607 AEC – Foi o Dr. Ronald H. Sack e outros eruditos citados de modo enganoso no Artigo de A Sentinela ?


Mais uma vez críticos das Testemunhas de Jeová falham em reconhecer que a citação feita pela revista A Sentinela de 1º de Novembro de 2011 (referente a discussão sobre a data de 607)  feita pelo Dr. Ronald H. Sack, É CORRETA. Quanto a conclusão do autor das declarações, esta, não é a questão. Se alguns acham que a Sentinela está inferindo que o autor das declarações acredita na data de 607 como sendo a data correta para a destruição de Jerusalém pelos Babilônios, eles estão cometendo um erro. O Dr. Ronald H. Sack diz que historiadores precisam recorrer a  “fontes secundárias . . . na esperança de determinar o que realmente aconteceu” no que concerne a datas deduzidas a partir de documentos cuneiformes. Tal reconhecimento é relevante nesta discussão e foi apropriadamente citado pelas Testemunhas de Jeová. Os críticos do artigo de A Sentinela tomam essa declaração como se as TJ estivessem dizendo que o Dr. Ronald Sack estivesse apoiando as TJ em suas conclusões. Nenhum dos eruditos citados na revista defende que Jerusalém foi destruída em 607 AEC.

Eilat Mazar também é citada numa outra publicação das Testemunhas de Jeová, todavia,  antagonistas das Testemunhas de Jeová tem fomentado confronto entre os Editores de A Sentinela e tais historiadores ou pesquisadores seculares por afirmarem ou repetirem na internet a falsa acusação de que tais estudiosos estão sendo “falsamente representados como alinhados com o pensamento da Watchtower” referente a data de 607 em detrimento de 587 A.E.C Essa tática nos lembra muito bem a forma caluniosa com que os demônios são citados nas Escrituras. Aqueles que são “acusador[es] de nossos irmãos [os quais nos] acusam dia e noite perante o nosso Deus”. Apocalipse 12:10. Portanto, devemos tomar cuidado para jamais fazermos uma declaração precipitada e nos tornarmos iguais aos principais inimigos de Deus. Sabemos que o reconhecimento do Dr. Ronald e por ele assinado é relevante demais para o assunto e não deve ser ignorado nesta discussão nem deliberadamente omitido assim como fazem os que defendem de modo insistente a inescriturística e antibíblica data de 587A.E.C

Sabemos também que citá-lo em seu reconhecimento de um fato é algo que obviamente o perturba, mas longe de ser uma distorção, citar seu reconhecimento demonstra a base fraca na qual é edificada o calculo secularmente aceito para a data da destruição de Jerusalém. Mencionar tais fatos é antes, uma evidência de honestidade e profundidade da analise feita pelas Testemunhas de Jeová.

O que muitos opositores ignoram no artigo de A Sentinela é o seguinte comentário feito (W 01/11/2011) :

*Nenhum dos eruditos citados defende que Jerusalém foi destruída em 607 AEC. “

Pergunte-se por que omitem essa declaração clara feita no artigo ? Certo opositor afirmou :

 “Não omití que os eruditos não defendem que Jerusalém foi destruída em 607! ”

A declaração que este opositor alega não ter “omitido” aparece numa nota no pé da página, mas que é ignorada pelos antagonistas das Testemunhas de Jeová.  

Muitos opositores da Organização de Jeová são omissos sim neste respeito, evitam citar a declaração da nota. Alguns não omitem de seus textos a nota, contudo omitem de suas mentes e de suas avaliações. Como claramente explicado acima, não importa se estes eruditos não apreciam as conclusões do artigo de A Sentinela, o fato é que estes eruditos dão informações importantes e factuais que eles mesmos evitam desenrolar, uma vez que se apegaram a seus conceitos desprovidos de respeito e aceitação plena da palavra de Deus. Me admira muito que apesar de Jesus ter avisado que o “mundo inteiro Jaz no poder do iníquo” (como repetido pelo Apóstolo em 1 João 5:19)  muitos prefiram invalidar a palavra de Deus a fim de aceitar conceitos de pessoas que fazem parte deste mundo apartado de Deus. 

Certo leitor desta página disse que eu deveria “ponderar” sobre o assunto. 

Não é eu que devo ponderar sobre isto. Não sou eu que estou ignorando uma declaração clara de a Sentinela como se esta não estivesse ali. (Meu Deus! Como os opositores da Organização de Jeová adorariam que aquela nota não estivesse ali, a fim de poderem ter algum possível respaldo jurídico contra as TJ!) Tentar “entrar pelas brechas” a fim de denegrir ou incriminar as Testemunhas de Jeová a todo custo, é a motivação predominante. 

O que alguns opositores  chamam de “ponderar” na verdade é “aceitar uma acusação (Apoc 12:10) ou “conjecturar algo inexistente” o qual seria dizer que As TJ estão afirmando q certos eruditos seculares por elas citadas, apoiam ou parecem dar suporte as conclusões do artigo de A Sentinela concernente a data de 607. Se alguns eruditos se irritam uma vez citados de modo relevante em suas próprias palavras e confusos, devido a pressão Anti Testemunha de Jeová, acabam entendendo que suas palavras foram colocadas num contexto pró-607, isso é problema deles. Jesus disse que pelas próprias declarações de alguns estes seriam julgados. Será que citar declarações de trinitários, por exemplo, onde reconhecem que a doutrina da  trindade não é claramente citada na Bíblia, os agradaria ? Óbvio que não! De forma similar, alguns eruditos, quando citados em suas próprias declarações, não apreciam de forma alguma. Muito embora tais declarações e reconhecimento deles mesmos expõe a força de suas argumentações pro 587.

O erro que opositores cometem todo o tempo é o de acharem que citar alguém é o mesmo que dizer que a conclusão deste alguém é a mesma que a nossa. Pior ainda é inventar mentiras e dizer que tais declarações  citadas são descontextualizadas.

Estou começando a achar que falta capacidade cerebral em muitos opositores das Testemunhas de Jeová. Assim como uma moça apaixonada rejeita a todo custo os conselhos de sua mãe e se dá mal, a paixão pela difamação das Testemunhas de Jeová tem cegado alguns ao ponto de perderem noção de justiça e noção do perigo. Sim, perigo! Pois aqueles que se contentam não com a justiça e a verdade, mas com a difamação a todo custo e a ridicularização do Povo de Jeová, não serão bem sucedidos no final. Seus esforços em denegrir e ridicularizar as Testemunhas de Jeová serão frustrados.

Até mesmo páginas com o objetivo de catalogar casos de pedofilia ou de possíveis crimes falado ou praticado por uma Testemunha de Jeová tem sido criada com este propósito. Como certo ditado reconhece apropriadamente, “quem é sujo não se suja”. Por que afirmo isso?  Enquanto Igrejas estão envolvidas em roubos milionários de seus fiéis por pastores gastarem o dinheiro da Igreja, alguns estão tentando achar erros de palavras nas Testemunhas de Jeová. Todos os que publicam material Anti-Testemunha de Jeová, deveriam procurar algo proveitoso para fazer, ao invés de tentar “achar pelo em ovo”.

A atitude de sites apóstatas (ou seja sites de ex-TJ ou antagonistas) ao agirem desta forma “coam mosquitos e engolem camelos! “

As pesquisar referente ao ano de 587 aceita pela maioria dos historiadores deste sistema rejeita a Bíblia Sagrada em suas declarações simples. (Dan. 9:2; Jeremias 25:11; 29:10)

Fazem parte de um grupo que defende a data de 587, sendo que este grupo de pessoas não estão em acordo sobre muitos detalhes referente a esta data, todavia é estranho que estejam em pleno acordo em um aspecto, a saber, denegrir e ridicularizar tudo o que uma Testemunha de Jeová diz a respeito deste tema.

Desunidos e fora de sintonia, a não ser que o objetivo seja o de ridicularizar as Testemunhas de Jeová. Se você é uma Testemunha de Jeová só de nome e espiritualmente parasitário, grudado na frente de um pc com o objetivo solo de difamar as Testemunhas de Jeová, saiba que tudo começara a ficar evidente cedo ou tarde.

De fato Cristo Jesus, o Líder das Testemunhas de Jeová afirmou:

Pois, não há nada escondido que não se torne manifesto, tampouco há nada cuidadosamente oculto que nunca se torne conhecido e nunca venha à tona. 18 Portanto, prestai atenção a como escutais; pois a quem tiver, mais será dado, mas quem não tiver, até mesmo o que imagina ter lhe será tirado”   Lucas 8:17

 VEJA TAMBÉM : Jeremias 29:10″Em Babilônia” ou “para Babilônia”?

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • Elias jr  On 27 de janeiro de 2012 at 3:12

    Voçês desacreditam na data de 587 A.E.C como sendo a destruição de Jerusalém, pois dizem que as fontes seculares são duvidosas, mas concordam (acreditam) nas mesmas fontes(ou outras) a respeito da data de 537 A.E.C como sendo a volta dos judeus a jerusalém. Qual motivo de não duvidar da data 537 AEC?
    Todos devem saber que as escrituras não informam datas. Todas as informações de cronologia se fundamentam em descobertas arqueológicas, e, portanto, a profecia de 1914 se baseia em dados que voçês mesmos admitem ser duvidosos. Como uma profecia de tão importância se baseia informações duvidosas(537 A.E.C)?
    A nossa real preocupação são nos sinais do fim. (Mat 24: 3 – 14) Dia e hora são assuntos que só cabe a Jeová, pois nosso papel e estar preparado.(Mat 24: 36, 42)

    Curtir

  • queruvim  On 27 de janeiro de 2012 at 22:57

    Elias Jr,

    As Testemunhas de Jeová NÃO ESPECULAM mais a respeito de anos em que o fim poderia porventura vir. Aliás, nunca apontaram dias específicos a respeito do grande Dia de Julgamento de Jeová Deus contra os desafiadores da lei.
    As TJ NUNCA se consideraram profetas com o dom de vidência ou revelações especiais. Apenas especularam a respeito de profecias legítimas DA BÍBLIA. Algo que todos os grupos religiosos já fizeram.clique aqui para uma consideração cabal SOBRE QUEM SÃO OS FALSOS PROFETAS DE NOSSOS DIAS

    Tanto os historiadores como as Testemunhas de Jeová calculam a data da destruição de Jerusalém a partir da data de 539 a. E.C. A data de 537 A.E.C é bem mais clara e consenso neste assunto, o que não ocorre com a data de 587.Isso por sí so já mostra a superficialidade de sua crítica. Deveria estudar o mínimo possível e deixar o antagonismo ou qualquer sentimento negativo em particular contra as Testemunhas de Jeová fora deste assunto. A data-chave para a contagem para trás até a criação de Adão é aquela em que Ciro derrubou a dinastia babilônica, 539 AEC. Ciro emitiu seu decreto de libertação para os judeus durante seu primeiro ano, antes da primavera de 537 AEC. Esdras 3:1 diz que os filhos de Israel estavam de volta em Jerusalém por volta do sétimo mês, tisri, que corresponde a partes de setembro e outubro. Portanto, o outono de 537 AEC é reconhecido como a data da restauração da adoração de Jeová em Jerusalém. Como se chega a 539 A.E.C.?

    Pode-se chegar à data de 539 A.E.C. para a queda de Babilônia diante dos persas, não somente pelo cânon de Ptolomeu (uma lista de rei babilônios e persas escrita no século 2 E.C., de cuja viabilidade falaremos depois), mas também por outros meios. Entre estes, destaca-se uma tabuinha de argila babilônica denominada Strm Kambyses 400, com a seguinte informação astronômica correspondente ao ano sétimo de Cambises II, filho de Ciro II: “Ano 7, Tamuz, noite de 14, 1 2/3 horas duplas [três horas e vinte minutos] depois que veio a noite, um eclipse lunar visível em todo seu curso; chegou à metade norte do disco [da lua]. Tebet, noite do 14, duas horas duplas e média [cinco horas] na noite antes da manhã [na última parte da noite], o disco da lua se eclipsou; todo o curso visível; o eclipse chegou às partes norte e sul”. (Inschriften von Cambyses, König von Babylon, de J. N. Strassmaier, Leipzig, 1890, núm. 400, linhas 45-48; Sternkunde und Sterndienst in Babel, de F. X. Kugler, Münster, 1907, vol. 1, págs. 70, 71.) Aqui se fala de dois eclipses, dando suas datas segundo o calendário babilônico. Estas datas coincidem com dois eclipses que foram visíveis em Babilônia o 16 de julho de 523 A. E.C. e o 10 de janeiro de 522 A. E.C. (Cânon of Eclipses, de Oppolzer, tradução ao inglês de O. Gingerich, 1962, pág. 335.) Portanto, esta tábuinha parece indicar que o sétimo ano de Cambises II começou na primavera de 523 A. E.C.

    Como o sétimo ano de Cambises II começou na primavera de 523 A. E.C., seu primeiro ano de reinado foi o 529 A. E.C., e em seu ano de ascensão e último ano de Ciro II como rei de Babilônia foi o 530 A. E.C. (vale recordar que o período desde que um rei chegava ao trono até o fim desse ano se denominava em seu ano de ascensão, e o seguinte ano completo era seu primeiro ano).
    Assim, sabemos qual foi o último ano de reinado de Ciro em Babilônia. A última tabuinha datada do reinado de Ciro II é do dia vigésimo terceiro do mês quinto de seu nono ano. (Babylonian Chronology, 626 B.C.–A.D. 75, de R. Parker e W. Dubberstein, 1971, pág. 14.) Se o nono ano de Ciro II como rei de Babilônia foi o 530 A. E.C., segundo esta conta seu primeiro ano foi o 538 A.E.C., e o em seu ano de ascensão, o de 539 A.E.C.

    Há outros meios que apontam ao mesmo ano: o historiador Diodoro, bem como Africano e Eusébio, mostram que o primeiro ano de Ciro como rei de Pérsia correspondeu à LV Olimpíada, ano 1 (560 / 559 A.E.C.), enquanto o último ano de Ciro se coloca na LXII Olimpíada, ano 2 (531/530 A.E.C.). As tabuinhas cuneiformes dão a Ciro um reinado sobre Babilônia de nove anos, o que apoia no ano 539 como a data da conquista de Babilônia. (Handbook of Biblical Chronology, de Jack Finegan, 1964, págs. 112, 168-170; Babylonian Chronology, 626 B.C.–A.D. 75, pág. 14).

    A crônica de Nabonido estabelece no dia e no mês: 12 de outubro segundo o calendário juliano, 6 de outubro segundo o calendário gregoriano.

    Curtir

  • Elias jr  On 28 de janeiro de 2012 at 4:18

    Mais uma vez repito: a Bíblia não fornece datas.
    O artigo da Sentinela 1º de outubro no quadro ao pé da página 28 menciona documentação histórica e astronômica em apoio a data 539 A.E.C para o 1º ano de Ciro, e admite que a tabuinha cuneiforme(BM 33066) contém erros e, no entanto, ela é aceita sem qualquer problema. Mas concordo com voçê (dados na sua resposta) que existem outras fontes que apontam para a data 537 A.E.C como sendo a volta dos judeus. Mas a Sentinela não nos informa que para a data de 587 A.E.C tem muito mais evidência astronômica e arqueológica do que a data 539 A.E.C. A questão é que os historiadores não tem dúvidas nas datas 539 A.E.C e 587 A.E.C. Os produtores da Sentinela são incapazes de encontrar um único historiador credenciado e imparcial que discorde dessas datas e concorde com 607 A.E.C (para a destruição de Jerusálem), para poder citá-lo.
    A revista 1º de novembro nas páginas 25 à 27 enfatiza a tabuinha VAT 4956 como evidência para a data 607 A.E.C. citando que muitos dados astronômicos na VAT 4956 combinam com o ano 588 A.E.C” e não com o ano 568/567 A.E.C para o 37º ano de Nabucodonosor II. Um ponto crucial é que a revista não informa quem são esses pesquisadores que “examinaram cuidadosamente os 13 grupos de posições lunares..” e nem disponibiliza a pesquisa.
    Quando os historiadores apontam para uma determinada data é por que buscaram o maior número de informações documentais e astronômicas, e quando verificam que há sicronismos dessa data com outras historicamente comprovadas, mais certeza tem que estão corretos. Eles estabelecem as datas conforme são indicadas pelo exame de toda a documentação histórica disponível. A revista Sentinela se baseia em pouca evidência e mesmo assim induz o leitor a acreditar que 607 A.E.C é a correta.
    Seria razoável a Torre de vigia mostrar um comparativo de documentos que apóiam 587 A.E.C e 607A.E.C, não acha? Até para que o leitor tirasse suas próprias conclusões e não a que ela quer, por que isso implica fundamentalmente em 1914.
    Quando escrevi sobre 537 A.E.C, não foi sobre a autentisidade dessa data, foi sobre o critério e importância que voçês usam para acreditar ou desacreditar em determinada data que estão em acordo ou descordo com a profecia de 1914.

    Curtir

  • queruvim  On 28 de janeiro de 2012 at 20:26

    “A nossa real preocupação são nos sinais do fim” Esta sua declaração se ajusta mais as Testemunhas de Jeová. São elas que estão realmente preocupadas com a divulgação das Boas Novas mencionadas por Jesus como sendo pregada “em toda a terra habitada em testemunho a todas as nações” antes de vir ” o fim”. (Mateus 24:14) Todavia você fala como se pertencesse a este grupo. E como sabemos não existe outro povo atarefado em divulgar as boas novas do Reino. O que faz de tí um critico na contra-mão, uma vez que discorda do grupo que faz aquilo que afirma que deve ser feito.

    Ao dizer que “A bíblia não fornece datas” não percebe que eu poderia dizer estas mesmas palavras enganosas ao afirmar que 587 tampouco aparece na Bíblia.Um erro básico de falácia de regra geral.

    A aceitação da data de 607 A.E.C como sendo a data correta para a destruição da antiga Jerusalém não é algo feito as cegas pelas TJ. É algo aceito por se ajustar corretamente a autoridade máxima, a Bíblia. De fato a Bíblia é clara sobre os setenta anos de cativeiro em Babilônia. É simples! Basta contar 70 anos a partir desta data de 537 e chegamos ao ano de 607 A.E.C! Não existe debate algum da parte dos historiadores a respeito de 539 A.E.C como sendo o primeiro ano de Ciro. O que facilita sobremaneira obtenção da data exata da destruição de Jerusalém. Não é necessário complicar o assunto. Portanto, apesar de sugerir o contrário,como se fossem as TJ que deveriam basear-se na bíblia, o ônus na prova recai sobre os críticos de 607 A.E.C

    Quanto a sua afirmação da “incapacidade dos produtores de A Sentinela” de apresentarem historiadores seculares deste mundo alienado de Deus e apático a palavra de Deus…
    Se a opinião da maioria fosse a correta o apostolo inspirado não teria dito que “o mundo inteiro jaz no poder do maligno” (1 João 5:19). Não foram a maioria que perseguiram e votaram na execução de Cristo? Não foi o Cristo quem afirmou que “larga e espaçosa é a estrada que conduz a destruição” ao passo que a estrada que conduz a vida é “estreita e apertada e poucos são os que a acham”? De fato a vasta maioria dos políticos, religiosos e educadores alemães apoiaram o regime nazista com raras e excepcionais excessões. Eu certamente teria muita dificuldade, naquela época, em encontrar um único erudito proeminente que ousasse falar contra a maioria dos religiosos que apoiaram o regime genocida de Hitler.Requer coragem… que normalmente falta a pessoas conformadas com a opinião da maioria, muitas vezes teologicamente tendenciosa, se não carregadas de ódio ou birra anti TJ.
    Parece que nem mesmo atentou as declarações que fiz acima…

    “Me admira muito que apesar de Jesus ter avisado que o “mundo inteiro Jaz no poder do iníquo” (como repetido pelo Apóstolo em 1 João 5:19) muitos prefiram invalidar a palavra de Deus a fim de aceitar conceitos de pessoas que fazem parte deste mundo apartado de Deus.”

    Parece que Alguns se convencem de que a data de 607 A.E.C é equivocada apenas por ouvirem uma associação com o nome das “Testemunhas de Jeová” Ridicularizar um argumento como forma de derrubá-lo é uma tática preconceituosa e uma armadilha perfeita dos que subestimam a Organização de Jeová. Atacar as TJ, uma espécie de “ataque ao argumentador” é muito comum nos defensores da data de 587 que argumentam partindo do pressuposto de que o oponente já está comprovadamente errado!

    Curtir

  • queruvim  On 28 de janeiro de 2012 at 20:43

    “Seria razoável a Torre de vigia mostrar um comparativo de documentos que apóiam 587 A.E.C e 607A.E.C, não acha? ”

    Não, não acho, visto que a autoridade máxima é a Bíblia.Ela de modo sobrepujante risca 587 e torna abundantemente claro que 607 é a única data possível. Por que então apresentar documentação admitidamente questionável se já temos certeza da exatidão da data de 607 ?
    As lacunas na historia registrada pelas crônicas babilônicas indicam
    um registro incompleto.

    Curtir

  • Maia  On 30 de janeiro de 2012 at 11:07

    Senhores,

    Avaliando de modo frio, sem exaltação emocional de qualquer tipo,
    notei no argumento usado na sentinela de 1/11/2011 ,pagina 27,que diz que
    os grupos de posições lunares mencionados na VAT4956 ( e que são 13) são TODOS compativeis com as posisões calculadas para o ano de 588/587; ao passo que NEM TODOS esses 13 grupos são compatíveis com 568/567.
    Não se menciona quantos dos 13 grupos NÃO se compatibilizam com
    568/567 , porém , se nem todos os grupos se compatibilizam com 568/567,
    então abre margem para questionar se o elemento cronologico é 100% confiável para a data 568/567.

    E. R. Thiele, destacado arqueologo e historiador ( e adventista 7° dia) data a queda de Jerusalém em 587/586 (veja wikipedia) , mas para isso ele precisou discordar do relato bíblico sobre a quantidade de anos que o rei Peca e o rei Oséias governaram tribos de Israel.

    Se notarem, em sua tabela cronologica Thiele não credita ao rei Peca 20 anos de governo mas apenas 10/11 e faz o mesmo com o rei Oséias lhe tirando quase metade de tempo do seu reinado.

    Isso aproxima-se dos 20 anos a mais que as testemunhas de Jeová defendem e que é justamente a diferença de 607 para 587; W F Albrigth segue
    o mesmo raciocinio cronologico de Thiele ao fazer sua datação cronológica.

    As simulações feitas dos 13 grupos de posições lunares com o programa
    de computador mencionado devem ser honestamente feitas por aqueles que discordam da argumentação proposta pelas testemunhas de Jeová, ou, se
    não tiverem condições de faze-lo devem se certificar com outras fontes
    imparciais.

    Se todos os historiadores concordam em que o Rei Persa Ciro conquistou
    Babilonia em 539 então parece que há uma data de consenso entre os
    historiadores e as testemunhas de Jeova, raciocinando no sentido de que os
    70 anos de exilio judeu foi de 70 anos literais, então isso aproxima a
    destruição de jerusalem ao 607 e deixa longe a destruição mencioinada da
    data sugerida de 587/586. Isso fica óbvio.

    Curtir

  • Elias jr  On 24 de fevereiro de 2012 at 4:42

    Gostaria, se possível, de saber por qual motivo meu último comentário não ficou postado. O assunto era a respeito dos 70 anos de servidão de Judá para babilônia. Se houve algum problema posso mandar outra vez.

    Desde já agradeço.

    Curtir

  • queruvim  On 24 de fevereiro de 2012 at 14:15

    Elias, nem todos os comentários são aprovados. O que não é o caso do seu. Ele ja foi lido atentamente. contudo, devido ao tempo curto este foi colocado ao lado para resposta e análise cuidadosa. Não decidimos ainda se postaremos ou não. Esta guardado com carinho para apreciação.

    Curtir

  • Alex Silva  On 15 de novembro de 2013 at 11:52

    Pode me dizer por qual o motivo o outro comentário não passou na moderação ?

    Curtir

  • Queruvim  On 15 de novembro de 2013 at 22:05

    Poste aqui ou na página sobre 607

    Curtir

  • Companheiro da bíblia  On 17 de novembro de 2013 at 3:46

    Alex silva,

    O assunto “reino de Deus” no escopo bíblico assume várias nuanças e a profecia sobre a “barraca de Davi” envolve um ajuntamento e não a Jesus assumir o reino.

    Veja o contexto de Amós (vers. 12 e 14)

    Depois volte em Atos 15:13-18 e veja se Tiago não está relacionando a profecia de Amós 9:11 a um ajuntamento de pessoas(que comporiam o “israel de Deus” chamados dentre os judeus e dentre as nações-Romanos 9:24-27).

    Logo, o trono de Davi é uma coisa

    A barraca de Davi é outra, não ficou claro para ti ?

    Você mesmo reconhece isso nas seguintes palavras:

    “Tiago, diante do fato de que pessoas das nações(não judeus)estavam se tornando testemunhas de Jeová , RELACIONOU TAL EVENTO(A CONVERSÃO DE GENTIOS) à profecia de Amós relacionada a reconstrução da “barraca de Davi”.

    Em seguida a estas palavras suas vc passa a confundir a “barraca de Davi” com o “trono de Davi”, mas Tiago nem de longe aplicou a barraca de Davi ao “trono”.
    É você quem faz isso para apoiar o raciocínio de que o reino do cristo se Deu por completo após sua ressurreição em 33 EC.

    O resto do que você escreveu nesse primeiro post segue o mesmo padrão distorcido.

    Na segunda postagem você pergunta:

    “Ensina a bíblia que nenhum rei na linhagem de Davi reinou em Jerusalém após 607?”
    Você mesmo responde sua pergunta afirmando:

    “Para todo aquele que era um israelita de verdade houve um rei em israel”

    O fato de Jesus ser chamado de “rei” não significa que ele já governava, mesmo porque profetas como Zacarias já o chamava de “rei” muita antes dele nascer-Zacarias 9:9.

    Jesus foi chamado de rei enquanto em vida humana porque era o herdeiro do reino [ e começaria a reinar apenas entre os da congregação cristã]. Portanto escolha entre duas opções mais lógicas:

    Ou ele se tornou rei em 33 após ser ressuscitado(base bíblica específica)
    Ou assumiu o reino em 1914(farta base bíblica)

    Nós ensinamos as duas verdades. . lembra que eu disse no início que o assunto “reino de Deus” tem várias nuanças?

    Curtir

  • Marcelo  On 17 de novembro de 2013 at 15:16

    Alex, achei muito interessante tuas colocações. Só está bastante extensa, e fica dificil responder a cada um dos pontos levantados. Vou tentar resumir, me ajude caso eu tenha perdido algum ponto (Vou tentar colocar um ponto em cada comentário, para que não se discutam vários pontos ao mesmo tempo):

    ARGUMENTO 1): Jesus disse que era Rei, e outros o identificaram como rei, logo o trono e Davi no primeiro século. Logo o reino já estava valendo e existiu um reino depois de 607.

    Como eu entendo: Jesus era o Rei Unigido de Jeová, designado. Já havia recebido a designação, e o que Jeová fala que vai acontecer, as vezes é falado como se já tivesse acontecido.

    A bíblia fala sim que Jesus era rei, obviamente depois de 607. Mas será que o reino já estava na ativa?

    (João 6:15) Jesus, portanto, sabendo que estavam para vir e apoderar-se dele para o fazerem rei, retirou-se novamente para o monte, sozinho.

    (Lucas 24:21) Mas nós esperávamos que este [homem] fosse o destinado a livrar Israel; sim, e além de todas estas coisas, este já é o terceiro dia desde que essas coisas ocorreram.

    (Atos 1:6-8) Tendo-se eles então reunido, perguntavam-lhe: “Senhor, é neste tempo que restabeleces o reino a Israel?” 7 Disse-lhes ele: “Não vos cabe obter conhecimento dos tempos ou das épocas que o Pai tem colocado sob a sua própria jurisdição;

    Os discípulos apesar de considerar que Jesus era um rei, não consideravam que o reino estava ativo, ou ininterrupto.

    Abaixo: http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1101989242

    Col. 1:1, 2, 13: “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus, pela vontade de Deus, e Timóteo, nosso irmão, aos santos [os que eram herdeiros do Reino celestial] . . . Ele [Deus] nos livrou da autoridade da escuridão e nos [os santos, membros da congregação cristã] transferiu para o reino do Filho do seu amor.” (Assim, na realidade, Cristo começara a reinar sobre a congregação cristã no primeiro século, antes da escrita dessa carta, porém o estabelecimento do Reino para dominar sobre toda a terra estava ainda no futuro.)

    1 Cor. 4:8: “Será que já estais cheios? Será que já estais ricos? Será que já começastes a reinar sem nós? E eu bem que queria que já tivésseis começado a reinar, para que nós também reinássemos convosco.” (Torna-se claro que o apóstolo Paulo os reprova por raciocinarem erroneamente.)

    Rev. 12:10, 12: “AGORA se realizou a salvação, e o poder, e o REINO de nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo, porque foi lançado para baixo o acusador dos nossos irmãos, o qual os acusa dia e noite perante o nosso Deus! Por esta razão, regozijai-vos, ó céus, e vós os que neles residis! Ai da terra e do mar, porque desceu a vós o Diabo, tendo grande ira, sabendo que ele tem um curto período de tempo.” (O estabelecimento do Reino de Deus é aqui relacionado com o lançamento de Satanás fora do céu. Isto não se deu por ocasião da rebelião no Éden, conforme se mostra em Jó, capítulos 1 e 2. O livro de Revelação foi escrito em 96 EC, e Revelação 1:1 indica que trata de acontecimentos ainda futuros.)

    Curtir

  • Nilson Rocha.  On 18 de novembro de 2013 at 3:41

    Prezados tive analisando as objeções colocada aqui pelo Alex Silva com ralação a posição tj sobre a entronização de Cristo como rei.Bem,admito com sinceridade que de todos que aqui participam talvez eu seja o que tem menos conhecimento sobre um tema tão profundo,mesmo assim gostaria de tecer alguns comentários sobre isso,fazendo no entanto de forma resumida.
    Quando tratamos de certos tópicos bíblicos precisamos levar em conta certos aspectos .
    1- O livro de Daniel provavelmente teve sua escrita completada por volta de 536 AEC ( alguns apontam para entre 540 e 530 AC,não importa) o fato é que em Daniel 7:13,14 ali Jesus é descrito como recebendo “domínio,um reino…”foi lhe dado” diz o texto.No entanto as escrituras não parece indicar que ele tenha realmente começado um domínio naquela época especifica ,não embora em visão Daniel contemple tal acontecimento Jesus só começaria de fato a reinar ou assumir esse domínio no futuro.
    A Mesma coisa acontece com relação a sua morte sacrifícial .O profeta Isaias no capitulo 53 retrata tais acontecimentos usando expressões no tempo passado.Ex:versículo 5- “Mas ele FOI traspassado pelas nossas transgressões..”
    7- “Ele FOI oprimido e humilhado..”
    Ou seja embora tais acontecimento fossem futuros eram descritos como já tendo acontecido.
    O que é retratado no livro de Daniel sobre Jesus receber “um reino,ou domínio “tem haver com a legitimidade de quem de fato é digno de ser o rei de todo mundo.E Cristo só deveria receber tal designação DEPOIS QUE PROVASSE SUA OBEDIÊNCIA A SEU DEUS E PAI.”
    Portanto creio eu embora Jesus tenha recebido o titulo de rei muito antes de sua própria vinda a terra tudo leva a crer que se passaria um estagio para ele de fato assumir tal “DESIGNAÇÃO” .
    2- Uma pergunta que sempre me faço é: Praticamente todo mundo aceita que o livro de Daniel fez uma predição exata com relação ao tempo que o Mesias apareceria na terra.Em Daniel 9:25 diz: “Sabe,e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém,até ao ungido(Jesus) ao príncipe,sete semanas e sessenta e duas semanas..” (Al) A maioria dos peritos bíblicos concorda que não se trata de semanas literais de 24 horas e sim semanas de “anos “.Uma nota na bíblia The Ryrie Study Bible sobre esse texto diz que “ a ordem de Artaxerxes foi emitida em 455 a.C.”Então a maioria concorda que o fim do período profético é em 29 EC que segundo a historia secular e a própria bíblia foi nesse ano que Jesus veio a João para se batizar,tornando-se ungido ou líder.
    Não estou fugindo do tema,a minha pergunta é :se Daniel predisse com exatidão o ano que o Mesias apareceria porque não poderia predizer com tal precisão algo muito mais grandioso que é ele se tornar rei?
    A explicação dada pelas testemunhas de Jeová tem muita lógica.
    Como eu disse no começo a abordagem principal do livro de Daniel é a legitimidade de Jeová ser o rei supremo por meio de um representante(compare com Daniel 4:34,37).
    A explicação da enorme arvore ,tudo faz sentido…
    Pois bem.era isso queria dizer se alguém quiser completar meu raciocínio ou corrigir algo que disse fique a vontade.

    Curtir

  • Marcelo  On 18 de novembro de 2013 at 12:16

    Alex

    As respostas aos seus comentários refutam a idéia que ser chamado de Rei significa que ele já governava. Queira contra-argumentar, por favor, em vez de repetir o que tu já havia dito.

    Curtir

  • Queruvim  On 18 de novembro de 2013 at 12:30

    Não há como harmonizar as palavras do Alex copiadas de site de opositores das TJ com as palavras do Profeta Daniel em Daniel 7:13

    ” “Continuei observando nas visões da noite e eis que aconteceu que chegou com as nuvens+ dos céus alguém semelhante a um filho de homem;*+ e ele obteve acesso ao Antigo de Dias,+ e fizeram-no chegar perto perante Este.+ 14 E foi-lhe dado domínio,+ e dignidade,+ e um reino,*+ para que todos os povos, grupos nacionais e línguas o servissem.+ Seu domínio é um domínio de duração indefinida, que não passará, e seu reino é um que não será arruinado.”

    Estas palavras de Daniel são profecias de eventos futuros. Neste ínterim, as nações estariam dominando sem um Rei legalmente designado por Jeová Deus. É por isso que Jesus se referiu a este período de tempo como sendo o “tempo designado das nações” (Luc. 21:24) O próprio Jesus disse que o Reino ainda estava se aproximando, e não que já era vigente como tu afirmas. Lemos em Marcos 114,15:

    Ora, depois de João ter sido preso, Jesus entrou na Galiléia, pregando as boas novas de Deus 15 e dizendo: “Tem-se cumprido o tempo designado e o reino de Deus se tem aproximado. Arrependei-vos e tende fé nas boas novas.”

    Revelação 11:15-17 associa o início do Reino de Cristo com o tempo do fim, nossos dias, quando então os homens começaram a destruir a fauna e a flora do planeta. Lemos alí:

    “15 E o sétimo anjo tocou a sua trombeta. E houve vozes altas no céu, dizendo: “O reino do mundo tornou-se o reino de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre.”
    16 E os vinte e quatro anciãos, sentados nos seus tronos diante de Deus, prostraram-se sobre os seus rostos e adoraram a Deus, 17 dizendo: “Agradecemos-te, Jeová Deus, o Todo-poderoso, Aquele que é e que era, porque assumiste o teu grande poder e começaste a reinar. 18 Mas as nações ficaram furiosas, e veio teu próprio furor e o tempo designado para os mortos serem julgados, e para dar a recompensa aos teus escravos, os profetas, e aos santos e aos que temem o teu nome, a pequenos e a grandes, e para arruinar os que arruínam a terra.”

    É bom ressaltar porém que no Pentecostes de 33 EC, depois de Cristo morrer, ser ressuscitado e ascender aos céus, Deus “o fez cabeça sobre todas as coisas para a congregação”. (Efésios 1:20-22; Atos 2:32-36) Desse modo, Cristo começou a reinar, mas de forma restrita. Seus primeiros súditos eram cristãos ungidos com o espírito, que compunham o Israel espiritual, ou “o Israel de Deus”. — Gálatas 6:16; Colossenses 1:13.

    Curtir

  • Queruvim  On 18 de novembro de 2013 at 12:40

    Renato Sales Silva,

    vulgo Alex, seus comentários não são mais bem vindos aqui, Não aceitamos que copie argumentos de páginas ANTI TJ. Aprenda a pensar por si mesmo. Não toleramos apóstatas ou seguidores deles aqui.

    Curtir

  • Queruvim  On 18 de novembro de 2013 at 12:44

    Ele estáva copiando material ANTI TJ.Material com aparência de pesquisa.Não é o amor pela verdade que motiva estas pessoas a pesquisarem, antes, o ódio e birra contra as Testemunhas de Jeová. Entenda isso Renato Sales

    Curtir

  • Nilson Rocha  On 18 de novembro de 2013 at 14:23

    É Irmão Queruvim,acho que o meu comentário somado ao teu realmente esclarece o assunto,que na verdade esse amaranhado de textos citados pelo opositor Alex na verdade não prova a sua opinião.

    Curtir

  • Nilson Rocha.  On 18 de novembro de 2013 at 15:43

    Realmente fica provado Queruvim,que tais pessoas não estão dispostas a raciocinar,diferente da gente que analisa a questão e apresenta informações que realmente faz sentido,os comentários aqui apresentado por você,o marcelo,companheiro da bíblia,e outros realmente deixou claro que nossa posição realmente se ajusta ao que a bíblia diz.

    Curtir

  • Nilson Rocha.  On 18 de novembro de 2013 at 15:55

    Prezado Marcelo,muito bem colocada as tua observações ,quando você diz:Como eu entendo: Jesus era o Rei Unigido de Jeová, designado. Já havia recebido a designação, e o que Jeová fala que vai acontecer, as vezes é falado como se já tivesse acontecido.

    A bíblia fala sim que Jesus era rei, obviamente depois de 607. Mas será que o reino já estava na ativa?
    Os discípulos apesar de considerar que Jesus era um rei, não consideravam que o reino estava ativo, ou ininterrupto.
    A Mesma coisa Marcelo,se dá com relação ao titulo dado a Jesus a saber “UNGIDO”( Messias) ) ele recebe tal titulo bem antes de sua unção em 29 Ec por ocasião do seu batismo.Estou errado?

    Curtir

  • Marcelo  On 18 de novembro de 2013 at 21:25

    Acho que ta certo sim 🙂 Não lembro de nenhum texto em particular, mas muitos textos se referem ao messias muito antes de ele nascer. Alguns falam como se fosse passado.

    Curtir

  • Queruvim  On 18 de novembro de 2013 at 22:51

    Ultimamente tem aparecido um monte de opositores aqui neste post. Eu tenho uma forte suspeita de que alguns deles iriam publicar alguma acusação referente ao tema acima e se depararam com este artigo, escrito de antemão, frustrando-os de sua oposição. Tem tantas igrejas evangélicas envolvidas com maçonaria, violação da lei do silêncio, enriquecimento ilícito e curandeirismo, que eles tem que vir aqui encher o saco do Povo de Jeová!

    Vou deixar um recado para alguns que insistem em teimar e até mesmo afirmam que querem “justiça” e que se publique seus comentários. Paulo em Rom 16:17 disse a respeito dos que querem “causar tropeço contra o ensino” que “os eviteis“. Era Paulo um “Fariseu” ou “injusto” por isso?

    Esta é uma das acusações que tenho recebido, na tentativa de me fazer aprovar comments aqui nesta página.Interessante que eles mesmos, ou pelo menos alguns deles, afirmam que “nem religião eu sigo” e que “não acredito mais na religião organizada”. Mas é claro!!!!!… as igrejas que outrora escolheram são uma vergonha e um vituperio para o nome de Cristo! Tentam “atrair a sí os discípulos” exatamente como foi predito em Atos 20:30 ao invés de “fazer discípulos. Esta é uma evidência de que são “opositores” e não apenas críticos. Perseguem as TJ com posts cujos estudos são tão superficiais como pontas de icebergs. Você observa que não estão interessandos em divulgar a Bíblia com a motivação do amor, mas sim o ódio desfarçado num discurso ANTI TJ. Eu recentemente fui comprar pão em uma padaria, e a balconista falou: “Vcs sabiam que as TJ são uma seita?” e acrescentou: ” eles se envolvem sim em política”. “Eu tenho certeza porque o pastor disse”. Interessante que ela do nada, sem saber quem eu era, veio falar mal do povo de Jeová! Depois de explicar a ela e literalmente “parar a padaria cheia de gente escutando” eu a perguntei, “Tem certeza mesmo, que as Testemunhas de Jeová se envolvem na política partidária?” “A Sra tem CERTEZA disso?” Um silêncio tomou conta do ambiente, daí eu mesmo disse: “Cuidado, lembra-se do que diz João 8:44? Satanás é o Pai da mentira, por isso devemos evitar a mentira!” Ninguém ousou responder… Eu decidi responder visto que ela fez uma acusação na frente de muita gente. Falei com tom firme e em defesa do Povo de Jeová. Eu simplesmente não sou do tipo de pessoa que fica aceitando passivamente a difamação em minha frente. Então todos os que querem postar aqui nesta página, aprenda primeiro a tirar o sentimento de ódio e birra ANTI TJ do coração ou vão pra outro lugar postar suas palavras ventosas.

    Curtir

  • GIBE TJ  On 18 de novembro de 2013 at 23:23

    também sou assim, Queruvim. Conversei com dois rapazes da Banca da Bíblia aqui da minha cidade. Quando fui os refutar um monte de pessoas das bancas ao lado pararam para ouvir a conversa. ficaram de orelha em pé. Aplico muito o texto de provérbios 26:5

    Curtir

  • Jeosadá  On 19 de novembro de 2013 at 9:42

    Eu sou assim com relaçao a questão do sangue.

    Olha, me ferve o sangue quando um IGNORANTE vem falar bababoseira:

    “Fulaninho morreu porque não tomou sangue. Era TJ…”
    “Deixa os filhos morrerem pq nao aceitam sangue…”

    Eu me sinto falando com um Islamico fanatico pregando a guerra santa!

    Eu nunca deixo passar, pode ser onde for, eu corto na HORA! Eu defendo em qualquer lugar os Tratamentos Alternativos.

    Hoje eu posso falar com FIRME CONVICÇÃO:
    Não existe nenhum caso na medicina em que a unica alternativa pra se salvar uma vida seja uma Transfusão de Sangue.

    Os evangelicos aqui da minha região costumam dizer que: “O sangue de Cristo tem poder.”

    Eles deveriam mudar essa frase para:
    “O UNICO SANGUE QUE SALVA É O DE CRISTO!”

    E o interessante e que os opositores citam o caso da hemofilia como um quadro clinico em que so se trata com sangue.

    Mas isso e uma mentira. Uma mentira Descarada!

    Na minha congregacao uma irma com hemofilia fez todo o tratamento (quimioterapia) sem usar uma gota de sangue! Ela nem ficou anemica!
    Mas os parentes dela que nao eram TJ foram ate o hospital so pra fazer pressão. E chegaram ate a ameaçar o marido dela (TJ) dizendo que se ela morresse eles iriam mata-lo!
    Absurdo!

    Depois nos e que somos fanaticos!

    Os opositores não podem fugir da verdade: O Tratamento Alternativos éo que ha de melhor na medicina.

    Outra vez me lembro de uma senhora na pregação que disse que parou de ir nas reuniões porque a tia dela (que era TJ) morreu e não tinha tomado sangue (devido a um acidente em que ouve hemorragia). Mas a propria senhora reconheceu que a causa da morte foi traumatismo. Mas ainda explicando a ela sobre as alternativas ela continuou a discordar e dizer que aquilo era um absurdo….

    As vezes sinto na idade das trevas, cercado de fanaticos….

    Curtir

  • Companheiro da bíblia  On 19 de novembro de 2013 at 10:18

    VULGO ALEX SILVA,

    “E foi-lhe dado domínio e dignidade e um reino”- Daniel 7:13.

    Este acontecimento não poderia se dar em 33 EC, nos dias de Jesus.

    “Por inspiração vim a estar no dia do senhor” (Rev.1:10)

    “Revelação de Jesus cristo, que Deus lhe deu, para mostrar as coisas que tem de ocorrer EM BREVE”( Rev.1:1).

    “E eu vi, e eis um cavalo branco, e o que estava sentado nele tinha um arco, E FOI-LHE DADO UMA COROA, e ele saiu vencendo e para completar sua vitória”(Rev.6:2).

    Daniel 7:13 aponta um acontecimento futuro “Foi lhe dado..um reino”

    Revelação aponta acontecimentos futuro, muito além de 33 EC, “Foi lhe dado uma coroa(reino) e ele saiu vencendo e para completar sua vitória”

    “E irrompeu uma guerra no céu, Miguel e seus anjos batalhavam…e eles o VENCERAM. AGORA SE REALIZOU a salvação ,e o poder, e o reino de nosso Deus e a autoridade do seu cristo”( Rev.12:10-12) EM BREVE TAL VITÓRIA SERÁ COMPLETA.

    Se a apostasia se queixa de que ensinamos sobre um reino que já dura 100 anos imagino que agora poderiam nos errar e virar seus latidos para este novo ensino via Alex Silva sobre um reino que já está em exercício cerca de 20 vezes mais do que 100 e nada acontece!

    Vai se aprofundar no ensino daqueles a quem tenta desacreditar, rapaz, tenha a certeza que a apostasia não fez isso e agora, quando tenta fazer, já está com a mente poluída e cheia de rancor contra seus ex irmãos se ajuntando com os “beberrões” (e imorais) do mundo ,para espancar seus ex co-escravos”
    não passam disso: escravos maus(Mateus 24:48-51).

    Curtir

  • Companheiro da bíblia  On 19 de novembro de 2013 at 11:08

    Givanilson disse..

    “Se Daniel predisse com exatidão o ano em que o messias apareceria porque não poderia predizer com tal precisão algo muito mais grandioso que é ele se tornar rei”

    Veja, Givanilsson, esta pergunta não corresponde à realidade. Daniel tanto predisse o surgimento do messias como sua posse do reino, na profecia dos “sete tempos”(que os opositores tentam de todos os modos desacreditar).

    O que eu acho interessante é que Jesus nunca se referiu à profecia de Daniel sobre o aparecimento do messias para provar aos interessados que ELE era o prometido.

    No entanto, é sabido que alguns mais “atentos” conheciam a profecia

    Curtir

  • Queruvim  On 19 de novembro de 2013 at 12:34

    Maravilhoso Davi! Seu comment foi um golpe de mestre nestes não estudados. Até estudam, mas com espírito de rivalidade e não por genuíno interesse na verdade cristalina da palavra de Deus. Quero mais uma vez deixar claro, que não me importo de postar comentários críticos desde que a pessoa que critica não seja um “opositor” que em hebraico se diz “satan”. Ou seja, há pessoas cuja agenda é a de perseguir, difamar e ridicularizar as Testemunhas de Jeová. Principalmente vários pastores evangélicos! A motivação não é a de encontrar a verdade e defender a verdade, mas a de rebater a verdade. Mesmo depois de vários textos bíblicos claros demonstrarem que estão errados, ainda continuam a teimar e discordar com o objetivo de defender aquilo que acreditam. Deixe me mostrar um exemplo. Imagine que você mostra na Bíblia que Deus não se agrada do uso de objetos na adoração. Ou seja, Deus não quer que o adoremos usando uma imagem seja ela qual for. Alguns católicos se calam, mas outros fazem de tudo para continuarem a defender o indifensável. Não há motivos para continuar discutindo com pessoas que acreditam que a tradição religiosa tem primazia à palavra de Deus. Alguns evangélicos ou dissidentes das Testemunhas de Jeová, criam páginas com o objetivo solo de atacar as TJ a qualquer custo. Isto não é bem vindo aqui. Se você é um deles, nos deixe em paz e vai procurar o que fazer! Quem frequenta esta página e perceber “apóstatas” e outros doentes anti TJ postando este tipo de material aqui e caso me passe despercebido, por favor me avise! Ontem alguém percebeu que os argumentos do usuário de nick “Alex” eram na verdade contrl C control V de páginas de apóstatas e eu fui avisado. quero agradecer pelo favor que me prestou. Louvado seja Jeová Deus e bendito seja o Povo que ele escolheu como sua possessão! Salmos 33:12

    Curtir

  • Saga  On 19 de novembro de 2013 at 13:02

    Existe diferença entre ser ungido rei e assumir a posse, só olhar o caso do antigo Israel, vejam o caso por exemplo de Davi

    – Tivemos seu nascimento como filho mais novo de Jessé
    – Então foi ungido pelo profeta como o rei
    – Aos 30 anos começou a reinar em Hébron (que era uma cidade de refúgio)
    – E por fim expandiu seu reino sobre todas as tribos, derrotando os Filisteus e conquistando Jerusalém que foi para onde transferiu sua sede, ele reinou aqui por 33 anos

    Curtir

  • companheiro da bíblia  On 19 de novembro de 2013 at 22:20

    E para o “escravo mau” que chama de “irmão” pessoas que assumem publicamente ser iníquo(Jesus disse que o escravo mau se juntaria a estes para espancar o “escravo fiel e discreto) vai uma explicação do que significa “nuances”

    Nuances , discreta variação de uma mesma cor, pelo menos este foi o sentido que eu intencionei ao dizer que o assunto “reino de Deus” possui várias nuances.

    E aqui vai a principal:

    Jeová é e sempre será o governante universal.
    O reino de Deus sempre existiu desde os céus.
    No entanto, que uma nova expressão desse mesmíssimo reino entraria em voga com respeito à terra e sua administração Daniel disse 2 coisas importantes, ao revelar a Nabucodonosor o significado do sonho da estátua.

    “Há nos céu um Deus que é revelador de segredos, e ele fez saber ao rei Nabucodonosor o que há de acontecer NA PARTE FINAL DOS DIAS…
    O Deus dos céus ESTABELECERÁ UM REINO que jamais será arruinado, esmiuçará e porá termo a todos estes reinos e ele mesmo ficará estabelecido por tempo indefinido”.- Daniel 2:28 e 44.

    1- Na parte final dos dias

    2-Estabeleceria um reino.

    Um reino seria ESTABELECIDO , uma discreta “variação de uma mesma cor” que já existe(o sempiterno reino de Deus, AQUELE QUE NÃO TEM INÍCIO,MEIO E FIM- 1 Crônicas 29:11) isso não seria em 33EC mas sim “na parte final dos dias” o reino seria “ESTABELECIDO”.

    É por isso que ESTE REINO que seria estabelecido na parte final dos tempos é chamado de ” o reino de nosso Deus e a autoridade do seu cristo”-Rev.12:10.

    e também

    “..o reino de nosso senhor e do seu cristo”-Rev. 11:15
    (Dentre outras expressões semelhantes).

    Curtir

  • Jeosadá  On 20 de novembro de 2013 at 12:03

    Não meu prezado…
    O Escravo Mau não é um grupo, e sim uma CONDICIONAL do escravo fiel e discreto. Aqueles que foram designados por cristo para servir o alimentoi espiritual DEVEM se comportar como um escravo FIEL. MAS se eles não se comportarem assim, agiram como um Escravo MAU.

    Assim como o Tartaro não é um lugar e sim uma CONDIÇÃO, assim tambem o escravo mau não é um grupo, e sim uma POSSIVEL CONDIÇÃO.

    Veja A SENTINELA de 15 de Julho de 2013:

    ‘SE AQUELE ESCRAVO MAU . . .’ Jesus confiou ao escravo fiel e discreto uma das mais pesadas responsabilidades — supervisionar os domésticos e distribuir alimento espiritual no tempo apropriado. Jesus sabia que quanto maior a responsabilidade que se tem, maior a necessidade de prestar contas. (Luc. 12:48) Assim, ele concluiu sua ilustração sobre o escravo fiel e discreto com um forte alerta. Jesus alertou sobre um escravo mau que conclui no coração que o amo está demorando e começa a espancar seus

    Curtir

  • Jeosadá  On 20 de novembro de 2013 at 12:15

    CONTINUANDO:
    coescravos. Quando o amo chega, disse Jesus, ele pune esse escravo mau “com a maior severidade”. — Leia Mateus 24:48-51. Será que Jesus estava predizendo que haveria uma classe de escravo mau nestes últimos dias? Não. É verdade que algumas pessoas têm manifestado uma atitude semelhante à daquele escravo mau descrito por Jesus. Nós as chamaríamos de apóstatas, quer tenham sido dos ungidos, quer da “grande multidão”. (Rev. 7:9) Mas elas não compõem uma classe de escravo mau. Jesus não disse que designaria um escravo mau. Jesus não disse que designaria um escravo mau. Suas palavras são na realidade um alerta dirigido ao escravo fiel e discreto. Note que Jesus inicia o alerta com a expressão “se é que”. Um erudito diz que no texto grego essa passagem “para todos os efeitos, é uma condição hipotética”. É como se Jesus dissesse: ‘Se alguma vez o escravo fiel e discreto maltratar seus coescravos dessa maneira, é isso o que o amo fará quando chegar.’ (Veja também Lucas 12:45.) Mas o composto escravo fiel e discreto continua vigilante e provendo alimento espiritual fortalecedor. Os irmãos ungidos que em conjunto servem como escravo fiel reconhecem que terão de prestar contas ao Amo pela maneira como cuidam de seus domésticos. O desejo sincero desses irmãos ungidos é cumprir lealmente sua responsabilidade para que possam ouvir um “muito bem” de seu Amo quando ele por fim chegar.

    Curtir

  • Nilson Rocha.  On 20 de novembro de 2013 at 15:14

    Confesso que não entendi a colocação do “companheiro da bíblia”sobre a minha declaração:“Se Daniel predisse com exatidão o ano em que o messias apareceria porque não poderia predizer com tal precisão algo muito mais grandioso que é ele se tornar rei”?
    Ai ele comentou:

    Veja, Givanilsson, esta pergunta não corresponde à realidade. Daniel tanto predisse o surgimento do messias como sua posse do reino, na profecia dos “sete tempos”(que os opositores tentam de todos os modos desacreditar).

    Bem,como todo mundo pode observar FOI ISSO que quis dizer..eu defendo a explicação dada pelas testemunhas de Jeová sobre o tema em questão,e se eu tiver errado por favor alguém me corrija a minha declaração(:“Se Daniel predisse com exatidão o ano em que o messias apareceria porque não poderia predizer com tal precisão algo muito mais grandioso que é ele se tornar rei”)
    Ora a minha pergunta atesta claramente que é razoavel Crer na cronologia bíblia sobre os sete tempos do gentios,porque ASSIM COMO FOI predita a época em que ele seria ungido,porque não a época em que se tornaria Rei?
    E Realmente a Revista a Sentinela certa vez declarou: Os Judeus atentos a essa profecia ( Daniel 9:25) puderam assim indentificar a Jesus como o prometido Mesias.
    Assim também os estudantes da bíblia atento a profecia sobre Os tempos designados das nações,também discerniram que esse tempo terminou em 1914.Fui claro?

    Curtir

  • Nilson Rocha.  On 20 de novembro de 2013 at 15:19

    Muito boa resposta “companheiro da bíblia”essa declaração é sem duvida esclarecedora:“Há nos céu um Deus que é revelador de segredos, e ele fez saber ao rei Nabucodonosor o que há de acontecer NA PARTE FINAL DOS DIAS…
    O Deus dos céus ESTABELECERÁ UM REINO que jamais será arruinado, esmiuçará e porá termo a todos estes reinos e ele mesmo ficará estabelecido por tempo indefinido”.- Daniel 2:28 e 44
    Realmente tais acontecimentos não tem relação com o primeiro seculo e sim com a parte final dos dias do inteiro sistema mundial de coisas.Parabéns!

    Curtir

  • Queruvim  On 20 de novembro de 2013 at 21:05

    Os críticos da data de 607 evidentemente não estudam o contexto.

    Curtir

  • Queruvim  On 20 de novembro de 2013 at 21:08

    Havia um outro postando aqui, as respostas foram para ele. Mas mandei para lixeira os comments dele por terem sido compiados de sites conhecidos por fazer pesquisa com o objetivo solo de criticar as TJ. As respostas são para este cara. Não para vc Nilson Rocha

    Curtir

  • Companheiro da bíblia  On 21 de novembro de 2013 at 0:58

    Ok, Nilson, foi claro sim!

    Esses dissidentes inventam um monte de teorias cheias de contradições e eu acho graça porque eles não se importam com isso desde que a tal teoria seja para apontar supostos erros das tjs.

    Não existe nenhuma delas que realmente me fizeram desacreditar na verdade. E quando algumas poucas coisas ainda precisam ser encaixadas no quebra cabeças eu me lembro da atitude deles de não se incomodarem com o ensino imperfeito deles recheados de calúnias também. Os caras continuam acreditando que Jeová abandonou seu povo por causa de datas e por praticarem a exclusão bíblica ensinada ,inclusive, por Jesus. Moisés fez um erro de cálculo em 40 anos quando achou que havia chegado o tempo de Jeová libertar o povo do Egito e ainda assim foi ele que Jeová usou(Atos 7:23-25),além disso também excluía os rebeldes.

    Este opositor leva e trás (pessoas assim tem problema de caráter) certamente alvoroçou alguns dos apóstatas que tratam os assuntos de um modo totalmente genérico , ou seja, aprenderam sobre o reino espiritual do cristo sobre os ungidos entre nós e acham que tem algum mérito ou que descobriram algo novo, quando apenas estão generalizando o assunto “reino de Deus”.

    Um abraço queruvim, Nilson e demais irmãos!

    Curtir

  • Nilson Rocha  On 21 de novembro de 2013 at 15:35

    Uma perguntinha para os críticos : Digamos(suponhamos) que as Testemunhas de jeová passassem a aceitar a data proposta pelos opositores,587 AEC,tudo bem ,ainda assim a cronologia bíblica do livro de Daniel sobre os sete tempos seria uma realidade(2520 anos) então isso somente mudaria a data na entronização de cristo.( Talvez para 1932/33).Vocês ACEITARIAM essa mudança?
    Se tornariam Testemunha de Jeová em razão disso?

    Curtir

  • Nilson Rocha  On 26 de novembro de 2013 at 9:41

    Sobre esse tema esses dias me confrontei com as seguintes perguntas:

    Perguntas1: O irmão me perguntou:
    Ademais, me diz: Jesus não poderia saber que em 1914 seria o desfecho da soma de 2520 anos?
    Como ele disse que o restabelecimento do Reino ele não sabia quando ocorreria?
    Atos 1:7
    Perguntas 2:
    Mas me diga
    quem hoje representa Jerusalem na sua visão?

    Sim, que seria hoje a jerusalem?
    Sim, mas vc aceita que hoje Jerusalme seja os ungidos na organização de Jeová?
    Sabia que em 1940 por ai, os ungidos foram quase destruidos por Hiltler?
    eles foram pisados intensamente por eles
    Então me diz
    Jesus disse que Jerusalem seria pisada pelas nações ATE QUE o tempos da nações se cumpram
    não foi ela pisada em 1940?
    Ora, Jesus estabelece um limite do pisoteio, ATE QUE.
    então o que isso indica?
    Jerusalem será pisada até que ??????
    CONVIDO A TODOS A ANALISAREM COMIGO ESSA INDAGAÇÕES ATÉ PORQUE QUALQUER UM PODE SE CONFRONTAR COM ELAS.

    Curtir

  • Queruvim  On 26 de novembro de 2013 at 10:04

    Sua primeira pegunta não ficou clara. Quanto a Jerusalém ser “pisada pelas nações” se refere ao tempo de dominação gentia desde 607 A.E.C até 1914.

    Curtir

  • Marcelo  On 26 de novembro de 2013 at 10:48

    Pergunta 1:

    Jesus poderia ter especulado sim, mas ou não o fez, ou não tinha certeza. Afinal foi humilde ao dizer que só o pai sabia, até o momento em que ele estava na terra.

    Pergunta 2:

    Jerusalém CELESTIAL. O reino representado por jerusalém seria pisado. Os ungidos na terra não foram celados. No são reis ainda. Os que estão no céu não foram pisados em 1940, e estes sim, já reinam.

    Revelação 21:2 – Vi também a cidade santa, Nova JERUSALÉM, descendo do CÉU, da parte de Deus, e preparada como noiva adornada para seu marido.

    Curtir

  • Marcelo  On 26 de novembro de 2013 at 12:34

    Outra coisa Nilson. O que nas escrituras dizem que Jesus não poderia ter calculado a data de 1914?

    Me dei conta a pouco que ele não sabia a hora da terminação do sistema de coisas. Nenhum momento fala que ele não saberia quando o reino começaria no céu (que eu lembre).

    Curtir

  • Nilson Rocha  On 27 de novembro de 2013 at 12:03

    Pois é Queruvim,eu acho que tal pessoa pode tá fazendo uma pequena mistura nos assuntos,acho que a pergunta dele é mais ou menos assim: Jesus disse para aqueles discipulos que eles não poderiam não poderiam obter conhecimento dos tempos e das épocas que o pai colocou sobre sua juridição tendo em vista que o contexto fala do restabelecimento do reino,ele pergunta: eles não poderia saber visto que era simplesmente calcular a profecia de Daniel? Bem,tendo em vista que esse restabelecimento tem duas etapas,a paurosia ou domínio no ceu e VINDA desse reino em substituição aos governos terrestres ,pode ser, é bem mais provavel que a declaração de Jesus tem haver com esse acontecimento e não fim dos 2520 anos proféticos.

    Curtir

  • Givanilson Rocha(Nilson)  On 28 de novembro de 2013 at 10:16

    Outro detalhe esclarecedor: Mesmo que jesus ali estivesse se referindo ao fim do período profético de 2520 ( tempos dos gentios) anos o entendimento sobre quanto tempo duraria só pode ser “calculado” com a escrita do livro de Revelação,pois é nesse livro que se identifica o quanto corresponde “um tempo” portanto tendo essa informação em mão pode-se então se determinar o quanto vale os sete tempos.
    Ou seja: aqueles discípulos não tinha realmente toda informação disponível,por isso Jesus podia dizer: Não cabe a VÒS saber os tempos ou momentos que o pai determinou com sua autoridade”( CNBB)
    Realmente tudo indica que a intenção de Jeová,era que pessoas na “parte final dos dias” entendesse em harmonia com Daniel 12:4.

    Curtir

  • Marcelo  On 28 de novembro de 2013 at 17:40

    É por isto que eu confio muito na organização de Jeová. Por mais que algumas questões levantem dúvidas, quando feitas apresentando uma perspectiva diferente, quando agente vai ver afundo, verificando a validade das premissas apresentadas na questão, agente acaba vendo que existe base bem sólida para tal conclusão.

    Curtir

  • Companheiro da bíblia  On 23 de dezembro de 2013 at 0:33

    queruvim,

    Não havia um comentário aqui perguntando sobre uma aparente discrepância a respeito do reinado de Zedequias ? ou seja, se o estudo perspicaz diz que o reinado dele se deu de 617 até 607 AEC no que o leitor disse ser um total de 10 anos então como a bíblia diz que o reinado foi de onze anos?

    Gostaria de incentiva-lo a pesquisar o que são números cardinais e ordinais, Ou seja , o “décimo primeiro ano do reinado de Zedequias” se referem a 10 anos completos e alguns meses, ou onze anos incompletos, tanto faz!

    Se alguém tem 49 anos e completará 50 em fevereiro de 2014 ele já está no seu quinquagésimo ano de vida!

    Não há contradição alguma.

    Curtir

Comments in english allowed! Não serão permitidos comentários de opositores ou pessoas que querem debates sem fim. EVITE FUGIR DO TEMA DA PÁGINA OU FAZER flooding de informações. Isso é coisa de gente desonesta e que quer confundir. Discordar não é problema, mas fazer oposição com zombaria desrespeito e trollagem não são aceitos nesta página. Ao postar nesta página você estará concordando com isso! Não é permitido a participação de APÓSTATAS nos comentários desta página. Em outras palavras, críticas e discordâncias são aceitas e até mesmo postadas, mas não “espírito de oposição”. Isto se dá em vista do claro mandamento bíblico para que “os eviteis” Romanos 16:17. Outra coisa...tenho recebido comentários feitos com erros graves em quase toda linha e frase. NÃO POSTAREI. Tenha respeito por assuntos bíblicos.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s