Tito 2:13 na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas


Tito 2:13 – O que o Grego realmente diz !

Uma RESPOSTA AOS CRÍTICOS DA TNM

Na Versão Padrão Revisada (em Inglês : Revised Standard Version/ RSV) lemos Tito 2:13 assim:

  “aguardando nossa bendita esperança, e o aparecimento da glória do nosso grande Deus e Salvador Jesus Cristo,”

Porém a TNM reza:

“ao passo que aguardamos a feliz esperança e a gloriosa manifestação do grande Deus e [do] Salvador de nós Cristo Jesus,”

Críticos da Tradução do Novo Mundo (TNM) a Bíblia usada em predileção pelas Testemunhas de Jeová, tem atacado ferozmente essa maneira de verter. Dizem que a maneira em que a Comissão de tradução da TNM verteu do Grego é inaceitável e visa desacreditar a Divindade de Cristo.

O que revela um estudo gramatical sério e não tendencioso sobre este assunto? Deixando teologia de lado, o que o grego desta passagem revela?

É realmente “inaceitável” tal forma de traduzir o texto conforme foi traduzido na TNM?

Antes de prosseguir convido você prezado leitor a deixar um pouco de lado a teologia a qual se apegas e também o preconceito e observemos o que a gramática revela sobre esta passagem. Algumas traduções preparadas por notáveis eruditos dos idiomas originais escolheram verter da mesma forma que encontramos na TNM.

 

“aguardando a bendita esperança e o*aparecimento da glória [do grande Deus e nosso Salvador  (nota ao pé da página)], Cristo Jesus, ” (New American Standard Bible,)

” do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo; ” King James Version

“do grande Deus e de nosso Salvador Cristo Jesus” A New Translation of the Bible, por James Moffatt, New York and London, 1935

“do grande Deus e de nosso Salvador Cristo Jesus”—The Riverside New Testament.

“do grande Deus e de nosso Salvador Cristo Jesus “—A New Translation of the Bible

“do grande Deus e de nosso Salvador Jesus Cristo”—La Sainte Bible

” do grande Deus e de nosso Salvador Cristo Jesus “—The New American Bible,

“do grande Deus e de Cristo Jesus nosso Salvador”—The New Testament in Modern English , by J.B. Phillips, New York, 1972

“do grande Deus e de nosso Salvador Jesus Cristo” The New Testamento f our Lord and Saviour Jesus Christ, por cornelius Nary,1719

“do supremo Deus e de nosso Salvador Jesus Cristo”The New Testament in Greek and English, por Daniel Mace, Londres, 1729

“do grande Deus e de nosso Salvador Jesus Cristo” The New Testament, in na Improved Version, upon the basis  of  Archbishop Newcomes´s New Translation ,Londres, 1808.

“do grande Deus e de nosso Salvador Jesus Cristo” The New Testament Translated from the Text of J.J Griesbach ,por Samuel Sharpe , Londres, 1840

“do grande Deus e de nosso Salvador Jesus Cristo” The New Testament: Translated from the Greek Text of Tischendorf,por George R. Noyes, Boston, USA, 1869.

Comentando sobre isso pesquisadores sérios afirmaram:

“Nesta passagem temos dois substantivos conectados por KAI (“e”) o primeiro precedido pelo artigo definido TOU e o segundo substantivo sem o artigo definido. Encontramos uma construção grega similar em 2 Pedro 1:1,2 onde no verso 2 uma clara distinção é feita entre Deus e Jesus.Isto indica que quando duas pessoas distintas são conectadas por KAI,se a primeira pessoa precede ao artigo definido não é necessário repetir o artigo definido antes da segunda pessoa. Exemplos da mesma construção ocorre em Atos 13:50; 15:22; Efesios 5:5; 2 Tess. 1:12; 1 Tim 5:21; 6:13; 2 Tim. 4:1 e encontramos a mesma contrução gramatical na LXX em Provérbios 24:21”.

Prov. 24:21 literalmente diz “teme a Jeová filho meu e Rei”. Vertido em várias versões por “Teme ao SENHOR e [ao] Rei” Acusaríamos os tradutores aqui de “interpolarem” algo que “não existe no grego” da LXX ou no texto hebraico visto que ambos NÃO POSSUEM O ARTIGO antes do segundo substantivo? Claro que não!

Em An Idiom Book of New Testament Greek, por C. F. D. Moule, Cambridge, Inglaterra, 1971, p. 109, diz sobre Tito 2:13 que o sentido de  “do grande Deus, e de nosso Salvador Jesus Cristo… é possível no Grego Koine até mesmo sem a repetição [do artigo definido].” (o grifo é nosso)

Uma pesquisa gramatical do grego bíblico revela que, quando duas pessoas/coisas diferentes são ligadas por “e” (καί), se a primeira pessoa (ou coisa) for precedida pelo artigo definido, não é necessário repetir o artigo definido antes da segunda. Evidência disso é encontrada  em 2 Pedro 1:1 e 2 Pedro 1:2, que emprega uma construção que faz nítida distinção entre Deus e Jesus.
2 Pedro 1:1:
ἐν δικαιοσύνῃ τοῦ θεοῦ ἡμῶν    καὶ σωτῆρος Ἰησοῦ Χριστοῦ
en dikaiosýnei toû Theoû hemôn kaì sotêros Iesoû Khristoû
pela  justiça     do   Deus  nosso   e   Salvador Jesus  Cristo

O que dizem alguns Eruditos ?

No The Expositor’s Greek Testament, o Doutor. N. J. D. White observa:

“…em outras passagens onde Paulo usa expressões tais como “Deus nosso Salvador”  ele definitivamente não quer dizer Jesus, pois “o Pai e o Filho são sempre claramente distinguidos um do outro.” (1 Tim. 1:1; 2:3-5)

The Authorship of the Fourth Gospel and Other Critical Essays, por Ezra Abbot, Boston, 1888, pp. 439-457 (pagina 452)diz:

“Considere um exemplo do Novo Testamento. Em Mateus. xxi. 12 lemos que Jesus ‘lançou fora a todos os que vendiam e compravam no templo,’ [tous po·loun’tas kai a·go·ra’zon·tas]. Ninguém pode razoavelmente supor que as mesmas pessoas são descritas aqui tanto vendendo como comprando. Em Marcos as duas classes são distinguidas pela inserção de  tous antes de agorasontas; aqui é deixado seguramente entregue a inteligência do leitor distingui-los. Neste caso … [Tit 2:13], a omissão do artigo antes de  [so·te’ros] me parece não apresentar nenhuma dificuldade,  porque soteros é feito suficientemente definido  pela adição de [he·mon’] (Winer), pois, visto que tanto Deus como Cristo são frequentemente chamados “nosso Salvador,” [he do’xa tou me·ga’lou The·ou’ kai so·te’ros he·mon’], sozinho, seria dum modo geral naturalmente entendido como se referindo a um sujeito, a saber , Deus, o Pai; mas a adição de  I·e·sou’ Khri·stou’ a  so·te’ros he·mon’muda o caso completamente, restringindo soteros hemon a uma pessoa ou ser que , segundo o uso habitual da linguagem de Paulo, é distinguido da pessoa ou ser a quem ele designa como ‘ho The·os’, de modo que não haveria a necessidade da repetição do artigo para evitar a ambigüidade. Portanto em 2 Tess. i. 12, a expressão  ka·ta’ ten kha’rin tou The·ou’ he·mon’ kai ky·ri’ou seria naturalmente compreendida como se referindo a um sujeito e o artigo seria necessário antes de kyriou se dois fossem compreendidos; porém a simples adição de I·e·sou’ Khri·stou’ ky·ri’ou torna clara a referencia a dois sujeitos distintos sem a inserção do artigo.”

E continua:

“Em lugar algum em seus escritos [Paulo] fala de Cristo como O MEGALOU THEOS …e  dificilmente seria consistente com sua teologia fazer isso, se apegando tão fortemente como ele fazia, a doutrina da subordinação do filho.”

“Em caso de uma ambigüidade gramatical deste tipo em qualquer autor clássico, a primeira indagação seria, qual é o uso do escritor relativo à aplicação do titulo em questão? (MEGALOU THEOU) Ora, esta consideração, que é certamente a mais razoável, me parece aqui absolutamente decisiva. Ao passo que a palavra  THEOS ocorre mais de 500 vezes nas epístolas de Paulo, sem incluir a  Epístola aos hebreus, não há uma única ocorrência na qual ela é claramente  aplicada ao Cristo.”

“As passagens nos escritos de Paulo nas quais o título THEOS  sequer tenha sido dado ao Cristo são pouquíssimas, e são todas casos de construções bastante duvidosas ou de traduções duvidosas. Alford cita como se lhe apresentado Rom. 9. 5; porém aqui, como já é bem conhecido, muitos dos da maioria dos eruditos modernos eminentes consideram a ultima parte do versículo uma doxologia a Deus, o Pai. Portanto, por exemplo, Winer, Fritzsche, Meyer, De Wette, Ewald; Tischendorf, Kuenen e Cobet, Buttmann, Hahn (ed. 1861); Professor Jowett, Professor J.H. Godwin, Professor Lewis Campbell da Universidade de  St. Andrews, O Rev. Dr. B. H. Kennedy, Regius Professor de Grego na Universidade de Cambridge, e o Dr. Hort.” Do Journal of the Society of Biblical Literature and Exegesis, 1881.

Henry Alford, no “The Greek Testament” diz :

“Eu colocaria que [uma versão que claramente diferencia Deus e Cristo, em Tito 2:13] satisfaz todas  as exigências gramaticais da sentença: que é tanto contextualmente como estruturalmente mais provável , e concorda mais com a maneira de escrever do Apostolo.” (Boston, 1877, Vol. III, p. 421)

A Grammar of New Testament Greek (Moulton-Turner, 1963):

“A repetição do art[igo] não era estritamente necessária para conceber que os itens fossem considerados separadamente.” 

 Dr. Nigel Turner: “Infelizmente, neste período do Grego não podemos dizer com certeza que tal regra[de Sharp] é realmente decisiva.” (Grammatical Insights into the New Testament, 1965)

Deve se notar que “a regra de sharp” não se aplica a esta passagem, visto que a força restritiva do nome próprio cria uma situação semanticamente similar ao uso de nomes próprios em passagens como Mat. 17:1. (Furuli, p. 285)

 Professor Alexander Buttmann: “provavelmente nunca será possível, quer seja com referencia a literatura profana quer o N[ovo] T[estamento], levar avante regras rígidas que não possuem exceção…  ” (A Grammar of the New Testament Greek)

As Traduções que verteram da mesma forma que a TNM a passagem de Tito 2:13 levaram em consideração uma regra conhecida do Grego, chamada regra de Middleton que diz:

“Quando dois ou mais atributivos ligados por um copulativo ou copulativos é presumido de [ou presume-se pertencer] a mesma pessoa ou coisa, antes do primeiro atributivo é inserido o artigo; é omitido antes dos restantes.”

Traduzir nem sempre é verter palavra por palavra de um idioma para o outro. Ainda mais quando se observa construções gramaticais diferentes presentes em vários idiomas.

Um exemplo simples mostra quão enganoso é uma acusação de erro neste caso de Tito 2:13.

A frase em Inglês “Fred is here” possuem 3 palavras. Contudo, em português seria corretamente traduzida por “O Fred está aqui”, ou seja 4 palavras. Acusaria o tradutor de ter “acrescentado” a palavra “O” ?

Claro que não! O outro idioma exige a inserção desta palavra que na verdade está presente na ideia do texto original. Atacar a TNM como se fosse a única que verteu Tito 2:13 da maneira como verteu e além disso exigir uma tradução palavra por palavra desta passagem,( coisa que como vimos não foi feita por vários Eruditos respeitados), é uma acusação que só descansa no seio dos cuja avaliação descarta a consideração gramatical. Estes rejeitam ir além do grego básico e condenam sem perceber eruditos dedicados que nem sequer são Testemunhas de Jeová.

Muitas versões que vertem da maneira tradicional optaram por colocar como ALTERNATIVA numa nota ao pé da página a tradução de Tito 2:13 da MESMA FORMA QUE APARECE NA TNM! ( EXEMPLO: New American Standard Bible)

Estavam todos estes tradutores/traduções influenciados pela STV das Testemunhas de Jeová ? Essa pergunta cabe bem aos que acham que a TNM foi a única que optou por esta forma de tradução!

E o que motivou outros a verterem da MESMA MANEIRA que a TNM ? Teologia ou gramática abalizada e contextual ? Esperamos que seu bom senso lhe ofereça uma pronta resposta!

Anúncios