O NOME DIVINO DEVE SER USADO NO NOVO TESTAMENTO ?


 yhwh-ani
 
O Nome de Deus conforme representado pelas quatros letras hebraicas IHVH aparece em textos antigos de escritores Cristãos na forma IAO. Aparece também em Mss em grego da versão Septuaginta. O súbito desaparecimento do Nome pode ser visto nas passagens do chamado Novo Testamento.
Uma vez que o Nome aparece mais do que qualquer outro nome nas Escrituras Sagradas nas passagens do chamado Velho Testamento, a crítica textual que ignora a total ausência do Nome “Jeová” no Novo Testamento, revela que a Teologia de alguns é considerada mais importante do que a própria evidência textual.(Obs.: O Nome de Deus foi removido nas cópias posteriores do N.T da mesma forma que o foi nas cópias posteriores da LXX)
 
 
Alguns tem afirmado o seguinte:
 
“…a maioria concorda que tal termo[isto é o Nome de Deus] não aparece UMA UNICA VEZ em 5.309 manuscritos em grego…”
 
Esta afirmação de um site é claramente equivocada! Se quer dizer que o Nome não aparece nos Mss do N.T grego, ainda assim a afirmação seria uma meia verdade visto que o Nome de Deus aparece na expressão ALLELU-IA sendo IA uma abreviação do Nome Jeová e alleluYa literalmente significa “Louvai a Já“.
 
Estes ignoram que existem SIM “manuscritos em grego” koine e bem mais antigos, que mencionam o Nome de Deus (IHVH)
 
O que dizer da afirmação de que “O Nome não aparece UMA VEZ SEQUER nos mais de 5.309 manuscritos em grego.” ?
 
Não acha que essa crítica, inviabiliza a erudição de muitas escolas ao mesmo tempo (visto que várias traduções/tradutores empregam o Nome Jeová no Novo Testamento!) como se estes fossem eruditos despreparados? (VEja o artigo na página OFICIAL das Testemunhas de Jeová: DEVE O NOME DE DEUS APARECER NO N.T? )
 
Não devemos ficar numa analise superficial. Para uma consideração mais ampla veja o link abaixo:
 

Será que o Nome que Deus escolheu para ser chamado e que era usado amplamente no chamado velho Testamento era de uso temporário? Êxodo 3:15 responde:

Deus disse então mais uma vez a Moisés:

Isto é o que deves dizer aos filhos de Israel: ‘Jeová, o Deus de vossos antepassados, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó enviou-me a vós.’ Este é o meu nome por tempo indefinido e esta é a recordação de mim por geração após geração.”

Lemos no Salmo 83:18: “Para que as pessoas saibam que tu, cujo nome é Jeová, Somente tu és o Altíssimo sobre toda a terra.”

Prove. 30:4 diz : “Quem subiu ao céu para descer? Quem ajuntou o vento na concavidade de ambas as mãos? Quem embrulhou as águas numa capa? Quem fez todos os confins da terra levantar-se? Qual é seu nome e qual é o nome de seu filho, caso [o] saibas?”

Existem hoje cópias completas da Septuaginta que datam do quarto século EC. Esses manuscritos e cópias posteriores não contêm o nome divino, Jeová, representado em hebraico pelo Tetragrama (YHWH). Essas cópias usaram em substituição as palavras gregas para “Deus” e “Senhor” sempre que no texto hebraico constasse o Tetragrama. No entanto, uma descoberta feita na Palestina há cerca de 50 anos lançou luz sobre esse assunto. Uma equipe que investigava cavernas perto do litoral ocidental do mar Morto descobriu fragmentos dum antigo rolo de couro dos 12 profetas (de Oséias até Malaquias) escrito em grego. Esses escritos datam de entre 50 AEC e 50 EC. Nesses antigos fragmentos, o Tetragrama não havia sido substituído pelas palavras gregas para “Deus” e “Senhor”. De modo que se confirmou o uso do nome divino na primitiva versão Septuaginta das Escrituras.

Em 1971 foram liberados para publicação fragmentos dum antigo rolo de papiro (Papiros Fouad 266). O que revelaram essas partes da Septuaginta, que datam do segundo ou do primeiro século AEC? O nome divino também foi preservado nelas. Esses antigos fragmentos da Septuaginta fornecem forte evidência de que Jesus e seus discípulos do primeiro século conheciam e usavam o nome de Deus.

Se cópias posteriores de uma Igreja apóstata pôde remover o tetragrama da LXX sem nenhum resquício de discussões a respeito desta heresia entre os pais pré Nicéia , então por que seria tão difícil admitir que isso também poderia acontecer com cópias posteriores do N. T ?

Temos que nos lembrar que As Escrituras Gregas Cristãs contêm umas 320 citações diretas e o total conjunto de talvez 890 citações e referências das Escrituras Hebraicas. A maioria delas se baseia na Septuaginta. Em resultado disso, as citações tiradas desta tradução, e não dos manuscritos hebraicos, tornaram-se parte das inspiradas Escrituras Gregas Cristãs.

(Observe o Nome de Deus em cópias fragmentárias da Septuaginta recentemente descobertas, que confirmam que o Novo Testamento CONTINHA O NOME DE DEUS)

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 
O erudito George Howard diz:

Visto que o Tetragrama ainda era escrito nos exemplares da Bíblia grega [a Septuaginta], que compunha as Escrituras da primitiva igreja, é razoável crer que os escritores do N[ovo] T[estamento], ao citarem a Escritura, preservaram o Tetragrama dentro do texto bíblico.”

Reconhecendo que deve ter acontecido assim, alguns tradutores têm incluído o nome Jeová em sua versão das Escrituras Gregas Cristãs.

The Emphatic Diaglott (A Diaglott Enfática), uma tradução do século 19, feita por Benjamin Wilson, contém diversas vezes o nome Jeová, especialmente quando os escritores cristãos citavam as Escrituras Hebraicas. Mas, já no século 14, o Tetragrama tinha passado a ser usado nas traduções das Escrituras Cristãs para o hebraico, a começar com a tradução de Mateus para o hebraico, incorporada na obra ’É·ven bó·hhan de Shem-Tob ben Isaac Ibn Shaprut. Sempre que Mateus citava as Escrituras Hebraicas, esta tradução usou o Tetragrama em cada ocorrência. Muitas outras traduções para o hebraico seguiram o mesmo costume desde então.

Quanto à correção deste proceder, observe a seguinte declaração feita por R. B. Girdlestone, ex-diretor de Wycliffe Hall, Oxford. Esta declaração foi feita antes de vir a lume a evidência de manuscritos de que a Septuaginta grega originalmente continha o nome Jeová. Disse ele:

“Se esta versão [Septuaginta] retivesse a palavra [Jeová], ou mesmo tivesse usado uma palavra grega para Jeová e outra para Adonai, tal emprego, sem dúvida, teria sido retido nos discursos e nos argumentos do N. T. Assim, nosso Senhor, ao citar o Salmo 110, em vez de dizer: ‘Disse o Senhor ao meu Senhor’, poderia ter dito: ‘Jeová disse a Adoni.’”

Lamentavelmente os Manuscritos POSTERIORES do NT não contém o Nome Jeová em sua forma plena por ter sido retirado.

Os autógrafos (Os originais escritos pelos escritores inspirados) continham o nome de Deus. A TNM não foi a única tradução que decidiu reintegrar no Nome de Deus.

Eusébio de Cesaréia, História Eclesiástica:

“Porque Mateus, que tinha primeiramente pregado aos hebreus, quando ele estava para ir para outros povos, passou o seu Evangelho para escrito na sua língua nativa, e assim compensou aqueles que ele era obrigado a deixar, pela perda da sua presença.”

Jerônimo, na sua obra Vidas de Homens Ilustres, capítulo 3, escreveu:

“Mateus, também chamado Levi, apóstolo e anteriormente publicano, compôs um Evangelho de Cristo primeiramente publicado na Judéia em hebraico, para aqueles da circuncisão que creram, mas ele foi posteriormente traduzido para o grego…

Não há motivos para crer que Mateus tenha removido o tetragrama ao citar o VT, mas antes o reteve. A TNM portanto segue uma linha obvia que tem sido adotada por muitas traduções Eruditas.

Estudos revelam que apenas em cópias posteriores da Septuaginta Grega, datadas do final do 1.º Século d.C. em diante, os copistas começaram a substituir o Tetragrama YHWH por Kýrios, que significa SENHOR (em letras maiúsculas) e por Theós, que significa Deus. Foi devido a isto, a razão de YHWH ter desaparecido graficamente do texto do Novo Testamento em algumas traduções bíblicas.(wikipedia)

Satanás o diabo, em todos os seus dialogos registrados na Biblia Sagrada, JAMAIS USA O NOME DE DEUS. Prefere usar a palavra “Deus”, (em Hebraico elohim). Parece que a mesma atitude prevalece na mente da maioria dos tradutores que como vemos , atacam a Tradução do Novo Mundo, por ter reintegrado o Nome de Deus (IHVH) Jeová, mais de 200 vezes no N.T e se esquecem que removeram o Nome de suas traduções prediletas da Biblia no A.T quase 7000 vezes! Isso talvez explique a motivação contrária e de oposição.

A reintegração do Nome Jeová no chamado N.T é justificável. A preocupação de críticos ao restabelecimento do Nome de Deus devia ser nas quase 7000 vezes que o Nome de Deus desapareceu de suas traduções prediletas da Biblia e não nas 237 vezes que a TNM bem como outras reintegraram o nome de Deus no chamado Novo Testamento!
O Nome aparece em vários manuscritos fragmentários contemporãneo as autógrafos.Inclusive em grego koine.

http://ccat.sas.upenn.edu/rak//lxxjewpap/4QLevB.jpg

http://ccat.sas.upenn.edu/rak//lxxjewpap/PFou848.jpg

http://ccat.sas.upenn.edu/rak//lxxjewpap/MPrsA.jpg

http://ccat.sas.upenn.edu/rak//lxxjewpap/MPrsB.jpg

http://ccat.sas.upenn.edu/rak//lxxjewpap/POxy3522.jpg

Alguns argumentam que em milhares de Mss após o tempo dos Apóstolos não encontramos o nome Jeová no Novo Testamento. Segundo eles é impossivel que o Nome tenha sumido drastica e rapidamente dos Mss em grego poucas décadas depois dos Apóstolos.
Será que isso é verdade ?

“Erros não foram adicionados um por geração, e de geração em geração, mas no “atacado”, por assim dizer.” The King James Version Debate, p. 115

Um exemplo foi a Vulgata que de uma só vez substituiu o Nome de Deus pelo titulo “senhor” e se tornou a base para a tradução de muitas versões da palavra de Deus.
Se levarmos em consideração a integração do Nome no N.T não deveria ser criticada por aqueles que defendem que o titulo “senhor” é um substituto ao tetragrama do Nome de Deus. Poder-se-ia dizer que, da mesma forma, o Nome Jeová é o equivalente do título “senhor” (KYRIOS) no N.T !
Assim como muitas bíblias substituem “Senhor” por IHVH no V.T.
Este é um dos motivos que levaram muitas traduções/versões da Bíblia a incluírem o Nome de Deus no N.T.

O Léxico Grego-Inglês , de Liddel e Scott, 1968 ed., na p. 1013, debaixo de Kurios: “B….4. O KURIOS, = Hebr. Yahweh, LXX Ge. II. 5, al.”

“No NT, de maneira similar, KURIOS, quando usado como um nome de Deus…quase sempre corresponde a IHVH Jeová, e é aplicado neste sentido.” A Greek and English Lexicon to the New Testament, by J. Parkhurst, revised ed. of 1845, p. 347

Para mim a preocupação deve ser naqueles que removeram o Nome de Deus 6828 vezes, não naqueles que o restauraram.
Parece que a TNM é quase sempre destacada e atacada como a única que optou em promover o Nome do Deus Todo Poderoso Jeová.

Os chamados pais pré Nicéia evidenciam em seus escritos uma forte oposição ao uso do Nome (IHVH) e isso ao passo que seus escritos demonstram grande hostilidade contra o Nome (IHVH) por associarem este como o povo Judeu.
Posso citar vários textos escritos por Novaciano, Orígenes,Mark Minucius felix,Tertuliano, Clemente de Alexandria,Justino o Mártir, Aristides bem como muitos outros que se opunham fortemente ao uso do Nome de Deus (IHVH).
Isso explica em parte o porquê do súbito desaparecimento do Nome de Deus no N.T.

Ao Pai de todos, não há nome algum dado” Justino Mártir (c. 160, E), 1.190

Quanto ao nome de Deus , o Pai e Senhor do universo,… se alguém ousa dizer que há um nome, está numa incoerência sem esperança.” Justino o Mártir (c. 160, E) 1.183

Deus não tem nome, pois tudo o que tem nome é relacionado com coisas criadas.” Aristides (c. 125, E) 9.264

O Nome de Deus o Pai , não foi publicado a ninguém.” Tertuliano (c. 198, W) 3.682

O Nome próprio de Deus também não pode ser declarado, pois Ele não pode ser concebido.…” Novaciano, 5.615 (Que contraste com a declaração de Deus a Moisés em Êxodo 9:16 onde Deus ordena a Moisés “meu nome seja declarado em toda a Terra” !)

Vemos nestas poucas declarações que apesar do uso regular do Nome de Deus nas Escrituras do chamado V.T , havia nos dias dos Pais Pré Nicéia uma evidente hostilidade contra o uso do Nome de Deus.
Isto se dava devido a associação que eles queriam terminar com o povo judeu que usavam tal nome na conversação diária e na adoração diária assim como fazem hoje as Testemuhas de Jeová.
Os Judeus e o Nome estavam solidamente ligados.
Isto explica a substituição “no atacado” do Nome (YHVH) por abreviações do Nome bem como o uso de títulos abreviados (Nomina Sacra).

De fato destes mas de 5000 MSS que existem hoje da parte do chamdo N.T, quais destes remontam a apenas uma geração após a morte dos apóstolos ?
Poucos! E quanto aos autógrafos ? não temos um sequer também. O que talvez validaria o argumento de alguns. Contudo, usam argumento que baseia-se não nos autógrafos mas em cópias posteriores destes!

G. D. Kilpatrick declara em seu Etudes de Papyrologie Tome Neuvieme que entre os periodos 70-135 C.E. que houve três importantes mudanças na transmissão do texto. “A mudança de rolos para codices, o Tetragrama foi substituido por Kyrios e nomina sacra (nomes sagrados) foram abreviados. ” Veja pags. 221, 222
O fato é que Jeová esperou ate nosso tempo a fim de revelar sua palavra na forma mais antiga.Temos que nos lembrar que as várias mudanças que se fizeram ao se recopiar textos sagrados foram executadas por posições ortodoxas e não por grupos chamados “heréticos”. Acho uma “pobreza” de raciocínio achar que Mateus que escreveu seu Evangelho originalmente em Hebraico tenha evitado usar o Nome de DEus e o tenha substituido por títulos. Essa conclusão implica que ele teria adulterado o texto. Isso sim é pobreza de crítica textual.
Como sabemos os Apóstolos citavam a LXX e esta continha o Nome de DEus. Portanto é evidente que os primeiros Mss do N.T continha o Nome de Deus.

O próprio Filho de Deus , Jesus Cristo, disse que “dava a conhecer ” o Nome (João17:6,26)

O súbito desaparecimento do Nome de Deus nos Mss POSTERIORES do N.T é um alerta para a crítica textual séria.

ISSO SINGIFICA IR ALÉM DO GREGO BÁSICO , quanto aos “originais” não existem hoje originais! Se é que alguns imaginan que “originais” são copias posteriores deles!

Certo crítico da TNM após ver que várias outras traduções/versões da Bíblia no N.T que USAM O NOME DIVINO disse:

“Não importam quantas versões de Bíblias possam ser usadas como contendo o nome JEOVÁ no Novo Testamento.”

Será que NÃO IMPORTA?

Claro que importa, são expressões de diversas Escolas de erudição que demonstram que algum motivo existe para o Nome de Deus estar nas passagens do Novo Testamento.

Várias Traduções optaram por usar o Nome ao invés de substitutos. Para citar apenas uma pequena fração delas ai vai uma lista das mais respeitadas e usadas em Países de linguá Inglesa sem falar que a própria tradução Almeida usa o nome de Deus na forma Jeová:

King James(Authorized)Versão de 1611,com revisões feitas 1616,1629,1638,1762,1769.
Jehovah Ex.6:3,Ps.83:18,Is.12:2,Is.26:4.

The Living Bible 1971
Manuscripts Used: American Standard Version
O Nome Divino vertido Senhor e Jehovah 300 times

Rheims-Douay Bible(Catholic)1582-1610 Jehovah

Young`s Literal Translation 1862-98 Jehovah

English Revised Version 1881-95Jehovah

Emphasized Bible(Rotherham)1878-1902Jehovah

American Standard Version 1901
Nome Divino vertido: Jehovah

New American Standard VersionJehovah

King James II Version by Jay P. Green(1972-82)Nome Divino Vertido : Jehovah

An American Translation-Smith&Goodspeed 1923-39

Samuel Sharpe’s Translation
Divine Name Rendered: Jehovah

Revised Standard Version 1946-52Jehovah

New Revised Standard VersionJehovah

Boothroyd’s Translation
Divine Name Rendered: Jehovah

New English Bible 1970
Manuscripts Used:Masoretic,Kittel`s Biblia Hebraica, Eclectic Text
Divine Name Rendered: LORD, Jehovah at Ex.3:15,16; Ex.6:3; Ex.33:19; Ex.34:5,6

Revised English Bible Jehovah

Good News Bible(Today`s English Version)2nd Edition Jehovah

New King James Bible 1982 Jehovah

Jerusalem Bible 1966 Jehovah

New Jerusalem Bible 1985

Darby Translation 1871
Manuscripts Used: Eclectic
Divine Name Rendered: Jehovah

The Bible in Living English by Steven T. Byington 1972
Divine Name Rendered: Jehovah

Webster Bible 1833
Manuscripts Used: Mild correction of the KJV
Divine Name Rendered: LORD, Jehovah at Exodus 6:3; Psalms 83:18; Isaiah 12:2; 26:4; 51:22; Jeremiah 23:6; 32:18; 33:16

Modern Language Bible-New Berkeley Version 1945-69
O NOme Divino vertido: LORD, Jehovah at Exodus 3:15;6:3; Numbers 3:13,45;15:41;21:14;35:34; Salmos 8:1,9;16:2;140:7; 141:8; 147:1; Isaias 12:2; Yahweh at Oséias 12:5; Adonai at Juizes 6:24

Para maiores informações, consulte a página OFICIAL DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ no endereço :

http://www.watchtower.org/t/index.html

Ou este link  O nome de Deus e o “Novo Testamento”

ou clique no logo abaixo:

Anúncios
Both comments and trackbacks are currently closed.

Comentários

  • queruvim  On 9 fev 2011 at 13:11

    Frankmar sua afirmação está errada. Yavé foi a tradução feita para o Inglês. Mas nos textos destes homens da antiguidade, em grego o Nome era IAO. Vc deve ver o texto em grego ou latim destes escritores e não traduções para o Inglês com a forma equivocada Yavé.

    Curtir

  • Frankmar  On 1 jun 2011 at 1:54

    Não estou errado.alguns escritores usaram o Nome abreviado Iao realmente.porem Clemente de Alexandria escreveu o nome de Deus em Grego Iaoue que se pronuncia Iaué e Teodoreto escreveu Iabé que se Pronuncia Iavé.Isso prova que Iavé,adaptado para Português:Javé é o verdadeiro nome de Deus.Traduçoes em Português como Bíblia sagrada edição pastoral e outras Trazem escrito o nome Javé e a Bíblia de Jerusalém que é considerada uma das melhores traduções o nome de Deus esta escrito Iahweh.ainda existe relato antigo que os samaritanos que usavam o Pentapeuco pronunciavam o nome de Deus com a pronucia Iavé,ou seja Javé.

    Curtir

  • amaudo  On 22 out 2011 at 23:34

    em lu:4-17,18, jesus lê Is:61-1, com certeza ele manifesta o nome de Deus que aqui conhecemos como JEOVÁ, João:17-3,6,26.
    Em Êxodo:9-16, o próprio JEOVÁ,quer que seu nome seja divulgado pro toda a
    terra. por isso eu não estou de acordo com os evangélicos.

    Curtir

  • Silvio  On 7 dez 2011 at 16:52

    Frankmar está de fato equivocado em sua argumentação.A transliteração de um nome para outro idioma não é um guia seguro para se determinar a pronúncia original. Isto pode ser visto no caso do nome do Filho de Deus que, em hebraico, com pontos vocálicos, ocorre na forma Yehoshúa‘ e na forma Yeshúa‘ no período exílico e pós-exílico. A forma grega ’Ιησουs (I·e·soús) não é equivalente a nenhuma dessas pronúncias. Assim, a transliteração não preserva a pronúncia original. Citando outro exemplo nesse sentido, temos o hebraico Elishéva, que se tornou Eleisábet em grego e Elisabete em português. Note, além disso, que tais pronúncias do nome divino coincidem com o período da apostasia cristã, estando, por conseguinte, historicamente posicionadas em terreno duvidoso.
    Quanto à qualidade da Bíblia de Jerusalém, ela absurdamente afirma em Mateus 11:12 que os violentos tomam posse do Reino de Deus, e a nota, de forma mais ridícula ainda, fala que se trata de uma “violência espiritual”!

    Curtir

  • cpaf  On 3 mar 2012 at 7:41

    amigo, não sei se voluntária ou involuntariamente, está a reproduzir uma teoria bastante enfatizada pela Sociedade Torre de Vigia, exposta por um professor da universidade da Geórgia, USA – George Howard – na década de 70. Eu mesmo li o artigo dele e posso dizer com convicção que o professor JAMAIS afirmou categoricamente que o tetragrama hebraico estivesse presente nos escritos cristãos – ele apresentou isto apenas como uma simples hipótese, apoiada em evidência indireta, a saber, o fato de existirem algumas cópias da LXX nos tempos de Cristo que continham o tetragrama. Contudo, a evidência arqueológica revela que os escritores cristãos não pretendiam criar um cristianismo para os judeus e outro para os gentios. Dirigindo-se a leitores de língua grega, citavam versões da LXX que não continham o tetragrama – não poderiam fazer de outra forma, já que o nome jamais foi traduzido pelos judeus para qualquer língua e os gentios não conheciam caracteres hebraicos. Assim, afirmar o contrário sem provas diretas dificilmente seria uma atitude própria a um perito responsável. Por isso, em todo o seu artigo, o prof. Howard emprega expressões de extrema cautela, tais como “podemos imaginar”, “se esta teoria for correta”, “é razoável crer” etc. A matéria tem roupagem científica e, como tal, NÃO FAZ AFIRMAÇÕES, SÓ PERGUNTAS. Não poderia ser diferente, pois este perito está ciente do fato de que não existe UMA ÚNICA cópia antiga do NT que siga esta prática. Insistir na imposição categórica desta teoria, como faz a comissão da TNM, é lançar mão de retórica vazia. A propósito, em correspondência a um leitor (publicada em meu artigo), o eminente pesquisador reconhece que sua teoria fica mais enfraquecida ainda pelo fato de uma cópia antiga dos escritos de Paulo (os papiros Chester Beatty) não apresentar o tetragrama em parte alguma. Além disso, na mesma carta, ele afirma que NÃO APÓIA A TESE DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ. Assim sendo, amigo R., recomendo-lhe a mesma cautela daquele intelectual. Ao mencionar a existência do tetragrama no NT, deixe sempre claro que se trata de mera opinião pessoal, especulação, suposição, nada mais. Um último detalhe: o artigo do prof. Howard fala sobre a inclusão do tetragrama EM HEBRAICO no texto grego. Em parte nenhuma ele apóia a inclusão de ‘Jeová’ ou qualquer outro substitutivo.

    Curtir

  • cpaf  On 3 mar 2012 at 7:53

    é interessante que o autor desse blog se vale de obras de eruditos trinitarios que segundo a sociedade das testemunhas fazem parte da cristandade, identificada como babilonia “a grande”. bem, se segundo a sociedade, as tjs não podem tocar em nada de babilonia, entao como podem fazer citações que pertencem a tais eruditos? não pertencem a cristandade?

    Curtir

  • queruvim  On 3 mar 2012 at 23:16

    “George Howard – na década de 70. Eu mesmo li o artigo dele e posso dizer com convicção que o professor JAMAIS afirmou categoricamente que o tetragrama hebraico estivesse presente nos escritos cristãos – ele apresentou isto apenas como uma simples hipótese, apoiada em evidência indireta, a saber, o fato de existirem algumas cópias da LXX nos tempos de Cristo que continham o tetragrama”

    Não afirmamos que o Professor tenha sido categórico . Em Journal of Biblical Literature, George Howard, da Universidade da Geórgia, EUA, escreveu:

    “Sabemos que é um fato que os judeus de língua grega continuaram a escrever יהוה nas suas Escrituras Gregas. Ademais, é muitíssimo improvável que os primitivos cristãos judeus, conservadores, que falavam a língua grega, mudassem essa prática. Embora em referências secundárias a Deus usassem provavelmente as palavras [Deus] e [Senhor], teria sido extremamente incomum eles excluírem o Tetragrama do próprio texto bíblico. . . . Visto que o Tetragrama ainda era escrito nos exemplares da Bíblia grega, que compunham as Escrituras da primitiva igreja, é razoável crer que os escritores do N[ovo] T[estamento], ao citarem a Escritura, preservaram o Tetragrama dentro do texto bíblico. . . . Mas, quando foi tirado do V[elho] T[estamento] grego, foi também tirado das citações do V[elho] T[estamento] feitas no N[ovo] T[estamento]. Assim, em alguma época por volta do início do segundo século, o uso de sub-rogados [substitutos] deve ter excluído o Tetragrama de ambos os Testamentos.” — Vol. 96, N.° 1, março de 1977, pp. 76, 77.

    Parece que após usar a frase “é razoável crer“(GRIFO MEU) Howard não estava seguindo sua linha de raciocínio.

    Quanto a sua afirmação de que Howard falava sobre o uso do Nome de Deus “em hebraico” no texto grego, esta a sugerir que mesmo que tenha aparecido em hebraico, não deveria existir em Português na forma “Jeová” ? Fica claro que sua opinião não leva em consideração que o Nome Jeová é claramente aceitável como equivalente do tetragrama, a despeito de qualquer argumento falho onde se diz que “não se sabe a pronúncia”.Quantos é que conhecem a pronúncia original do nome de Jesus? No entanto, o nome dele é usado e respeitado universalmente.

    A maioria das línguas tem um modo costumeiro de grafar e pronunciar o nome de Deus, e isto varia de língua para língua. No italiano, é Geova, em fijiano é Jiova, e em dinamarquês o nome é Jehova. Por que teria de insistir alguém que todos, hoje, deviam esforçar-se a imitar alguma antiga pronúncia hebraica, sobre a qual nem mesmo as autoridades conseguem concordar? Conforme disse o Professor Gustav Oehler, de Tübingen, num livro, depois de considerar diversas pronúncias:
    “Doravante, eu usarei a palavra Jeová, porque, na realidade, este nome ficou sendo agora mais naturalizado no nosso vocabulário e não pode ser substituído, assim como tampouco seria possível que a forma mais correta de Jarden substituísse a forma mais usual de Jordão.”
    Este é um conceito sensato, porque permite que pessoas usem uma amplamente conhecida pronúncia que ainda identifica claramente o Criador e Deus, o qual nos exorta a usar seu nome. (Isa. 42:8; Rom. 10:13) Muitos teólogos, porém, em vez disso, escolheram tergiversar sobre pontos técnicos e caíram na armadilha de evitar o nome de Deus.

    Curtir

  • queruvim  On 3 mar 2012 at 23:55

    O Próprio Jesus Cristo disse: “pois é pelas tuas palavras que serás declarado justo e é pelas tuas palavras que serás condenado.” Citar as próprias palavras deles é algo que Cristo fará. Seus verdadeiros seguidores não poderiam ser diferentes.

    Curtir

  • Reginaldo  On 3 abr 2012 at 20:01

    “Esta tradução, em 1950, chegou à mesma conclusão básica exposta mais tarde no Journal of Biblical Literature, em 1977. Em vista da evidência de que os escritores do “Novo Testamento” encontraram o tetragrama, quer fizessem citações do texto hebraico, quer da Septuaginta grega, o Prefácio da Tradução do Novo Mundo, em inglês, dizia:
    “O tradutor moderno é justificado em usar o nome divino como equivalente de [palavras gregas para “Senhor” e “Deus”] nos lugares em que Mateus, etc., citaram versículos, passagens e expressões das Escrituras Hebraicas, ou da LXX onde havia o nome divino.”
    Assim, a posição apresentada pelo Professor Howard, em 1977, não é totalmente nova. Mas, ela traz à luz uma excelente evidência nova que não estava disponível quando a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Gregas Cristãs, em 1950 (em português, em 1963), usou “Jeová” 237 vezes no “Novo Testamento”.
    essa afirmativa está na wt 1/11/78,pg.9-11. Não parece que no artigo ele estava “expondo uma “teoria”
    bastante enfatizada pela sociedade torre de vigia”,como mencionado pelo amigo e sim que as pesquisas PESSOAIS dele o levaram a tirar suas próprias conclusões.E as novas evidências reveladas por ele apenas reforçaram o que a sociedade já vinha te ensinando e que até hoje vc não quer aprender.é inacreditável como vocês lutam contra algo tão positivo..Quando num se apegajulgamento popular não existe provas tão conclusivas,como determina as tecnicidades da lei,passa-se para as evidências.(como no caso Nardoni) e aí,meu amigo,o povo tende a julgar pelas evidências mais fortes ou a favor ou contra.Quais são a maioria das evidências no caso do uso do nome de Deus por Jesus e seus apóstolos? Apresente quantas evidências existem contra e a favor,qual sai ganhando? No entanto,a cristandade teimosamente se apega ao que condena o uso do nome sem quase nenhuma evidência.É por isso que sempre fazem questão de realçar palavras como: “o erudito fulano de tal disse “talvez”,”pode ser”, “tudo indica”.E saem com a máxima:-“ele não tem certeza”. A verdade é que vcs deveriam indagar dos eruditos da ALMEIDA e tantas e tantas outras bíblias o porquê deles usarem o nome em suas traduções, e não discutirem com as testemunhas de Jeová a respeito.Afinal,se não fosse por elas,talvez nem mesmo o nome “JEOVÁ” seria conhecido hoje em dia,pelo desuso a que vcs o condenaram por puro preconceito,lançando mão das poucas evidências contra para o “julgamento mais injusto”,feito no tribunal eclesiástico,da cristandade!

    Curtir

  • queruvim  On 21 maio 2012 at 3:59

    Vc se esquece dos que dizem os parágrafos que seguem deste artigo da brochura, onde lemos…

    “Não obstante, muitos preferem a pronúncia Jeová. Por quê? Porque tem um uso corrente e uma familiaridade que Iavé não tem. Não seria melhor, porém, usar a forma que talvez se aproxime mais da pronúncia original? Realmente não, pois este não é o costume relacionado com nomes bíblicos.
    Para tomar o exemplo mais proeminente, considere o nome de Jesus. Sabe você como a família e os amigos de Jesus se dirigiam a ele na conversação diária enquanto se criava em Nazaré? A verdade é que nenhum humano sabe com certeza, embora possa ter sido algo parecido com Ieshua (ou talvez Iehoshua). Certamente não era Jesus.
    Contudo, quando os relatos de sua vida foram escritos na língua grega, os escritores inspirados não tentaram preservar aquela pronúncia hebraica original. Em vez disso, traduziram o nome em grego, I·e-soús. Hoje, é traduzido de maneiras diferentes, de acordo com o idioma do leitor da Bíblia. Os leitores da Bíblia em inglês encontram Jesus (pronunciado Djísus). Os italianos escrevem Gesù (pronunciado Djesu). E os alemães escrevem Jesus (pronunciado Iêsus)”.

    Essa coisa de “reter a mesma pronúncia de nomes” não era costume dos Apóstolos inspirados. Maria, era chamada “Miriam”, a forma hebraica e a pronúncia correta. Mas devemos condenar os que hoje pronunciam o nome dela “Maria” ? Claro que não! Portanto seus argumentos são claramente baseados em idéias que não foram adotadas pelos apóstolos. Estavam eles errados ao NÃO PRESERVAREM as pronúncias dos nomes da MESMA FORMA? Quanto ao seu argumento de que em hebraico não há letra J, então todos os eruditos/traduções que usam os nomes Jeremias, Jeozadaque, Jeroboão, Jeú e muitos outros nomes estão errados?

    Curtir

  • queruvim  On 29 maio 2012 at 4:13

    ESTOU REMOVENDO COMENTÁRIOS DE PESSOAS QUE NÃO SABEM RESPEITAR. CONSIDERAÇÃO E RESPEITO É UM COMPORTAMENTO EXIGIDO PARA SE POSTAR AQUI NESTA PÁGINA. CASO DISCORDE DE ALGUM PONTO APRESENTADO, FAÇA-O COM CONSIDERAÇÃO. DEIXE O JULGAMENTO PARA DEUS. MATEUS 7:1

    Curtir

  • queruvim  On 29 maio 2012 at 17:27

    Marco Orlandi,
    Enquanto não mudar sua postura e procurar tratar as pessoas com respeito, como se estivesse na frente delas, seus comentários serão deletados. Isso não é covardia de minha parte, como afirmas em seus posts, mas visa não deixar cair o nível das discussões aqui. 1 Pedro 3:15. Ademais citar publicações antigas das TJ é um desespero. Claramente uma tentativa de ridiculariza-las a todo custo nem q tenha q para isso recorrer a equívocos menores, do passado.

    É o mesmo que eu citar os equívocos da medicina no passado a fim de tentar desacreditar médicos e a comunidade médica ATUAL. Fere o bom senso. Para você, talvez isso não seja nada. De fato alguns religiosos tem se envolvido, em brasília, em atos de corrupção notória e nada acontece. Acredito que esta onda de falta de respeito, para se dizer o mínimo, é uma pandemia no meio da religião falsa. Chegam a matar orando a Jesus! Ofensas, calúnias e difamação (ao tentar ridicularizar as Testemunhas de Jeová mesmo q tenha que recorrer a artigos substituídos ou revisados) são algo pequeno e não lhes parece crime algum! Perdeu a noção do que é certo e do que é errado. Nunca foi convertido em Cristo, uma pessoa que persegue os únicos que pregam boas novas (boas notícias [grego : evangelho] do Reino de Deus. Aqui nesta página é assim. Discordar sim, mas com respeito ao outro lado.

    Curtir

  • queruvim  On 30 maio 2012 at 17:56

    TEM MAIS MARCO ORLANDI,

    Seus comentários não são bem vindos aqui. Continua insistindo em postar imagens de publicações antigas que não são mais aceitas pelas TJ e que foram revisadas. Isso é desonesto sim. Quer queira quer não. Qualquer pessoa sensata percebe seu congelamento de cérebro ao notar como usa artigos antigos e ATÉ MESMO REVISADOS a fim de confundir as pessoas quanto ao que as TJ pregam.

    Curtir

  • Fabiano  On 18 jun 2016 at 12:16

    Sempre vai haver pessoas(pelo menos nesse sistema)que sempre vai tentar desacreditar a verdade sobre as testemunhas de Jeová, só nós pregamos as boas novas publicamente e de casa em casa ,só nós demonstramos o Verdadeiro amor ao próximo,só nós ensinamos a verdade sobre o DEUS verdadeiro Jeová e o seu filho unigênito Jesus cristo,só nós nos mantemos separados do sistema corrupto e de suas práticas condenáveis na bíblia,os fatos não deixam dúvidas,o nosso maior testemunho é a própria BIBLIA sagrada e nós amorosamente nos preocupamos com a vida das pessoas seguindo o segundo maior mandamento de amar o próximo como a nós mesmos,não queremos ganhar de ninguém, mas sim ganhar as pessoas para verdade da BIBLIA sagrada,para que elas possam viver para sempre e amar ao Deus verdadeiro Jeová e serem felizes.

    Curtir