que eu digo que tradução precede interpretação”. Neste caso, ocorre o oposto também. A interpretação das TJ é diferente da maioria, visto que possuem um entendimento melhor devido a uma tradução melhor. E por terem uma tradução melhor isso afeta todo o contexto e crítica textual bem como a versão de palavras gregas visando se harmonizarem com o conhecimento exato que tanto se esforçam em obter.

    Estão sempre fazendo reuniões com leituras de trechos inteiros da palavra de Deus e estão dispostos a mudarem a qualquer momento que entenderem que o conhecimento anterior era falho sob algum aspecto. Isso é impensável em outros sistemas religiosos que ficam séculos sem mudar suas doutrinas quase sempre alicerçadas não na palavra de Deus mas em idéias humanas.

    Curtir

  • queruvim  On 4 de outubro de 2012 at 21:54

    Sobre a Rei Jaime e o Nome de Deus eu escrevi alguns artigos que lhe seria apropriado para sua apreciação…

    https://traducaodonovomundodefendida.wordpress.com/2012/05/31/nova-biblia-king-james-restaura-o-nome-divino/

    Curtir

  • queruvim  On 4 de outubro de 2012 at 22:04

    Oh Glória, mais um abençoado!

    Curtir

  • Lord Saga  On 5 de outubro de 2012 at 15:51

    As vezes dá impressão de que se procurarmos todos os dias, acharíamos todos os dias

    Curtir

  • Eduardo Andrade  On 10 de outubro de 2012 at 22:16

    É terrivel que isso aconteça.Pastores que não obedecem a Palavra de Deus,o Pai para seguir os seus próprios desejos podem ser classificados como hipócritas e /ou falsos profetas.Existem falsos profetas e aqui no Brasil podemos citar um grande falso profeta,líder de uma igreja,Edir Macêdo que tem processos por estelionato,charlatanismo além de defender o aborto e a falsa teologia da prosperidade.Eles sofrerão as conseqüências malignas dos seua atos imundos.

    Curtir

  • O Protestante  On 25 de outubro de 2012 at 17:06

    Bom artigo! Mas acho que achei um erro:
    “Inserindo as ‘CONSOANTES’ de Jabe no texto hebraico CONSONANTAL original”
    Não seriam “Inserindo as vogais” ? Ou o texto original ao qual esse trecho pertence é assim mesmo ?

    Curtir

  • queruvim  On 29 de outubro de 2012 at 17:50

    Obrigado pela correção. Percebi que me equivoquei na hora de traduzir.Consultei o original na Encyclopedia e agora está correto.

    Curtir

  • Cristiano  On 31 de outubro de 2012 at 1:11

    Uma inscrição do egito, imcompleta contendo apenas YHW pra você parece que prova contra a pronúncia “Yahweh”.

    Mas você não hesitou em usar uma forma completa “Yahwah”, que está mais próximo de Yahweh do que de Yehowah.

    Curtir

  • queruvim  On 5 de novembro de 2012 at 2:49

    YAHWAH exclui a forma Yahweh. A sílaba final é equivalente a um nikud patah. Ou seja Yah[o]wah é muito mais próximo. A avaliação de tudo o que falei neste artigo sobre Javé, a descarta como fabricação. Forma esta sequer usada, quer na septuaginta ou em escritos pré Nicéia. Algo promovido por opositores do Deus dos Hebreus ou ainda desinformados da cultura semítica. Na psicologia sabemos muito bem que quando alguém enfatiza demasiadamente sua inocência, este é muitas vezes o culpado das acusações levantadas. De forma similar, observo que o ataque comunado de evangélicos e católicos contra a pronúncia Jeová, refletido até mesmo em dicionários e obras seculares, acabam por denunciar a agenda por detrás de tamanho desespero. Ódio contra o Nome de Deus. Promover uma pronúncia jamais usada por alguém e altamente impopular como é a forma Javé é uma maneira de tentar extinguir o uso do Nome de Deus de vez. Algo que agradaria não a Jeová Deus, Aquele que disse que seu Nome deve ser “declarado em toda a Terra” (Êxodo 9:16) e que é de sua vontade “que as pessoas saibam” seu nome (Salmo 83:18). Antes, esta pronúncia (defendida por inúteis apologistas que nem mesmo a usam) , agrada ao deus deste sistema, Satanás o Diabo.(2 Corintios 4:4)

    Curtir

  • Lord Saga  On 5 de novembro de 2012 at 22:56

    “[Javé] promovido por opositores do Deus dos Hebreus […]
    Na psicologia sabemos muito bem que quando alguém enfatiza demasiadamente sua inocência, este é muitas vezes o culpado das acusações levantadas. De forma similar, observo que o ataque comunado de evangélicos e católicos contra a pronúncia Jeová […] acabam por denunciar a agenda por detrás de tamanho desespero. Ódio contra o Nome de Deus. Promover uma pronúncia jamais usada por alguém e altamente impopular como […] Javé é uma maneira de tentar extinguir o uso do Nome de Deus de vez […] esta pronúncia (defendida por inúteis apologistas que nem mesmo a usam)”

    Tem um ponto aqui, nunca vi o Padre Marcelo Rossi fazer um shown falando em Javé. E desconheço qualquer culto tradicional ou pentecostal que faça uso de Javé, evangélicos leigos ou protestantes que usem Javé a não ser geralmente os “teólogos” em tratados de apologia anti-TJ. Mas não é algo de uso corrente nas orações, músicas, cultos e missas da cristandade.

    Curtir

  • givanilson rocha  On 16 de novembro de 2012 at 10:59

    Olá meu prezado irmão como vai você?
    .
    Estou lendo um livro muito bom intitulado “Jeová dentro do judaismo e do cristianismo ” do escritor Asis Brasil.Mas quando cheguei em determinado capitulo “dei um nó ” na minha cabeça.O capitulo intitulado a dança das letras menciona um tal Harold Bloom autor de” o livro de J “que teoriza que a forma do nome Jeová foi criado por uma princesa no tempo de salomão e muitas outra teorias sobre o “nome divino”.Mas eu não consengui entender muito bem a que se propoe tais conceitos. grande abraço fique com Jeová Deus.

    Curtir

  • Eriton Cavalcanti  On 1 de dezembro de 2012 at 22:42

    O nome Jeová nunca foi citado pelos Yahudim (Judeus), esse nome é resultado de uma concatenação de duas palavras que são o tetragrama e adonay através da inserção do massorético da palavra adonay para o tetragrama e quando os yaohudim viam essa palavra pronunciavam adonay (Senhor) e não Jeová como ficou conhecido, até por que não existe “J” na pronuncia Judaica. Da mesma forma Javé é a concatenação das palavras ha-shem (O Nome) com o tetragrama. Jeová no hebraico significa destruição e desolação. A pronuncia correta é Yahu (esse a é um ditongo com som de ao), sem tradução, pois nome próprio não se traduz (Barack Obama no Brasil é Barack Obama, Mahmoud Ahmadinejad em qualquer lugar do mundo é Mahmoud Ahmadinejad) você pode conferir isto olhando o nome dos profetas e outros nomes desse povo, pois nas Escrituras citam que esse povo se chama pelo nome do Criador. Um caso recente é o nome do primeiro Ministro Israelense Binyamin NetanYAHU. A questão é que os Yahudim não querem que esse nome seja pronunciado pelos gentios por isso as Bíblias de hoje trazem “Senhor” como tradução, por isso eles mexeram seus pauzinhos para na Escritura que chegou a nós não constasse esse nome, então os nomes que estão na Escritura que temos estão adulterados e adaptados.

    Curtir

  • queruvim  On 2 de dezembro de 2012 at 21:56

    Eriton, “não exite J” em hebraico? Então faça uma campanha contra os nomes Jeremias, Jeorão, Joabe e outros! Quanto ao sua afirmação de que os judeus não pronunciam o Nome, isto está errado. Eu conheço VÁRIOS JUDEUS NASCIDOS em Israel que pronunciam o Nome de Deus sim! Sugiro que leia o artigo que publiquei abaixo…

    https://traducaodonovomundodefendida.wordpress.com/2012/01/01/e-o-nome-jeova-uma-juncao-da-palavra-adonai-sobreposta-ao-tetragrama/

    Curtir

  • Escriturasrespondem  On 28 de abril de 2013 at 19:00

    Nem Javé nem Jeová, tendo em vista que a letra J não existe no hebraico bíblico,o nome do Eterno ficou perdido,devido ao medo que os Yehudim(JUDEUS)tinham de pronunciá-lo.

    Curtir

  • queruvim  On 29 de abril de 2013 at 1:01

    Então com todo este entusiasmo tu defendes que nunca existiu Jeremias ou Joel. Certo? vou só te dizer uma frase. Os apóstolos ao escreverem o chamado N.T não preservaram a exata pronúncia dos nomes judaicos no texto grego do N.T. Vê se pensa um pouco. Coloca essa cachola enferrujada pra funcionar. Você e este entendimento dos aderentes das equisitisses teriam debatido com os Apóstolos! Você nem percebe isso né? Vou pedir de forma educada…não poste mais nada aqui. Procure uma página que defenda que devemos falar ELOHIM e não Deus e seja feliz lá, mas dá um tempo! Estudou tanto pra que? Desculpe, mas por favor, não poste aqui visto que minha lixeira já está cheia.

    Curtir

  • Yehonathan  On 9 de maio de 2013 at 16:28

    ps.: quer uma evidencia de onde que vem o YE de YEHOWAH? Da uma olhada no meu nome…
    ps.: e quem te disse que havia vogal no hebraico? onde foi que você viu isso? Voce so pode afirmar com certeza absoluta o TETRAGRAMA YHWH, e não as vogais! Pode ser YAH? Pode! Pode ser YEH? Tambem! A verdadeira pronuncia esta perdida, mas o nome sempre vai estar dentro da pronuncia (YHWH); Porem isso não nos impede de usar o NOME Divino
    ps2: No texto massorético hebraico da Bíblia Hebraica Stuttgartensia, das 165 vezes em que aparece o Nome de Deus, o Tetragrama, 12 vezes é pontuado para se lerYehovah, 2 vezes Yehwih e uma vez, em Gênesis 2:16, é incerto. Na maioria dos textos onde ocorre o tetragrama no B19 usa se a vocalização “Yehwah”.

    Curtir

  • Yahoshafat Ben Yaakov  On 16 de junho de 2013 at 11:57

    Já que o ilustre Senhor não tem condição de responder ao comentário que mais uma vez vou deixar na subsequência, então, por favor delete tudo. Seja humilde, não procurando crescer em cima do próprio erro. Acima de tudo aqui na terra, temos que ter compromisso com a salvação para conosco e para com outros, e não com Estatutos carnais religiosamente implantados em facções individualistas. Exaltado seja Yahuah. Amen.

    Shalom.

    De início, deixo aqui meu agradecimento por sua educação em respostar o meu comentário que fiz na subsequência da sua mensagem a outrem. Todah.
    Creio que ao tirar a primeira tampa do antigo Baú, o Senhor encontrou uma escrita egípcia datada de referente ao nome do Olam na seguinte composição: YAHWAH, como se encontra no seu estudo acima: “A inscrição a terra dos nômades de Jeová é encontrada na região do templo de Saleb no que hoje é o atual Sudão. Nesta o Nome de Deus é grafado para se ler YAHWAH. O templo foi construído 1400 anos antes de Cristo em homenagem ao Faraó Amenhotep III”.
    O Senhor afirma a inexistência de vogais no ivrit (hebraico); o que em parte está correto. Onde, então, encontrou respaldo para transformar a forma YAHWAH na pronúncia YAHoWAH, acrescentando a vogal “o”? Já que o Senhor aceitou a composição escrita no Templo egípcio com a repetição dupla da vogal “A”, não seria mais correto usar o “W” na sonorização da consoante “U”, sem acréscimo nenhum? Então digamos: Louvado seja YAHUAH.
    Quando abrimos o velho Baú, nele podemos encontrar tecidos antigos. Ora, Yahshuah ensinou que tecido velho não combina com remendo novo.
    O Olam Yahuah disse a Avraham (Abraão) que a semente deste seria numerosa como as estrelas nos céus e como a areia no mar. O Senhor conhece algum ministério exercido por homens, que já tenha chegado à décima parte numérica desta profecia? Creio, que de todos os existentes sairão aqueles que forem eleitos e chamados em Yah.
    O Senhor poderia me enviar uma cópia, em qualquer Tradução das Escrituras, onde David se referindo ao Olam, disse: “Seu nome YE”, Ou, “seu nome é JÊ? Faça isto.
    Veja BÍBLIA JUDAICA COMPLETA, Traduzida Por David H. Stern, Tehilim 68: 4.
    O Senhor mencionou: “Quem disse que David falou Yah”? A Tradução Do Novo Mundo que o senhor tenta defender, contraria seu procedimento quando no Tehilim (Salmo) 68: 4, diz: “Cantai a Deus, entoai melodias ao seu nome; Alteai [um cântico] Àquele que cavalga através das planícies desérticas, como Jah, que é seu nome, e rejubilai diante dele”.
    Já que David no ivrit não pronunciava a letra J por essa aí não existir, logo, a sua Tradução tenta distorcer a emet, mas, forçadamente dá testemunho de que o mesmo David falou Yah.
    OBS. O único nome que pode salvar é o nome do Olam, YAHUAH, que está no Mashyach. Por ter esse nome, a primeira tribo a ser salva será a de Yahudah. Zekaryah 12: 7, 8.

    Atenciosamente,

    Yahoshafat Ben Yaakov.

    Curtir

  • Queruvim  On 5 de novembro de 2013 at 22:37

    Yahoshafat Ben Yaakov,
    Não me lembro de ter falado ou teclado/conversado contigo. Também não sei a quem se refere quando diz que alguém defende “vogais em hebraico”. Ou estou enganado? Sobre a pronúncia exata do Nome de Deus, isso não é tão importante, visto que se fosse Ele teria preservado. Sua afirmação de que não existe J em hebraico é correta. Contudo estamos no Brasil. Aqui não somente EXISTE mas DEVE EXISTIR. Os que se negam a pronunciar o nome Jerusalém somente porque alegam que não existe o J são, ao meu ver, uns defensores de futilidades. De fato, não existe correspondência fonética ente o hebraico e português em algumas letras. Mas é lógico isso, não acha, se não, nós aqui falaríamos o hebraico e não o português.

    Na verdade surge tanto tipo de seita e gente pra confundir. Até mesmo idolatria de idioma, se não fosse pouco o que já temos de BABEL hoje em dia. Essa é minha opinião. Debates sobre palavras são algo inútil.

    Curtir

  • Manoel A. de Araújo  On 13 de dezembro de 2013 at 12:23

    Manoel A.
    Achei proveitoso ler sobre a pronúncia portuguesa do nome divino,Jeová. É fato que não há obrigatoriedade de usar a pronúncia hebraica, se não, teríamos mesmo que modificar a pronúncia dos nomes hebraicos aportuguesados. Acredito ser uma insensatez aceitar a pronúncia Jeosafá ou Jeorão e nagar Jeová.

    Curtir

  • Saga  On 18 de fevereiro de 2014 at 10:37

    Queruvim,

    Um dia eu estava lendo um adepto desse movimento e pelo que entendi, eles também não usam ELOHIM, não pode, pois elohim é uma palavra utilizada para deuses pagãos. Então não usam ELOHIM, da mesma forma que não usam “DEUS”, “GOD” e etc, pois são palavras que se aplicam as deidades das nações. Só usam YAHO, YAHOSHUA – depende da facção dentro do movimento pois a pronuncia varia em diferentes grupos-, sendo que lembro de ver grupos UNICISTAS dentro do movimento nome sagrado

    O que quero dizer? Estou falando de gente que prega com veemência contra a Trindade, o Domingo e o 25 de Dezembro enquanto ensina que o nome de Deus e de Jesus seria um só, pois ambos são a mesma pessoa, e o nome de Jesus está acima de tudo. Sendo assim YAHOSHUA ou YAHSHUA ou YAHWAHSHUA ou sei lá quem é o nome do verdadeiro Deus, que eles nem chamam de Deus, você sabe, pois Deus é uma palavra pagã originada de Zeus. A Trindade e até a cruz seriam criações diabólicas para afastar o mundo do verdadeiro Jesus, que é o único Deus e substitui-lo por um falso Messias, que nada mais é o deus sol invicto que tem diferentes identidade nas religiões pagãs.

    Ah, eu disse que a palavra ELOHIM é evitada né? E a palavra “Cristo” também, pois remete a deuses como CrIshna. A palavra “Cristo” é outra referência a deidades estrangeiras, então o correto é “Yahushuah Mashiah”.
    Aposto que o termo LOGOS também é evitado, afinal, essa palavra grega é de uso corrente no meio dos pagãos, e poderia ser identificada como uma falsa deidade helênica que os católicos identificaram com o Mashiah quando forjaram sua diabólica doutrina da Trindade, não é?

    Curtir

  • Saga  On 18 de fevereiro de 2014 at 11:11

    As Variantes do Nome-

    “YAHWAH…YAHoWAH…YAHUAH”

    Queruvim,
    O W é ou pode ser lido como um U na pronuncia?

    .

    A forma “Yehowah” é interessante por comportar os nomes teofóricos que tem as vogais “E” e “O” (jEOaquim, JEsus, JOnatã) enquanto que “Yahweh” parece deixar a tais letras sem uma justificativa, eu costumo dizer que a palavra portuguesa Jehovah tem todos os elementos essenciais do nome divino, mantendo as quatro letras do tetragrama, e todas vogais que são atribuídas ao nome divino seja por via direta ou por via indireta através do estudo dos nomes bíblicos teofóricos.

    Ela tem em si o Y-H-W-H e ainda tem o E-O-A que são constantes nos nomes de personagens bíblicos que remetiam ao Deus Israelita.

    Agora, falar de algo que remete ao que chamariamos de contração, existe uma justificativa para que “JEO” em alguns nomes se tornem “JO”? Podemos notar que a letra “E” sumiu. É comum em hebraico esse fenômeno?

    Digo isso porque penso se “JAH” seria o caso de “Jehovah” ser contraído de um jeito a sumirem as outras letras (J—-ah), então J´ah não seria a primeira silaba do nome como muitos repetem por aí, mas a primeira letra [consoante] do tetragrama seguida da terminação do nome divino. No caso dos nomes que usam JO (Jonatã, Josias, Josué), eu na minha visão de leigo vejo o “J” sendo seguido de um “O” que corta o “E”, tornando JO uma contração de JEO.

    O que eu notei que nos nomes usados pelo povo de Deus, quando se tem o nome do Criador incluído no final, se valem da terminação YAH ou YAHO, mas quando tem o nome do Criador no inicio se utiliza YEH, YEHO ou YO…. essa tendência de evitar usar de YAH no inicio dos nomes próprios é muito interessante!!!! Não vejo motivo para tal SE esta é de fato a primeira sílaba do Nome, deveria ser usada sem qualquer impedimento no inicio da mesma forma que é usada nos finais.

    Estes são os “mistérios” que cercam do nome divino. Obrigado pela atenção de quem gastou seu tempo me lendo.

    Curtir

  • Queruvim  On 18 de fevereiro de 2014 at 11:15

    Proibições, proibições e proibições são meios enganosos de dar uma aparência de santimônia. Alguns as usam no atacado e proíbem até o uso de palavras inócuas, outros usam tal artifício de forma doutrinal e criam legalismo que também dá uma aparência de santimônia. Mas garanto que comer sangue igual vampiros eles até comem quando estão com fome. Coam mosquitos e engolem camelos.

    Curtir

  • Queruvim  On 18 de fevereiro de 2014 at 11:31

    O W é ou pode ser lido como um U na pronuncia?

    Não, pois o som correto é o equivalente de um V ou de um W e para que tenha som de U tem de ser um Shuruq, que é parecido mas os massoretas colocaram um ponto ao lado da letra VAV a fim de destacarem seu som de U, tornando-a um Shuruq. No texto hebraico da Biblia Hebraica Sttutgartensia o Nome aparece em sua vasta maioria vocalizado para se ler YehWáh. Quando o WAW/vav recebe um niqud(uma vogal) representado por um ponto ao seu lado não é mais um WAW mas sim um SHURUK. Passa a ser considerado uma vogal e não uma consoante WAW.

    Curtir

  • Saga  On 18 de fevereiro de 2014 at 13:52

    “Na interpretação” (do 2º século) encontra o Nome na forma ΙΕΗΩΟΥΑ que segundo Charles… “se cada vogal grega for lida com o verdadeiro som grego”

    Como se le o omega nesses casos? O “Ω” tem o som da letra “o”?
    Como se pronunciaria esse “ΙΕΗΩΟΥΑ” ? Este “Y” viraria um V ?
    Desculpe pela noobice.

    Curtir

  • Saga  On 18 de fevereiro de 2014 at 15:42

    http://www.lifespurpose.net/divinename/NameofGod2.htm

    Este texto é muito esclaredor! Com muitas informações, algumas delas inéditas, por exemplo estes historicos usos do nome divino:

    Clemente de Alexandria (200 dC) – Iaoue
    Irineu de Lyon (130-202 dC)- IAÔ (Ιαω)
    Teodoreto – Iabe
    Severi de Antioquia (465-538 dC) – IOA (ΙΩΑ)
    Codex Coislinianus (Sexto Século dC) – IOA (ΙΩΑ)

    “Another reason they may prefer “Yahweh” is that it seems easier to translate to “I AM” than “I shall become,” and they believe “I AM” proves Jesus is God. (More comment on this later in the chapter.) So their Trinitarian bias colors their spelling preference. […] According to the competent Hebrew scholar André Caquot, the name Yahwe or Iaoue is a theological rather than a philological form of God’s name. ”

    Faz sentido, sempre a Trindade surgindo no meio

    “The emeritus professor C. Perrot, of the Institut Catholique de Paris, wrote to professor Gertoux “ Your arguments are very pertinent, but it would be hard to come back without yielding to Jehovah’s Witnesses. ” ”

    Pois é, sempre o preconceito contra as TJ atrapalhando o conhecimento neutro e acadêmico.

    “However, the evident form Iehouah was under attack very soon because of cabalists then theologians who supposed that God’s name was a verbal form. […] The vital key to avoid confusion is to note that there are not equivalencies between the religious etymologies in the Bible and the hypothetical grammatical etymologies. For example, the famous name Yehudah means “He will laud” according to Genesis 29:35, but not according to Hebrew grammar ( Yodeh ). Thus, despite the biblical explanation, Yehudah is a name and not a verbal form. Not understanding these differences, many scholars and translators have tried to harmonize grammatical etymologies and biblical etymologies.”

    Tem lógica isso.

    “Furthermore the Jews considered the use of the Tetragram reserved to the Temple and outside of it they preferred sometimes using the two substitutes Yah and Yahu in Hebrew or Ia and Iaô in Greek (numerous archaeological and historical witnesses during the period 500 BCE to 500 CE.)”

    IAO, Yahu e Yah, substitutos para evitar a pronuncia completa do nome divino. Os judeus não proibiam o uso desses substitutivos. Melhor que os judeus atuais que até falam “D-us”, mostrando-se muito mais supersticiosos do que os judeus do passado.

    “There is no obvious link between the short name YH and the great name YHWH. The vocalization Yah of the short name YH does not prove anything regarding the vocalization of the great name. For example, Betty and Liz are short forms of Elisabeth, but the link between the short forms and the full form is far from obvious.”

    Belo exemplo!

    “The (short) name Yah is considered as a name as a whole in the Bible (Ps 68:4), furthermore it appeared in the same time that the (great) Name (Ex 15:2,3) and it was mainly used in the songs (Ps 150:1). Contrary to the Tetragram the name Yah has always been used as the word Alleluia proves it (Rev 19:1-6).

    Aleluia demonstra que o problema nunca foi com o “Jah”.

    “The other name Yahû (which is not found in the Bible) is not an abbreviation of the Tetragram but a hypocoristic made from the name Yah. As a matter of fact the name Yahû means “Yah himself” (Yah hû’). On the other hand Yô- in the beginning of some names is an abbreviation of Y(eh)ô- which is itself an abbreviation of the full name Yehow-(ah). One can notice that in the Bible there is no name beginning by Yah- or Yahû- and none ending by -yô or -yehô”

    Yahu, seria “Jah É” ou “O próprio Jah” ?

    “There is a confusion between the short name YH and the great name YHWH. The reading in Ya- is favored by a confusion between the two names of God: the full name YeHoWaH (Ps 83:18) and the short name YaH (Ps 68:4). The Jews reserved a different treatment for these two names because they always agreed to pronounce the short name, contrary to the great name, which was replaced around the third century BCE by its substitute Adonay (Lord). Thus, the short name Yah is found in the Christian Greek Writings in the expression Alleluia (Rev. 19:1-6), which means “Praise Yah.” Moreover, in the Qumran writings, the Tetragram was sometimes written in paleo-Hebrew inside the Hebrew text, which was not the case for the name Yah”

    Sim o tratamento dado a Yah não foi o mesmo dado ao completo tetragrama.

    “The pet name YHW alone (not found in the Bible, but found in Elephantine for example) is vocalized Yahû in Hebrew and Iaô (ΙΑΩ) in Greek (found in a first-century-BCE copy of the Septuagint). This name Yahû means in Hebrew “Yah He” (Yah Hû’)”

    Certo

    Além da parte inicial Yeho-que foi abreviado para Yo-, a parte final -yah também teve um diminutivo -yahu , significa que este último termo em hebraico “Yah si mesmo.” Este termo surgiu por duas razões. Em primeiro lugar, o termo hebraico hu ‘ significa “si mesmo” (Deus implícita) começou a desempenhar um grande papel na adoração. Por exemplo, para se distanciar dos outros deuses, e para marcar a sua durabilidade, Deus muitas vezes se expressou usando a expressão hebraica ‘ani hu’ , isto é, “eu mesmo” ou mais exatamente “Eu, o próprio” ou “Sou eu” (Dt 32:39; Is 52:6; etc) Embora os seres humanos podem usar essa expressão ao falar de si mesmos (1Cr 21:17), geralmente quando um usado “Ele” ou “Ele mesmo” foi em relação a Deus. (2 Reis 2:14)

    “…yahu, this last term means in Hebrew “Yah himself.” This term appeared for two reasons. First, the Hebrew term hu’ means “himself” (implied God) began to play a big role in worship. For example, to distance himself from the other gods and to mark his durability, God often expressed himself by using the Hebraic expression ’ani hu’, that is “myself” or more exactly “I, himself” or “It is I.” (Dt 32:39; Is 52:6; etc.) Although human beings can use this expression in speaking of themselves (1Ch 21:17), generally when one used “He” or “Himself” it was in relation to God. (2 Kings 2:14) The Hebrews did not delay in integrating this divine name into their own names, as into the following names Abihu’ (my father [is] He), Elihu’ (my god [is] He), or Yehu’ (Ye[huah is] He). Later, the final letter of these names being mute, it was not written any more. For example, the name Elihu’ is very often written Elihu. The names Abiyah (my father [is] Yah), and Eliyah (my god [is] Yah) existing also, there was a mixture of Yah and Hu’ to obtain names like Abiyahu’ (my father [is] Yah Himself), or Eliyahu’ (my god [is] Yah Himself). This association provoked the appearance of a new divine name, which one does not find in the Bible, except at the end of some theophoric names: the name Yah hu’, abbreviated as Yahu. ”

    Tem muito sentido!

    “The assonance of this expression with the Tetragram doubtless favored the emergence of this abbreviation”
    Assonância?

    “The great name YHWH is vocalized Yehowah in Hebrew and Iôa in the beginning of numerous Greek names. In the same way, as there were theophoric names elaborated from the great name, that is names beginning with Yehô- or its shortened form Y(eh)ô-, there were also theophoric names elaborated from Yah. However, a major remark is necessary in the Bible, Greek or Hebraic. The Hebrews took care of making either their names begin with Yehô- or Yô-, or to end their names with -yah, but never the opposite, without exception. So, in the Bible, it is impossible to find, among hundred of existing theophoric names, a single name beginning with Yah-. ”

    Eu entendi assim: fim das contas “YAH” seria não a abreviatura que mostra a primeira silaba do Tetragrama, mas uma forma distinta de chamar a Deus. Então acontece que muitos nomes teofóricos usam “Yah” ou “Yahu” como referência a Deus, mas quando querem abreviar o inicio do tetragrama, usam “Yeho”., esta sim referente a primeira parte do tetragrama,

    “This nonsense is clearly apparent when one opens a dictionary, where the name Yahve is completely isolated from the other theophoric names like: Joshua, Jonathan, Jesus, John, etc. For example, the name YHW H NN (John) is vocalized Yehô h a-nan in Hebrew and Iôa-nan in Greek (not Iaô-nan)”

    Então faltaria o link de “Javé” com os nomes teofóricos que supostamente seria derivados de Javé, quando se consulta um dicionário a ordem alfabética afasta Javé dos supostos nomes que teriam origem nele.

    “For example, Severi of Antioch (465-538) wrote in his comments on John chapter eight that the Hebrew name of God is IOA (ΙΩΑ). Furthermore, this name IOA (ΙΩΑ) is found in the sixth-century Codex Coislinianus”

    Outro dado muito interessante.

    “It is possible to verify that, without exception, the theophoric names beginning in YHW- are vocalized YeHÔ- (IÔ- in the Septuagint), and those ending in -YHW are vocalized -YaHÛ (IA or IOU in the Septuagint)”

    Legal

    “The form Yahowah is impossible because it may be read in Hebrew as “Yah [is] howah”. Now the Hebrew word HoWah (found in Isaiah 47:11 or Ezekiel 7:26) means “disaster” ( “ruin”, “adversity”, etc.). However, there is also a homonym of the word HoWaH which means “coming to be”. So, in order to avoid an eventual blasphemous misinterpretation, the expression YeHoWaH HoWaH (in Exodus 9:3) meaning “Yehowah coming to be” was modified into YeHoWaH HOYaH. The name YeHoWaH read as YeHoWaH may be undestood as “Ye [is] disaster” (and also as “Ye [is] coming to be”), but Ye is not a short name for God like Yehô, Yô or Yah, therefore, the expression “Ye [is] disaster” means nothing in Hebrew, that this is not the case with the name Ya which is the short name of God (Hallelu-Ya means “Praise Yah”), which involves a potential risk of blasphemous misinterpretation which the reading Yahowah”

    Os hebreus usaram YAH como denominação de Deus, mas quanto a YEH não significaria nada, então o mal entendido com a frase “Yah é desastre” é evitado, pois não existe a leitura “Yeh é desastre”, o YEH tomado isoladamente no hebraico não é usado como nome de Deus, apenas como elemento na montagem no inicio de nomes teofóricos. Dito isso a forma Yehowah soa bem aos ouvidos hebreus enquanto que “Yahowah” teria o desagradável som de uma frase negativa.

    “The fall of the first vowel does not apply to the great name YHWH. If theophoric names were still pronounced Yaho- (in Hebrew) at the beginning of the 3-rd century before our era, translators of the Septuagint should have preserved these names as Iaô- because they generally kept the first vowel of proper nouns (Zakaria, Nathania, Qahath, instead of Zekaria, Nethania, Qehath, etc.). Now, among thousands of theophoric names in the Greek Bible, there are none which remained in Iaô- (or even in Ia- only). This should have happened frequently if these names began with Yahow- (or Yaw-). For example, all the “theophoric” names of the god Nabu (beginning in Nebu- in Hebrew) are written Nabou- in the Septuagint. So the beginning in Iô- of theophoric names gives evidence of the vocalization Y(eh)o- and not Y(ah)o-. So, to suppose that all the Hebrew theophoric names presently vocalized Yehô- would have resulted from an “archaic” form Yahû- is indefensible from the point of view of linguistic laws.”

    É um artigo muito completo sobre as teorias envolvendo a questão do nome de Deus.

    Eu recomendo a todos a fazerem um esforço para ler: http://www.lifespurpose.net/divinename/NameofGod2.htm

    Curtir

  • Alexei  On 18 de fevereiro de 2014 at 22:39

    Mas, peraí???

    E Yehonathan e Yahoshafat não tem a vogal “o” não???
    Desculpem a minha ignorância, pois sou homem da terra e indouto.
    Como corrigir as versões da Bíblia que vem aliterando o Nome para o português por séculos?
    Decerto estou confundindo as coisas. Eu sei, sou um insensato.
    Se Deus deixou seu Nome cerca de 7.000 vezes nas Sagradas Escrituras. Se até mesmo os homens de fé escreveram e utilizaram-no em suas vidas o tetragrama, e não o título “Senhor”, de tal maneira que até mesmo os povos ao redor de Israel utilizavam-no comumente, como a própria arqueologia confirma, deveríamos nós tratar levianamente essa verdade por um motivo de uma tradição um tanto tardia? Seria tudo isso por mero acaso?
    Davi escreveu, Jeremias escreveu, Ezequiel escreveu, Boaz usava-o em seus cumprimentos… como entender isso?
    Hoje fiquei maravilhado de ver a Almeida de 1819 contendo o Nome. Quase chorei de alegria!!! Como é belo o Nome do Altíssimo. Se Ele de fato não quisesse que nós conhecêssemos Seu Nome porque disponibilizaria-o de tal maneira que pessoas simples, de todas as nações pudessem vê-lo, saboreá-lo, admirá-lo pelo grande significado que carrega!
    Ou será que apenas os “sofisticados e educados” é que podem conhecê-lo?
    Não escolheu Deus as coisas tolas do mundo???

    Curtir

  • Queruvim  On 18 de fevereiro de 2014 at 22:44

    Y som de í

    Curtir

  • August Dickmann  On 23 de fevereiro de 2014 at 22:02

    Saga,
    Realmente esta pagina é muito boa, defende a pronúncia Jeová usando de muitas fontes, pena que não sou muito bom em inglês rsrsrsrs mas nada que um tradutor não resolva.

    Curtir

  • KL  On 8 de dezembro de 2016 at 12:16

    Queruvim eu sei que posso esta chovendo no molhado mais me corrija se eu errar .O motivo pelo qual o nome de Deus é citado no templo egípcio em homenagem a Amenhotep III em solebe é em virtude de no templo haver uma sala com imagens de Terras estrangeiras e a frase a saber “terra dos beduínos os de JEH[O]VAH” em que nome divino aparece é uma referência geográfica a palestina.

    Curtir

  • Queruvim  On 8 de dezembro de 2016 at 20:18

    Correto, essa é também minha impressão. Todavia, o Nome é citado, o que implica que os antigos Israelitas o empregava com regularidade.

    Curtir

Comments in english allowed! Não serão permitidos comentários de opositores ou pessoas que querem debates sem fim. EVITE FUGIR DO TEMA DA PÁGINA OU FAZER flooding de informações. Isso é coisa de gente desonesta e que quer confundir. Discordar não é problema, mas fazer oposição com zombaria desrespeito e trollagem não são aceitos nesta página. Ao postar nesta página você estará concordando com isso! Não é permitido a participação de APÓSTATAS nos comentários desta página. Em outras palavras, críticas e discordâncias são aceitas e até mesmo postadas, mas não “espírito de oposição”. Isto se dá em vista do claro mandamento bíblico para que “os eviteis” Romanos 16:17. Outra coisa...tenho recebido comentários feitos com erros graves em quase toda linha e frase. NÃO POSTAREI. Tenha respeito por assuntos bíblicos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s