JESUS É DEUS ?


 

Observe o que disse acertadamente um artigo escrito na na W 1992 a respeito de Cristo. Será que ele enquanto na terra era uma “Divindade” ?

“As Escrituras deixam claro que Jesus era inteiramente humano, do nascimento à morte. João não disse que a Palavra estava apenas revestida de carne. Ela “se tornou carne” e não era parcialmente carne, parcialmente Deus. Se Jesus fosse humano e divino ao mesmo tempo, não se poderia dizer que ele fora “feito um pouco menor que os anjos”. — Hebreus 2:9; Salmo 8:4, 5.

Se Jesus fosse tanto Deus como homem quando esteve na Terra, por que repetidas vezes orou a Jeová? Paulo escreveu: “Cristo, nos dias da sua carne, ofereceu súplicas e também petições Àquele que era capaz de salvá-lo da morte, com fortes clamores e lágrimas, e ele foi ouvido favoravelmente pelo seu temor piedoso.” — Hebreus 5:7.

Que Jesus não era parcialmente espírito quando estava na Terra é provado pela declaração de Pedro de que Cristo “[morreu] na carne, mas [foi] vivificado no espírito”. (1 Pedro 3:18) Apenas por Jesus ter sido inteiramente humano é que pôde passar pelo que passam as pessoas imperfeitas e, assim, tornar-se compassivo sumo sacerdote. Paulo escreveu: “Temos por sumo sacerdote, não alguém que não se possa compadecer das nossas fraquezas, mas alguém que foi provado em todos os sentidos como nós mesmos, porém, sem pecado.” — Hebreus 4:15.

Sendo “o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”, Jesus “se entregou como resgate correspondente por todos”. (João 1:29; 1 Timóteo 2:6) Dessa maneira, Jesus comprou de volta exatamente o que Adão havia perdido — vida humana perfeita, eterna. Visto que a justiça de Deus exigia “alma por alma”, Jesus tinha de ser o que Adão originalmente era: um humano perfeito, não um Deus-homem. — Deuteronômio 19:21; 1 Coríntios 15:22.”

 

 

NA OPINIÃO de muitos, a Trindade é “a doutrina central da religião cristã”. Segundo esse ensino, o Pai, o Filho e o espírito santo são três pessoas num só Deus.

O cardeal John O’Connor disse o seguinte sobre a Trindade: “Sabemos que é um mistério muito profundo, que ainda nem começamos a entender.” Por que é tão difícil entender a Trindade?

O The Illustrated Bible Dictionary (Dicionário Bíblico Ilustrado) apresenta uma razão. Falando sobre a Trindade, essa obra admite: “Não é uma doutrina bíblica no sentido de que ela não aparece textualmente na Bíblia.” Visto que a Trindade “não é uma doutrina bíblica”, os trinitários têm tentado desesperadamente achar textos bíblicos, até mesmo distorcendo-os, para apoiar seu ensino.

Um texto que ensina a Trindade?

Um exemplo de um versículo bíblico que muitas vezes é mal usado é João 1:1. Na Nova Versão Internacional esse versículo diz: “No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus [em grego, ton the•ón], e a Palavra era Deus [the•ós].” Esse versículo contém duas formas do substantivo grego the•ós (deus). A primeira é precedida de ton (o), uma forma do artigo definido grego. Nesse caso a palavra the•ón se refere ao Deus Todo-Poderoso. Mas na segunda ocorrência de the•ós, não há artigo definido. Será que ele foi incorretamente deixado de fora? Por que é tão difícil entender a doutrina da Trindade?

O Evangelho de João foi escrito em coiné, ou grego comum, que tem regras específicas para o uso do artigo definido. O erudito bíblico A. T. Robertson reconhece que, se tanto o sujeito como o predicado tiverem artigos, “ambos são definidos, considerados idênticos, iguais e intercambiáveis”. Robertson cita como exemplo Mateus 13:38, que diz: “O campo [em grego, ho a•grós] é o mundo [em grego, ho kósmos].” Essa estrutura gramatical permite-nos entender que o mundo também é o campo. O que dizer, porém, se o sujeito tiver um artigo definido, mas o predicado não, como em João 1:1?

Citando esse versículo como exemplo, o erudito James Allen Hewett enfatiza: “Numa construção assim, o sujeito e o predicado não são os mesmos, nem são iguais, idênticos ou algo parecido.” Para exemplificar, Hewett usa 1 João 1:5, que diz: “Deus é luz.” Em grego, “Deus” é ho the•ós e, portanto, tem artigo definido. Mas fos para “luz” não é precedido de nenhum artigo. Hewett explica: “É sempre possível . . . identificar Deus com a luz, mas nem sempre é possível dizer que a luz é Deus.” Encontramos exemplos semelhantes em João 4:24, “Deus é Espírito” e em 1 João 4:16, “Deus é amor”. Nesses dois versículos, os sujeitos têm artigo definido, mas os predicados “Espírito” e “amor”, não têm. Portanto, os sujeitos e os predicados não são intercambiáveis. Desses versículos não se pode concluir que “Espírito é Deus” ou que “amor é Deus”. Identidade ou característica da “Palavra”? Muitos eruditos em grego e tradutores da Bíblia reconhecem que João 1:1 não destaca a identidade da “Palavra”, mas uma característica da “Palavra”.

William Barclay, tradutor bíblico, diz: “Visto que [o apóstolo João] não usa artigo definido antes da palavra theos, ela se torna uma descrição . . . João não está aqui identificando a Palavra como sendo Deus. Expresso de modo simples, ele não diz que Jesus é Deus.” O erudito Jason David BeDuhn também declara: “Em grego, quando não se usa o artigo antes de theos numa frase como a de João 1:1c, os leitores entendem que se quer dizer ‘um deus’. . . . O fato de não ter artigo faz com que theos tenha um sentido bem diferente de ho theos, que tem artigo definido, assim como em inglês [e em português] ‘um deus’ é bem diferente de ‘Deus’.” BeDuhn acrescenta: “Em João 1:1, a Palavra não é o Deus único e exclusivo, mas é um deus, ou um ser divino.” Ou, conforme expressou Joseph Henry Thayer, um erudito que trabalhou na American Standard Version (Versão Americana Padrão), “o Logos [ou Palavra] era divino, não o próprio Ser divino”.

Jesus fez uma clara distinção entre ele e seu Pai

Será que a identidade de Deus precisa ser “um mistério muito profundo”? Para Jesus não era. Numa oração ao seu Pai, Jesus fez uma clara distinção entre ele e seu Pai, quando disse: “Isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro, e daquele que enviaste, Jesus Cristo.” (João 17:3) Se acreditarmos nessas palavras de Jesus e entendermos os ensinos claros da Bíblia, nós o respeitaremos pelo que ele realmente é: o Filho divino de Deus. E adoraremos a Jeová como “o único Deus verdadeiro”. (Artigo extraido de http://www.watchtower.org/t/20090401a/article_01.htm )

OBSERVE ESTE ARTIGO interessante publicado na revista A Sentinela:

A Palavra era “Deus” ou “um deus”?

“OS TRADUTORES da Bíblia precisam pensar nessa pergunta quando traduzem o primeiro versículo do Evangelho de João. Na Tradução do Novo Mundo, esse versículo é vertido assim: “No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com o Deus, e a Palavra era um deus.” (João 1:1) Outras traduções vertem a última parte desse versículo de um modo que transmite a idéia de que a Palavra era “divina”, ou algo similar. (A New Translation of the Bible, de James Moffatt; The New English Bible) No entanto, muitas traduções vertem essa parte de João 1:1 da seguinte forma: “E a Palavra era Deus.” — Bíblia Sagrada — Nova Versão Internacional; Bíblia Pastoral.

A gramática grega e o contexto indicam fortemente que o modo como a Tradução do Novo Mundo verte esse versículo é correto e que “a Palavra” não deve ser associada com o “Deus” mencionado antes nesse versículo. Mas o fato de que a língua grega do primeiro século não tinha artigo indefinido (“um”) levanta dúvidas na mente de alguns. É por esse motivo que uma tradução da Bíblia numa língua falada nos primeiros séculos de nossa Era Comum é muito interessante.

Essa língua é o dialeto saídico do copta. O idioma copta era falado no Egito nos séculos que vieram logo após o ministério de Jesus, e o dialeto saídico era uma forma literária inicial desse idioma. Com respeito às primeiras traduções cópticas da Bíblia, o The Anchor Bible Dictionary (Dicionário Bíblico Anchor) diz: “Visto que a [Septuaginta] e as [Escrituras Gregas Cristãs] foram traduzidas para o copta durante o terceiro século EC, a versão cóptica teve como base os [manuscritos gregos], que são bem mais antigos que a grande maioria dos manuscritos existentes.”

O texto copta saídico é especialmente interessante por dois motivos. Primeiro, conforme indicado acima, ele reflete o modo como se entendia os ensinamentos bíblicos antes do quarto século, época em que a Trindade se tornou uma doutrina oficial. Segundo, a gramática cóptica é parecida com as gramáticas inglesa e portuguesa em um aspecto importante. As primeiras traduções das Escrituras Gregas Cristãs foram para os idiomas siríaco, latim e copta. O siríaco e o latim, assim como o grego daqueles dias, não têm artigo indefinido, mas o copta tem. Além disso, o erudito Thomas O. Lambdin, em sua obra Introduction to Sahidic Coptic (Introdução ao Copta Saídico) diz: “O uso dos artigos cópticos, tanto o definido como o indefinido, é bem parecido ao uso dos artigos em inglês.”

Assim, a tradução cóptica fornece uma evidência interessante de como João 1:1 era entendido naquela época. Que evidência é essa? A tradução copta saídica usa um artigo indefinido junto com a palavra “deus” na última parte de João 1:1. Portanto, quando vertido para o português moderno, esse texto fica assim: “E a Palavra era um deus.” Pelo visto, aqueles tradutores antigos perceberam que as palavras de João registradas em João 1:1 não significavam que Jesus devia ser associado com o Deus Todo-Poderoso. A Palavra era um deus, não o Deus Todo-Poderoso.”

Extraido de A Sentinela de 01/11/2008

 

Anúncios
Both comments and trackbacks are currently closed.

Comentários

  • ANDREY  On 6 maio 2011 at 2:32

    MARAVILHOSO ESTE BLOG,
    CONHECEMOS O VERDADE E REALMENTE ELA NOS LIBERTA

    Curtir

  • CLAUDIO COSTA  On 29 jan 2012 at 15:06

    Acredito, e posso estar enganado, pois a ignorância humana é infinita até que YHWH dela nos liberte com discernimento espiritual, que o Cristo é parte de YHWH, mas não Ele com uma totalidade. Quando o Messias se refere dando éssa impresão é porque muitos não conseguem perceber o nível de obdiência que Cristo tem para com YHWH, a tal ponto que a vontade Deste representa a vontade Daquele. As escrituras moatram isso, mas teima-se ewm dizer ao contrário. Cristo diz que foi enviado, que lhe foi dada autoridade e é nesta autoridade que Ele representa YHWH no meio dos homens. Acredito que este a quem os homens ocidentais denominaram de jesus, mas que não é este seu nome, é sim o Messias enviado para nos salvar, por isso eu acredito no que foi dito; que só há um único e verdadeiro Deus, YHWH, e que seu enviado veio para nos salvar. Agradeço o espaço para comentar, pois a maioria dos sites que abordam este tema não o disponibilizam e os motivos nos podemos imaginar quais são. Que a Graça e a Paz do YHWH seja derramada em nossas vidas. Amém!

    Curtir

  • Lucas  On 28 maio 2012 at 22:03

    Desculpe-me por não ver verecidede nessa postagem,pois se João.1:1 tá correto, por que não traduzem de maneira similar João.1:18,onde nos diz”Ninguem jamais viu a Deus,o Deus unigenito que esta no seio do Pai e quem o revelou”.Se a tradução tivesse certa deveriam ter traduzido este texto da seguinte forma.”Ninguem jamais viu um deus,o Deus unigenito que esta no seio do Pai é quem o revelou.
    Obs: no seio significa em ligação total

    Curtir

  • queruvim  On 29 maio 2012 at 4:11

    ESTOU REMOVENDO COMENTÁRIOS DE PESSOAS QUE NÃO SABEM RESPEITAR. CONSIDERAÇÃO E RESPEITO É UM COMPORTAMENTO EXIGIDO PARA SE POSTAR AQUI NESTA PÁGINA. CASO DISCORDE DE ALGUM PONTO APRESENTADO, FAÇA-O COM CONSIDERAÇÃO. DEIXE O JULGAMENTO PARA DEUS. MATEUS 7:1

    Curtir

  • Danilo Almeida  On 29 ago 2012 at 18:30

    Para saber com certeza se sua idéia tem base, seria necessário primeiro ver se no texto original a primeira ocorrência de ‘theos’ tem o artigo definido. Quando não tem, fica a critério do tradutor que artigo usar, ou não usar nenhum e nesses casos, as Testemunhas de Jeová deixam que a própria Bíblia responda. Visto que o testemunho de toda ela é que Jesus é o criado e Jeová o criador, traduz-se da forma que melhor se armonizar com esse entendimento.

    Curtir

  • queruvim  On 29 ago 2012 at 19:35

    Θεὸν οὐδεὶς ἑώρακεν πώποτε· μονογενὴς θεὸς ὁ ὢν είς τὸν κόλπον τοῦ πατρὸς ἐκεῖνος ἐξηγήσατο.
    theon oudeis eōraken pōpote monogenēs theos o ōn eis ton kolpon tou patros ekeinos exēgēsato

    Primeira ocorrência sem o artigo

    Curtir

  • Paulo  On 26 abr 2013 at 11:44

    Olá queruvim, tudo bem?
    Em minhas conversas com trinitários tenho usado, entre outros textos, a passagem de Miquéias 5:2 para mostrar que o Messias teve origem, teve princípio, que foi criado por Jeová Deus.
    O problema é que alguns deles alegam que esse texto específico é vertido em algumas traduções com a palavra “origens” ou “saídas” e que isso complica o entendimento de que Cristo teve um começo.
    Ciente de que você conhece hebraico, poderia me ajudar a compreender o motivo de verterem a palavra “origem” na TNM por “saídas” ou “origens” em outras traduções?

    Curtir

  • queruvim  On 26 abr 2013 at 15:55

    Lembro-me de ficar inculcado com esta pergunta quando eu era estudante iniciante do hebraico. Durante anos lendo a Torah e outras publicações eu sentia necessidade de entender a fundo o significado da frase usada em Miqueias 5:2. De forma que achava vários textos com a mesma palavra hebraica sendo usada em suas variadas formas.cheguei até mesmo a sonhar com este assunto visto que eu realmente me dedico desde garoto. Bons tempos aqueles. Vou juntar algo que teno escrito e postarei em breve. Obrigado pela oportunidade de poder partilhar.

    Curtir

  • queruvim  On 26 abr 2013 at 17:33

    Acabei de escrever algo a respeito.Neste link>
    https://traducaodonovomundodefendida.wordpress.com/2013/04/26/miqueias-52/

    Curtir

  • alberto  On 11 jul 2013 at 12:32

    Ola irmão queruvim! Surgiu-me uma dúvida e gostaria q os demais irmãos pudessem ajudar: jeová ao criar tudo no céu e na terra usou o seu poder (espírito santo) ou Jesus? Nas revistas e livros da sociedade dizem que jeova usou Jesus mas também dizem q usou o espírito santo! Em que devo aceitar?

    Curtir

  • queruvim  On 11 jul 2013 at 13:40

    Em Luc. 5:17 falando de Jesus diz:

    “No decorrer de um desses dias, ele estava ensinando, e havia ali sentados fariseus e instrutores da lei, que haviam chegado de toda aldeia da Galiléia e da Judéia, e de Jerusalém; e o poder de Jeová estava presente para ele fazer curas.” Concluiremos desse texto que quem curou os enfermos foi Jesus? Sim! Concluiremos que o espírito santo estava presente nele para realizar curas? Sim! De maneira similar, este mesmíssimo espírito de Deus que é uma parte de seu poder em operação, estava presente para ele realizar isso ou aquilo. O mesmo aconteceu em Sansão quando lemos que “o espírito de Jeová tornou-se ativo nele.” (Juízes 14:6) O espírito santo é de Jeová. Não é Jeová. Não existe isso na Bíblia. Além disso, a “Sociedade” não ensina nada sem base na Bíblia.O mesmo espírito que estava presente em Jesus estava presente também em Sansão. Era Sansão Deus? Claro que ninguém jamais afirmaria que era. Não vejo problema algum em Jesus ter este mesmo poder de Deus presente e a seu dispor para fazer todas as coisas que Deus lhe designou fazer. Pois não há nada que veio a existir que não tenha sido feita por Cristo, seja as coisas visíveis ou invisíveis, tudo o que existe veio a existir por intermédio dele. De forma que Jesus o filho de Deus e sua primeiríssima criação foi usado por Jeová Deus, o Ser Supremo, para fazer todas as coisas. Apoc 3:14 João 1:3

    Curtir

  • Saga  On 11 jul 2013 at 15:20

    Não existe nenhuma contradição,
    “as revistas e livros da sociedade dizem que jeova usou Jesus mas também dizem q usou o espírito santo”, como o espírito não é uma pessoa, então o seu uso não anula a posição da pessoa do Filho como o agente intermediário.

    Curtir

  • Saga  On 11 jul 2013 at 15:54

    Quando alguém diz que, ou pergunta se, Jesus é Deus, ela quer dizer o seguinte

    – Que ele é o Todo Poderoso: Onipotente, Onisciente e Onipresente. O Altíssimo e o Eterno Criador. O mesmo que é chamado de Alfa e o Omega, Pantokrator, El Shaday, Adonay e YHWH. O Ser Absoluto do Universo, a Entidade Suprema, que existe por si mesma – sem origem: a Causa Primária, que tem infinito poder si mesma. Sim, o Deus monoteísta – o único a que devemos adorar.

    – Ou que ele é a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, um Dogma Católico-Protestante que ensina que Deus é triuno – sendo uma ousia em três hipóstases. Esta opção concorda praticamente com todos os itens do primeira, mas por exemplo, a primeira serve também para Unicistas (Sabelianos, Patripassianistas, Modalistas), já esta segunda não serve, esta segunda já parte do pressuposto de que a doutrina Trindade é verdadeira, já a pessoa que crê na primeira não necessariamente aceita todos os pontos da Trindade. Continuando, a pessoa que acredita na Trindade Atanasiana também acredita que Jesus era um Deus-Homem formado de uma Dupla Natureza – Duas ousias em uma hipóstase, e falava ora sobre sua natureza humana ora sobre sua natureza divina, sua Natureza Divina lhe concedia e concede os atributos de Onipotência, Onisciência e Onipotência. De modo que Jesus FAZ PARTE do Deus Monoteísta – que seria Triuno. As pessoas que creem no ponto 2 variam na questão de YHWH (Jeová), umas tomam esse Nome para Deus Pai – a primeira pessoa da Trindade- e distiguindo Jeová de Jesus da mesma forma que distinguem a pessoa do Pai, da pessoa do Filho,….enquanto outras…ao contrário dizem que Jesus é Jeová, ou que Jeová o nome da S.Trindade inteira. Devemos adorar a todos os membros da Trindade como o nosso coletivo Deus.

    – A terceira opção é menos comum, mas ela é ensinada pela Igreja Mormón ou SUD. Jesus é Deus, o Todo poderoso, é igual ao Pai, mas além de ser uma pessoa separada é também um Deus separado, de forma que a Divindade ou Trindade não é formada de apenas Três Pessoas mas também de Três Deuses.
    Enfim, Jesus seria o nosso Deus e o Nosso Criador e o Jeová do Antigo Testamento. Embora a Doutrina SUD contrarie a oficial S.Trindade Católico-Protestante conforme ensinada nos antigos Credos, ela também parte dos mesmos princípios, de que Jesus é Deus no mais elevado principio, de ser o próprio Jeová e de ser coigual ao Pai e ao Espírito Santo. Parece com a Doutrina Hindu , onde a Trimurti é formada de Brahma, Vishnu e Shiva, que são o mesmo Deus Trindade, mas os hindus não se importam de chama-los de “Deuses”. De toda forma o Unitário combate esta terceira opção da mesma forma que combate o Unicismo e o Trinitarismo, pois ensina a subordinação do Cristo e a Deus e a distinção dele e de Jeová, além de negar a existência de uma Divindade Coletiva Trina governando o universo.

    Curtir

  • Neno  On 25 dez 2016 at 20:32

    Esses que dizem que Jesus Cristo é o Supremo Criador Jeová, eles estão afirmando que Jesus Cristo e Jeová são mentirosos porque o Cristo nunca disse que ele é o Supremo Criador Jeová essas pessoas deveriam respeitar o Todo Poderoso Jeová.

    Curtir

  • marivaldo fornazin  On 12 set 2017 at 19:29

    JEREMIAS 23.5,6.Mostra a clareza de que JESUS SERIA CHAMADO DE JEOVÁ.LEIAM COM MUITA ATENÇÃO. OBS:NÃO PASSEM A TNM ESSE VERSICULO SE NÃO ELES VÃO REVISAR,POIS ESSA PASSAGEM QUEBRA A ESPINHA DORSAL DA ORGANIZAÇÃO.

    Curtir

  • Olhares Jeje  On 12 set 2017 at 23:08

    marivaldo formazin, voce sabe o significado, por exemplo do nome JOSUÉ?

    Curtir

  • Silva Vagner  On 13 set 2017 at 0:55

    Amigo, só um detalhe:

    Você sabe o significado do nome “JESUS” ???
    Isso mesmo:
    JESUS significa: “JEOVÁ é salvação”

    Então sempre que alguém chama o nome de Jesus o nome de Jeová também é falado.

    Isso quer dizer que Jesus e Jeová são a mesma pessoa ????!!!

    Então acho que o Josué também era Jeová, porque JOSUÉ significa o mesmo que JESUS:

    “Jeová é Salvação”

    Curtir

  • Jorge Agostinho  On 13 set 2017 at 6:18

    Sem logica alguma o seu comentário; medite nos seguintes textos Sal 83:18 e Luc 1:32
    Sabias que os nomes dos tempos bíblicos muitas vezes tinham um significado relacionados ao nome de Jeová? Veja o link abaixo:

    https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1200003177

    Curtir

  • Pragal TNM  On 13 set 2017 at 8:09

    Senhor marivaldo fornazin, Parabéns o senhor confirmou o que acreditamos qual significado do nome do filho de Deus.

    Nome e título do Filho de Deus, desde o tempo de sua unção, enquanto estava na terra.
    O nome Jesus (gr.: I·e·soús) corresponde ao nome hebraico Jesua (ou, na forma mais plena, Jeosué), que significa “JEOVÁ É SALVAÇÃO”.
    Este nome, em si, não era incomum, muitos homens tendo sido assim chamados naquele período. Por este motivo, as pessoas muitas vezes acrescentavam uma identificação adicional, dizendo: “Jesus, o nazareno.” (Mr 10:47; At 2:22)
    Cristo deriva do termo grego Khri·stós, o equivalente do hebraico Ma·shí·ahh (Messias), e significa “Ungido”.
    Ao passo que a expressão “ungido” foi corretamente aplicada a outros antes de Jesus, tais como Moisés, Arão e Davi (He 11:24-26; Le 4:3; 8:12; 2Sa 22:51), a posição, o cargo ou o serviço para o qual tais pessoas foram ungidas apenas prefiguravam a posição, o cargo e o serviço superiores de Jesus Cristo.
    Por conseguinte, Jesus é, de modo destacado e ímpar, “o Cristo, o Filho do Deus vivente”. — Mt 16:16;

    Como o senhor pediu pra verificar em outras bíblias e não na TNM, segue abaixo algumas delas que está na biblia online https://www.bibliaonline.com.br/sev/jr/23

    Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, sendo rei, reinará e agirá sabiamente, e praticará o juízo e a justiça na terra.
    Nos seus dias Judá será salvo, e Israel habitará seguro; e este será o seu nome, com o qual Deus o chamará: O SENHOR JUSTIÇA NOSSA. Jeremias 23:5,6 – ACRF

    Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, sendo rei, reinará e procederá sabiamente, executando o juízo e a justiça na terra.Nos seus dias Judá será salvo, e Israel habitará seguro; e este é o nome de que será chamado: O SENHOR JUSTIÇA NOSSA. Jeremias 23:5,6 – ARIB

    “Dias virão”, declara o Senhor, “em que levantarei para Davi um Renovo justo, um rei que reinará com sabedoria e fará o que é justo e certo na terra.
    Em seus dias Judá será salva, Israel viverá em segurança, e este é o nome pelo qual será chamado: O Senhor é a Nossa Justiça. Jeremias 23:5,6 – NVI

    Porque vem o dia, diz o Senhor, em que porei um ramo justo sobre o trono de David. Será um rei que governará com sabedoria e justiça, e que fará prevalecer a rectidão sobre toda a Terra. E este será o seu nome: O Senhor é a nossa Justiça. Nesse tempo Judá será salva e Israel viverá em paz. O povo não dirá mais, ao querer garantir qualquer coisa: Vive o Senhor, que libertou o povo de Israel da terra do Egipto, mas dirão: Vive o Senhor que trouxe os israelitas para a sua terra, trazendo-os dos países para onde os tinha exilado. Jeremias 23:4 – OL

    Eis que vêm dias, diz Jeová, em que levantarei a Davi um Renovo justo, que como rei reinará, procederá sabiamente e executará o juízo e a justiça na terra.
    Nos seus dias será salvo Judá, e Israel habitará seguro; este é o nome de que será chamado: Jeová é a nossa justiça. Jeremias 23:5,6 – SBB

    Dias virão – oráculo do Senhor – em que farei brotar de Davi um rebento justo que será rei e governará com sabedoria e exercerá na terra o direito e a eqüidade.
    Sob seu reinado será salvo Judá, e viverá Israel em segurança. E eis o nome com que será chamado: Javé-nossa-justiça! Jeremias 23:5,6 – VC

    He aquí que vienen los días, dice el SEÑOR, y despertaré a David renuevo justo, y reinará Rey, el cual será dichoso, y hará juicio y justicia en la tierra.
    En sus días será salvo Judá, e Israel habitará confiado; y éste será su nombre que le llamarán: SEÑOR, JUSTICIA NUESTRA. Jeremias 23:5,6 – ES

    Curtir

  • Queruvim  On 13 set 2017 at 10:58

    Jeú significa “Jeová é ele” então Jeú era Jeová na terra? Ahhh conta outra!

    Curtir

  • Queruvim  On 13 set 2017 at 11:00

    Jesus não é Jeová

    Curtir

  • fernando  On 13 set 2017 at 12:36

    Pessoal me tira uma duvida,vocês creem que Jesus era um deus somente no céu? eu pensava que vocês acreditava que ele era um deus na terra também,já vi muitos t.j falarem “olha jesus e um deus porque ele representava Jeová na terra”.também vi um vídeo do a verdade é logica que esse próprio site compartilhou intitulado “Por que Jesus é “um deus”, e não “Deus”? onde fala que Jesus alegou ser um deus em joão 10:34-36 e ele tava na terra quando disse isso,mais agora vocês tão falando que ele era somente humano na terra.

    Curtir

  • Queruvim  On 13 set 2017 at 20:04

    Juízes são chamados de “deuses” no Salmo 82:6, da mesma forma Jesus mesmo na terra era um deus. A palavra “elohim” significa “poderoso”.

    Curtir

  • Queruvim  On 13 set 2017 at 20:06

    A Concordância Analítica de Young da Bíblia, Eerdmans , 1978 Reprint , ” Dicas e ajuda a Interpretação da Bíblia” explica sobre a palavra Deus:

    “65 Deus – . É usado referente a qualquer um ( professadamente ) PODEROSO , sendo verdadeiro ou não , e é aplicada não somente ao verdadeiro Deus , mas aos falsos deuses , magistrados , juízes , anjos , profetas, etc , por exemplo – Ex. . 7:1 , 15:11 , 21:6 , 22:08 , 9; … Sal 8:5 ; . 45:6 , 82:1 , 6; 97:7 , 9 … João 1:1 , 10:33 , 34, 35 ; 20:28 ….”

    VOCÊ TEM ALGUMA DÚVIDA AGORA?

    Curtir

  • Vini  On 14 set 2017 at 0:43

    Jesus embora fosse totalmente humano aqui na terra, era chamado deus. Isaías 9:6

    Curtir

  • Luciano  On 14 set 2017 at 10:17

    Gostaria de fazer um adendo….

    Nosso Senhor Jesus Cristo,
    antes de vir à terra:
    1 – era um “SER DIVINO”, “um Deus”, ao lado de Jeová, O DEUS Todo-Poderoso;

    ao nascer e durante a sua vida NA TERRA:
    2 – era um “ser humano perfeito” SEM DIVINDADE (embora tivesse poder e autoridade, [recebido através do espírito santo de Jeová] para curar, expulsar demônios e etc; poder esse concedido o que fazia dele “um deus” porém SEM DIVINDADE assim como Moisés foi um deus (Êxodo 4:16; 7:1) e como o Queruvim explicou acima;

    3 – ao ser ressuscitado, o nosso Senhor Jesus Cristo RECEBE DE VOLTA a sua DIVINDADE, e continua a ser “um deus”, porém agora muito mais poderoso e com mais autoridade, porém abaixo do Pai, Jeová.

    Sim, acreditamos e aceitamos a DIVINDADE de Jesus, MENOS quando este esteve NA TERRA, pois somente assim poderia nos fornecer o resgate perfeito como HOMEM correspondente a Adão.

    Curtir

  • Luciano  On 14 set 2017 at 12:29

    NOMINALMENTE Jesus NUNCA foi chamado de “deus” enquanto na terra, mas sim “filho de Deus”. Embora, como explicado pelo Queruvim ele possa ser considerado “deus” dentro daquilo que Elohim e Theos significam e como Moisés foi.

    Curtir

  • Luciano  On 14 set 2017 at 14:24

    Luciano, Ele nunca foi chamado de Deus? A confissão de Tomé não o chamou de Deus?

    Curtir

  • Vini  On 14 set 2017 at 19:03

    Jesus era deus justamente por ser filho de Deus. Foi exatamente essa sua justificativa em João 10:34-36 ao citar o salmo 82.
    Sob acusação de ser deus, é como se tivesse respondido em João 10:”Ora, foi o próprio Pai quem disse que seus filhos são deuses, sendo assim, quanto mais a mim, cujo ele santificou e aprovou como seu filho”. (Lc 3:22)

    Penso que todos os demais deuses o são apenas nominalmente, pois só Jeová é o ser de máxima grandeza.
    Obviamente apenas ele estabelece os critérios para tal, se ele disser que filho de Deus é deus, então inexoravelmente o é.

    E foi isso que Jesus sempre advogou; sua filiação divina.

    Os judeus hipócritas queriam matá-lo justamente por isso.

    João 5:18 É por isso que os judeus procuravam ainda mais matá-lo, porque ele não somente violava o sábado, mas também chamava a Deus de seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.

    João 19:7 Os judeus lhe responderam: “Nós temos uma lei, e é segundo a lei que ele deve morrer, porque se fez filho de Deus.

    A TNM conecta João 19:7 com levítico 24:16 que nos explica que os judeus hipócritas, consideravam uma blasfêmia a Jeová, um simples humano vindo de Nazaré reivindicar filiação divina. Mesmo um Judeu sincero chamado Natanel questionou a legitimidade de Jesus por ser nazareno (João 1:46), quanto mais os hipócritas.

    Obviamente, esse não era o único motivo, Jesus era odiado também, pois expunha a falsidade deles. João 7:7

    Mas é interessante como João 5:18; 19:7; 10:34-36 não apenas respaldam o artigo indefinido em João 1:1 como também explicam João 1:18.

    E de fato João escreveu essas coisas para que creiamos que Cristo é o filho de Deus, tornando-o assim um deus. João 20:31

    Curtir