Nova Biblia King James Restaura o Nome Divino

 
A Nova Bíblia King James

“Parece mais claro do que nunca, que Jesus disse : “santificado seja o Teu nome” e não “escondido seja o Teu nome”!…Isto está diretamente relacionado com a obtenção da vida eterna, pois Jesus disse em oração a Jeová: “Isto significa vida eterna, que conheçam a ti, o único Deus Verdadeiro e daquele  a quem  enviaste Jesus Cristo” João 17:3″

É digno de nota que os publicadores desta versão não são Testemunhas de Jeová!
Uma nova Bíblia King James quebrou uma tradição de séculos e está seguindo os passos de várias traduções da Bíblia que restauraram o nome divino ao seu lugar original no Antigo Testamento. A Divine Name King James Bible está levantando as sobrancelhas de muitos no mundo dos tradutores da Bíblia por substituir o DEUS capitalizado e Senhor com a tradução “Jeová” em 6.972 lugares. Os Tradutores da Versão Rei Jaime Nome Divino  estão seguindo o padrão de outras traduções da Bíblia, inclusive a tradução literal de Young, a Tradução Darby, a Tradução do Novo Mundo, a American Standard Version e A Bíblia  Vida em Inglês  em restaurar o Nome Divino onde era originalmente escrito.

O grupo também afirmou que não é afiliado  ou patrocinado por nenhuma organização religiosa e que a  nova edição não foi produzida pela direção,  assistência ou aprovação de qualquer organização religiosa ou comunidade religiosa.

Explicando a razão para restaurar o Nome Divino, onde aparece originalmente, os editores declararam online, “… parece mais claro do que nunca por isso que Jesus nos ensinou em Mateus 6:9 para rezar ‘Santificado seja o teu nome’ não ‘escondido seja o teu nome. ‘ Fielmente Jesus mostrou por que o nome do Senhor deve ser conhecido por nós, pois só por esse caminho que  sabemos quem é Jesus e como Jesus realmente definiu o padrão para a adoração pura.

Um exemplo dado dessa “nova expressão literária” está em Isaías 42:8, onde o KJV Nome Divino reza , “Eu sou o SENHOR: este é o meu nome.” Numerosas traduções continuam a inserir “Senhor” ou “Deus”, onde Nome do Divino aparece originalmente, uma prática que está sendo desafiada por adeptos de traduções mais literais.

Há também a “21st Century King James Version” (KJ21), concluída em 1994, que atualizou as palavras obsoletas da edição de 1611, usando o Dicionário Webster New International, segunda edição. A Ortografia, pontuação e capitalização também foram atualizadas.

O 21st Century King James Version, no entanto, restaura o Nome Divino nos quatro locais onde o  Versão Autorizada  da King James utiliza a palavra “senhor” durante séculos. A versão King James O Divino Nome  no entanto, restaura o nome Jeová em quase 7.000 ocorrências onde YHWH ou JHVH (latim) era usado originalmente.http://www.dnkjb.net/

Para adquirir esta versão :

http://www.amazon.com/Divine-Name-King-James-Bible/dp/B00802UGZE

É interessante como muitos chamados “cristãos” rejeitam usar o Nome de Deus e o substituem por títulos todo tempo em seus cultos e em sua vida diária. Os servos de Deus da antiguidade não usavam a expressão “Senhor” quando se referiam a Deus, a não ser em alguns poucos casos. Tanto é que a palavra “Senhor” só aparece 40 vezes no chamado Velho Testamento. Ao passo que o Nome Jeová, aparece quase 7000 vezes! A Nova King James  chamada em Inglês “The Divine Name King James Bible”  ou em português  ” A Biblia Rei Jaime O Nome Divino” demonstra que não é somente a WATCHTOWER que optou em usar o Nome de Deus e o reintegrá-lo em seu lugar devido nas Escrituras Sagradas.

É sem dúvida uma resposta ao críticos da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas. Mais pessoas irão associar as Testemunhas de Jeová como sendo aqueles a quem o Salmista Davi se refere quando diz: “Feliz a nação cujo Deus é Jeová, o povo que Ele escolheu como sua herança” Salmo 33:12

É digno de nota como a Nova Bíblia King James dá destaque ao Nome de Deus até mesmo no chamado “Novo Testamento”!

Observe uma parte desta na passagem de Mateus 4

“1  Then was Jesus led up of the Spirit into the wilderness to be tempted of the devil. 2 And when he had fasted forty days and forty nights, he was afterward an hungred. 3 And when the tempter came to him, he said, If thou be the Son of God, command that these stones be made bread. 4 But he answered and said, It is written, Man shall not live by bread alone, but by every word that proceedeth out of the mouth ofGod.( Jehovah Deu 8:3 ) 5 Then the devil taketh him up into the holy city, and setteth him on a pinnacle of the temple, 6 And saith unto him, If thou be the Son of God, cast thyself down: for it is written, He shall give his angels charge concerning thee: and in their hands they shall bear thee up, lest at any time thou dash thy foot against a stone. 7 Jesus said unto him, It is written again, Thou shalt not tempt the LORD,( JehovahDeu 6:16 ) thy God. 8 Again, the devil taketh him up into an exceeding high mountain, and sheweth him all the kingdoms of the world, and the glory of them; 9 And saith unto him, All these things will I give thee, if thou wilt fall down and worship me. 10 Then saith Jesus unto him, Get thee hence, Satan: for it is written, Thou shalt worship the LORD,( Jehovah Deu 10:20 ) thy God, and him only shalt thou serve. 11 Then the devil leaveth him, and, behold, angels came and ministered unto him”.

Outro tópico relacionado:

QUEM SÃO OS TRADUTORES DA BÍBLIA REI JAIME NOME DIVINO ?

 

Evidências internas revelam por que o Nome de Deus deve constar no Novo Testamento

About these ads
Both comments and trackbacks are currently closed.

Comentários

  • Fábio (estudante)  On 1 de junho de 2012 at 2:26

    Interessante é que nesta versão The Divine Name King James Bible (DNKJB) o nome Jehovah é restaurado 6.972 nas Escrituras Hebraicas (Velho Testamento – VT), sendo que a Tradução do Novo Mundo verte 6.973. Esta tradução é interessante, pois muitos não conhecem o nome do Deus Todo-Poderoso, também temos em português a Tradução Brasileira (TB), Bíblia de Jerusalém (BJ), entre outras, o importante é que o nome de Jeová seja conhecido e glorificado conforme o Instrutor Jesus ensinou “Tenho feito MANIFESTO O TEU NOME aos homens que me deste do mundo. Eram teus e tu mos deste, e eles têm observado a tua palavra. 7 Eles vieram agora a saber que todas as coisas que me deste são de ti; 8 porque eu lhes tenho dado as declarações que me deste, e eles as têm recebido e têm certamente chegado a saber que saí como teu representante, e eles têm acreditado que tu me enviaste. 9 Faço solicitação a respeito deles; faço solicitação, não a respeito do mundo, mas a respeito daqueles que me deste; porque são teus, 10 e todas as minhas coisas são tuas e as tuas são minhas, e eu tenho sido glorificado entre eles.11 “Também, não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo e eu vou para ti. Santo Pai, vigia sobre eles por causa do TEU PRÓPRIO NOME que me deste, para que sejam um, assim como nós somos” – João 17:6-11.

  • Alexei  On 2 de junho de 2012 at 15:04

    Caros senhores,eu simplesmente não acredito!!! A King James utilizando o NOME!!?? Ai, ai, ai, o que os críticos vão dizer agora? Precisamos alertá-los que não foi a comissão da TNM que fez a correção. Ótimo, a falta de patrocínio $$$ religioso $$$ indica honestidade neste caso específico (lembram da NVI?). De fato, quanto mais o tempo passa, mais temos manifesta a verdade. Seria o fim da tautologia?
    Salmo 8:9 “Ó SENHOR, SENHOR nosso, quão admirável é o teu nome sobre toda a terra!”

    • O Protestante  On 2 de junho de 2012 at 21:19

      Bom, essa não a “KJV”, mas, vamos dizer assim um “tipo” de KJV, assim como A Almeida Corrigida Fiel é um “tipo” de Tradução Almeida …

  • O Protestante  On 2 de junho de 2012 at 21:20

    Legal… Eu só não entendo porque também não restauraram o Nome no NT…

    • Alexandre Martins TJ  On 7 de abril de 2014 at 9:12

      Na verdade os tradutores introduziram entre parênteses o nome Jehovah quando julgaram necessário esclarecer que o nome divino ocorria no texto do Novo Testamento:

      Mateus 3:3 – For this is he that was spoken of by the prophet Esaias, saying, The voice of one crying in the wilderness, Prepare ye the way of the LORD,( Jehovah Isa 40:3 ) make his paths straight.

      Mateus 4:10 – Then saith Jesus unto him, Get thee hence, Satan: for it is written, Thou shalt worship the LORD,( Jehovah Deu 10:20 ) thy God, and him only shalt thou serve.

      Mateus 5:33 Again, ye have heard that it hath been said by them of old time, Thou shalt not forswear thyself, but shalt perform unto the LORD,( Jehovah Deu 23:21; Ecc 5:4 ) thine oaths

  • Saga Oliveira  On 4 de junho de 2012 at 17:22

    http://www.unitarismobiblico.com/1/?p=497

    ” Jesus foi adorado? (Parte 1) Postado por VALDOMIRO
    Se Jesus não é Deus igual ao Pai o que dizer dos versículos onde se diz que as pessoas o adoravam?

    Para entendermos porque o verbo “adorar” é usado em aplicação a Jesus, precisamos primeiro descobrir qual a palavra original que foi vertida por “adorar” e qual é o seu significado dentro do contexto bíblico. Nas referências onde aparecem a tradução “adorar” ou suas conjugações, o correspondente grego é προσκυνέω (proskynô), que pode ser traduzido por “adorar”, “reverenciar”, “receber respeitosamente”, “inclinar-se”, “prostrar-se” e etc. A palavra indica também sinal de sujeição. Por vezes é usada juntamente com o verbo “πίπτω” piptô (cair por terra, denotando o movimento de prostrar-se). É mais uma palavra grega cuja falta de equivalente exato causa prejuízo no entendimento das Escrituras

    [...] Seguramente não é um termo de uso exclusivo no relacionamento do homem para com Deus. Os LXX traduziram a palavra correspondente do hebraico שָׁחַה (shachah) pelo seu equivalente grego προσκυνέω. Também usado para com os homens e falsos deuses, com relação a esses últimos, por ter conotação cultual, é terminantemente proibido por Yahweh.

    Encontramos “proskynô” sendo usado, por exemplo, em Gn. 23.7,12, quando Abraão se inclinou diante dos hititas [...] Jacó quando se reencontra com Esaú, ele juntamente com sua família se prostra diante de seu irmão [...] Rute também prostrou-se diante de Boaz Rt. 2.10 [...] I Sm. 2.36. Davi prostrou-se diante de Jônatas I Sm. 20.41.[...] A Bíblia diz: “Vendo, pois, Abigail a Davi, apressou-se, e desceu do jumento, e prostrou-se (ἔπεσεν) sobre o seu rosto diante de Davi, e se inclinou (προσεκύνησεν) à terra.” (I Sm. 25.23 – LXX) . O próprio Natã, profeta de Yahweh, portanto alguém muito cônscio de suas obrigações com Deus, “adora” (se o conceito trinitário fosse o correto a palavra seria “adora”) Davi em I Rs. 1.23
    [...]
    Todos essas ocorrências, e não somente as que se referem a Deus, poderiam ser traduzidas por “adorou”, “adoraram” e assemelhados, mas porque não foram? Simplesmente por opção do tradutor. [...] Pois bem, isso mostra que a visão que o indivíduo tem da passagem bíblica influi diretamente em sua compreensão do texto e na tradução produzida.

    Leiamos Mt. 2.2. [...] Será que os magos vieram do oriente para “adorar” um rei dos judeus? [...] Será que aqueles homens entendiam que o menino fosse o próprio Deus, nascido (?) por aqueles dias? Certamente o sentido de proskynô aqui é o mesmo daquele usado no Antigo Testamento para reverenciar líderes e reis, e os magos vieram prestar homenagem como a bem traduz a própria BJ: “… vimos a sua estrela no seu surgir e viemos homenageá-lo”. Era natural para um rei ser reverenciado, isto fica evidenciado até mesmo pelos soldados romanos responsáveis por punirem Jesus antes de sua crucificação, ironizando dizem: “Salve, Rei dos Judeus … e postos de joelhos o adoravam”. A bíblia do Peregrino prefere “prestavam homenagem” ao referir-se a ação dos soldados. “Adorar” aqui, ainda que por escárnio, é sem dúvida, reverenciá-lo como um rei dos judeus e não como um Deus cultual, até porque os romanos não tinham ao Pai de Jesus como seu Deus, nem a Jesus mesmo como Deus [...] As próprias ofertas dadas pelos magos revela o tríplice ministério de Jesus, ouro (rei), incenso (sacerdote) e mirra (profeta). Eles não ofereceram ao menino algum animal imolado como se estivesse sacrificando a Deus. Pelo que se percebe, os magos não o estava considerando Deus, mas alguém que teria ofícios dignos de honra aqui na terra, um Rei.

    Os fariseus acusaram Jesus de muitas coisas, mas nunca o acusaram de haver incitado o povo a adorá-lo, prestar-lhe culto, nem mesmo acusaram alguém de o adorar, e isto é significativo

    Veja o caso do cego de nascença que fora curado por Jesus. Naquele relato encontramos, Jo. 9.38-40 “Ele disse: Creio, Senhor. E o adorou. 39 E disse-lhe Jesus: Eu vim a este mundo para juízo, a fim de que os que não vêem vejam, e os que vêem sejam cegos. 40 E aqueles dos fariseus, que estavam com ele, ouvindo isto, disseram-lhe: Também nós somos cegos?”.

    Se adorar Jesus tem sentido cultual [...] como pode os fariseus ávidos por incriminarem Jesus, presenciarem o “culto” do cego ao Senhor e se incomodarem apenas com a insinuação de que Jesus os havia chamado de cegos? [...] Achar que os judeus estavam por toda parte adorando ou vendo os outros adorarem alguém que não o próprio Yahweh, o Pai, e fechados os olhos a isso é negar a realidade do monoteísmo zeloso do judaísmo e a historicidade factual da Bíblia.

    A insistente tradução de προσκυνέω (proskynô) por “adorar” em nossas Bíblias, em especial no NT, causou, inclusive, uma situação esdrúxula: Jesus estaria dizendo que certas pessoas deveriam adorar outras. Vemos isso em Ap. 3.9 [...] Será que haverá pessoas que vão adorar os crentes da igreja de Filadélfia?

    Há quem cite Hb. 1.6 [...] mas ai, na verdade, tem-se outra atestação de que Ele não é Deus, pois os anjos não precisam receber ordem para adorar a Deus [...] Se eles receberam ordem de “adorar” alguém, então tal “adoração” já teria sido uma concessão do SER de onde partiu a ordem. Logo, se percebe que a palavra “proskynô” traduzida nesse verso por “adorem” não é a melhor opção.

    Um homem e Deus são conjuntamente “adorados” (claro se a requisição trinitária fosse verdadeira) pelo mesmo povo hebreu em I Cr. 29.20, Davi e Yahweh, na Septuaginta lemos: “κάμψαντες τὰ γόνατα προσεκύνησαν τῷ κυρίῳ καὶ τῷ βασιλεῖ”. A Almeida Corrigida Fiel traduziu por “inclinaram-se, e prostraram-se perante o SENHOR e o rei”. [...] Agora medite, se ao invés de Davi o verso fosse no Novo Testamente e estivesse falando de Jesus, então, qual seria a preferência dos tradutores trinitários? Certamente o verbo proskunô ali seria “e inclinaram-se e adoraram o SENHOR e Jesus”. “

    [Se quiser, Queruvim, pode ler este comentário e recusar de aceita-lo para evitar ocupar muito espaço da ala de comentários. Grato pela atenção]

  • josé roberto de araujo  On 5 de junho de 2012 at 19:35

    Quando observamos, o que há por trás de algumas traduções da bíblia ao não colocar o nome de deus no seu devido lugar,notamos que há muitos interesses envolvidos(dinheiro, cargos religiosos, salários de pastores e muito mais) N0 entanto como é bom saber que existe um povo que magnifica o nome de Jeová Deus, que não tem vergonha ou medo de usalo publicamente e defendelo, por isso Jeová as chama de minhas Testemunhas. isaias 43;10-12.

  • Saga Oliveira  On 6 de junho de 2012 at 15:30

    “há muitos interesses envolvidos(dinheiro, cargos religiosos, salários de pastores e muito mais)”

    De fato, se valer do nome de “Jeová” é muito suspeito As pessoas tem uma rejeição forte a essa palavra e temem ser misturados ou confundidos com TJs. Existe um preconceito e rancor contra tal palavra, se nota que em geral as pessoas preferem sim ficar com “SENHOR” e que os textos rezem assim! Ajuda muito aos pastores confundir o Senhor Jesus com o Senhor Jeová, quando se usa “Senhor” como sendo equivalente ao Nome Divino, assim quando dizem ou leem “Jesus é o Senhor” para eles significa que Jesus é Deus e Jesus é nosso “único Senhor” *1 Cor 8:5,6* é sinônimo de “nosso único Deus”. Parece ridículo, mas existem fortes motivos trinitários na ocultação do nome divino.

    Isso porque não citei os motivos ecumênicos, de ser evitar nomear a deidade para que não exista distinção entre os vários conceitos de “Deus” das religiões (Brahma, Shiva, Alah, G.A.D.U, Jesus, Aura-Mazda, Cernunnos,Gaia, Olorum, Nzambi) e o outro motivo é (em vista de um preconceito ANTISEMITA) que : se distinga o “deus bonzinho do Novo Testamento” do “deus malvado e severo do Antigo Testamento” ; assim ; muitos creem em “Deus”, mas quanto a crer em “Jeová”, elas tem aversão, pois seria “o deus zangado dos barbaros e selvagens hebreus que mandava fogo, diluvio e aceitava sacrificios” . Vejam que ainda hoje a pergunta “QUAL DEUS?”, ainda é relevante …

  • Fabio  On 11 de junho de 2012 at 22:41

    A The Divine Name King James Bible servirá também para que os críticos da TNM possam entender que não há nenhuma adulteração pela Comissão de Tradutores da TNM em Revelação Apocalipse 1:8. Agora a The Divine Name King James Bible traduz:
    “I am Alpha and Omega, the beginning and the ending, saith the LORD( God Jehovah Isa 44:6; Gen 17:1; Exo 6:3 ), which is, and which was, and which is to come, the Almighty.”
    Além dela, temos a versão An American English Bible que traduz esse mesmo texto assim:
    ‘I am the Alpha and the Omega,’ says Jehovah The God; ‘He who is, who was, and who’s coming… the Almighty.’
    Para quem “torcia” esse versículo dizendo que referia a Jesus, e ainda acusa as TJ de adulteração, poderão agora também “reclamar” com essas traduções.

    • O Protestante  On 28 de junho de 2012 at 19:25

      E com a Reina-Valera em português também!
      “Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, diz o SENHOR Deus, Aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-poderoso. ” – Apocalipse 1:8(nota: como SENHOR está com todas a letras em maiúsculo, isso significa que se refere a Jeová)

      • Saga Oliveira  On 13 de julho de 2012 at 3:22

        Existem alguns textos no NT, que mesmo não sendo citações diretas do AT que claramente se ve que “Kyrios” [O Senhor) ali se refere ao Nome Divino e não ao título “senhor”, este [Ap1:8] é um caso. Outros seriam expressões tais como o “Anjo do Senhor” que teria o sentido obvio de o “Anjo de Jeová” (São “Kyrios” sendo usado como um sinônimo de “ADONAY” -O Deus Hebreu, “Adonai” é o termo que os judeus usam para substituir “YHWH”- e não de “Adon” ou “Adoni” -que são as palavras usadas para um senhor humano como um Amo ou um Rei) .

        Então não são apenas textos do NT que são citações do Antigo como:
        – “Ouve ó Israel, Jeová, nosso Deus é um…” e “à Jeová, teu Deus, adorarás” ou ainda “Jeová disse a meu Senhor” que poderiam ser transcritos para nossa língua com o Nome de Deus. _ De toda forma julgo que ao menos estes textos que irrefutavelmente fazem menção originalmente a Tetragrama deveriam as traduções também optar por recolocar o nome do Senhor Deus ali para beneficio dos leitores.

        (Outras passagens são mais difíceis de se distinguir se Senhor se refere ao Pai ou ao Filho. A própria TNM se abstem em algumas dessas e mantem como “Senhor” mesmo, como a resposta que “O Senhor” deu à Paulo quando este pediu para livra-lo de seu espinho na carne. Já vi comentários da STV sobre esse incidente em que ela o trata como referência ao Pai, embora a TNM não tenha se decidido por colocar “Jeová” neste versículo.)

  • silvio  On 20 de julho de 2012 at 17:57

    as testemunhas de jeova jas fas isso a muito tempo, é voces estao aprendendo a usar o nome divino.

  • Cássio A. Oliveira  On 16 de outubro de 2012 at 11:58

    Gostaria de saber, se alguém souber e puder me responder, se a versão em portugues da Reina Valera, também mantém o nome Jeová, como na versão original espanhola.

    • O Protestante  On 20 de novembro de 2012 at 22:15

      Eu tenho uma, e até onde eu percebi, não mantém…

  • Flavio Bispo da Silva  On 18 de novembro de 2012 at 16:19

    poxa fiquei feliz em saber que essa tao respeitada traduçao produziu uma ediçao com o nome divino restaurado : como disse os israelitas no monte carmelo :”Jeová é o verdadeiro Deus”

  • Alexandro dias freitas  On 16 de dezembro de 2012 at 2:47

    em atos dos apostolos cap 26v14 temos uma narrativa muito interessante! que diz,´´todos caimos no chao.Entao ouvi a voz dizer-me em hebraico´´.visto que a voz falou em hebraico e todo o dialogo entre os dois personagem no texto propriamente dito ou seija,entre yeshua(jesus no portugues)e sha´ul(paulo em portugues)se deu em hebraico.Entao o filho de Yahweh(Deus)jamais poderia ter pronunciado o nome jesus e sim Yeshua que e o seu nome no original da lingua hebraica o qual os y´hudim(judeus em portugues) conheciam e estavam familiarizados,embora sha´ul fosce poliglota pois segundo os comentaristas o mesmo falava cinco idiomas e dentre os cinco idiomas em que ele falava o nosso Adonai preferiu se comunicar e se revelar para sha´ul atravez do seu poderoso nome na lingua hebraica nome este aqual esta composto em seu nome proprio o nome do soberano Yah revelado na sarça ardente sinbolizando a vida inesgotavel de Yahweh como o Deus eterno que estar composto em seu filho eterno Yeshua.que Adonai abençoe a todos em nome de Yeshua Hamashiach(Jesus o Cristo).

  • Eduardo José F. Mari  On 20 de maio de 2013 at 22:22

    É maravilhoso saber que uma tradução tão antiga, apreciada e prestigiada como a Versão King James restabeleceu o Sagrado Nome Divino ao seu lugar de direito. Mais que o trabalho humano dos seus editores, é a mão do próprio Jeová que está direcionando tudo para que mais pessoas sinceras venham a conhecer e amar o Seu grandioso Nome tão cheio de significado!

  • Eduardo José F. Mari  On 20 de maio de 2013 at 22:31

    Que os editores da King James Version possam também, em breve, restaurar o Nome de Jeová nas 237 ocorrências no ‘Novo Testamento’ para que os sinceros possam, por fim, distinguir nosso salvador Jesus de seu Grandioso Pai celestial e nosso Deus Supremo, Jeová!

  • Alberto  On 14 de setembro de 2013 at 23:35

    Bom saber que as pessoas estão percebendo que,o nome divino foi cruelmente,preso amarrado ,escondido, por alguns que na verdade estavam sendo controlados por forças , que os leitores sabem muito bem não ser humanas. Que todos usem e proclamem esse nome que faz o “inimigo” tremer.

  • josé flávio farias vieira  On 12 de novembro de 2013 at 0:08

    O certo é que todos os tradutores nunca tivessem alterado uma vírgula, quanto mais textos ou palavras pois a falta de uma vírgula muda toda leitura que o Senhor tenha misericórdia de todos nós que somos leitores

  • jesue  On 30 de novembro de 2013 at 18:20

    Quem me dera se todos tradutores seguissem o mesmo exemplo da tradução king james com respeito o nome divino

  • mateus  On 6 de abril de 2014 at 23:33

    quem me dera se todos tradutores tranliteracem correto o YHVH, pois nomes não pode ser traduzido, e transliterar o YHVH para jeová é um grande erro, no hebraico não tem j, e o nome do eterno não é latino.

    • Queruvim  On 7 de abril de 2014 at 1:07

      Então o nome “Jerusalém” não existe e todos os léxicos respeitados feitos por eruditos tanto católicos como evangélicos estão errados.(BDB, STRONGS etc) Até mesmo a Encyclopedia Judaica está equivocada ao usar nomes com a letra J ao produzir sua obra em Inglês? Para mim os aderentes do “Movimento do Nome Sagrado” e outros que pensam igual a você, Mateus, são pessoas que perderam a noção do ridículo. Desconsideram que os Apóstolos ao escreverem o N.T não preservaram a pronúncia hebraica dos nomes de servos de Deus do A.T mas usaram seus equivalentes em grego. Já vou adiantando, não vou postar discussão a este respeito, visto que para mim é uma mistura de teoria conspiracionista mesclada com falta de informação. Se sairmos pelas ruas perguntando a vasta maioria das pessoas a este respeito, por exemplo, se conhecem “Iehoshúa”, elas dirão que NÃO! Se esta teoria do J fosse algo sério, significaria que milhares jamais ouviram falar no nome de Cristo, por exemplo. Segundo alguns, o nome não é “Jesus”. Uma minoria inexpressiva é que já ouviu esta forma “Iehoshúa”. Estamos no Brasil meu velho. Rebeca se diz em hebraico “Rivka”. Só falta alguém dizer que se deve contestar cada nome latinizado.

  • Alexei  On 7 de abril de 2014 at 8:17

    Ai… que pancada!!!!!

  • epistolas  On 7 de abril de 2014 at 13:47

    Tem um ponto interessante nesse debate. Por que Jesus geralmente chama Jeová somente de meu Deus, meu Pai, Deus ou Pai ? Com exceção das citações das Escrituras Hebraicas, Jesus nunca chama seu Deus e Pai de YHWH (Jeová). O mesmo acontece nas saudações apostólicas, que citam Deus e não Jeová. A minha tese é a seguinte: na era cristã, devido a restaurada filiação por meio do sacrifício de Cristo, passou a ser comum a relação dos cristãos com Jeová, mediante o uso do termos Deus e Pai. Por isso, não discordo das traduções que optaram por não usar o Tetragrama nas Escrituras Gregas. Já nas Escrituras Hebraicas, sou totalmente a favor da postura da Tradução do Novo Mundo.

    • Queruvim  On 7 de abril de 2014 at 17:31

      Você reconhece que o Nome pode ocorrer em citações do V.T mas ao mesmo tempo diz que não discorda dos que omitem o Nome no N.T. O próprio Jesus na páscoa lia os salmos de Hillel onde o Nome de Deus ocorre com bastante frequência. Só falta dizerem que ao ler os salmos de Hillel Jesus evitava pronunciar o Nome! Meus amigos, vamos mergulhar no texto da palavra de Deus e ver além da superfície. O alimento sólido requer profundidade de estudo e bom senso junto com espírito santo.

    • Saga  On 7 de abril de 2014 at 19:16

      Esse epístolas, tem cada uma.

      Jesus nos evangelhos se refere insistentemente ao Pai para frisar que ele é o Filho, o Filho de Deus, destacar ao seu relacionamento intimo e achegado ao Pai (Notem João 1:18 e 3:16), como no caso de chamarmos o nosso pai humano de “pai”, é mais comum o chamarmos de pai, painho e paizinho não? Quanto aos seus discípulos, deveriam pensar em Deus como um Pai amoroso, esta a faceta de Deus que Jesus veio revelar ou reforçar para quem ainda tinha uma imagem Dele meramente como o guerreiro “Jeová dos Exércitos”, vemos no Novo Testamento o uso do termo “ABBA”, onde aqueles que foram feitos filhos de Deus são adotados pelo Pai de Jesus Cristo como parte de sua família celestial, se juntando aos anjos (que também são filhos de Deus).

      Isto não nega que o nome de Deus seja Jeová e nem sugere alguma mudança neste respeito, ao citar as Escrituras, Jesus usa o nome de seu Pai normalmente, mas quer reforçar na mente dos seus ouvintes judeus que Deus é um amoroso Pai Celestial.

      Aos gentios se quer frisar tanto que seus Deus agora será um só, quanto que este Deus a quem servem como cristãos é o Pai de Cristo Jesus. Quando Elias fez seu desafio no carmelo, era obrigado a dizer “Jeová” para confrontar a referência a “Baal”, não bastaria dizer “D-E-US” pois isto Baal também era, então o profeta diz “Se Jeová é Deus segui-o, mas se é Baal segui-o”, falar “Se Deus é Deus siga, mas se Baal é Deus” não teria sentido. Os profetas queriam frisar algumas coisas como: que Jeová é o Deus nacional deles, o Deus com que se pactuaram no monte, aquele que apareceu a Moisés, o Jeová dos Exércitos, Deus das fileiras combatentes dos reis de Israel.

      Nos seu discurso em Atenas, Paulo usou “Theos” para aproveitar o altar que viu dedicado ao “Deus Desconhecido”, então ele veio apresentar a eles o conceito deste “Theos” que os gregos desconheciam

    • I am Jw  On 8 de abril de 2014 at 9:44

      Um filho que é bastante achegado ao pai raramente o chama pelo nome. Não é de admirar que Jesus sempre se refira carinhosamente a Jeová como “meu Pai”, “meu Deus”. Perceba nisso o amor e achego que Jesus tem por Jeová.

  • JOCIVAL SILVA COSTA  On 7 de abril de 2014 at 17:34

    E TODOS TERÃO DE SABER QUE EU SOU JEOVÁ, ESSE É O MEU NOME…Já perceberam que isso é uma profecia se cumprindo?

  • epistolas  On 7 de abril de 2014 at 21:21

    Você está correto, Queruvim. Estava me referindo somente aos casos que não são citações do VT. Nas citações do VT também concordo com a postura da TNM. Mas, quando não são citações, tanto Jesus como os apóstolos comumente se referiam a Jeová com o termo Deus ou Pai. Mesmo assim, as chances de algumas referências diretas ao Tetragrama terem sido substituídas por Senhor nas Escrituras Gregas são grandes.

    • Saga  On 8 de abril de 2014 at 15:44

      Mesmo assim, as chances de algumas referências diretas ao Tetragrama terem sido substituídas por Senhor nas Escrituras Gregas são grandes

      A maior consequência que se nota é uma confusão de senhores, em vista do título de majestade para o amo dos cristãos, Jesus, como sendo Nosso Senhor.
      A eliminação do nome do Deus hebraico causa este efeito colateral,

      casos que não são citações do VT

      Veja só:

      Anjo do Senhor – Existe alguma ocorrência na Escritura a respeito de um Anjo do Senhor, ou Anjo de Adonay ou Anjo de Adoni? Não? Então isso demonstra que a intenção do evangelista ali onde lemos Anjo de Kyrios é se referir ao Anjo de JEOVÁ.

      Senhor dos Exércitos – Existe alguma ocorrência na Escritura a respeito de um Adon dos Exércitos, Adoni dos Exércitos ou Adonay dos Exército? Não? Então isso demonstra que a intenção do escritor cristão ali onde lemos falando Kyrios dos Exércitos é falar do JEOVÁ dos Exércitos.

      Lei do Senhor – Faça uma pesquisa na Escritura, você achou Lei de Deus? Ok, agora Lei do Senhor não, nada de Lei de Adonay, as referências indicam Lei de JEOVÁ como sendo a leitura correta.

      Senhor Deus – Faça uma busca nas Escrituras, você acha a expressão “JEOVÁ Deus” né? E quanto a Adonay Elohim, Adoni El, será que estas expressões tem precedência para entendermos como sendo a referência hebraica para a expressão grega “Kyrios Theos” ?

      Senhor Deus Todo Poderoso – Essa é similar a de cima, pesquise, busque, então compare a relação que existe entre as palavras Jeová [YHWH] + Deus [El, Elohim] + Todo Poderoso [Shaday]. compare com as palavras Senhor [Adonay, Adoni, Adon] + Deus [El, Elohim] + Todo Poderoso [Shaday]. Será que quando o NT usa Kyrios + Theos + Pantokrator ele não está falando daquele que é previamente descrito nas Escrituras como sendo o El Shaday, JEOVÁ [Jeová Deus Todo Poderoso] ?

      Jeová ou Senhor? Deus de Abrão, Deus de Isaque e Deus de Jacó – Será que dizer que o Deus de Abraão, Isaque e Jacó é o “Senhor”, não seria algo fora da curva? Este é o padrão bíblico? O Deus denominado por esta expressão não seria sempre referido como sendo JEOVÁ? O NT modificou isso e agora este não é mais referido como sendo “YHWH”, mas como “Kyrios” ?

      Nestes casos acima a TNM das Escrituras Gregas Cristãs, remetendo ao uso das Escrituras Hebraicas como autoridade faz uso do nome de Jeová com consciência de que os fatos estão a favor de sua escolha, ela faz uso deste nome mesmo que o versículo não seja uma citação [quote] direto do VT, se for uma alusão ou usar umas dessas expressões chave que citei acima, ela já julga ter justificativa o suficiente para restaurar o nome divino.

      Em vista do problema que primeiro citei, a TNM percebe a problemática que senhores que rola no NT, por isso usa “Jeová” também como forma de diferenciar o Pai e o Filho, leu a passagem, notou que o Kyrios referido não é Jesus Cristo? Então é seu Deus e Pai, Jeová, e a comissão do NM incluiu o nome de Jeová para auxiliar o leitor a diferencia-lo do Senhor Jesus ali na passagem em questão.

      “Mas Saga”, alguém dirá, “não poderia ali no verso que Deus Pai esteja sendo referido como “Senhor” [Kyrios] sem que isso seja uma referência ao tetragrama hebraico? Afinal o Pai também é Senhor e este também é um dos legítimos títulos de Deus”.

      Ao que eu respondo, até existiria tal possibilidade, porém, notamos que: As Escrituras não tem como costume chamar a Deus de “Senhor” assim, simplesmente usando ADONAY como um título isolado, ela usa “Adonay YHWH” ou “Adonay YHWH Elohim”, quer dizer, “Adonay” é um termo bíblico usado em EM CONJUNTO com “YHWH”!

      Isso é algo que traduções como a Almeida e a King James fazem seus leitores perderem de vista. Embora eles -os devotos religosos- muito chamem à Deus assim: “SENHOR” e de “LORD GOD”, na verdade biblicamente falando as expressão costumeiramente usada é “Soberano Senhor JEOVÁ” e “JEHOVAH God”!

      Isso demonstra que as referências ao Pai de Jesus Cristo como “Kyrios” no NT -em passagens que não são citações diretas do AT-, tem toda a possibilidade de serem referentes ao tetragrama hebraico “Yhwh” e não ao termo hebraico Adonay, pois é incomum que este seja usado sozinho, sem o complemento do próprio nome divino.

      • Saga  On 8 de abril de 2014 at 15:52

        Para quem não entendeu, neste comentário anterior eu estava falando sobre como agir quando a passagem neotestamentária não é uma citação direta de um texto bíblico das escrituras hebraicas; nestes casos como saberemos se devemos entender o termo grego “Kyrios” como sendo usado para título Senhor [que em hebraico se diz, Adon, Adoni ou Adonay] ou como sendo uma substituição feita para o nome Jeová [o tetragrama hebraico Yhwh] ?

        Eu disse que mesmo nestes casos existe base bíblica para se ler a passagem neotestamentária com o nome divino nela. Para se entender tal passagem o principal a se fazer é voltar as Escrituras Hebraicas e se ler no contexto se a passagem é uma referência ao Filho de Deus.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 252 outros seguidores