Jesus e as Testemunhas de Jeová


Quer dizer da afirmação de que as Testemunhas de Jeová não creem em Jesus ?

NÓS certamente cremos nele. Aceitamos e pregamos de todo o coração tudo o que a Palavra de Deus diz sobre Jesus Cristo. Isto inclui a declaração do apóstolo Pedro: “Não há salvação em nenhum outro, pois não há outro nome debaixo do céu, que tenha sido dado entre os homens, pelo qual tenhamos de ser salvos.” — Atos 4:12.

As TJ pregam exatamente como Jesus pregava e o mesmo tema que ele pregava. Para confirmar isso apanhe seu exemplar das Escrituras e veja o que diz Mateus 24:14. Jesus diz ali que “as boas Novas do Reino” seriam pregadas em testemunho a todas as nações antes de vir o fim. Como Jesus fazia esta pregação ? Em Marcos 6:7 lemos que iam aos dois. O mesmo lemos em Lucas 10:2 onde diz que Jesus os “enviou aos dois”. A pregação das TJ não é algo vazio e sem resultados. Historiadores atestam além de dúvida que as TJ em contraste com as Igrejas chamadas cristâs são quem tem seguido o mandamento de cristo de amar o próximo. Considere isso …

Testemunhas de Jeová -Seita ou Ministros de Deus ?

Responda esta pergunta só depois de ler o que disseram historiadores.

O livro History of Christianity, de Paul Johnson, diz:

“Dentre 17.000 pastores evangélicos, nunca houve mais de cinqüenta que cumprissem longos termos de prisão [por não apoiarem o regime nazista] em qualquer época.” Contrastando tais pastores com as Testemunhas de Jeová, Johnson escreveu: “Os mais valentes eram as Testemunhas de Jeová, que proclamavam a sua inequívoca oposição doutrinal desde o início e sofreram em conseqüência disso. Recusaram qualquer cooperação com o Estado nazista.”

 
O Historiador Friedrich Heer, professor católico-romano de História na Universidade de Viena:

“Nos frios fatos da história alemã, a Cruz e a suástica se aproximaram cada vez mais, até que a suástica proclamou a mensagem de vitória do alto das torres das catedrais alemãs, bandeiras suásticas apareceram ao redor dos altares e teólogos,PASTORES , clérigos e estadistas católicos e protestantes deram boa acolhida à aliança com Hitler.”

O LIVRO Betrayal—German Churches and the Holocaust (Traição — As Igrejas Alemãs e o Holocausto) trata de maneira franca o papel desempenhado pela religião no nazismo.

“Dar apoio ao regime era comum entre os cristãos”, afirma o livro, “e a vasta maioria deixou de levantar quaisquer objeções à perseguição dos judeus. O silêncio, neste caso, fala bem alto.”

O que atraiu os professos cristãos ao nazismo? O livro explica que muitos foram seduzidos pelas tentativas de Hitler de estabelecer “lei e ordem na sociedade alemã”. Diz:

Ele se opunha à pornografia, à prostituição, ao aborto, ao homossexualismo e à ‘obscenidade’ da arte moderna, e dava medalhas de bronze, de prata e de ouro às mulheres que tinham quatro, seis e oito filhos, incentivando-as assim a continuarem no seu papel tradicional no lar. Este apelo para valores tradicionais, conjugado com o nacionalismo militarista que Hitler oferecia como resposta à humilhação nacional do Tratado de Versalhes, tornou o nacional-socialismo uma opção atraente para muitos, até mesmo para a maioria dos cristãos na Alemanha.

Um grupo destacou-se em nítido contraste. “As Testemunhas de Jeová”, observa o livro Betrayal, “negaram-se a participar na violência ou no uso da força militar”. Isto levou inevitavelmente a um feroz ataque contra este pequeno grupo, e muitos dos seus membros foram lançados em campos de concentração. No entanto, outros que afirmavam ser seguidores de Cristo não protestaram. O livro declara adicionalmente: “Católicos e protestantes, em geral, mostraram mais hostilidade do que solidariedade com as Testemunhas de Jeová, e compartilharam mais os valores duros de Hitler do que os pacifistas das Testemunhas.” Ficarem calados, sem dúvida, aumentou os maus-tratos dados às Testemunhas sob o regime nazista.

Ao passo que o envolvimento das igrejas na política nazista continua a ser motivo de acesa controvérsia, o livro Betrayal chama as Testemunhas de Jeová de “grupo religioso que se negou a endossar o regime ou a colaborar com ele”.

Tais fatos científicos (História) mostram a verdade a respeito desta comunidade tão esculhambada por vários grupos evangélicos e outros.

Está na hora de repensarem SOBRE QUEM REALMENTE SÃO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ e “não julgarem-nas a fim de não serem julgados” Mateus 7:1

Até mesmo os que não pertencem a nós, que examinaram nossos ensinos baseados na Bíblia, reconhecem que cremos em Jesus. Por exemplo, a Nova Enciclopédia Católica (1967, em inglês) diz no seu artigo sobre as “Testemunhas de Jeová”:

Consideram Jesus como sendo a maior das Testemunhas de Jeová, ‘um deus’ (é como traduzem João 1:1), só inferior a Jeová. Antes de existir como ser humano, ele era uma criatura espiritual chamada de Logos, ou Palavra, ou Miguel, o Arcanjo. Morreu como homem e foi ressuscitado como Filho espiritual, imortal. Sua paixão e sua morte foram o preço que ele pagou para recuperar para a humanidade o direito de viver eternamente na terra.” — Vol. VII, página 864

Portanto, a idéia de que as Testemunhas de Jeová não crêem em Jesus claramente não é verdade! Esta flagrante inverdade foi às vezes espalhada por opositores religiosos, porque as Testemunhas de Jeová não adotaram da Igreja Católica o ensino da  Trindade. Estes opositores aterram-se empedernidamente à sua crença na doutrina da Trindade, de que Jesus faz parte duma divindade trina, e que, quando estava na terra, ele supostamente era Deus encarnado. Acontece que as Testemunhas de Jeová reconhecem e aceitam que a Bíblia usa o termo “deus” para com Jesus. (João 1:1, 18)

O próprio Jesus citou o Salmo 82:6, concordando que até mesmo poderosos juízes humanos podiam ser classificados como “deuses”. (João 10:33-36) O Salmo 8:5 usa a palavra “Deus” em hebraico ELOHIM para se referir aos anjos. Por que ? Visto que estes são seres “poderosos” .

E a Bíblia usa a palavra “deus”, que significa alguém poderoso ou alguém que exerce uma poderosa influência sobre outros, até mesmo com respeito a Satanás. (2 Cor. 4:4) É evidente que é incorreto que se conclua deste uso do termo “deus” que qualquer criatura que recebem vida de Jeová Deus, o Todo-poderoso, seja igual ao próprio Criador. — Rom. 1:25. Jesus admitiu abertamente que ele não era igual ao seu Pai, a quem orava, nem era a mesma pessoa com ele.

Cristo disse: “Vou embora para o Pai, porque o Pai é maior do que eu.” João 14:28. Jesus dirigiu-se em oração ao Todo-poderoso com as seguintes palavras expressivas: “Isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro, e daquele que enviaste, Jesus Cristo.” — João 14:28; 17:3.

As Testemunhas de Jeová aceitam plenamente esta simples declaração dum fato. E somos ativos na obra cristã, vital, de ajudar outros a conhecer e a aceitar o que a Bíblia diz sobre ‘o único Deus verdadeiro, Jeová, e sobre aquele que enviou, Jesus Cristo’. Fonte(s):

O Que a Bíblia Realmente Ensina? http://www.watchtower.org/t/bh/article_00.htm … Quem é Jesus Cristo?

http://www.watchtower.org/t/bh/article_04.htm

… Jesus Cristo — o Messias prometido http://www.watchtower.org/t/bh/appendix_03.htm

… A verdade a respeito do Pai, do Filho e do espírito santo http://www.watchtower.org/t/bh/appendix_04.htm_

… Jesus Cristo é Deus?

http://www.watchtower.org/t/20050422/article_01.htm

Anúncios