Unicórnios na Bíblia ?

 

Unicornios

A Bíblia não faz nenhuma referência a unicórnios. Algumas antigas versões do latim erraram ao traduzir a palavra hebraica original. Palavra esta prontamente reconhecida pelos que falam hebraico e nada tem que ver com tal animal mitológico de contos fantasiosos.

(Obs.: o chamado Velho Testamento foi escrito em sua maior parte em hebraico e o “Novo Testamento” foi escrito em grego)

Como esta página tem repetidamente denunciado , muitas versões da bíblia tem confundido e até mesmo promovido a descrença devido a traduções muitas vezes arcaicas com linguajar pesado e impalatável para o jovem e outros que já não mostram muita predisposição a leitura, muito menos leitura pesada e cheia de arcaísmos e inexatidões.

A palavra hebraica re´em (רֶאֵם ‎‎) é vertida “unicórnio” na Tradução da Bíblia King James Version, sendo esta uma versão que foi praticamente seguida por muitas outras versões da Bíblia em várias partes do mundo. Contudo, traduzir re´em por “unicórnio” é errado , visto que este termo é usado amplamente nas Escrituras do chamado Velho Testamento com referência a um Touro selvagem que era muito comum nos dias do antigo Israel.

 O Salmo 22:21 usa a palavra re´em que é usada pelos judeus com referência ao touro selvagem e não a um animal mitológico de um só chifre. A Vulgata Latina  ( Uma tradução da Bíblia para o Latim) produzida no 4º século,  começou com perpetuar um erro ao verter erroneamente a palavra hebraica encontrada na Bíblia  por “unicórnio”.

Latin: Biblia Sacra Vulgata
……………………………………………………………………..
Salmo 22:21:

” salva me ex ore leonis et de cornibus unicornium exaudi me”

A KING JAMES VERSION a seguiu neste erro:”

King James Bible
“Save me from the lion’s mouth: for thou hast heard me from the horns of the unicorns“.

PARA UMA CONSIDERAÇÃO ETIMOLÓGICA  e filológica sobre o RE´EM clique aqui

A arqueologia tem apresentado fortes indícios de que o  re’em  era o rimu caçado pelos assírios na mesopotâmia. Depende do ângulo em que se observava este animal ele parecia ter apenas um chifre o que deu origem ao nome “unicórnio” muito embora re´em não pareça ter este significado. A Bíblia na Versão Rei Jaime, em Inglês King James Version, seguiu a versão Septuaginta bem como a Vulgata latina de Jerônimo em sua tradução de re´em por “unicórnio”. Afirmo que não é aceitável usar tal tradução hoje devido a implicação mitológica moderna dada a esta palavra. Sendo que a Bíblia é  um livro de fatos e não mitologia como dizem muitos.

A maioria das Traduções modernas decidiram corrigir este erro de modo que  verteram corretamente RE´EM por “Boi” ou “Touro selvagem.”

A definição de RE´EM verá aqui :

http://dictionary.reference.com/browse/R…

A Biblia não é um livro de Mitos como muitos sugerem de modo critico.Traduções fantasiosas como a encontrada na King James Version (a equivalente da Almeida aqui no Brasil usada pela Igreja Evangélica Americana) contribuíram muito para o descrédito e mitificação da palavra de Deus.

Não raro,  muitos historiadores desacreditavam personagens da Biblia , só para serem frustrados com descobertas arqueologicas que repetidamente confirmam  relatos das Escrituras.

Em nenhuma destas passagens se sugere um animal de “um só chifre”.
A Arqueologia sugere claramente (nas escavações feitas na Mesopotâmia) , que animal era o Re´em  ou “Touro Selvagem”.

 

Este animal é extinto.

A revista Creation página 25­28 dá detalhes sobre este assunto e desbanca a tradução da King James Version. De fato, muitas Bíblias traduzem RE ´ EM seguindo a KJV. Mas atualmente sabe-se que era um animal comum da antiguidade,  o RE´EM, sendo este animal desconhecido por nós aqui na America e em outras partes do mundo. Acredita-se também que o Elasmotherium deu origem ao mito moderno do Unicórnio, como descrito por testemunhas na China e Pérsia.

Pintura de Heinrich Harder

Elasmotherium ( figura acima) ou rinoceronte-de-chifre-grande viveu há 200 mil anos durante o Pleistoceno. Era um parente próximo dos atuais rinocerontes porém era três vezes maior, seu chifre podia chegar a quase 2 metros de comprimento. Viveu junto de mamutes, tigre-dentes-de-sabre, ursos e outros animais pleistocênicos, provavelmente umElasmotherium adulto não deveria temer muito os predadores de sua época.

Por que a Bíblia é diferente de qualquer outro livro?

ÍNDICE sobre a Bíblia na Biblioteca mais interessante que existe na internet

Não estou satisfeito com minha vida — será que Deus, a Bíblia ou a religião podem ajudar?Veja a resposta

PODERÁ SABER QUAL É A VERDADEIRA MENSAGEM DE DEUS PARA VOCÊ POR LER ESTE ARTIGO

fg_T

 

Observe o que a w92 1/6 31 diz sobre “unicórnios”:

Apóia a Bíblia a existência de unicórnios, mencionados em algumas versões?

 

“Na versão de João Ferreira de Almeida, edição revista e corrigida, na versão de Matos Soares, e em outras, mencionam-se unicórnios. Mas o mesmo não fazem versões modernas que vertem o hebraico com exatidão. — Salmo 22:21; 29:6; 92:10 (21:22; 28:6; 91:11, Matos Soares). No decorrer dos séculos surgiram muitos mitos a respeito dum animal com corpo e cabeça de cavalo, mas com pernas de veado e cauda de leão. O aspecto mais distintivo desta criatura lendária talvez seja o único chifre retorcido na sua testa.

“Antigamente, as pessoas acreditavam que o chifre do unicórnio continha um antídoto contra veneno, e durante a Idade Média, vendiam-se pós supostamente produzidos de tais chifres por preços exorbitantes. A maioria dos peritos acredita que o unicórnio surgiu de boatos europeus sobre o rinoceronte.” (The World Book Encyclopedia)

Certos monumentos assírios e babilônicos mostram animais de um só chifre. Estes são agora reconhecidos como veados machos, íbex, vacas e touros retratados de perfil, ângulo que não deixava ver os dois chifres. Isto é de certo interesse para estudantes da Bíblia, porque as Escrituras mencionam nove vezes um animal pelo termo hebraico reʼém. (Números 23:22; 24:8; Deuteronômio 33:17; Jó 39:9, 10; Salmo 22:21; 29:6; 92:10; Isaías 34:7) Por muito tempo, os tradutores não tinham certeza a que animal ele se referia. A Septuaginta grega verteu reʼém com o sentido ‘de um só chifre’, ou unicórnio. A Vulgata latina freqüentemente traduz o termo por “rinoceronte”. Outras versões usam ‘boi silvestre’, ‘touro selvagem’ ou ‘búfalo’. Robert Young simplesmente translitera o hebraico para o inglês como “Reem”, basicamente deixando o leitor no escuro.

Peritos atuais, porém, eliminaram grande parte da confusão sobre o reʼém. Os lexicógrafos Ludwig Koehler e Walter Baumgartner mostram que significa ‘bois selvagens’, com a identificação científica de Bos primigenius. Trata-se duma “subfamília da família dos ungulados de chifres grandes”. A New Encyclopædia Britannica explica:
“Certas passagens poéticas do Velho Testamento referem-se a um forte e esplêndido animal chifrado chamado reʼém. Esta palavra é traduzida ‘unicórnio’ ou ‘rinoceronte’ em muitas versões, no entanto, muitas traduções modernas preferem ‘boi selvagem’ (auroque), que é o sentido correto da hebraica reʼém.”

Visto que o sentido atual de “boi” é também o de um touro castrado, a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas verte reʼém coerente e corretamente por “touro selvagem”. O auroque (boi ou touro selvagem) parece ter ficado extinto lá pelo século 17, mas os cientistas deduziram que ele era bastante diferente do unicórnio das lendas. O antigo auroque tinha a altura de cerca de 1,8 metro e o comprimento de uns 3 metros. Pesava talvez uns 900 quilos, e cada um dos seus dois chifres podia ter mais de 75 centímetros de comprimento.

Isto certamente concorda com a menção bíblica do reʼém, ou touro selvagem. Ele era famoso pela sua força e sua disposição intratável (Jó 39:10, 11), bem como pela sua velocidade. (Números 23:22; 24:8) Pelo visto, tinha dois chifres, não um só como o lendário unicórnio. Moisés mencionou estes chifres ao ilustrar as duas poderosas tribos que descenderiam dos dois filhos de José. — Deuteronômio 33:17.
De modo que a Bíblia não apóia a idéia de unicórnios, renomados nas lendas. Apresenta um quadro exato, embora limitado, do auroque, ou touro selvagem, robusto e atemorizante, que existiu nos tempos bíblicos e até num passado não muito distante.O Professor Paul Haupt explica:

Em coleções medievais, chifres de rinoceronte ou a defesa do narval (também chamado licorne do mar ou unicórnio do mar) figuravam como chifre do unicórnio.´”

 

 

 

Links Adicionais para pesquisa:

CONSIDERE EVIDÊNCIAS DE QUE A BÍBLIA É AUTENTICA e NÃO MITOLOGIA 

Criou Deus o Mundo em 6 dias de 24 horas? 

Contradições na Bíblia? 

contador de visitas
contador de visitas

About these ads
Both comments and trackbacks are currently closed.

Comentários

  • Jairo  On 5 de julho de 2011 at 2:12

    A AFIRMAAÇÃO DE QUE A BÍBLIA NÃO É UM LIVRO DE MITOS É TOTALMENTE FALSA, JÁ QUE DEUS, QUALQUER UM, DE QUALQUER TIPO É MITO.

    DEUSES SÃO MITOS E NÃO HÁ NADA NO MUNDO QUE MUDE ISSO.

    • queruvim  On 5 de julho de 2011 at 18:15

      Prezado leitor,
      NINGUÉM nunca foi bem-sucedido em desafiar a exatidão histórica da Bíblia. Ela faz referência a pessoas reais e a acontecimentos reais.

      Pessoas. Os críticos da Bíblia questionavam a existência de Pôncio Pilatos, o governador romano da Judéia que entregou Jesus para ser pregado numa estaca. (Mateus 27:1-26) A evidência de que houve um governador da Judéia chamado Pilatos está gravada numa pedra descoberta em 1961, na cidade portuária de Cesaréia, no Mediterrâneo.

      Antes de 1993, não havia evidência histórica fora da Bíblia de que Davi, o jovem e corajoso pastor que depois se tornou rei de Israel, realmente existiu. Mas, nesse ano, os arqueólogos descobriram no norte de Israel uma pedra de basalto, datada do nono século AEC, que, segundo peritos, contém as expressões “Casa de Davi” e “rei de Israel”.

      Acontecimentos. Até pouco tempo atrás, muitos eruditos duvidavam da exatidão do relato bíblico que fala da batalha entre a nação de Edom e Israel nos dias de Davi. (2 Samuel 8:13, 14) Eles afirmavam que na época Edom era uma sociedade simples e pastoril, que só teve a organização e o poder necessários para constituir ameaça a Israel muito tempo mais tarde. No entanto, escavações recentes indicam que “Edom era uma sociedade complexa séculos antes [do que se costumava pensar], conforme revela a Bíblia”, declara um artigo na revista Biblical Archaeology Review.

      Títulos corretos. Muitos governantes surgiram no cenário mundial durante os 16 séculos em que a Bíblia estava sendo escrita. Quando menciona um governante, ela sempre usa o título correto. Por exemplo, ela se refere corretamente a Herodes Ântipas como “governante distrital” e a Gálio como “procônsul”. (Lucas 3:1; Atos 18:12) Esdras 5:6 faz referência a Tatenai, governador da província persa “além do Rio” — o rio Eufrates. Uma moeda cunhada no quarto século AEC contém uma descrição parecida, que identifica o governador persa Mazaeus como governante da província “Além do Rio”.

      A exatidão em detalhes aparentemente insignificantes não é uma questão de menor importância. Se podemos confiar nos escritores bíblicos mesmo nos mínimos detalhes, não deveria isso aumentar nossa confiança nas outras coisas que eles escreveram?

      http://www.watchtower.org/t/200711/article_03.htm

  • Dino da silva sauro.  On 20 de novembro de 2011 at 23:45

    e sobre os dinossauros??????

    pq a biblia nao menciona eles? e eles viveram junto com os seres humanos??

    • queruvim  On 21 de novembro de 2011 at 0:24

      O que aconteceu com os dinossauros?
      “PALEONTOLOGIA é o estudo dos fósseis, e os fósseis são os restos de vida nas eras passadas.” Mas, como disse um paleontólogo, é “uma ciência altamente especulativa e opiniática”. Isto é evidente no que tange aos dinossauros. Alistando algumas especulações quanto ao que aconteceu com eles, o cientista G. L. Jepson, da Universidade de Princeton, declarou:
      “Autores, de variada competência, sugerem que os dinossauros desapareceram porque o clima se deteriorou. . . ou que a dieta se deteriorou. . . . Outros escritores puseram a culpa em doenças, parasitos, . . . mudanças na pressão ou na composição da atmosfera, gases venenosos, pó vulcânico, oxigênio em excesso proveniente das plantas, meteoritos, cometas, esgotamento do pool genético por pequenos mamíferos comedores de ovos, . . . radiação cósmica, mudança dos pólos gravitacionais da Terra, enchentes, deriva continental, . . . drenagem dos meios ambientes pantanosos e lacustres, manchas solares.” — The Riddle of the Dinosaur (O Enigma do Dinossauro).
      É evidente, à base de tais especulações, que os cientistas não conseguem, com qualquer grau de certeza, responder à pergunta: O que aconteceu com os dinossauros?
      Teoria da Extinção Súbita
      Uma teoria mais recente foi proposta por uma dupla de pai e filho, Luis e Walter Alvarez. Walter Alvarez descobriu, nos arrabaldes da cidade de Gubbio, na Itália central, uma curiosa e fina camada vermelha de argila, no meio de duas camadas de calcário na formação rochosa. A camada inferior de calcário apresentava uma abundância de fósseis. A camada superior era quase que inteiramente desprovida de fósseis, levando os geólogos a concluir que a vida havia subitamente desaparecido e que a camada fina e vermelha de argila tinha alguma relação com tal extinção.
      A análise revelou que a argila era rica em irídio (um metal), sendo 30 vezes mais rica do que a concentração normalmente encontrada nas rochas. Eles sabiam que tais altas concentrações deste elemento raro só poderiam provir do núcleo da Terra ou de fontes externas à Terra. Concluíram que o irídio foi depositado por enorme asteróide que atingiu a Terra, provocando a súbita extinção dos dinossauros.
      Depois da descoberta da argila enriquecida de irídio em Gubbio, encontraram-se depósitos similares em outras partes do mundo. Corroborava isto a hipótese do asteróide? Alguns cientistas permanecem cépticos. Mas, como reconhece o livro The Riddle of the Dinosaur, a hipótese Alvarez acrescentou “fermento fresco ao estudo da extinção e da evolução”. E o paleontólogo Stephen Jay Gould admite que ela poderia diminuir “a importância da competição entre as espécies”.
      Admite um redator de assuntos científicos, ao comentar esta nova teoria e a aparentemente súbita extinção dos dinossauros: “Eles poderiam abalar os alicerces da biologia evolucionista e pôr em dúvida o atual conceito da seleção natural.”
      O cientista David Jablonski, da Universidade do Arizona, EUA, conclui que ‘para muitas plantas e animais, a extinção foi abrupta e um tanto especial. As extinções em massa não são meramente os efeitos cumulativos de mortandades graduais. Aconteceu algo incomum’. Sua chegada também se deu de forma abrupta. A revista Scientific American comenta: “O súbito aparecimento de ambas as subordens dos pterossauros sem quaisquer antecedentes óbvios é bem típico dos fósseis.” Isso também acontece com os dinossauros. Seu aparecimento e desaparecimento relativamente súbitos contradiz o conceito comumente aceito de evolução lenta.
      A Datação dos Dinossauros
      Encontram-se regularmente ossos de dinossauros em camadas da Terra inferiores às de ossos humanos, levando muitos a concluir que eles pertencem a um período anterior. Os geólogos chamam a este tempo de era mesozóica e a subdividem nos períodos cretáceo, jurássico e triássico. Os esquemas de tempo usados para tais períodos acham-se na ordem de dezenas de milhões de anos. Mas, será que isto foi confirmado por qualquer grau de certeza?
      Um método utilizado para medir a idade dos fósseis é chamado de datação pelo radiocarbono. Este sistema de datação mede a taxa de decomposição do carbono radioativo a partir do momento da morte do organismo. “Uma vez um organismo morra, ele não mais absorve novo bióxido de carbono de seu meio ambiente, e a proporção do isótopo se reduz com o tempo, à medida que ele sofre decomposição radioativa”, declara a obra Science and Technology Illustrated (Ciência e Tecnologia Ilustrada).
      No entanto, esse sistema apresenta graves problemas. Primeiro, quando o fóssil é considerado como tendo cerca de 50.000 anos, seu nível de radioatividade já se reduziu tanto que há grandes dificuldades em detectá-lo. Em segundo lugar, mesmo em espécimes mais recentes, este nível já se reduziu tanto que ainda é extremamente difícil medi-lo com exatidão. Em terceiro lugar, os cientistas conseguem medir a taxa atual de formação do carbono radioativo, mas não dispõem de meios de medir as concentrações de carbono no passado distante.
      Assim, quer utilizem o método do radiocarbono para datar os fósseis, quer usem outros métodos, tais como o do potássio, urânio ou tório radioativos para datação das rochas, os cientistas não conseguem estabelecer os níveis originais desses elementos através das eras. Destarte, o professor de metalurgia Melvin A. Cook comenta: “A pessoa pode apenas adivinhar tais concentrações [de materiais radioativos], e os resultados sobre sua idade, assim obtidos, não podem ser melhores do que tal adivinhação.” Isso se dá especialmente quando consideramos que o Dilúvio dos dias de Noé, há mais de 4.300 anos, provocou enormes mudanças na atmosfera e na Terra.
      Os geólogos Charles Officer e Charles Drake, da Faculdade Dartmouth, ampliam as dúvidas quanto à exatidão da datação radioativa. Declaram eles: “Concluímos que o irídio e outros elementos associados não foram depositados instantaneamente. . . mas, em vez disso, que houve um intenso e variável influxo destes elementos constituintes durante um intervalo de tempo geológico relativamente curto, da ordem de 10.000 a 100.000 anos.” Eles argumentam que a separação e o deslocamento dos continentes perturbou o globo todo, provocando erupções vulcânicas, bloqueando a luz solar e conspurcando a atmosfera. Por certo, tais eventos perturbadores poderiam alterar os níveis de radioatividade, distorcendo assim os resultados dos modernos relógios radioativos.

      O Relato de Gênesis e os Dinossauros
      Ao passo que o método de datação radioativa é inovador, ainda assim se baseia na especulação e na suposição. Em contraste com isso, o relato da Bíblia, contido no primeiro capítulo de Gênesis, declara com simplicidade a ordem geral da criação. Dá margem a possivelmente bilhões de anos para a formação da Terra e de muitos milênios, em seis eras criativas, ou “dias”, de preparação da Terra para a habitação humana.
      Alguns dinossauros (e pterossauros) podem deveras ter sido criados na quinta era alistada em Gênesis, quando a Bíblia diz que Deus fez “criaturas voadoras” e “grandes monstros marinhos”. Talvez outros tipos de dinossauros fossem criados na sexta época. A ampla gama de dinossauros, com seu enorme apetite, teria sido apropriada, considerando-se a abundante vegetação que, evidentemente, existia em seu tempo. — Gênesis 1:20-24.

      Quando os dinossauros tinham cumprido seu propósito, Deus pôs fim à vida deles. Mas a Bíblia silencia sobre como ele fez isso, ou quando. Podemos estar seguros de que os dinossauros foram criados por Jeová com um propósito, mesmo que, na atualidade, não entendamos plenamente esse propósito. Não eram nenhum engano, nenhum produto da evolução. Surgirem eles repentinamente nos fósseis, sem terem ligação alguma com quaisquer antecessores fósseis, e desaparecerem também sem deixar elos fósseis de ligação, é evidência contrária ao conceito de que tais animais evoluíram gradualmente no decorrer de milhões de anos. Assim, os fósseis não apóiam a teoria da evolução. Em vez disso, eles se harmonizam com o conceito da Bíblia sobre os atos criativos de Deus.
      fonte
      G 08 Fev 1990

    • queruvim  On 21 de novembro de 2011 at 0:56

      Prezado leitor,
      A frase vertida “os grandes monstros marinhos” em Genesis na Tradução do Novo Mundo da Bíblia é uma frase que se refere aos dinossauros. (Em hebraico Ha Taniním Ha Gedolim )

    • Siro  On 2 de dezembro de 2013 at 11:42

      Menciona sim Dino. No livro de Jó tem uma passagem que Deus manda Jó avistar um ‘grande animal’ e ver sua formosura. Em Jonas, o profeta que recusou pregar em Nínive, foi tragado por um ‘grande peixe.’

    • Brenda  On 2 de dezembro de 2013 at 15:17

      Amigo, vamos por partes… Segundo a bíblia, o nosso tempo não é o mesmo tempo que o de Deus… Pra ele um dia pode ser um ano (ou bilhões)… Partindo desse princípio, o livro de Gênesis diz que todos os répteis da terra foram criados antes dos seres humanos… E o que são os dinossauros…?

      • Queruvim  On 2 de dezembro de 2013 at 20:05

        Brenda, o Apóstolo Pedro, que era um dos 12 Apóstolos de Jesus Cristo, escreveu em sua segunda carta (2 Pedro 3:8) “No entanto, não vos escape este único fato, amados, que um só dia é para Jeová* como mil anos, e mil anos, como um só dia”
        Isto está em harmonia com o que Moisés havia escrito 15 séculos antes e registrado no Salmo 90: 4: “Pois mil anos aos teus olhos são apenas como o ontem que passou E como uma vigília durante a noite…”

  • Ramon Barbosa Casais  On 18 de dezembro de 2011 at 1:20

    muito interessante, um fato que também comprovaria o dilúvio são as velhas sequoias, me parece que elas vivem muito, e num certo passado houve uma descontinuidade no seu crescimento, que é de aproximadamente 4000 anos atrás, e não são encontradas especimes vivas destas arvores com idade superior a 4000 o que poderia indicar um fenômeno extraordinário(dilúvio).

  • Gabriel  On 15 de fevereiro de 2012 at 16:14

    na bíblia católica ilustrada, existe uma pintura da arca de Noé quando ele leva os animais para dentro da arca, existem muitos animais e no horizonte da pintura tem um casal de unicórnios, não sei o que quer dizer mais que tem, tem. A pintura esta no museu metropolitano em Nova York,Nova York.

  • MAYCON CAMARGO  On 13 de março de 2012 at 1:46

    MUITO BOM O SEU ESTUDO SEI TAMBEM QUE DEUS SE ALEGRA COM HOMENS QUE ESTUDA A SUA PALAVRA POR QUE JESUS DERROTOU O INIMIGO NO DESERTO ATRAVEZ DA PALAVRA ESTA ESCRITO

  • queruvim  On 29 de maio de 2012 at 4:12

    ESTOU REMOVENDO COMENTÁRIOS DE PESSOAS QUE NÃO SABEM RESPEITAR. CONSIDERAÇÃO E RESPEITO É UM COMPORTAMENTO EXIGIDO PARA SE POSTAR AQUI NESTA PÁGINA. CASO DISCORDE DE ALGUM PONTO APRESENTADO, FAÇA-O COM CONSIDERAÇÃO. DEIXE O JULGAMENTO PARA DEUS. MATEUS 7:1

  • marileia  On 10 de agosto de 2012 at 20:27

    muito boas as eplicaçoes me tiraram muitas duvidas..

  • Roan Silveira  On 15 de outubro de 2012 at 12:10

    No relato em que Jeová providenciou um grande peixe para engolir Jonas, de modo que Jonas veio a ficar nas entranhas do peixe três dias e três noites. Teria como isto realmente acontecer?
    Como?

  • queruvim  On 17 de outubro de 2012 at 15:38

    A revista Despertai de 12 de Setembro de 2009 diz:

    “O tubarão-baleia é a maior espécie de peixe ainda viva, tendo em média 7,5 metros de comprimento. Mas alguns podem ter quase o dobro desse tamanho. Sua boca pode ter até 1,4 metro de largura, podendo engolir um homem com facilidade. Mas, longe de ser um feroz predador de outras grandes criaturas marinhas, esse dócil gigante se alimenta do minúsculo plâncton e de peixes pequenos.
    “A anatomia digestiva incomum do tubarão-baleia”, comenta a revista National Geographic, “torna provável as histórias sobre Jonas”, referindo-se ao relato bíblico sobre o profeta Jonas ter sido engolido por um grande peixe. Os tubarões-baleia têm “uma maneira inofensiva de se livrar de objetos grandes engolidos sem querer e que são difíceis de digerir”. — Jonas 1:17; 2:10″.

    E a Despertai de 22 de Outubro de 1981 apresenta o seguinte artigo:

    Jonas — uma história de ficção?
    A Bíblia diz que Jonas foi engolido por um grande peixe e sobreviveu por partes de três dias dentro daquele animal. Os críticos da Bíblia sempre apontaram para essa narrativa como evidência de que a Bíblia contém mitos e alegorias.
    Precisa a pessoa ser ingênua ou tola para crer na narrativa bíblica sobre Jonas? Três estudantes adolescentes estão considerando o assunto. Vamos participar com eles?
    Nancy: Nosso estudo hoje na aula de ciência foi sobre baleias e o Sr. Alfredo desacreditou realmente a Bíblia. Disse que a fábula sobre Jonas e a baleia é a maior história inventada que já se contou.
    Ronaldo: Disse ele por que pensa assim?
    Nancy: Ele disse que as baleias não comem gente; comem planctos, que são microscópicos. Portanto, a maior parte das baleias não têm garganta suficientemente grande para engolir uma pessoa. Agora não sei o que pensar.
    Carlos: E daí? Eu creio na Bíblia, mas não acredito na história sobre Jonas. O ministro da minha igreja diz que, de qualquer forma, não passa de uma alegoria.
    Nancy: Ora, isto me preocupa. O pregador da minha igreja diz que precisamos crer em cada palavra da Bíblia e tomar tudo literalmente, do contrário não somos bons crentes fundamentalistas. Mas o Sr. Alfredo certamente torna difícil acreditar que Jonas foi engolido por uma baleia.
    Foi Jonas Engolido por Uma Baleia?
    Ronaldo: Sabem, li que há apenas um tipo de baleia que poderia ter engolido a Jonas — o cachalote. Diz-se que é a única baleia que tem esôfago suficientemente grande para engolir um homem.1
    Nancy: Eu não sabia disso.
    Ronaldo: Os cachalotes comem outras coisas além de planctos. Na verdade, parece que preferem chocos e calamares.2 Foi encontrado um cachalote com um enorme calamar de mais de dez metros de comprimento no estômago!3
    Nancy: Mas o Sr. Alfredo disse que, mesmo que uma baleia pudesse engolir a Jonas, não há baleias no mar Mediterrâneo, e foi ali que Jonas foi engolido.
    Ronaldo: É verdade que são raras as baleias no Mediterrâneo, mas foram encontrados ali esqueletos de baleias.4 Naturalmente, o cachalote não é o único provável. Deixem-me mostrar-lhes aqui na Bíblia.
    Carlos: Está sempre preparado, bem, Ronaldo?
    Ronaldo: Procuro estar. Ora, diz aqui em Jonas 1:17: “Jeová providenciou um grande peixe para engolir Jonas.”
    Carlos: Então, qual é a diferença?
    Ronaldo: Um peixe podia ser qualquer animal grande do mar, como um tubarão.
    Poderia Ter Sido um Tubarão?
    Nancy: Há tubarões suficientemente grandes para poderem engolir uma pessoa inteira?
    Ronaldo: O grande tubarão-branco é bastante grande. Em alguns casos, chega a ter mais de 12 metros de comprimento.5 Dessemelhante do cachalote, que em geral não ataca, o grande tubarão-branco é conhecido pela sua ferocidade e tendência de comer tudo o que aparecer em seu caminho.6
    Carlos: Por exemplo?
    Ronaldo: O Manual de Zoologia da Austrália (em inglês) diz que o grande tubarão-branco “poderia facilmente engolir um homem inteiro”.7 A História Natural Sobre Tubarões (em inglês) informa que um tubarão-branco, de quatro metros e meio de comprimento, apanhado em 1939, continha no estômago dois tubarões inteiros de mais de um metro e oitenta centímetros de comprimento — cada um quase do tamanho de um homem!8
    Carlos: Mas, existem tubarões-brancos no Mediterrâneo?
    Ronaldo: Autoridades no assunto concordam que existem em todos os mares do mundo, inclusive no Mediterrâneo.9 Diversos especialistas informam que foram vistos seguindo navios durante dias a fio, comendo o que quer que se jogasse ao mar.10 Lembram-se do que aconteceu com o navio de Jonas antes de os marinheiros serem persuadidos a lançá-lo ao mar?
    Nancy: Procuraram aliviar o navio, não é?
    Ronaldo: Isso mesmo. Vejam aqui: “Veio a haver uma grande borrasca no mar . . . E continuaram a arremessar ao mar os objetos que havia no navio, a fim de o aliviar.” — Jon. 1:4, 5.
    Nancy: Acha que isso poderia atrair alguns tubarões? E que um deles poderia então ter engolido a Jonas?
    Ronaldo: Bem, é possível. Seria uma seqüência natural de eventos.
    Nancy: Então, Jonas foi engolido por um grande tubarão-branco!
    Ronaldo: Jonas foi possivelmente engolido por um grande tubarão-branco. O cachalote também é uma possibilidade, embora pareça mais provável o tubarão. É até mesmo possível que Deus tenha usado um enorme animal marinho que a ciência nunca descobriu. Quanto ao tubarão, porém, acharão interessante visitar o Museu Americano de História Natural, na cidade de Nova Iorque, onde poderão ver com seus próprios olhos as mandíbulas reconstituídas de um enorme tubarão chamado Carcharodon megalodon. Os cientistas têm julgado que as mandíbulas reconstituídas sejam grandes demais. Mas, mesmo após as terem reduzido, ficará claro que esse monstro poderia ter engolido a Jonas. Tinha no mínimo uns 13 metros de comprimento!11
    Carlos: Se esse tubarão era tão grande, por que não existem de resto os ossos, em vez de apenas os dentes?
    Nancy: Porque os tubarões não têm ossos. Aprendemos isso na aula de ciência. Os esqueletos deles são constituídos de cartilagem.
    Ronaldo: Está certo, Nancy. Tudo o que os cientistas realmente têm como base são os dentes. Embora a maior parte dos dentes desses tubarões gigantescos estejam fossilizados, Theo Brown indica na sua obra Tubarões — Os Selvagens Silenciosos (em inglês) que foram encontrados enormes dentes no oceano Pacífico que não estão fossilizados.12
    Carlos: Quer dizer que esses supertubarões podem ter estado vivos em tempos recentes?
    Ronaldo: É possível que ainda existam hoje. Há diversos relatos não confirmados de terem sido avistados tais animais neste século.13
    Carlos: Foram avistados no Mediterrâneo?
    Ronaldo: Não, mas um grande número de dentes fossilizados de tubarão foi encontrado perto de Malta, no Mediterrâneo, que poderia estar bem na rota seguida por Jonas, de Jope até Társis, assumindo-se que Társis significa Espanha.14 Portanto, uma espécie de tubarão gigantesco com certeza habitava no Mediterrâneo no passado distante, e possivelmente também no passado recente.
    Como Poderia Ter Jonas Sobrevivido?
    Carlos: Mas, mesmo que um tubarão tivesse engolido a Jonas, não é ridículo pensar que ele sobreviveu durante dias dentro do tubarão?
    Nancy: Exatamente. O Sr. Alfredo salientou isso também.
    Ronaldo: Certamente Jonas precisava de um milagre para sobreviver dentro do peixe que o engolira. Embora seja verdade que há relatos de marinheiros que foram engolidos vivos por baleias e sobreviveram à experiência,15 muitos duvidam de tais relatos e as histórias não podem ser confirmadas agora. O aparecimento do peixe também foi um milagre, assim como o foi o fato de ter levado a Jonas com segurança para a terra. Mas por que é tão difícil de crer que Jeová Deus pudesse preservar a Jonas miraculosamente no ventre do peixe? Carlos, você não acredita na ressurreição de Jesus? Foi necessária a ajuda miraculosa da parte de Jeová Deus.
    Carlos: Isso é diferente.
    Ronaldo: Será que é? Pelo que parece, Jesus não pensava assim. Veja o que ele disse aqui, em Mateus 12:40.
    Carlos: “Assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do enorme peixe, assim estará também o Filho do homem três dias e três noites no coração da terra.”
    Ronaldo: O que aconteceu com Jesus foi certamente uma realidade, não é? Usaria Jesus a narrativa de Jonas para ilustrar a sua própria morte e ressurreição se a história de Jonas não fosse real?
    Carlos: Bem . . . não sei.
    Ronaldo: Olhe como Jesus continuou no mesmo teor. “Homens de Nínive se levantarão no julgamento com esta geração e a condenarão; porque eles se arrependeram com o que Jonas pregou, mas, eis que algo maior do que Jonas está aqui.” (Mat. 12:41) Os arqueólogos têm provado que Nínive existiu realmente. Por que seria Jonas um personagem de ficção? Por que afirmaria Jesus ser “maior do que” alguém que nunca existiu?
    Carlos: Acho que você tem razão. Se Jesus se comparasse a uma pessoa que nunca existiu, as pessoas teriam pensado que estivesse contando simplesmente uma fábula exagerada.
    Ronaldo: Exatamente. Veja agora o versículo 42.
    Carlos: “A rainha do sul será levantada no julgamento com esta geração e a condenará; porque ela veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão, mas, eis que algo maior do que Salomão está aqui.”
    Ronaldo: Acredita que Salomão era pessoa real?
    Carlos: Entendo. Se cada um desses era pessoa real, por que não Jonas?
    Ronaldo: Portanto, mesmo sendo feito um milagre no caso de Jonas, ele existiu realmente na história, não foi ficção.
    Nancy: Mas por que Deus fez um peixe engolir a Jonas? Por que não enviou a Jonas simplesmente uma tora sobre a qual pudesse flutuar?
    Por Que Foi Usado um Peixe?
    Ronaldo: Por que Jeová estava usando a experiência de Jonas para frisar um ponto, para ilustrar como Ele salvaria miraculosamente a Seu Filho da sepultura.
    Carlos: Não é isso um pouco artificial?
    Ronaldo: Por que o seria? Foi Jesus mesmo quem disse que a experiência de Jonas dentro do enorme peixe prefigurava a sua própria experiência “no coração da terra”. Observe o que Jonas disse enquanto estava dentro do peixe. Está aqui, em Jonas 2:2.
    Carlos: “Do ventre do Seol clamei por ajuda. Ouviste minha voz.”
    Ronaldo: Seol é a palavra hebraica para sepultura, não para peixe. Jonas estava dentro de um peixe, mas Jesus estava literalmente no Seol, ou sepultura. Portanto, Jesus podia referir-se à experiência de Jonas como um “sinal” do que lhe aconteceria. Em Mateus 12:39, Jesus disse: “Uma geração iníqua e adúltera persiste em buscar um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, exceto o sinal de Jonas, o profeta.”
    Nancy: Portanto, havia motivo para Jonas ser engolido pelo peixe!
    Ronaldo: Um motivo muito bom.
    Carlos: Nunca soube que tudo isso pudesse ser encontrado na Bíblia.
    Ronaldo: A Bíblia sublinha muitíssimas vezes a importância do sacrifício de Jesus e de sua ressurreição. Não deve surpreender que Deus usasse certos eventos para ilustrar as facetas importantes da morte de Jesus. Aconteceu algo similar quando Abraão tentou oferecer seu filho Isaque no monte Moriá.
    Nancy: Quer dizer que o que Abraão fez era como o que Deus fez quando ofereceu Seu Filho, Jesus?
    Ronaldo: Certo.
    Carlos: Como sabe tanto sobre isto, Ronaldo?
    As Testemunhas de Jeová Acreditam na Bíblia
    Ronaldo: Bem, sou Testemunha de Jeová, e nós acreditamos que a narrativa sobre Jonas e o grande peixe é verdadeira. Portanto, quando surgiu o assunto na minha aula de ciência no ano passado, pude fazer alguma pesquisa sobre isso e apresentar um trabalho perante a classe.
    Nancy: Não significa isso que as Testemunhas de Jeová são fundamentalistas, como a nossa igreja?
    Carlos: Naturalmente que são.
    Ronaldo: Não. As Testemunhas de Jeová não são fundamentalistas. Acreditamos que a Bíblia inteira é inspirada por Deus e é verdadeira, mas não acreditamos que toda ela precisa ser tomada literalmente. O livro de Revelação, por exemplo, foi escrito obviamente em símbolos. De fato, o primeiro versículo do livro assim o diz.
    Carlos: Então, por que não dizer simplesmente que Jonas também é simbólico?
    Ronaldo: Porque a Bíblia não apresenta razão para isso. O relato é apresentado como sendo histórico, não simbolismo. Jesus sentiu obviamente que a história de Jonas era real. Também, Jeová Deus tinha bom motivo para realizar o milagre a respeito do qual Jonas escreve.
    Nancy: Nunca havia percebido isso. Ajuda a pessoa a compreender quão importantes foram para Deus a morte e a ressurreição de Jesus.
    Carlos: Gostei da sua maneira de tratar do assunto, Ronaldo.
    Nancy: Gosto de poder crer na Bíblia porque ela tem lógica, não porque alguém me diz que tenho de crer nela.
    Ronaldo: Sabem, no nosso Salão do Reino, vamos ter um discurso intitulado “O Dilúvio dos dias de Noé Tem Significado Para Nós”.
    Carlos: Bem, esse é outro assunto sobre o qual tenho perguntas.
    Nancy: Gostaria de ouvir esse discurso.
    Ronaldo: Serão bem-vindos.
    As Testemunhas de Jeová acreditam na Bíblia e estão convictas de que ela é de real valor para nossos dias. Se o leitor tem perguntas a respeito da Bíblia, por que não entra em contato com elas? Terão prazer de lhe prestar ajuda.
    Referências
     1 Mammals of the World (terceira edição), Vol. II, 1975, página 1098.
     2 Ibid.
     3 Whales, E. J. Slipjer, Universidade de Amsterdã, páginas 276, 277.
     4 Ajuda ao Entendimento da Bíblia (em inglês), Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, Nova Iorque, 1971, página 1057.
     5 The Fishes of South Australia, Edgar R. White, Museu da Austrália do Sul, página 40.
     6 Sharks and Survival, Perry Gilbert, Universidade de Cornell, página 13.
     7 Australian Zoological Handbook, The Fishes of Australia, Gilbert Percy Whitley, Museu da Austrália, Parte I — The Sharks, página 125.
     8 The Natural History of Sharks, Richard H. Backus e Thomas H. Lineaweaver III, Andre Deutsch Ltd., Londres, 1970, página 111.
     9 Ibid. página 113.
    10 Sharks — The Silent Savages, Theo Brown, Little, Brown & Co., Boston & Toronto, 1973, página 40; Sea Fishes of Southern Africa, J. L. B. Smith, Universidade de Rhodes, página 49; Australian Zoological Handbook, página 106.
    11 Natural History, novembro de 1980, páginas 112, 113.
    12 Sharks — The Silent Savages, página 79; Australian Zoological Handbook, página 125.
    13 Sharks — The Silent Savages, páginas 79-81.
    14 Australian Zoological Handbook, página 126 (nota marginal).
    15 The Year of the Whale, Victor B. Scheffer, páginas 84-86.
    [Nota(s) de rodapé]
    Embora esta conversação tenha sido encenada, os argumentos e os fatos considerados são reais.
    [Foto na página 17]
    Cachalote, com esôfago suficientemente grande para engolir homem.
    [Foto na página 17]
    Grande tubarão-branco — poderia facilmente ter engolido um homem.
    [Fotos na página 19]
    Jonas está relacionado com pessoas e lugares históricos.
    Nínive;Salomão;Jesus

    Vale lembrar que o mérito pelos textos acima tem de ser dado a Associação Torre de Vigia das Testemunhas de Jeová. Há realmente uma infinidade de estudos que eles possuem e que você prezado leitor não encontrará no mundo, isto é , fora da organização das Testemunhas de Jeová. Vale a pena por isso ir a um Salão do Reino das Testemunhas de Jeová de sua localidade.

  • alexandre mendes  On 30 de dezembro de 2012 at 23:16

    Sinceramente, vejo em voces um esforço gigantesco de tentarem dentro do possível validar a palavra da biblia, mas o fato de existir um ou outro cientista procurar formas diferentes de ver a ciencia no seu contexto religioso, ou de certa forma validar a exist\ência de um deus criador e a meu ver ridiculo. A propria existencia e a forma como a VTJ foi criada, as suas diversas dissenssões internas e as vária datas de retorno do cristo ja por si só invalida as palavras postadas aqui por vcs. A sua biblia ja e de fato debatida e invalidada por outros grupos cristãos e viceversa. Se o teu deus não conseguiu com seus grande poder manter a própria palavra inalterada imagine o resto. Mas vão a luta e não desanimem. Quem sabe vão aprendendo e um dia descubram a grande e triste verdade. Nunca existiu deus nenhum.

    • queruvim  On 31 de dezembro de 2012 at 23:41

      Alexandre, eu vejo este “esforço gigantesco” na tentativa de desacreditar a Bíblia da parte dos proponentes de que tudo em nossa volta é obra do acaso. Contudo, principalmente os historiadores e arqueólogos tem diante de si a triste realidade de observarem que os relatos, pessoas e locais mencionados na Bíblia não são “mitos” como defendiam outrora muitos deles. Não sabemos o que é a VTJ e nem a que dissensões internas se refere.

      Por que acredito na Bíblia — história de um cientista nuclear

      A Bíblia — autêntica e verídica

      • Sérgio  On 20 de janeiro de 2013 at 3:31

        E esse seu deus e obra de quê? Quem o criou, já que tudo necessita de um criador. qual o sentindo de um deus ter o poder de criar o cada átomo, cada galáxia, cada estrela, cada animal, vigiar todos seres e mandá-los para o tal inferno se não forem devotos dele? Um deus dotado de onipotência não usa todo esse seu poder para derrotar o tal diabo? Suas crenças são um crime contra a ciência e a inteligêngia da humanidade.

        • queruvim  On 21 de janeiro de 2013 at 0:34

          Sérgio, Deus é “o Rei da Eternidade, incorruptível, invisível” ele é mencionado como sendo “de tempo indefinido a tempo indefinido”. Ou seja Ele nunca teve princípio e nunca terá fim. A existência de Deus é provada pela ordem, pelo poder e pela complexidade da criação, macroscópica e microscópica, e pelos Seus tratos com o seu povo no decorrer da história. Os cientistas aprendem muito pelo exame do que se poderia chamar de Livro da Criação Divina.
          A existência da ordem pressupõe a existência de uma inteligência organizadora. Essa inteligência não pode ter sido de nenhum outro senão de Deus
          Os cientistas identificaram mais de 100 elementos químicos. A estrutura atômica deles revela uma complexa inter-relação matemática de elementos. A ‘classificação periódica’ dos elementos indica obviamente um projeto. Tal surpreendente projeto não poderia ser de forma alguma acidental, o fruto do acaso.
          Ilustração: Quando vemos uma máquina fotográfica, um rádio ou um computador, entendemos logo que foram produzidos por projetistas inteligentes. Seria então razoável dizer que coisas muito mais complexas — o olho, o ouvido e o cérebro humano — não se originaram de um Projestista inteligente?

          Raciocínios a Base das Escrituras Debaixo do tópico “Deus”

          ” Será que Deus teve começo?
          Sal. 90:2: “Antes de nascerem os próprios montes ou de teres passado a produzir como que com dores de parto a terra e o solo produtivo, sim, de tempo indefinido a tempo indefinido, tu és Deus.”
          Há lógica nisso? Nossa mente não pode compreender isso plenamente. Mas não é uma razão sólida para o rejeitar. Considere estes exemplos: (1) O tempo. Ninguém pode indicar um determinado momento em que o tempo começou. E é um fato que, embora a nossa vida termine, o tempo não acaba. Não rejeitamos a idéia de tempo só porque há aspectos a respeito dele que não entendemos plenamente. Antes, regulamos a nossa vida por ele. (2) O espaço. Os astrônomos não encontram nem começo nem fim do espaço. Quanto mais distante investigam o universo, tanto mais espaço existe. Eles não rejeitam o que a evidência indica; muitos dizem que o espaço é infinito. O mesmo princípio se aplica à existência de Deus.
          Outros exemplos: (1) Os astrônomos nos dizem que o calor do sol no centro é de 15.000.000 de graus centígrados. Será que rejeitamos essa idéia porque não podemos compreender plenamente tal intenso calor? (2) Eles nos dizem que o tamanho da nossa Via-Láctea é tão grande que um feixe de luz viajando a 300.000 quilômetros por segundo levaria 100.000 anos para atravessá-la. Será que a nossa mente avalia realmente essa distância? Contudo, nós aceitamos isso, porque a evidência científica o apóia.
          O que é mais lógico — que o universo é o produto de um Criador vivo e inteligente? ou que deve ter surgido por mero acaso, de uma fonte sem vida, sem ser guiado por uma inteligência? Alguns adotam este último ponto de vista porque crer o contrário significaria que teriam de reconhecer a existência de um Criador cujas qualidades não podem entender plenamente. Mas, é bem conhecido que os cientistas não entendem plenamente o funcionamento dos genes que estão dentro das células vivas e que determinam como estas células se desenvolverão. Tampouco entendem plenamente o funcionamento do cérebro humano. Contudo, quem negaria que estes existem? Deveríamos esperar realmente entender tudo a respeito de uma Pessoa que é tão grande que pôde fazer o universo existir, com todo o seu complexo projeto e seu tamanho estupendo?”

          Sobre o “Inferno” os verdadeiros adoradores NÃO ACREDITAM NUM INFERNO DE TORMENTO DE FOGO conforme pregado pela Cristandade.
          Para ver o verdadeiro significado da palavra “inferno” vou colocar aqui Sérgio um link:

          http://wol.jw.org/pt/wol/s/r5/lp-t?q=Inferno&p=par

          Por que Deus ainda não eliminou o Diabo?

          http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/1102002067?q=Por+que+Deus+n%C3%A3o+destruiu+o+Diabo&p=par

          Att.

          Rubens

  • Leonardo  On 16 de novembro de 2013 at 6:17

    1º A bíblia é um livro mitológico , só fábulas, por favor, saia desse mundo da fantasia , já tem cobra falante logo no começo, dpois tem burro que fala, dpois tem unicórnio, dpois tem sátiro, dpois tem leviatã, dpois tem anjos com espada de fogo, dpois tem besta c/ 7 cabeças, isso me parece As crônicas de Nárnia.

    2º Vir com a argumentação de “ahhh mas foi erro de tradução e etc.” Pow, a bíblia é a palavra de um Deus perfeito?Vc quer vir com o argumento de “erro de tradução” . Por favor, isso é querer me tirar como ignorante .

    3º A bíblia está cheia de contradições, cheio de erros os quais a ciência hj em dia a contradiz em vários aspectos .(Isso pq Deus não conhece nada sobre ciência) .

    4º Falar sobre parentescos de rinocerontes e datar sua existência a 200 mil anos atrás . Ué a bíblia não diz q ue o mundo tem 6 mil anos? Que papo é esse de parentesco ? Criacionismo contradiz o evolucionismo . Então só nessa explicação , já existem contradições .

    Bíblia é uma fábula, aceite isso, LIDE COM ISSO . Acho engraçado que os cristãos falam de amor e etc, mas defendem o dilúvio quando eu debato c/ eles, mas aí no final, eles não se calam e nem deixam de crer em tal evento, quando eu argumento contra, quando eu trago explicações lógicas contrárias, até pq fundamentalistas nunca mudam de opinião, mas no final eu os deixo s/ resposta quando eu os questiono com um simples senso moral “Você levaria a raça humana quase a extinção? Você mataria mulheres e crianças? Afinal, naquela época existia bebês, não é? Você já viu como é o sofrimento de pessoas que passam por tsunamis, tufões e enchentes? Você salvaria animais no lugar delas? É , no fim, ficam sem respostas, tentam falar da justiça do Senhor e etc hauhuaahuahu nunca me respondem ahuhuhauhua chega a ser piada . Seus cúmplices de um Deus genocida diluviano .

    Unicórnios hummm será que cristãos peidam arco-íris?

    Até .

    • Queruvim  On 2 de dezembro de 2013 at 19:53

      Leonardo afirmou:

      A bíblia está cheia de contradições, cheio de erros os quais a ciência hj em dia a contradiz em vários aspectos .(Isso pq Deus não conhece nada sobre ciência) .

      Leonardo, o Sr poderia citar um exemplo sequer de “erro científico” na Bíblia? Mesmo que tivesse citado UM SEQUER, isto não lhe daria o direito de ser grosseiro. Então vamos fazer o seguinte. Estamos esperando um erro que posso apontar, onde a Bíblia demonstra contradizer a Ciência.

      Eu gostaria de sugerir que citasse um ou dois bons pontos para avaliarmos. Não 10 ou 15 pontos. Isso é coisa comum de se ver da parte dos evangélicos, que são em muitos casos totalmente desonestos quando visitam esta página. Então, para facilitar nossa pesquisa/consideração e para a apreciação dos que esta página visitam, vamos agir como gente inteligente e educada que eu tenho certeza que o Sr também é.

      Não tenha pressa para responder. Seja bem vindo a esta página.

    • Saga  On 2 de dezembro de 2013 at 21:42

      [1] “já tem cobra falante logo no começo”
      Não é uma cobra falante, é um ser espiritual escondendo sua identidade sob a aparência de uma serpente.
      A Bíblia não ensina que cobras falam, e sim que Satanás tentou a mulher usando uma cobra como disfarce.

      Se a Bíblia dissesse simplesmente que cobras falam, isso sim poderia ser chamado de anticientifico, pois não além de não vermos cobras falando, a ciência mostra que elas não tem cordas vocais. A Bíblia não diz que cobras falam e nunca disse que cobras falaram alguma vez, a chamada “Serpente Original” é o Diabo.

      [2] “dpois tem burro que fala”
      Não. É um ser espiritual agindo através de uma jumenta.
      A Bíblia não ensina que burros falam, a voz que falava com Balaão foi obra do Anjo de Deus.

      Se a Bíblia dissesse que jumentas falam isso seria fantasioso. Mas ela nunca disse isso, e sim que um anjo divino veio até Balaão lhe dar uma mensagem.

      [3] “dpois tem unicórnio”
      A Bíblia não fala em unicórnios. Ela fala de um animal não especificado, cuja raiz etimológica significa “Um Chifre”.
      Unicórnios são cavalos mágicos com um chifre só. Mas a Bíblia nunca falou sobre tais. Se a palavra não se refere a nenhum animal atual, simplesmente seria um animal desconhecido, coisa que a Ciência mostra que mais de 90% dos animais que pisaram sobre a Terra foram extintos, não existem mais hoje e que a Biologia não catalogou todos.

      [4] “dpois tem sátiro”
      A figura do Sátiro em si não aparece na Bíblia como um ser, sátiros são seres da mitologia grega.. “Demônios caprinos” são citados em algumas palavras PROFÉTICAS, e as profecias tomam grandes liberdades com a linguagem, pode significar apenas que os pagãos acreditavam que os demônios tinham formas de bode ou que os seres espirituais malignos realmente usavam tal forma para lhes aparecer em visão. Isso é diferente da Bíblia falar da existência de sátiros, pois sátiros na mitologia pagãs seriam seres reais e físicos, metade homem….metade bode, que andam entre nós, bebem nossa água, transam com mulheres, a forma de homem-bode é a propria forma verdadeira deles, já os “demônios caprinos” que a Bíblia cita seriam seres espirituais que aparecem ilusoriamente como bodes …

      O sátiro é um ser físico que interage com a matéria, ele não parece um homem-bode e nem assume tal forma, ele realmente é um homem-bode! A Bíblia nunca citou tal coisa.

      [5] “dpois tem leviatã”
      Qual o problema do Leviatã? Nem sabemos exatamente com certeza o que era. Parece uma criatura réptil, senão for um crocodilo atual, era um antigo e extinto réptil similar a um crocodilo. como a descrição do Leviatã está no livro de Jó feito em linguagem POÉTICA, há de se notar que a intenção ali não foi descrever um animal literalmente e sim poeticamente.

      [6] “dpois tem anjos com espada de fogo”
      A Bíblia diz que Adão e Eva viram querubins com espada de fogo, sendo que, esta é a forma com que os seres celestiais quiseram aparecer ao casal humano, pois anjos são espíritos e não tem as formas materiais que conhecemos, no caso eles escolheram aparecer de uma forma inteligível a visão humana.

      [7] “dpois tem besta c/ 7 cabeças”
      A Bíblia não fala que existe um animal monstruoso de 7 cabeças. As bestas descritas tanto em Apocalipse quanto no livro de Daniel representam governos. Quando o Apocalipse fala de Satanás como “o grande dragão, a serpente original” de “sete cabeças e dez chifres”, ela não quer dizer o anjo caído tenha uma aparência com forma de réptil e sete cabeças, não! Isso é uma forma de dizer que o ser espiritual chamado Satanás foi a serpente que desviou a humanidade no relato de Gênesis e que ele é a fonte e poder por trás dos diabólicos governos humanos, a aparência do Diabo demonstra que ele é quem está por trás da Besta política que rege o mundo, os governos mundanos estão apartados de Deus e servem aos interesses de Satã.

      [8] “isso me parece As crônicas de Nárnia”
      Nárnia é uma alegoria cristã feita por um escritor muito católico. E o Senhor dos Anéis também serve como alegoria cristã feita por outro católico, mas dessa vez de forma mais difusa e misturando com a mitologia nórdica, as Crônicas de Nárnia jogam muito na cara seus paralelos com o Cristianismo, qualquer um pode ver que o autor deseja que vejamos em Aslan, ao Jesus da Religião Cristã.

      A Bíblia é bem diferente, é um livro histórico inserido na história, história do nosso mundo real, contando eventos históricos, sobre pessoas históricas em locais que existem ainda hoje ou existiram no passado. O rei Nabucodonosor, o Rei Davi, Herodes, o imperador Nero, João Batista, Jesus, o governador Pilatos, o instrutor Gamaliel, o sacerdote Caifás, ela se apresenta como história inseridos dentro de uma cronologia ordenada. E descreve a história, os lugares, as cidades, as artes, os costumes, tudo com fidelidade e precisão.

      [9] “Vir com a argumentação de “ahhh mas foi erro de tradução e etc.” Pow, a bíblia é a palavra de um Deus perfeito?Vc quer vir com o argumento de “erro de tradução””

      Sobre o “unicórnio” que é o tema aqui, temos uma palavra hebraica que tradutores divergem sobre como traduzir, então como você quer fugir da questão da tradução? Quem escreveu a palavra “unicórnio” na bíblia em português foi um tradutor humano e não Deus.

      No máximo diríamos que não se sabe como traduzir o termo hebraico REʼÉM, mas é engraçado vir alguém que nada sabe de hebraico e dizer que `sim, o termo correto é unicórnio e quem diz que não tá tentando esconder os erros de Deus com esse mimimi de tradução!`. Não sei o que tem a ver a perfeição ou não de Deus com as excentricidades de tradução que os homens inventam sobre o grego e o hebraico das Escrituras.

      [10] “Por favor, isso é querer me tirar como ignorante” .
      Ignorância foram o que suas palavras anteriores demonstraram.

      “A bíblia está cheia de contradições, cheio de erros os quais a ciência hj em dia a contradiz em vários aspectos .(Isso pq Deus não conhece nada sobre ciência) .”

      Sempre assim, “cheia” né? Quanto menos a pessoas conhecem sobre a Bíblia mais contradições enxergam. Se a pessoa tem duas passagem, a passagem A e a passagem B, se ela não entendeu a A e nem entendeu a B, então como poderemos confiar que realmente A e B se contradizem? Seria bom primeiro as passagens serem compreendidas adequadamente.

      Que erro cientifico seria esse? A existência de Deus? Animais falantes ou uma fera de várias cabeças?

      Se Deus não conhecesse nada sobre ciência você não conseguiria estar aqui enxergando isso, lendo, compreendendo o sentido destes sinais gráficos e escrevendo. Pois todos esses PEQUENOS atos exigem muito conhecimento cientifico para serem compreendidos quanto mais feitos. Os cientistas sabem, pois tentam ao máximo emular ao desempenho do corpo e do cérebro humano, mas nenhuma maquina, computador ou robô por mais avançado que seja não chega nem perto das maravilhas biológicas da Criação.

      [11] “Falar sobre parentescos de rinocerontes e datar sua existência a 200 mil anos atrás . Ué a bíblia não diz q ue o mundo tem 6 mil anos?”

      Não, não diz.

      [12] ” Que papo é esse de parentesco ? Criacionismo contradiz o evolucionismo . Então só nessa explicação , já existem contradições”

      O que o criacionismo tem a ver com isso? Primeiro que as TJs não são criacionistas.
      Segundo que animais terem parentesco entre si não demonstra evolucionismo. Os próprios criacionistas falam de certos animais como sendo “parentes” de outros animais, parece que não conheces nem as TJs e nem os criacionistas….. o fato de um animal ser parente de outro parecido não comprova a doutrina do evolucionismo e nem desmente que Deus seja o Criador do mundo.

      [13] “Bíblia é uma fábula, aceite isso, LIDE COM ISSO”
      Você sabe o que é uma fábula?
      A wiki disse assim: “As fábulas,,,,são uma aglomeração de composições literárias em que os personagens são animais que apresentam características humanas, tais como a fala, os costumes, etc. Estas histórias terminam com um ensinamento moral de caráter instrutivo”

      A Bíblia não é assim. As partes que tu falou, da serpente e da burra, não eram elas em si que tinham voz, mas o ser espiritual que as manipulavam, então isso nada tem a ver com “fábula”, talvez estivesse mais para possessão ou até ventriloquismo.

      Se eu digo que “Jesus levou o instrumento de sua morte até o calvário e morreu nele”, aqui NÃO TEM nenhuma fábula de nada, é uma narrativa comum que descreve um homem sendo executado pelos romanos nas proximidades de Jerusalém.

      Passagens que apresentem poeticamente animais como falando são raras e estão contextualizadas. Algumas vezes a Bíblia pode usar a Prosopopeia, que é recurso literário muito válido.Se um salmo falar que “os montes cantam” ou que “os céus declaram o poder de Deus” , são apenas prosopopeias e não tem a ver com a questão da Bíblia ser uma fábula ou ser histórica.

      [14] ” Acho engraçado que os cristãos falam de amor e etc, mas defendem o dilúvio quando eu debato c/ eles”
      A Bíblia fala do amor de Deus e de Cristo, mas afirma ao mesmo tempo que eles irão julgar e punir o mundo por seus pecados. Um Deus que seja só amor, mas não aplique a justiça nem use da punição não estará cumprindo suas funções de Deus, se Deus não pode punir, ninguém mais poderia, e o mundo estaria fadado ao caos, pois o mal e o pecado permaneceriam indefinidamente.

      Vocês querem um Deus que não faça nada? Muito bonito.

      [15] mas aí no final, eles não se calam e nem deixam de crer em tal evento, quando eu argumento contra, quando eu trago explicações lógicas contrárias”

      Explicação logica contrária ao que? Já entendeu a lógica da serpente do gênesis ou da besta apocalíptica primeiro? Argumenta contra usando argumentos “bãos” iguais esses acima para falar do unicórnio

      O Diluvio é um fato da história da história humana, contado com alto grau de consenso testemunhal por todos os povos do mundo, não existe motivo algum para dizer que simplesmente é uma invenção de alguém ou de um povo em especial, é contado em relatos independentes por todos, em todas as épocas, por diferentes religiões, em locais muitos distantes entre si. O diluvio é algo que aconteceu, lide com isso.

      [16] “Você levaria a raça humana quase a extinção? Você mataria mulheres e crianças?”
      Se foi certo ou não é outra história, o fato é que aconteceu, conforme as histórias de todos os registros das nações atestam, uma catástrofe onde morreram centenas de milhares de pessoas.

      A sua “lógica” é colocar homens e Deus no mesmo patamar ontológico.
      Conhece a expressão “brincar de Deus” ? Ela é usada em contextos que tratem de vida e de morte, aí a pessoa aborta e a outra diz “o feto é vida humana e apenas Deus tem o direito de decidir quando a vida termina”. Essas expressões demonstram que Deus como Criador é considerado como sendo o responsável pela vida e pela morte, escolhendo quem vive e quem morre de forma legitima. Simplesmente o Deus da Bíblia é que dá a vida e ele é quem tem o direito de decidir quando tira-la Em vez de reclamar dos atos de Deus, a pessoa deve agradecer a Ele por estar viva.

      [17] “Você já viu como é o sofrimento de pessoas que passam por tsunamis, tufões e enchentes? Você salvaria animais no lugar delas? É , no fim, ficam sem respostas, tentam falar da justiça do Senhor e etc hauhuaahuahu nunca me respondem ahuhuhauhua chega a ser piada”

      O que foi salvo, foram as especies, a espécie humana já estava salva com Noé e suas família. então faltavam serem salvos os animais, a sobrevivência das espécies e não dos indivíduos, os humanos escolhidos por Deus escaparam para perpetuar a espécie humana. Assim foi e assim será novamente, o Diluvio é um exemplo para ilustrar o futuro Dia de Vingança de Deus, os servos de Deus escolhidos sobreviverão, os outros sofrerão a punição.

      [18] “Seus cúmplices de um Deus genocida diluviano”.

      Genocídio é algo feito visando a questão étnica, é uma limpeza étnica, uma matança indiscriminada, o que não foi o caso do Diluvio, quando Noé foi e pregou sobre eles que o Diluvio estava vindo, qualquer um de qualquer raça ou etnia poderia se salvar dentro da Arca. Diante dos Juízos de Deus as pessoas -qualquer pessoas- podem escolher ou não a salvação.

      [19] “Unicórnios hummm será que cristãos peidam arco-íris? Até”
      Que?
      Repetindo de novo, a Bíblia não fala em “unicórnios”, fala em RE´ÉM´s….e estes re´em não eram os cavalinhos unicórnios mágicos das histórias.

    • Marcelo  On 4 de dezembro de 2013 at 9:53

      Leonardo

      O que tu SABE origem da vida? Tens alguma teoria? Compartilhe. Se ela for tão razoável quanto a tua arrogância faz parecer que é, eu mudo de idéia na hora. Queimo todas as minhas bíblias.

  • Saga  On 2 de dezembro de 2013 at 19:40

    Sobre Leonardo,

    Leonardo fez comentários ridículos e ignorantes. Ofensivos e desrespeitosos.

    Veja que ele se deu ao trabalho de dizer

    “A bíblia é um livro mitológico […] dpois tem besta c/ 7 cabeças, isso me parece As crônicas de Nárnia”

    Leo pensa que a Bíblia defende a existência de um animal de sete cabeças, sua crença de que a Bíblia fala da existência de um grande monstro, o que demonstra sua ignorância sobre o livro de Apocalipse.. A Besta, ou melhor as bestas descritas em Apocalipse, são símbolos de governos assim como já tinha sido no livro do profeta Daniel, mas garanto que Leonardo nunca soube disso, pois porque teria contato com o livro de Daniel?

    -Relação entre os Livros do Profeta Daniel e Apocalipse de João-

    Por sinal, todas profecias do livro de Daniel se cumpriram, coisa que ele também não sabe, pois nunca se ocupou de estudar o assunto. O livro de Daniel é dos livros essenciais para se compreender a abordagem do Apocalipse, pois ambos são livros proféticos e escatológicos; e claro o livro de Apocalipse é uma amalgama de vários livros bíblicos antigos do Antigo Testamento desde o Gênesis até os Evangelhos do Novo Testamento, então apenas quem conhece os livros anteriores pode tirar proveito dele de forma adequada pois vai reconhecer as referências que João faz.

    -AS BESTAS de Daniel e do Apocalipse e o recurso da ALEGORIA-

    O estudo do livro de Daniel, demonstra que as bestas descritas por este profeta eram governos, potências mundiais, o que mostra que as bestas similares do livro do Apocalipse de João são a mesma coisa, assim ambos livros se completando e se explicando.

    EGITO, ASSÍRIA, BABILÔNIA, MEDO-PÉRSIA, GRÊCIA, ROMA e a ANGLO-AMÉRICA são potências que tem sua marcha contada nos livros de Daniel e Apocalipse onde são referidas como animais monstruosas, ou bestas feras.

    O fato dos profetas usarem tal artificio de representar potências sétuplas como uma criatura de sete cabeças não tem nada de negativo, estranho ou que prejudique o valor e a veracidade de sua mensagem. Até hoje é comum o uso de animais como símbolos nacionais, os EUA usam a águia e as revistas aqui muitas vezes falam sobre a “Aguia Americana” querendo com isso dizer o governo dos EUA e nenhum ateu vem encher o saco sobre isso.

    Quando se diz que o “Urubu depenou o Galo”, com isso falando que o Flamengo-RJ venceu o Atlético-MG ninguém estranha nada. É uma verdade contada sob forma de Alegoria.

    – A Nárnia alegórica e a Bíblia histórica-

    As cronicas de Nárnia são propositalmente simbólicas, ALEGÓRICAS, o Leão Aslan por exemplo é uma referência velada a Jesus Cristo. O escritor católico quis propositalmente ensinar como ele entende o Cristianismo na forma de uma literatura de fantasia. Quem olhar apenas o literal vai demonstrar sua ignorância perdendo tudo que o autor quis passar, com a analise a pessoas via entendendo as referência, os paralelos, analogias e assim vai tirar proveito da mensagem que o Lewis intencionava dizer ao leitor. O fato de Nárnia serem livros de fantasia alegórica não invalidam em nada o valor de seu conteúdo literário. .

    O que isso tem a ver com a Bíblia? A Bíblia não intencionava ser um livro de fantasia, o objetivo de seus escritores foi contar narrativas históricas sobre, eventos, conflitos e pessoas reais; além de passar ensinos religiosos e teológicos aos leitores das futuras gerações, os livros da Bíblia tem o objetivo de edificar espiritualmente a fé das pessoas e ensiná-las os propósitos de Deus. É um Livro histórico, poético e profético, descreve a realidade passada, presente e futura. Vejamos, quando ela fala que Jesus nasceu, que Jesus morreu e que Jesus vai voltar, não como num livro de ficção que quer dar uma lição abstrata sob forma de Alegoria, mas sim como descrevendo fatos que aconteceram (parte histórica) e vão acontecer (parte profética), está falando de um homem chamado Jesus que nasceu e cresceu na Palestina do século I, durante o período do Império Romano, que foi morto sob as ordens de Pilatos na cidade de Jerusalém, quando o livro de Lewis fala sobre Aslan de Nárnia, ela está falando de uma figura animal ficticia criada pelo autor que vive numa terra criada pelo autor para representar o homem real e histórico chamado Jesus que viveu no nosso mundo aqui, o mesmo que estamos.

    A Bíblia pode ter algumas PASSAGENS com uso de alegoria e outros recursos linguísticos, como quando fala de governos como “Besta” ou de Jesus como “Cordeiro de Deus”, mas em geral em sua maior parte, ela é escrita em forma de narrativa. Outras partes como os Salmos (que são músicas, hinos ou orações) são claramente poéticas, e não existe nada de errado em livro histórico ter em suas páginas também, hinos, parábolas, poemas e poesias. Na maioria absoluta dos casos é muito óbvio quando a Bíblia fala literal ou historicamente de algo e de quando ela etá usando um recurso de linguagem de sentido figurado, (uma cultura adequada já ajuda muito, mas parece que isso anda em falta). Nárnia é todo contado em forma de ficção e alegoria.

    -Alexandre, o ispecialista em religiões-

    O primeiro rapaz [ateu] acima dele veio com questões ridículas como:

    “vigiar todos seres e mandá-los para o tal inferno se não forem devotos dele? Um deus dotado de onipotência não usa todo esse seu poder para derrotar o tal diabo? Suas crenças são um crime contra a ciência e a inteligêngia”

    Ele [Alexandre Mendes] está afirmando que entre as crenças das TJs está o INFERNO!! O que qualquer conhecedor de religiões saberia que é falso, inclusive este é mais dos motivos de evangélicos e católicos serem rivais da religião das TJ.

    Ele se acha muito esperto perguntando “quem criou Deus?”, algo que qualquer estudante básico de filosofia clássica sabe ser uma pergunta sem sentido em vista da eternidade inerente ao conceito filosófico de Deus. Junte ignorância, bíblica, ignorância religiosa e ignorância filosófica de coisas muitas básicas e você tem este ateu acima.

    Mas ao mesmo tempo que falam de um assunto que desconhecem totalmente ainda arrotam arrogância presunçosa como se fossem superiores. Este tipo de presunção arrogante é o que os impede de aprender. a situação é similar ao que dizia Sócrates o primeiro passo para o sábio é admitir “Só sei que nada sei”, sem este passo certas pessoas ficarão impedidas de evoluir em sabedoria sempre satisfeitas com já sabem ou pior acham que sabem, o ateu acima achava que sabia que as TJs acreditavam no Inferno de Fogo.

    A situação é assim, o cara acha que todas igrejas são iguais, pensa em TJs como crentes evangélicos protestantes, e como os protestantes que ele conheceu na sua vida criam em Inferno, que foi o que ele aprendeu desde criança quando provavelmente era católico, então acha que as TJs são iguais e creem em inferno também, se bobear ele pensa que TJs pedem dízimos e tudo mais. Então ele julga preconceituosamente o que ele desconhece baseado simplesmente em sua ignorância sobre o assunto em pauta.

    – A modinha dos briguentos ateus modernos que não sabem nada mas fazem pose de sabe tudo-
    Na ânsia dos ateus de por todas as religiões no mesmo bolo eles tendem a ficar mais ignorantes sobre elas do que outros religiosos ignorantes, cada religioso ao menos sabe no que crê e mais ou menos tem uma ideia do que os seus rivais de outra religião não creem. Já os militantes ateus modernos tem dificuldade até de distinguir as religiões monoteístas das antigas religiões paganistas, não entendem como distinguir um deus pagão como Hércules para Alá ou Jeová. Entre as religiões modernas, não vê diferença entre um Buda e um Messias. Entre o Nirvana Hindu e o Céu Cristão….assim fica totalmente despreparado para debater ou palpitar sobre temas religiosos, pois desconhece o básico e só enxerga uma CARICATURA das religiões.

    Não tem problema, ninguém nasce sabendo, é estudar sobre o tema, esclarecer as dúvidas em fontes confiáveis e ter a humildade de ter um instrutor capacitado que lhe esclareça o conteúdo e a mensagem da Bíblia. Assim aprenderá sobre as religiões, verá quais as diferenças e as semelhanças entre elas, terá uma visão geral do que a Bíblia realmente diz e assim estará apto para se envolver em discussões sobre Religião, Deus e Bíblia. Não adianta ficar fuçando sozinho em facebook, wikipédia, youtube e google não achando que acontecerá um “milagre” e do nada vai virar um sabe-tudo não. São estudos sérios e com ajudas necessárias de quem entenda mais do assunto do que você.
    (Numa leitura de 3 min na internet tu acha que já sabe mais que alguém que tá a 10 anos lendo, vivendo e respirando aquilo? Vendo passagens esparsas tiradas de parciais sites ateístas você acha que sabe mais do Livro Sagrado do que quem já o leu todo? Valeu superman)

  • Queruvim  On 3 de dezembro de 2013 at 22:00

    Some of the world’s oldest and rarest Bibles and biblical texts were placed online Tuesday in newly digitized form by two of the world’s most venerable libraries.

    http://edition.cnn.com/2013/12/03/world/europe/uk-vatican-ancient-texts/index.html?hpt=hp_c4

    This is the link:

    http://bav.bodleian.ox.ac.uk/

  • Companheiro da bíblia  On 4 de dezembro de 2013 at 11:08

    Ateu Leonardo e suas citações extraídas de escritos sagrados de deuses ateus.
    Mitos e lendas ateus
    evangélico fanático de uma religião disfarçada de “comprovações científicas” ou coisas assim!
    Sim, e quem é que contradiz a afirmação que o ateísmo não é uma religião onde seus adeptos fornecem as mesmas resposta evasivas à perguntas tão simples sobre os sentimentos e as emoções humanas, ou sobre a faculdade da consciência inata ao ser humano?
    Dentre os inúmeros mitos ateus poderia ser citados muitos.. lendas tolas que faz até mesmo com que alguns de seus deuses mais proeminentes evolua ao ponto de se tornar “agnóstico”
    Um desses eu gostaria de mencionar por admirar seus escritos sobre ciência, Marcelo Glaser ,citado e recitado por um panteão de ateus quando se dizia ateu convicto. Hoje um humilde agnóstico que não desacredita na possibilidade de Haver um criador e feroz combatente contra o ateísmo dogmático e fanático!
    Agora os caras dizem que ele mudou de pensamento para vender mais livros..

    Para os cristãos o texto diz:

    “Eis que desceu a vós o diabo, tendo grande ira”

    Na tradução ateia ganhou nova nuance:

    “Eis que desceu a vós Marcelo Glaser..ai dos ateus e seus mitos”

    (obs.Tenho a honra de morar a 15 mts da cidade onde ele passou sua infância admirando a criação de Deus).

    • Marcelo  On 4 de dezembro de 2013 at 12:34

      Dei uma pesquisada sobre ele, não vi nada “ai dos ateus”. Pelo contrário, me parece só que ele é ateu, mas não quer comprar briga, com pessoas “ignorantes e fanáticas”, como nós, e por isto intitula-se “agnóstico”. Mas ele me pareceu ser humilde sim, pelo menos em uma das entrevistas que eu vi, disse que respeitava a posição de quem acredita em um criador, até porque não pode provar o contrário.

      • Companheiro da bíblia  On 28 de dezembro de 2013 at 1:11

        Engano seu, meu jovem, dizer que ele é um ateu que se “intitula” agnóstico para não comprar brigas com uma classe é a mesma conclusão “pessoal” que muitos ateus tiveram dizendo que ele mudou de opinião para vender mais livros. Não faça uma pesquisa superficial, acompanhe-o em seus escritos e saberá que estás equivocado. Ele tornou-se agnóstico e lendo seus escritos vc irá saber o “porquê” sem tirar conclusões sobre as motivações dele. É evidente que vc não encontrará uma declaração defendendo a existência de “Deus”, não mais do que uma possibilidade ,o que eu acho um grande passo para quem se declarava ateu convicto e percebo que muito daquele velho ateísmo vinha do fanatismo religioso e dos maus frutos e ensinos falsos da cristandade! É por isso que vc percebeu um homem mais humilde do que antes, se assim não fosse os ateus não o criticariam tanto.

        Uma “pesquisada” não é uma boa forma de se responder um assunto!

      • Marcelo  On 28 de dezembro de 2013 at 15:18

        Verdade, não fiz uma pesquisa séria.

        Mas ele deixou de acreditar na evolução?

        Já vi ele falando (no canal da National Geographic, se não me engano) que a vida é fruto de “zilhões” de anos. Claro, que pode ser coisa antiga.

        Pergunto porque tu parece ter um bom conhecimento a respeito da carreira e opiniões dele, e eu certamente não vou ler as obras dele, por falta de tempo e por ter muitas coisas “tolas” (1 Cor. 1:25-28) pra ler primeiro.

  • Alexei  On 9 de dezembro de 2013 at 18:30

    Não sei quem é mais fanático. Se os evangélicos alienados ou os ateus com seu fervor religioso.
    Não sei quem mais ataca com maior fanatismo.
    Os deuses das nações pagãs refletiam os povos que os adoravam, com suas intrigas e atitudes raivosas.
    Deuses vingativos, voluptuosos e irascíveis.
    Quando os cristãos do primeiro século se recusavam a prestar adoração à diversas deidades ou queimar incenso para adorar ao imperador eram chamados de… ateus!!!
    Hoje vi um vídeo em que defensores da liberdade sexual entre pessoas do mesmo sexo e defensores do aborto agrediam fisica e verbalmente pessoas de determinada igreja fiquei abismado. Engraçado que alguns defendiam raivosamente o uso da violência por meio das redes sociais.
    Diante de tudo isso me pergunto: Quem são realmente os fundamentalistas???? quem são os Xiitas???

    Bom refletir sobre isso!!!

    • Companheiro da bíblia  On 29 de dezembro de 2013 at 0:09

      “Ele deixou de acreditar na evolução ?”

      Acho irrelevante. O relevante é a evolução pessoal dele andando na contramão de um ateu ! mesmo porque hoje em dia o que mais existem são pessoas que creem em Deus e conseguem “encaixar” uma dessas teorias qualquer que endossam a evolução.

      “Tu parece ter um bom conhecimento a respeito da carreira e opiniões dele”.

      Engano seu. Sei o suficiente para ter certeza de que ele “evoluiu” de um “macaco ateu” para um homem que admite a possibilidade de existir um Deus que ele ainda não sabe quem ou ” que” é. E para ter certeza também de que não existe nada de tolo no que ele escreve sobre ciência de um modo simples o suficiente para que tolos como eu possa entender . Ele é referência na ciência atual, ex “deus” ateu, etc.. creio que está dando uma lição de mudança de pensamento digna de ser citada numa resposta ao fanatismo.
      No mais, vale ressaltar que eu tenho me esforçado em ser um companheiro da bíblia , o melhor e mais sábio de todos os livros onde o mais sábio de todos os mestres e senhores achou por bem deixar que se registrassem algumas palavras tolas ,como por exemplo as que satanás tentou Jesus!

      Saudações tjs a todos!

      • Marcelo  On 30 de dezembro de 2013 at 11:05

        Entendi. Apenas para deixar claro:

        Não estou criticando a tua leitura das publicações dele ou semelhantes. Não acho que isto te faria menos confiante na bíblia, ou que tu estaria procurando assim as coisas “sábias do mundo”. Pelo contrário. Acho muito válido o estudo destas publicações, pois agregam muito na nossa fé no criador e é mais “munição” que colocamos “cinto de utilidades” que levamos de casa em casa.

        *EU* que sou preguiçoso pra ler e não tenho tido muito tempo sobrando, por isto tenho que me esforçar muito em não ser negligente na minha alimentação espiritual e por este motivo somente que esta leitura tá bem abaixo na lista de minhas prioridades.

        Abraço!

  • Marcelo  On 18 de dezembro de 2013 at 11:43

    Tem uma propaganda religiosa no fim, mas é muito bom. Estas são as mentes brilhantes e “abertas”

  • Nander  On 28 de dezembro de 2013 at 5:09

    Eu escrevi um comentário ainda não foi aceito mas eu so queria corrigir um coisa que escrevi, nele eu tinha dito que tais testes que dizem que a terra tem milhões de abos também dizem que o homem tem cerca de 10 a 20 mil anos, na verdade esses testes que dizem que a terra tem milhões de abos dizem que os homens tem cerca de 100 a 400 mil anos encontraram lanças de homens que seus testes de datação disseram ter 400mil anos l , passou hoje mesmo no history chanel. .

    Em fim o comentário que fiz ainda esta valendo

    Escute, se você fôr mergulhar e encontrar um baú cheio de moedas de ouroe eu lhe fizer uma pergunta simples: “Quando o navio afundou?”Você vai dizer: “Eu não sei”. Então, olhe para as datas nas moedas.Se tiver uma moeda lá de 1750, você deve ser capaz de entender que o navio afundou depois de 1750.Quantos conseguem entender sem ajuda? Ele não pode ter afundado antes disso, certo?Não adianta encontrar a moeda mais antiga.É preciso achar a mais recente e ela põe um limite na data em que o navio pode ter afundado.Isso chama-se “factor limitante”.Sabia que há talvez uma centena de maneiras de dizer a idade da Terra?Muitas dão números grandes e muitas dão números pequenos. É nos pequenos que nos devemos concentrar.Se você encontrar um osso de dinossauro, você deve notar duas coisas sobre ele imediatamente:(1) Ele não fala e (2) ele não tem uma data gravada nele.Ele não diz: “Feito por um Dinossauro, em 70 milhões a.C., em Taiwan”. Ele não diz isso

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 270 outros seguidores