Era Russell Maçonico?


Vários blogs e páginas na internet, movidos por um antagonismo contra as Testemunhas de Jeová e não por interesse na verdade, estão disseminando todo tipo de ataques possíveis contra as Testemunhas de Jeová.Tais páginas destituídas de interesse na verdade iludem e alimentam as mentes de milhares de desafetos das Testemunhas, sendo que alguns, de modo ávido ao pote, alimentam a si e a outros com as mesmas repetições irresponsáveis. Embora tenham lido em seus próprios exemplares da Bíblia que Satanás é o pai da mentira, ignoram a verdade e perseguem os que falam a verdade. VEJA TAMBÉM: O QUE DIZ A WATCHTOWER sobre a maçonaria?

Tentam de todas as maneiras denegrir ao máximo a imagem do movimento religioso mais persistente na pregação do Evangelho do Reino.

Era Russel maçônico ?

Em Primeiro lugar, gostaria de enfatizar, que no meio do povo de Jeová, quase não se fala em Russel e muitos,  pouco sabem sobre ele,  visto quase nada se fala dele nem a respeito de seus escritos. (para saber a opinião OFICIAL DA WATCHTOWER sobre Maçonaria clique aqui)

Russel escreveu milhares de artigos, de forma que podemos citar as palavras dele mesmo sobre a barulhenta e desesperada acusação de que ele era maçônico. Russel escreveu:

“Há certas condições – a porta baixa, o caminho estreito, o passo difícil. Ainda que eu nunca houvesse sido maçom, tenho escutado que na Maçonaria eles têm algo que ilustra isto muito estreitamente”… “Muitos maçons me estendem a mão e me dão o que sei é seu aperto de mão; eles não me conhecem por um maçom.Parece que é algo que faço é semelhante ao que fazem os maçons, não sei o que é; porém eles frequentemente me dão todo tipo de aperto de mão e eu os devolvo, então lhes digo que não sei nada sobre isso exceto somente alguns apertos de mãos que hão vindo a mim naturalmente”. – Junho de 1913; discurso do Congresso, “O Templo de Deus” (“Sermões dos boletins do Congresso” página 362)

“Meu entendimento é que todos estes são feixes, e cada feixe se faz mais apertado. Alguns de vocês sabem muito mais sobre a maçonaria que eu, e não estou aqui para dizer nada contra ela, porque não sei o que dizer, e não sei o que diria se eu realmente o soubesse. O Senhor não me enviou para pregar contra a maçonaria ou a Odd fellowship, nem contra o Presbiterianismo ou o Metodismo. Nossa oportunidade é dizer a verdade, para pregar o evangelho verdadeiro de Cristo, e o Senhor diz que esta mensagem terá seus efeitos em diferentes corações. Agora, se você se encontra em qualquer tipo de feixe, você sabe que não é o programa no que concerne ao trigo. O trigo se recolherá no celeiro; não será posto em feixes na vida presente. O trigo de ser livre. Se você se encontra em qualquer tipo de feixe, é melhor que saia do feixe.” – 1908; Reunião de Perguntas do Congresso (“O Questionário” página 318).

A própria página oficial da Maçonaria nos estados unidos responde de uma maneira direta a pergunta se Russel era Maçonico da seguinte maneira:

Charles Taze Russell?
Foram feitas alegações de que o “Pastor” Russell (1852/02/16-1916/10/31), fundador da Associação Internacional dos Estudantes da Biblia— precursora das Testemunhas de Jeová — era um maçônico; que o simbolo na capa dos numeros iniciais de A Sentinela ( Watchtower ) indicavam simbolos maçonicos; e que a lápide [ou túmulo] de Russel continha uma cruz maçonica e o simbolo de uma coroa.

Russel não era um maçônico. Nem os símbolos encontrados na Sentinela (Watchtower) nem a cruz e o simbolo de uma coroa são exclusivamente maçonicos. A Cruz e o simbolo de uma coroa não aparecem em sua lápide no Cemitério Rosemont United , Pittsburgh, Pennsylvania — mas aparecem num memorial erigidos anos mais tarde. Num discurso realizado num salão maçônico em San Francisco em 1913, Russell fez uso positivo dos artefatos maçonicos ao dizer, “Ora, eu sou um maçônico aceito e liberto. Creio que todos nós somos, mas não no estilo de nossos irmãos maçônicos.” Depois ele prossegue desenvolvendo esta ideia: “Verdadeiros crentes na Bíblia podem ou não pertencer a fraternidade maçônica, mas são todos construtores da Alta ordem, visto que são amoldados, lapidados e polidos pelo todo poderoso para serem usados como pedras vivas no Templo construído não com mãos. Estão libertos do pecado, e portanto aceitos pelo Deus do Céus como pedras apropriadas do Templo Celestial.” Mais tarde neste discurso, Russell declarou de uma maneira bem clara “Eu nunca fui um maçônico.” Aqueles que alegam que Russell foi um maçônico citam este discurso fora do contexto sem apontar a retorica dos artefatos. “

(Muitos Pastores são peritos em isolar textos, justamente o que acusam as Testemunhas de Jeová de fazer!)

Dai, o site Americano termina:

“Muito embora Russell tenha escrito a respeito das pirâmides e dos Cavaleiros Templários, as pirâmides não são parte da maçonaria e o entendimento de Russell da relação entre os modernos Cavaleiros Templários e a maçonaria demonstra uma ignorância da parte de quem está de fora , de ambas as organizações.”


Na pagina 58 de seu livreto Object and Manner of our Lord’s Return de 1877, comentando Apocalipse 6 15, que diz:

“15 E os Reis da Terra, e os em altos postos, e os Comandantes, e os ricos, e os fortes, e todo escravo, e todo homem livre esconderam-se em cavernas e nas rochas dos montes. 16 E estão dizendo sem parar as rochas e aos montes: ” Caí sobre nós e escondei-nos da face Daquele que está sentado no trono e do furor do cordeiro …”

Russel escreveu :

“Procurarão esconderijo, também, nas grandes rochas da sociedade mundana tais como a maçonaria, Odd Fellowship, etc., mas nenhuma destas será capaz de livrá-los no dia da fúria do Senhor.”

Podemos ver , então que deste 1877, quando Russel escreveu tais palavras ele acreditava que a Maçonaria era uma obra deste “mundo” apartado de Deus.

Russel considerava esta Sociedade como sendo de ajuda mutua, mas não falou de modo favoravel dela.

No artigo de A Sentinela em Inglês de 15 de Junho de 1895, Russell disse a respeito da Maçonaria em resposta a um leitor que pergunta:

PREZADO IRMÃO:–Gostaria de saber sua opinião com respeito ao seguro de vida. Estão organizando locais de reuniões em toda a parte por aqui –“Trabalhadores unidos”, Cavaleiros de Pythias, Homens de vermelho, Maçonicos, Odd Fellows, etc. eles trabalham em produzir uma espécie de sectarismo na Igreja. Gostaria de ver um artigo na “SENTINELA” sobre isso.

No amor pela verdade, W. E. KILLAM.”

NOSSA RESPOSTA A INDAGAÇÃO:

A resposta de Russell :

” O mesmo observamos na ordem da Maçonaria, se ela for julgada pelo seu passado histórico, possue alguma espécie de segredo ou esquema, diferente de uma irmandade e dão apoio nos momentos de doenças e morte. O que melhor podemos destes fazer juizo, é que há um certo grau de adoração profana ou de cerimonias ligados a ritos desta ordem e de alguns outros, ao ponto que membros não entendem plenamente, mas que , em diversos casos, servem a tendencia da satisfação do espirito natural, para a adoração e consequentemente os impedem de olharem para a adoração de Deus em espírito e realmente – por intermédio de Cristo o único intermediário autorizado e Grande Mestre.
Neste sentido estas sociedades desperdiçam tempo precioso em loucuras, ritos e cerimonias desprovidas de sentido,e por trocar a adoração pela de seus oficiais, e pelo uso de palavras e símbolos que não tem sentido para eles, na adoração de Deus, de uma maneira adaptada ao Cristo e segundo o conhecimento espiritual do Espírito de um espírito saudável.
Nesta medida, estas sociedades são cruelmente ruins, sem levar em consideração ganhos ou perdas financeiras em conexão com o se tornar membro de um deles “(O GRIFO É MEU)

Russel critica de modo austero a Maçonaria nesta Sentinela (Watchtower). Ele a colocou não mais em uma categoria de uma simples irmandade de ajuda mutua como ele já havia mencionado em 1877, e como o seu leitor parecia já ter percebido.Mas o que era interessante nesta mensagem, é que Russel cometeu um equivoco ao citar palavras sobre a Maçonaria, e que um ex-maçônico lhe chamou atenção posteriormente na Watchtower (Sentinela) de 1º de Agosto de 1895 :

“UM IRMÃO , outrora em profundos segredos, e que sabe que o Editor não teve tal experiencia, escreve como segue:–

PREZADO IRMÃO RUSSELL:–Suas observações sobre Sociedades beneficiárias e Secretas na SENTINELA, de 15 de Junho , 1895, foi muito engraçada para mim. Acertou como que “o seu pé” ao “martelar no escuro” . Fico feliz que defenda o princípio da proteção bancado por legitimas Empresas da linha antiga, vida, incêndio e acidentes. … …

A adoração do Sol aparece com destaque na Maçonaria, e não a serviço da Igreja Católica e da igreja Episcopal. O termo “Venerável”, como usado na maçonaria, agora está praticamente obsoleto, mas foi anteriormente e geralmente usado como um termo de respeito. Eu
ocupei a posição de “Venerável Mestre” por três anos, mas nunca recebi a adoração dos meus companheiros mortais, e eu certamente nunca adorei a outros. Sua sugestão, que é feita por ignorância, é uma boa sugestão, mas não se aplica nesse caso. Talvez nenhum homem no meu estado, durante os vinte difíceis anos nos quais eu era um membro da Fraternidade, teve um estudo mais aprofundado para o simbolismo da Maçonaria, o seu ensinamento moral, e sua jurisprudência.
Apesar da maçonaria não inculcar a adoração de seus oficiais, faz o que é pior, pois em sua essência o simbolismo utilizado nas cerimônias são derivados de adoração ao diabo. Embora já não em jugo desigual com os incrédulos (2 Coríntios. 6:14-17), eu quero dizer para aqueles que
ainda estão no cativeiro que eles têm muita desculpa. A Maçonaria é constituída em grande parte de uma série de instruções morais, ensinada em concordância ao uso antigo, pelos tipos, símbolos e figuras alegóricas. É um sistema, e um belo sistema, como é muito do trabalho de Satanás, quando visto de
do ponto de vista mundano. Seu colega de trabalho na melhor (não a pior) das intenções. ”


Outro irmão escreve: – –
A maçonaria não é o cristianismo, e aquele que é tão enganado ao pensar que ele é, é conduzido por esse fato a um labirinto de erros dolorosos. Eu acho que eu sei sobre o que falo, eu era mestre durante sete anos de uma “loja”, e eu lhe conferi cem graus. A maçonaria não limpa os pecados, e não salva a nossa alma da morte, e é uma questão grave para um filho de Deus passar tempo e gastar dinheiro em uma instituição do mundo. Não há nada puro, que é terreno, mas a pureza vem de cima para baixo. ”

Pode-se assim observar, que Russell não entendia muito a respeito dos ritos da Maçonaria e aqueles quer eram ex maçons e se tornaram estudantes da Bíblia é que lhe ensinaram um pouco mais sobre ela, dando um parecer negativo, o que ele já tinha, tal conceito negativo sobre a maçonaria

Em 1904, Russell falou novamente sobre a Maçonaria, em conexão com ao Sociedade de auxílio mútuo , ele aconselhou outra vez aos seguidores da maçonaria, que esta era parte de Babilônia a Grande, um sistema de religião falsa.
Na página 640.641 do Volume Frances de Estudos das Escrituras VI chamado “Nova Criação”

Lemos :

“Isso coloca diante de nós o grande problema das ordens, sociedades, etc, e os privilégios que possuem a face da Nova Criação diante destas organizações. É conveniente que as novas criaturas participem nestas sociedades?

Nós respondemos que, se as associações de igrejas são puramente religiosas e os movimentos sindicais de ajuda mútua são algo laico, em geral, há outros aspectos que têm mais aspectos religiosos e laicos. Como sabemos, por exemplo, os maçons, Odd-Fellows, os Cavaleiros de Pythias, etc, realizam certos ritos e cerimônias de caráter religiosos. Naturalmente que não exerceremos qualquer campanha hostil contra os membros dessas diferentes ordens, não mais do que faremos contra a diferentes sistemas religiosos sectários. Nós colocamos em pé de igualdade todos os sistemas que compreendem cerimônias e educações com caráter religioso, etc. E todos nós os consideramos como peças de Babilônia, que certas partes são mais limpas e os outras menos limpa, mas que, no entanto, estão cheias de confusão , erro, ao contrário da intenção divina, como revela a organização da Igreja primitiva, e nas instruções que deu aos discípulos, pela palavra e pelo exemplo, o Fundador inspirado e seus doze apóstolos.

Aconselhamos que a Nova Criatura não têm nada a ver com algumas dessas sociedades, clubes, as ordens, as igrejas de caráter semi-religioso, mas que devemos”sair do meio deles, ser separados e não tocar o que é impuro” (2 de milho. 6:17) ”

Em 1913, em um discurso corajoso, Russell comparou a Igreja cristã com uma sociedade secreta de que o Grã-Mestre é Jesus Cristo e os membros desta sociedade não conheciam uns dos outros, porque só Jesus conhece. É um dos principais argumentos dos defensores da adesão de Russell na Maçonaria. Russell declarou-se maçom da maçonaria, “maçonaria bíblica”. Ao longo do discurso, ele tentou fazer analogia entre a Igreja e uma sociedade secreta, certamente para converter alguns maçônicos na sala.

Ele cometeu algumas falhas no que diz respeito ao texto sobre a maçonaria, mostrando que ele não conhecia o suficiente sobre a Maçonaria exatamente como ele admitiu na resposta anterior a uma carta de um leitor de ex-maçônico.

Por exemplo:

“E assim, se falamos com nossos amigos maçônicos sobre o templo e sobre o seu significado, e no caminho para ser um bom maçônico e sobre a Grande pirâmide, que é o emblema principal que eles usam”,

Lamentavelmente, a pirâmide não é o principal emblema maçônico, é uma lenda urbana que tem sua origem na presença do olho na pirâmide do dólar E.U. e Russell apenas repete essa fofoca.

Observem um site bem informado sobre a maçonaria:

http://www.masonicinfo.com/eye.htm

O autor maçom Brent S. Morris, citado neste site declara sobre a pirâmide:

“A pirâmide, seja incompleta ou acabada, no entanto, nunca foi um símbolo maçônico. Não tem nenhum significado simbólico geralmente aceitos, exceto, talvez, a permanência ou mistério. A combinação do olho da providência com vista para uma pirâmide inacabada é exclusivamente americana, não um ícone maçônico, e deve ser interpretada a partir da intenção dos que a projetam. Não tem nenhum contexto maçônico “Estava muito longe de ser o principal símbolo da maçonaria como declarado por Russell.

Em outro lugar Russell declarou:

Embora eu nunca tenha sido maçônico, ouvi dizer que a Maçonaria tem algo que ilustra muito bem tudo isso. ”

Russell afirmou que ele não era um franco-maçom (“terrestre” vamos adicionar), os defensores da tese da ligação de Russell com a maçonaria explicam que ele pertencia, de fato, aos cavaleiros templários, que foi de fato uma organização para-maçônica, e assim não completamente maçônica que lhe permitiu dizer que não era maçônico.

Lamentavelmente para tais, os cavaleiros templários são maçônicos, é necessário ser maçom para se tornar um cavaleiro templário como revela o site do movimento nos Estados Unidos na

URL: http://www.knightstemplar.org/freqaq.html

Debaixo do subtitulo “Como se tornar um cavaleiro templário”

“Para uma petição Comenda de Cavaleiros Templários ou adesão, primeiro você deve ser um membro de uma Loja Maçônica e outras entidades de pré-requisito, como o Royal Arch , possivelmente, um Conselho de Mestres Reais e Select. (Isso depende do estado onde você reside) para uma petição Commandery deve professar uma crença na religião cristã.
Aquele que não conhece um Cavaleiro Templário ou um Mestre Maçom deve contatar o local do Templo Maçônico de informação ou Grande Acampamento dos Cavaleiros Templários dos Estados Unidos da América, 5097 N. Elston Avenue, Suite 101, Chicago, Illinois 60630-2460. ”

Russell não podia ser um cavaleiro templário, nem um maçom, porque para ser um cavaleiro templário, foi necessário já ser um maçom.

Russell em seus escritos e discursos feitos cometeu regularmente equívocos ao falar sobre a Maçonaria, embora em seus últimos discursos, ele tenha demonstrado um melhor conhecimento do movimento. Ele afirmou não ser maçônico e identificou a maçonaria como sendo parte de Babilônia, a Grande,a qual era necessário se desviar (Apocalipse 18 4). Não se pode concluir que Russell foi um maçom de seus escritos.

 

 

PARA SABER MAIS SOBRE ESSA FALSA ACUSAÇÃO ACESSE ESTA OUTRA PÁGINA:

Russel NÃO ERA MAÇONICO- VÍDEO!

TESTEMUNHAS DE JEOVÁ DEFENDIDAS

Observe Discuros de Russell TRADUZIDO PARA O PORTUGUÊS!

Russia x Testemunhas de Jeová NO TRIBUNAL INTERNACIONAL VÍDEO!

Anúncios
Both comments and trackbacks are currently closed.

Comentários

  • Anderson  On 6 dez 2011 at 19:25

    por favor vai o senhor por livre e espontanea vontade e tente dar um discurso num templo maçon de sua cidade 1º eles ñ tedeixarao entrar2ºse vc ñ for batizado no rito maçon de BAPHOMET vc nunca podera fazer um discurso dirigido aos irmaos maçons .RUSSEL ao melhor ñ tinha o grao33 MAS ELE ERA BATIZADO no rito maçon luciferiano se ñ ele nuca ia poder vestir òs atuendos maçons ..e nem dar discurso em 1913 …É COMO SE EU CHEGARA NO SALAO DOS watch tower e dera um discurso para os irmaos WATCH TOWER sem estar batizado os aciaos ñ me deixariao nem subir quanto mais dar discurso.. VAMOS Ñ ENGANA AS PESSOAS no minimo RUSSEL era batizado TE POSSO GARANTIR ..porque meu tio é maçon .. e nunca uma pessoa ñ batizada pode fazer discurso por sua livre espontanea vontade no templo maçon ..SE Ñ ME ACREDITA É COMO TE COMENTEI …vai o senhor e entra dar discurso.. vamos ver se o senhor vai conseguir…quanto a cruz e a coroa ñ tem nada ver com simbolos de jesus .. esses simbolos pertence a ordem de ROSACRUZES .. que tem significado de pervessao sexual dentro da maçonaria..RUSSEL era maçon .. sem duvida!! agora vcs sao expert em perverter e enganar pareceis a maçonaria … e otra coisa o salao maçonico nao é salao é templo… ensina direito..

    Curtir

  • queruvim  On 6 dez 2011 at 23:48

    Russel era lido em todos os Estados Unidos, Canadá e Europa e seus escritos eram lidos em 4.000 jornais da época segundo Biography of Pastor Russell, Divine Plan of the Ages, 1918, p. 6. Não era uma pessoa semelhante a qualquer um de nós. Era muito conhecido e personagem “famoso” na época. Qualquer instituição isenta de preconceito e culturalmente evoluida consideraria um privilégio tê-lo como palestrante. Sua avaliação desconsidera tudo isso. Sua afirmação sobre “graus” de hierarquia na maçoniaria não passa de boatos dos que procuram repetir qualquer coisa que possa satanizar ou ridicularizar Russell. O vídeo que publicamos no youtube intitulado “Russell não era maçon” demonstra várias outras Igrejas usando os mesmos simbolos que Russell usou e nem por isso eles eram maçons. Várias páginas de organizações maçônicas nos Estados Unidos são enfáticas em afirmar que Russel NÃO ERA MAÇOM. Os escritos de Russell mostra claramente que ele não era maçon. Quem será que está “enganando”?

    Curtir

  • Ramon Barbosa Casais  On 22 dez 2011 at 18:40

    eu gostaria de uma explicação acerca do tumulo de russel ter o formato de uma piramide,

    Curtir

  • queruvim  On 26 dez 2011 at 0:35

    Charles Taze Russell fez em seus escritos algumas referências à Grande Pirâmide de Egito como corroboração de profecias da Bíblia. Ainda que não considerasse que este fosse um ensino fundamental que os Estudantes da Bíblia tivessem que aceitar, ele cria que Jeová dirigiu a construção dessa pirâmide e que suas passagens correspondiam com vários trechos do plano divino revelado na Bíblia. Muitos opositores se têm utilizado nesse uso da pirâmide e – seja por ignorância ou por má fé – tergiversaram enormemente sobre o que Russell apresentou.

    Vejamos algumas afirmações que oferecem uma visão distorcida de Russell, e qual é a realidade.

    “Russell introduziu o ocultismo em sua religião ao ensinar que as pirâmides de Egito são augúrios divinos.”

    Quanto à acusação de que Russell introduziu o ocultismo em sua “religião”, há que ter em conta que a palavra ocultismo costuma referir-se a ensinos religiosos secretos que não é permitido revelar a ninguém que não tenha sido iniciado no círculo de certa religião, e se relaciona com bruxaria, astrologia, espiritismo, pranchetas ouija, etc. Negamos enfaticamente que o estudo de Russell sobre a Grande Pirâmide e sua suposta conexão com a Bíblia tenha algo que ver com o ocultismo. Além de que seus ensinos não eram em absoluto secretos, Russell advertiu constantemente aos cristãos que não deviam ter nada que ver com o ocultismo. Por exemplo, no número de 15 de abril de 1909 de A Sentinela (Zion’s Watch Tower), na página 123, escreveu:

    “Resistam ao diabo e ele fugirá de vocês’ é uma declaração do Senhor. Isto implica que se sofrerá o ataque do Adversário. Isto implica que devemos resistí-lo e que podemos resistí-lo, e que ao final ele fugirá de nós, não devido a arrogância ou a poder por nossa parte, senão porque, como disse nosso Mestre: “Ele não tem poder sobre mim”; de maneira que se se dá conta de que é inútil continuar seus ataques, provavelmente fugirá também de nós a outros campos de serviço. Recordamos a todos nossos leitores que quem quer que se ponha sob a influência do espiritismo, a Ciência Cristã, o hipnotismo ou qualquer outra forma de ocultismo está com isso pondo-se em perigo a si mesmo, não só no momento presente, senão também para o futuro, pois os espíritos malvados que operam através destes diversos canais pretendem, alguns de uma maneira e alguns de outra, enganar, desconcertar, confundir a razão e pôr em sujeição as mentes daqueles com quem têm relação. Por tanto, a qualquer do povo do Senhor que tenha tido relação estreita em algum momento com qualquer destes, se lhe adverte de forma especial de sua propensão a receber a intrusão de tais espíritos. Recordamos a todos que o canal especial através do qual tiveram um particular sucesso é a curiosidade humana. Exortamos a todos os membros do povo do Senhor a que restrinjam sua curiosidade e confiem na Palavra do Senhor e não tenham relação de nenhum tipo com qualquer destes sistemas ocultistas.”

    Russell não ensinou que as pirâmides de Egito sejam agouros divinos. Em primeiro lugar, o interesse de Russell se centrava numa só pirâmide: a Grande Pirâmide (ou Pirâmide de Queops). Por outro lado, em nenhum lugar faz Russell referência à Grande Pirâmide como algum tipo de augúrio divino, ainda que sim afirmou que a Grande Pirâmide continha corroborações de profecias encontradas originalmente na Bíblia.

    “Russell obteve a data de 1914 originalmente das medidas da pirâmide”

    Esta afirmação não é correta. A data de 1914 se obteve a partir de profecias bíblicas relacionadas com o tempo e a partir de paralelismos. A data não se obteve originalmente de medidas dos corredores da pirâmide; mais bem, Russell cria que algumas destas medidas corroboravam os cálculos já obtidos da própria Bíblia.

    “Russell mudou as medidas da pirâmide depois de 1914”

    Esta acusação se baseia no seguinte:

    Na edição de 1897 de Venha teu Reino (o volume 3 da série “A aurora do Milênio”), na página 342, dizia:

    “…esta medida é de 3416 polegadas, que simbolizam 3416 anos. (…) Este cálculo mostra no ano 1874 d.C. como marcando o princípio do período de angústia…”.

    Em mudança, na edição de 1916 do mesmo livro (bem como a de 1923) diz:

    “Encontramos que são 3457 polegadas, simbolizando 3457 anos. (…) Este cálculo mostra que o fim de 1914 será o princípio do período de angústia…”.

    Alguns opositores se enganam dizendo que a pirâmide de Russell cresceu 41 polegadas em 19 anos. O que os opositores querem dar a entender com isto é que se mudou o texto do livro quando passou 1914 e não se cumpriram as previsões de Russell. Em definitivo, acusam-lhe de falsear as cifras. Qual é a realidade?

    A realidade é que esta mudança no texto do livro não se fez depois de 1914, senão desde a edição de 1905 em adiante. Inclusive na A Sentinela de 15 de setembro de 1909 se deu a seguinte explicação, página 342, parágrafos 17, 18:

    “3416 polegadas mudadas a 3457 polegadas para concordar com medições posteriores mais exatas, o que parece assinalar a 1915. As cifras anteriores eram medidas tomadas sobre o papel, a partir da ilustração de Piazzi Smith, supostamente realizada a escala, mas que resultou ser inexata.” .

    De maneira que a mudança não se realizou depois de 1914, senão em vários anos antes. Ademais, se Russell tivesse querido falsear as cifras, lhe teria resultado mais conveniente assinalar ao ano 1914 e não a 1915, ou inclusive deixar o texto como estava, pois também concordava com seu entendimento da cronologia bíblica.

    Posteriormente, ao realizar-se medições diretamente na pirâmide em vez de através de um desenho a escala, revelou-se que nenhuma das medidas era exata, e que não assinalavam a nenhuma data bíblica. Na atualidade, as Testemunhas de Jeová não creem que a Grande Pirâmide tenha alguma relação com as Sagradas Escrituras.
    FONTE: https://sites.google.com/site/atestemunhadejeova/home/x-respostas-necessarias/piramide

    Curtir

  • Sílvio  On 21 maio 2012 at 2:01

    A frase de Russell “eu sou um maçônico” pode ser melhor entendida à base da afirmação do apóstolo Paulo, quando disse quando disse perante o Sinédrio judaico: “Eu sou fariseu”. (Atos 23:6) Obviamente, sendo discípulo de Cristo, Paulo não era fariseu. No entanto, visto que o assunto em pauta naquele tribunal era a esperança da ressurreição, e os saduceus, que faziam parte do Sinédrio, não criam nessa doutrina bíblica, a afirmação de Paulo na realidade traçava um ponto em comum com o outro grupo que compunha aquele tribunal – os fariseus, que de certa forma criam numa vida futura. De modo similar, a afirmação de Russell visava evidentemente ressaltar algo positivo da cultura maçônica, a fim de atrair os membros dessa sociedade ao verdadeiro cristianismo. Fazendo isso, ele seguiu o exemplo de Paulo, que disse aos atenienses: “Em tudo vejo que vocês são muito religiosos.” – Atos 17:22, Bíblia na Linguagem de Hoje.

    Curtir

  • Fernando  On 24 nov 2012 at 0:26

    Muito bom o artigo. De fato, o irmão Russell não era e nunca foi maçonico. Eu gostaria de perguntar quais são estes livros “Sermões dos boletins do Congresso” e “O Questionário”, e também saber o título original em inglês, bem como onde posso baixá-los. Desde já agradeço.

    Curtir

  • Flavio  On 5 jan 2013 at 15:34

    Olá a todos! Vou dizer uma coisa à respeito da maçonaria: Ela é sustentada por dois pilares, a mentira e a hipocrisia. Muitas coisas são subliminares e de sentido oposto. Um mason nunca terá sua identidade revelada se ele assim quiser. Lembrem-se que é uma sociedade que pratica o secretismo. Difícil acreditar numa declaração à respeito disso ou aquilo. Não se deixem enganar com tanta facilidade. O único recurso que temos são as evidências. Elas comprovam os fatos. Diante disso, cada um tire suas conclusões. Mas mesmo que a maçonaria enviasse uma nota dizendo que Russel era um mason livre, o que isso mudaria na vida das tjs? Certamente continuariam a ser tjs. Não é uma questão de certo ou errado. Verdade ou mentira. É uma questão de submissão. O que vale é o que o corpo governante determina. Só vejo utilidade nessa discussão, se servir para mudar alguma coisa na vida de alguém. Apenas vou transcrever uma parte do discurso do Russel em uma loja maçônica e aceite ou não isso como uma evidência.
    ” Fico feliz dessa oportunidade especial de dizer uma palavra a respeito do que concordamos com nossos amigos maçônicos, porque estamos falando de um prédio dedicado a maçonaria, e também somos maçônicos. Sou um maçônico livre. Sou admitido maçônico livre, se posso assim dizer, porque é assim que nossos amigos gostam de dizer, que eles são maçônicos admitidos e livres. É assim que colocam a questão. Agora sou um admitido maçônico livre. Acho que todos somos. Mas não apenas da forma de nossos irmãos maçônicos. Não temos nenhuma discussão com eles. Não vou dizer nenhuma palavra contra maçons livres. De fato, alguns dos meus melhores amigos são maçons e folgo em saber que existem certas verdades preciosas que meus amigos maçons possuem. …”
    Para interessados, na internet tem o discurso original no qual poderão obter para que possam analisar que não há nada fora do contexto.

    Curtir

  • queruvim  On 5 jan 2013 at 21:04

    Sua citação é parcial e enganosa. Russell neste mesmo discurso realizado em um Salão Maçônico em 1913, afirma:

    “verdadeiros crentes na Bíblia talvez pertençam ou não a fraternidade maçônica, contudo, são todos maçons da ordem mais elevada visto que são moldados, lapidados e polidos pelo Todo Poderoso a fim de sermos usados como pedras viventes no edifício construído não por mãos. São livres do pecado, e portanto aceitos pelo Deus celestial como pedras certas no Templo celeste”. ( O grifo é meu. É óbvio que é uma figura de linguagem metafórica usada por Russell)

    Ele também diz ali: “Somos todos maçons mas não no estilo de nossos irmãos maçons” (Lembre-se de que ele falava a uma audiência de maçons e usava uma comparação ou equivalência figurada) Em todo o discurso ele fala dos maçônicos como “Eles” e a respeito “deles” e no final diz: “Eu nunca fui um maçom“. No mesmo discurso Russell prossegue dizendo:

    “Eu não vou dizer uma palavra contra os maçons, e posso perceber que há certas verdades muito preciosas que são realizadas em parte por nossos amigos maçons. Eu falei para eles às vezes, e eles disseram, Como você sabe sobre todas essas coisas? Pensamos que ninguém sabia nada sobre essas coisas, exceto aqueles que tiveram acesso a nossa lógica maior.” Podemos ver no texto que você cita fora do contexto que o próprio Russell mostrou que não era maçon uma vez que em sua linguagem figurada ele incluiu seus irmãos de fé como também sendo maçons, neste sentido figurado e não literal.

    Por que você Flávio omite tudo isso? Estou certo de que seu objetivo não parece ser apresentar todos os fatos, mas antes citar palavras fora de um contexto, justamente o que afirmas não fazer! Há muita coisa fora de contexto sim senhor! Sua preocupação é denegrir as Testemunhas de Jeová ou é você que é ruim em interpretar texto?

    Em 2001 uma Testemunha de Jeová do Tenessee requereu uma informação histórica da Instituição “ANCIENT ACCEPTED SCOTTISH RITE OF FREEMASONRY, VALLEY OF PITTSBURGH” para saber ao certo o que os registros oficiais deles diz a respeito deste assunto e a fim de demonstrar de uma vez por todas a verdade para os interessados. A pergunta era se Charles Taze Russell, seu pai, Joseph Lytel Russell,e seu tio, Charles Tays Russell eram maçons.

    A resposta foi:

    “”Após uma pesquisa em nossos registros, determinamos que os três RUSSELLS não eram membros de nossa Organização.”

    Curtir

  • Flavio  On 6 jan 2013 at 5:22

    Querido Queruvim, porque não postou meu comentário?
    Será que estou enganado com relação a você?
    Devo ficar decepcionado com o blog?
    Se não quiser que eu não mais participe, mande um email e eu respeitarei sua decisão.

    Curtir

  • queruvim  On 6 jan 2013 at 19:51

    Poderá postar quando quiser, mas se não houver respeito, fontes fiáveis,verificabilidade, pode esquecer. Procure manter o nível. Mesmo que poste algo que seja o oposto do que pensamos, faça-o sem arrogância ou espírito de crítica com apoio e respaldo em raciocínio coerente. Vou te dar uma dica…leia depois com atenção o que postou e pergunte-se:

    Estou sendo arrogante ou desrespeitoso?
    Estou apontando argumentos bíblicos, históricos ou lógicos ou apenas externando minha raiva ou frustração?

    Curtir

  • queruvim  On 2 jul 2013 at 11:47

    Fernando são tantas as matérias que não tenho tempo as vezes mas vou ver o que posso fazer. Pesquise também e caso achar me apresente. Grato.

    Curtir

  • GERALDÃO O GALÃO  On 24 out 2013 at 15:08

    Caro Queruvim, as seitas presbiteriana, luterana, angicana e metodista têm a cruz coroada sim, mas não com o ramo ( em forma de círculo) e um laço vermelho como acontece no antigo símbolo da seita russelita (atual testemunhas de jeová, desde a década de 30), portanto é maçonica sim, tendo em vista que em seu vídeo declarou que Russel usava linguagem maçonica, porém não fazia parte, isso não deu para engolir. Tem piramide como a nota de 1 dolar e símbolos maçônicos e asas egípcias, mas não é. Francamente, né? Dê uma olhadinha aqui, por favor, caso não tenha visto:
    YOUTUBE DELETADO em vista de Romanos 16>17

    Curtir

  • Queruvim  On 24 out 2013 at 19:22

    Russell negou ter sido Maçonico, o site Oficial da Maçonaria afirma categoricamente que ele NÃO ERA maçonico. Há elementos suficientes para perceber isso no artigo acima.

    Não fui eu ou a Organização de Jeová que falou que Russell usava linguagem maçônica,(para tentar ganhar maçônicos) mas a própria página Oficial da Maçonaria que afirmou isso. Eu postei até mesmo o link no artigo acima.Vou te passar novamente aqui. O Sr parece que nem se deu ao trabalho de ler. Por que será?

    Geraldão, parece que a página OFICIAL da maçonaria nos Estados Unidos se encarregou de refutar sua fantasia anti Testemunha de Jeová, antes mesmo de afirmar o que afirmas:
    A própria página oficial da Maçonaria nos estados unidos responde de uma maneira direta a pergunta se Russel era Maçonico da seguinte maneira:

    “Charles Taze Russell?
    Foram feitas alegações de que o “Pastor” Russell (1852/02/16-1916/10/31), fundador da Associação Internacional dos Estudantes da Biblia— precursora das Testemunhas de Jeová — era um maçonico; que o simbolo na capa dos numeros iniciais de A Sentinela ( Watchtower ) indicavam simbolos maçonicos; e que a lápide [ou túmulo] de Russel continha uma cruz maçonica e o simbolo de uma coroa. Russel não era um maçonico. Nem os simbolos encontrados na Sentinela (Watchtower) nem a cruz e o simbolo de uma coroa são exclusivamente maçonicos…”

    Acho que não leu o artigo acima com citações fiáveis. Suas afirmações não possuem citação fiável. É altamente tendencioso e tenta de modo enganoso ridicularizar as TJ chamando-as de “seita”. Caso não saibas, foi esta mesmo acusação que levantaram contra os seguidores genuínos de Cristo lá no primeiro século. Pois está escrito que os opositores dos verdadeiros cristãos disseram:

    “Quanto a esta seita, é sabido por nós que em toda a parte se fala contra ela.” (Atos 28:17-22)

    Chamaram os discípulos de Jesus de “esta seita”.

    E digamos que se Russell fosse maçônico, algo que como vímos é MENTIRA. (João 8:44) O que tenho eu ou qualquer Testemunha de Jeová HOJE a ver com isso? Acho interessante como tem gente que pesquisa o passado distante e rastreia de modo desesperado tudo o que as Testemunhas de Jeová escreveram nos ultimos 120 anos a fim de achar um SUPOSTO erro, quando as igrejas as quais pertencem estão atoladas em maçonaria, política partidária,violação da lei do silêncio, enriquecimento as custas da Bíblia, tolerância da imoralidade sexual, curandeirismo e hipocrisia. Isso sem falar na paralisia espiritual dentro da igreja, onde os únicos que “pregam” as abobrinhas que muitos de vcs pregam, são somente alguns na igreja, ao passo que os “membros” da igreja se alimentam destas abobrinhas e voltam para suas casas sem compromisso algum com as palavras de Cristo que disse a TODOS OS SEUS SEGUIDORES genuínos:

    Ide e fazei discípulos…ensinando-os” Mateus 28:19,20

    Eu acredito que a Igreja que tu frequentas, se é que frequentas alguma, tem acolhido maçons. No meio das TJ NUNCA VÍ UM SEQUER. Ao passo que no meio DAS IGREJAS EVANGÉLICAS que conheço aqui no Brasil, a maçonaria brota igual capim. Pastores maçonicos é algo muito comum. Ao passo que EU JAMAIS VÍ UM SERVO DE JEOVÁ maçônico. Muito menos Ancião do povo de Jeová envolvido com maçonaria. Se alguém souber de um me avisa onde ele está, que garanto que dentro de 7 dias ele não mais será Testemunha de Jeová.

    Olha o que se afirma a respeito de “todas as lideranças evangélicas”:

    Curtir

  • Queruvim  On 24 out 2013 at 20:02

    A PRÓPRIA MAÇONARIA AFIRMA QUE PASTORES EVANGÉLICOS “SÃO NOSSOS IRMÃOS DE MAÇONARIA”

    Curtir

  • Queruvim  On 25 out 2013 at 21:41

    “Eu desejo ser enterrado no lote de terreno de propriedade da nossa Sociedade, no Rosemont United Cemetery, e todos os detalhes dos arranjos respeitando o serviço funeral deixo sob os cuidados de minha irmã, a Sra. MM Lan, e suas filhas, Alice e May, ou, dentre eles, que sobreviverem a mim, com a ajuda e conselhos e cooperação dos irmãos, pois podem solicitar o mesmo. Ao invés de um discurso fúnebre normal, peço que enviem um número de irmãos, acostumados a falar em público, façam algumas observações cada um, que o serviço seja muito simples e barato e que seja realizado na Capela Casa da Bíblia ou qualquer outro lugar que pode ser considerado igualmente apropriado ou do tipo”. – Last Will and Testament, 1907/06/29.

    Eu não vejo nada sobre a pirâmide ou os maçons no testamento de Russell acima. De fato a pirâmide foi construída em 1921, 5 anos após a sua morte.

    Curtir